Tumores benignos dos ovarios

2.070 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Tumores benignos dos ovarios

  1. 1. TUMORES BENIGNOS DOSTUMORES BENIGNOS DOS OVARIOSOVARIOS Pedro Cordeiro de Sá FilhoPedro Cordeiro de Sá Filho
  2. 2. VideoendoscopiaVideoendoscopia GinecológicaGinecológica Tempo cirúrgico Complicações Pós-operatório Custos Estética Retorno as atividades Internamento Propedêutica Terapêutica Cirurgia convencionalCirurgia convencional XX VideolaparoscopiaVideolaparoscopia
  3. 3. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários ““ Todo ovário palpável na pós menopausaTodo ovário palpável na pós menopausa deve ser retirado “deve ser retirado “ BarberBarber ee GraberGraber, 1970, 1970
  4. 4. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Aspectos Clínicos e EpidemiológicosAspectos Clínicos e Epidemiológicos Pré-Menarca Cistos Funcionais Sintomas Abdominais Avaliação limitada Menarca Cistos funcionais Atividade Sexual Dor Aguda PréPré--MenarcaMenarca Cistos FuncionaisCistos Funcionais Sintomas AbdominaisSintomas Abdominais Avaliação limitadaAvaliação limitada MenarcaMenarca Cistos funcionaisCistos funcionais Atividade SexualAtividade Sexual Dor AgudaDor Aguda Menacme Germinativa Epitelial Estromal Tum. Não neoplásicos Pós-Menopausa Epitelial Estromal Germinativa Tum. Não neoplásicos MenacmeMenacme GerminativaGerminativa EpitelialEpitelial EstromalEstromal TumTum. Não. Não neoplásicosneoplásicos PósPós--MenopausaMenopausa EpitelialEpitelial EstromalEstromal GerminativaGerminativa TumTum. Não. Não neoplásicosneoplásicos
  5. 5. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Aspectos Clínicos e EpidemiológicosAspectos Clínicos e Epidemiológicos ““ O principal fator de risco para uma massa ovariana serO principal fator de risco para uma massa ovariana ser maligna é a faixa etária”.maligna é a faixa etária”. 94% dos tumores são benignos na terceira idade94% dos tumores são benignos na terceira idade 45% dos tumores são malignos na pós45% dos tumores são malignos na pós--menopausamenopausa KonningKonning ee ColCol.,1989.,1989
  6. 6. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Diagnóstico Presuntivo (Pré-operatório) ≅ Diagnóstico Intra-operatório (Cirúrgico) Diagnóstico Presuntivo (PréDiagnóstico Presuntivo (Pré--operatório)operatório) ≅ Diagnóstico IntraDiagnóstico Intra--operatório (Cirúrgico)operatório (Cirúrgico)
  7. 7. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Diagnóstico DiferencialDiagnóstico Diferencial Gravidez Gravidez Ectópica Pseudociese Obesidade Distensão Vesical Rim Pélvico Cisto Mesentérico GravidezGravidez Gravidez EctópicaGravidez Ectópica PseudociesePseudociese ObesidadeObesidade Distensão VesicalDistensão Vesical Rim PélvicoRim Pélvico CistoCisto MesentéricoMesentérico Abscesso Pélvico Absc. Tubo-Ovariano Hidrossalpinge Aderencias Pélvicas T. Intraligamentares Miomas Anomalias Abscesso PélvicoAbscesso Pélvico AbscAbsc. Tubo. Tubo--OvarianoOvariano HidrossalpingeHidrossalpinge AderenciasAderencias PélvicasPélvicas T.T. IntraligamentaresIntraligamentares MiomasMiomas AnomaliasAnomalias
  8. 8. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Critérios Clínicos ComparativosCritérios Clínicos Comparativos PresentePresenteExcetoExceto BrennerBrennerAsciteAscite PresentePresenteAusenteAusenteEdema de vulva e MMIIEdema de vulva e MMII IrregularesIrregularesLiso/RegularesLiso/RegularesRegularidadeRegularidade AderentesAderentesNão aderentesNão aderentesFixaçãoFixação BilateraisBilateraisUnilateraisUnilateraisBilateralidadeBilateralidade SólidosSólidosCísticosCísticosConsistênciaConsistência FixosFixosMoveisMoveisMobilidadeMobilidade RápidoRápidoLentoLentoCrescimentoCrescimento GrandesGrandesPequenosPequenosTamanhoTamanho InsidiosaInsidiosaAgudaAgudaDorDor MenopausaMenopausaMenacmeMenacmeIdadeIdade MalignosMalignosBenignosBenignos
  9. 9. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários PropedêuticaPropedêutica ClínicaClínica Por ImagemPor Imagem Idade Paridade História Pessoal História Familiar Uso de Hormônios 1ª gravidez Exame físico Idade Paridade História Pessoal História Familiar Uso de Hormônios 1ª gravidez Exame físico Ultrasonografia Dopplerfluxometria Ressonância Magnética Tomografia Computadorizada Videolaparoscopia Ultrasonografia Dopplerfluxometria Ressonância Magnética Tomografia Computadorizada Videolaparoscopia
  10. 10. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários PropedêuticaPropedêutica LaboratorialLaboratorial Associação de MétodosAssociação de Métodos • CA-125 – Epitelial Seroso • CA-19-9 – Epitelial Mucinoso • AFP – Seio Endodermico/Germinativo • CEA – Carcinoma Embrionário • HCG – Coriocarcinoma • Estradiol – Tum. Cel. Granulosa •Testosterona - Tum. Cel. Sertoly-Leydig • CA-125 – Epitelial Seroso • CA-19-9 – Epitelial Mucinoso • AFP – Seio Endodermico/Germinativo • CEA – Carcinoma Embrionário • HCG – Coriocarcinoma • Estradiol – Tum. Cel. Granulosa •Testosterona - Tum. Cel. Sertoly-Leydig Idade / Menopausa Marcadores / USG Idade / Menopausa Marcadores / USG
  11. 11. • CA 125 – 6,9 ui/ml • CA 15.3 – 15,6 ui/ml • CEA – 0,81 ng/ml • AFP – 2.41 ng/ml UltrasonografiaMarcadores Tumorais Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários PropedêuticaPropedêutica –– Associação de MétodosAssociação de Métodos Dopplerfluxometria
  12. 12. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Incidência de falso negativo abaixo de 1%Incidência de falso negativo abaixo de 1% Sensibilidade 100%Sensibilidade 100% Especificidade 97%Especificidade 97% NeznatNeznat, 1992, 1992 Canis, 1992Canis, 1992 Propedêutica LaparoscópicaPropedêutica Laparoscópica
  13. 13. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Implantes Hemorragia Necrose Aderências Ascite ImplantesImplantes HemorragiaHemorragia NecroseNecrose AderênciasAderências AsciteAscite Ruptura da Cápsula Excrescência na cápsula Áreas sólidas Bilateralidade Ruptura da CápsulaRuptura da Cápsula Excrescência naExcrescência na cápsulacápsula Áreas sólidasÁreas sólidas BilateralidadeBilateralidade Achados Cirúrgicos deAchados Cirúrgicos de MalignidadeMalignidade
  14. 14. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Ruptura da Cápsula (Pré / IntraRuptura da Cápsula (Pré / Intra--Cirúrgico)Cirúrgico) Mudança deMudança de EstadiamentoEstadiamento (IA/ IB para IC)(IA/ IB para IC) Tratamento definitivoTratamento definitivo Propedêutica LaparoscópicaPropedêutica Laparoscópica •• DemboDembo ee colscols, 1990, 1990 –– extravasamento do conteúdo malignoextravasamento do conteúdo maligno não modifica o prognósticonão modifica o prognóstico •• Michel Canis, 1997Michel Canis, 1997 –– após 21 dias disseminaçãoapós 21 dias disseminação peritonealperitoneal •• KindermanKinderman, 1998, 1998 –– período ideal de 8 a 17 diasperíodo ideal de 8 a 17 dias •• LehnerLehner ee colscols, 1998, 1998 –– a progressão doa progressão do estadiamentoestadiamento mudamuda após uma semanaapós uma semana Achados deAchados de MalignidadeMalignidade
  15. 15. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Propedêutica LaparoscópicaPropedêutica Laparoscópica PrognósticoPrognóstico Sobrevida após 10 anos (186 pacientes)Sobrevida após 10 anos (186 pacientes) Cápsula íntegra em fase inicialCápsula íntegra em fase inicial –– 75%75% sobrevidasobrevida Ruptura acidental ou punçãoRuptura acidental ou punção –– 88%88% sobrevida (+ terapia coadjuvante)sobrevida (+ terapia coadjuvante) Ruptura espontânea préRuptura espontânea pré--cirúrgicacirúrgica –– 44%44% sobrevidasobrevida SjovalSjoval, 1985, 1985 Achados Cirúrgicos deAchados Cirúrgicos de MalignidadeMalignidade
  16. 16. TécnicaTécnica InspeçãoInspeção PunçãoPunção Exame intraExame intra--císticocístico BiopsiaBiopsia Retirada da peçaRetirada da peça Lavado e aspirado da cavidadeLavado e aspirado da cavidade Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Propedêutica LaparoscópicaPropedêutica Laparoscópica
  17. 17. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Neoplasias não malignasNeoplasias não malignas CistoadenomasCistoadenomas -- PseudomixomasPseudomixomas TeratomasTeratomas -- Peritonite químicaPeritonite química
  18. 18. Tumores Benignos dos OváriosTumores Benignos dos Ovários Conduta na Pós MenopausaConduta na Pós Menopausa < 3cm< 3cm Doppler NormalDoppler Normal CACA –– 125 Normal125 Normal > 3cm> 3cm Doppler AlteradoDoppler Alterado CACA –– 125 Alterado125 Alterado CRISPI, 2003 ExpectanteExpectante Cistos ComplexosCistos Complexos VideolaparoscopiaVideolaparoscopia Cistos simples a ultrasonografia (anecóides)

×