Propedeutica abdominal

2.247 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.247
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
77
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Propedeutica abdominal

  1. 1. Sergio H.S.Domingues
  2. 2.  Ao final da Aula os alunos deverão estar aptos a: › Procurar realizar um exame clínico do abdome de forma a buscar alguma informação induzida pela anamnese › Interpretar os achados clínicos do exame › Juntamente com a anamnese e estes achados de exame clínico, formular hipóteses diagnósticas, e adotar alguma conduta. Sergio H.S.Domingues
  3. 3.  70% dos diagnósticos gastroenterológicos são feitos com a história clínica 90% associando-se o exame físico Frequentemente exames subsidiários são desnecessários e confundem Sergio H.S.Domingues
  4. 4.  A Prática é muito mais importante que a teoria Sergio H.S.Domingues
  5. 5.  Postura Médica › Realizar anamnese adequadamente › Partir para o exame físico já com idéias do que irá encontrar. › Buscar explicações fisiopatológicas plausíveis com as informações obtidas, tanto na anamnese como no exame clínico. › Explicar ao paciente seu raciocínio, baseado nestas informações e plano de abordagem. Sergio H.S.Domingues
  6. 6.  Anamnese e Exame físico dirigido ? Lembrar que uma queixa digestiva pode se secundária a uma afecção não digestiva. Conversar e examinar o paciente como um todo. Medicina Preventiva Evitar exames complementares desnecessários Paciência Sergio H.S.Domingues
  7. 7. ABDOME POSTERIOR
  8. 8. Inspeção palpação percussãoausculta Sergio H.S.Domingues
  9. 9.  Estática › Tipos de abdome › Distensão abdominal › Lesões cutâneas › Veias › cicatrizes Dinâmica › Hérnias › Pulsações › Movimentos peristálticos
  10. 10. SINAL DE CULLENSINAL DE GREY TURNER
  11. 11. NORMAL PORTAL CAVA INFERIOR
  12. 12.  Esperado  Não esperado › Simétrico › Assimétricos › Sem lesões cutâneas › c/lesões cutâneas › Sem circulaçao colat. › c/circ.colateral › Sem abaulamentos › Com abaulamentos › Sem retrações › Com retrações Sergio H.S.Domingues
  13. 13.  Esperado  Não esperado › Sem movimentos › Com movimentos peristálticos visíveis peristálticos visíveis › Sem pulsações › Com pulsações › Sem herniações › Com herniações › Movimentos peristálticos em pacientes magros Sergio H.S.Domingues
  14. 14. Ruídos hidroaéreosSoprosVasculejoborborigmas
  15. 15.  Esperado  Não esperado › RHA em número e › RHA aumentados timbre normais em número e/ou › Sem sopros timbre › Sem vasculejo › Presença de sopros › Vasculejo presente Sergio H.S.Domingues
  16. 16.  Esperado  Não esperado › Timpanismo › Ausência de › Macicez hepática macicez hepática › Traube livre › Traube percutível › Macicez móvel Sergio H.S.Domingues
  17. 17.  Superficial Profunda Descompressão brusca
  18. 18.  Fossa ilíaca direita  Fossa ilíaca esquerda › Apendicite complicada › Fezes › Tumor › Tumor › Doença de Crohn › Diverticulite › Rim pélvico › Tu ou cisto do ovário › Tu ou Cisto do ovário › Abscesso do psoas › Abscesso do Psoas › Tb ileocecal › Fezes
  19. 19.  Abdome superior › Linfadenopatia retroperitoneal › Hepatoma › Aneurisma de aorta abdominal › Tu gástrico › Tu ou Pseudocisto de pâncreas › Dilatação gástrica › Tu de cólon transverso › Fezes
  20. 20.  Esperado  Não esperado › Flácido, sem dor › Hipertonia › Ausência de Massas  Voluntária  involuntária › Solução de continuidade › Massas palpáveis › Presença de solução de continuidade Sergio H.S.Domingues
  21. 21.  Esperado  Não esperado › Fígado até 2-4cm › Fígado > 4 cm, RC, consistência endurecido, bordo nl,bordo fino, superf. irregular, superf. Lisa, sem dor Irreg., doloroso › Baço não palpavel › Baço palpável › Sem massas › Massas tumorais tumorais › Plastrões › Ceco gargarejante › Dor a palpação › Sigma nl › DB Sergio H.S.Domingues
  22. 22. InspeçãoPercussãoPalpação métodos posiçõesAusculta
  23. 23. AUSCULTA DO FÍGADO – MÉTODO DA CANETA
  24. 24. Vesícula palpável - visível
  25. 25. Percussão dígito-digitalintensamente dolorosa,localizada e circunscrita consisteo Sinal de Torres-Homem,característico de abscessohepático.
  26. 26.  Espaço de Traube Percussão Palpação › Posições especiais
  27. 27. TraubeEspaço de TraubeEspaço semilunar do sexto ao décimo primeiro espaços intercostais,tendo como limites: gradeado costal, baço, pâncreas, cólon, rim eestômago. Normalmente quando percutido apresenta timpanismo. T6-T12
  28. 28. MANOBRA DE SCHUSTER
  29. 29. MANOBRA DE SCHUSTER
  30. 30. Características do BaçoBaço infeccioso agudo (malária, endocardite) Volume aumentado (até 3-4 cm), mole, borda cortante e extremamente dolorosoBaço “crônico” (esquistossomose, linfomas, malária) Volume aumentado, duro, borda romba e indolorBaço “crônico” (LMC, mielofibrose, leishmaniose) Volume muito aumentado (até FID), borda romba, duro, indolor Superfície: lisa hipertensivo, inflamatorio irregular linfomas
  31. 31.  Inspeção Círculo de Skoda Teste da macicez móvel Teste da Poça Teste da onda líquida › Piparote - peteleco Palpação pelo rechaço
  32. 32.  Inspeção Percussão › Toque retal (abaulamento fundo de saco de Douglas) (<300mL) È o método mais precoce para diagnóstico de ascite !!! › Teste da macicez móvel (0,3 a 1L) › Semicírculo de Skoda) (1-3L) › Teste da onda líquida ( Piparote – Peteleco) (>3L) Palpação pelo rechaço
  33. 33. RimPunhopercussão dolorosa = Sinal de Giordano Aumento unilateral: tumor ou hidronefrose Aumento bilateral: hidronefrose, rins policísticos
  34. 34. Dor localizada na região abdominal queseja suficiente para fazer com que opaciente procure auxílio médico e que nãotenha diagnóstico prévio, com duraçãoinferior a 6-24h.
  35. 35. Caract. Inflam. Obstrut. Perf. Hemorrag. Vascular Dor Mod – Forte Mod Fortissima Forte Leve - ModPalpação “Plastrão” Distensão “Tábua” Macicez ndn Pneumoperitô móvel nio RHA ↓ ↑ Ausente ↓ ou normal ausenteImportante Idade, Cirurgia Uso AINH, Gravidez Arritmia apêndice, prévia, úlcera ectópica, cardíaca, vesícula, chagas, péptica, trauma, tromboilia, pâncreas, hérnias, perfuração romp. ateromas, divertículos, neop. cólon, intestinal Baço, aneurisma DIP, DII bolo áscaris rotura de aorta aneurisma íntegro, IAM aorta
  36. 36. Sergio H.S.Domingues
  37. 37. Sergio H.S.Domingues
  38. 38. Sergio H.S.Domingues

×