Movimento

2.814 visualizações

Publicada em

Partilha de Materiais de Educação Tecnológica-2014

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
73
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Movimento

  1. 1. Educação Tecnológica ANO LETIVO 2013 / 2014 MOVIMENTO 6º Ano
  2. 2. MOVIMENTO Variação no espaço Variação no tempo Retilíneo Curvilíneo Periódico Uniforme Acelerado Trajetória Referencial
  3. 3. Dimensão: Representação MOVIMENTO Quando é que existe movimento? Quando um corpo se desloca no espaço.
  4. 4. O Movimento pode variar no espaço e no tempo. MOVIMENTO – VARIAÇÃO NO ESPAÇO O que é a trajetória? É o trajeto percorrido por um corpo/objeto, de um ponto ao outro, num determinado espaço. Se a trajetória é em linha reta chama-se trajetória retilínea Ex: Avião; comboio A B Se a trajetória é em linhas curvas chama-se trajetória curvilínea Ex: Ondas do mar; avião B C
  5. 5. MOVIMENTO – VARIAÇÃO NO TEMPO Qualquer corpo ou objeto demora determinado tempo a percorrer uma trajetória Dá origem a 3 tipos de movimento: O Movimento é periódico, quando o objeto se move em intervalos de tempo regulares. Ex: O pêndulo do relógio. O Movimento é uniforme, quando não altera a sua velocidade. Ex: Um carrossel. O movimento é acelerado ou desacelerado, quando a sua velocidade varia. Ex: Os carros numa corrida de automóveis.
  6. 6. O Movimento - referencial Para sabermos que um corpo está em movimento, precisamos de comparar o objeto ou corpo que se move com o que está à sua volta. A esse conjunto de informações dá-se o nome de referencial. O referencial muda, de acordo com o observador. Exemplos: Numa estação de comboios: Se o observador olhar pela janela verifica que o comboio está em movimento mas se o mesmo observador olhar só para dentro do comboio perece-lhe que está em repouso. Assim, o movimento é sempre relativo dependendo de quem o observa e do referencial do observador.
  7. 7. FIM

×