SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Alterações Climáticas
Introdução
A Terra, na verdade, está periodicamente a sofrer alterações climáticas, devido a fatores
naturais previsíveis. Estas alterações já são uma realidade: as temperaturas estão a
aumentar, os padrões de pluviosidades estão a mudar, os glaciares e a neve estão a derreter
e o nível médio do mar a aumentar. É provável que a maior parte do aquecimento se deva
ao constatado aumento de gases com efeito de estufa nas concentrações atmosféricas em
resultado das emissões provocadas pelas atividades humanas.
Causas
O clima está a mudar por causa da forma como as pessoas vivem hoje em dia, em especial
nos países mais ricos e economicamente desenvolvidos, que incluem os da União Europeia. As
centrais que produzem a energia necessária para termos electricidade e aquecimento nas
nossas casas, os automóveis e os aviões em que viajamos, as fábricas que produzem os bens
que compramos e as explorações agrícolas onde são cultivados os alimentos que consumimos
que contribuem para as alterações climáticas, emitindo os chamados «gases com efeito de
estufa».
A tendência para o aquecimento deve-se à quantidade crescente de gases com efeito de
estufa libertados por actividades humanas e está a intensificar-se: o ritmo de aumento da
temperatura acelerou nos últimos 100 anos.
Os efeitos das actuais alterações climáticas estão já a fazer-se sentir, na Europa e em
todo o mundo. A mais longo prazo, estas alterações poderão mesmo provocar catástrofes,
como uma subida rápida do nível do mar e escassez de alimentos e de água nalgumas
regiões do mundo. As alterações climáticas afectarão todos os países, mas os mais
vulneráveis serão os países em desenvolvimento, que dependem frequentemente de
atividades sensíveis ao clima como a agricultura e dispõem de poucos recursos
económicos para se adaptarem às consequências das alterações climáticas.
Prevenção
Alterações climáticas e eventos extremos tais como tempestades, ondas de calor e vagas de
frio, podem provocar graves problemas de saúde e sociais em todo o mundo. Estes eventos
climáticos são cada vez mais frequentes e, por isso, as medidas tomadas preventivamente são
cada vez mais importantes na protecção da saúde. Para evitar retrocessos no desenvolvimento
humano e riscos catastróficos para as gerações futuras é necessária uma ação urgente, nacional
e de cooperação internacional.
O aquecimento global exige adaptação e decisões para evitar o seu agravamento mas, devido
à inércia dos governantes dos países desenvolvidos, já não se pode evitar algumas das suas
consequências.
As alterações climáticas aumentam os riscos e as vulnerabilidades que as populações mais
desfavorecidas enfrentam, necessitando do auxílio e apoio dos países mais desenvolvidos.
Deve-se fortalecer a capacidade dos países menos desenvolvidos em avaliar
os riscos das alterações climáticas, planear e implementar políticas que os protejam.
Países considerados com bom nível de prevenção para catástrofes naturais como a Suíça,
deve-se a sistemas de alerta precoce, organização de território, instrumentos legais e
consciencialização da população.
A nível internacional têm-se estabelecido acordos e medidas, mas nem todos os países têm
cumprido ou assumido o compromisso de as implementar, tais como a redução das emissões
de gases, as quais aumentaram muito desde 1990 (ano de referência para as reduções
acordadas no protocolo de Quioto).
A prevenção compreende a adoção de medidas:
 Gerais não estruturais
 Estruturais;
 Locais;
 Ambientais,
 Educação e formação.
Medidas gerais não estruturais
• Planos de proteção civil, incluindo planos de contingência - sua elaboração e
aplicação;
• Monitorizar e desenvolver medidas de controlo e prevenção de acordo com as
alterações meteorológicas, tipo e concentração de poluentes do ar e seus efeitos na
saúde (legislação da qualidade do ar e dos diversos poluentes);
• Mapear zonas de risco – identificação e gestão das situações de risco relacionadas
com fenómenos naturais (inundação, deslizamento, erosão) em áreas residenciais;
• Reforçar a proteção social – auxílio dos mais pobres para manutenção das capacidades
básicas (alimentação, saúde, educação), durante os eventos extremos;
Medidas estruturais
Um dos principais impactos das alterações climáticas incide na vulnerabilidade dos edifícios
nas zonas costeiras, na vulnerabilidade aos ciclones ou tornados, maremotos, cheias nas
zonas baixas, entre outras. As concentrações das populações, o urbanismo pouco planeado e
a deterioração do ambiente natural também criaram sociedades vulneráveis às catástrofes
naturais. Assim, promovendo melhores edifícios e estratégias de saúde pode-se evitar
determinadas doenças e aproveitar melhor os recursos do sector da saúde, tais como:
• Realizar obras de contenção e de drenagem e construção de edifícios que protejam a
população para as diferentes alterações climáticas, de acordo com as cartas de risco;
• Melhorar o planeamento urbano e transportes, o acesso à distribuição de água potável,
os sistemas de saneamento básico, mais espaços para actividade física, edifícios com
acesso a energias alternativas e renováveis (menos poluentes) e com melhor ventilação
natural.
Medidas locais
• Desenvolver infraestruturas adequadas na comunidade (edifícios sustentáveis) e a
criação de abastecimentos alternativos para água potável;
• Aplicar regras para a construção de edifícios, relativamente a água, sistema
sanitário, proteção para temperaturas extremas, acessibilidade a zonas pedonais e a
transportes públicos, essenciais para uma boa saúde;
• Não permitir construção em zonas de risco.
Medidas ambientais
• Melhorar a eficiência energética através de padrões reguladores nos aparelhos e
edifícios;
• Baixar os índices de poluição industrial;
• Criar ambientes e incentivos que promovam a utilização de energias renováveis;
• Aumentar os níveis de eficiência dos combustíveis, reduzindo as emissões de CO2
dos veículos;
• Utilizar combustíveis alternativos;
• Planear a ocupação do solo, dotada de uma boa rede de transportes;
• Promover a triagem e seleção dos resíduos, a sua redução, reutilização e
reciclagem;
• Promover uma melhor utilização da água disponível;
EVENTOS EXTREMOS
 Ciclones e tornados
 Inundações, precipitações
 Secas, incêndios, ondas de calor
 Movimentos de terras
MEDIDAS DE PREVENÇÃO
Observação por satélite, sistemas de alerta,
tipo de construção nas zonas de risco
Construção de diques em zonas de risco, de
barragens, limpeza de sarjetas e linhas de
água, proibição de construção nas zonas de
risco
Limpeza das matas, construção de açudes e
albufeiras, evitar fazer lume e queimadas,
redução do consumo de água na agricultura,
transvases
Construção de barreiras de drenagem e muros
de suporte e impedir a construção nas áreas
de maior declive
Conclusão
Os modelos climáticos sugerem que os cenários climáticos na Terra se irão agravar no
futuro. Assim, importa escolher estratégias que levarão a um desenvolvimento mais
sustentável e à redução, entre outros, da emissão de gases com efeitos de estufa.
Porém, a boa notícia é que ainda há tempo para diminuir os efeitos das alterações
climáticas, se agirmos depressa — e todos sabemos cada vez melhor o que é que podemos
fazer para contribuir para este objetivo.
Bibliografia
 http://www.cienciaviva.pt/img/upload/Altera%C3%A7%C3%B5es%20Clim%C3%A1ticas%
20e%20Sa%C3%BAde%20Humana%20-%20LVT.pdf
 https://www.google.pt/search?q=altera%C3%A7%C3%B5es+clim%C3%A1ticas&espv=2&
source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiPlvblocrSAhWHvBQKHS6uDjsQ_AUIBigB&
biw=1280&bih=845#tbm=isch&q=altera%C3%A7%C3%B5es+climaticas&*
 https://pt.wikipedia.org/wiki/Protocolo_de_Quioto

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Poluição atmosférica trabalho
Poluição atmosférica trabalhoPoluição atmosférica trabalho
Poluição atmosférica trabalhoMayjö .
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações ClimáticasPaula Morgado
 
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento GlobalALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento GlobalAgostinho NSilva
 
A Poluição Ambiental - Powerpoint
A Poluição Ambiental - PowerpointA Poluição Ambiental - Powerpoint
A Poluição Ambiental - Powerpointpicoalto
 
Poluição Atmosférica
Poluição Atmosférica Poluição Atmosférica
Poluição Atmosférica kyzinha
 
Impacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticasImpacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticasGrupo2apcm
 
Riscos naturais
Riscos naturaisRiscos naturais
Riscos naturaisMayjö .
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosféricaHelena Marques
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosféricaTânia Reis
 
Grandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas AmbientaisGrandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas Ambientaislidia76
 
Trabalho de geografia secas
Trabalho de geografia   secasTrabalho de geografia   secas
Trabalho de geografia secasprotecaocivil
 
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAISRISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAISabarros
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasAna Tapadas
 
Trabalho sobre a poluição
Trabalho sobre a poluiçãoTrabalho sobre a poluição
Trabalho sobre a poluiçãoBe Carrazeda
 

Mais procurados (20)

Poluição atmosférica trabalho
Poluição atmosférica trabalhoPoluição atmosférica trabalho
Poluição atmosférica trabalho
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento GlobalALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS - Aquecimento Global
 
A Poluição Ambiental - Powerpoint
A Poluição Ambiental - PowerpointA Poluição Ambiental - Powerpoint
A Poluição Ambiental - Powerpoint
 
Poluição Atmosférica
Poluição Atmosférica Poluição Atmosférica
Poluição Atmosférica
 
Impacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticasImpacto das alterações climáticas
Impacto das alterações climáticas
 
Riscos naturais
Riscos naturaisRiscos naturais
Riscos naturais
 
Desflorestação
DesflorestaçãoDesflorestação
Desflorestação
 
Secas
SecasSecas
Secas
 
Grandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas AmbientaisGrandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas Ambientais
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Poluição atmosférica
Poluição atmosféricaPoluição atmosférica
Poluição atmosférica
 
Smog
SmogSmog
Smog
 
Grandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas AmbientaisGrandes Problemas Ambientais
Grandes Problemas Ambientais
 
Chuvas ácidas
Chuvas ácidasChuvas ácidas
Chuvas ácidas
 
Trabalho de geografia secas
Trabalho de geografia   secasTrabalho de geografia   secas
Trabalho de geografia secas
 
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAISRISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
RISCOS E CATÁSTROFES NATURAIS
 
Smog
SmogSmog
Smog
 
Miguel Torga - Poemas
Miguel Torga - PoemasMiguel Torga - Poemas
Miguel Torga - Poemas
 
Trabalho sobre a poluição
Trabalho sobre a poluiçãoTrabalho sobre a poluição
Trabalho sobre a poluição
 

Destaque

0875 alterações climáticas
0875   alterações climáticas0875   alterações climáticas
0875 alterações climáticasPaula Pereira
 
Aquecimento Global - Dados Estatísticos
Aquecimento Global - Dados EstatísticosAquecimento Global - Dados Estatísticos
Aquecimento Global - Dados EstatísticosOnciber2012
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações ClimáticasMayjö .
 
Revisão de geografia (1ºano) part. 2
Revisão de geografia (1ºano) part. 2Revisão de geografia (1ºano) part. 2
Revisão de geografia (1ºano) part. 2Matheus Boniatti
 
Perda Da Biodiversidade
Perda Da BiodiversidadePerda Da Biodiversidade
Perda Da Biodiversidadeslbandre
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)alsferreira
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsIlda Bicacro
 
Globalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vidaGlobalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vidaAlcina Barbosa
 
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitaçãoMassas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitaçãoelsaki72
 
Gráficos termopluviométricos
Gráficos termopluviométricosGráficos termopluviométricos
Gráficos termopluviométricosTânia Baptista
 

Destaque (13)

0875 alterações climáticas
0875   alterações climáticas0875   alterações climáticas
0875 alterações climáticas
 
Aquecimento Global - Dados Estatísticos
Aquecimento Global - Dados EstatísticosAquecimento Global - Dados Estatísticos
Aquecimento Global - Dados Estatísticos
 
geog 1
geog 1geog 1
geog 1
 
Alterações Climáticas
Alterações ClimáticasAlterações Climáticas
Alterações Climáticas
 
Revisão de geografia (1ºano) part. 2
Revisão de geografia (1ºano) part. 2Revisão de geografia (1ºano) part. 2
Revisão de geografia (1ºano) part. 2
 
Perda Da Biodiversidade
Perda Da BiodiversidadePerda Da Biodiversidade
Perda Da Biodiversidade
 
Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)Perda de biodiversidade (1)
Perda de biodiversidade (1)
 
Factores explicativos
Factores explicativosFactores explicativos
Factores explicativos
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
Clima Em Portugal
Clima Em PortugalClima Em Portugal
Clima Em Portugal
 
Globalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vidaGlobalização dos estilos de vida
Globalização dos estilos de vida
 
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitaçãoMassas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
Massas de ar; perturbação frontal; tipos de precipitação
 
Gráficos termopluviométricos
Gráficos termopluviométricosGráficos termopluviométricos
Gráficos termopluviométricos
 

Semelhante a As alterações-climáticas

Alterações climatéricas
Alterações climatéricasAlterações climatéricas
Alterações climatéricasmartinsmachado
 
oplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdf
oplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdfoplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdf
oplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdfAglisDelgadoCincias
 
O planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptx
O planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptxO planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptx
O planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptxPLACIDAREGIANEDEOLIV
 
Stc E Clc..
Stc E Clc..Stc E Clc..
Stc E Clc..Ttavares
 
Stc E Clc..
Stc E Clc..Stc E Clc..
Stc E Clc..Adminefa
 
Aula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalAula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalJeysiane Nunes
 
Apresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e CApresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e Czeopas
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.CARLOS MORAES
 
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdfAmbiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdfJosé Guerra
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentáveltirsense
 
IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0
IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0
IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0Inês Mourão
 
Meio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdf
Meio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdfMeio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdf
Meio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdfcarinebarrosprof
 
O desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisO desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisjovensnaeconomia
 

Semelhante a As alterações-climáticas (20)

Alterações climatéricas
Alterações climatéricasAlterações climatéricas
Alterações climatéricas
 
Percepção de Risco - Defesa Civíl SC
Percepção de Risco - Defesa Civíl SCPercepção de Risco - Defesa Civíl SC
Percepção de Risco - Defesa Civíl SC
 
oplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdf
oplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdfoplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdf
oplanetaestaaquecendo-aquecimentoglobalxefeitoestufa-220327211356.pdf
 
O planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptx
O planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptxO planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptx
O planeta esta aquecendo- Aquecimento global x Efeito Estufa.pptx
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
Seminário aspectos jurídicos das mudanças climáticas
Seminário   aspectos jurídicos das mudanças climáticasSeminário   aspectos jurídicos das mudanças climáticas
Seminário aspectos jurídicos das mudanças climáticas
 
Stc E Clc..
Stc E Clc..Stc E Clc..
Stc E Clc..
 
STC e CLC
STC e CLCSTC e CLC
STC e CLC
 
Stc E Clc..
Stc E Clc..Stc E Clc..
Stc E Clc..
 
aula 1.pptx
aula 1.pptxaula 1.pptx
aula 1.pptx
 
Pgaerna aula5
Pgaerna aula5Pgaerna aula5
Pgaerna aula5
 
Mudanças climáticas.pptx
Mudanças climáticas.pptxMudanças climáticas.pptx
Mudanças climáticas.pptx
 
Aula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento globalAula 11 aquecimento global
Aula 11 aquecimento global
 
Apresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e CApresentação 12ºA e C
Apresentação 12ºA e C
 
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
Os impactos ambientais alteram a dinâmica natural da Terra.
 
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdfAmbiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
Ambiente_Segurança_Higiene_e_Saúde_no_Trabalho.pdf
 
Desenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentávelDesenvolvimento sustentável
Desenvolvimento sustentável
 
IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0
IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0
IAC_M0_MOZ_muds_climáticas_v0
 
Meio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdf
Meio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdfMeio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdf
Meio Ambiete e Susentabilidade Digital Didático.pdf
 
O desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientaisO desenvolvimento e os recursos ambientais
O desenvolvimento e os recursos ambientais
 

Mais de Alcina Barbosa

Mais de Alcina Barbosa (6)

Proteção dos Bens Comuns
Proteção dos Bens  ComunsProteção dos Bens  Comuns
Proteção dos Bens Comuns
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
Geografia A
Geografia AGeografia A
Geografia A
 
Pobreza e exclusão social (2)
Pobreza e exclusão social (2)Pobreza e exclusão social (2)
Pobreza e exclusão social (2)
 
Doenças infeciosas
Doenças infeciosas Doenças infeciosas
Doenças infeciosas
 
Globalização 12c
Globalização 12cGlobalização 12c
Globalização 12c
 

Último

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfManuais Formação
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptxnelsontobontrujillo
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...marioeugenio8
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)Centro Jacques Delors
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoVitor Vieira Vasconcelos
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfKelly Mendes
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 

Último (20)

Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
5. EJEMPLOS DE ESTRUCTURASQUINTO GRADO.pptx
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptxSlides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
Slides Lição 06, Central Gospel, O Anticristo, 1Tr24.pptx
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)Quiz | Dia da Europa 2024  (comemoração)
Quiz | Dia da Europa 2024 (comemoração)
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - GeoprocessamentoDados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
Dados espaciais em R - 2023 - UFABC - Geoprocessamento
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 

As alterações-climáticas

  • 2. Introdução A Terra, na verdade, está periodicamente a sofrer alterações climáticas, devido a fatores naturais previsíveis. Estas alterações já são uma realidade: as temperaturas estão a aumentar, os padrões de pluviosidades estão a mudar, os glaciares e a neve estão a derreter e o nível médio do mar a aumentar. É provável que a maior parte do aquecimento se deva ao constatado aumento de gases com efeito de estufa nas concentrações atmosféricas em resultado das emissões provocadas pelas atividades humanas.
  • 3. Causas O clima está a mudar por causa da forma como as pessoas vivem hoje em dia, em especial nos países mais ricos e economicamente desenvolvidos, que incluem os da União Europeia. As centrais que produzem a energia necessária para termos electricidade e aquecimento nas nossas casas, os automóveis e os aviões em que viajamos, as fábricas que produzem os bens que compramos e as explorações agrícolas onde são cultivados os alimentos que consumimos que contribuem para as alterações climáticas, emitindo os chamados «gases com efeito de estufa».
  • 4. A tendência para o aquecimento deve-se à quantidade crescente de gases com efeito de estufa libertados por actividades humanas e está a intensificar-se: o ritmo de aumento da temperatura acelerou nos últimos 100 anos. Os efeitos das actuais alterações climáticas estão já a fazer-se sentir, na Europa e em todo o mundo. A mais longo prazo, estas alterações poderão mesmo provocar catástrofes, como uma subida rápida do nível do mar e escassez de alimentos e de água nalgumas regiões do mundo. As alterações climáticas afectarão todos os países, mas os mais vulneráveis serão os países em desenvolvimento, que dependem frequentemente de atividades sensíveis ao clima como a agricultura e dispõem de poucos recursos económicos para se adaptarem às consequências das alterações climáticas.
  • 5. Prevenção Alterações climáticas e eventos extremos tais como tempestades, ondas de calor e vagas de frio, podem provocar graves problemas de saúde e sociais em todo o mundo. Estes eventos climáticos são cada vez mais frequentes e, por isso, as medidas tomadas preventivamente são cada vez mais importantes na protecção da saúde. Para evitar retrocessos no desenvolvimento humano e riscos catastróficos para as gerações futuras é necessária uma ação urgente, nacional e de cooperação internacional. O aquecimento global exige adaptação e decisões para evitar o seu agravamento mas, devido à inércia dos governantes dos países desenvolvidos, já não se pode evitar algumas das suas consequências. As alterações climáticas aumentam os riscos e as vulnerabilidades que as populações mais desfavorecidas enfrentam, necessitando do auxílio e apoio dos países mais desenvolvidos.
  • 6. Deve-se fortalecer a capacidade dos países menos desenvolvidos em avaliar os riscos das alterações climáticas, planear e implementar políticas que os protejam. Países considerados com bom nível de prevenção para catástrofes naturais como a Suíça, deve-se a sistemas de alerta precoce, organização de território, instrumentos legais e consciencialização da população. A nível internacional têm-se estabelecido acordos e medidas, mas nem todos os países têm cumprido ou assumido o compromisso de as implementar, tais como a redução das emissões de gases, as quais aumentaram muito desde 1990 (ano de referência para as reduções acordadas no protocolo de Quioto). A prevenção compreende a adoção de medidas:  Gerais não estruturais  Estruturais;  Locais;  Ambientais,  Educação e formação.
  • 7. Medidas gerais não estruturais • Planos de proteção civil, incluindo planos de contingência - sua elaboração e aplicação; • Monitorizar e desenvolver medidas de controlo e prevenção de acordo com as alterações meteorológicas, tipo e concentração de poluentes do ar e seus efeitos na saúde (legislação da qualidade do ar e dos diversos poluentes); • Mapear zonas de risco – identificação e gestão das situações de risco relacionadas com fenómenos naturais (inundação, deslizamento, erosão) em áreas residenciais; • Reforçar a proteção social – auxílio dos mais pobres para manutenção das capacidades básicas (alimentação, saúde, educação), durante os eventos extremos;
  • 8. Medidas estruturais Um dos principais impactos das alterações climáticas incide na vulnerabilidade dos edifícios nas zonas costeiras, na vulnerabilidade aos ciclones ou tornados, maremotos, cheias nas zonas baixas, entre outras. As concentrações das populações, o urbanismo pouco planeado e a deterioração do ambiente natural também criaram sociedades vulneráveis às catástrofes naturais. Assim, promovendo melhores edifícios e estratégias de saúde pode-se evitar determinadas doenças e aproveitar melhor os recursos do sector da saúde, tais como: • Realizar obras de contenção e de drenagem e construção de edifícios que protejam a população para as diferentes alterações climáticas, de acordo com as cartas de risco; • Melhorar o planeamento urbano e transportes, o acesso à distribuição de água potável, os sistemas de saneamento básico, mais espaços para actividade física, edifícios com acesso a energias alternativas e renováveis (menos poluentes) e com melhor ventilação natural.
  • 9. Medidas locais • Desenvolver infraestruturas adequadas na comunidade (edifícios sustentáveis) e a criação de abastecimentos alternativos para água potável; • Aplicar regras para a construção de edifícios, relativamente a água, sistema sanitário, proteção para temperaturas extremas, acessibilidade a zonas pedonais e a transportes públicos, essenciais para uma boa saúde; • Não permitir construção em zonas de risco.
  • 10. Medidas ambientais • Melhorar a eficiência energética através de padrões reguladores nos aparelhos e edifícios; • Baixar os índices de poluição industrial; • Criar ambientes e incentivos que promovam a utilização de energias renováveis; • Aumentar os níveis de eficiência dos combustíveis, reduzindo as emissões de CO2 dos veículos; • Utilizar combustíveis alternativos; • Planear a ocupação do solo, dotada de uma boa rede de transportes; • Promover a triagem e seleção dos resíduos, a sua redução, reutilização e reciclagem; • Promover uma melhor utilização da água disponível;
  • 11. EVENTOS EXTREMOS  Ciclones e tornados  Inundações, precipitações  Secas, incêndios, ondas de calor  Movimentos de terras MEDIDAS DE PREVENÇÃO Observação por satélite, sistemas de alerta, tipo de construção nas zonas de risco Construção de diques em zonas de risco, de barragens, limpeza de sarjetas e linhas de água, proibição de construção nas zonas de risco Limpeza das matas, construção de açudes e albufeiras, evitar fazer lume e queimadas, redução do consumo de água na agricultura, transvases Construção de barreiras de drenagem e muros de suporte e impedir a construção nas áreas de maior declive
  • 12.
  • 13. Conclusão Os modelos climáticos sugerem que os cenários climáticos na Terra se irão agravar no futuro. Assim, importa escolher estratégias que levarão a um desenvolvimento mais sustentável e à redução, entre outros, da emissão de gases com efeitos de estufa. Porém, a boa notícia é que ainda há tempo para diminuir os efeitos das alterações climáticas, se agirmos depressa — e todos sabemos cada vez melhor o que é que podemos fazer para contribuir para este objetivo.