Aula de química

280 visualizações

Publicada em

QUIMICA

Publicada em: Internet
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Aula de química

  1. 1. EMJA: Ensino Médio para Jovens e Adultos Disciplina: Química Prof.: Fagner Guedes Paragominas-2015
  2. 2. O Que é Química? Química é uma Ciência Experimental que estuda a estrutura, composição e a transformação da matéria.
  3. 3. O estudo da química começa com um bom entendimento da Matéria. A Matéria pode ser definida como tudo o que tem massa e ocupa um lugar no espaço, ou seja, possui volume. A madeira, ferro, água, areia, ar, vírus, bactérias e células, são exemplos de matéria. Durante muitos e muitos anos os cientistas estiveram tentando desvendar a constituição da matéria. Várias teorias surgiram ao longo do tempo e contribuíram para o conhecimento da matéria como temos hoje, baseada nos modelos atômicos.
  4. 4. ESTADOS FÍSICOS DA MATÉRIA Fenômenos físicos, biológicos e químicos e classificação da matéria  A matéria é encontrada na natureza em temperatura ambiente, sob três estados físicos: SÓLIDO LÍQUIDO GASOSO
  5. 5. SÓLIDO Apresenta forma e volume constante, alta força de coesão entre as partículas formadoras da matéria.
  6. 6. LÍQUIDO Apresenta forma variável (depende do recipiente onde é armazenada) e volume constante. Há um equilíbrio entre a força de repulsão das partículas formadoras da substância. A água dentro da jarra toma a forma a jarra.
  7. 7. GASOSO Apresenta forma e volume variável, alta força de repulsão entre as partículas formadoras da substância. O gás Hélio dentro de balões toma a forma e o volume do balão onde é armazenado
  8. 8. MUDANÇA DE ESTADO É quando o estado físico da substância muda devido a um aumento ou diminuicão na temperatura. quando se aumenta a temperatura, a força de coesão entre as partículas diminui e a de repulsão aumenta, pois as partículas formadoras da matéria ficam mais agitadas, porém quando a temperatura diminui, a força de coesão aumenta e a de repulsão entre as partículas formadoras da matéria diminuem, pois as partículas ficam menos agitadas.
  9. 9. MUDANÇA DE ESTADO
  10. 10. CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA • Substância pura: possuem um único tipo de substância, composição definida em P.F e P.E constantes. Podem ser: Simples formada por um único tipo de elemento químico. Ex: O2, Cl2, Br2,I2 e O3. Compostas formada por mais de um tipo de elemento químico. Ex: H2O, CO2, NaCl, H2SO4.
  11. 11. CLASSIFICAÇÃO DA MATÉRIA • Mistura: possuem duas ou mais substâncias diferentes que são reunidas em um só espaço. Podem ser: Homogênea que apresenta aspecto visual uniforme, é constituído por uma fase. Ex: ar atmosférico filtrado, água potável, água mais álcool. Heterogênea apresenta aspecto visual descontínuo por mais de uma fase. Ex: água e óleo, granito etc.
  12. 12. MODELOS ATÔMICOS ÁTOMO: o desenvolvimento de uma idéia. O átomo é a partícula que representa um determinado elemento químico. O desenvolvimento da Química como ciência deu-se ao acatar e desenvolver esse conceito e no trabalho de definir as propriedades físicas e químicas dos mesmos. Nas culturas grega e hindu (há mais de 2500 anos) pregava-se que o universo era formado de quatro elementos fundamentais: Fogo, ar, terra e água. A=não TOMO=divisão
  13. 13. ÁTOMO: cultura grega. 450 a.C. – Leucipo de Mileto: A matéria pode se dividir em partículas cada vez menores até atingir uma partícula fundamental, minúscula e indivisível. 400 a.C. – Demócrito de Abdera: Denominação átomo para a menor partícula de matéria. Considerado o pai do atomismo grego.
  14. 14. EVOLUÇÃO DOS MODELOS 350 a.C. – Aristóteles: A descontinuidade da matéria: os quatro elementos fundamentais (a água, o fogo, o ar e a terra). Apesar de errado, o conceito aristotélico de matéria, juntamente com toda a sua filosofia, foi aceito oficialmente durante mais de 2000 anos. Nesse período, apenas ao alquimistas aceitavam a existência de elementos básicos.
  15. 15. DALTON 1803: modelo da bola de bilhar Primeiro modelo atômico com base experimental. O átomo é uma partícula neutra maciça e indivisível. O modelo vingou até 1897.
  16. 16. THOMPSON 1897: pudim de passas Josef J. Thomson – Químico Inglês: Por volta do ano de 1.897, analisando a emissão de luz entre eletrodos presentes num tubo de vidro onde existe vácuo, descobriu que partículas menores que o átomo saía m em alta velocidade do eletrodo que tinha pólo negativo (cátodo) em direção ao eletrodo de pólo positivo (ânodo). Para Thomson, o átomo seria uma esfera de carga positiva tendo as cargas elétricas negativas (elétrons) homogeneamente distribuídas pela superfície. Essas cargas elétricas anulariam a carga positiva e, assim, o átomo seria neutro. Mais tarde, o cientista alemão
  17. 17. ERNEST RUTHERFORD 1911: Planetário Ernest Rutherford – Físico Inglês: Rutherford refutou o modelo de Thomson. Em 1911após conclusões tiradas acerca de um experimento ele considerou que um átomo é composto por um pequeno núcleo carregado positivamente e rodeado por uma grande eletrosfera, que é uma região envolta do núcleo que contém elétrons. No núcleo está concentrada a carga positiva e a maior parte da massa do átomo.
  18. 18. Niels H. David Bohr 1913: Modelo de Bohr O átomo de Rutherford definia bem a natureza elétrica da matéria. No entanto, não conseguia explicar a existência de alguns fenômenos. Em 1913, o dinamarquês Niel Bohr (prêmio Nobel em 1922) postulou a seguinte teoria: 1) Os elétrons nos átomos movimentam-se ao redor do núcleo em trajetórias circulares, de energia quantizada e fixa denominadas de camadas de energia ou níveis de energia. Essas camadas, ou níveis, são infinitas, mas são estudadas apenas sete delas, as camadas K, L, M, N, O, P e Q, também chamadas de níveis 1, 2, 3, 4, 5, 6, e 7, respectivamente. Cada camada ou nível suporta um número máximo de elétrons:
  19. 19. 2) Não é permitido a nenhum elétron permanecer entre dois desses níveis. Ao absorver energia extra, o elétron muda para uma camada mais energética e, ao retornar a sua camada origem, libera essa energia na forma de onda eletromagnética (luz).
  20. 20. Evolução Atômica
  21. 21. Modelo atômico usual

×