Refluxo gastroesofágico suzana fonseca

1.704 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Refluxo gastroesofágico suzana fonseca

  1. 1. Suzana Fonseca de Oliveira Melo Gastroenterologista Pediátrica do HIJPII
  2. 2. CONCEITO • Refluxo Gastroesofágico:Fluxo retrogrado de conteúdo gástrico para o esôfago • Doença do refluxo gastroesofágico: Refluxo que causa sintomas prejudiciais e/ou complicações. RGE x DRGE
  3. 3. • Regurgitações pós alimentares • Primeiros meses de vida – Pico com 4 meses • Melhora a partir do 6° mês até 18 meses • Curva ponderal adequada • Indolor • Excesso de volume de dieta
  4. 4. Fisiopatologia Barreira anti-refluxo • Esfíncter esofageano inferior • Esôfago abdominal • Ligamento freno-esofágico • Pilar direito do diafragma • Ângulo de Hiss • Roseta gástrica
  5. 5. Fisiopatologia Fatores de Risco • Desequilíbrio entre os mecanismos de defesa e agressão • Fatores genéticos, ambientais, anatômicos, hormonais e neurogênicos • Relaxamentos transitórios do E.E.I. • Hérnia de hiato
  6. 6. Diagnóstico • Avaliação clínica – Anamnese detalhada • REED • PHmetria • Impedanciometria intraluminal • Endoscopia digestiva alta com biópsia • Cintilografia • Manometria esofágica
  7. 7. Manifestações Clínicas Lactentes • Vômitos e regurgitações • Déficit ponderal • Irritabilidade • Distúrbios do sono • Distúrbios alimentares
  8. 8. Manifestações Clínicas Crianças maiores e adolescentes • Dor retroesternal • Pirose • Dor abdominal
  9. 9. Manifestações Clínicas Manifestações respiratórias • Asma de difícil controle • Tosse persistente • Pneumonia de repetição • Apnéia e Síndrome da morte súbita
  10. 10. Manifestações Clínicas Outras • Sinusites • Otites • Halitose • Cáries dentárias
  11. 11. Manifestações Clínicas Esofagite de refluxo • Dor epigástrica ou precordial • Choro excessivo • Hematêmese e melena • Sangue oculto nas fezes • Anemia • Disfagia e odinofagia • Síndrome de Sandifer
  12. 12. Obstruções TGI • Estenose hipertrófica de piloro, • Má rotação/volvo, • Membrana duodenal/antral, • D.hirschsprung, • Hérnia encarcerada, • Intussucepção Outras doenças TGI • DII, alergia alimentar, EEo, pancreatite, D. neurológicas: • Hidrocefalia, Hemorragia intracraniana, Tumores, Enxaqueca Infecções • Sepse, Meningite, OMA, ITU D.metabólicas • Galactosemia, hiperplasia congênita de supra renal, Aminoacidopatias, Diagnósticos Diferenciais
  13. 13. Complicações • Anemia • Atraso desenvolvimento pôndero-estatural • Esofagite • Estenose esôfago • Esôfago de Barrett • Adenocarcinoma
  14. 14. Diagnóstico REED • Não diferencia RGE fisiológico de DRGE • Alterações anatômicas – Má rotação intestinal – Estenose de piloro – Estenose de esôfago
  15. 15. Diagnóstico PHmetria de 24 horas • Diferencia RGE fisiológico de DRGE • Indicações: Sintomas atípicos RGE oculto Avaliar resposta ao tratamento clínico e cirúrgico • Não indicada na presença de esofagite e sintomas típicos
  16. 16. Diagnóstico PHmetria de 24 horas Parâmetros • Número de refluxos: ≤ 50 • Refluxos > 5 min: ≤ 3 • Tempo > refluxo: < 9,2 • pH< 4: < 4,2%
  17. 17. Diagnóstico Impedanciometria • Detecta refluxos ácidos e não ácidos. • A correlação da gravidade, prognóstico e resposta terapêutica em crianças ainda não foi determinada.
  18. 18. Diagnóstico Endoscopia Digestiva Alta • Detecta as complicações do RGE • Esofagite • Estenose péptica • Esôfago de Barrett • Diagnóstico diferencial com outras doenças • Realização de biópsias
  19. 19. Diagnóstico Manometria Esofageana • Diagnóstico de acalásia e desordens motoras. Cintilografia • Aspirações pulmonares • Medida do esvaziamento gástrico • Estuda apenas refluxos pós prandiais • Um exame normal não exclui DRGE US abdominal • Não diferencia RGE fisiológico de DRGE • Diagnóstico de estenose hipertrófica de piloro Tratamento empírico com IBP: • Crianças maiores/adolescentes com sintomas típicos. • Uso empírico por 4 semanas.
  20. 20. Tratamento Objetivos • Melhora clínica • Cicatrização das lesões • Prevenir complicações • Melhorar a qualidade de vida • Evitar efeitos colaterais das medicações
  21. 21. Tratamento • Conservador • Medicamentoso • Cirúrgico
  22. 22. Tratamento Conservador • Medidas gerais – tabagismo – Evitar roupas apertadas • Medidas posturais – Decúbito prono? – Decúbito lateral esquerdo? – Cabeceira elevada ? • Medidas dietéticas – espessamento da dieta?? – menor volume de dieta? • Evitar chocolate, chá, refrigerantes e café
  23. 23. Tratamento Medicamentoso Procinéticos • Cisaprida, Domperidona, Metoclopramida, Betanecol, Eritromicina, Baclofen, Bromoprida. • Risco > Benefício. • Poucas evidências para uso de rotina. • Efeitos colaterais: prolongamento de QT (> risco morte súbita), letargia/irritabilidade, ginecomastia/galactorréia, sintomas extrapiramidais, torpor, vertigem, convulsão. • Distúrbios de Motilidade
  24. 24. Tratamento Medicamentoso Antagonista do Receptor de Histamina (H2) • Ranitidina, Cimetidina, Famotidina, Nizatidina • Inibem os receptores H2 nas células parietais gástricas → diminuindo a secreção ácida • Uso crônico: ↓ efeito inibitório ácido • Efeitos colaterais: irritabilidade, cefaléia, hepatopatia, ginecomastia (cimetidina)
  25. 25. Tratamento Medicamentoso Inibidores da Bomba de Prótons • Omeprazol, Pantoprazol,Esomeprazol, Lansoprazol. • Bloqueiam a bomba de NaK ATPase (bomba de prótons) nas cél. Parietais • Uso crônico: não ↓ efeito inibitório ácido • Tempo: 12 semanas • Não são recomendados para < 1 ano • Esofagite erosiva, estenose péptica, Barrett • 0,7 a 3,5 mg / Kg / dia, max. 80 mg / dia • Cápsulas – grânulos ácido resistentes • MUPS ( multiunit pelets system )
  26. 26. Tratamento Medicamentoso Inibidores da Bomba de Prótons Efeitos colaterais • Cefaléia • Náuseas • Diarréia • Constipação • Nefrite intersticial aguda (adultos) • Hipergastrinemia - Hiperplasia de célulasparietais e pólipos de glândulas fúndicas • Hipocloridria - pneumonia comunitária, gastroenterite, candidemia, enterocolite necrotizante.
  27. 27. Tratamento Cirúrgico • Fundoplicatura • ↑ pressão no EEI • ↓ no de relaxamentos transitórios EEI • ↑ porção esofagiana intraabdominal • Acentua o ângulo de Hiss • Corrige a hérnia hiatal • Não corrige o clearence esofagiano, esvaziamento gástrico ou outras desordens de motilidade • Indicações – Falência Terapêutica ou complicações graves
  28. 28. OBRIGADA SFMELO@HOTMAIL.COM

×