O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

A inclusão eficaz na sala de aula e no apoio educativo especializado (i parte) alcinda almeida

856 visualizações

Publicada em

A intervenção nos indicadores de dislexia, quando evidenciados no Pré Escolar

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

A inclusão eficaz na sala de aula e no apoio educativo especializado (i parte) alcinda almeida

  1. 1. INCLUSÃO EFICAZ NA SALA DE AULA E NO APOIO ESPECIALIZADO (I PARTE) O momento da prevenção
  2. 2. SUMÁRIO DESTA SESSÃO • Indicadores de possíveis futuras dificuldades de leitura (e escrita) a serem detetadas no ensino pré-escolar; • estratégias a implementar na sala de aula regular, na educação pré-escolar. • Estratégias a implementar em apoio especializado facultado na educação pré-escolar. Como (pr)intervir? • Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com
  3. 3. O educador e a criança Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com Desenvolvimento Psicomotor Fatores Psicomotores Linguagem Cognição
  4. 4. O educador e a criança Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com Fatores Psicomotores Motricidade Ampla Equilíbrio Tonicidade Imagem Corporal Lateralidade Espaciotemporal Motricidade Fina
  5. 5. O educador e a criança Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com Linguagem Consciência Fonológica Consciência da frase Consciência da palavra Consciência silábica Consciência intrassilábica Consciência fonémica
  6. 6. O educador e a criança Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com Cognição Memória Atenção
  7. 7. Como interferir com o fenótipo? Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com
  8. 8. Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com O desenvolvimento é Psicomotor.
  9. 9. Psicomotricidade Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com A Associação Portuguesa de Psicomotricidade (s/d) define a psicomotricidade como: “o campo transdisciplinar que estuda e investiga as influências recíprocas e sistémicas entre o psiquismo e a motricidade”,
  10. 10. Numa visão holística do indivíduo, a psicomotricidade integra as funções: Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com cognitivas socioafetivas simbólicas psicolinguísticas motoras
  11. 11. O potencial de aprendizagem manifesta-se e materializa- -se na motricidade, sendo que as consequências das perturbações do desenvolvimento e da aprendizagem se mostram através da motricidade. (Fonseca & Oliveira, 2009) Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com
  12. 12. Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com Observar Conhecer Comparar Localizar Separar/juntar Medir Relatar Combinar Conferir Classificar Criticar Sequencializar As competências a estimular na Educação Pré-escolar são: Promover a manipulação
  13. 13. PPDCF email: alcindalmeida@gmail.com
  14. 14. PPDCF  Consciência Silábica 1. = sílaba inicial 2. = sílaba final 3. Identificação sílaba tónica 4. Segmentação silábica 5. Reconstrução silábica 6. Contagem de sílabas 7. Omissão de sílabas (iniciais, finais e médias) 8. Adição de Sílabas 9. Inversão de Sílabas email: alcindalmeida@gmail.com
  15. 15. Igual Sílaba Inicial email: alcindalmeida@gmail.com
  16. 16. Identificação sílaba tónica email: alcindalmeida@gmail.com
  17. 17. Reconstrução Silábica Tarefa nº 6 Consciência silábica: reconstrução silábica - dissilabos Objetivo: promover a capacidade de reconstrução de palavras dissilábicas pela junção das sílabas que as constituem. População alvo: crianças entre os 6 anos e os 9 anos. Instruções: Pedir à criança que preste atenção aos sons (sílabas) que o adulto produz. O adulto produz os sons correspondentes às sílabas que constituem a palavra com um intervalo de cerca de 3 segundos entre cada uma. Pedir à criança que junte as sílabas de modo a construir um todo significativo (palavra). A criança deve repetir a palavra resultante da junção das sílabas. Exercício de demonstração: o adulto produz os sons A criança constrói a palavra ga-to gato O adulto apresenta a imagem. o adulto produz os sons A criança constrói a palavra ga-to gato o adulto produz os sons A criança constrói a palavra ga-to gato ra-to rato ca-to cato o-lho olho por-co porco pul-ga pulga go-mo gomo ra-mo ramo email: alcindalmeida@gmail.com
  18. 18. Segmentação Silábica Tarefa nº 8 Consciência silábica: segmentação silábica Objetivo: promover a capacidade de segmentação de palavras em sílabas. População alvo: crianças entre os 6 anos e os 9 anos. Instruções: Pedir à criança que preste atenção às palavras que o adulto produz. O adulto nomeia a imagem. Pedir à criança que divida a palavra nomeada em sílabas, batendo tantas palmas quantas as sílabas.  Exercício de demonstração: email: alcindalmeida@gmail.com
  19. 19. Contagem de Sílabas Consciência silábica: contagem de sílabas Objetivo: Promover a capacidade de contar as sílabas das palavras. População alvo: Crianças entre os 6 anos e os 9 anos. Instruções: Pedir à criança que divida em sílabas, com palmas, a palavra que nomeia o representado na imagem. Pedir à criança que pinte o número de círculos correspondente ao número de sílabas da palavra email: alcindalmeida@gmail.com
  20. 20. Omissão de Sílabas Tarefa nº 12 Consciência silábica: omissão de sílabas (finais, iniciais e médias) Objetivo: promover a capacidade de omitir sílabas finais na palavra. População alvo: crianças entre os 6 anos e os 9 anos. Instruções: Pedir à criança que ouça com atenção a palavra que o adulto pronuncia. Pedir à criança que repita a palavra, omitindo a sílaba final. Exercício de demonstração Adulto: - se disseres a palavra “pião”, sem a última sílaba, como é que fica? email: alcindalmeida@gmail.com
  21. 21. Adição de Sílabas li + mão limão email: alcindalmeida@gmail.com
  22. 22. Palavras que Rimam (nível 3) funil etiqueta rato email: alcindalmeida@gmail.com
  23. 23. email: alcindalmeida@gmail.com
  24. 24. Domínio Corporal/Equilíbrio/Ritmo 1.1 Jogo da Estátua Objetivos: Desenvolver as competências de domínio do corpo Desenvolver o equilíbrio postural estático Desenvolver a capacidade de adequar o movimento do corpo a um ritmo estabelecido Recursos materiais: Pandeireta Como jogar: Os jogadores formam uma roda e, rodando, vão andando ou correndo, conforme o ritmo estabelecido pela pandeireta (ou outro instrumento que permita marcar o ritmo). Quando o instrumento pára, cada uma das crianças deve ficar imóvel. O adulto, ou uma criança nomeada para desempenhar esta função, fica atento até perceber o movimento de algum jogador. Quem mexer primeiro sai do jogo. Idade: a partir dos 5 anos Este jogo também pode ser jogado utilizando: Uma lengalenga que todas as crianças conheçam; Música gravada; Arcos que delimitem espaços, no mesmo número de jogadores, e sirvam de base para cada um quando o som parar. email: alcindalmeida@gmail.com
  25. 25. Divisão da Atenção/Discriminação Auditiva 1.5 Dança das Bolas Objetivos: Desenvolver o domínio do corpo (tonicidade) Desenvolver a capacidade de dividir a atenção Desenvolver a perceção auditiva (discriminação de ritmos) Recursos materiais: Pandeireta Uma bola que salte para cada jogador Como jogar: Num espaço amplo, cada criança segura na sua bola. O adulto explica que a cada batimento da pandeireta as crianças devem fazer saltar a bola no chão, agarrando-a quando vier para cima. Inicialmente, o ritmo deve ser lento para que as crianças consigam segui-lo e segurar a bola. Depois de algum tempo de treino lento, o adulto deverá aumentar a velocidade dos batimentos de pandeireta, ao que deve corresponder um aumento no ritmo de batimento das bolas. Depois de algum tempo, o adulto diz “troca”. Cada criança deve, então, trocar de bola com um colega. Idade: a partir dos 5 anos email: alcindalmeida@gmail.com
  26. 26. Manipulação Tarefa nº 1 Factor: tonicidade Sub factor: diadococinésias Objetivo: Promover a capacidade de manipular, comparar, contar e reproduzir com peças básicas de construção a duas dimensões. População alvo: Crianças entre os 6 anos e os 8 anos. Materiais: Power Point dos pauzinhos (PP) Pauzinhos – 4 tamanhos, 4 cores Cartões Instruções: Pedir à criança que preste atenção ao “filme” que vai ver sobre os pauzinhos. O adulto acciona o power point (PP) dos pauzinhos. O adulto mostra e compara com a criança os cartões referidos ao PP, enfatizando os diversos tamanhos, cores e posições. O adulto dá à criança um pauzinho de cada cor e tamanho (16 pçs) e convida-a a contar pelos dedos os pauzinhos, opondo cada um dos dedos ao polegar, com a mão esquerda, com a direita e com as duas, simultaneamente. O adulto convida a criança a manipular o material e reproduzir, por cópia com o mesmo, as figuras que viu no PP. O adulto convida a criança a reproduzir, com marcador, as figuras em folhas A5 brancas, criando um registo gráfico da tarefa.email: alcindalmeida@gmail.com
  27. 27. Construção Livre email: alcindalmeida@gmail.com
  28. 28. Oromotricidade/relação fonológica e semântica Tarefa nº 9 Factor: tonicidade Sub factor: Sincinésias/oromotricidade Objetivo: Promover a capacidade de comparar e reproduzir posições orobucais, bem como classificar grafemas e produzir fonemas. População alvo: Crianças entre os 6 anos e os 8 anos. Materiais: Cartões boquinhas Cartões letras Cartões construções figuras Espelho Neste conjunto de tarefas todas contêm um cartão boquinhas e um cartão com a construção do símbolo gráfico (letra maiúscula e minúscula) correspondente ao som (fonema) em que pode ser traduzida a posição da boca inscrita no cartão boquinhas. A maioria tem ainda figuras resultantes de construções com pauzinhos, círculos e semicírculos, às quais correspondem palavras com o fonema, inicial, medial ou final, a que se refere o cartão. [b] Bule email: alcindalmeida@gmail.com
  29. 29. Adequação dos movimentos do corpo à reprodução rítmica1.7 Saquinhos de Areia Objetivos: Desenvolver o domínio do corpo (equilíbrio) Desenvolver a capacidade de dividir a atenção Desenvolver a perceção auditiva (discriminação e reprodução ritmica) Recursos materiais: Tambor Um saquinho de areia para cada criança Caixa para guardar os saquinhos Giz Como jogar: O adulto desenha no chão com o giz, as linhas de partida e chegada. Divide o grupo de crianças em subgrupos de cinco, que se colocam na linha de partida, equilibrando o saquinho de areia na cabeça. O adulto dá o sinal de partida começando a bater no tambor, seguindo um ritmo de passada lenta até que as crianças cheguem à meta sem deixar cair o saquinho. As crianças que fizeram o percurso guardam os saquinhos na caixa. Repete-se o processo até que todas as crianças tenham oportunidade de jogar. Pode repetir-se o jogo com ritmos diferentes aumentando o grau de dificuldade. Idade: a partir dos 5 anosemail: alcindalmeida@gmail.com
  30. 30. Lateralidade 3.1 De um Lado Para o Outro Objetivos: Desenvolver a lateralidade Desenvolver a capacidade de seguir batimentos ritmicos Desenvolver a capacidade de discriminação de sons Recursos materiais: Caixas de vários tamanhos, uma por jogador Tambor Maracas Como jogar: As crianças sentam-se em roda voltadas para o centro. Em frente a cada uma está uma caixa. Quando o adulto bate com o tambor, cada criança pega na sua caixa e coloca-a ao lado direito da criança que está à sua esquerda e vai buscar a caixa que o seu colega da direita pousou. O adulto bate um tempo de cada vez que as crianças pegam e pousam a caixa. Depois, o adulto muda de instrumento e recomeça-se o jogo, mas agora o sentido é o oposto: a criança pega na caixa da esquerda e coloca-a à sua direita. Idade: a partir dos 6 anos Este jogo também pode ser jogado utilizando: As crianças podem cantar uma canção enquanto passam as caixas. email: alcindalmeida@gmail.com
  31. 31. Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com
  32. 32. Referências Bibliográficas  Almeida, A. (2008). A Dislexia em diagnóstico num espaço inclusivo do 1º Ciclo, em Portugal.  Almeida, A. (2008). Ensino da leitura e estratégias de aprendizagem para crianças com dislexia em contexto de sala de aula  Almeida A. (2013). Psicomotricidade: Jogos Facilitadores de Aprendizagem. Psicosoma: Viseu.  Almeida, A.; Serra, H.; Gonzalez, J.(201; Aprender a ler a escrever com o corpo: quando surgem dificuldades. Revista da Pró-Inclusão: Associação de Docentes de Educação Especial: Educação Inclusiva, Vol.4, nº 2, 8-18.  Correia, L. (2004). Problematização das Dificuldades de Aprendizagem nas Necessidades Educativas Especiais. Braga: Análise Psicológica, 2 (XXII), 369-376.  Fonseca, V. (1999 2ª Ed.). Insucesso Escolar:abordagem psicopedagógica às Dificuldades de Aprendizagem. Lisboa: Âncora Editora.  Fonseca, V. (2007). Manual de Observação Psicomotora: significação psiconeurológica dos fatores psicomotores. Lisboa: Âncora Editora.  Reid, G. Lyon; Shaywitz, Sally E. & Shaywitz , Bennett A. (2003). Defining dyslexia, comorbidity, teachers' knowledge of language and reading. A definition of dyslexia. Annals of Dyslexia, 53.  Salgueiro, E. (2009). Prova de Avaliação da Capacidade de Leitura – DECIFRAR. Proficiência na Decifração de Palavras de Complexidade Crescente. Lisboa: Instituto Superior de Psicologia Aplicada/Edipsico.  Silva, A. (2008). Bateria de Provas Fonológicas. Lisboa: ISPA.  Torres, R., Fernandez, P. (2001). Dislexia, Disortografia e Disgrafia. Amadora: McGraw Hill. Alcinda Almeida: alcindalmeida@gmail.com

×