O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

O Pragmatismo Analítico de Brandom: Apresentando um Metavocabulário Pragmático

Apresentação para o mestrado de Filosofia da UFPB (2017), na disciplina de Lógica 1.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O Pragmatismo Analítico de Brandom: Apresentando um Metavocabulário Pragmático

  1. 1. O Pragmatismo Analítico de Brandom Apresentando um Metavocabulário Pragmático Aislan Fernandes (UFPB) aislanfp@gmail.com
  2. 2. Robert Bob Brandom  Professor destacado da universidade de Pittsburgh  Livros (com iniciativas ortogonais)  Making It Explicit [1994]  Between Saying and Doing: Towards an Analytic Pragmatism [2007]  Conferências  Analytic Pragmatism, Expressivism, and Modality - The 2014 Nordic Pragmatism Lectures
  3. 3. Filosofia Analítica  Preocupação central -> as relações semânticas entre "vocabulários"  Em forma de questão -> se faz e em qual modo se pode fazer sentido os significados expressos por um tipo de locução em termos dos significados expressos por outro tipo de locução  A natureza do tipo chave dessas relações tem sido caracterizada como análise, definição, paráfrase, tradução, redução de diferentes tipos, truth-making, etc. Semântica = o estudo dos significados expressos por diferentes vocabulários Pragmática = o estudo do uso de vocabulários
  4. 4. Relação entre vocabulários  Dada uma relação entre analysandum (vocabulário alvo) e analysans (vocabulário base)  "Logicismo semântico" (o “projeto clássico de análise”)  A postura da filosofia analítica clássica  O vocabulário lógico tem um papel privilegiado no estabelecimento dessa relação  Grundgesetze de Frege e Principia de Russell e Whitehead  Exemplo no empirismo  Vocabulário base -> vocabulário fenomênico, expressando como as coisas parecem  Vocabulário alvo -> vocabulário objetivo, formulando reivindicações sobre como as coisas realmente são
  5. 5. Pragmatismo Analítico  Objetivo -> estender o “projeto clássico de análise”  Uma nova maneira de pensar sobre linguagem, especialmente sobre as relações entre significado e uso, ou entre o que é dito e a atividade de dizer.  Uma abordagem para a filosofia da linguagem  Em sua forma mais ambiciosa -> uma lógica das relações entre significado e uso (das relações de uso-significado) A visão que somente a explanação que poderia haver, de como um significado se obtém de sua associação com um vocabulário, seria encontrada no uso desse vocabulário: as práticas pelas quais esse significado é conferido ou as habilidades cujo exercício constitui a implementação de um vocabulário com esse significado.
  6. 6. A análise de uso-significado Um método geral para representação formal em diagramas Das relações de uso-significado Das relações entre práticas ou habilidades práticas e vocabulários Das relações que são Relações Semânticas Interpostas Pragmaticamente O excesso de ênfase na composicionalidade semântica negligenciou essas relações
  7. 7. O diagrama da análise de uso-significado V’ P V 1: Suf- PV 2: Suf- VP Res: VV- 1,2 Relações Semântico- Pragmáticas 2 básicas 1 complexa Relação semântica interposta pragmaticamente
  8. 8. Relações básicas de uso-significado Suficiência-PV • Relação (de uso-significado) de suficiência prático- vocabular (Suf-PV) • Quando exercitar um conjunto específico de habilidades conta como implementando [é suficiente para implementar] um vocabulário específico Suficiência-VP • Relação (de uso-significado) de suficiência vocabular- prática (Suf-VP) • Quando um vocabulário conta como especificando [é suficiente para especificar] certas práticas
  9. 9. V’ P V 1: Suf- PV 2: Suf- VP Res: VV- 1,2 Relação complexa de uso-significado  Relação Semântica Interposta Pragmaticamente  Relação vocabular-vocabular (relação-VV) das relações básicas  Quando as práticas de suficiência-VP são as práticas da relação suficiência-PV  Dizer’ [V’ de VP] o que deve fazer [P] para dizer [V de PV]  Dizer o que se deve fazer de modo a contar como dizendo coisas expressadas pelo vocabulário V  V’ (a espécie mais simples) é um metavocabulário pragmático para V.  De um tipo distinto, bem diferente de, por exemplo, de definibilidade, transdutibilidade, reduzibilidade, e superveniência.
  10. 10. V’ Ler (reconhecer), Escrever (produzir) ‘hahaha!’, ‘hohoho!’, ‘hahahoho!’, ‘hohoha!’... 1: Suf-PV 2: Suf-VP Res: VV-1,2 Uma relação sintática (não semântica) interposta pragmaticamente para a risada do Papai Noel O próprio dígrafo é um vocabulário
  11. 11. Para outras questões mais avançadas  Essa relação de ser um metavocabulário pragmático é filosoficamente interessante para outras questões mais avançadas  O fenômeno do “pragmatic expressive bootstrapping”  A noção relevante do poder expressivo relativo dos vocabulários, e a aplicação da hierarquia de Chomsky  O triângulo de ferro da discursividade (a prática discursiva autônoma)  Elaboração algorítmica é um tipo de lógica de habilidades práticas

×