Águas duras

2.903 visualizações

Publicada em

Águas duras e as suas consequências

Publicada em: Meio ambiente
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Olá no slide 8 como se chama o objecto que esta na imagem !
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.903
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Águas duras

  1. 1. ÁGUAS DURAS Catarina Pereira e César Pereira E1/2 – FQ3
  2. 2. TÓPICOS  Águas Duras  Definição  Origem  Classificação  Consequências  A nível industrial  A nível ambiental/ natureza  A nível doméstico  Padrão de aceitação para consumo humano  Dureza da água em Portugal  Webgrafia
  3. 3. DEFINIÇÃO Desde a nascente até às zonas de captação, a água atravessa diversos solos, dissolvendo pelo caminho muitos sais minerais: Se a água atravessa um solo calcário, terá uma maior concentração de sais de cálcio e magnésio, é por isso que designada de água dura.
  4. 4. ORIGEM Natural: Dissolução de minerais contendo cálcio e magnésio. CaCO3(s) + H2O(l) + CO2(g) Ca(HCO3)2(aq) 1- chuva 2- solo rico em minerais 3- água subterrânea dureza total alta e dureza carbonato alta Antropogénica: Despejos industriais.
  5. 5. CLASSIFICAÇÃO Dependendo da concentração dos iões, a água passa a ser classificada de acordo com a tabela acima.
  6. 6. DETERMINAÇÃO DA DUREZA Experimentalmente a dureza pode ser determinada mediante a titulação da amostra com EDTA - ácido etilenodiaminotetracético (ou outra técnica analítica que quantifique cálcio e magnésio) e expressa como a massa em miligramas/L de carbonato de cálcio (mgCaCO3/L) que contém o mesmo número total de iões da amostra.
  7. 7. CONSEQUÊNCIAS
  8. 8. CONSEQUÊNCIAS A NÍVEL INDUSTRIAL  Pode causar problemas nos sistemas de água quente como caldeiras e trocadores de calor, pois com o aumento da temperatura os carbonatos precipitam-se e incrustam na tubulação, que necessita de maior manutenção. Caso contrário, essa incrustação pode causar entupimentos, perda de eficiência e pode chegar até mesmo a explodir.
  9. 9. CONSEQUÊNCIAS A NÍVEL AMBIENTAL  A água dos solos, levemente ácida, reage com o carbonato de cálcio da rocha calcária e que é insolúvel, transformando-o em bicarbonato de cálcio em água: Carbonato de Cálcio (s) Bicarbonato de cálcio (aq)  Quando esta transformação ocorre em profundidade destrói o calcário e dá origem a cavernas.
  10. 10. CONSEQUÊNCIAS A NÍVEL AMBIENTAL  A acumulação desta precipitação dá origem a: Estalactites Estalagmites
  11. 11. CONSEQUÊNCIAS A NÍVEL DOMÉSTICO  Não há evidências de que a dureza cause problemas sanitários;  Reduz a formação de espuma, implicando em um maior consumo de sabão;  Causa incrustação nas tubulações de água, caldeiras e aquecedores industriais.
  12. 12. PADRÃO DE ACEITAÇÃO PARA CONSUMO HUMANO De acordo com a portaria n° 518 de 2004, o valor máximo permitido de dureza da água para consumo humano é de até 500 mgCaCO3/L.
  13. 13. DUREZA DA ÁGUA EM PORTUGAL
  14. 14. WEBGRAFIA  http://www.agsolve.com.br/noticias/agua-dura-e-seus-riscos  http://www.mundoeducacao.com/quimica/agua-dura.htm  http://www.infopedia.pt/$agua-dura;jsessionid=31iwbhGmWZZKDWKdidH3TQ__

×