A fundamentação da medicina

287 visualizações

Publicada em

A medicina através dos Períodos Paleolítico, Neolítico e o Mundo Grego e Romano.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
287
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A fundamentação da medicina

  1. 1. Saúde, Doença e Cuidado: complexidade teórica e necessidade histórica O Território e o processo saúde-doença
  2. 2. Integrantes  Gabriela Oliveira Gomes Cordeiro  Karyna Duarte Alcântara  Natália Pereira de Oliveira  Olavo Grangeiro
  3. 3. Introdução  Pré-história e os períodos Paleolítico e Neolítico e os rituais medicinais  Da pré-história às grandes primeira sociedades, Grécia e Roma. A evolução da medicina e das condições de vida
  4. 4. Período Paleolítico  Dividido em Inferior, Médio e Superior  Idade da pedra lascada  ~ 4 milhões à 10 mil anos atrás  Caçadores-coletores  Nomadismo  Habitação das Cavernas  Descoberta e domínio do fogo
  5. 5. A paleoepidemiologia e os rituais  As doenças e desastres associadas a castigos ou maldições divinas  A cultura de enterrar entes queridos  O fogo e os outros elementos da natureza considerados como Deuses  O vínculo entre os curandeiros e o doente no processo da cura
  6. 6. O homem paleolítico O homem moderno
  7. 7. Período Neolítico  10.000 a 7.000 a.C.  A fixação do homem à terra;  A importância de se reassociar as dimensões espirituais e ambientais às dimensões social, biológica e psicológica em que se insere a vida humana
  8. 8. As Primeiras Explicações Racionais: a medicina hipocrática
  9. 9. Asclépio e suas filhas
  10. 10. Asclépius ou Esculápio
  11. 11. Panacea
  12. 12. Hygea
  13. 13.  Médicos eram grandes filósofos  Procuravam entender a relação do homem com a natureza  Relacionavam saúde e doença com processos naturais
  14. 14. Hipócrates  Ares, Águas e Lugares  Epidemia e Endemia  responsáveis pela endemicidade local o clima, o solo, a água, o modo de vida e a nutrição.
  15. 15. O Juramento de Hipócrates  Prefácio  São estes os estatutos da arte médica que o aluno deve aceitar e confirmar por juramento, Contêm os preceitos sobre a gratidão para com o professor; sobre a integridade do doente e sobre os mais graves casos cirúrgicos não curáveis, como a extracção de cálculos da bexiga, como se debus pela divisão da medicina em três partes, Os antigos aceitavam-na, os Mercuriales rejeitam-na,  Argumento  Os deveres que o médico deve ter para com o professor e para com a profissão são: a integridade de vida, a assistência aos doentes e o desprezo pela sua própria pessoa,  Juramento  Juro por Apolo Médico, por Esculápio por Hígia (ou Hygéia, ou ainda Higeia) por Panaceia e por todos os Deuses e Deusas que acato este juramento e que o procurarei cumprir com todas as minhas forças físicas e intelectuais,  Honrarei o professor que me ensinar esta arte como os meus próprios pais; partilharei com ele os alimentos e auxiliá-lo-ei nas suas carências,  Estimarei os filhos dele como irmãos e, se quiserem aprender esta arte, ensiná-la-ei sem contrato ou remuneração.  A partir de regras, lições e outros processos ensinarei o conhecimento global da medicina, tanto aos meus filhos e aos daquele que me ensinar, como aos alunos abrangidos por contrato e por juramento médico, mas a
  16. 16.  A vida que professar será para benefício dos doentes e para o meu próprio bem, nunca para prejuízo deles ou com malévolos propósitos.  Mesmo instado, não darei droga mortífera nem a aconselharei; também não darei pessário abortivo às mulheres.  Guardarei castidade e santidade na minha vida e na minha profissão.  Operarei os que sofrem de cálculos, mas só em condições especiais; porém, permitirei que esta operação seja feita pelos praticantes nos cadáveres,  Em todas as casas em que entrar, fá-lo-ei apenas para benefício dos doentes, evitando todo o mal voluntário e a corrupção, especialmente a sedução das mulheres, dos homens, das crianças e dos servos,  Sobre aquilo que vir ou ouvir respeitante à vida dos doentes, no exercício da minha profissão ou fora dela, e que não convenha que seja divulgado, guardarei silêncio como um segredo religioso,  Se eu respeitar este juramento e não o violar, serei digno de gozar de reputação entre os homens em todos os tempos; se o transgredir ou violar que me aconteça o contrário.
  17. 17. Medicina Romana  O ensino da Medicina; - Alexandria: grande centro de Medicina da Antiguidade - Asclepíades;  Literatura Médica: - Celso - Aretaeus - Rufus de Éfeso - Galeno - Soranus de Éfeso
  18. 18.  A Profissão – Especialidades: - Clinici - Fannius - Eros - Alcon - Medici Oculari  Medicamentos - Raízes, ervas - Laserpicium (laserpício) - Colírios (resina de mirra, açafrão)
  19. 19. Conclusão “Buscar a saúde é questão não só de sobrevivência, mas de qualificação da existência.” Boaventura de Souza Santos

×