Patologias do pé

5.654 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
2 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.654
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
231
Comentários
2
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Patologias do pé

  1. 1. PATOLOGIAS DO PÉControle da Pronação excessiva Hálux Valgus (joanete)Fasceíte plantar O Neuroma de MortonMetatarsalgias Dores no JoelhoCalosidades Shin Splints ou Periostíte tibialTendinite de Aquiles Dismetria de membrosOutras Condições PatológicasControlo da Pronação excessivaA pronação excessiva é um problema biomecânico comum queocorre quando o arco plantar de uma pessoa abate no momentoque se tem o apoio do peso corporal sobre o pé. Este movimentopode causar o stress ou a inflamação extrema da fáscia plantar,causando desconforto extremo e conduzindo a outros problemasdos pés.Tratamento e Prevenção:Pode ser tratado conservadoramente (tratamentos não-cirúrgicos).O uso de palmilhas com sustentação de arco plantar apropriada eaumento do bordo medial para impedir excessiva pronação.Fascíte plantarDor leve ou sensibilidade nas áreas das solas dos pés próximas aoarco plantar ou calcanhar. Gradualmente, ela torna-se mais severalocalizando-se num local abaixo do calcanhar onde sente como setivesse uma “elevação”.É causada pelo stress repetitivo de uso excessivo(corredores)resultando de demasiado impacto numa área específica do pé. Écausada geralmente por um problema biomecânico, tal como apronação excessiva e/ou pés planos.Tratamento e Prevenção:Para tratar correctamente a dor da sola do pés, deve absorverchoque, fornecer amortecimento e aumentar o salto posteriortransferindo a pressão para outras áreas. É necessário uso depalmilha com suporte do arco e ou correcção da pronaçãoexcessiva, confeccionada com materiais que absorverão impacto.
  2. 2. MetatarsalgiasÉ um termo geral usado para designar uma condição dolorosa dopé na região dos metatarsos (a área imediatamente antes dosdedos do pé). É a localização mais frequente de dor no pé, sendoimportante ressaltar o predomínio dessas afecções no sexofeminino, em uma proporção de 85,5%, evidenciando com isso,fora uma predisposição congénita, a notável influência do uso decalçados de salto alto.Causas:Uma ou mais áreas do pé, cabeças dos metatarsos tornam-sedolorosas e ou inflamadas, geralmente devido à pressãoexcessiva sobre um período de tempo longo. Frequentementeassociado ao uso de calçados impróprios, ou por sapatos de saltoalto em mulheres.Tratamento e Prevenção:O primeiro passo para tratamento da metatarsalgia é determinara causa da dor. Se os calçados impróprios forem a causa da dor,os calçados devem ser substituídos. O calçados devem ter umafrente mais larga, para acomodar melhor os dedos e um soladobiomecânico com angulação ideal na frente para reduzir a cargano antepé.O uso de uma palmilha com dispositivo de alívio naregião dos metatarsos, barra ou almofada atrás da cabeça dosmetatarsos, alivia geralmente a característica da dor.
  3. 3. CalosidadesSão causadas por uma acumulação de tecidos inoperantes dapele que se endurecem e acumulam sobre uma área do pé.Causas:Algumas causas comuns da formação do calos são o uso desapatos inadequados, demasiado pequenos e estreitos, comsaltos elevados, o excesso de peso corporal (obesidade), pésplanos, pés com arcos elevados, proeminências ósseas, e aperda da camada gorda, protectora, de tecido na sola dos pés.Tratamento e Prevenção:Cortar ou usar produtos químicos sem orientação de um médicoespecialista não é a maneira correcta de tratar os calos. Isto émuito perigoso e pode piorar o problema, tendo por resultado osferimentos desnecessários. Os diabéticos em especial nuncadevem retirar os seus calos, devem deixar sob os cuidados deum profissional especializado, após prescrição médica. Otratamento deve consistir em eliminar ou aliviar a causa, oexcesso de pressão. O peso e pressão sobre a planta dos pésdevem ser redistribuídos igualmente com o uso de palmilhas sobmedida confeccionadas com matérias que absorção de impacto.Tendinite de AquilesCausada por inflamação e degeneração do tendão de Aquiles. Ador pode ser em pontada, dor tipo queimadura, ou mesmo umador extremamente perfurante. A Tendinite de Aquiles éagravada pelas actividades que forçam repetidamente o tendão,causando a inflamação. É um problema comum experimentadofrequentemente por atletas, particularmente corredores de longadistância.Causas:Existem diversos factores que podem causar a Tendinite deAquiles. A causa a mais comum é a pronação excessiva dos pés.Tratamento e Prevenção:Pacientes devem usar uma palmilha para controlar uma possívelpronação excessiva, com apoio de arco longitudinal medial ecom elevação posterior para reduzir Stress sobre o tendão. Apalmilha deve ser confeccionada com matérias leves, resistentese combinadas com materiais que absorvam o impacto. Nos casosonde o problema persiste, deverá retornar ao seu médico.
  4. 4. Hálux Valgus (joanete)É o desvio do grande dedo em valgo, para lateral, em direcçãoaos outros dedos, projetando-se realmente para o interior do pée pode estar associado ou não a uma inflamação da bursalocalizada porção lateral do 1º dedo (hálux).Causa:O Hálux valgus é um problema comum experimentado na maiorparte por mulheres. A deformidade pode aparecer de umaanormalidade na função do pé, ou de artrite, mas é causadomais frequentemente pelo uso de calçados inadequados,pequenos e estreitos, que faz com que os dedos do pé sejamespremidos fazendo com que o primeiro osso metatarsicoprojecte-se para lado do pé.Tratamento e Prevenção:Nos estágios adiantados da formação de um Hálux valgus,quando em presença do joanete (inflamação da bursa) os péspodem ser embebecidos na água morna, para alívio provisório.Deve-se fazer uso de sapatos adequados, com frente mais largae ampla para que os dedos não fiquem pressionados e uso decalçados em neoprene confeccionados especialmente para ospacientes com joanete. O uso de palmilhas é recomendado parafornecer conforto, sustentação, protecção extra e corrigirinsuficiência do primeiro raio. Se o problema persistir, consulteseu médico especializado..
  5. 5. O Neuroma de MortonÉ um problema comum do pé associado com a dor, oinchaço e/ou uma inflamação de um nervo, geralmenteentre 3º e 4º dedos do pé, com perda da sensibilidade e/ouformigueiro extendendo-se por esses dedos.Causa:É uma função anormal do pé relacionada aos ossos queespremem um nervo geralmente entre as 3ns e 4nscabeças dos metatarsos. Os calçados com dedos do pépontiagudos e/ou os saltos elevados podemfrequentemente conduzir a um neuroma. Podem comprimiro nervo entre os dedos do pé, causando o desconforto e ador extrema.Tratamento e Prevenção:A primeira etapa no tratamento Neuroma de Morton deveseleccionar calçados apropriados. Os calçados com umafrente larga e profunda (área do dedo do pé) são ideaispara tratar e aliviar a dor. A etapa seguinte no tratamentoé usar uma palmilha com um apoio metatarsico, situadoatrás do terceiro e quarto metatarsos, para distribuir apressão, em outras áreas que tolerem melhor, e aliviar ador causada pelo neuroma.Dores no JoelhoA dor anterior do joelho pode ser o resultado de alterações mecânicasdo pé. É bastante comum nos jovens que vêm aumentando as suasactividades desportivas. Esta dor pode ser causada por uma pronaçãoexcessiva do pé, que por consequência gera uma maior rotação internade tíbia, provocando lateralização da rotula. Este posicionamento darotula produz uma má congruência que pode gerar dor e instabilidadeno joelho. A fraqueza da porção medial da musculatura extensora dojoelho pode agravar o problema.Tratamento:Controlando o excesso de pronação com o uso de uma palmilha sobmedida, confeccionada com materiais semi-rígidos, e um trabalhoapropriado de fortalecimento do músculo quadríceps os resultadospodem ser muito desejáveis.
  6. 6. Shin Splints ou Periostíte tibialShin splints apresentam-se como dor ao longo datíbia que se desenvolve gradualmente por váriassemanas. O termo médico para esta patologia é aperiostite de tíbia que significa inflamação doperiósteo, uma membrana densa composta portecido conjuntivo fibroso que envolve a superfíciedo osso. È uma patologia bastante comum naspráticas desportivas, principalmente entre oscorredores. Factores predisponentes incluem errosno treino, variações anatómicas e déficit na técnicade corrida. Um tendão de Aquiles fraco ouencurtado pode estar presente.Tratamento:O uso de uma palmilha para suportar o pé eimpedir o excesso de pronação, juntamentecomum tênis com boa capacidade de absorção deimpacto são recomendados.Dismetria de membrosAlguns pacientes apresentam dores emdiversas regiões do corpo, principalmentejoelho e coluna, simplesmente porapresentarem um membro mais curto doque o outro. Em alguns casos estasdismetrias são desconhecidas e podemgerar problemas de desequilíbriosmusculares no corpo. Para os praticantesde desportos uma dismetria pode provocarsérios problemas de desiquilibrio musculare assim, provocar lesões inesperadas.
  7. 7. Tratamento:Recomenda-se o uso de palmilhas decompensação para prevenção de lesões eno tratamento de processos dolorososcausados por desalinhamento corporal..Outras Condições PatológicasAlinhamento posturalOsteoartrites e Artrite Reumatóide
  8. 8. Pés pós traumáticosPrevenção das lesões no desportoNos casos mais complexos torna-se necessário umacompreensão detalhada da função do pé. Isto será feitoexaminando o pé utilizando o sistema computadorizado.Pode-se incluir uma escala de estudos do movimento, deanálise de marcha e pressão plantar, da avaliaçãopostural, do alinhamento ou de outras técnicasrelevantes.
  9. 9. Segundo o Consenso Internacional de Pé Diabético, a prevalência global de diabetes em 1996 era de120 milhões de pessoas, com previsão de alcançar 250 milhões de indivíduos em 2025.As úlceras nos pés e as amputações dos membros inferiores são complicações muito graves e de altocusto para o paciente e para a sociedade, estando associadas frequentemente à alta morbilidade emortalidade e elevadas taxas de recorrência. As feridas complicadas requerem abordageminterdisciplinar, realizada por equipas treinadas e familiarizadas com a abordagem do pé diabético.Como diabético precisa de cuidar dos seus pés. Uma vez que desenvolva problemas com pé diabéticoo tratamento pode tornar-se difícil.NeuropatiaO que é neuropatia ?Neuropatia é a perda gradual da função do nervo devido a diabetes. A alteração mais comum é aperda da sensibilidade, ou melhor, da sensação tátil dos pés e pernas.Como eu sei que tenho neuropatia ?Neuropatia geralmente acontece de forma lenta. Pode não notar inicialmente porque ela é a ausênciaou redução da sensação tátil. É dificil ficar atento para aquilo que não sente! Um exame médico outestes especiais podem ajudar a fazer o diagnòstico.A neuropatia causa perda da sensibilidade. Porque é que ás vezes eu sinto dor ou dormência no meupé ?A neuropatia pode fazer com que os nervos fiquem "fora de controle" ou transmita impulsos quepode experimentar como ausência de sensibilidade tátil, dormência, sensação de queimadura,agulhadas, choques ou qualquer combinação dos sintomas acima.Todos os diabéticos têm neuropatia ?A probabilidade de ter neuropatia aumenta com a idade. Quanto mais tempo de diabetes maior ahipotese de desenvolver neuropatia. Muitos casos são leves, mas outros são muito severos. Agravidade da neuropatia não necessariamente corresponde com a gravidade da diabetes. Algumaspessoas com diabetes leve podem ter neuropatia grave.A neuropatia afecta somente os pés ?A neuropatia pode também envolver os tornozelos, pernas e as vezes as mãos. A tendência é sermais grave nos pés que nas pernas. A neuropatia das pernas raramente vai acima dos joelhos.O que pode acontecer com o meu pé se eu tiver neuropatia ?Pode ferir ou cortar os seus pés sem perceber, simplesmente porque não sente dor ou usar calçadosque não são adequados e formar bolhas ou feridas (úlceras). Inicialmente isto pode causar pequenosproblemas, que podem progredir para outros mais sérios. Isto quer dizer que toda a vez que tiver umpequeno ferimento ou uma infecção menor deve procurar o seu médico. É muito frequente o pacientenotar uma pequena área de inchaço ou avermelhada, mas não valoriza porque não sente dor. Depoiso paciente pode perder todpo o pé. O que é mais perigoso na neuropatia é a falta de sensibilidade,porque isto faz com que a lesão não seja reconhecida.
  10. 10. CirculaçãoComo a diabetes afecta a circulação ?A diabetes pode contribuir para o estreitamento das artérias e a diminuição da circulação na perna.Entretanto, a neuropatia e a não circulação são as principais causas dos problemas do Pé Diabético.Uma circulação pobre afecta a cicatrização?A sua pele e outros tecidos do corpo dependem de uma boa circulação sanguínea para levar oxigénioe nutrição. Uma circulação pobre pode resultar em alterações na pele e causar cortes, queimaduras,bolhas e outras lesões de pobre cicatrização. Algumas vezes um cirurgião vascular pode através decirurgia aumentar a circulação para os pés e pernas ajudando na cicatrização de úlceras e outrosferimentos.InfecçãoPorque as infecções causam problemas nos pés?As infecções podem espalhar-se rapidamente pelos pés, dando pouco aviso. Lesões menores podemtornar-se úlceras e então desenvolver infecções profundas. Infecções graves dos tecidos e ossosnecessitam de cirurgia além de antibióticos.Quais são os sinais de uma possível infecção ?Alguns sinais podem levar a suspeita de infecção. Febre associada a ferimentos ou bolhas nos pés e oaumento de açúcar na urina.Neuro-Artropatia de CharcotA Neuro-Artropatia de Charcot é uma situação clínica bastantegrave e que compromete muito a qualidade de vida do indivíduo,além de ameaçar bastante a manutenção do membro, caso nãoseja abordada apropriadamente. O típico paciente portador deartropatia de Charcot encontra-se entre a quinta e sétimadécadas de vida, com pés insensíveis, acima do peso,apresentando diabetes de longa duração e tentativas hiperémicasde remodelação óssea, culminando na grande maioria das vezes,com pés bastante deformados com ou sem úlceras.O objectivo do tratamento da artropatia de Charcot nos pés éobter como produto final, um pé plantígrado e estável, livre deúlceras e que possa ser acomodado em calçados apropriados.Nos estágios iniciais da doença um bom controlo metabólico dadiabetes e um adequado manuseio ortótico muitas vezes leva aum resultado desejável e conduz esses pés ao estágio deestruturação e resolução final onde se atinge o objectivoesperado.
  11. 11. AMPUTAÇÃO E DIABETESSabe-se que o principal factor de risco para a entrada no cenário do Pé Diabético é a perda dasensibilidade protectora dos pés, advinda da neuropatia diabética que comumente se instala devido aestados hiperglicémicos crónicos e mal controlo metabólico da doença. Com este evento, aumentammuito as possibilidades de desenvolvimento das úlceras nos pés e eventuais amputações do membro.Estratégias de prevenção devem nortear todos os serviços de saúde que recebam indivíduosportadores de diabetes, uma vez que 85% das amputações do membro inferior são precedidas porúlceras. Assim, observa-se que se pudermos prevenir as ulcerações nos pés dos portadores dediabetes, estaremos a reduzir agressivamente os índices de amputações, além de estarmos a diminuirconsideravelmente os encargos sociais, económicos e culturais do país.Mensagem“É importante que todos se conscientizem de que o Pé Diabético pode assumir uma forma clínicabastante grave, que além de comprometer muito a qualidade de vida dos portadores de diabetes eameaçar não só a manutenção do membro mas também da vida, onera demais economicamente ospacientes, a sociedade e os sistemas de saúde públicos ou privados. Assim, a abordageminterdisciplinar desempenhada por profissionais treinados e bem preparados na abordagem do PéDiabético em sua essência e totalidade, informando, educando e assistindo não só aos pacientes, mastambém a todos que se interessam pelo tema e por esta problemática, torna-se um dos pontosfundamentais no desfecho favorável deste cenário”.Prevenção Pé DiabéticoA educação e os cuidados preventivos constituem os principaisfactores no entendimento e na execução de todos os programasreferentes à abordagem do Pé Diabético. Dessa forma, vale a penaressaltar alguns cuidados considerados simples, mas cruciais parauma adequada orientação desses pacientes.Veja o Guia(download do arquivo)
  12. 12. Tratamento EspecializadoNa Ortopaulos, utilizamos o mais recomendado para tratamento com ortóteses, calçadospreventivos, calçados terapêuticos, palmilhas individualizadas para cada caso e, orientações quantoaos cuidados gerais com o pé diabético.As úlceras nos pés e as amputações dos membros inferiores são complicações muito graves e de altocusto para o paciente e para a sociedade, estando associadas frequentemente à alta morbilidade emortalidade e elevadas taxas de recorrência. As feridas complicadas requerem abordageminterdisciplinar, realizada por equipa treinada e familiarizada com a abordagem do pé diabético.Para prevenção das complicações do pé diabético, como úlceras eamputações, é imprescindível que todos os pacientes façam uso decalçados e palmilhas específicos para os pés..O FootScan possibilita uma melhor solução para caso individualmente,proporcionando um tratamento de alívio da pressão em pontos específicosdo pé diabético. Além da representação física dos pontos de pressão, oFootScan permite representação da análise do relacionamento Tempo xárea que é um fator determinante para o definirmos o risco doaparecimento de lesões.Com o FootScan, temos reais condições de promover o máximo noatendimento de nossos pacientes, obtendo resultados satisfatórios notratamento do pe diabético..ImportanteNão se pode iludir com recomendações de calçados confortáveis comosendo apropriados para o pé diabético, deve-se exigir calçadosespecíficos, desenvolvidos especialmente para os diabéticos, commáxima protecção e avançada tecnologia..Palmilhas e Calçados PreventivosOs calçados e as palmilhas têm um papel importanteno tratamento preventivo do pé diabético.As palmilhas projectadas para oferecer o máximo decontacto nas solas dos pé e assim garantir uma boadistribuição da pressão plantar e o máximo deconforto, são projectadas a partir de um moldegessado e confeccionadas com materiais como o“Plastazote”, utilizados geralmente .O plastazote é um
  13. 13. material projectado para acomodar a pressão "pontos”conformando-se ao calor e à pressão.Utilizamos a mais alta tecnologia para fabricação de nossas palmilhas, agregando o plastazote aoutros materiais importados, garantindo conforto, protecção e saúde aos seus pés.

×