SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS
INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS
DEPARTAMENTO DE FÍSICA
Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina
(POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV
Manaus – AM
2014
ADRIANO DE SOUZA SILVA
Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina
(POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV
Monografia apresentada ao Departamento de Física, do Instituto de Ciências Exatas,
da Universidade Federal do Amazonas, como requisito parcial para obtenção do
título de Licenciatura em Física.
Orientador: Prof. Dr. Edgar Aparecido Sanches
Manaus – AM
2014
“Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio
da vida. Ninguém, exceto tu, só tu. Existem, por certo, atalhos sem números, e pontes, e
semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio; mas isso te custaria a tua própria
pessoa; tu te hipotecarias e te perderias. Existe no mundo um único caminho por onde só tu
podes passar. Onde leva? Não perguntes, segue-o!”
NIETZCHE, F.
AGRADECIMENTOS
À minha mãe, Maria José, e minhas irmãs Denize, Marina e Juliana, por acreditarem
fortemente em mim e por depositarem seus esforços e investimentos... Consegui chegar ao
fim! Aos meus outros familiares, por também acreditarem, especialmente tia Mirta, meu
padrasto e meu pai.
Ao Prof. Dr. Edgar Aparecido Sanches pela orientação, observações oportunas,
conversas sobre polímeros e cristalografia, por possibilitar conhecer a Dra. Yvonne Primerano
Mascarenhas, por proporcionar uma convivência e relação harmoniosa entre orientador e
orientando e, sobretudo, pela paciência na realização deste trabalho.
À Profa. Dra. Marta Silva dos Santos Gusmão pela oportunidade de participação no
PIBID e pelos mais de 2 anos de experiências no projeto. Aos demais professores do
Departamento de Física pelos seus bons e muito duros ensinamentos durante esses anos de
curso, os quais contribuíram de modo direto e indireto para meu crescimento e
amadurecimento profissional.
Aos meus amigos de área, Joelma Maria e Adriano Carolino, pelas inúmeras ajudas
computacionais, companhia, momentos felizes, tristes e de tensão – até assaltados juntos
fomos, rs! Aos outros amigos de curso: Adriane Reis, Meg Caroliny, Cássio Maciel, pelos
momentos proporcionados, quer felizes ou de raiva, porque reunir esse grupo... Vou te contar
oh!
Aos Laboratórios de Cristalografia e de Nanomedicina e Nanotecnologia do Instituto
de Física de São Carlos (IFSC/USP) pelas medidas de DRX e pelas medidas de
condutividade. Ao Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica da Universidade
Federal de São Carlos (LIEC/UFSCar) pelas imagens de MEV. À empresa Nanomed
Nanotecnologia – São Carlos/SP, pelas medidas de FTIR e à Dra. Ana Carolina Mafud pela
contribuição computacional na modelagem da cela unitária da POEA-ES.
A todos, uma breve saudação: “Uhuuu...”.
RESUMO
SILVA, A. S. Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de
Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV. Monografia
(Licenciatura em Física), Departamento de Física, Instituto de Ciências Exatas, Universidade
Federal do Amazonas, Manaus, 2014.
A Polianilina (PANI) tem sido um material muito promissor em aplicações tecnológicas
devido à facilidade de síntese e dopagem relacionadas à elevada condutividade elétrica, baixo
custo do monômero e à estabilidade em temperatura ambiente. A introdução de grupos
funcionais polares e alquila à cadeia principal da PANI é um artifício para se obter polímeros
solúveis em uma maior variedade de solventes orgânicos. A Poli(o-etoxianilina) (POEA) é
um dos derivados da PANI e sua diferença estrutural está na presença do grupo na
posição orto dos anéis de carbono, sendo bastante estudada na forma de pó ou de filmes.
Apesar do grande número de trabalhos realizados com a PANI e seus derivados, são poucos
os que focam em um estudo estrutural desses materiais na forma dopada (ES). A Poli(o-
etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) foi sintetizada em tempos de polimerização de
e . Através das medidas de DRX foi observado que os tempos de polimerização
não promoveram diferenças estruturais nos polímeros sintetizados. Foram encontrados na
amostra da POEA-ES picos em e em . O percentual de
cristalinidade foi calculado através do programa Peak Fitting Module e mostrou que a POEA-
ES apresentou de cristalinidade. A análise de Espectroscopia de Absorção no
Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR) possibilitou identificar bandas de
absorção características de ligações e átomos presentes na estrutura da POEA-ES. Através da
Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) foi possível observar partículas de tamanhos
micrométricos variados, com morfologias semelhantes à microesferas vesiculares
interconectadas. Com o Ajuste LeBail, observou-se que a POEA-ES apresentou cristalitos da
ordem de . Através do método de van der Pauw foi possível calcular a condutividade
para POEA-ES, com valor em torno de . Analisar coerentemente os resultados
obtidos através de cada uma das técnicas utilizadas e compreender um pouco mais a estrutura
dos materiais poliméricos é fundamental para relatar suas propriedades e contribuir com
informações para esta classe de materiais que está em ascensão.
Palavras-chave: Polianilina. POEA-ES. FTIR. DRX. Ajuste LeBail. MEV.
ABSTRACT
SILVA, A. S. Structural and Morphological Characterization of Poly(o-ethoxyaniline)
Emeraldine-salt (POEA-ES) by FTIR, XRD, LeBail Fit and SEM. Monografia
(Licenciatura em Física), Departamento de Física, Instituto de Ciências Exatas, Universidade
Federal do Amazonas, Manaus, 2014.
Polyaniline (PANI) has been a very promising material in technological applications because
of its ease of synthesis and doping related to high electrical conductivity, low cost of
monomer and stability at room temperature. The introduction of polar functional and alkyl
groups into the main chain of PANI is a mechanism to obtain soluble polymers in a wider
variety of organic solvents. Poly(o-ethoxyaniline) (POEA) is a derivative of PANI and its
structural difference is the presence of the group in the ortho position of the
carbon rings, been extensively studied in the form of powder or films. Despite the large
number of studies performed with PANI and its derivatives, there are few that focus on a
structural study of these materials in doped form (ES). Poly(o-ethoxyaniline) Emeraldine-salt
(POEA-ES) was synthesized in polymerization times of and . Through XRD
measurements it were observed that the increasing polymerization times did not cause
structural changes in polymers. It were found in XRD patterns peaks at
and . The crystallinity percentage was calculated using the
Peak Fitting Module Program and showed that POEA-ES has around of crystallinity.
The analysis of Fourier Transform Infrared Espectroscopy (FTIR) allowed us to identify
characteristic absorption bands and atoms in the structure of POEA-ES. By Scanning Electron
Microscopy (SEM) it was observed micrometric particles of varying sizes, with morphologies
similar to the interconnected vesicular microspheres. With LeBail Fit, it was observed that the
POEA-ES crystallites are presented in the order of . Through van der Pauw method it
was found a value of for POEA-ES conductivity. Coherently analyze the
results obtained by each of the techniques used and understand a little more the structure of
polymeric materials is crucial to report their properties and contribute information to this class
of materials is on the rise.
Keywords: Polyaniline. POEA-ES. FTIR. XRD. LeBail Fit. SEM.
LISTA DE FIGURAS
Figura 1 - Tetrâmero da POEA na forma Sal de Esmeraldina (POEA-ES)........................... 14
Figura 2 - Diagrama de condutividade elétrica para diferentes materiais ........... 17
Figura 3 - (a) Sobreposição dos orbitais híbridos para formação da ligação ; (b)
Formação da ligação perpendicular ao plano que contém a ligação ; (c) Sistema -
conjugado deslocalizado acima e abaixo da cadeia polimérica ............................................. 18
Figura 4 - Fórmulas estruturais das cadeias poliméricas de alguns polímeros condutores
intrínsecos e suas respectivas condutividades eletrônicas ..................................................... 19
Figura 5 - Forma reduzida, ; e oxidada da estrutura química de polianilinas...... 20
Figura 6 - Estados de oxidação mais importantes da Polianilina: Leucoesmeraldina,
Esmeraldina (isolante e condutora) e Pernigranilina. *Os valores numéricos referem-se ao
comprimento de onda (nm) onde a absorção é máxima ........................................................ 21
Figura 7 - Diagrama esquemático da síntese da POEA-ES ................................................. 23
Figura 8 - Geometria da difração de Bragg por um cristal ................................................... 24
Figura 9 - Difratômetro de raios X com geometria Bragg-Brentano..................................... 26
Figura 10 - Modelo de micela franjada. Cadeias se arranjam de forma regular, umas ao lado
das outras, em algumas regiões dentro da massa polimérica ................................................. 28
Figura 11 - Difratograma refinado: difratograma observado (vermelho), calculado (preto) e a
diferença entre eles (azul) para a amostra estudada neste trabalho, POEA-ES (1,0M , ).
As linhas verticais (verdes) representam as reflexões de Bragg ............................................ 30
Figura 12 - Espectros de FTIR para amostras da POEA-ES obtidas em diferentes tempos de
síntese.................................................................................................................................. 36
Figura 13 - Espectro de FTIR para POEA-ES, .............................................................. 37
Figura 14- Difratogramas da POEA-ES obtidos em e de síntese......................... 39
Figura 15 - Decomposição dos picos da POEA-ES.............................................................. 40
Figura 16 - Evolução do Ajuste LeBail para POEA-ES: (a) difratograma simulado a partir
dos dados de Evain et al. (2002) do arquivo .cif; (b) incorporação dos dados de entrada: opção
pelo Ajuste LeBail, Harmônicos Esféricos e alteração dos parâmetros de cela e ; (c) e (d)
ajuste da largura dos picos; (e) ajuste dos parâmetros de cela unitária e (f) ajuste da largura
dos picos e parâmetros de cela unitária ................................................................................ 43
Figura 17 - Visualização dos cristalitos da POEA-ES nas direções e ,
respectivamente .................................................................................................................. 44
Figura 18 - Visualização dos cristalitos em .................................................................... 44
Figura 19 - Ajuste LeBail para POEA-ES e suas principais reflexões.................................. 45
Figura 20 - Cela unitária para POEA-ES. Átomos verdes , azuis , vermelhos ,
cinzas e brancos ......................................................................................................... 47
Figura 21 - Imagens de MEV da POEA-ES com aumentos de: (a) 15000x, (b) 16000x, (c)
34000x e (d) 38000x ........................................................................................................... 49
Figura 22 - Secção transversal reta de uma amostra de comprimento e área .................. 50
LISTA DE TABELAS
Tabela 1 - Absorções características da POEA-ES na região do infravermelho.................... 38
Tabela 2 - Ajuste LeBail para POEA-ES: parâmetros e volume de cela unitária, tamanho
médio do cristalito e anisotropia, tamanho dos cristalitos nas direções e e
fatores de discordância e ........................................................................... 46
Tabela 3 - Valores de condutividade para PANI-ES, POMA-ES e POEA-ES...................... 52
LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS
APS Peroxidissulfato de Amônio
CIF Crystallographic Information File
DRX Difração de Raios X
ES Sal de Esmeraldina
FTIR Fourier Transform Infrared Espectroscopy
ICP Intrinsically Conducting Polymers
IFSC Instituto de Física de São Carlos
LIEC Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica
MEV Microscopia Eletrônica de Varredura
MIC Micro-Structural Analysis from FULLPROF
PANI Polianilina
PANI-ES Polianilina Sal de Esmeraldina
PIBID Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência
POEA Poli(o-etoxianilina)
POEA-EB Poli(o-etoxianilina) Base de Esmeraldina
POEA-ES Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina
POMA-ES Poli(o-metoxianilina) Sal de Esmeraldina
SEM Scanning Electron Microscopy
UFSCar Universidade Federal de São Carlos
USP Universidade de São Paulo
XRD X-Rays Diffraction
LISTA DE SÍMBOLOS
Parâmetros de cela unitária, medidos em angstroms
Parâmetros de cela unitária, medidos em graus
Comprimento de onda
Ângulo de contagem entre a direção de incidência do feixe e o plano da
amostra
Distância interplanar
Distância entre os planos da família
Índices de Miller
Intensidade de fótons difratados por unidade de tempo
Posição angular
Radiação referente a linha alfa do elemento cobre
Função minimização
Peso estatístico observado no ponto
Quantidade total de pontos que constituem o difratograma
Intensidade do perfil do difratograma observada
Intensidade do perfil do difratograma calculada
Quadrado do desvio padrão estimado
Fator de perfil
Fator de perfil ponderado
Fator de perfil esperado
Qui-quadrado
Fator de qualidade do ajuste
Intensidade integrada observada da reflexão
Intensidade integrada calculada da reflexão
Fator de estrutura observado da reflexão
Fator de estrutura calculado da reflexão
Parâmetros de largura a meia altura característico do equipamento
Parâmetros associado a microdeformações de cela unitária
Parâmetros de dependência do tamanho do cristalito
Funções implícitas de dependência do tamanho e microdeformações de
cela unitária
Contribuição Lorentziana para alargamentos anisotrópicos
Contribuição de tamanho para largura integral da reflexão
Número quântico de momento angular orbital
Número quântico magnético
Coeficientes da série dos harmônicos esféricos
Harmônicos esféricos reais
Ângulos polares do vetor em relação aos eixos cristalográficos
Polinômio de Legrende
Diferença de potencial, tensão
Resistência elétrica
Corrente elétrica
Resistividade elétrica
Condutividade elétrica
Comprimento de seção transversal
Área
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO............................................................................................................... 13
1.1 Conceitos Básicos sobre Materiais Poliméricos .......................................................... 15
1.2 Polímeros Condutores Intrínsecos (ICPs).................................................................... 16
1.3 Polianilina (PANI) e seus Derivados........................................................................... 20
2 MATERIAIS E MÉTODOS ........................................................................................... 23
2.1 Síntese da POEA-ES .................................................................................................. 23
2.2 Difração de Raios X (DRX)........................................................................................ 24
2.2.1 Lei de Bragg........................................................................................................ 24
2.2.2 Amostras Policristalinas .......................................................................................... 25
2.2.3 Coleta de Dados................................................................................................... 27
2.3 Estimativa do Percentual de Cristalinidade ................................................................. 27
2.4 Refinamento Estrutural............................................................................................... 29
2.4.1 Ajuste LeBail ...................................................................................................... 29
2.5 Coleta e tratamento de dados...................................................................................... 34
2.7 Espectroscopia de Absorção no Infravermelho (FTIR) ............................................... 35
2.8 Medidas de Condutividade ......................................................................................... 35
3 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS.......................................................... 36
3.1 Espectros de FTIR...................................................................................................... 36
3.2 DRX e Estimativa do Percentual de Cristalinidade ..................................................... 38
3.3.1 Determinação da Cela Unitária e Etapas do Ajuste LeBail ................................... 41
3.4 MEV.......................................................................................................................... 47
3.5 Medidas de condutividade.......................................................................................... 50
CONCLUSÃO.................................................................................................................... 53
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .............................................................................. 54

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Aula 11: A barreira de potencial
Aula 11: A barreira de potencialAula 11: A barreira de potencial
Aula 11: A barreira de potencialAdriano Silva
 
Aula 6: O caso estacioário em uma dimensão
Aula 6: O caso estacioário em uma dimensãoAula 6: O caso estacioário em uma dimensão
Aula 6: O caso estacioário em uma dimensãoAdriano Silva
 
Aula 14: O poço de potencial infinito
Aula 14: O poço de potencial infinitoAula 14: O poço de potencial infinito
Aula 14: O poço de potencial infinitoAdriano Silva
 
Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...
Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...
Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...Adriano Silva
 
Aula 21: Exercícios
Aula 21: ExercíciosAula 21: Exercícios
Aula 21: ExercíciosAdriano Silva
 
Aula 10: Exercícios
Aula 10: ExercíciosAula 10: Exercícios
Aula 10: ExercíciosAdriano Silva
 
Aula 15: O oscilador harmônico
Aula 15: O oscilador harmônicoAula 15: O oscilador harmônico
Aula 15: O oscilador harmônicoAdriano Silva
 
Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...
Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...
Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...Adriano Silva
 
Aula 19: O operador momento angular
Aula 19: O operador momento angularAula 19: O operador momento angular
Aula 19: O operador momento angularAdriano Silva
 
Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...
Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...
Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...Adriano Silva
 
Aula 4: Função de onda e Equação de Schrödinger
Aula 4: Função de onda e Equação de SchrödingerAula 4: Função de onda e Equação de Schrödinger
Aula 4: Função de onda e Equação de SchrödingerAdriano Silva
 
Aula 20: O átomo de hidrogênio
Aula 20: O átomo de hidrogênioAula 20: O átomo de hidrogênio
Aula 20: O átomo de hidrogênioAdriano Silva
 
Aplicações da equação de Schrödinger independente do tempo
Aplicações da equação de Schrödinger independente do tempoAplicações da equação de Schrödinger independente do tempo
Aplicações da equação de Schrödinger independente do tempoLucas Guimaraes
 
Exercicios resolvidos quantica
Exercicios resolvidos   quanticaExercicios resolvidos   quantica
Exercicios resolvidos quanticaPedro Debossam
 
Aula 5: Operador momento e energia e o princípio da incerteza
Aula 5: Operador momento e energia e o princípio da incertezaAula 5: Operador momento e energia e o princípio da incerteza
Aula 5: Operador momento e energia e o princípio da incertezaAdriano Silva
 
Aula 9 ensaio de ultrasom
Aula 9   ensaio de ultrasomAula 9   ensaio de ultrasom
Aula 9 ensaio de ultrasomAlex Leal
 
Questões Corrigidas, em Word: Física Moderna - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word:  Física Moderna  - Conteúdo vinculado ao blog  ...Questões Corrigidas, em Word:  Física Moderna  - Conteúdo vinculado ao blog  ...
Questões Corrigidas, em Word: Física Moderna - Conteúdo vinculado ao blog ...Rodrigo Penna
 

Destaque (17)

Aula 11: A barreira de potencial
Aula 11: A barreira de potencialAula 11: A barreira de potencial
Aula 11: A barreira de potencial
 
Aula 6: O caso estacioário em uma dimensão
Aula 6: O caso estacioário em uma dimensãoAula 6: O caso estacioário em uma dimensão
Aula 6: O caso estacioário em uma dimensão
 
Aula 14: O poço de potencial infinito
Aula 14: O poço de potencial infinitoAula 14: O poço de potencial infinito
Aula 14: O poço de potencial infinito
 
Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...
Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...
Quatro alternativas para resolver a equação de Schrödinger para o átomo de hi...
 
Aula 21: Exercícios
Aula 21: ExercíciosAula 21: Exercícios
Aula 21: Exercícios
 
Aula 10: Exercícios
Aula 10: ExercíciosAula 10: Exercícios
Aula 10: Exercícios
 
Aula 15: O oscilador harmônico
Aula 15: O oscilador harmônicoAula 15: O oscilador harmônico
Aula 15: O oscilador harmônico
 
Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...
Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...
Aula 17: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. Part...
 
Aula 19: O operador momento angular
Aula 19: O operador momento angularAula 19: O operador momento angular
Aula 19: O operador momento angular
 
Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...
Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...
Aula 18: Separação da equação de Schrödinger em coordenadas cartesianas. 2 Pa...
 
Aula 4: Função de onda e Equação de Schrödinger
Aula 4: Função de onda e Equação de SchrödingerAula 4: Função de onda e Equação de Schrödinger
Aula 4: Função de onda e Equação de Schrödinger
 
Aula 20: O átomo de hidrogênio
Aula 20: O átomo de hidrogênioAula 20: O átomo de hidrogênio
Aula 20: O átomo de hidrogênio
 
Aplicações da equação de Schrödinger independente do tempo
Aplicações da equação de Schrödinger independente do tempoAplicações da equação de Schrödinger independente do tempo
Aplicações da equação de Schrödinger independente do tempo
 
Exercicios resolvidos quantica
Exercicios resolvidos   quanticaExercicios resolvidos   quantica
Exercicios resolvidos quantica
 
Aula 5: Operador momento e energia e o princípio da incerteza
Aula 5: Operador momento e energia e o princípio da incertezaAula 5: Operador momento e energia e o princípio da incerteza
Aula 5: Operador momento e energia e o princípio da incerteza
 
Aula 9 ensaio de ultrasom
Aula 9   ensaio de ultrasomAula 9   ensaio de ultrasom
Aula 9 ensaio de ultrasom
 
Questões Corrigidas, em Word: Física Moderna - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word:  Física Moderna  - Conteúdo vinculado ao blog  ...Questões Corrigidas, em Word:  Física Moderna  - Conteúdo vinculado ao blog  ...
Questões Corrigidas, em Word: Física Moderna - Conteúdo vinculado ao blog ...
 

Semelhante a Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV

PhD Thesis of Rafael Cossiello
PhD Thesis of Rafael CossielloPhD Thesis of Rafael Cossiello
PhD Thesis of Rafael CossielloRafael Cossiello
 
Eletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_cama
Eletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_camaEletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_cama
Eletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_camaadalberto miran
 
Conteúdos de Química_EM.cdr.pdf
Conteúdos de Química_EM.cdr.pdfConteúdos de Química_EM.cdr.pdf
Conteúdos de Química_EM.cdr.pdfAnaGabrielle25
 
Dissertacao l.h.santos
Dissertacao l.h.santosDissertacao l.h.santos
Dissertacao l.h.santosLuiz Henrique
 
Interpretação de espectros
Interpretação de espectrosInterpretação de espectros
Interpretação de espectrosSaulo Luis Capim
 
ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...
ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...
ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...Juliane Froncheti de Moura
 
Teste
TesteTeste
TesteSEE
 
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdfPaiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdfPorkoDio
 
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdfPaiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdfPorkoDio
 
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos OrgânicosModificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos OrgânicosValdemirGarbim
 
óXidos de amina e suas diferentes aplicações
óXidos de amina e suas diferentes aplicaçõesóXidos de amina e suas diferentes aplicações
óXidos de amina e suas diferentes aplicaçõesoligomax2009
 

Semelhante a Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV (18)

PhD Thesis of Rafael Cossiello
PhD Thesis of Rafael CossielloPhD Thesis of Rafael Cossiello
PhD Thesis of Rafael Cossiello
 
Blendas de pvc ps tese
Blendas de pvc ps teseBlendas de pvc ps tese
Blendas de pvc ps tese
 
Eletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_cama
Eletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_camaEletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_cama
Eletropolimerizacao pulsada para_confeccao_de_cama
 
2013 tese jjasilva
2013 tese jjasilva2013 tese jjasilva
2013 tese jjasilva
 
Pratica 8
Pratica 8Pratica 8
Pratica 8
 
Conteúdos de Química_EM.cdr.pdf
Conteúdos de Química_EM.cdr.pdfConteúdos de Química_EM.cdr.pdf
Conteúdos de Química_EM.cdr.pdf
 
Dissertacao l.h.santos
Dissertacao l.h.santosDissertacao l.h.santos
Dissertacao l.h.santos
 
Eletrodeposição da liga Co-Fe
Eletrodeposição da liga Co-FeEletrodeposição da liga Co-Fe
Eletrodeposição da liga Co-Fe
 
20812
2081220812
20812
 
Tabela
TabelaTabela
Tabela
 
Interpretação de espectros
Interpretação de espectrosInterpretação de espectros
Interpretação de espectros
 
Artigo ir portugues
Artigo ir portuguesArtigo ir portugues
Artigo ir portugues
 
ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...
ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...
ESQUEMA PARA INTERPRETAÇÃO DE ESPECTROS DE SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS NA REGIÃO DO...
 
Teste
TesteTeste
Teste
 
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdfPaiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
 
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdfPaiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
Paiva_RaphaelEnoqueFerrazde_M.pdf
 
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos OrgânicosModificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
Modificação de Polipropileno com Peróxidos Orgânicos
 
óXidos de amina e suas diferentes aplicações
óXidos de amina e suas diferentes aplicaçõesóXidos de amina e suas diferentes aplicações
óXidos de amina e suas diferentes aplicações
 

Último

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 

Último (20)

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 

Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE FÍSICA Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV Manaus – AM 2014
  • 2. ADRIANO DE SOUZA SILVA Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV Monografia apresentada ao Departamento de Física, do Instituto de Ciências Exatas, da Universidade Federal do Amazonas, como requisito parcial para obtenção do título de Licenciatura em Física. Orientador: Prof. Dr. Edgar Aparecido Sanches Manaus – AM 2014
  • 3. “Ninguém pode construir em teu lugar as pontes que precisarás passar, para atravessar o rio da vida. Ninguém, exceto tu, só tu. Existem, por certo, atalhos sem números, e pontes, e semideuses que se oferecerão para levar-te além do rio; mas isso te custaria a tua própria pessoa; tu te hipotecarias e te perderias. Existe no mundo um único caminho por onde só tu podes passar. Onde leva? Não perguntes, segue-o!” NIETZCHE, F.
  • 4. AGRADECIMENTOS À minha mãe, Maria José, e minhas irmãs Denize, Marina e Juliana, por acreditarem fortemente em mim e por depositarem seus esforços e investimentos... Consegui chegar ao fim! Aos meus outros familiares, por também acreditarem, especialmente tia Mirta, meu padrasto e meu pai. Ao Prof. Dr. Edgar Aparecido Sanches pela orientação, observações oportunas, conversas sobre polímeros e cristalografia, por possibilitar conhecer a Dra. Yvonne Primerano Mascarenhas, por proporcionar uma convivência e relação harmoniosa entre orientador e orientando e, sobretudo, pela paciência na realização deste trabalho. À Profa. Dra. Marta Silva dos Santos Gusmão pela oportunidade de participação no PIBID e pelos mais de 2 anos de experiências no projeto. Aos demais professores do Departamento de Física pelos seus bons e muito duros ensinamentos durante esses anos de curso, os quais contribuíram de modo direto e indireto para meu crescimento e amadurecimento profissional. Aos meus amigos de área, Joelma Maria e Adriano Carolino, pelas inúmeras ajudas computacionais, companhia, momentos felizes, tristes e de tensão – até assaltados juntos fomos, rs! Aos outros amigos de curso: Adriane Reis, Meg Caroliny, Cássio Maciel, pelos momentos proporcionados, quer felizes ou de raiva, porque reunir esse grupo... Vou te contar oh! Aos Laboratórios de Cristalografia e de Nanomedicina e Nanotecnologia do Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP) pelas medidas de DRX e pelas medidas de condutividade. Ao Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica da Universidade Federal de São Carlos (LIEC/UFSCar) pelas imagens de MEV. À empresa Nanomed Nanotecnologia – São Carlos/SP, pelas medidas de FTIR e à Dra. Ana Carolina Mafud pela contribuição computacional na modelagem da cela unitária da POEA-ES. A todos, uma breve saudação: “Uhuuu...”.
  • 5. RESUMO SILVA, A. S. Caracterização Estrutural e Morfológica da Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) por FTIR, DRX, Ajuste LeBail e MEV. Monografia (Licenciatura em Física), Departamento de Física, Instituto de Ciências Exatas, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2014. A Polianilina (PANI) tem sido um material muito promissor em aplicações tecnológicas devido à facilidade de síntese e dopagem relacionadas à elevada condutividade elétrica, baixo custo do monômero e à estabilidade em temperatura ambiente. A introdução de grupos funcionais polares e alquila à cadeia principal da PANI é um artifício para se obter polímeros solúveis em uma maior variedade de solventes orgânicos. A Poli(o-etoxianilina) (POEA) é um dos derivados da PANI e sua diferença estrutural está na presença do grupo na posição orto dos anéis de carbono, sendo bastante estudada na forma de pó ou de filmes. Apesar do grande número de trabalhos realizados com a PANI e seus derivados, são poucos os que focam em um estudo estrutural desses materiais na forma dopada (ES). A Poli(o- etoxianilina) Sal de Esmeraldina (POEA-ES) foi sintetizada em tempos de polimerização de e . Através das medidas de DRX foi observado que os tempos de polimerização não promoveram diferenças estruturais nos polímeros sintetizados. Foram encontrados na amostra da POEA-ES picos em e em . O percentual de cristalinidade foi calculado através do programa Peak Fitting Module e mostrou que a POEA- ES apresentou de cristalinidade. A análise de Espectroscopia de Absorção no Infravermelho por Transformada de Fourier (FTIR) possibilitou identificar bandas de absorção características de ligações e átomos presentes na estrutura da POEA-ES. Através da Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) foi possível observar partículas de tamanhos micrométricos variados, com morfologias semelhantes à microesferas vesiculares interconectadas. Com o Ajuste LeBail, observou-se que a POEA-ES apresentou cristalitos da ordem de . Através do método de van der Pauw foi possível calcular a condutividade para POEA-ES, com valor em torno de . Analisar coerentemente os resultados obtidos através de cada uma das técnicas utilizadas e compreender um pouco mais a estrutura dos materiais poliméricos é fundamental para relatar suas propriedades e contribuir com informações para esta classe de materiais que está em ascensão. Palavras-chave: Polianilina. POEA-ES. FTIR. DRX. Ajuste LeBail. MEV.
  • 6. ABSTRACT SILVA, A. S. Structural and Morphological Characterization of Poly(o-ethoxyaniline) Emeraldine-salt (POEA-ES) by FTIR, XRD, LeBail Fit and SEM. Monografia (Licenciatura em Física), Departamento de Física, Instituto de Ciências Exatas, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, 2014. Polyaniline (PANI) has been a very promising material in technological applications because of its ease of synthesis and doping related to high electrical conductivity, low cost of monomer and stability at room temperature. The introduction of polar functional and alkyl groups into the main chain of PANI is a mechanism to obtain soluble polymers in a wider variety of organic solvents. Poly(o-ethoxyaniline) (POEA) is a derivative of PANI and its structural difference is the presence of the group in the ortho position of the carbon rings, been extensively studied in the form of powder or films. Despite the large number of studies performed with PANI and its derivatives, there are few that focus on a structural study of these materials in doped form (ES). Poly(o-ethoxyaniline) Emeraldine-salt (POEA-ES) was synthesized in polymerization times of and . Through XRD measurements it were observed that the increasing polymerization times did not cause structural changes in polymers. It were found in XRD patterns peaks at and . The crystallinity percentage was calculated using the Peak Fitting Module Program and showed that POEA-ES has around of crystallinity. The analysis of Fourier Transform Infrared Espectroscopy (FTIR) allowed us to identify characteristic absorption bands and atoms in the structure of POEA-ES. By Scanning Electron Microscopy (SEM) it was observed micrometric particles of varying sizes, with morphologies similar to the interconnected vesicular microspheres. With LeBail Fit, it was observed that the POEA-ES crystallites are presented in the order of . Through van der Pauw method it was found a value of for POEA-ES conductivity. Coherently analyze the results obtained by each of the techniques used and understand a little more the structure of polymeric materials is crucial to report their properties and contribute information to this class of materials is on the rise. Keywords: Polyaniline. POEA-ES. FTIR. XRD. LeBail Fit. SEM.
  • 7. LISTA DE FIGURAS Figura 1 - Tetrâmero da POEA na forma Sal de Esmeraldina (POEA-ES)........................... 14 Figura 2 - Diagrama de condutividade elétrica para diferentes materiais ........... 17 Figura 3 - (a) Sobreposição dos orbitais híbridos para formação da ligação ; (b) Formação da ligação perpendicular ao plano que contém a ligação ; (c) Sistema - conjugado deslocalizado acima e abaixo da cadeia polimérica ............................................. 18 Figura 4 - Fórmulas estruturais das cadeias poliméricas de alguns polímeros condutores intrínsecos e suas respectivas condutividades eletrônicas ..................................................... 19 Figura 5 - Forma reduzida, ; e oxidada da estrutura química de polianilinas...... 20 Figura 6 - Estados de oxidação mais importantes da Polianilina: Leucoesmeraldina, Esmeraldina (isolante e condutora) e Pernigranilina. *Os valores numéricos referem-se ao comprimento de onda (nm) onde a absorção é máxima ........................................................ 21 Figura 7 - Diagrama esquemático da síntese da POEA-ES ................................................. 23 Figura 8 - Geometria da difração de Bragg por um cristal ................................................... 24 Figura 9 - Difratômetro de raios X com geometria Bragg-Brentano..................................... 26 Figura 10 - Modelo de micela franjada. Cadeias se arranjam de forma regular, umas ao lado das outras, em algumas regiões dentro da massa polimérica ................................................. 28 Figura 11 - Difratograma refinado: difratograma observado (vermelho), calculado (preto) e a diferença entre eles (azul) para a amostra estudada neste trabalho, POEA-ES (1,0M , ). As linhas verticais (verdes) representam as reflexões de Bragg ............................................ 30 Figura 12 - Espectros de FTIR para amostras da POEA-ES obtidas em diferentes tempos de síntese.................................................................................................................................. 36 Figura 13 - Espectro de FTIR para POEA-ES, .............................................................. 37 Figura 14- Difratogramas da POEA-ES obtidos em e de síntese......................... 39 Figura 15 - Decomposição dos picos da POEA-ES.............................................................. 40 Figura 16 - Evolução do Ajuste LeBail para POEA-ES: (a) difratograma simulado a partir dos dados de Evain et al. (2002) do arquivo .cif; (b) incorporação dos dados de entrada: opção pelo Ajuste LeBail, Harmônicos Esféricos e alteração dos parâmetros de cela e ; (c) e (d) ajuste da largura dos picos; (e) ajuste dos parâmetros de cela unitária e (f) ajuste da largura dos picos e parâmetros de cela unitária ................................................................................ 43 Figura 17 - Visualização dos cristalitos da POEA-ES nas direções e , respectivamente .................................................................................................................. 44
  • 8. Figura 18 - Visualização dos cristalitos em .................................................................... 44 Figura 19 - Ajuste LeBail para POEA-ES e suas principais reflexões.................................. 45 Figura 20 - Cela unitária para POEA-ES. Átomos verdes , azuis , vermelhos , cinzas e brancos ......................................................................................................... 47 Figura 21 - Imagens de MEV da POEA-ES com aumentos de: (a) 15000x, (b) 16000x, (c) 34000x e (d) 38000x ........................................................................................................... 49 Figura 22 - Secção transversal reta de uma amostra de comprimento e área .................. 50
  • 9. LISTA DE TABELAS Tabela 1 - Absorções características da POEA-ES na região do infravermelho.................... 38 Tabela 2 - Ajuste LeBail para POEA-ES: parâmetros e volume de cela unitária, tamanho médio do cristalito e anisotropia, tamanho dos cristalitos nas direções e e fatores de discordância e ........................................................................... 46 Tabela 3 - Valores de condutividade para PANI-ES, POMA-ES e POEA-ES...................... 52
  • 10. LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS APS Peroxidissulfato de Amônio CIF Crystallographic Information File DRX Difração de Raios X ES Sal de Esmeraldina FTIR Fourier Transform Infrared Espectroscopy ICP Intrinsically Conducting Polymers IFSC Instituto de Física de São Carlos LIEC Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica MEV Microscopia Eletrônica de Varredura MIC Micro-Structural Analysis from FULLPROF PANI Polianilina PANI-ES Polianilina Sal de Esmeraldina PIBID Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência POEA Poli(o-etoxianilina) POEA-EB Poli(o-etoxianilina) Base de Esmeraldina POEA-ES Poli(o-etoxianilina) Sal de Esmeraldina POMA-ES Poli(o-metoxianilina) Sal de Esmeraldina SEM Scanning Electron Microscopy UFSCar Universidade Federal de São Carlos USP Universidade de São Paulo XRD X-Rays Diffraction
  • 11. LISTA DE SÍMBOLOS Parâmetros de cela unitária, medidos em angstroms Parâmetros de cela unitária, medidos em graus Comprimento de onda Ângulo de contagem entre a direção de incidência do feixe e o plano da amostra Distância interplanar Distância entre os planos da família Índices de Miller Intensidade de fótons difratados por unidade de tempo Posição angular Radiação referente a linha alfa do elemento cobre Função minimização Peso estatístico observado no ponto Quantidade total de pontos que constituem o difratograma Intensidade do perfil do difratograma observada Intensidade do perfil do difratograma calculada Quadrado do desvio padrão estimado Fator de perfil Fator de perfil ponderado Fator de perfil esperado Qui-quadrado Fator de qualidade do ajuste Intensidade integrada observada da reflexão Intensidade integrada calculada da reflexão Fator de estrutura observado da reflexão Fator de estrutura calculado da reflexão Parâmetros de largura a meia altura característico do equipamento Parâmetros associado a microdeformações de cela unitária Parâmetros de dependência do tamanho do cristalito
  • 12. Funções implícitas de dependência do tamanho e microdeformações de cela unitária Contribuição Lorentziana para alargamentos anisotrópicos Contribuição de tamanho para largura integral da reflexão Número quântico de momento angular orbital Número quântico magnético Coeficientes da série dos harmônicos esféricos Harmônicos esféricos reais Ângulos polares do vetor em relação aos eixos cristalográficos Polinômio de Legrende Diferença de potencial, tensão Resistência elétrica Corrente elétrica Resistividade elétrica Condutividade elétrica Comprimento de seção transversal Área
  • 13. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO............................................................................................................... 13 1.1 Conceitos Básicos sobre Materiais Poliméricos .......................................................... 15 1.2 Polímeros Condutores Intrínsecos (ICPs).................................................................... 16 1.3 Polianilina (PANI) e seus Derivados........................................................................... 20 2 MATERIAIS E MÉTODOS ........................................................................................... 23 2.1 Síntese da POEA-ES .................................................................................................. 23 2.2 Difração de Raios X (DRX)........................................................................................ 24 2.2.1 Lei de Bragg........................................................................................................ 24 2.2.2 Amostras Policristalinas .......................................................................................... 25 2.2.3 Coleta de Dados................................................................................................... 27 2.3 Estimativa do Percentual de Cristalinidade ................................................................. 27 2.4 Refinamento Estrutural............................................................................................... 29 2.4.1 Ajuste LeBail ...................................................................................................... 29 2.5 Coleta e tratamento de dados...................................................................................... 34 2.7 Espectroscopia de Absorção no Infravermelho (FTIR) ............................................... 35 2.8 Medidas de Condutividade ......................................................................................... 35 3 ANÁLISE E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS.......................................................... 36 3.1 Espectros de FTIR...................................................................................................... 36 3.2 DRX e Estimativa do Percentual de Cristalinidade ..................................................... 38 3.3.1 Determinação da Cela Unitária e Etapas do Ajuste LeBail ................................... 41 3.4 MEV.......................................................................................................................... 47 3.5 Medidas de condutividade.......................................................................................... 50 CONCLUSÃO.................................................................................................................... 53 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS .............................................................................. 54