Iniciação profissional

4.121 visualizações

Publicada em

Palestra sobre iniciação profissional no segmento odontológico

Publicada em: Negócios
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.121
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
144
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Iniciação profissional

  1. 1. Sistema de Implante Dabi Atlante. Alex MartinianoCoordenador Filial Campinas e Sul de Minas Gerais
  2. 2. Iniciação Profissional Alex Martiniano
  3. 3. Agenda Mercado Odontológico Imóvel Filosofia de trabalho / Necessidades Proposta de funcionamento Projeto da Clínica-Fluxos e setorização-Escolha dos Equipamentos (Ergonomia e Biossegurança)-Projetos Arquitetônicos-Projetos executivos Alex Martiniano
  4. 4. Estudando o Mercado Odontológico Estado Cidade Bairro Rua Quantidade de profissionais x pacientes Especialidades Tipos de clínicas e ou consultórios Convênios Informações sobre conhecimento de pacientes quanto à odontologia. Alex Martiniano
  5. 5. Imóvel para o Consultório Casa Apartamento Sala comercial Planos de crescimento Agora é pra valer!!! Alex Martiniano
  6. 6. PRÉ-REQUISITOS PARA O PROJETOFILOSOFIA DA CLÍNICANão existe um modelo padrão para clínicas e FILOSOFIA DA CLÍNICAconsultórios. Deve se considerar: + PROGRAMA DE• a filosofia de trabalho, NECESSIDADES• as especialidades que se pretende enfatizar, + INVESTIMENTO PRETENDIDO• a região em que se localiza, +• o perfil de pacientes pretendidos, ESPAÇO FÍSICO DISPONÍVELentre outros fatores que influenciarão diretamente os +conceitos funcionais e arquitetônicos a serem ASPECTOSadotados. QUANTITATIVOS = PROPOSTA DE FUNCIONAMENTO Alex Martiniano
  7. 7. PRÉ-REQUISITOS PARA O PROJETO PROGRAMA DE NECESSIDADES FILOSOFIA Listagem detalhada de todas atividades e dos ambientes DA CLÍNICA da clínica com suas áreas previamente estabelecidas de + acordo com a legislação vigente e as exigências PROGRAMA DE específicas de uso,além do número de usuários por sala. NECESSIDADES As necessidades podem ser classificadas como: + INVESTIMENTO PRETENDIDO• Técnicas e Profissionais + ESPAÇO FÍSICO DISPONÍVEL• Administrativas +• De natureza pessoal ASPECTOS QUANTITATIVOS = PROPOSTA DE FUNCIONAMENTO Alex Martiniano
  8. 8. PROGRAMA DE NECESSIDADESNecessidades Técnicas e profissionais•Atividades complementares (Prótese, Radiologia, Orientação, etc..)•Metodologia clínica dos procedimentos e exigências das especialidades aserem praticadas• Crítérios de ergonomia ( Profissional e Assistentes)•Protocolos de Biossegurança•Conforto e Bem estar dos PacientesCada necessidade deve ser definida concretamente e formalizada Alex Martiniano
  9. 9. PROGRAMA DE NECESSIDADESNecessidades Administrativas• Descrever os critérios de recepção e triagem de pacientes•Definir métodos de processamento de informações •Informatização/ número de estações/distribuição em rede/Uso de imagens clínicas• Exigências quanto a organização e manutenção de arquivos•Áreas e atividades de apoio •Copa/Refeições •Escritório •Descarte de resíduos •Casa de máquinas, etc.. Alex Martiniano
  10. 10. PROGRAMA DE NECESSIDADESNecessidades de natureza pessoal•Definir com clareza as necessidades subjetivas não diretamenterelacionadas aos procedimentos clínicos, mas relacionadas ao bemestar do(s) profissional(is) Alex Martiniano
  11. 11. PRÉ-REQUISITOS PARA O PROJETOESPAÇO FÍSICO DISPONÍVEL FILOSOFIA DA CLÍNICADeterminação do local onde será implantada a +clínica de odontologia, avaliando as condições PROGRAMA DE NECESSIDADESpré-existentes e a área disponível e levando +em consideração os fatores externos, como ESPAÇO FÍSICO DISPONÍVELacessos de automóvel, transporte público,pedestres, os edifícios do entorno (vizinhança) + INVESTIMENTOentre outros. PRETENDIDO + ASPECTOS QUANTITATIVOS = PROPOSTA DE FUNCIONAMENTO Alex Martiniano
  12. 12. PRÉ-REQUISITOS PARA O PROJETOINVESTIMENTO PRETENDIDOÉ necessário conhecer previamente o FILOSOFIA DA CLÍNICAplanejamento de investimento, em termos de +valor e cronograma de desembolso. PROGRAMA DE NECESSIDADESFinanciamentos: + ESPAÇO FÍSICO“Paitrocínio” DISPONÍVEL +Proger INVESTIMENTO PRETENDIDOCooperfat + ASPECTOS QUANTITATIVOSBNDS = PROPOSTA DEDabi Financiamentos FUNCIONAMENTO Alex Martiniano
  13. 13. PRÉ-REQUISITOS PARA O PROJETOASPECTOS QUANTITATIVOS FILOSOFIANúmero de atendimentos diários, ciclo de DA CLÍNICApacientes, perspectiva de expansão de + PROGRAMA DEatendimento, número de profissionais, turnos NECESSIDADESde funcionamento, etc. + ESPAÇO FÍSICO DISPONÍVEL + INVESTIMENTO PRETENDIDO + ASPECTOS QUANTITATIVOS = PROPOSTA DE FUNCIONAMENTO Alex Martiniano
  14. 14. PRÉ-REQUISITOS PARA O PROJETOPROPOSTA DE FUNCIONAMENTO FILOSOFIA DA CLÍNICA +Plano de trabalho que irá condicionar todas as etapas PROGRAMA DE NECESSIDADESdo projeto operacional e arquitetônico da clínica. +Deve ser desenvolvida em conjunto pelo ESPAÇO FÍSICOCD,Consultor Administrativo Especializado e DISPONÍVELArquiteto, considerando todos os fatores listados + INVESTIMENTOanteriormente, e com apoio dos fornecedores de PRETENDIDOequipamentos consultores quando necessário. + ASPECTOS QUANTITATIVOS = PROPOSTA DE FUNCIONAMENTO Alex Martiniano
  15. 15. O ProjetoFLUXOS E SETORIZAÇÃO.SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DEEQUIPAMENTOS.PROJETO ARQUITETÔNICO.PROJETO EXECUTIVO. Alex Martiniano
  16. 16. SELEÇÃO E ESPECIFICAÇÃO DE EQUIPAMENTOSDefina equipamentos capazes decorresponder ao projeto,considerando:.A oferta de recursos ergonômicos.Suporte à biossegurança.Adequação estética ao projeto.Qualidade construtiva edurabilidade Alex Martiniano
  17. 17. Cadeiras Odontológicas Alex Martiniano
  18. 18. Cadeiras Odontológicas Equipo Acoplado 200Equipo Acoplado Estofamento em Couro (conforto extremo)Equipo Cart Equipo Acoplado 200 Hasteflex Alex Martiniano
  19. 19. ERGONOMIA Alex Martiniano
  20. 20. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAArticulação Central Única Articulação Lateral Única Base Forte: ferro fundido Área de Privacidade Conforto Lombar Área de Aproximação Alex Martiniano
  21. 21. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAOBJETIVOS  Simplificação do trabalho.  Prevenção da fadiga.  Maior conforto para o CD e paciente.  Prevenção das doenças ocupacionais. Alex Martiniano
  22. 22. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIATEMPO OPERATÓRIOÉ parte do tempo que o CD dedica ao tratamento dopaciente no seu consultório. Este é o tempo produtivo. Tempo de esperaTempo operatório Ações diretas Ações indiretas Alex Martiniano
  23. 23. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIA Corte de Água e Sopro de Ar nas canetas Acesso a CadeirantesBAP em metal nobre(Bloco de Acionamento Pneumático) Encosto de Cabeça Bi-Articulado Alex Martiniano
  24. 24. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAEQUIPAMENTOS SEMI-MÓVEISOs SEMI-MÓVEIS, presos por uma haste à estrutura dacadeira possibilitam um posicionamento ergonômico detrabalho. Alex Martiniano
  25. 25. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAEQUIPAMENTOS MÓVEISOs equipos MÓVEIS são montados sobre rodízios, permitindoampla mobilidade ao lado da cadeira. Alex Martiniano
  26. 26. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAPOSIÇÃO DE TRABALHO DO CIRURGIÃO DENTISTA Alex Martiniano
  27. 27. ESQUEMA GRÁFICO ISO/FDI Alex Martiniano
  28. 28. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIA Posição Sentada Normal Alex Martiniano
  29. 29. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAPosição 7 horas Esquema Gráfico ISO/FDI Alex Martiniano
  30. 30. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAPosição 9 horasPosição 1 - ISO Esquema Gráfico ISO/FDI Alex Martiniano
  31. 31. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIAPosição 9 horasPosição 3 - ISO Esquema Gráfico ISO/FDI Alex Martiniano
  32. 32. ERGONOMIA NA ODONTOLOGIA 12Posição 11 horas 11 1 10 2Posição 1 - ISO 9 3 8 4 7 5 6 Esquema Gráfico ISO/FDI Alex Martiniano
  33. 33. Braço Assistente Alex Martiniano
  34. 34. Periféricos Alex Martiniano
  35. 35. Periféricos Alex Martiniano
  36. 36. Raios - XAlex Martiniano
  37. 37. CONSULTÓRIOSPOSICIONAMENTO DOS APARELHOS RAIOS X CONSULTÓRIO 01 CONSULTÓRIO 02 Alex Martiniano
  38. 38. Raios-XPanorâmico Alex Martiniano
  39. 39. BIOSSEGURANÇAAlex Martiniano Alex Martiniano
  40. 40. Autoclaves Alex Martiniano
  41. 41. CONCEITUAÇÃOBIOSSEGURANÇAO espaço construído deve favorecer e contribuir para quetodos os procedimentos de biossegurança sejam realizadoscom eficiência, considerando os materiais de acabamento, oarranjo do mobiliário, a disposição dos espaços, as soluçõesconstrutivas e o fluxo de circulação entre os espaços. Alex Martiniano
  42. 42. BIOSSEGURANÇA ÁREA CONTAMINADA ÁREA CONSULTÓRIO DESCONTAMINADA ODONTOLÓGICOLEGENDAMATERIAL CONTAMINADO AR CONTAMINADOMATERIAL ESTERILIZADO AR DESCONTAMINADO Alex Martiniano
  43. 43. BIOSSEGURANÇAÁREA CONTAMINADA ESQUEMA GERAL DE ESTERILIZAÇÃO 1. Coletor de materiais perfurocortantes 2. Coletor de materiais sólidos descartáveis 3. Coletor de materiais recicláveis 4. Roupas contaminadas 5. Cuba de inox com torneira giratória 6. Cesto vazado de recipiente com tampa 7. Escova de cerdas de nylon macias 8. Cuba ultra-sônica 9. Escorredor 10.Terminais de ar comprimido 11.Papel toalha absorvente Alex Martiniano
  44. 44. BIOSSEGURANÇAÁREA DESCONTAMINADA 15.Gaveta contendo pano de campo, papel grau cirúrgico, envelopes grau cirúrgico, rolos de papel grau cirúrgico ou rolos de nylon bilaminados 16.Seladora 17.Autoclave 18.Destilador ou recipiente de água destilada Alex Martiniano
  45. 45. O PROJETO ARQUITETÔNICODistribuição do programa de necessidades deacordo com os fluxos de circulação sobre oespaço definido com layout do mobiliário. Alex Martiniano
  46. 46. CONSULTÓRIOSAlex Martiniano
  47. 47. CONSULTÓRIOS 4 5ESPERA ES ITÓRIO CR 3 6 CONSULTÓRIO 2 7 1 8 12 9 ES ILIZAÇ TER ÃO 11 10 LAVABO Alex Martiniano
  48. 48. CLÍNICASCONSULTÓRIO 02 ESCRITÓRIO COPA HALLCONSULTÓRIO 01 ESTERIL. ESPERA RECEPÇÃO Alex Martiniano
  49. 49. CLÍNICASAlex Martiniano
  50. 50. CLÍNICASAlex Martiniano
  51. 51. CLÍNICASPiso Inferior Alex Martiniano
  52. 52. CLÍNICASPiso Superior Alex Martiniano
  53. 53. O PROJETO EXECUTIVODetalhes construtivos para que o projetoarquitetônico seja executado com precisão e queas instalações funcionem com eficiência, sãodetalhes das ligações, cálculos de capacidadedos equipamentos, distribuição das tubulações,detalhamento de mobiliário e especificação demateriais. Alex Martiniano
  54. 54. SISTEMA “INERCO” DE BIOSSEGURANÇA • INSTALAÇÕES DE REDE • ERGONOMIA • CONTROLE DE INFECÇÃO Alex Martiniano
  55. 55. Alex Martiniano
  56. 56. INSTALAÇÕESPRINCIPAIS REDES DE INSTALAÇÃO:• REDE DE ÁGUA• REDE DE ESGOTO• REDE DE ELÉTRICA• REDE DE AR COMPRIMIDO• REDE SUCÇÃO Alex Martiniano
  57. 57. REDE DE AR COMPRIMIDO Ar comprimido industrialUtilizado para limpeza e acionamento deEquipamentos, é gerado por compressoresconvencionais, lubrificados a óleo. Alex Martiniano
  58. 58. REDE DE AR COMPRIMIDO Ar medicinal comprimidoNa odontologia é utilizado para acionamento dosequipamentos pneumáticos como peças de mão e uso emprocedimentos terapêuticos. Alex Martiniano
  59. 59. REDE DE AR COMPRIMIDO Ar medicinal comprimido sintético É obtido a partir da mistura de oxigênio (21%) e nitrogênio (79%). Também utilizado para fins terapêuticos como o ar comprimido medicinal. É estéril, pronto para uso. Alex Martiniano
  60. 60. GERAÇÃO DE AR COMPRIMIDO O compressor O compressor é um equipamento vital no consultório, conhecer suas aplicações e características técnicas é fundamental.Vazão: quantidade necessária de litros de ar produzido por minutopara o correto funcionamento dos aparelhos utilizados no circuito.Pressão: força atuante sobre a área interna do reservatório e linhade condução, deve ser compatível com o especificado nosequipamentos. Alex Martiniano
  61. 61. REDE DE AR COMPRIMIDOCompressor Filtro Regulador Pré-filtro Linha de Ar Dreno Alex Martiniano
  62. 62. REDE DE AR COMPRIMIDO Alex Martiniano
  63. 63. SISTEMAS DE SUCÇÃO Tipos de Sucção • Sucção tipo Venturi • Sucção tipo Vac Plus • Sucção de alta potência Alex Martiniano
  64. 64. SISTEMAS DE SUCÇÃO Sucção de Alta Potência• É indispensável no controle de infecção doconsultório, pois suga 95 % da névoa contaminanteque se forma, durante o uso da alta rotação ouaparelhos de profilaxias • Aumenta o desempenho de trabalho a 4 mãos em todas as posições ergonomicas. • Aumenta a visibilidade do campo operatório e conseqüentemente melhora o desempenho do profissional e conforto do paciente. Alex Martiniano
  65. 65. SISTEMAS DE SUCÇÃO Alex Martiniano
  66. 66. Instalação de Água Alex Martiniano
  67. 67. Instalação Elétrica Alex Martiniano
  68. 68. Instalação de EsgotoAlex Martiniano
  69. 69. TODAS AS REDESAlex Martiniano
  70. 70. CAIXA DE COMANDO Alex Martiniano
  71. 71. CAIXA DE COMANDO Alex Martiniano
  72. 72. CAIXA DE COMANDO Alex Martiniano
  73. 73. CAIXA DE COMANDO Alex Martiniano
  74. 74. RAIOS X Alex Martiniano
  75. 75. RAIOS X Alex Martiniano
  76. 76. RAIOS X Alex Martiniano
  77. 77. DETALHES TÉCNICOSAlex Martiniano
  78. 78. DETALHES TÉCNICOSAlex Martiniano
  79. 79. Conclusão Alex Martiniano
  80. 80. OBRIGADO!!! Alex Martiniano www.dabi.com.br alex@dabiatlante.com.br 19.9118.3688

×