Trabalho de luiza

258 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre um empreendedor que não deu certo

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
258
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho de luiza

  1. 1. Universidade Salvador – UNIFACS Núcleo de Pesquisas e Projetos de Educação a Distância – NUPPEAD Curso de Serviço Social Disciplina: Empreendedorismo Profª Luciana Nery e Tutora: Katia Adriana C.B. Murta Aldenise Luiza da Silva Sâmella Soraya de Souza Alves Mello UM EMPREENDIMENTO QUE NÃO TEVE EXITO POR: CARLOS HUMBERTO AMORIM Juazeiro-BA 2014 1
  2. 2. Universidade Salvador – UNIFACS Núcleo de Pesquisas e Projetos de Educação a Distância – NUPPEAD Curso de Serviço Social Disciplina: Empreendedorismo Profª Luciana Nery e Tutora: Katia Adriana C.B. Murta Aldenise Luiza da Silva Sâmella Soraya de Souza Alves Mello UM EMPREENDIMENTO QUE NÃO TEVE EXITO POR: CARLOS HUMBERTO AMORIM Atividade apresentada como requisito parcial para aprovação na disciplina: Empreendedorismo do Curso de Serviço Social da UNIFACS sob acompanhamento da Profª Luciana Nery e Tutora: Kátia Adriana C.B. Murta. Juazeiro-BA 2014 2
  3. 3. RESUMO O mundo do trabalho naturalmente sofre uma mudança de paradigma, consequência de todas as transformações permanentes dos últimos 20 anos, comprometendo princípios laborais como a Segurança e Estabilidade no Emprego. A introdução das novas tecnologias de informação, a vontade insaciável do ser humano criar, inovar e experimentar novos desafios e a globalização dos mercados impulsiona o homem a criar seu próprio negócio em busca de satisfação profissional, mas isso nem sempre vem com o sucesso, muitas vezes uma boa ideia de empreendimento sem planejamento estratégico não dão lucros e o negócio tende a falir. Neste estudo será abordada a história de Carlos Henrique Amorim, que foi um empreendedor no ramo de confecção de uniformes, um empreendimento que não teve êxito. . 3
  4. 4. INTRODUÇÃO Ser empreendedor não é só ter seu próprio negócio. O empreendedorismo deve fazer parte de todas as áreas de atuação de negócios, sejam no comércio, na indústria, no terceiro setor ou nos serviços públicos. Ser empreendedor é assumir o papel de líder e trabalhar com a mente volvida ao sucesso do negócio o qual abriu e, principalmente, para a aquisição do sucesso particular, por meio de resultados obtidos. É estar sempre um passo a frente da proeminente concorrência. Ter opiniões inovadoras, ser flexível e não ter medo de arriscar. É fazer acontecer, liderar, ter um norte, ter empreendimento, autoestima elevada, ser um ‘otimista realista’, perseverar sempre, ter intuição, senso de oportunidade, senso de imediatismo. É saber aprender com os erros e com os bons exemplos, é estabelecer metas e atingi-las. Os méritos alcançados na administração empresarial estão atrelados expressamente ao empreendedorismo, o sucesso alcançado, decorre de habilidades concernentes às decisões tomadas pelo empreendedor, todavia, se essas decisões não forem acertadas, o empreendedor estará propenso ao fracasso. Se o empreendedor, ao abrir um negócio, não colocar em prática alguns fatores preponderantes para que o negócio venha dar certo, como: Planejamento formal, inovação no negócio, pesquisa de campo no que diz respeito à parte administrativa, financeira, econômica e estudo de mercado, assim como, controle de custos, margens, gestão de estoque e outros itens importantes para gestão do empreendimento, o comércio tende a falir. Superar desafios sem dúvidas é um dos requisitos primordiais do empreendedor. Não são raros os casos em que a falência de uma empresa não é imprescindível diante das dificuldades, na maioria das vezes o empreendedor o caracteriza como um obstáculo, em sua jornada. Pois mesmo com a falência da empresa fica a responsabilidade com dívidas. Carlos Humberto Amorim, proprietário de uma confecção de uniformes, com o fracasso, sem mais recursos e desanimado decidiu não se arriscar mais a novos investimentos. 4
  5. 5. UM EMPREENDIMENTO QUE NÃO TEVE EXITO POR: CARLOS HUMBERTO AMORIM O presente trabalho consiste no relato concedido pelo senhor Carlos Humberto Amorim, 42 anos de idade, casado, pai de três filhas menores, residente em casa própria, estudou até o nível médio, trabalhou durante 13 anos em uma fábrica de confecção de roupas pronta entrega, onde recebia um salário mínimo e meio, cumprindo uma carga horária de 10:00 horas diária. Ambicioso e insatisfeito com o salário recebido, já que o mesmo não correspondia às suas reais necessidades assim como de toda sua família, já que almejava, como todo pai de família proporcionar uma melhor condição de vida para os seus familiares, com três anos trabalhando na referida fábrica, decidiu que iria abrir o seu próprio negócio, tornar-se um empreendedor, e foi juntamente com sua esposa, que é cabeleira e manicure, que o mesmo abriu uma conta poupança, que durante 10 anos economizando, acumulou uma determinada quantia em dinheiro que o deixava em condições de realizar o seu sonho e de toda família, e assim, associada à experiência adquirida durante os 13 anos como funcionário da fábrica de confecção de roupas de pronta entrega. Após economizar uma quantia considerável o senhor Carlos Humberto Amorim decidiu então empreender, tendo como foco uma fábrica de confecção de uniformes escolares e uniformes de pequenas empresas, alugou um pequeno espaço na comunidade onde mora, comprou maquinários, usados, abrindo assim no ano de 2012 o seu próprio negócio. Art. 153. O administrador da companhia deve empregar, no exercício de suas funções, o cuidado e diligência que todo homem ativo e probo costuma empregar na administração dos seus próprios negócios. Infelizmente, um ano e dois meses depois, em Junho de 2013, sua pequena fábrica veio à falência. Seu plano de negócio era buscar oportunidades a longo e curto prazo, estabelecer metas para alcançar com sucesso seus objetivos, interagir com o mercado, persistir até que as coisas funcionassem adequadamente de acordo ao que foi planejado. Dessa forma, criar vínculos fortes e duradouros com os consumidores e clientes, fornecendo-lhes os melhores produtos e serviços, inovando na produção de uniformes, com a intenção de satisfazer os clientes, mantendo a 5
  6. 6. excelência na qualidade dos produtos e serviços, saciando os desejos das pessoas interessadas pelo novo. No entanto o senhor Carlos Humberto Amorim não conseguiu colocar em prática alguns pressupostos que são preponderantes para o sucesso de um empreendedor. A principal razão para o fechamento da empresa está centrada no bloco de falhas gerenciais, destacando-se: ponto/local inadequado, falta de conhecimentos gerenciais e desconhecimento do mercado, seguida de causas econômicas. Fator crucial para as empresas é a dificuldade encontrada no acesso ao mercado, principalmente nos quesitos propaganda inadequada; formação inadequada dos preços dos produtos/ serviços; informações de mercado e logística deficiente, caracterizando a falta de planejamento dos empresários. (SEBRAE, 2007, p.40). O maior erro cometido pelo mesmo para que sua fábrica de confecção de uniformes escolares profissionais, foi não definir seu público e não recorrer a um serviço de consultoria para auxiliar nas tomadas de decisões estratégicas, pois apesar de ser persuasivo, ter autoconfiança, foco em oportunidades, conhecer muitas pessoas, paixão pelo que faz ter vontade de trabalhar muito, ser persistente, exigente, organizado, ter habilidade para trabalhar com pessoas e lidera-las, sempre em busca de conhecimento não foram suficientes para manter seu negocio, segundo ele, a empresa aceitava qualquer tipo de demanda, e na maioria dos casos as encomendas eram desvantajosas, necessitando de muito esforço, investimento e pouco retorno, assim reconhece que faltou planejamento estratégico, pois nem todas as demandas eram lucrativas. Os erros se tornaram custosos e a empresa teve que recorrer a empréstimos e financiamentos para pagar as contas, e quando sua dívida chegou ao extremo percebeu que era hora de fechar e arcar com o prejuízo, seu plano de negocio, não teve em vista um público específico e rentável, assim teve que se desfazer do maquinário e arcar com os prejuízos, pois suas diretrizes não foram suficientes para manter seu negócio no mercado, porém, com isso adquiriu experiência no ramo de atividade, além de incorporar práticas relacionadas com uma preocupação socioambiental em seu dia a dia, sendo ético e correto nas tomadas de decisões, de acordo com o empreendedor, a falência da empresa se deu por seu entusiasmo desenfreado, fazendo com que o mesmo deixasse por muitas vezes de pensar e agir como um bom empreendedor deveria. 6
  7. 7. A capacidade empreendedora está na habilidade de inovar, de se expor a riscos de maneira inteligente, e de se ajustar às rápidas e contínuas mudanças do ambiente de forma rápida e eficiente. “(KAUFMANN, 1990). 7
  8. 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS KAUFMANN, L. Passaporte para o ano 2000: como desenvolver e explorar a capacidade empreendedora para crescer com sucesso até o ano 2000. São Paulo: McGraw-Hi. Acesso em 04 de mar. de 2014. SEBRAE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Disponível em: <http://www.sebraesp.com.br/>. Acesso em 04 de mar. de 2014. BRASIL, Lei nº 6.404, de 15 de Dezembro de 1976, Art. 153. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l6404consol.htm. Acesso em 05 de mar. 2014. 8

×