Trauma musculo esquelético

10.922 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
688
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trauma musculo esquelético

  1. 1. TRAUMATISMOSMÚSCULO -ESQUELÉTICOS
  2. 2. •Raramente causam um risco imediato à vida ou aomembro;•A presença de lesões graves indica que o doente foisubmetido a forças significativas;•Fraturas de fêmur ou de pelve podem acompanhar – sede sangramentos que levam à alterações hemodinâmicas;•A presença de lesões com aspecto impressionante, massem tanta gravidade não deve desviar a atenção dotratamento de lesões com risco de vida em outras áreasdo corpo;•O socorrista não é responsável por distinguir osdiferentes tipos lesões, mas por identificar as lesõescom risco de morte.
  3. 3. O SISTEMA MÚSCULO - ESQUELÉTICO 206 ossos;  Longos: fêmur; - Chatos: escápula;  Curtos:metacarpos; - Fundidos: calota craniana;  Sesamóides:patela Mais de 700 músculos; Funções:  Dar forma ao corpo;  Dar apoio ao corpo, permite que ele fique ereto;  Fornecer a base para a locomoção ou movimento;  Proteger os principais órgãos do corpo
  4. 4. •MÚSCULOS: •Tipo especial de tecido que se contrai, ou encurta, quando estimulado; •Responsáveis pela movimentação voluntária das estruturas do corpo. (esqueléticos)•TENDÕES: •Fita de tecido duro, inelástico e fibroso que liga o músculo ao osso; •É a parte branca no final de um músculo, que liga o músculo ao osso que ele movimenta.•LIGAMENTOS: •Fita de tecido duro e fibroso que conectam um osso ao outro;
  5. 5. LESÕES DE EXTREMIDADES Causam cinco problemas principais:  Hemorragias;  Instabilidade (fraturas ou luxações)  Lesões de partes moles (distensões e entorses);  Perda de tecido;  Síndrome Compartimental.
  6. 6. AVALIAÇÃO DA VÍTIMA Avaliar visualmente a vítima a procura de inchaços, lacerações, hematomas, cor, movimento e deformidade; Sentir pulsação, temperatura, crepitação e movimento; Hematoma e deformidades: fratura fechada; Dor: potenciais lesões graves; Ausência de pulso, movimento e/ou sensibilidade podem indicar falta de fluxo sanguíneo e déficit neurológico; Crepitação: ruído produzido pelos ossos quando as pontas fraturadas se esfregam uma contra a outra; Na dúvida, a lesão deve ser tratada como fratura.
  7. 7. FRATURAS•Dividem em fechadas e expostas:•Fechadas: •O osso foi quebrado e não há perda da integridade da pele; •Podem representar uma fonte de hemorragia interna devido à laceração de vasos ou de músculos;•Abertas: •A integridade da pele sobre o local da fratura é danificada ou rompida; •O osso pode ou não estar exposto;
  8. 8. TIPOS DE FRATURAS
  9. 9. SINAIS E SINTOMAS Deformidade, encurtamento ou angulamento. Quando se compara o membro normal com o lesionado, há diferença de tamanho, comprimento, forma ou posição; Dor e sensibilidade apenas no local da lesão; Crepitação; Edema e hematoma; Proteção: a vítima tenta segurar a área lesionada em posição confortável e evita mexê – la; Distensão e entorse podem parecer uma fratura fechada e somente são diferenciadas por radiografia.
  10. 10. PERDA DE SANGUE INTERNAAPROXIMADA ASSOCIADA COM FRATURAS•Rádio ou ulna - 250 - 500ml;•Costela - 125ml;•Úmero - 500 - 750ml;•Tíbia ou fíbula - 500 - 1000ml;•Fêmur - 1000 - 2000ml;•Pelve - 1000 - maciça.
  11. 11. CONDUTAS NO ATENDIMENTO ÀS FRATURAS Remova ou corte roupas que estejam sobre o local da lesão Procure por deformidades, ferimento aberto, flacidez, dor e edema NÃO SIM Fratura aberta e com sangramento? Controle o Avalie a circulação, Sangramento. sensibilidade e movimento Não toque no osso. Cubra oA maioria das fraturas não necessita ser alinhada. ferimento e o Imobilize o membro lesado com talas osso com compressa estéril e seca Procure assistência médica imediata
  12. 12. LUXAÇÃO•É a separação de dois ossos de uma articulação;•Produzem dor aguda e podem ser difíceis de sediferenciar de fraturas;•Sinais e sintomas semelhantes aos de uma fratura;•Se a extremidade deslocada pressionar um nervo, podeocorrer paralisia abaixo do deslocamento; Se pressionarum vaso sanguíneo, poderá ocorrer perda de pulso abaixoda lesão;•Sinais e sintomas: deformidades, dor intensa, edema,inabilidade de mover a articulação.
  13. 13. TRATAMENTO•Checar pulsos distais e a função nervosa;•Imobilizar na posição que foramencontrados;•Não reduzir (corrigir um deslocamentomediante aplicação de força);•Verifique o pulso distal após a imobilização;•Elevar o membro e colocar gelo no local;
  14. 14. ENTORSE:•Lesão articular que ocorre quando os ligamentos sãoestirados e sofrem ruptura total ou parcial (a articulaçãoé subitamente torcida)•Os sinais são semelhantes aos de uma fratura;• Dor, inchaço, deformidade, descoloração da pele eincapacidade de usar a parte afetada normalmente;•Tratamento: •Imobilização, repouso, gelo, compressão e elevação.
  15. 15. DISTENSÃO:•Envolvem o estiramento e a ruptura de fibrasmusculares;•Os músculos são forçados além de seu alcance normalou quando os músculos são exercitados subitamente;•Caracterizadas por dor com movimento pouco edema;•Tratamento: Imobilização, repouso, gelo.
  16. 16. LESÕES ORTOPÉDICAS
  17. 17. CAIMBRA•Espasmo muscular incontrolável;•Sinal de desidratação, podem ocorrer depois deatividade física, distúrbios eletrolítico;•Tratamento: •Faça a vítima esticar delicadamente o membro afetado; •Aplique pressão firme e estável no músculo que sofreu a cãibra usando a parte posterior da mão; •Coloque bolsa de gelo sobre o músculo afetado; •Se ocorreu após exercício físico, faça a vítima beber uma bebida eletrolítica ou água levemente salgada.
  18. 18. Reimplante de segmentos Isquemia Isquemia fria mornaDedo 10-12h 16-18hMão 8-10h 10-14hAntebraço 5-6h 6-8hBraço 2-3h 3-6h
  19. 19. PRIORIDADES Tratar todas as condições que põem em risco a vida; Tratar todas as condições que põem em risco o membro; Tratar todas as outras condições. NÃO CAUSAR DANOS ADICIONAIS

×