Mmii - perna, tornozelo e pé

1.974 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.974
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
91
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mmii - perna, tornozelo e pé

  1. 1. MMII:PernaTornozelo e Pé
  2. 2. Perna:Estruturas anatômicas
  3. 3. Articulações visualizadas
  4. 4. Incidências1- AP
  5. 5. IndicaçãoPatologias envolvendo fraturas, corpos estranhos ou lesõesósseas.
  6. 6. Perfil
  7. 7. Indicação- Localização de lesões e corpos estranhos- Determinação da extensão e do alinhamento defraturas (Grau de diástase e a angulação que estatíbia assumiu após o trauma).
  8. 8. Principais Alterações1- Fraturas da tíbia e fíbula
  9. 9. Classificação:- Transversais ou Cominutivas: Trauma diretoEx: atropelamentos, acidentes de transito e agressões por arma defogo.Transversal cominutiva
  10. 10. - Obliquas ou Espiróide : Trauma indiretoEx: quedas e traumatismo durante a pratica de esporte.→ Mecanismo torsional da lesão.Obliqua espiróide
  11. 11. Incidência APFratura da Tíbia e Fíbula Obliqua: Mecanismo do trauma?
  12. 12. APFratura da Tíbia e Fibila / transversal
  13. 13. AP e PerfilFratura da Tíbia e Fíbula/ Transversal
  14. 14. Fixador externo
  15. 15. Agora é com vocês...
  16. 16. APFratura da Tíbia e Fíbula/ cominutiva
  17. 17. AP e PerfilTratamento cirúrgico da fratura cominuitva
  18. 18. PERFIL
  19. 19. APFratura obliqua da Tíbia
  20. 20. TornozeloIncidências básicas: AP, Perfil ou lateral.
  21. 21. AP
  22. 22. Médio LateralTálusMaléolo medialNavicularBase do 5 metatarsocubóide
  23. 23. Alterações demonstradas Fraturas Fraturas - luxações
  24. 24. FraturaFraturas básicas:A- Fratura unimaleolarB- Fratura bimaleolarC- Fratura trimaleolar ( comprometimento dosdois maléolos e da imagem posterior da tíbia).
  25. 25. Fratura Bimaleolar
  26. 26. Fratura bimaleolar
  27. 27. Fratura unimaleolar/maléolo lateral
  28. 28. Fraturas que comprometem aarticulação do tornozeloA- Fratura da diáfise da tíbia e da fíbulaB- Fratura da extremidade distal da tíbia comdeslocamentoC- Fratura cominutiva na extremidade distal datíbia e do maléolo fibular.
  29. 29. Tratamento cirúrgico da diáfise da fraturada diáfise da Tíbia e da Fíbula/ Tipo A
  30. 30. Fratura Cominutiva/ Tipo C
  31. 31. Fratura Cominutiva/Tipo C
  32. 32. Tratamento cirúrgico da fratura do terçodistal da fíbula e da tíbia/ Tipo A
  33. 33. Fratura-luxação
  34. 34. Fratura – luxação
  35. 35. Fratura - luxação
  36. 36. AP ou Dorsoplantar
  37. 37. Indicação Localização e extensão de fraturas ealinhamento de fragmentos. Anormalidades nos espaços articulares,derrames de tecidos moles. Localização de corpos estranhos radiopacos.
  38. 38. Lateral ou Perfil/ Médio - lateralTalusNavicularcuneiforme5 metatarsocalcaneoArt. subtalarArt. do tornozelo
  39. 39. Indicação Localização e grau do deslocamento anterior eposterior dos fragmentos da fratura. Anormalidades nos espaços articulares. Localização de corpos estranhos radiopacos.
  40. 40. Fraturas do péFratura do calcâneoMecanismo do trauma: trauma direto geralmenteassociado a queda de altura.
  41. 41. Fratura do calcâneo
  42. 42. Tratamento cirúrgico da fratura docalcâneo
  43. 43. Fratura do calcâneo
  44. 44. Fratura do calcâneo
  45. 45. Acromegalia: hipófise produção excessiva dohormônio de crescimento GH levando ao aumento dasextremidades dores articulares e alterações nasproporções faciais.Alterações congênitas
  46. 46. SindactiliaFusão dos dedos das mãos ou pés , podeocorrer em partes moles ou fusão óssea.
  47. 47. Halux ValgusDeformidade representada pelo desvio do primeiro dedo para a linha medianado pé,ao nível da articulação metatarso falangiana.
  48. 48. Halux ValgoÂngulo Intermetatarsico:Normal : 5 a 15 ºÂngulo Metatarsicofangico: menorque 15 º
  49. 49. Hálux Valgo
  50. 50. Esporão de calcâneoTração excessiva da fáscia plantar ou dos tendões sobreo calcâneo, provocando um crescimento ósseo anormal.
  51. 51. Esporão do calcâneo
  52. 52. Esporão de calcâneo
  53. 53. Esporão de calcâneo
  54. 54. Esporão de calcâneo
  55. 55. Pé Plano/ “Pé chato”/ Pé planovalgoflexivelDiminuição do arco longitudinal medial do pé
  56. 56. Luxações interfalangianas
  57. 57. Fratura-luxação de LisfrancResultante de trauma de alta energia associado a flexão plantar sobre osmetatarsais + mecanismo rotacional.Traumas raros
  58. 58. Fratura-luxação de Lisfranc
  59. 59. Fratura-luxação de Lisfranc Tipo B:Incongruência parcial/ luxação externa
  60. 60. Fratura-luxação de Lisfranc Tipo B:Incongruência parcial/ luxação externa
  61. 61. Tipo C: Divergente Parcial
  62. 62. Fraturas dos ossos do TarsocuneiformeNavicular
  63. 63. Fratura do 5° metatarsoRelacionadaa movimentode inversãodo pé.
  64. 64. Fratura do 5° metatarso/ Base
  65. 65. Fratura do 5° metatarso/ Base
  66. 66. Vamos testar o seuaprendizado?
  67. 67. Qual incidência foi utilizada e qualalteração pode ser vista?
  68. 68. Qual a lesão? Incidência?

×