SlideShare uma empresa Scribd logo
Relação entre os fatores ambientais
e a saúde dos indivíduos.
Quanto piores as condições do ambiente, maior a
presença de doenças (Sylvia Carolina Aranha, 2006).
A pobreza e a miséria atingem grande parte da população
brasileira e, com isso, doenças simples de se prevenirem ou de
se curarem ainda possuem elevados índices de incidência e
prevalência. Isso se deve ao fato de que o organismo humano é
particularmente vulnerável às agressões do meio ambiente.
As moradias precárias ou densamente ocupadas e a inexistência
de água tratada ou rede de esgoto encontram-se relacionadas a
enfermidades respiratórias e gastrointestinais, respectivamente.
(ESREY et al., 1991; GOMES, 2002; GRAHAM, 1990)
A aglomeração é extremamente comum nas famílias de baixa
renda, devido à elevada taxa de natalidade. Esse fator, aliado às
precárias condições de moradia, leva a um aumento na incidência
de doenças respiratórias, em especial a asma brônquica
(GOMES, 2002; VICTORA et al., 1988; ZAMAN et al., 1997).
O estado do Rio de Janeiro registrou, em 2008, a maior incidência de
tuberculose no Brasil, com 68,64 casos por 100 mil habitantes.
O Brasil é um dos 22 países priorizados pela Organização
Mundial de Saúde (OMS) nas ações de prevenção à
doença, porque está no grupo de nações que concentram cerca
de 80% dos casos de tuberculose em todo o mundo.
A tuberculose é uma doença com
determinantes sociais bem
marcados, sendo possível estabelecer
uma estreita relação com as
condições de moradia, acesso aos
serviços de saúde e alimentação
adequada. Talvez esta seja uma das
faces mais perversas da epidemia de
tuberculose: a situação de extrema
vulnerabilidade social que permeia as
comunidades mais
afetadas, sobretudo aquelas
dominadas pelo poder do tráfico e
que, por isso, não conseguem receber
as ações de saúde pública para a
prevenção.
A incidência da doença na Rocinha em
2010 foi de 386,7 casos por cem mil
habitantes. Isto reforça a tese de que o
controle da tuberculose deve englobar
necessariamente a correção das
desigualdades decorrentes das condições
sociais em que as pessoas vivem e
trabalham.
Como a questão habitacional encontra-se intimamente ligada
aos problemas de saúde, as abordagens e as intervenções nos
ambientes domiciliar e peridomiciliar tornaram-se um
importante meio de combate a
doenças, contribuindo, assim, para a melhoria do padrão de
vida dessas pessoas (RAHMAN; RAHMAN, 1997;
VICTORA, 1996).
As preocupações com a problemática ambiental estão inseridas na
Saúde Pública desde seus primórdios, apesar de só na segunda
metade do século XX ter se estruturado uma área específica para
tratar dessas questões. Essa área que trata da inter-relação entre
saúde e meio ambiente foi denominada de Saúde Ambiental.
Saúde, Meio Ambiente e Saúde Ambiental
Segundo definição estabelecida pela OMS:
“Saúde Ambiental é o campo de atuação da saúde
pública que se ocupa das formas de vida, das substâncias e
das condições em torno do ser humano, que podem exercer
alguma influência sobre a sua saúde e
o seu bem-estar” (Brasil-MS, 1999).
Em 1993, uma definição de Saúde Ambiental, que insere
também os aspectos de atuação prática, foi apresentada na
Carta de Sofia, produzida no encontro da Organização Mundial
de Saúde, realizado na cidade de Sofia:
“Saúde ambiental são todos aqueles aspectos da saúde
humana, incluindo a qualidade de vida, que estão
determinados por fatores físicos, químicos, bioló-
gicos, sociais e psicológicos no meio ambiente. Também se
refere à teoria e prática de valorar, corrigir, controlar e evitar
aqueles fatores do meio ambiente
que, potencialmente, possam prejudicar a saúde de gerações
atuais e futuras” (OMS, 1993).
8
Definições importantes
Poluição
O novo paradigma das sociedades modernas.
No início do século XXI, a sociedade depara-se com alguns problemas inexistentes para
as gerações anteriores. Um deles é a poluição ambiental.
Conceito de Poluição:
É toda alteração das propriedades naturais do meio ambiente que seja prejudicial à
saúde, à segurança ou ao bem-estar das populações sujeitas aos seus efeitos, causada
por agentes de qualquer espécie.
Causas principais da poluição ambiental:
1. O contínuo aumento da população
2. O vertiginoso desenvolvimento industrial
9
Crescimento da população mundial:
No ano de 1750 a população mundial era de 750 milhões de habitantes;
Em 1900 atinge 1,5 bilhão
Em 1950 alcançamos 2,5 bilhões
Em 1990 passamos de 5,5 bilhões
Atualmente o número de seres humanos habitando a Terra já ultrapassa 7 bilhões
Conseqüências do crescimento
acelerado da população:
1. Crescente produção de
alimentos, o que exige
fertilizantes e agrotóxicos, uns
dos principais componentes
responsáveis pela poluição
ambiental.
Agrotóxicos são os produtos e os agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao
uso nos setores de produção... cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de
preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos (Lei Federal 7.802 de 11.07.89).
10
2. Esgotos humanos: além dos detritos orgânicos, contêm também resíduos de sabões e
detergentes.
11
Contaminação
Definição: introdução de microrganismos, substâncias químicas e/ou resíduos no meio
ambiente (água, ar ou solo) em quantidade suficiente para desequilibrar as propriedades
do meio e torná-lo prejudicial à saúde e à preservação ambiental.
12
Diferença entre água poluída e água contaminada
Água poluída – é a água que apresenta alterações físicas, como: cheiro, turbidez, cor ou
sabor. Normalmente, a alteração física é conseqüência da contaminação
química, geralmente devido à presença de substâncias, como: elementos estranhos ou
tóxicos.
A alteração das características naturais da água a torna inadequada para o
consumo humano.
13
Água contaminada – é a água que contém agentes patogênicos vivos, sejam
bactérias, vermes, protozoários ou vírus. Essa água não é potável, logo não deve ser
utilizada.
Protesto de moradores de São Paulo contra a invasão de água contaminada nos domicílios após as fortes chuvas.
Na amostra foram encontrados larvas de insetos e até cobras, aumentando seriamente os riscos da população
local,
14
Principais doenças causadas pela água
contaminada:
Disenteria - Pode ser causada pela ameba ou
por bacilo.
Amebíase - É uma forma de disenteria
provocada por um organismo microscópico
chamado ameba. Uma das formas de
transmissão se faz pela água contaminada com
as fezes de indivíduo doente.
Cólera - A cólera é uma doença que
provoca, nas pessoas, vômitos, diarréia e
desidratação. É causada por uma bactéria
chamada vibrião colérico. Não se deve
confundir esta doença com a raiva. Ela causa
cólicas e, às vezes, o doente evacua sangue
com as fezes. Ela provoca, também, a
desidratação e o doente precisa tomar soro.
15
Efeito Estufa
Chama-se efeito estufa o mecanismo de aquecimento natural do planeta, com elevação da
temperatura da atmosfera; esse efeito vem sendo observado há mais de um século.
A atmosfera permite a entrada de uma
grande quantidade das radiações oriundas do
sol. A maior parte dessas radiações sofre
reflexão pela superfície terrestre ou pela
atmosfera e retorna para o espaço.
Uma pequena parte, porém, é absorvida por
gases atmosféricos, pelo solo e pelos
oceanos. A energia luminosa é finalmente
retransmitida na forma de calor.
A maior parte desse calor perde-se no espaço
exterior, enquanto uma certa quantidade é
absorvida nas baixas camadas
atmosféricas, principalmente pelo gás
carbônico (CO2), pelo metano (CH4) e pelo
vapor de água. A radiação solar que atinge a Terra consiste de três
componentes: luz visível, e dois componentes invisíveis, ondas
curtas ultravioleta e ondas longas infravermelhas.
16
O aumento substancial nas liberações de gás carbônico tem alterado o comportamento
atmosférico, pois, à medida que aumenta o teor de CO2, intensifica também a retenção de
calor pelo efeito estufa e, conseqüentemente, mais elevada a temperatura média do globo
terrestre.
Principais emissores de CO2
Indústrias:
A industrialização estimula muito o aumento dos
gases de efeito estufa na atmosfera, como o gás
carbônico, em virtude da queima de combustível
fóssil.
Queimadas: As queimadas das florestas também
produzem CO2 para a atmosfera.
Automóveis: A poluição provocada pela excesso
de veículos nas cidades muito populosas faz com
que o CO2 se acumule no ar, absorvendo muito
mais calor.
17
Destruição da Camada de Ozônio -
Histórico
No século XX, em meados da década de 80, confirmou-se que o ozônio estava sendo
progressivamente destruído, com a conseqüente rarefação da camada. Parece que essa
destruição foi provocada por produtos químicos liberados pela atividade
humana, especialmente os que contêm átomos de cloro como os cloroflúor-carbonetos
(CFC).
A energia de ligação entre átomos de
carbono e o cloro é de 93
kcal/mol, mais fraca do que as
ligações carbono-flúor e carbono-
hidrogênio.
Assim, a molécula dos CFCs e de
outros compostos clorados voláteis é
mais facilmente decomposta pelas
radiações solares e irá contribuir para
a destruição da camada de ozônio.
18
Os CFCs podem subir à estratosfera sem se modificar. Porém, acima de 12 km de altitude, a
radiação ultravioleta emitida pelo Sol rompe a ligação química entre o átomo de carbono e o
átomo de cloro, liberando este sob a forma de radical livre, que ataca o ozônio e o
destrói, formando oxigênio.
O enfraquecimento da camada de ozônio favorece a passagem dos raios ultravioleta, que
assim chegam à superfície da Terra em maior quantidade.
19
Estima-se que a redução de 1% na espessura da camada de
ozônio seja suficiente para que a radiação UV cause a
cegueira por catarata em 100 000 pessoas e aumente em
3% os casos de câncer de pele.
Em pequenas quantidades, porém, essas radiações são
úteis à vida, contribuindo para a produção de vitamina
D, indispensável ao desenvolvimento normal dos ossos.
A catarata é uma patologia dos olhos que
consiste na opacidade parcial ou total do
cristalino (lente do olho) ou de sua cápsula.
20
Os CFCs são muito empregados em refrigeradores, aparelhos de ar
condicionado, acolchoados para estofamento de carros e móveis, espumas sintéticas usadas
no combate a incêndio, e aerossol utilizados em vários produtos (laquês de
cabelo, desodorantes, tintas, etc.).
Produção de CFC em alguns países entre 1986 e 1996
Indicadores de saúde ambiental
Prof. Waldemiro Romanha
http://microsintonias.blogspot.com
Discute o atual modelo de desenvolvimento mundial
(crescimento econômico e urbanização):
– Urbanização rápida e desordenada;
– Concentração de renda;
– Degradação ambiental;
– Degradação qualidade de vida.
Ecologia Social
Gênese dos problemas de meio ambiente e
saúde:
processo de produção e consumo
• OMS – A OMS tem promovido estudos para
um melhor entendimento da relação ambiente
– saúde, de forma a subsidiar a definição de
políticas e estratégias para estes setores.
O perfil de saúde da população brasileira e o cenário
socioambiental
1. doenças cardiovasculares e neoplásicas (respectivamente primeira e terceira
causas de óbito);
2. doenças infecto-parasitárias;
3. causas externas (acidentes e violências) .
Risco à saúde relacionado ao ambiente
• A OMS estima que 30% dos danos a saúde estão relacionados aos fatores
ambientais decorrentes de inadequação do saneamento básico
(água, lixo, esgoto), poluição atmosférica, exposição a substâncias químicas e
físicas, desastres naturais, fatores biológicos (vetores, hospedeiros e reservatórios)
entre outros.
Área da saúde pública que envolve conhecimento científico e formulação de políticas
públicas relacionadas à interação entre a saúde humana e os fatores do meio ambiente
natural e antrópico que a determinam, condicionam e influenciam a qualidade de vida do
ser humano, sob o ponto de vista da sustentabilidade.
SAÚDE AMBIENTAL
• Instrumentos da VSA
– Epidemiologia ambiental
– Avaliação e gerenciamento de riscos
– Indicadores de Saúde Ambiental
– Sistema de informação em saúde ambiental
– Estudos e Pesquisas
– Atenção Primária
VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL
Conjunto de ações que proporciona o conhecimento, e a detecção de qualquer
mudança nos fatores determinantes e condicionantes do meio ambiente que
interferem na saúde humana.
Finalidade
Recomendar e adotar medidas de prevenção e controle dos fatores de riscos
relacionados às doenças e outros agravos à saúde
Indicador de saúde ambiental
• OMS
• OPAS
• MS/DATASUS
• SVS/MS
• CGVAM/SVS/MS
INDICADOR DE SAÚDE AMBIENTAL
O ISA demonstra a vinculação entre o ambiente e saúde direcionando-a para um
aspecto concreto de uma política ou gerenciamento. É apresentado de uma forma
que facilite sua interpretação, permitindo a tomada de decisão eficaz e efetiva
(Briggs e Corvalan, 1996).
Um indicador de saúde ambiental pode ser visto como uma medida que
sintetiza, em termos facilmente compreensíveis e relevantes, alguns aspectos da
relação entre o meio ambiente e a saúde, de forma a auxiliar tomadores de
decisão a fazer escolhas mais apropriadas, fundamentadas em informações
(Villardi et al, 2005)
B A C
Meio
Ambiente Saúde
A: Indicadores de saúde ambiental
B: Indicadores ambientais com possível impacto na saúde
C: Indicadores de saúde com possível causa ambiental
Indicadores de Saúde Ambiental
Relação com outros indicadores
Saúde ambiental
Saúde ambiental
Saúde ambiental
Saúde ambiental
Saúde Ambiental no Brasil

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Jézili Dias
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
laiszanatta
 
Palestra Meio Ambiente
Palestra Meio AmbientePalestra Meio Ambiente
Palestra Meio Ambiente
adelsonb
 
Conceito saude
Conceito saudeConceito saude
Conceito saude
Deolinda Silva
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Aula 1 - Educação para Saúde e Meio Ambiente
Aula 1 - Educação para Saúde e Meio AmbienteAula 1 - Educação para Saúde e Meio Ambiente
Aula 1 - Educação para Saúde e Meio Ambiente
Thiago Ávila Medeiros
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
Dheymia de Lima
 
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Roney Gusmão
 
Seminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia iSeminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia i
Cláudia Hellena Ribeiro
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
fefemrc
 
Meio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpointMeio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpoint
Margarida Santos
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Karynne Alves do Nascimento
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
Jesiele Spindler
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
Ana Filadelfi
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
Valdirene1977
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
Edvaldo S. Júnior
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambiente
Ana Filadelfi
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Dia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de MarçoDia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de Março
Glauber Eduardo Aragon Pereira
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
Alex Santiago Nina
 

Mais procurados (20)

Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Impactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambienteImpactos do homem sobre o meio ambiente
Impactos do homem sobre o meio ambiente
 
Palestra Meio Ambiente
Palestra Meio AmbientePalestra Meio Ambiente
Palestra Meio Ambiente
 
Conceito saude
Conceito saudeConceito saude
Conceito saude
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
 
Aula 1 - Educação para Saúde e Meio Ambiente
Aula 1 - Educação para Saúde e Meio AmbienteAula 1 - Educação para Saúde e Meio Ambiente
Aula 1 - Educação para Saúde e Meio Ambiente
 
Sustentabilidade
SustentabilidadeSustentabilidade
Sustentabilidade
 
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.Meio ambiente e ecologia: conceitos.
Meio ambiente e ecologia: conceitos.
 
Seminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia iSeminário saúde ambiental epidemiologia i
Seminário saúde ambiental epidemiologia i
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
Meio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpointMeio ambiente powerpoint
Meio ambiente powerpoint
 
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde ColetivaAula Introdutória de Saúde Coletiva
Aula Introdutória de Saúde Coletiva
 
Aula 2 saúde e doença
Aula 2   saúde e doençaAula 2   saúde e doença
Aula 2 saúde e doença
 
Aula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humanoAula 1 O corpo humano
Aula 1 O corpo humano
 
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE  POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
POLÍTICAS PÚBLICAS DE SAÚDE
 
Meio ambiente
Meio ambienteMeio ambiente
Meio ambiente
 
A nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambienteA nossa saúde e o ambiente
A nossa saúde e o ambiente
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Dia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de MarçoDia Mundial da Água - 22 de Março
Dia Mundial da Água - 22 de Março
 
Educação ambiental
Educação ambientalEducação ambiental
Educação ambiental
 

Destaque

Slides Meio Ambiente Ds
Slides Meio Ambiente DsSlides Meio Ambiente Ds
Slides Meio Ambiente Ds
silviadriana
 
Apresentação meio ambiente e cidadania
Apresentação   meio ambiente e cidadaniaApresentação   meio ambiente e cidadania
Apresentação meio ambiente e cidadania
amandaetiago
 
Integração meio ambiente
Integração meio ambienteIntegração meio ambiente
Integração meio ambiente
herliane
 
Meio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e CidadaniaMeio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e Cidadania
Amanda Areval
 
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTALPRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
Ana De Paula
 
Meio ambiente e cidadania
Meio ambiente e cidadaniaMeio ambiente e cidadania
Meio ambiente e cidadania
Instrutor Alessandro Leal
 
Preservação do Meio Ambiente
Preservação do Meio AmbientePreservação do Meio Ambiente
Preservação do Meio Ambiente
Pedro
 
Preservação ambiental
Preservação ambientalPreservação ambiental
Preservação ambiental
Sandra Alves
 
Apresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio AmbienteApresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio Ambiente
Marilucia Santos
 
O meio ambiente slides
O meio ambiente slidesO meio ambiente slides
O meio ambiente slides
Soleducador1
 
Slides meio ambiente
Slides meio ambienteSlides meio ambiente
Slides meio ambiente
Rosallyny
 
Meio ambiente e cidadania divanir
Meio ambiente e cidadania divanirMeio ambiente e cidadania divanir
Meio ambiente e cidadania divanir
Divanir Maria de Jesus
 

Destaque (12)

Slides Meio Ambiente Ds
Slides Meio Ambiente DsSlides Meio Ambiente Ds
Slides Meio Ambiente Ds
 
Apresentação meio ambiente e cidadania
Apresentação   meio ambiente e cidadaniaApresentação   meio ambiente e cidadania
Apresentação meio ambiente e cidadania
 
Integração meio ambiente
Integração meio ambienteIntegração meio ambiente
Integração meio ambiente
 
Meio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e CidadaniaMeio ambiente e Cidadania
Meio ambiente e Cidadania
 
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTALPRESERVAÇÃO AMBIENTAL
PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
 
Meio ambiente e cidadania
Meio ambiente e cidadaniaMeio ambiente e cidadania
Meio ambiente e cidadania
 
Preservação do Meio Ambiente
Preservação do Meio AmbientePreservação do Meio Ambiente
Preservação do Meio Ambiente
 
Preservação ambiental
Preservação ambientalPreservação ambiental
Preservação ambiental
 
Apresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio AmbienteApresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio Ambiente
 
O meio ambiente slides
O meio ambiente slidesO meio ambiente slides
O meio ambiente slides
 
Slides meio ambiente
Slides meio ambienteSlides meio ambiente
Slides meio ambiente
 
Meio ambiente e cidadania divanir
Meio ambiente e cidadania divanirMeio ambiente e cidadania divanir
Meio ambiente e cidadania divanir
 

Semelhante a Saúde ambiental

Tipos de poluição
Tipos de poluiçãoTipos de poluição
Tipos de poluição
Galo_Frito
 
mundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambiente
mundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambientemundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambiente
mundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambiente
sw4kfysgx7
 
Unidade5 bio12 ano20_21
Unidade5 bio12 ano20_21Unidade5 bio12 ano20_21
Unidade5 bio12 ano20_21
Cláudia Barros Moreira
 
O ambiente
O ambienteO ambiente
O ambiente
Fabiana Mourão
 
Alterações climáticas
Alterações climáticasAlterações climáticas
Alterações climáticas
Pedro Maciel
 
Aula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptx
Aula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptxAula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptx
Aula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptx
DulceLimaHonrio
 
Projeto de tic
Projeto de ticProjeto de tic
Projeto de tic
Nome Sobrenome
 
A poluição e sua relação com o estado do amapá
A poluição e sua relação com o estado do amapáA poluição e sua relação com o estado do amapá
A poluição e sua relação com o estado do amapá
RefletindoGeografia
 
Modulo 08 - Problemas Ambientais Urbanos
Modulo 08 - Problemas Ambientais UrbanosModulo 08 - Problemas Ambientais Urbanos
Modulo 08 - Problemas Ambientais Urbanos
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Poluição
PoluiçãoPoluição
Poluição
Joana Sousa
 
Julya
JulyaJulya
Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)
Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)
Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)
Enoque Guedes
 
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
CristinaTavares50
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
Diana Louro
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
Adriana Paulon
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
Adriana Paulon
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
Adriana Paulon
 
Dfsgbh
DfsgbhDfsgbh
Sucessões ecológicas
Sucessões ecológicasSucessões ecológicas
Sucessões ecológicas
Larj
 
A poluicao
A poluicaoA poluicao
A poluicao
isabelanastacia
 

Semelhante a Saúde ambiental (20)

Tipos de poluição
Tipos de poluiçãoTipos de poluição
Tipos de poluição
 
mundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambiente
mundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambientemundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambiente
mundoatual_homemeambiente - Slides sobre ambiente
 
Unidade5 bio12 ano20_21
Unidade5 bio12 ano20_21Unidade5 bio12 ano20_21
Unidade5 bio12 ano20_21
 
O ambiente
O ambienteO ambiente
O ambiente
 
Alterações climáticas
Alterações climáticasAlterações climáticas
Alterações climáticas
 
Aula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptx
Aula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptxAula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptx
Aula 1 Ecologia Global poluicao cont ar agua solo.pptx
 
Projeto de tic
Projeto de ticProjeto de tic
Projeto de tic
 
A poluição e sua relação com o estado do amapá
A poluição e sua relação com o estado do amapáA poluição e sua relação com o estado do amapá
A poluição e sua relação com o estado do amapá
 
Modulo 08 - Problemas Ambientais Urbanos
Modulo 08 - Problemas Ambientais UrbanosModulo 08 - Problemas Ambientais Urbanos
Modulo 08 - Problemas Ambientais Urbanos
 
Poluição
PoluiçãoPoluição
Poluição
 
Julya
JulyaJulya
Julya
 
Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)
Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)
Biologia 12º ano - Unidade 5 (auxiliar do poster)
 
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
mundo atual_o homem e o ambiente ufcd 6665
 
Problemas ambientais
Problemas ambientaisProblemas ambientais
Problemas ambientais
 
Dinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileiraDinâmica populacional brasileira
Dinâmica populacional brasileira
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 
Dinâmica populacional
Dinâmica populacionalDinâmica populacional
Dinâmica populacional
 
Dfsgbh
DfsgbhDfsgbh
Dfsgbh
 
Sucessões ecológicas
Sucessões ecológicasSucessões ecológicas
Sucessões ecológicas
 
A poluicao
A poluicaoA poluicao
A poluicao
 

Mais de Rodrigo Bruno

Desmistificando a Doação e o Transplante de Medula Óssea
Desmistificando a Doação e o Transplante de Medula ÓsseaDesmistificando a Doação e o Transplante de Medula Óssea
Desmistificando a Doação e o Transplante de Medula Óssea
Rodrigo Bruno
 
Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)
Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)
Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)
Rodrigo Bruno
 
Histórico de enfermagem
Histórico de enfermagemHistórico de enfermagem
Histórico de enfermagem
Rodrigo Bruno
 
Exame fisico
Exame fisicoExame fisico
Exame fisico
Rodrigo Bruno
 
Vigilancia
VigilanciaVigilancia
Vigilancia
Rodrigo Bruno
 
Sistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodoSistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodo
Rodrigo Bruno
 
Osteologia e sindesmologia
Osteologia e sindesmologiaOsteologia e sindesmologia
Osteologia e sindesmologia
Rodrigo Bruno
 
Introdução ao estudo da anatomia
Introdução ao estudo da anatomiaIntrodução ao estudo da anatomia
Introdução ao estudo da anatomia
Rodrigo Bruno
 

Mais de Rodrigo Bruno (8)

Desmistificando a Doação e o Transplante de Medula Óssea
Desmistificando a Doação e o Transplante de Medula ÓsseaDesmistificando a Doação e o Transplante de Medula Óssea
Desmistificando a Doação e o Transplante de Medula Óssea
 
Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)
Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)
Roteiro v (indicadores de saúde ambiental)
 
Histórico de enfermagem
Histórico de enfermagemHistórico de enfermagem
Histórico de enfermagem
 
Exame fisico
Exame fisicoExame fisico
Exame fisico
 
Vigilancia
VigilanciaVigilancia
Vigilancia
 
Sistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodoSistema muscular 1º periodo
Sistema muscular 1º periodo
 
Osteologia e sindesmologia
Osteologia e sindesmologiaOsteologia e sindesmologia
Osteologia e sindesmologia
 
Introdução ao estudo da anatomia
Introdução ao estudo da anatomiaIntrodução ao estudo da anatomia
Introdução ao estudo da anatomia
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 

Saúde ambiental

  • 1. Relação entre os fatores ambientais e a saúde dos indivíduos.
  • 2. Quanto piores as condições do ambiente, maior a presença de doenças (Sylvia Carolina Aranha, 2006). A pobreza e a miséria atingem grande parte da população brasileira e, com isso, doenças simples de se prevenirem ou de se curarem ainda possuem elevados índices de incidência e prevalência. Isso se deve ao fato de que o organismo humano é particularmente vulnerável às agressões do meio ambiente. As moradias precárias ou densamente ocupadas e a inexistência de água tratada ou rede de esgoto encontram-se relacionadas a enfermidades respiratórias e gastrointestinais, respectivamente. (ESREY et al., 1991; GOMES, 2002; GRAHAM, 1990)
  • 3. A aglomeração é extremamente comum nas famílias de baixa renda, devido à elevada taxa de natalidade. Esse fator, aliado às precárias condições de moradia, leva a um aumento na incidência de doenças respiratórias, em especial a asma brônquica (GOMES, 2002; VICTORA et al., 1988; ZAMAN et al., 1997).
  • 4. O estado do Rio de Janeiro registrou, em 2008, a maior incidência de tuberculose no Brasil, com 68,64 casos por 100 mil habitantes. O Brasil é um dos 22 países priorizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) nas ações de prevenção à doença, porque está no grupo de nações que concentram cerca de 80% dos casos de tuberculose em todo o mundo. A tuberculose é uma doença com determinantes sociais bem marcados, sendo possível estabelecer uma estreita relação com as condições de moradia, acesso aos serviços de saúde e alimentação adequada. Talvez esta seja uma das faces mais perversas da epidemia de tuberculose: a situação de extrema vulnerabilidade social que permeia as comunidades mais afetadas, sobretudo aquelas dominadas pelo poder do tráfico e que, por isso, não conseguem receber as ações de saúde pública para a prevenção. A incidência da doença na Rocinha em 2010 foi de 386,7 casos por cem mil habitantes. Isto reforça a tese de que o controle da tuberculose deve englobar necessariamente a correção das desigualdades decorrentes das condições sociais em que as pessoas vivem e trabalham.
  • 5. Como a questão habitacional encontra-se intimamente ligada aos problemas de saúde, as abordagens e as intervenções nos ambientes domiciliar e peridomiciliar tornaram-se um importante meio de combate a doenças, contribuindo, assim, para a melhoria do padrão de vida dessas pessoas (RAHMAN; RAHMAN, 1997; VICTORA, 1996).
  • 6. As preocupações com a problemática ambiental estão inseridas na Saúde Pública desde seus primórdios, apesar de só na segunda metade do século XX ter se estruturado uma área específica para tratar dessas questões. Essa área que trata da inter-relação entre saúde e meio ambiente foi denominada de Saúde Ambiental. Saúde, Meio Ambiente e Saúde Ambiental Segundo definição estabelecida pela OMS: “Saúde Ambiental é o campo de atuação da saúde pública que se ocupa das formas de vida, das substâncias e das condições em torno do ser humano, que podem exercer alguma influência sobre a sua saúde e o seu bem-estar” (Brasil-MS, 1999).
  • 7. Em 1993, uma definição de Saúde Ambiental, que insere também os aspectos de atuação prática, foi apresentada na Carta de Sofia, produzida no encontro da Organização Mundial de Saúde, realizado na cidade de Sofia: “Saúde ambiental são todos aqueles aspectos da saúde humana, incluindo a qualidade de vida, que estão determinados por fatores físicos, químicos, bioló- gicos, sociais e psicológicos no meio ambiente. Também se refere à teoria e prática de valorar, corrigir, controlar e evitar aqueles fatores do meio ambiente que, potencialmente, possam prejudicar a saúde de gerações atuais e futuras” (OMS, 1993).
  • 8. 8 Definições importantes Poluição O novo paradigma das sociedades modernas. No início do século XXI, a sociedade depara-se com alguns problemas inexistentes para as gerações anteriores. Um deles é a poluição ambiental. Conceito de Poluição: É toda alteração das propriedades naturais do meio ambiente que seja prejudicial à saúde, à segurança ou ao bem-estar das populações sujeitas aos seus efeitos, causada por agentes de qualquer espécie. Causas principais da poluição ambiental: 1. O contínuo aumento da população 2. O vertiginoso desenvolvimento industrial
  • 9. 9 Crescimento da população mundial: No ano de 1750 a população mundial era de 750 milhões de habitantes; Em 1900 atinge 1,5 bilhão Em 1950 alcançamos 2,5 bilhões Em 1990 passamos de 5,5 bilhões Atualmente o número de seres humanos habitando a Terra já ultrapassa 7 bilhões Conseqüências do crescimento acelerado da população: 1. Crescente produção de alimentos, o que exige fertilizantes e agrotóxicos, uns dos principais componentes responsáveis pela poluição ambiental. Agrotóxicos são os produtos e os agentes de processos físicos, químicos ou biológicos, destinados ao uso nos setores de produção... cuja finalidade seja alterar a composição da flora ou da fauna, a fim de preservá-las da ação danosa de seres vivos considerados nocivos (Lei Federal 7.802 de 11.07.89).
  • 10. 10 2. Esgotos humanos: além dos detritos orgânicos, contêm também resíduos de sabões e detergentes.
  • 11. 11 Contaminação Definição: introdução de microrganismos, substâncias químicas e/ou resíduos no meio ambiente (água, ar ou solo) em quantidade suficiente para desequilibrar as propriedades do meio e torná-lo prejudicial à saúde e à preservação ambiental.
  • 12. 12 Diferença entre água poluída e água contaminada Água poluída – é a água que apresenta alterações físicas, como: cheiro, turbidez, cor ou sabor. Normalmente, a alteração física é conseqüência da contaminação química, geralmente devido à presença de substâncias, como: elementos estranhos ou tóxicos. A alteração das características naturais da água a torna inadequada para o consumo humano.
  • 13. 13 Água contaminada – é a água que contém agentes patogênicos vivos, sejam bactérias, vermes, protozoários ou vírus. Essa água não é potável, logo não deve ser utilizada. Protesto de moradores de São Paulo contra a invasão de água contaminada nos domicílios após as fortes chuvas. Na amostra foram encontrados larvas de insetos e até cobras, aumentando seriamente os riscos da população local,
  • 14. 14 Principais doenças causadas pela água contaminada: Disenteria - Pode ser causada pela ameba ou por bacilo. Amebíase - É uma forma de disenteria provocada por um organismo microscópico chamado ameba. Uma das formas de transmissão se faz pela água contaminada com as fezes de indivíduo doente. Cólera - A cólera é uma doença que provoca, nas pessoas, vômitos, diarréia e desidratação. É causada por uma bactéria chamada vibrião colérico. Não se deve confundir esta doença com a raiva. Ela causa cólicas e, às vezes, o doente evacua sangue com as fezes. Ela provoca, também, a desidratação e o doente precisa tomar soro.
  • 15. 15 Efeito Estufa Chama-se efeito estufa o mecanismo de aquecimento natural do planeta, com elevação da temperatura da atmosfera; esse efeito vem sendo observado há mais de um século. A atmosfera permite a entrada de uma grande quantidade das radiações oriundas do sol. A maior parte dessas radiações sofre reflexão pela superfície terrestre ou pela atmosfera e retorna para o espaço. Uma pequena parte, porém, é absorvida por gases atmosféricos, pelo solo e pelos oceanos. A energia luminosa é finalmente retransmitida na forma de calor. A maior parte desse calor perde-se no espaço exterior, enquanto uma certa quantidade é absorvida nas baixas camadas atmosféricas, principalmente pelo gás carbônico (CO2), pelo metano (CH4) e pelo vapor de água. A radiação solar que atinge a Terra consiste de três componentes: luz visível, e dois componentes invisíveis, ondas curtas ultravioleta e ondas longas infravermelhas.
  • 16. 16 O aumento substancial nas liberações de gás carbônico tem alterado o comportamento atmosférico, pois, à medida que aumenta o teor de CO2, intensifica também a retenção de calor pelo efeito estufa e, conseqüentemente, mais elevada a temperatura média do globo terrestre. Principais emissores de CO2 Indústrias: A industrialização estimula muito o aumento dos gases de efeito estufa na atmosfera, como o gás carbônico, em virtude da queima de combustível fóssil. Queimadas: As queimadas das florestas também produzem CO2 para a atmosfera. Automóveis: A poluição provocada pela excesso de veículos nas cidades muito populosas faz com que o CO2 se acumule no ar, absorvendo muito mais calor.
  • 17. 17 Destruição da Camada de Ozônio - Histórico No século XX, em meados da década de 80, confirmou-se que o ozônio estava sendo progressivamente destruído, com a conseqüente rarefação da camada. Parece que essa destruição foi provocada por produtos químicos liberados pela atividade humana, especialmente os que contêm átomos de cloro como os cloroflúor-carbonetos (CFC). A energia de ligação entre átomos de carbono e o cloro é de 93 kcal/mol, mais fraca do que as ligações carbono-flúor e carbono- hidrogênio. Assim, a molécula dos CFCs e de outros compostos clorados voláteis é mais facilmente decomposta pelas radiações solares e irá contribuir para a destruição da camada de ozônio.
  • 18. 18 Os CFCs podem subir à estratosfera sem se modificar. Porém, acima de 12 km de altitude, a radiação ultravioleta emitida pelo Sol rompe a ligação química entre o átomo de carbono e o átomo de cloro, liberando este sob a forma de radical livre, que ataca o ozônio e o destrói, formando oxigênio. O enfraquecimento da camada de ozônio favorece a passagem dos raios ultravioleta, que assim chegam à superfície da Terra em maior quantidade.
  • 19. 19 Estima-se que a redução de 1% na espessura da camada de ozônio seja suficiente para que a radiação UV cause a cegueira por catarata em 100 000 pessoas e aumente em 3% os casos de câncer de pele. Em pequenas quantidades, porém, essas radiações são úteis à vida, contribuindo para a produção de vitamina D, indispensável ao desenvolvimento normal dos ossos. A catarata é uma patologia dos olhos que consiste na opacidade parcial ou total do cristalino (lente do olho) ou de sua cápsula.
  • 20. 20 Os CFCs são muito empregados em refrigeradores, aparelhos de ar condicionado, acolchoados para estofamento de carros e móveis, espumas sintéticas usadas no combate a incêndio, e aerossol utilizados em vários produtos (laquês de cabelo, desodorantes, tintas, etc.). Produção de CFC em alguns países entre 1986 e 1996
  • 21. Indicadores de saúde ambiental Prof. Waldemiro Romanha http://microsintonias.blogspot.com
  • 22. Discute o atual modelo de desenvolvimento mundial (crescimento econômico e urbanização): – Urbanização rápida e desordenada; – Concentração de renda; – Degradação ambiental; – Degradação qualidade de vida. Ecologia Social Gênese dos problemas de meio ambiente e saúde: processo de produção e consumo • OMS – A OMS tem promovido estudos para um melhor entendimento da relação ambiente – saúde, de forma a subsidiar a definição de políticas e estratégias para estes setores.
  • 23. O perfil de saúde da população brasileira e o cenário socioambiental 1. doenças cardiovasculares e neoplásicas (respectivamente primeira e terceira causas de óbito); 2. doenças infecto-parasitárias; 3. causas externas (acidentes e violências) . Risco à saúde relacionado ao ambiente • A OMS estima que 30% dos danos a saúde estão relacionados aos fatores ambientais decorrentes de inadequação do saneamento básico (água, lixo, esgoto), poluição atmosférica, exposição a substâncias químicas e físicas, desastres naturais, fatores biológicos (vetores, hospedeiros e reservatórios) entre outros.
  • 24. Área da saúde pública que envolve conhecimento científico e formulação de políticas públicas relacionadas à interação entre a saúde humana e os fatores do meio ambiente natural e antrópico que a determinam, condicionam e influenciam a qualidade de vida do ser humano, sob o ponto de vista da sustentabilidade. SAÚDE AMBIENTAL • Instrumentos da VSA – Epidemiologia ambiental – Avaliação e gerenciamento de riscos – Indicadores de Saúde Ambiental – Sistema de informação em saúde ambiental – Estudos e Pesquisas – Atenção Primária VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL Conjunto de ações que proporciona o conhecimento, e a detecção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes do meio ambiente que interferem na saúde humana. Finalidade Recomendar e adotar medidas de prevenção e controle dos fatores de riscos relacionados às doenças e outros agravos à saúde
  • 25. Indicador de saúde ambiental • OMS • OPAS • MS/DATASUS • SVS/MS • CGVAM/SVS/MS INDICADOR DE SAÚDE AMBIENTAL O ISA demonstra a vinculação entre o ambiente e saúde direcionando-a para um aspecto concreto de uma política ou gerenciamento. É apresentado de uma forma que facilite sua interpretação, permitindo a tomada de decisão eficaz e efetiva (Briggs e Corvalan, 1996). Um indicador de saúde ambiental pode ser visto como uma medida que sintetiza, em termos facilmente compreensíveis e relevantes, alguns aspectos da relação entre o meio ambiente e a saúde, de forma a auxiliar tomadores de decisão a fazer escolhas mais apropriadas, fundamentadas em informações (Villardi et al, 2005)
  • 26. B A C Meio Ambiente Saúde A: Indicadores de saúde ambiental B: Indicadores ambientais com possível impacto na saúde C: Indicadores de saúde com possível causa ambiental Indicadores de Saúde Ambiental Relação com outros indicadores