O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Gestão de Portfólio de Projetos em Excel

9.268 visualizações

Publicada em

Apresentação utilizada no Webnario realizado na academia Project Builder. A Planilha apresentada aqui está disponível no site www.alcidesluiz.com.br
Na planilha misturo Project Model Canvas, Portfólio Model Canvas, Acompanhamento da performance do projeto e uma ferramenta one page para acompanhar o desempenho da carteira de projetos.

  • Seja o primeiro a comentar

Gestão de Portfólio de Projetos em Excel

  1. 1. Misturando Project e Portfólio Model Canvas com Performance Dashboard e Ferramentas One-Page
  2. 2. Formado em Comunicação Social, Publicidade e Propaganda Pós Graduado em Gestão Empresarial pela FGV 14 anos no Mercado Financeiro sendo 10 anos em Projetos Extremamente curioso Escrevo artigos sobre GP em meu Blog Construo ferramentas gratuitas em Excel para auxílio no GP www.alcidesluiz.com.br
  3. 3. Nenhuma ferramenta substitui o trabalho do gerente de projetos
  4. 4. Nenhuma ferramenta substitui o trabalho do gerente de projetos Mas algumas fazem questão de complicar muito este trabalho
  5. 5. Por que criei o blog?
  6. 6. Por que criei o blog? ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS
  7. 7. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS
  8. 8. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP CUSTO DAS FERRAMENTAS ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS
  9. 9. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP CUSTO DAS FERRAMENTAS ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS METODOLOGIAS COMPLEXAS
  10. 10. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP CUSTO DAS FERRAMENTAS ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS TEMPO DIVIDIDO COM ATIVIDADES DO DIA-A-DIA METODOLOGIAS COMPLEXAS
  11. 11. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP KISS: KEEP IT SIMPLE, STUPID! CUSTO DAS FERRAMENTAS ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS TEMPO DIVIDIDO COM ATIVIDADES DO DIA-A-DIA METODOLOGIAS COMPLEXAS
  12. 12. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP KISS: KEEP IT SIMPLE, STUPID! CUSTO DAS FERRAMENTAS COMPARTILHAR CONTEÚDO ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS TEMPO DIVIDIDO COM ATIVIDADES DO DIA-A-DIA METODOLOGIAS COMPLEXAS
  13. 13. Por que criei o blog? FERRAMENTAS COMPLEXAS DE GP KISS: KEEP IT SIMPLE, STUPID! CUSTO DAS FERRAMENTAS COMPARTILHAR CONTEÚDO ESTRUTURAS MAIS FUNCIONAIS TEMPO DIVIDIDO COM ATIVIDADES DO DIA-A-DIA PLANILHA EXCEL, FÓRMULAS SIMPLES METODOLOGIAS COMPLEXAS
  14. 14. A MODA É CANVAS!
  15. 15. A MODA É CANVAS! VISUAL
  16. 16. A MODA É CANVAS! VISUAL AGRUPA
  17. 17. A MODA É CANVAS! VISUAL AGRUPA SIMPLIFICA
  18. 18. A MODA É CANVAS! VISUAL AGRUPA SIMPLIFICA CONECTA
  19. 19. A MODA É CANVAS! VISUAL AGRUPA SIMPLIFICA CONECTA ORDENA
  20. 20. Misturando Project e Portfólio Model Canvas com Performance Dashboard e Ferramentas One-Page
  21. 21. Como misturar tudo isto?
  22. 22. Como misturar tudo isto, SEM FICAR LOUCO?
  23. 23. INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização
  24. 24. CONCEBER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização
  25. 25. INTEGRARCONCEBER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização
  26. 26. INTEGRARCONCEBER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização RESOLVER
  27. 27. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização RESOLVER
  28. 28. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los
  29. 29. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los MEDIR
  30. 30. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los MEDIR SELECIONAR
  31. 31. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR
  32. 32. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR
  33. 33. INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los ACOMPANHAR Avaliar o desempenho e acompanhar os indicadores de cada projeto e da carteira MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR
  34. 34. SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização ACOMPANHAR Avaliar o desempenho e acompanhar os indicadores de cada projeto e da carteira MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR EXECUTAR
  35. 35. SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização ACOMPANHAR Avaliar o desempenho e acompanhar os indicadores de cada projeto e da carteira MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR EXECUTAR AVALIAR
  36. 36. SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização ACOMPANHAR Avaliar o desempenho e acompanhar os indicadores de cada projeto e da carteira MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR EXECUTAR AVALIAR REPROGRAMAR
  37. 37. SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização ACOMPANHAR Avaliar o desempenho e acompanhar os indicadores de cada projeto e da carteira MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR EXECUTAR AVALIAR REPROGRAMAR APROVAR
  38. 38. SELEÇÃO Avaliar a contribuição dos projetos para os objetivos da empresa e priorizá-los INVENTÁRIO Mapear os projetos que deverão ser considerados no processo de Priorização ACOMPANHAR Avaliar o desempenho e acompanhar os indicadores de cada projeto e da carteira MEDIR SELECIONAR PROGRAMAR APROVAR EXECUTAR AVALIAR REPROGRAMAR APROVAR INTEGRAR COMPARTILHAR CONCEBER RESOLVER
  39. 39. E como misturar tudo isto, SEM FICAR LOUCO e sem gastar um tostão?
  40. 40. Project Model Canvas POR QUE? O QUE? QUEM? COMO? QUANDO e QUANTO?
  41. 41. Project Model Canvas GP PITCH JUSTIFICATIVAS Passado OBJ SMART REQUISITOS CUSTOS EQUIPE PRODUTO RESTRIÇÕES BENEFÍCIOS Futuro GRUPOS DE ENTREGAS LINHA DO TEMPO STAKEHOLDERS Externos & Fatores Externos RISCOSPREMISSAS
  42. 42. Planejamento / Orçado
  43. 43. Execução / Realizado
  44. 44. Indicadores de Desempenho
  45. 45. www.alcidesluiz.com.br OBRIGADO!

×