Face oculta trauma

269 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
269
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Face oculta trauma

  1. 1. 1 A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) PROGRAMA DE INTERIORIZAÇÃO EM TRABALHO DE SAÚDE – PITS/MS/CNPq NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA – NESC/UFPB MÁRCIA ABATH AIRES DE BARROS ROBERTA ABATH TARGINO
  2. 2. 2 Introdução n Trauma é uma doença ignorada como um problema de saúde da comunidade. n Apresenta profundos enraizamentos nas estruturas sociais, políticas e econômicas e na formação moral individual dentro de um processo dinâmico e sinergente. n Problema de saúde pública de grande magnitude e transcendência que tem provocado forte impacto na morbimortalidade da população. n Segunda causa de óbito no quadro de mortalidade geral na (década de 80). n Mata cerca de 120.000 pessoas por ano. n Implica no aumento do APVP e na diminuição da população economicamente ativa. n Perda anual de 7,1 bilhões de dólares em produtividade de trabalho. A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) n Forte impacto econômico por gastos hospitalares com internação, UTIs e dias de permanência geral. n Em 1997 o total desses gastos corresponderam a 232.376.612,16 (8% das internações por todas as causas). n Mata a cada dia 350 brasileiros e deixa 1.000 seqüelas definitivas. A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)
  3. 3. 3 n Em 1991 dados da ONU revelaram que em cada grupo de 1.000 brasileiros, 17 eram portadores de seqüelas definitivas. n Primeira causa de morte abaixo dos 40 anos. n Dos 15 aos 19 anos quase 70% dos óbitos são devido ao trauma (67,2%). n O grupo de crianças, adolescentes e jovens de 0 a 24 anos tem sido vítimas de diferentes tipos de acidentes e violências. A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) n Classificação epidemiológica • Acidentes domésticos: quedas, queimaduras, intoxicações, afogamentos e outras lesões. • Acidentes extra-domésticos: acidentes de trânsito, de trabalho, afogamentos, intoxicações e outras lesões. • Violências domésticas: maus tratos físicos, abuso sexual, psicológico, negligência e abandono. • Violências extra-domésticas: exploração do trabalho infantil, exploração sexual. n Mundialmente os acidentes na infância vem atingindo índices relevantes. n Na mortalidade infantil o ambiente doméstico é o principal local onde é gerado esses agravos. n O acidente doméstico assume a tendência epidemiológica (fase pré-dano, fase de dano e pós-dano). A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)
  4. 4. 4
  5. 5. 5
  6. 6. 6
  7. 7. 7 Objetivos n Geral n Estudar o trauma pediátrico por acidentes domésticos na comunidade de Vila Nova de Cajá-PB n Específicos n Caracterizar o acidente doméstico na população infantil de 0 a 14 anos na Comunidade de Vila Nova de Cajá-PB n Identificar o principal tipo de acidente doméstico. n Avaliar a unidade familiar quanto a multifatoriedade determinante do acidente doméstico. n Evidenciar a necessidade de implementação de ações relacionadas à vigilância epidemiológica para acidentes domésticos. n Evidenciar a necessidade de capacitação em suporte de vida no trauma, para estratégia do “Saúde da Família” n Avaliar os princípios do SUS para o traumatizado na atenção básica de saúde A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)
  8. 8. 8 Materiais e método n Área de concentração: medicina preventiva n Estudo observacional, transversal e de ocorrência de acidentes domésticos, faixa etária de 0 a 14 anos de janeiro a dezembro de 2001. n Comunidade Vila Nova de Cajá, Caldas Brandão – PB, constituída de 420 famílias (3 micro-áreas) A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) n Inquérito familiar pela equipe do PITS n Termo de consentimento livre e esclarecido respaldado na resolução 196/96, Decreto nº 93.933 de 14 de janeiro de 1998
  9. 9. 9 A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) n Variavéis: n Quantidade de crianças na casa, o sexo e a idade destes constituintes, a ocorrência do acidente durante o período estudado, a idade e o sexo da criança acidentada, o tipo de acidente doméstico, o modo como ocorreu, a época do evento (turno, mês), o local do acidente, o acompanhamento da criança no momento do trauma, a notificação do agente comunitário de saúde e o atendimento inicial realizado. Foram observados o tipo de moradia, número de cômodos, tipo de piso e outras condições de risco físico, como desnível do assoalho, tip o de fogão, localização do fogão, exposição e ou danificação da rede elétrica, facilidade e acesso à medicamentos ou substâncias tóxicas. n Ordem geográfica de entrevistas n Justificativa do método: Observação in loco da variáveis estudadas e fidedignidade da amosta (351 famílias e 454 crianças de 0 a 14 anos) n Limitações da pesquisas: Subnotificações dos casos (ética profissional) n Fontes para pesquisa bibliográfica: n BIREME, LILACS e da Escola Paulista de Medicina, atual UNIFESP – Universidade Federal de São Paulo. A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) Resultados das 351 famílias entrevistadas e 454 crianças na faixa etária de 0 a 14 anos Distribuição percentual do acidente doméstico Por tipo de família Por sexo
  10. 10. 10 A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) “Pré-escolares, vítimas de acidentes domésticos diferentes” Distribuição percentual do acidente doméstico por faixa etária A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) Distribuição percentual dos tipos de acidentes domésticos
  11. 11. 11 A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) 24% 74% 2% Queimadura química Queimadura física Queimadura elétrica Distribuição percentual do tipo de queimadura A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)
  12. 12. 12 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 Nãosabe Janeiro Fevereiro Março Abril M aio Junho Junho Agosto Setem bro Outubro Novembro Dezembro Distribuição percentual dos acidentes domésticos A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) 38% 20% 42% Manhã Tarde Noite Por mês de ocorrência Por turno de ocorrência 2% 16% 29% 18% 24% 11% Banheiro Calçada Cozinha Quarto Quintal Sala A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) Distribuição percentual dos acidentes domésticos por local de ocorrência
  13. 13. 13 31% 28% 8% 4% 8% 9% 12% Sozinha Mãe Irmão(s) Pai Pais Tio(s) e/ou Avós Outros A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) Por tipo de acompanhante Por tipo de atendimento inicial Distribuição percentual dos acidentes domésticos
  14. 14. 14 A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) 7% 93% Sim Não Quanto a notificação do agente comunitário de saúde Distribuição percentual dos acidentes domésticos A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB) 0 50 100 Imediate Deaths Early Deaths Late Deaths % of Deaths Distribuição Trimodal das Mortes no Trauma
  15. 15. 15 Distribuição percentual das variáveis de risco nos dois grupos de família 0 10 20 30 40 50 60 70 Barro Batido Cerâmica Cimento Bruto Cimento Queimado Famílias com Acidente Famílias sem Acidente 0 10 20 30 40 50 60 70 80 Sim Não Famílias com Acidente Famílias sem Acidente Tipo de piso Desnível do piso 0 10 20 30 40 50 60 Ambos Gás Lenha Famílias com Acidente Famílias sem Acidente 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 Cozinha Quarto Quintal Famílias com Acidente Famílias sem Acidente Tipo de fogão Localização do fogão 0 20 40 60 80 100 Sim Não Famílias com Acidente Famílias sem Acidente Distribuição percentual das variáveis de risco Tipo de iluminação Exposição e/ou danificação da rede elétrica 0 20 40 60 80 Sim Não Famílias com Acidente Famílias sem Acidente 0 20 40 60 80 100 Sim Não Famílias com Acidente Famílias sem Acidente Acessibilidade à medicamentos Acessibilidade à substâncias tóxicas
  16. 16. 16 Condições de risco físico: tipo e desnível do piso “O Brinquedo”
  17. 17. 17 Criança autista de 10 anos de idade mantida presa. Única forma de prevenção de que a mãe dispõe contra atropelamento na BR -230 “Crianças cuidando de crianças”
  18. 18. 18 “As chamas que queimam são as mesmas que iluminam” “As marcas da infância ficam para sempre” Seqüela de queimadura física. Lesão térmica por chama aos 10 anos. 20 anos sem sorriso.
  19. 19. 19 A face oculta do trauma
  20. 20. 20 Quem se dedica em emergência, particularmente no atendimento inicial ao trauma, dentro da estratégia do Saúde da Família, tem que ter um perfil profissional psicológico especial, pois além de lidar com o evento traumático em si, convive com o lado oculto e esquecido do trauma. "Roberta e Márcia Abath" A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)
  21. 21. 21 Conclusão n Os acidentes domésticos, apesar de subestimados, são eventos freqüentes na população infantil de 0 a 14 anos da comunidade de Vila Nova- Cajá, especialmente nos pré- escolares. n As queimaduras, dentre estas as físicas, representam o principal tipo de acidente doméstico. n O ambiente familiar é que influencia na geração do evento traumático, e não somente as condições físicas de moradia. n Inexiste o atendimento pré-hospitalar e o atendimento inicial ao trauma na infância é inadequado, feito em sua maioria por pessoas incapacitadas e fora da unidade básica de saúde ou de ambiente hospitalar. n O trauma infantil é um problema de saúde pública, passível de prevenção e redução da morbimortalidade dentro da Atenção Básica de Saúde. n A face oculta do trauma transcende a relação médico-paciente e ultrapassa as fronteiras das pesquisas científicas existentes. É preciso ter novos olhos para tão grave e profundo problema. A face oculta do trauma (Avaliação dos acidentes domésticos na infância na comunidade de Vila Nova de Cajá/PB)

×