SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 77
Baixar para ler offline
Alan Diniz Souza
alan_diniz@terra.com.br
Facebook Alan Diniz Souza
 O Livro dos Espíritos – Allan Kardec;
 O Perispírito – Zalmino Zimmermann;
 Energia dos Chakras – Alírio de Cerqueira Filho;
 Gestação Sublime Intercâmbio, Ricardo Di
Bernardi;
 Palestra – A Glândula Pineal – Sérgio Felipe de
Oliveira;
 Nos Domínios da Mediunidade, Evolução em
Dois Mundos e Missionários da Luz – André Luiz;
 Aula do curso de desenvolvimento mediúnico
do -instituto espírita de educação – SP.
 Resumo rápido do Seminário anterior;
 Ensaio Teórico Sobre a Sensibilidade dos
Espíritos;
 Os Centros de Força;
 A Pineal;
 Raios, Ondas, Médiuns, Mentes...
 Conclusões;
 Perguntas.
As energias dos chakras que trazemos no
perispírito são fundamentais para o nosso
equilíbrio físico e mental. Dependendo da
forma como nos movimentamos frente à
vida, essas energias estarão inibidas,
congestionadas ou equilibradas.
Para mantê-las equilibradas, todo um
investimento é necessário. Para tanto, a
identificação com as lições do Evangelho
de Jesus é imprescindível.
1. O Corpo é o instrumento da dor (causa);
2. A alma tem a percepção da dor (efeito);
3. A alma guarda a lembrança da dor, que
ás vezes pode ser muito penosa, mas não
pode implicar ação física;
4. A alma não pode nem queimar, nem
congelar; Ex: Os amputados continuam a
sentir dor.
5. O cérebro conserva sua impressão.
Existe algo de análogo nos sofrimentos
do Espírito após a morte.
Um estudo mais aprofundado do
Perispírito, nos lança luz sobre esta
questão.
 Aparições;
 O estado do Espírito no momento da
morte;
 A idéia dele ainda estar vivo;
 O panorama dos suicidas;
 O panorama das pessoas que se
apegam aos prazeres materiais.
- Laço que une o Espírito à matéria do
corpo;
- Proveniente do fluído universal;
- Ligado ao mesmo tempo a eletricidade,
ao fluido magnético e, a matéria inerte (até
certo ponto) – fluído nervoso;
- Quintessência da matéria;
- Princípio da vida orgânica;
- Agente das sensações exteriores;
 Todas as sensações se tornam
generalizadas;
 O Espírito pode sofrer, mas não é o
mesmo sofrimento do corpo físico;
 Mas não é um sofrimento exclusivamente
moral, pois ele se queixa de frio e calor;
A dor é um vago sentimento íntimo, que
às vezes nem o Espírito compreende;
Ele se desprende do corpo mais ou
menos lentamente, experimentando
ainda algumas sensações (que não
chegam mais por um canal – Ex:
ouvido...) ela é geral;
Sensações ainda são muito mal
desenvolvidas pela materialidade do
perispírito;
Percebem os sons, odores...através de
“vibrações moleculares” em todo seu
ser;
Ouvem nossa voz, mas nos
compreendem sem o auxílio da palavra
(transmissão do pensamento);
A visão é independente da nossa luz.
Perispírito de essência etérea, receberia
sensações de encantos indefiníveis no
foro íntimo, atribuídas a todo o ser, e não
a órgãos específicos.
 Ouvem e sentem apenas o que
desejam;
 São obrigados a escutar os conselhos
dos bons Espíritos;
 Visão sempre ativa, mas podem se
ocultar para os que lhe são inferiores;
 Podem se tornar nítidos;
 De acordo com seu grau de pureza
podem ir ao passado e ao futuro;
Nossos sofrimentos podem continuar;
Veremos que a maior parte poderia ter
sido evitada, através do controle de
nossas paixões;
Consequências da forma como vivemos;
Quanto mais desmaterializado, menos
sofrimento experimentaremos;
Nos desapegando de nossas paixões:
Orgulho;
Vaidade;
Ódio;
Ciúme;
Egoísmo;
Não dar mais importância que cada coisa
merece;
Nos desmaterializar ainda encarnados.
Estaremos de consciência limpa, e
nossos males enquanto encarnados,
terão afetado somente o corpo, e não o
Espírito;
Esta tranquilidade nos isentará de
qualquer sofrimento moral;
E que se sofremos, foi por nossa escolha,
e só deveríamos nos queixar para nós
mesmos, tanto neste quanto no outro
mundo. *
 Acumuladores e distribuidores de
energia vital no organismo.
 A tradição oriental denomina esses
centros de chakras ou tchacras (do
sânscrito: roda, círculo,disco,órbita)
Localização dos
Centros
de Força
Nosso corpo de matéria rarefeita está
intimamente regido por sete centros de
força (coronário, cerebral, laríngeo,
cardíaco, esplênico, gástrico e genésico),
os quais se conjugam nas ramificações dos
plexos e que, vibrando em sintonia uns
com os outros, ao influxo do poder diretriz
da mente, estabelecem para nosso uso um
veículo de células elétricas, que podemos
definir como sendo um campo
eletromagnético.
(André Luiz, Entre a Terra e o Céu)
 Plexos: São conjuntos e aglomerados de
nervos e gânglios, que regulam a vida do
corpo humano. Estão localizados no corpo
físico.
 Centros de Força: São estações de força
espiritual ou fluídica (energia) e formam um
campo eletromagnético utilizado pelo Espírito.
Relacionam-se diretamente com os plexos do
corpo material.
 Cada função orgânica corresponde a uma
função perispirítica.
 Sob o comando dos centros vitais processa-se
a interação energética total entre as
estruturas física e perispiritual.
LOCALIZAÇÃO PLEXOS CHAkRAS
BASE DA ESPINHA SACRAL GENÉSICO
UMBIGO SOLAR GÁSTRICO
BAÇO MESENTÉRICO ESPLÉNICO
CORAÇÃO CARDÍACO CARDÍACO
GARGANTA LARÍNGEO LARÍNGEO
FRONTE FRONTAL FRONTAL
ALTO DA CABEÇA PINEAL CORONÁRIO
CENTRO DE
FORÇA
HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDA
DE
GENÉSICO INSEGURANÇA SEGURANÇA TEMERIDADE
GÁSTRICO DESPREZO AO
PRAZER
PRAZER
APEGO AO
PRAZER
ESPLÊNICO
IMPOTÊNCIA PODER
ONIPOTÊNCIA/
PREPOTÊNCIA
CARDÍACO INDIFERENÇA AMOR APEGO
LARÍNGEO SONEGAÇÃO E
DESPREZO
CONHECIMENTO
ABUSO DO
CONHECIMENTO
FRONTAL
CETICISMO
INSPIRAÇÃO E
INTUIÇÃO
MISTICISMO
CORONÁRIO DESPREZO A
FUNÇÃO TRANSCENDÊNCIA
ABUSO DAS
FUNÇÕES
 Situado na base da coluna vertebral, na
região coccígea;
 Principal modelador dos estímulos
superiores e inferiores da vida orgânica e
espiritual do homem;
 É a sede do “santuário do sexo, como
modelador de novas formas entre os seres,
o estabelecimento de estímulos criadores,
com vistas ao trabalho, à associação e à
realização entre as almas”.
 (André Luiz, Evolução em Dois Mundos)
CENTRO DE
FORÇA HIPOATIVIDADADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
GENÉSICO INSEGURANÇA SEGURANÇA TEMERIDADE
 Responsável pela digestão e absorção dos
alimentos densos ou menos densos que, de
qualquer modo, representam concentrados
fluídicos (A.L., Evolução em Dois Mundos)
 Confere a sensibilidade (intuições e
percepções). Situado sobre o umbigo, tem
dez raios, também chamados de "pétalas".
 As emoções violentas paralisam a digestão e
repercutem sobre o fígado.
 Com relação ao campo emocional, este é o
chacra mais importante, visto que está
situado no ponto em que a energia astral
penetra no campo etérico. Ele também está
estreitamente relacionado com os chacras
do coração e da garganta (laríngeo).
CENTRO DE
FORÇA
HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
GÁSTRICO DESPREZO AO
PRAZER
PRAZER
APEGO AO
PRAZER
 Determina todas as atividades em que se
exprime o sistema hemático, dentro das
variações de meio e volume sangüíneo,além
de promover a distribuição e a circulação
adequada dos recursos vitais em todos os
escaninhos do veículo de que servimos;
(Entre a Terra e o Céu)
 Localiza-se na região do baço.
CENTRO DE
FORÇA HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
GÁSTRICO IMPOTÊNCIA PODER
ONIPOTÊNCIA/
PREPOTÊNCIA
 Responsável pelo equilíbrio e intercâmbio
das emoções (sentimentos).
 Situa-se sobre o coração
 Está ligado às emoções superiores, afetos e
sentimentos. Nele residem, por exemplo, a
bondade, a afeição, a piedade e também
o ódio. O centro do coração está situado a
meio caminho entre as omoplatas.
 Está ligado às dimensões superiores da
consciência e ao senso de existência da
pessoa, e está estreitamente relacionado
ao chakra coronário
CENTRO DE
FORÇA
HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
CARDÍACO INDIFERENÇA AMOR APEGO
 Controla notadamente a respiração e a
fonação;
 Auxilia no desenvolvimento da audição (sons
provindos do plano astral);
 Situado sobre a garganta, em frente à
cartilagem tireóide;
 As ligações do chacra laríngeo com o corpo
físico ocorrem através das glândulas tireóide e
paratireóide, às quais fornece energia.
CENTRO DE
FORÇA
HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
LARÍNGEO SONEGAÇÃO E
DESPREZO
CONHECIMENTO
ABUSO DO
CONHECIMENTO
 Está localizado na fronte, entre as
sobrancelhas;
 É o chakra da espiritualidade superior.
 Está particularmente inter-relacionado com
o centro coronário. (em algumas das
escrituras tibetanas, ele não é mencionado
em separado, sendo considerado parte do
"lótus de mil pétalas”)
 O centro cerebral contíguo ao coronário,
com influência decisiva sobre os demais
centros vitais. Ele ordena as percepções de
variadas espécies(visão, audição, tato e a
rede de processos da inteligência, que
dizem respeito à Palavra, à Cultura, à Arte e
ao Saber”.
 Coordena todo sistema nervoso.
CENTRO DE
FORÇA
HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
FRONTAL CETICISMO
INSPIRAÇÃO E
INTUIÇÃO
MISTICISMO
 Localizado na região central do cérebro,
sede da mente, centro que assimila os
estímulos do Plano Superior
 Ponto de interação entre as forças
determinantes do espírito e as forças
fisiopsicossomáticas organizadas.
 Dele parte a corrente de energia vitalizante
formada de estímulos espirituais com ação
difusível sobre a matéria mental que o
envolve, transmitindo aos demais centros
da alma os reflexos vivos de nossos
sentimentos, idéias e ações;
 A mente elabora as criações que lhe fluem
da vontade, apropriando-se dos elementos
que a circundam, e o centro coronário
incumbe-se automaticamente de fixar a
natureza da responsabilidade que lhes diga
respeito, marcando no próprio ser as
conseqüências felizes ou infelizes de sua
movimentação consciencial no campo do
destino. (Evolução em Dois Mundos);
 Considerado pela filosofia Hindu como
sendo o lótus de mil pétalas.
 É o grande assimilador das energias solares
e dos raios da Espiritualidade Superior
capazes de favorecer a sublimação da
alma.
CENTRO DE
FORÇA HIPOATIVIDADE
ATIVIDADE
NORMAL
HIPERATIVIDADE
CORONÁRIO DESPREZO A
FUNÇÃO
TRANSCENDÊNCIA
ABUSO DAS
FUNÇÕES
 As energias que fluem pelos centros
de força possuem uma determinada
medida de onda e, por conseqüência,
uma cor.
 As energias penetram nos centros de
força formando raios de cores
diferentes.
 Quanto mais desenvolvido for o centro
de força, maior sua capacidade.
 Enquanto no homem comum o Centro
de Força se apresenta como um disco
quase sem brilho, no ser espiritual, é
quase sempre um vórtice luminoso.
 Os fluídos espirituais e também os materiais
penetram nos centros de força, passam aos
plexos e destes ao sistema nervoso e
circulatório, transitando por todo o
organismo.
 Os centros são interdependentes entre si e
imprimem reflexos nos órgãos e demais
implementos de nossa constituição
particular, plasmando em nós próprios os
efeitos agradáveis ou desagradáveis de
nossa influência e conduta. Em seu conjunto,
são responsáveis, portanto, pela distribuição
da energia vital e pelo equilíbrio fisiológico
do indivíduo
*
 Denominações comuns:
› órgão pineal,
› epífise neural,
› ou simplesmente pineal
 Estrutura única e muito pequena localizada
no cérebro;
 Participa na regulação endócrina da
reprodução, do sistema imunológico e da
organização dos ritmos biológicos, atuando
como mediadora entre o ciclo claro/escuro
ambiental e processos fisiológicos tais como
sono/vigília, atividade/repouso, entre outros.
 Visível em radiografias; por isso, até
recentemente muitos afirmavam que a
glândula estava calcificada e era uma estrutura
em involução.
 Atualmente, foi demonstrado que ela não se
calcifica; e, sim, forma cristais de apatita: um
mineral incolor composto por fosfato de cálcio
que contém urânio em seu interior e, que tem
sido muito estudado no Instituto de Física da
Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
 Em torno do 4º e 5º mês de vida intra-uterina
a glândula Pineal já apresenta células e
tecido de sustentação, alcançando 2mm de
diâmetro. Durante este período, via de regra
o espírito reencarnante começa a perder a
consciência atingindo rapidamente a total
inconsciência.
 Na pineal é que as expansões energéticas
do psicossoma prendem-se mais
profundamente, sendo por isto chamada "a
glândula da vida espiritual.
 À medida que o desenvolvimento da Pineal
se processa cada vez mais se acentua a
união com as energias espirituais que
impulsionam todo o desenvolvimento fetal
modelado pelas matrizes perispirituais.
 As modificações que ocorrem na glândula
pineal são observáveis até os dois anos de
idade. Daí até 6 ou 7 anos, as transformações
são muito lentas. É exatamente neste período
entre 6 ou 7 anos que a Reencarnação
poderia ser considerada como definitiva pois
o espírito passa a ter fixação completa ao
organismo biológico e principalmente à
Pineal
 “(...) analisemos a epífise como glândula da vida
espiritual do homem. Segregando energias
psíquicas, a glândula pineal conserva
ascendência em todo o sistema endócrino.
Ligada à mente, através de princípios
eletromagnéticos do campo vital, que a ciência
comum ainda não pode identificar, comanda as
forças subconscientes sob a determinação direta
da vontade. As redes nervosas constituem-lhe os
fios telegráficos para ordens imediatas a todos os
departamentos celulares, e sob sua direção
efetuam-se os suprimentos de energias psíquicas
a todos os armazéns autônomos dos órgãos...".
(Missionários da Luz, André Luiz)
“Quanto mais lhe notava as singularidades do
cérebro, mais admirava a luz crescente que a
epífise deixava perceber. A glândula
minúscula transformara-se em núcleo
radiante e, em derredor, seus raios formavam
um lótus de pétalas sublimes.
Examinei atentamente os demais encarnados.
Em todos eles, a glândula apresentava notas
de luminosidade, mas em nenhum brilhava
como no intermediário em serviço.”
(Missionários da Luz, André Luiz)
“-- É a glândula da vida mental. ”
(Missionários da Luz, André Luiz)
“A epífise preside aos fenômenos nervosos da
emotividade, como órgão de elevada
expressão no corpo etéreo. Desata, de certo
modo, os laços divinos da Natureza, os quais
ligam as existências umas às outras, na
seqüência de lutas, pelo aprimoramento da
alma, e deixa entrever a grandeza das
faculdades criadoras de que a criatura se
acha investida.
(Missionários da Luz, André Luiz)
 A glândula pineal conserva ascendência em
todo o sistema endócrino.
 Ligada à mente, através de princípios
eletromagnéticos do campo vital, comanda
as forças subconscientes sob a determinação
direta da vontade.
 As redes nervosas constituem-lhe os fios
telegráficos para ordens imediatas a todos os
departamentos celulares, e sob sua direção
efetuam-se os suprimentos de energias
psíquicas a todos os armazéns autônomos dos
órgãos.
 Manancial criador dos mais importantes, suas
atribuições são extensas e fundamentais.
(Missionários da Luz, André Luiz)
Sérgio Felipe de Oliveira realizou diversos
exames neurológicos (como tomografia e
eletroencefalograma) em pacientes em
transe.
“Verificamos a atividade na pineal durante
esses momentos. Ela é uma espécie de
antena que capta estímulos da alma de
outras pessoas, vivas ou mortas, como se
fosse um olho sensível à energia
eletromagnética”.
“Segundo o físico-espiritualista, Dr. Valdir
Aguilera, os pensamentos são irradiações
ondulatórias produzidas por vibrações do
espírito, encarnado ou desencarnado; (...) o
ambiente líquido onde a pineal está localizada
de certa forma facilitaria a captação dessas
ondas vibratórias.
Por outro lado, os cristais de apatita que essa
glândula contém são capazes de captar
campos eletromagnéticos. É provável que seja
então a interação desses dois fatores que fazem
a pineal atuar como uma verdadeira antena
vibrátil; e essa antena será tanto mais sensível
quanto maior for o seu conteúdo de apatita”.
 A nossa conduta mental (pensamento) se
propaga por meio de ondas vibratórias e é
causa preponderante de nosso equilíbrio físico
e espiritual.
 Nosso pensamento conduz o nosso sistema de
distribuição de energia.
 Centros vitais desequilibrados obrigarão a
alma à permanência nas situações de
desequilíbrio.
 *
“A Ciência do século XX, estudando a
constituição da matéria, caminha de
surpresa em surpresa, renovando
aspectos de sua conceituação milenar...
 Leucipo - as coisas formadas de
partículas infinitesimais (átomos); 500 AC
 Dalton - teoria corpuscular da matéria;
Séc. XIX
 Crookes - surpreende o estado radiante
da matéria e estuda os raios catódicos;
 Röntgen - conclui pela existência dos
raios X;
 O casal Curie - detém o rádio;
 Rutherford - estudos, em torno da radio-
atividade;
E, desde o último quartel do século
passado, a Terra se converteu num reino
de ondas e raios, correntes e vibrações.
A eletricidade e o magnetismo, o
movimento e a atração palpitam em
tudo.
O estudo dos raios cósmico evidencia
as fantásticas energias espalhadas no
Universo, provendo os físicos de
poderosíssimo instrumento para
investigação dos fenômenos atômicos e
subatômicos.
Bohrs, Planck, Einstein erigem novas e
grandiosas concepções.
O veículo carnal agora não é mais que
um turbilhão eletrônico, regido pela
consciência.
Cada corpo tangível é transformado em
energia, e esta desaparece para dar
lugar à matéria.
Químicos e físicos, geômetras e
matemáticos, erguidos à condição de
investigadores da verdade, são hoje, sem
o desejarem, sacerdotes do Espírito,
porque, como conseqüência de seus
porfiados estudos
Os laboratórios são templos em que a
inteligência é concitada ao serviço de
Deus, e, ainda mesmo quando a
celebração se perverte, transitoriamente
subornada pela hegemonia política,
geradora de guerras, o progresso da
Ciência, como conquista divina,
permanece na exaltação do bem, rumo
a glorioso porvir.
O futuro pertence ao Espírito!
Quanto mais avança na ascensão
evolutiva, mais seguramente percebe o
homem a inexistência da morte como
cessação da vida. E agora, mais do que
nunca, reconhece-se na posição de
uma consciência retida entre forças e
fluídos, provisoriamente aglutinados
para fins educativos.
E, na grande romagem, todos somos
instrumentos das forças com as quais
estamos em sintonia. Todos somos
médiuns, dentro do campo mental que
nos é próprio, associando-nos às
energias edificantes, se o nosso
pensamento flui na direção da vida
primitivista ou torturada.
Cada criatura com os sentimentos emite
raios específicos e vive na onda
espiritual com que se identifica.
Todavia, o que destacamos por mais
alto em suas páginas é a necessidade
do Cristo no coração e na consciência,
para que não estejamos desorientados
ao toque dos fenômenos.
Sem noção de responsabilidade, sem
devoção à prática do bem, sem amor
ao estudo e sem esforço perseverante
em nosso próprio burilamento moral, é
impraticável a peregrinação libertadora
para os Cimos da Vida
Cada médium com a sua mente.
Cada mente com os seus raios,personalizando
observações e interpretações.
E, conforme os raios que arremessamos,
erguer-se-nos-a o domicílio espiritual na onda
de pensamentos a que nossas almas se
afeiçoam.
Isso, em boa síntese, equivale ainda a repetir
com Jesus:
- A cada qual segundo suas obras.
*
 Em 2012 Serge Haroche, junto com David Wineland,
foi condecorado com o prêmio Nobel de Física, por
inovadores métodos experimentais que permitem a
medição e a manipulação de partículas quânticas
individuais. Haroche e Wineland pesquisam o campo
de óptica quântica, que lida com a interação entre
luz e matéria. Trabalhando separadamente e com
"métodos laboratoriais engenhosos", os dois
cientistas conseguiram medir e controlar os estados
quânticos frágeis que haviam sido teorizados como
impossíveis de serem observados diretamente.
Wineland conseguiu um método para captar íons,
átomos carregados, e medi-los com luz, enquanto
Haroche controlou e mediu fótons, partículas que
constituem a luz. 4
“Não ignoramos que o Universo, a estender-se
no Infinito, por milhões e milhões de sóis, é a
exteriorização do Pensamento Divino, de cuja
essência partilhamos, em nossa condição de
raios conscientes da Eterna Sabedoria, dentro
do limite de nossa evolução espiritual.
Da superestrutura dos astros à infra-estrutura
subatômica, tudo está mergulhado na
substância viva da Mente de Deus, como os
peixes e as plantas da água estão contidos no
oceano imenso.
Filhos do Criador, d’Ele herdamos a faculdade
de criar e desenvolver, nutrir e transformar.”
Os Anjos ou Ministros da Eterna Sabedoria
entregam-nos, com segurança, às forjas
renovadoras do tempo e da provação. Sabe-
se, atualmente, na Terra, que um grama de
rádio perde a metade do seu peso em
dezesseis séculos e que um ciclotron,
trabalhando com projeteis atômicos
acelerados a milhões de electrons-volt, realiza
a transmutação dos elementos químicos, de
imediato. A evolução vagarosa nos milênios
ou o choque brusco do sofrimento alteram-nos
o panorama mental, aprimorando-lhes os
valores.
A alma se liga ao corpo pela glândula Pineal
– Rene Decartes – A alma e o Corpo - Livro
A glândula pineal é a único órgão do corpo
que lida com a dimensão espaço tempo e o
tempo é a quarta dimensão segundo Einsten,
ela que dita o ritmo do organismo através
desta conexão astrofísica. A pineal é a
glândula que lida com a quarta dimensão e
se há vida após a morte ela é da quarta
dimensão pra Lá.
“Sua visão se tornará clara somente
quando você olhar para dentro do seu
coração. Quem olha para fora, sonha.
Quem olha para dentro, acorda.”
“Deus não habita em casas feitas por
mãos humanas”
Alan Diniz Souza
alan_diniz@terra.com.br
Facebook Alan Diniz Souza

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2.1.4 perispirito
2.1.4   perispirito2.1.4   perispirito
2.1.4 perispiritoMarta Gomes
 
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de forçaPrimeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de forçaCeiClarencio
 
Perispírito-1,5h
Perispírito-1,5hPerispírito-1,5h
Perispírito-1,5hhome
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaRosana De Rosa
 
Quarto Módulo - 6ª aula - Glandula pineal
Quarto Módulo - 6ª aula - Glandula pinealQuarto Módulo - 6ª aula - Glandula pineal
Quarto Módulo - 6ª aula - Glandula pinealCeiClarencio
 
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEMO perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEMCarolina Bernardes
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispíritoEHMANA
 
O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoCeile Bernardo
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_ccarlos freire
 
Estudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doençasEstudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doençasEdna Costa
 

Mais procurados (20)

Perispirito
PerispiritoPerispirito
Perispirito
 
( Espiritismo) perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
( Espiritismo)   perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade( Espiritismo)   perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
( Espiritismo) perispirito, aspectos gerais e implicacoes na mediunidade
 
2.1.4 perispirito
2.1.4   perispirito2.1.4   perispirito
2.1.4 perispirito
 
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de forçaPrimeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
Primeiro Módulo - Aulas 7 e 8 - Perispirito e centros de força
 
O Perispirito
O PerispiritoO Perispirito
O Perispirito
 
Períspirito ni 1 aula11
Períspirito ni 1 aula11Períspirito ni 1 aula11
Períspirito ni 1 aula11
 
Perispírito-1,5h
Perispírito-1,5hPerispírito-1,5h
Perispírito-1,5h
 
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De RosaAula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
Aula - Perispírito e suas propriedades - Rosana De Rosa
 
Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a PinealOs Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a Pineal
 
O que é o perespirito?
O que é o perespirito?O que é o perespirito?
O que é o perespirito?
 
Quarto Módulo - 6ª aula - Glandula pineal
Quarto Módulo - 6ª aula - Glandula pinealQuarto Módulo - 6ª aula - Glandula pineal
Quarto Módulo - 6ª aula - Glandula pineal
 
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_cCorpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
 
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEMO perispírito- unidade teórica 2 COEM
O perispírito- unidade teórica 2 COEM
 
Duplo Etérico
Duplo EtéricoDuplo Etérico
Duplo Etérico
 
Aula 3 perispírito
Aula 3   perispíritoAula 3   perispírito
Aula 3 perispírito
 
O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
 
Parte ii chacras principais
Parte ii   chacras principaisParte ii   chacras principais
Parte ii chacras principais
 
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_c
 
Estudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doençasEstudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doenças
 

Destaque

Fotografias de Macroscopia, Neuro
Fotografias de Macroscopia, Neuro Fotografias de Macroscopia, Neuro
Fotografias de Macroscopia, Neuro Sofia Garcia
 
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnicoQuarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnicoCeiClarencio
 
18 transe - conceito e tipos
18   transe - conceito e tipos18   transe - conceito e tipos
18 transe - conceito e tiposjcevadro
 
Epífise ou Glândula Pineal
Epífise ou Glândula PinealEpífise ou Glândula Pineal
Epífise ou Glândula PinealWilma Badan C.G.
 
O Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do DocumentrioO Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do DocumentrioLuis Barbosa
 
A Glândula Pineal e a Perda da Consciência do Espírito Reencarnante
A Glândula Pineal e a Perda da Consciência do  Espírito ReencarnanteA Glândula Pineal e a Perda da Consciência do  Espírito Reencarnante
A Glândula Pineal e a Perda da Consciência do Espírito ReencarnanteEduardo Henrique Marçal
 
27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica
27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica
27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunicaAntonio SSantos
 
Concentração - Meditação & Viagem Astral
Concentração - Meditação & Viagem AstralConcentração - Meditação & Viagem Astral
Concentração - Meditação & Viagem AstralPaulo José Valente
 
Mediunidade na infancia
Mediunidade na infanciaMediunidade na infancia
Mediunidade na infanciaFEEAK
 
Mediunidade crianças (Fatima)
Mediunidade crianças (Fatima)Mediunidade crianças (Fatima)
Mediunidade crianças (Fatima)Fatima Carvalho
 
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1Augusto Luvisotto
 
Desenvolvimento Mediúnico - aula 4
Desenvolvimento Mediúnico - aula 4Desenvolvimento Mediúnico - aula 4
Desenvolvimento Mediúnico - aula 4Graça Maciel
 
Quarto Módulo - 8ª aula clarividência e vidência
Quarto Módulo - 8ª aula  clarividência e vidênciaQuarto Módulo - 8ª aula  clarividência e vidência
Quarto Módulo - 8ª aula clarividência e vidênciaCeiClarencio
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07Leonardo Pereira
 
Curso básico sobre mediunidade
Curso básico sobre mediunidadeCurso básico sobre mediunidade
Curso básico sobre mediunidadeDirceu Jackson
 
Curso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidadeCurso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidadeFilipe Lima
 

Destaque (20)

O que é transe?
O que é transe?O que é transe?
O que é transe?
 
Fotografias de Macroscopia, Neuro
Fotografias de Macroscopia, Neuro Fotografias de Macroscopia, Neuro
Fotografias de Macroscopia, Neuro
 
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnicoQuarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
Quarto Módulo - 3ª aula - O transe mediúnico
 
18 transe - conceito e tipos
18   transe - conceito e tipos18   transe - conceito e tipos
18 transe - conceito e tipos
 
Epífise ou Glândula Pineal
Epífise ou Glândula PinealEpífise ou Glândula Pineal
Epífise ou Glândula Pineal
 
O Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do DocumentrioO Segredo Apresentao Do Documentrio
O Segredo Apresentao Do Documentrio
 
A Glândula Pineal e a Perda da Consciência do Espírito Reencarnante
A Glândula Pineal e a Perda da Consciência do  Espírito ReencarnanteA Glândula Pineal e a Perda da Consciência do  Espírito Reencarnante
A Glândula Pineal e a Perda da Consciência do Espírito Reencarnante
 
27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica
27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica
27 a epifise e o mecanismo da comunicação mediunica
 
Concentração - Meditação & Viagem Astral
Concentração - Meditação & Viagem AstralConcentração - Meditação & Viagem Astral
Concentração - Meditação & Viagem Astral
 
Mediunidade na infancia
Mediunidade na infanciaMediunidade na infancia
Mediunidade na infancia
 
Mediunidade
MediunidadeMediunidade
Mediunidade
 
Mediunidade crianças (Fatima)
Mediunidade crianças (Fatima)Mediunidade crianças (Fatima)
Mediunidade crianças (Fatima)
 
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1Mediunidade   aula 08 - efeitos inteligentes 1
Mediunidade aula 08 - efeitos inteligentes 1
 
Desenvolvimento Mediúnico - aula 4
Desenvolvimento Mediúnico - aula 4Desenvolvimento Mediúnico - aula 4
Desenvolvimento Mediúnico - aula 4
 
Quarto Módulo - 8ª aula clarividência e vidência
Quarto Módulo - 8ª aula  clarividência e vidênciaQuarto Módulo - 8ª aula  clarividência e vidência
Quarto Módulo - 8ª aula clarividência e vidência
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07
 
Transe mediúnico
Transe mediúnicoTranse mediúnico
Transe mediúnico
 
Curso básico sobre mediunidade
Curso básico sobre mediunidadeCurso básico sobre mediunidade
Curso básico sobre mediunidade
 
Curso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidadeCurso estudo pratica da mediunidade
Curso estudo pratica da mediunidade
 
Cura espiritual da depressão
Cura espiritual da depressãoCura espiritual da depressão
Cura espiritual da depressão
 

Semelhante a Os sete centros de força e sua relação com os chakras

Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a  PinealOs Centros de Força e a  Pineal
Os Centros de Força e a PinealApometria Bauru
 
Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituaispaikachambi
 
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisEvangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisAntonino Silva
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintoniajcevadro
 
Prática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispíritoPrática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispíritoFEEAK
 
Curso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapiaCurso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapiaSergioMello
 
Sistema nervoso katya (2)
Sistema nervoso katya (2)Sistema nervoso katya (2)
Sistema nervoso katya (2)Ana Xavier
 

Semelhante a Os sete centros de força e sua relação com os chakras (20)

Os Centros de Força e a Pineal
Os Centros de Força e a  PinealOs Centros de Força e a  Pineal
Os Centros de Força e a Pineal
 
Chacras Parte II
Chacras   Parte IIChacras   Parte II
Chacras Parte II
 
Corpos Espirituais
Corpos EspirituaisCorpos Espirituais
Corpos Espirituais
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
 
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisEvangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
 
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade  - SintoniaMecanismo das comunicações - Afinidade  - Sintonia
Mecanismo das comunicações - Afinidade - Sintonia
 
Parte 1 cláudia campos
Parte 1   cláudia camposParte 1   cláudia campos
Parte 1 cláudia campos
 
Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892
Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892
Funesdoperespirito 151017123618-lva1-app6892
 
40 curso passe2
40 curso passe240 curso passe2
40 curso passe2
 
40 curso passe2
40 curso passe240 curso passe2
40 curso passe2
 
29297663 curso-de-apometria-nucleo-ramatis
29297663 curso-de-apometria-nucleo-ramatis29297663 curso-de-apometria-nucleo-ramatis
29297663 curso-de-apometria-nucleo-ramatis
 
02 apostila [2]..
02 apostila [2]..02 apostila [2]..
02 apostila [2]..
 
Chacras
Chacras  Chacras
Chacras
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 02 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 02 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 02 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 02 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 02 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -doc - 02 docApostila obsessão   lar rubataiana -doc - 02 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -doc - 02 doc
 
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 02 doc
Apostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 02 docApostila obsessão   lar rubataiana -2009 .doc - 02 doc
Apostila obsessão lar rubataiana -2009 .doc - 02 doc
 
Prática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispíritoPrática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispírito
 
Curso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapiaCurso energizacao ou fluidoterapia
Curso energizacao ou fluidoterapia
 
Sistema nervoso katya (2)
Sistema nervoso katya (2)Sistema nervoso katya (2)
Sistema nervoso katya (2)
 
Apostila neuropsicanálise atual
Apostila neuropsicanálise atualApostila neuropsicanálise atual
Apostila neuropsicanálise atual
 

Os sete centros de força e sua relação com os chakras

  • 2.  O Livro dos Espíritos – Allan Kardec;  O Perispírito – Zalmino Zimmermann;  Energia dos Chakras – Alírio de Cerqueira Filho;  Gestação Sublime Intercâmbio, Ricardo Di Bernardi;  Palestra – A Glândula Pineal – Sérgio Felipe de Oliveira;  Nos Domínios da Mediunidade, Evolução em Dois Mundos e Missionários da Luz – André Luiz;  Aula do curso de desenvolvimento mediúnico do -instituto espírita de educação – SP.
  • 3.  Resumo rápido do Seminário anterior;  Ensaio Teórico Sobre a Sensibilidade dos Espíritos;  Os Centros de Força;  A Pineal;  Raios, Ondas, Médiuns, Mentes...  Conclusões;  Perguntas.
  • 4. As energias dos chakras que trazemos no perispírito são fundamentais para o nosso equilíbrio físico e mental. Dependendo da forma como nos movimentamos frente à vida, essas energias estarão inibidas, congestionadas ou equilibradas. Para mantê-las equilibradas, todo um investimento é necessário. Para tanto, a identificação com as lições do Evangelho de Jesus é imprescindível.
  • 5.
  • 6. 1. O Corpo é o instrumento da dor (causa); 2. A alma tem a percepção da dor (efeito); 3. A alma guarda a lembrança da dor, que ás vezes pode ser muito penosa, mas não pode implicar ação física; 4. A alma não pode nem queimar, nem congelar; Ex: Os amputados continuam a sentir dor. 5. O cérebro conserva sua impressão.
  • 7. Existe algo de análogo nos sofrimentos do Espírito após a morte. Um estudo mais aprofundado do Perispírito, nos lança luz sobre esta questão.
  • 8.  Aparições;  O estado do Espírito no momento da morte;  A idéia dele ainda estar vivo;  O panorama dos suicidas;  O panorama das pessoas que se apegam aos prazeres materiais.
  • 9. - Laço que une o Espírito à matéria do corpo; - Proveniente do fluído universal; - Ligado ao mesmo tempo a eletricidade, ao fluido magnético e, a matéria inerte (até certo ponto) – fluído nervoso; - Quintessência da matéria; - Princípio da vida orgânica; - Agente das sensações exteriores;
  • 10.  Todas as sensações se tornam generalizadas;  O Espírito pode sofrer, mas não é o mesmo sofrimento do corpo físico;  Mas não é um sofrimento exclusivamente moral, pois ele se queixa de frio e calor;
  • 11. A dor é um vago sentimento íntimo, que às vezes nem o Espírito compreende; Ele se desprende do corpo mais ou menos lentamente, experimentando ainda algumas sensações (que não chegam mais por um canal – Ex: ouvido...) ela é geral;
  • 12. Sensações ainda são muito mal desenvolvidas pela materialidade do perispírito;
  • 13. Percebem os sons, odores...através de “vibrações moleculares” em todo seu ser; Ouvem nossa voz, mas nos compreendem sem o auxílio da palavra (transmissão do pensamento); A visão é independente da nossa luz.
  • 14. Perispírito de essência etérea, receberia sensações de encantos indefiníveis no foro íntimo, atribuídas a todo o ser, e não a órgãos específicos.
  • 15.  Ouvem e sentem apenas o que desejam;  São obrigados a escutar os conselhos dos bons Espíritos;  Visão sempre ativa, mas podem se ocultar para os que lhe são inferiores;  Podem se tornar nítidos;  De acordo com seu grau de pureza podem ir ao passado e ao futuro;
  • 16. Nossos sofrimentos podem continuar; Veremos que a maior parte poderia ter sido evitada, através do controle de nossas paixões; Consequências da forma como vivemos; Quanto mais desmaterializado, menos sofrimento experimentaremos;
  • 17. Nos desapegando de nossas paixões: Orgulho; Vaidade; Ódio; Ciúme; Egoísmo; Não dar mais importância que cada coisa merece; Nos desmaterializar ainda encarnados.
  • 18. Estaremos de consciência limpa, e nossos males enquanto encarnados, terão afetado somente o corpo, e não o Espírito; Esta tranquilidade nos isentará de qualquer sofrimento moral; E que se sofremos, foi por nossa escolha, e só deveríamos nos queixar para nós mesmos, tanto neste quanto no outro mundo. *
  • 19.
  • 20.  Acumuladores e distribuidores de energia vital no organismo.  A tradição oriental denomina esses centros de chakras ou tchacras (do sânscrito: roda, círculo,disco,órbita)
  • 22.
  • 23. Nosso corpo de matéria rarefeita está intimamente regido por sete centros de força (coronário, cerebral, laríngeo, cardíaco, esplênico, gástrico e genésico), os quais se conjugam nas ramificações dos plexos e que, vibrando em sintonia uns com os outros, ao influxo do poder diretriz da mente, estabelecem para nosso uso um veículo de células elétricas, que podemos definir como sendo um campo eletromagnético. (André Luiz, Entre a Terra e o Céu)
  • 24.  Plexos: São conjuntos e aglomerados de nervos e gânglios, que regulam a vida do corpo humano. Estão localizados no corpo físico.  Centros de Força: São estações de força espiritual ou fluídica (energia) e formam um campo eletromagnético utilizado pelo Espírito. Relacionam-se diretamente com os plexos do corpo material.  Cada função orgânica corresponde a uma função perispirítica.  Sob o comando dos centros vitais processa-se a interação energética total entre as estruturas física e perispiritual.
  • 25. LOCALIZAÇÃO PLEXOS CHAkRAS BASE DA ESPINHA SACRAL GENÉSICO UMBIGO SOLAR GÁSTRICO BAÇO MESENTÉRICO ESPLÉNICO CORAÇÃO CARDÍACO CARDÍACO GARGANTA LARÍNGEO LARÍNGEO FRONTE FRONTAL FRONTAL ALTO DA CABEÇA PINEAL CORONÁRIO
  • 26. CENTRO DE FORÇA HIPOATIVIDADE ATIVIDADE NORMAL HIPERATIVIDA DE GENÉSICO INSEGURANÇA SEGURANÇA TEMERIDADE GÁSTRICO DESPREZO AO PRAZER PRAZER APEGO AO PRAZER ESPLÊNICO IMPOTÊNCIA PODER ONIPOTÊNCIA/ PREPOTÊNCIA CARDÍACO INDIFERENÇA AMOR APEGO LARÍNGEO SONEGAÇÃO E DESPREZO CONHECIMENTO ABUSO DO CONHECIMENTO FRONTAL CETICISMO INSPIRAÇÃO E INTUIÇÃO MISTICISMO CORONÁRIO DESPREZO A FUNÇÃO TRANSCENDÊNCIA ABUSO DAS FUNÇÕES
  • 27.  Situado na base da coluna vertebral, na região coccígea;  Principal modelador dos estímulos superiores e inferiores da vida orgânica e espiritual do homem;  É a sede do “santuário do sexo, como modelador de novas formas entre os seres, o estabelecimento de estímulos criadores, com vistas ao trabalho, à associação e à realização entre as almas”.  (André Luiz, Evolução em Dois Mundos)
  • 29.  Responsável pela digestão e absorção dos alimentos densos ou menos densos que, de qualquer modo, representam concentrados fluídicos (A.L., Evolução em Dois Mundos)  Confere a sensibilidade (intuições e percepções). Situado sobre o umbigo, tem dez raios, também chamados de "pétalas".  As emoções violentas paralisam a digestão e repercutem sobre o fígado.  Com relação ao campo emocional, este é o chacra mais importante, visto que está situado no ponto em que a energia astral penetra no campo etérico. Ele também está estreitamente relacionado com os chacras do coração e da garganta (laríngeo).
  • 31.  Determina todas as atividades em que se exprime o sistema hemático, dentro das variações de meio e volume sangüíneo,além de promover a distribuição e a circulação adequada dos recursos vitais em todos os escaninhos do veículo de que servimos; (Entre a Terra e o Céu)  Localiza-se na região do baço.
  • 32. CENTRO DE FORÇA HIPOATIVIDADE ATIVIDADE NORMAL HIPERATIVIDADE GÁSTRICO IMPOTÊNCIA PODER ONIPOTÊNCIA/ PREPOTÊNCIA
  • 33.  Responsável pelo equilíbrio e intercâmbio das emoções (sentimentos).  Situa-se sobre o coração  Está ligado às emoções superiores, afetos e sentimentos. Nele residem, por exemplo, a bondade, a afeição, a piedade e também o ódio. O centro do coração está situado a meio caminho entre as omoplatas.  Está ligado às dimensões superiores da consciência e ao senso de existência da pessoa, e está estreitamente relacionado ao chakra coronário
  • 35.  Controla notadamente a respiração e a fonação;  Auxilia no desenvolvimento da audição (sons provindos do plano astral);  Situado sobre a garganta, em frente à cartilagem tireóide;  As ligações do chacra laríngeo com o corpo físico ocorrem através das glândulas tireóide e paratireóide, às quais fornece energia.
  • 37.  Está localizado na fronte, entre as sobrancelhas;  É o chakra da espiritualidade superior.  Está particularmente inter-relacionado com o centro coronário. (em algumas das escrituras tibetanas, ele não é mencionado em separado, sendo considerado parte do "lótus de mil pétalas”)  O centro cerebral contíguo ao coronário, com influência decisiva sobre os demais centros vitais. Ele ordena as percepções de variadas espécies(visão, audição, tato e a rede de processos da inteligência, que dizem respeito à Palavra, à Cultura, à Arte e ao Saber”.  Coordena todo sistema nervoso.
  • 39.  Localizado na região central do cérebro, sede da mente, centro que assimila os estímulos do Plano Superior  Ponto de interação entre as forças determinantes do espírito e as forças fisiopsicossomáticas organizadas.  Dele parte a corrente de energia vitalizante formada de estímulos espirituais com ação difusível sobre a matéria mental que o envolve, transmitindo aos demais centros da alma os reflexos vivos de nossos sentimentos, idéias e ações;
  • 40.  A mente elabora as criações que lhe fluem da vontade, apropriando-se dos elementos que a circundam, e o centro coronário incumbe-se automaticamente de fixar a natureza da responsabilidade que lhes diga respeito, marcando no próprio ser as conseqüências felizes ou infelizes de sua movimentação consciencial no campo do destino. (Evolução em Dois Mundos);  Considerado pela filosofia Hindu como sendo o lótus de mil pétalas.  É o grande assimilador das energias solares e dos raios da Espiritualidade Superior capazes de favorecer a sublimação da alma.
  • 41. CENTRO DE FORÇA HIPOATIVIDADE ATIVIDADE NORMAL HIPERATIVIDADE CORONÁRIO DESPREZO A FUNÇÃO TRANSCENDÊNCIA ABUSO DAS FUNÇÕES
  • 42.  As energias que fluem pelos centros de força possuem uma determinada medida de onda e, por conseqüência, uma cor.
  • 43.  As energias penetram nos centros de força formando raios de cores diferentes.  Quanto mais desenvolvido for o centro de força, maior sua capacidade.  Enquanto no homem comum o Centro de Força se apresenta como um disco quase sem brilho, no ser espiritual, é quase sempre um vórtice luminoso.
  • 44.  Os fluídos espirituais e também os materiais penetram nos centros de força, passam aos plexos e destes ao sistema nervoso e circulatório, transitando por todo o organismo.  Os centros são interdependentes entre si e imprimem reflexos nos órgãos e demais implementos de nossa constituição particular, plasmando em nós próprios os efeitos agradáveis ou desagradáveis de nossa influência e conduta. Em seu conjunto, são responsáveis, portanto, pela distribuição da energia vital e pelo equilíbrio fisiológico do indivíduo *
  • 45.
  • 46.  Denominações comuns: › órgão pineal, › epífise neural, › ou simplesmente pineal  Estrutura única e muito pequena localizada no cérebro;  Participa na regulação endócrina da reprodução, do sistema imunológico e da organização dos ritmos biológicos, atuando como mediadora entre o ciclo claro/escuro ambiental e processos fisiológicos tais como sono/vigília, atividade/repouso, entre outros.
  • 47.  Visível em radiografias; por isso, até recentemente muitos afirmavam que a glândula estava calcificada e era uma estrutura em involução.  Atualmente, foi demonstrado que ela não se calcifica; e, sim, forma cristais de apatita: um mineral incolor composto por fosfato de cálcio que contém urânio em seu interior e, que tem sido muito estudado no Instituto de Física da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).
  • 48.  Em torno do 4º e 5º mês de vida intra-uterina a glândula Pineal já apresenta células e tecido de sustentação, alcançando 2mm de diâmetro. Durante este período, via de regra o espírito reencarnante começa a perder a consciência atingindo rapidamente a total inconsciência.  Na pineal é que as expansões energéticas do psicossoma prendem-se mais profundamente, sendo por isto chamada "a glândula da vida espiritual.
  • 49.  À medida que o desenvolvimento da Pineal se processa cada vez mais se acentua a união com as energias espirituais que impulsionam todo o desenvolvimento fetal modelado pelas matrizes perispirituais.  As modificações que ocorrem na glândula pineal são observáveis até os dois anos de idade. Daí até 6 ou 7 anos, as transformações são muito lentas. É exatamente neste período entre 6 ou 7 anos que a Reencarnação poderia ser considerada como definitiva pois o espírito passa a ter fixação completa ao organismo biológico e principalmente à Pineal
  • 50.  “(...) analisemos a epífise como glândula da vida espiritual do homem. Segregando energias psíquicas, a glândula pineal conserva ascendência em todo o sistema endócrino. Ligada à mente, através de princípios eletromagnéticos do campo vital, que a ciência comum ainda não pode identificar, comanda as forças subconscientes sob a determinação direta da vontade. As redes nervosas constituem-lhe os fios telegráficos para ordens imediatas a todos os departamentos celulares, e sob sua direção efetuam-se os suprimentos de energias psíquicas a todos os armazéns autônomos dos órgãos...". (Missionários da Luz, André Luiz)
  • 51. “Quanto mais lhe notava as singularidades do cérebro, mais admirava a luz crescente que a epífise deixava perceber. A glândula minúscula transformara-se em núcleo radiante e, em derredor, seus raios formavam um lótus de pétalas sublimes. Examinei atentamente os demais encarnados. Em todos eles, a glândula apresentava notas de luminosidade, mas em nenhum brilhava como no intermediário em serviço.” (Missionários da Luz, André Luiz)
  • 52. “-- É a glândula da vida mental. ” (Missionários da Luz, André Luiz)
  • 53. “A epífise preside aos fenômenos nervosos da emotividade, como órgão de elevada expressão no corpo etéreo. Desata, de certo modo, os laços divinos da Natureza, os quais ligam as existências umas às outras, na seqüência de lutas, pelo aprimoramento da alma, e deixa entrever a grandeza das faculdades criadoras de que a criatura se acha investida. (Missionários da Luz, André Luiz)
  • 54.  A glândula pineal conserva ascendência em todo o sistema endócrino.  Ligada à mente, através de princípios eletromagnéticos do campo vital, comanda as forças subconscientes sob a determinação direta da vontade.  As redes nervosas constituem-lhe os fios telegráficos para ordens imediatas a todos os departamentos celulares, e sob sua direção efetuam-se os suprimentos de energias psíquicas a todos os armazéns autônomos dos órgãos.  Manancial criador dos mais importantes, suas atribuições são extensas e fundamentais. (Missionários da Luz, André Luiz)
  • 55. Sérgio Felipe de Oliveira realizou diversos exames neurológicos (como tomografia e eletroencefalograma) em pacientes em transe. “Verificamos a atividade na pineal durante esses momentos. Ela é uma espécie de antena que capta estímulos da alma de outras pessoas, vivas ou mortas, como se fosse um olho sensível à energia eletromagnética”.
  • 56. “Segundo o físico-espiritualista, Dr. Valdir Aguilera, os pensamentos são irradiações ondulatórias produzidas por vibrações do espírito, encarnado ou desencarnado; (...) o ambiente líquido onde a pineal está localizada de certa forma facilitaria a captação dessas ondas vibratórias. Por outro lado, os cristais de apatita que essa glândula contém são capazes de captar campos eletromagnéticos. É provável que seja então a interação desses dois fatores que fazem a pineal atuar como uma verdadeira antena vibrátil; e essa antena será tanto mais sensível quanto maior for o seu conteúdo de apatita”.
  • 57.  A nossa conduta mental (pensamento) se propaga por meio de ondas vibratórias e é causa preponderante de nosso equilíbrio físico e espiritual.  Nosso pensamento conduz o nosso sistema de distribuição de energia.  Centros vitais desequilibrados obrigarão a alma à permanência nas situações de desequilíbrio.  *
  • 58.
  • 59. “A Ciência do século XX, estudando a constituição da matéria, caminha de surpresa em surpresa, renovando aspectos de sua conceituação milenar...
  • 60.  Leucipo - as coisas formadas de partículas infinitesimais (átomos); 500 AC  Dalton - teoria corpuscular da matéria; Séc. XIX  Crookes - surpreende o estado radiante da matéria e estuda os raios catódicos;  Röntgen - conclui pela existência dos raios X;  O casal Curie - detém o rádio;  Rutherford - estudos, em torno da radio- atividade;
  • 61. E, desde o último quartel do século passado, a Terra se converteu num reino de ondas e raios, correntes e vibrações. A eletricidade e o magnetismo, o movimento e a atração palpitam em tudo. O estudo dos raios cósmico evidencia as fantásticas energias espalhadas no Universo, provendo os físicos de poderosíssimo instrumento para investigação dos fenômenos atômicos e subatômicos.
  • 62. Bohrs, Planck, Einstein erigem novas e grandiosas concepções. O veículo carnal agora não é mais que um turbilhão eletrônico, regido pela consciência. Cada corpo tangível é transformado em energia, e esta desaparece para dar lugar à matéria.
  • 63.
  • 64. Químicos e físicos, geômetras e matemáticos, erguidos à condição de investigadores da verdade, são hoje, sem o desejarem, sacerdotes do Espírito, porque, como conseqüência de seus porfiados estudos
  • 65. Os laboratórios são templos em que a inteligência é concitada ao serviço de Deus, e, ainda mesmo quando a celebração se perverte, transitoriamente subornada pela hegemonia política, geradora de guerras, o progresso da Ciência, como conquista divina, permanece na exaltação do bem, rumo a glorioso porvir. O futuro pertence ao Espírito!
  • 66. Quanto mais avança na ascensão evolutiva, mais seguramente percebe o homem a inexistência da morte como cessação da vida. E agora, mais do que nunca, reconhece-se na posição de uma consciência retida entre forças e fluídos, provisoriamente aglutinados para fins educativos.
  • 67. E, na grande romagem, todos somos instrumentos das forças com as quais estamos em sintonia. Todos somos médiuns, dentro do campo mental que nos é próprio, associando-nos às energias edificantes, se o nosso pensamento flui na direção da vida primitivista ou torturada.
  • 68. Cada criatura com os sentimentos emite raios específicos e vive na onda espiritual com que se identifica. Todavia, o que destacamos por mais alto em suas páginas é a necessidade do Cristo no coração e na consciência, para que não estejamos desorientados ao toque dos fenômenos.
  • 69. Sem noção de responsabilidade, sem devoção à prática do bem, sem amor ao estudo e sem esforço perseverante em nosso próprio burilamento moral, é impraticável a peregrinação libertadora para os Cimos da Vida
  • 70. Cada médium com a sua mente. Cada mente com os seus raios,personalizando observações e interpretações. E, conforme os raios que arremessamos, erguer-se-nos-a o domicílio espiritual na onda de pensamentos a que nossas almas se afeiçoam. Isso, em boa síntese, equivale ainda a repetir com Jesus: - A cada qual segundo suas obras. *
  • 71.  Em 2012 Serge Haroche, junto com David Wineland, foi condecorado com o prêmio Nobel de Física, por inovadores métodos experimentais que permitem a medição e a manipulação de partículas quânticas individuais. Haroche e Wineland pesquisam o campo de óptica quântica, que lida com a interação entre luz e matéria. Trabalhando separadamente e com "métodos laboratoriais engenhosos", os dois cientistas conseguiram medir e controlar os estados quânticos frágeis que haviam sido teorizados como impossíveis de serem observados diretamente. Wineland conseguiu um método para captar íons, átomos carregados, e medi-los com luz, enquanto Haroche controlou e mediu fótons, partículas que constituem a luz. 4
  • 72. “Não ignoramos que o Universo, a estender-se no Infinito, por milhões e milhões de sóis, é a exteriorização do Pensamento Divino, de cuja essência partilhamos, em nossa condição de raios conscientes da Eterna Sabedoria, dentro do limite de nossa evolução espiritual. Da superestrutura dos astros à infra-estrutura subatômica, tudo está mergulhado na substância viva da Mente de Deus, como os peixes e as plantas da água estão contidos no oceano imenso. Filhos do Criador, d’Ele herdamos a faculdade de criar e desenvolver, nutrir e transformar.”
  • 73. Os Anjos ou Ministros da Eterna Sabedoria entregam-nos, com segurança, às forjas renovadoras do tempo e da provação. Sabe- se, atualmente, na Terra, que um grama de rádio perde a metade do seu peso em dezesseis séculos e que um ciclotron, trabalhando com projeteis atômicos acelerados a milhões de electrons-volt, realiza a transmutação dos elementos químicos, de imediato. A evolução vagarosa nos milênios ou o choque brusco do sofrimento alteram-nos o panorama mental, aprimorando-lhes os valores.
  • 74. A alma se liga ao corpo pela glândula Pineal – Rene Decartes – A alma e o Corpo - Livro A glândula pineal é a único órgão do corpo que lida com a dimensão espaço tempo e o tempo é a quarta dimensão segundo Einsten, ela que dita o ritmo do organismo através desta conexão astrofísica. A pineal é a glândula que lida com a quarta dimensão e se há vida após a morte ela é da quarta dimensão pra Lá.
  • 75. “Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora, sonha. Quem olha para dentro, acorda.”
  • 76. “Deus não habita em casas feitas por mãos humanas”