UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULOESCOLA PAULISTA DE MEDICINAPROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃOEM CIRURGIA PLÁSTICA REPARADORACoorde...
Parte do espectro óptico da luz solar não visívelcom comprimento de onda entre 100 e 400 nmRADIAÇÃO ULTRAVIOLETA - SOLARUV...
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA• Massa de ar• Turvação do ar• Espessura dacamada de ozônioBARREIRAS
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETABaixas doses - produzir vitamina DEfeitos biológicos na pele:EritemaPigmentaçãoImunomodulaçãoMutageni...
Melanina• FotoproteçãoEspessamentoPROTEÇÃO FISIOLÓGICA À RUVPROTEÇÃO FISIOLÓGICA À RUV
APOPTOSEAPOPTOSECélulasQueimaduraSolar1 220100Dose Eritematosa Mínima
GENESS.Halking 2002
MUTAGÊNESE E RESPOSTAS CELULARES ÀS LESÕES NO DNA
LESÃO DNA PELA RUV E SEU REPAROSubstâncias Mutagênicas:Dímeros de pirimidinaDímeros de timinaFotoprodutos 4- 6Xeroderma pi...
REPARO POR EXCISÃO DE NUCLEOTÍDEOSXeroderma pigmentoso• p53
CLARK, ELDER E GUERRYMelanócitos denevos displásicosMelanomain situMelanócitos delesões névicasMelanomade CVMelanomametast...
METÁSTASEStaquicini
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETARADIAÇÃO ULTRAVIOLETA• Queratinócitos- FGF-2, Endotelinas, M/SCF• Fibroblastos- FGF-2, M/SCF, HGF/SFM...
Três tipos principais:• Carcinoma Basocelular• Carcinoma Espinocelular• MelanomaCÂNCER DE PELE
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETAALTAS DOSES PODEM CAUSAR CÂNCER DE PELE• Exposição prolongada, constante(cumulativa)• Carcinoma basoc...
CÂNCER DE PELEespinocelularbasocelular melanoma
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETATipos de pele de acordo com a reação ao sol(Fitzpatrick – 1988)Nunca se queimamRaramente se queimam e...
FATOR DE RISCO RISCO RELATIVOLesões pigmentadasNevus atípicos com história familiar 148Nevus atípicos sem história familia...
DIAGNÓSTICO CLÍNICO - ABCDA B C D
FATORES DE RISCOFATORES DE RISCONEVUS CONGÊNITO GIGANTE NEVUSNEVUS DISPLÁSICODISPLÁSICO
DERMATOSCOPIA
BRASIL – MELANOMA - 2003CASOS ESTIMADOS : 4470(Total = 402.190)MORTES ESTIMADAS : 1125(Total = 126.960)Fonte: INCAEPIDEMIO...
Milvia Enokihara, 2003BRESLOW
PREVENÇÃO PRIMÁRIA• Global Camada Ozônio• Individual Não exposição ao SolProteção ao SolMELANOMA CUTÂNEOA incidência do MC...
PREVENÇÃO SECUNDÁRIAAs taxas de sobrevida são muito diferentes paraaqueles com lesão primária com espessura finaPouca resp...
• 90% dos MC - Exame Clínico• Período prolongado de crescimento horizontal• Diagnóstico precoce – 100 % curável• Tratament...
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETAFPSDose eritematosa mínimaÍndice Ultravioleta
RADIAÇÃO ULTRAVIOLETAUVAUVB (pouco)CarcinomasMelanomaPUVACECCÂMARAS DE BRONZEAMENTO
Radiação ultravioleta e câncer de pele
Radiação ultravioleta e câncer de pele
Radiação ultravioleta e câncer de pele
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Radiação ultravioleta e câncer de pele

734 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
734
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radiação ultravioleta e câncer de pele

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULOESCOLA PAULISTA DE MEDICINAPROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃOEM CIRURGIA PLÁSTICA REPARADORACoordenadora e Professora Titular:Profa.Dra.Lydia Masako FerreiraRenato Santos de Oliveira FilhoRADIAÇÃO ULTRAVIOLETAE CÂNCER DE PELEUNIFESP
  2. 2. Parte do espectro óptico da luz solar não visívelcom comprimento de onda entre 100 e 400 nmRADIAÇÃO ULTRAVIOLETA - SOLARUVA 315 – 400 nm(derme)UVB 280 – 315 nm(epiderme)UVC 100 – 280 nmmaior energianão chega na Terra(Ozônio)dermeepidermeTecidoadiposo
  3. 3. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA• Massa de ar• Turvação do ar• Espessura dacamada de ozônioBARREIRAS
  4. 4. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETABaixas doses - produzir vitamina DEfeitos biológicos na pele:EritemaPigmentaçãoImunomodulaçãoMutagenicidadeCarcinogenicidadeFotoenvelhecimento
  5. 5. Melanina• FotoproteçãoEspessamentoPROTEÇÃO FISIOLÓGICA À RUVPROTEÇÃO FISIOLÓGICA À RUV
  6. 6. APOPTOSEAPOPTOSECélulasQueimaduraSolar1 220100Dose Eritematosa Mínima
  7. 7. GENESS.Halking 2002
  8. 8. MUTAGÊNESE E RESPOSTAS CELULARES ÀS LESÕES NO DNA
  9. 9. LESÃO DNA PELA RUV E SEU REPAROSubstâncias Mutagênicas:Dímeros de pirimidinaDímeros de timinaFotoprodutos 4- 6Xeroderma pigmentosop53 (reparo celular)- Iniciação- Promoção- Progressão
  10. 10. REPARO POR EXCISÃO DE NUCLEOTÍDEOSXeroderma pigmentoso• p53
  11. 11. CLARK, ELDER E GUERRYMelanócitos denevos displásicosMelanomain situMelanócitos delesões névicasMelanomade CVMelanomametastáticoInvasividadeInstabilidade Genética
  12. 12. METÁSTASEStaquicini
  13. 13. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETARADIAÇÃO ULTRAVIOLETA• Queratinócitos- FGF-2, Endotelinas, M/SCF• Fibroblastos- FGF-2, M/SCF, HGF/SFMITÓGENOSFGF-2 - modulador da migração demelanócitos e melanomas(nevus, FCR FCV)
  14. 14. Três tipos principais:• Carcinoma Basocelular• Carcinoma Espinocelular• MelanomaCÂNCER DE PELE
  15. 15. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETAALTAS DOSES PODEM CAUSAR CÂNCER DE PELE• Exposição prolongada, constante(cumulativa)• Carcinoma basocelular• Carcinoma espinocelular• Exposição intensa repetida (queimaduras)• Melanoma
  16. 16. CÂNCER DE PELEespinocelularbasocelular melanoma
  17. 17. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETATipos de pele de acordo com a reação ao sol(Fitzpatrick – 1988)Nunca se queimamRaramente se queimam e bronzeiam-semuitoQueimam-se pouco e bronzeiam-sebastanteQueimam-se moderadamente ebronzeiam-se uniformementeSempre se queimam/bronzeado leveSempre se queimam nunca se bronzeiamTipo VITipo VTipo IVTipo IIITipo IITipo I
  18. 18. FATOR DE RISCO RISCO RELATIVOLesões pigmentadasNevus atípicos com história familiar 148Nevus atípicos sem história familiar 7-70Lentigo Maligno (in situ) 10Nevos melanocíticos benignos 2-64Nevus congênito 17-21Idade >= 15 anos 88Melanoma cutâneo prévio 5-9Antecedentes familiares de melanoma cutâneo 2-8Imunossupressão 2-8Exposição excessiva ao sol 3-5Sensibilidade ao sol 2-3FATORES DE RISCO
  19. 19. DIAGNÓSTICO CLÍNICO - ABCDA B C D
  20. 20. FATORES DE RISCOFATORES DE RISCONEVUS CONGÊNITO GIGANTE NEVUSNEVUS DISPLÁSICODISPLÁSICO
  21. 21. DERMATOSCOPIA
  22. 22. BRASIL – MELANOMA - 2003CASOS ESTIMADOS : 4470(Total = 402.190)MORTES ESTIMADAS : 1125(Total = 126.960)Fonte: INCAEPIDEMIOLOGIACasos novos:1,69 homens e 1,71 mulheres/ 100.000Mortalidade:0,67 homens e 0,48 mulheres/ 100.0000
  23. 23. Milvia Enokihara, 2003BRESLOW
  24. 24. PREVENÇÃO PRIMÁRIA• Global Camada Ozônio• Individual Não exposição ao SolProteção ao SolMELANOMA CUTÂNEOA incidência do MC continuaaumentando, duplicará a cada 10 anos
  25. 25. PREVENÇÃO SECUNDÁRIAAs taxas de sobrevida são muito diferentes paraaqueles com lesão primária com espessura finaPouca resposta aos tratamentos não cirúrgicosDiagnóstico precoce – tratamento cirúrgico• Auto-exame• Exame ClínicoMELANOMA CUTÂNEO
  26. 26. • 90% dos MC - Exame Clínico• Período prolongado de crescimento horizontal• Diagnóstico precoce – 100 % curável• Tratamento cirúrgico apenas• Fatores de risco:• Diminuição da camada de ozônio• Radiação ultravioleta e Lesões precursorasASPECTOS IMPORTANTESMELANOMA CUTÂNEO
  27. 27. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETAFPSDose eritematosa mínimaÍndice Ultravioleta
  28. 28. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETAUVAUVB (pouco)CarcinomasMelanomaPUVACECCÂMARAS DE BRONZEAMENTO

×