Jornal do Commercio - PE
21/09/2011 - 06:52
Tumor de ovário cresce em silêncio
Sem ter superado ainda a tragédia do câncer...
Em São Paulo, Estado mais populoso do País, a Secretaria Estadual de Saúde e o Instituto de Câncer ligado
à universidade e...
vezes, quando eles atingem a maioridade e querem a independência tem início essa agressão”, explicou o
gestor da Gerência ...
Diario de Pernambuco - PE
21/09/2011 - 06:57
Altino Ventura debate saúde ocular
FAV discutirá as dificuldades na interiori...
inclusive, é cada vez menor o número de trabalhadores com contrato temporário. “De 55% a 60% são de
vínculo não safrista”,...
“São mais R$ 45 bilhões de investimento público para não ficarmos atrás do Chile e da Argentina”, resumiu o
ministro, dura...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tumor de ovário cresce em silêncio

230 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
230
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tumor de ovário cresce em silêncio

  1. 1. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:52 Tumor de ovário cresce em silêncio Sem ter superado ainda a tragédia do câncer de útero mil casos e 250 mortes por ano Secretária aposentada, R.B.S., 65 anos, residente na Zona da Mata de Pernambuco, só descobriu um câncer de ovário, no ano passado, depois que um nódulo apareceu no pescoço. “Foi relaxamento total, não vinha fazendo os exames preventivos”, conta, após tratamento de quimioterapia e cirurgia que removeu útero, trompas e ovários, realizados no Hospital Universitário Oswaldo Cruz, no Recife. Mas até o diagnóstico ser fechado, foram idas e vindas, troca de hospitais do SUS. Mal sabe ela que a prevenção tradicional para o colo do útero, com o Papanicolau e a colposcopia, dificilmente descobririam um tumor no ovário. “As mulheres chegam aqui quando estão caquéticas (muito magras) e com a barriga crescida”, define a médica Norma Bastos, do Hospital de Câncer de Pernambuco. Diagnosticar tumor no ovário precocemente não é fácil. A jovem Elizângela de Lima, 27 anos, mãe de um garoto de cinco anos, procurou uma ginecologista particular porque sentia dores na barriga e estava sem menstruação há alguns meses. Mas a especialista suspeitou de gastrite. Surpreendentemente, a paciente só encontrou diagnóstico de tumor no ovário a partir de uma consulta com o gastroenterologista, que, ao examiná-la, desconfiou de uma massa na região pélvica. Pediu tomografia e lá foi confirmado o que de fato incomodava Elisângela. A paciente, residente em Jaboatão dos Guararapes (na RMR), resolveu, então, procurar o Hospital de Câncer, na cidade vizinha, para fazer exames complementares e a cirurgia. Só depois dessa etapa vai saber se o tumor é benigno ou maligno. Irregularidade na menstruação, dor e aumento do abdome podem dar pistas de câncer de ovário. Ultrassom endovaginal, ressonância magnética com contraste e aferição de marcadores tumorais ajudam no diagnóstico, mas essas etapas não fazem parte de uma triagem básica no SUS ou rede particular. São prescritas diante de alguma queixa. E quando isso ocorre, na maior parte dos casos, a doença está avançada. Quem depende da rede pública também não consegue fazer os testes com a mesma agilidade de quem tem dinheiro para pagar por eles. TROMPAS Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que 75% dos cânceres desse órgão apresentam-se em estágio avançado no momento do diagnóstico. São 3.837 doentes novas no Brasil por ano e quase três mil mortes. O médico Jesus Paula Carvalho, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP), especialista na área, explica que há nova compreensão sobre a doença. “A origem pode estar nas tubas uterinas. Mulheres com mutação nos genes BRCA1 e BRCA2 têm mais chance de desenvolver a doença a partir dos 35 anos”, diz. Para o pesquisador, o achado, ainda desconhecido de muitos ginecologistas e oncologistas, leva a crer que todos os métodos diagnósticos têm falhado, deixando a população feminina mais exposta a esse câncer. Com quase quatro décadas de experiência na área, o oncologista Júlio Romão de Andrade, do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), no Recife, acredita que está havendo crescimento na incidência desse tipo de câncer, frequente entre as pacientes do Huoc. “Os hábitos das mulheres mudaram, elas retardaram a gravidez, tomam hormônio e consomem alimentos com muito corante, isso influencia o câncer de ovário”, explica Júlio. Depois do útero e dos ovários, o endométrio, que reveste o primeiro, é outro alvo da doença maligna. E assim como o de ovário, também não é fácil de ser descoberto. No entanto, as chances de cura são maiores. Mulheres que sangram na menopausa podem sinalizar alguma alteração nesse campo do aparelho reprodutor. No ano passado, 38 morreram no Estado com a doença. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:53 Saúde tem que ir atrás das faltosas Com ele também concorda a médica Norma Bastos, do Hospital de Câncer de Pernambuco. “É preciso ir atrás das mulheres que nunca fizeram exame Busca ativa. Essa duas palavras são insistentemente repetidas por ginecologistas que tratam mulheres com câncer de útero, os mais frequente do aparelho reprodutor feminino. O médico Jesus Paula Carvalho, do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, acredita que só assim será possível atender todas as mulheres que precisam passar por essa triagem. Com ele também concorda a médica Norma Bastos, do Hospital de Câncer de Pernambuco. “É preciso ir atrás das mulheres que nunca fizeram exame. Outras, que moram distante, vêm à capital, mas não voltam para pegar o resultado”, diz. Também propõe formação de novos médicos em colposcopia, especialidade já rara.
  2. 2. Em São Paulo, Estado mais populoso do País, a Secretaria Estadual de Saúde e o Instituto de Câncer ligado à universidade estadual (USP), lançaram desde o início do ano o movimento Doe um dia, para conscientizar a população e empregadores da importância de exames preventivos de doenças malignas. “Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, mais altas são as suas chances de cura. Agende, programe-se e doe um dia para você mesmo”, são as mensagens veiculadas. A ideia é estimular homens e mulheres a se responsabilizarem por sua saúde. E também lembrar a empregadores o direito que o trabalhador tem de cuidar da sua saúde. Com site próprio e peças que podem ser partilhadas nas redes sociais (Twitter, Facebook, Orkut), o movimento oferece informações sobre a doença, esclarece sobre direitos e formas de prevenção. Acessando www.doe1dia.org.br, o internauta pode inclusive marcar num calendário eletrônico o dia que reservou para fazer seus exames preventivos. Assim, receberá um lembrete por e-mail ou celular daquele compromisso inadiável. k Leia, na edição de amanhã, entrevista complementar com o especialista Jesus Paula Carvalho. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:46 JC Nas ruas Bullying As causas e consequências do bullying e a importância da relação entre escola, aluno e família serão abordadas na palestra do psicólogo Luiz Schettini Filho, hoje, às 19h30, no Colégio Vera Cruz. Interessados podem se inscrever pelo 3222.1876. É de graça. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 07:56 Uso excessivo causa dano Pesquisadores alegam que existem inúmeras causas para o incômodo, mas um motivo é claro: o desalinhamento das imagens tridimensionais, o que pode causar náusea e tontura Estudo publicado em julho deste ano, no periódico Journal of Vision e que teve a Samsung como um dos patrocinadores, mostrou que quem assiste a conteúdos em 3D tende a relatar maior cansaço visual do que as pessoas que veem a tela em apenas duas dimensões. A mesma pesquisa também cita um levantamento feito em 2010, com espectadores de cinema na Rússia, cujo resultado revelou que 30% dos entrevistados relataram vista cansada depois de assistir a um filme 3D. Os pesquisadores alegam que existem inúmeras causas para o incômodo, mas um motivo é claro: o desalinhamento das imagens tridimensionais, o que pode causar náusea e tontura. “É uma situação mais comum em quem tem problemas do sistema vestibular, que detecta as sensações relacionadas com o equilíbrio”, diz o oftalmologista Rafael Arruda, do Hospital de Olhos de Pernambuco (Hope). Pessoas com labirintite, segundo o médico, estão mais sujeitas a desenvolver náusea enquanto confere um conteúdo 3D na TV. “Mas é bom informar que os óculos usados para proporcionar o efeito tridimensional não causam dano à saúde ocular”, diz Rafael. Ele ainda frisa que nem todo mundo consegue sentir os efeitos proporcionados pelos conteúdos em 3D. “É preciso ter uma visão binocular, de profundidade. Quem não possui raramente desfrutará dos efeitos.” Os especialistas também alertam que a exposição excessiva e frequente a imagens em três dimensões pode fazer mal, da mesma maneira que o hábito continuado de ficar na frente de um monitor convencional. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:54 Longo caminho para a inclusão No Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, estatísticas de violência mostram que há muitos desafios a serem vencidos, como garantia da acessibilidade Levantamento elaborado pelo Disque-Denúncia aponta que, nos últimos três anos, foram registradas 854 ocorrências sobre crimes de maus-tratos e agressão física e verbal contra deficientes no Estado. Hoje, Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, a triste estatística surge como um alerta para mostrar que muitos desafios já foram vencidos, mas ainda há um longo caminho a percorrer para garantir direitos essenciais a essa parcela da população. Acessibilidade e inclusão são alguns deles. Segundo o relatório, as mães figuram entre as principais agressoras, atingindo 59% do total de violência contra crianças com deficiência e 26% nos registros de pessoas adultas. Em mais da metade dos casos, as vítimas têm problemas mentais. A estatística não é ignorada por representantes de órgãos de defesa dos deficientes. “A gente sabe que essa prática existe e é lamentável, mas muitas famílias não têm como viver e utilizam o dinheiro destinado aos filhos, pago pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC), para se manter. Muitas
  3. 3. vezes, quando eles atingem a maioridade e querem a independência tem início essa agressão”, explicou o gestor da Gerência de Pessoa com Deficiência do Recife, José Diniz. “É necessário trabalhar com as famílias para conscientizar que o deficiente é um ser humano e precisa de cuidado e atenção”, afirmou Diniz. Até o mês passado, o BPC era cortado no momento em que o deficiente ingressava no mercado de trabalho. No entanto, através da Lei Federal 12.470, o benefício fica suspenso em casos de contratação. Se houver demissão, o benefício é revalidado. Além da violência física e verbal, a falta de oportunidade e a discriminação também expõem, dia-a-dia, que a luta por mais direitos para o deficiente caminha a passos lentos. O atleta José Carlos dos Santos, 42 anos, já foi alvo de preconceito quando foi considerado inapto para um cargo, após passar por todos os testes seletivos, por ser deficiente físico. Pai de duas meninas, ele aposentou-se após ser desligado da empresa em que atuava. “Queria ter oportunidade para trabalhar, o mercado é muito fechado, querem que eu comprove experiência sem me darem espaço para isso. A lei de inclusão é só no papel”, critica. Diante desse panorama, a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos de Pernambuco promove, hoje, o seminário 20 Anos da Lei de Cotas: Que estamos fazendo para a inclusão da pessoa com deficiência no mercado de trabalho?, com o objetivo de sensibilizar o setor empresarial para o cumprimento da legislação e para o princípio da responsabilidade social. Além das dificuldades no acesso ao mercado de trabalho, José, morador do bairro dos Torrões, Zona Oeste, acredita que nesse dia de luta a questão da acessibilidade também precisa ser discutida. “Os engenheiros fazem as rampas e aqueles pisos táteis, mas muitos são mal elaborados. Alguns são verticais demais e é impossível o cadeirante subir sozinho”, explica. “O serviço deveria ser feito com o acompanhamento de uma pessoa que vai utilizar o equipamento”, opina. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:56 Projetos devem assegurar a acessibilidade De acordo com a secretária de Controle Urbano, Desenvolvimento Urbano e Obras, Maria De Biase, a Prefeitura do Recife está avançando nessa área e atua com o tripé: consciência, atuação e capacitação Embora a acessibilidade no Recife esteja longe da ideal, os primeiros passos vêm sendo dados para facilitar o cotidiano das pessoas com deficiência ou com baixa mobilidade. Antes de serem executados, os projetos passam pela análise de uma comissão e devem obedecer, minimamente, os critérios de inclusão. O Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, as Academias da Cidade e o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, na Rua da Aurora, no Centro do Recife, por exemplo, já foram projetados com pisos táteis e rampas de acesso para cadeirantes. De acordo com a secretária de Controle Urbano, Desenvolvimento Urbano e Obras, Maria De Biase, a Prefeitura do Recife está avançando nessa área e atua com o tripé: consciência, atuação e capacitação. “Fazemos cursos periódicos para os servidores sobre acessibilidade. Além disso, vamos fazer uma notificação para que todos os empreendimentos públicos sejam dotados de equipamentos que facilitem a vida dos deficientes, como calçadas com rotas acessíveis e banheiros adaptados”, explicou a gestora. Além das intervenções municipais, segundo Maria De Biase, a própria população também precisa mudar os hábitos e exercer melhor a cidadania. “Isso inclui não estacionar os veículos nas calçadas, ou em vagas destinadas aos deficientes”, destacou. Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:38 Neurônio Só pra lembrar do Prêmio Neurônio O período de veiculação das peças concorrentes, nesta edição exclusivamente, aumentará. Concorrem peças veiculadas de setembro de 2010 a dezembro de 2011. Para as inscrições, mais uma vez serão cobradas taxas simbólicas, e este ano, a instituição beneficiada pela renda obtida será a Fundação Altino Ventura. O evento de premiação será em maio de 2012 Jornal do Commercio - PE 21/09/2011 - 06:41 Há 50 anos Local As integrantes do Movimento Luízas de Marillac, jovens que se dedicam à caridade ao próximo, promovem a Semana do Ancião, na sede do movimento, na Jaqueira. O programa consta da entrega de remédios, roupas, fogões, pratos, comidas, etc. para os idosos carentes.
  4. 4. Diario de Pernambuco - PE 21/09/2011 - 06:57 Altino Ventura debate saúde ocular FAV discutirá as dificuldades na interiorização da assistência oftalmológica no estado e a importância da parceria público-privada para a saúde ocular Vinte e cinco anos dedicados à saúde dos olhos do povo pernambucano, com mais de seis milhões de procedimentos realizados, entre consultas, exames, cirurgias e transplantes de córnea. Para comemorar o jubilei de prata, datado no próximo dia 13 de outubro, a Fundação Altino ventura (FAV) realiza hoje, às 8h, no Teatro Santa Isabel, o Fórum de Saúde Ocular. Evento voltado para usuários da unidade e convidados que reunirá o secretário de saúde de Pernambuco, Antônio Carlos Figueira, a defensora pública geral do estado, Marta Freire, e comunicadores. O Diario de Pernambuco será representado pela jornalista Silvia Bessa, convidada para realizar palestra sobre o “Papel da mídia na saúde do paciente com deficiência visual e/ou múltipla”, que acontece às 10h50. Silvia Bessa irá trazer a experiência do Diario de Pernambuco na concepção de projetos inclusivos voltados aos deficientes visuais para explicar a importância de inserir o tema na pauta social. “Irei abordar as dificuldades que se impõem ao jornalista disposto a realizar uma boa cobertura sobre um assunto tão delicado e apresentar alternativas para que a discussão na imprensa e na sociedade se dê de uma forma ampla, contemplando os direitos humanos”, afirmou. A programação do fórum irá abordar ainda as perspectivas da saúde ocular em Pernambuco, as dificuldades na interiorização da assistência oftalmológica no estado e a importância da parceria público-privada para a saúde ocular. De acordo com a presidente da FAV, Liana Ventura, o fórum completa uma agenda de atividades comemorativas. “O evento será uma porta de oportunidades para conhecermos a realidade das doenças oculares no mundo, pois traremos representantes da Alemanha e do Equador”, afirmou Liana Ventura. Na ocasião, a fundação também firmará a assinatura do convênio de parceria com a Fundação Lions Internacional, a Cristian Blind Mission (CBM) e o Ministério do Desenvolvimento Alemão, para a doação de 676 mil euros, destinados à construção da nova sede da FAV, no bairro da Iputinga. Diario de Pernambuco - PE 21/09/2011 - 06:22 Capacitação em alta Atividade sucroalcooleira investe na qualificacção de seus trabalhadores As usinas de Pernambuco estão investindo alto em capacitação para tentar reduzir a rotatividade da mão de obra no setor e reter profissionais diante da concorrência com a construção civil. Cerca de 430 profissionais já foram qualificados neste ano em parceria com entidades do Sistema S – 300 pelo Senar e 130 pelo Sest/Senat. No próximo mês, começam a ser treinados 1.794 trabalhadores pelo Plano Setorial de Qualificação (PlanSeQ Sucroalcooleiro). A atividade sucroalcooleira emprega hoje aproximadamente 100 mil pessoas no estado e cerca de 60% são contratados pelas usinas. Das 1.794 capacitações previstas no PlanSeQ Sucroalcooleiro, 695 são destinadas à área agrícola e, 1.099, para a área industrial, abrangendo 15 municípios da Mata Norte e Sul do estado. Na área agrícola, os cursos são para operador de sistema de irrigação e gestão ambiental de resíduos químicos e biológicos e motorista canavieiro. Já na área industrial há qualificações nas áreas de eletricista e mecânico de manutenção, instrumentista, educação ambiental, metrologia, mecânica de refrigeração, segurança industrial e mecânica veicular. Além do investimento em capacitação, essas indústrias também têm buscado garantir os direitos estabelecidos pela Norma Regulamentadora 31, que dispõe sobre segurança e saúde para trabalhadores na agricultura e outros segmentos. Entre eles, instalações sanitárias nas frentes de trabalho, alojamentos com local para refeição e fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs). “Temos uma política de investir em mão de obra. Hoje a qualidade do emprego agrícola pode ser equiparada à qualidade do urbano, até porque há uma concorrência sempre que existem grandes obras em curso no estado”, diz o presidente do Sindicato da Indústria do Açúcar e Álcool (Sindaçúcar-PE), Renato Cunha. Segundo ele, FAV/Divulgação A fundação terá nova sede no bairro da Iputinga Ricardo Fernandes/DP/D.A Press Atividade sucroalcooleira emprega aproximadamente 100 mil pessoas no estado
  5. 5. inclusive, é cada vez menor o número de trabalhadores com contrato temporário. “De 55% a 60% são de vínculo não safrista”, garante. No último sábado, dia 17, o Diario publicou matéria sobre a migração de trabalhadores da cana para a construção civil em busca de salários maiores, melhores condições de trabalho e contratos mais longos. A categoria está em plena campanha salarial, cuja data-base é 1º de outubro. O contrato safrista é um dos pontos em discussão, juntamente com questões sobre a saúde e a alimentação do trabalhador. O Sindaçúcar- PE estima que a safra 2011/2012 vai movimentar 17,88 milhões de toneladas de cana. Diario de Pernambuco - PE 21/09/2011 - 06:38 João Alberto Coral & santo O Coral RHP foi destaque na comemoração dos 156 anos do Hospital Português. Durante a sessão solene, regido pelo maestro Tarik Bispo, executou os hinos de Portugal e do Brasil. Na missa festiva, houve uma procissão com a imagem de Santo Antônio de Pádua, padroeiro do hospital, que foi restaurada pelos artistas olindenses Nelton Alves e Timóteo. Na ocasião, também foram inauguradas novas instalações em quatro consultórios nas áreas de geriatria, otorrino, proctologia e medicina nuclear. Evento foi dos mais prestigiados tendo como anfitrião o provedor Alberto Ferreira da Costa, com direito a bolo comemorativo e coquetel. Alemanha Sarita Martins está em Heigelberg, cidade medieval da Alemanha, onde faz palestra sobre Tratamento cirúrgico de cicatrizes de acne no Congresso Mundial de Cirurgia Dermatológica. Antes, ela curtiu três dias de férias em Berlim, repleta de brasileiros. Jubileu A Fundação Altino Ventura comemora hoje seus 25 anos, com fórum, às 8h, no Santa Isabel, e coquetel com lançamento de selo comemorativo e inauguração do memorial, às 19h, no Centro Cultural dos Correios. Folha de Pernambuco - PE 21/09/2011 - 06:46 FAV completa 25 anos de serviços Oftalmologista Eveline Barros será uma das participantes do encontro. Na ocasião, ela discutirá questões associadas aos problemas de visão daqui a dez anos A Fundação Altino Ventura (FAV) está celebrando 25 anos de assistência oftalmológica filantrópica às populações de baixa renda de Pernambuco. Para comemorar a data, a entidade realiza desde ontem uma série de atividades alusivas à data. Hoje, a partir das 8h, no teatro Santa Izabel, especialistas ligados à área de Oftalmologia participam do Fórum de Saúde Ocular, o ponto máximo de celebração ao Jubileu de Prata da Fundação. Na ocasião, serão ministradas palestras sobre saúde ocular, além de assuntos relacionados ao tema como por exemplo, quais os recursos estão sendo destinados na área pelo Governo Federal - que será abordado pelo senador Humberto Costa, “A perspectiva da saúde ocular no País” - com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, “O papel da mídia na interiorização da saúde ocular”, que será apresentado pela editora executiva da Folha de Pernambuco, Leusa Santos. A oftalmologista Eveline Barros será uma das participantes do encontro. Na ocasião, ela discutirá questões associadas aos problemas de visão daqui a dez anos. Sobre o desgaste da vista Eveline destaca que dois fatores contribuem muito para isso. “Em primeiro lugar temos o envelhecimento da população e, com isso, casos relacionados a degeneração natural da visão por conta da idade. Os problemas de visão mais comuns em idosos, segundo Eveline, são catarata, cegueira causada pela diabetes, degeneração relacionada a idade e outras. Já em criança, são mais corriqueiros problemas de miopia, hipermetropia, estrabismo, entre outras. Ontem, em meio as atividades comemorativas aos 25 anos da Fundação, representantes da ONG alemã CBM, que financia a maioria das ações da FAV, visitaram as instalações da entidade para acompanhar os trabalhos realizados pela instituição filantrópica. Recentemente, a ONG destinou 676 milhões de euros para a construção da nova sede do Centro de Reabilitação Menina dos Olhos, que cuidará de múltiplas deficiências a partir da visão. Atualmente, a FAV atende 25 mil pacientes por mês. Quando o novo centro começar a funcionar o atendimento será duplicado. Em 25 anos de atuação, a FAV já atendeu mais de seis milhões de pessoas. Para quem deseja fazer uma contribuição para a entidade deve acessar o endereço eletrônico: www.doefav.com. Folha de Pernambuco - PE 21/09/2011 - 06:25 Câmara vota hoje Emenda 29 Coube a seu colega de partido, o líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), apontar as novas fontes de financiamento da Saúde Em uma sessão esvaziada no plenário da Câmara, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, defendeu ontem a necessidade de o Brasil investir mais R$ 45 bilhões por ano para equiparar o serviço de saúde brasileiro ao de outros países sul-americanos, como o Chile e Argentina. Esses recursos viriam da União, dos Estados e dos municípios. Em 2010, o Governo Federal investiu R$ 61,9 bilhões na Saúde.
  6. 6. “São mais R$ 45 bilhões de investimento público para não ficarmos atrás do Chile e da Argentina”, resumiu o ministro, durante audiência pública na Câmara. Na véspera da conclusão da votação pelos deputados do projeto de lei complementar que disciplina os gastos públicos com a Saúde - a chamada Emenda 29 -, Padilha foi cuidadoso e evitou falar na criação de um novo imposto para financiar o setor. Disse apenas que é necessário aumentar o investimento na Saúde sem, no entanto, indicar de onde virão os recursos. Coube a seu colega de partido, o líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), apontar as novas fontes de financiamento da Saúde. O petista defendeu a tributação maior dos “mais ricos” para custear o setor. “Os mais pobres têm necessidade do atendimento à Saúde. Não podemos deixar os ricos mais ricos”.

×