Conflito de Gerações Gisele Santos Stumpf Liliane Corrêa Nunes Melo Mara Lusiane Matos dos Santos Márcia Viviane Leite de ...
<ul><li>Os constantes conflitos existentes na prática escolar, gerados a partir da pluralidade etária na Educação de Joven...
<ul><li>E.M.E.F. Cícero da Silva Brogni de Capão da Canoa – RS com 1300 alunos nos três turnos com EF e EJA. </li></ul><ul...
<ul><li>Há implicação entre a Qualidade de Educação e os Conflitos nas faixas etárias com interesses e vivências diferenci...
<ul><li>Objetivo Geral: </li></ul><ul><li>Criar um ambiente de convivência que valorize as diferenças e as trocas de saber...
<ul><li>Objetivos específicos: </li></ul><ul><li>Promover um espaço dialógico que enriqueça a sua bagagem de vida. </li></...
<ul><li>Escolha do tema a partir da prática escolar. </li></ul><ul><li>Construção do Referencial Teórico. </li></ul><ul><l...
<ul><li>Os constantes conflitos interferiram na  integração da turma comprometendo o objetivo final das atividades desenvo...
<ul><li>Necessidade de investigar as causas geradoras dos conflitos, a fim de que o aluno já excluído do ensino regular nã...
<ul><li>Tentativa de melhorar o relacionamento da turma, entendê-la, buscando atenuar os conflitos de gerações, valorizand...
<ul><li>Fala do aluno : </li></ul><ul><li>“ A diferença de idade e as vivências. Ninguém é criado igual, pois um não aceit...
<ul><li>Falas dos alunos: </li></ul><ul><li>“ Tem gente por que tem mais idade tem que ter prioridades.” </li></ul><ul><li...
<ul><li>Na forma de educar modificamos a visão referente aos alunos mais jovens, valorizando as suas contribuições, estimu...
<ul><li>Acreditamos que é através das trocas que se dá a valorização das vivências e experiências, favorecendo um ambiente...
<ul><li>COLL,  Cesar . PALACIOS,  Jesus . MARCHESI,  Alvaro .  Desenvolvimento Psicológico e Educação –  Psicologia da edu...
 
 
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Canoa-RS

2.781 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.781
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.755
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PROEJA-FIC - Conflito de Gerações - EMEF Cícero da Silva Brogni - Capão da Canoa-RS

  1. 1. Conflito de Gerações Gisele Santos Stumpf Liliane Corrêa Nunes Melo Mara Lusiane Matos dos Santos Márcia Viviane Leite de Matos Silvio Colussi Neto E.M.E.F. Cícero da Silva Brogni Capão da Canoa - RS
  2. 2. <ul><li>Os constantes conflitos existentes na prática escolar, gerados a partir da pluralidade etária na Educação de Jovens e Adultos no PROEJA-FIC da Escola Cícero da Silva Brogni. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>E.M.E.F. Cícero da Silva Brogni de Capão da Canoa – RS com 1300 alunos nos três turnos com EF e EJA. </li></ul><ul><li>PROEJA – FIC 2010/2012. </li></ul><ul><li>Curso Profissionalizante de Informática. </li></ul><ul><li>A turma é composta por 30 alunos e frequentam regularmente 20. </li></ul><ul><li>Faixa etária entre 17 a 65 anos. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Há implicação entre a Qualidade de Educação e os Conflitos nas faixas etárias com interesses e vivências diferenciadas? </li></ul><ul><li>A exclusão e o constrangimento no grande grupo podem ser provenientes destes conflitos? </li></ul><ul><li>Há incompatibilidade de interesses entre os mais jovens e os mais experientes? </li></ul><ul><li>A diversidade cultural, social e biológica desencadeiam estes conflitos? </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Objetivo Geral: </li></ul><ul><li>Criar um ambiente de convivência que valorize as diferenças e as trocas de saberes para mediar os conflitos de gerações, de forma que não haja nova exclusão. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Objetivos específicos: </li></ul><ul><li>Promover um espaço dialógico que enriqueça a sua bagagem de vida. </li></ul><ul><li>Oportunizar as trocas de experiências e vivências para o reconhecimento do outro. </li></ul><ul><li>Estimular a participação dos alunos, valorizando o que cada um tem para contribuir no momento. </li></ul><ul><li>Mediar situações de conflitos gerados em sala de aula transformando-os em novos saberes. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Escolha do tema a partir da prática escolar. </li></ul><ul><li>Construção do Referencial Teórico. </li></ul><ul><li>Questionário com 7 alunos entre 17 e 50 anos. </li></ul><ul><li>Leitura e interpretação das respostas. </li></ul><ul><li>Construção e montagem dos gráficos. </li></ul><ul><li>Análise dos dados coletados. </li></ul><ul><li>Constatação teórica e prática da interferência do conflito na educação. </li></ul><ul><li>Tentativa de atenuar o conflito explorando as diferenças a favor da educação. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Os constantes conflitos interferiram na integração da turma comprometendo o objetivo final das atividades desenvolvidas. Ao mesmo tempo em que estas diferenças desestabilizaram, também podem promover a mudança de comportamento e a aceitação do outro. </li></ul><ul><li>“ A assunção de nós mesmos não significa a exclusão dos outros. É a “outredade” do “não eu”, ou do tu , que me faz assumir a radicalidade de meu eu”. (Freire 1996, pg. 41) </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Necessidade de investigar as causas geradoras dos conflitos, a fim de que o aluno já excluído do ensino regular não sofra uma nova exclusão, valorizando as diferenças em benefício do coletivo. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Tentativa de melhorar o relacionamento da turma, entendê-la, buscando atenuar os conflitos de gerações, valorizando a troca de experiências, de modo a motivar para que cada um se empenhe ao máximo. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>Fala do aluno : </li></ul><ul><li>“ A diferença de idade e as vivências. Ninguém é criado igual, pois um não aceita o que o outro fala.” </li></ul><ul><li>Acreditamos que ao aceitar a opinião do outro e modificar a sua, o indivíduo toma consciência da realidade em que vive e do seu papel no grupo, passando a valorizar as vivências do outro. </li></ul><ul><li>César Coll (1996), afirma que o comportamento humano é, em sua maior parte, aprendido e poderá ser modificado na interação. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Falas dos alunos: </li></ul><ul><li>“ Tem gente por que tem mais idade tem que ter prioridades.” </li></ul><ul><li>“ Os mais novos não respeitam os outros é um desacato.” </li></ul><ul><li>Percebemos que a maioria dos conflitos está relacionada a valores preestabelecidos, para os mais novos os mais velhos querem impor regras de conduta e, ao mesmo tempo, ter prioridades. Enquanto os mais velhos, se sentem desrespeitados pela postura dos mais jovens. Os conflitos podem ser amenizados quando escutam e valorizam as experiências do outro. </li></ul><ul><li>Para Coll (1996, pg. 312) nem sempre as pessoas conseguem resolver sozinhos seus problemas, necessitando da ajuda de seus semelhantes. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Na forma de educar modificamos a visão referente aos alunos mais jovens, valorizando as suas contribuições, estimulando a sua maior participação e a integração com os mais experientes. </li></ul><ul><li>Utilizamos a Informática e as demais tecnologias para promover trocas e aproximar as gerações. </li></ul><ul><li>Promovemos saída de estudos com momentos de descontração, obtendo uma maior integração da turma. </li></ul><ul><li>Pretendemos estender estas experiências para toda a Educação de Jovens e Adultos. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Acreditamos que é através das trocas que se dá a valorização das vivências e experiências, favorecendo um ambiente de aprendizagem rico, o qual contribuirá para a formação de um sujeito autônomo. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>COLL, Cesar . PALACIOS, Jesus . MARCHESI, Alvaro . Desenvolvimento Psicológico e Educação – Psicologia da educação – Vol. 2. Artmed Editora. Porto Alegre, 1996. </li></ul><ul><li>DELORS, Jacques . Educação um tesouro a descobrir. São Paulo. Editora Cortez. 2006. </li></ul><ul><li>FREIRE, Paulo . Pedagogia do Oprimido. São Paulo. 47ª ed. Paz e Terra, 2005. </li></ul><ul><li>FREIRE, Paulo. Pedagotia da Esperança. São Paulo. Editora Paz e terra, 1992. </li></ul><ul><li>VYGOTSKY, Lev S. A formação social da mente. São Paulo. Martins fontes, 1991. </li></ul><ul><li>PARO , Vitor Henrique. Eleição de diretores : a escola pública experimenta a democracia. Campinas, Papirus, 1996. </li></ul>

×