EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAISRevista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2): 9...
EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAIS94 Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2)...
EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAISRevista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2): 9...
EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAIS96 Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2)...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exposição solar, fotoproteção e câncer da pele

349 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
349
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exposição solar, fotoproteção e câncer da pele

  1. 1. EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAISRevista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2): 93-96, abr.-jun. 2008 93Exposição solar, fotoproteção e câncer da pele:comparação entre os conhecimentosauto-referidos por médicos residentesem pediatria e dermatologiaSun exposure, photoprotection and skincancer: a comparison of self-reportedknowledge by pediatrics anddermatology residentsARTIGOS ORIGINAISVANESSA PETRY – Pós-graduação. Cur-sista da Dermatologia da UFCSPA.MARIA CAROLINA W. REY – Pós-gra-duação. Mestranda do Programa de Patolo-gia da UFCSPA.DÉBORAPIVA – Médica. Estagiária do ser-viço de Dermatologia da UFCSPAALINE C. FISCHER – Médica. Estagiáriado serviço de Dermatologia da UFCSPA.ELISÂNGELADE QUEVEDO WELTER– Pós-graduação. Cursista da Dermatologiada UFCSPA.MAGDA BLESSMANN WEBER – Dou-tora pelo PPG em Pediatria da UFRGS. Pro-fessora Adjunta da Dermatologia da UFCSPA.RENAN RANGEL BONAMIGO – Doutorpelo PPG em Clínica Médica da UFRGS.Professor Adjunto, Chefe do Serviço de Der-matologia da UFCSPA.Universidade Federal de Ciências da Saúdede Porto Alegre.Endereço para correspondência:Elisângela WelterRua Portugal, 211/502 Bairro Higienópolis90520310 – Porto Alegre, RS – Brasil¤ (51) 9842-2101eliswelter@yahoo.com.brRecebido: 21/2/2008 – Aprovado: 5/6/2008RESUMOObjetivo: Avaliar os dados com os quais trabalham os residentes dos Serviços dePediatria de Porto Alegre – RS sobre fotoproteção e câncer da pele, comparados com osespecializandos de dermatologia da mesma cidade. Materias e métodos: Estudo descriti-vo transversal; incluindo 58 residentes de pediatria (RP) e 34 especializandos de dermato-logia (ED) que responderam a questionário estruturado sobre fotoproteção e câncer dapele. Resultados: Dos RP 38% e dos ED 97% obtiveram informações sobre fotoproteçãona pós-graduação. Quando perguntado aos RP se indicam protetor solar, 15% indicamsempre, 36,20% freqüentemente, 36,20% algumas vezes, 11,9% raramente. Quando reali-zado o mesmo questionamento aos ED, 67,64% indicam sempre, 29,41% freqüentementee 2,95% algumas vezes (p= 0,0002). Quanto à capacidade de avaliar sinais em crianças,dentre os RP ,17,24% afirmam sentirem-se muito capazes, 70,68% pouco capazes e 12,06%incapazes. Já dentre os ED, 44,11% sentem-se muito capazes, 52,94% pouco capazes e2,94% incapazes (p= 0,015). Conclusão: Os dados sugerem que os residentes de pedia-tria provavelmente devam aprimorar seus estudos em fotoproteção. É importante ressaltaro papel dos programas de pós-graduação em Pediatria em enfatizar a necessidade de estu-dos sobre fotoproteção e em capacitar adequadamente os futuros profissionais para ava-liações de lesões cutâneas em crianças.UNITERMOS: Fotoproteção, Câncer da Pele, Pediatria.ABSTRACTObjective: To evaluate information concerning photoprotection and skin cancer asused by pediatrics residents in comparison to dermatology residents in Porto Alegre – RS.Material and Methods: This is a transversal descriptive study including 58 pediatricsresidents (PRs) and 34 dermatology residents (DRs) who answered a questionnaire abouttheir knowledge and practices as regards photoprotection and skin cancer. Results: Thir-ty eight percent of the PRs and 97% of the DRs had received information about photopro-tection in postgraduate courses. When asked if they prescribe sunscreens, 15% of the PRssaid they always do, 36.20% often do, 36.20% sometimes, and 11.9% rarely. On the otherhand, 67.64% of the DRs said they always prescribe sunscreens, 29.41% often do and2.95% sometimes (p=0.0002). Concerning the ability to evaluate signs in children, 17.24%of the PR said they feel very capable, 70.68% little capable and 12.06% incapable. Amongthe DRs, 44.11% felt very capable, 52.94% little capable and 2.94% incapable (p=0,015).Conclusion: The data suggest that the pediatrics residents should improve their knowled-ge on photoprotection. It is important to highlight the role of the pediatrics graduateprograms in emphasizing the need for studies into photoprotection and in adequatelyqualifying the future professionals to evaluate skin lesions in children.KEYWORDS: Photoprotection, Skin Cancer, Pediatrics.I NTRODUÇÃOAproximadamente 45% dos cânce-res passíveis de prevenção são origi-nados do tegumento cutâneo (1, 2, 3).Dentre as estratégias de prevenção des-sas lesões está a redução da exposiçãosolar de crianças e adolescentes, pe-ríodo em que é recebida uma grandequantidade de radiação ultravioleta(RUV) (4, 5, 6). Em um estudo reali-zado com adolescentes na cidade dePorto Alegre, foi encontrado um altoindice de exposição solar sem prote-ção, o que demonstra uma necessida-de maior de orientação nesta faixa etá-ria (7). No Brasil, o acesso a consultasdermatológicas ainda é restrito a umapequena parcela da população; sendoassim, os pediatras assumem um pa-pel importante na orientação dos paisa respeito de fotoproteção e no examedas criancas a fim de detectar lesõesprecursoras de neoplasias cutâneas.07-170-exposição_solar.pmd 25/8/2008, 14:4393
  2. 2. EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAIS94 Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2): 93-96, abr.-jun. 2008Este estudo tem como objetivo ava-liar o perfil dos conhecimentos dos re-sidentes dos Serviços de Pediatria dePorto Alegre, Rio Grande do Sul, Bra-sil, a respeito de fotoexposição, foto-proteção e câncer da pele. Médicos re-sidentes e especializandos em Derma-tologia da mesma cidade serviramcomo grupo-controle de referência.M ÉTODOSFoi realizado um estudo descritivo,transversal, durante o ano de 2007, in-cluindo em um grupo os médicos resi-dentes de Pediatria (RP) e, em outrogrupo (como controles), os médicosresidentes e especializandos de Derma-tologia (ED).A amostra foi coletada em quatroinstituições de ensino na cidade dePortoAlegre. Os médicos responderama um questionário estruturado. Foi rea-lizada uma análise bivariada, atravésdo teste de qui-quadrado, sendo consi-derados estatisticamente significativosos resultados com p< 0,05. Os dadosforam digitados e analisados no pro-grama Epi-Info 6.0. O trabalho foiaprovado pelos Comitês de Ética emPesquisa de todas as instituições emque foram entrevistados os médicosque compuseram a amostra.R ESULTADOSCinqüenta e oito residentes de Pe-diatria (RP), correspondendo a 78% dototal de RP de Porto Alegre, e 34 mé-dicos residentes e especializandos emDermatologia (ED), correspondendo a97% do total de ED de Porto Alegre,responderam ao questionário. Tantoentre os RP quanto entre os ED, 50%eram do primeiro ano de formação e50% do segundo ano. A média de ida-de dos entrevistados foi de 26 anos paraos RP e 27 anos para os ED (p= 0,53).Setenta e nove por cento dos RP e 80%dos ED eram do sexo feminino. Entreos médicos pesquisados, 89,65% dosRP e 88,23% dos ED afirmaram terrecebido algumas informações sobre osriscos da exposição solar durante asaulas de graduação. Durante a pós-gra-duação, 38% dos RP e 97% dos EDafirmaram ter recebido essas informa-ções de forma mais aprofundada. Aoserem questionados sobre a adequaçãode conhecimentos acerca dos efeitos dosol, dentre os RP, 27,58% responderamque seus conhecimentos eram muitoadequados e 72,41% pouco adequados;já entre os ED, 79,41% consideravammuito adequados e 20,58% pouco ade-quados (p< 0,01).O desfecho clínico citado maisfreqüentemente relacionado à expo-sição solar foi o câncer da pele (100%de citações em ambos os grupos), se-guido pelo envelhecimento cutâneo(58,62% dos RP e 94,11% dos ED;p= 0,01) e pelas queimaduras sola-res (67,24% dos RP 50% ED; p=0,02). Quanto aos benefícios da ex-posição solar, 94,82% dos RP e94,11% dos ED citaram o metabolis-mo da vitamina D e 41,66% dos RPe 64,70% dos ED citaram a melhorano humor (p< 0,01).A Tabela 1 apresenta a descriçãodas principais variáveis relacionadasacima.Quanto à prescrição de filtros sola-res, em relação aos RP, 15% dos RPresponderam que prescreveram sem-pre, 36,20% freqüentemente, 36,20%algumas vezes, 8,7% raramente e 3,5%nunca prescrevem (Tabela 2). Quandorealizado o mesmo questionamento aosED, 67,64% responderam prescreversempre, 29,41% freqüentemente e2,95% algumas vezes (p< 0,01).Quanto às orientações fornecidasaos pacientes e a seus pais ou respon-sáveis, 96,55% dos RP e 91,17% dosED afirmaram orientar sobre os horá-rios de exposição solar mais danosos àsaúde da pele; 74,13% dos RP e91,17% dos ED afirmaram orientarsobre a importância da proteção físicacontra os raios solares (uso de chapéu,bonés, óculos, guarda-sol, camisetas)(Tabela 2). Quanto à capacidade paraavaliar “sinais” (nevos melanocíticos)nas crianças, dentre os RP, 17,24% afir-mavam sentir-se muito capazes,70,68% pouco capazes e 12,06% nãocapazes. Já dentre os ED, 44,11%sentiam-se muito capazes, 52,94%pouco capazes e 2,94% não capazes(Tabela 3).Quando questionados se os pacien-tes perguntavam espontaneamentesobre fotoproteção, 17,24% dos RP e47,05% dos ED responderam afirma-tivamente (p< 0,01). Trinta e nove porcento dos RP e 97% dos ED referiamTABELA 1 – Descrição geral das principais variáveis dos grupos estudadosResidente EspecializandoVariável Pediatria Dermatologia PMédia de idade 26 anos 27 anos p=0,532Sexo Feminino 79% 88%Masculino 21% 12% p = 0,275Exame de toda a pele 70,6% 76,4% p = 0,547Informações na graduação 89,6% 88,2% p = 0,853Informações na pós-graduação 38% 97% p = 0,0003Exposição solar: Câncer da pele 100% 100% p=0,317riscos citados Fotoenvelhecimento 58,6% 94,1% p= 0,001Queimaduras solares 67,2% 50% p= 0,002Exposição solar: Metabolismo da vitamina D 94,8% 94,1% p = 0,884benefícios citados Melhora do humor 17,2% 64,7% p =0,000307-170-exposição_solar.pmd 25/8/2008, 14:4394
  3. 3. EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAISRevista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2): 93-96, abr.-jun. 2008 95receber pacientes bronzeados (p< 0,01)no verão e 25,86% dos RP e 82,35%dos ED referiram receber pacientesqueimados pelo sol (p< 0,01) duranteoutras estações do ano.D ISCUSSÃOO presente estudo avaliou uma im-portante amostra da sua população-alvo, os médicos residentes em Pedia-tria de Porto Alegre-RS, e de seu gru-po-controle, os médicos especializan-dos em Dermatologia da mesma cida-de. Não houve diferenças relevantesquanto às variáveis idade, sexo ou anode formação entre os grupos compa-rados.De acordo com as respostas dosdois grupos, informações sobre os ris-cos da exposição solar ocorrem maisna pós-graduação em Dermatologia(residência médica e curso de especia-lização) do que na pós-graduação emPediatria (residência médica). Portan-to, é coerente que os RP sintam-semenos preparados que os ED quantoaos conhecimentos sobre os efeitos dosol, prescrevam menos filtros solares,indiquem menos o uso de vestuáriocomo proteção física ao sol e sintam-se menos capazes de avaliar “sinais”(nevos melanocíticos) nas crianças.Estes achados vem ao encontro dosresultados obtidos em estudo realiza-do por Dolan et al com médicos-gene-ralistas americanos, o qual também de-monstrou um baixo conhecimento emrelação à fotoproteção e pouca capaci-dade em identificar lesões suspeitas decâncer da pele (8).Apesar dessas diferenças ressalta-das, em ambos os grupos, o câncer dapele é o mais citado dos desfechos re-lacionados à exposição solar, demons-trando haver uma uniformidade de in-formação básica quanto ao risco maisgrave. Ambos os grupos também sãosemelhantes quanto à orientação quefornecem sobre os períodos do dia emque a exposição solar é mais danosa.O fotoenvelhecimento e as queima-duras solares foram efeitos da exposi-ção solar lembrados por ambos os gru-pos, porém os ED citaram principal-mente o fotoenvelhecimento e os RPcitaram mais as queimaduras solares.Essas diferenças traduzem provavel-mente uma característica lógica das es-pecialidades, já que o dermatologistaprovavelmente possui uma caracterís-tica de preocupações a longo prazoquanto ao aspecto da pele e à saúdecutânea em geral, enquanto os pedia-tras possuem outros focos de atençãodurante a vida da criança e as queima-duras solares podem ser inseridas nasmorbidades acidentais mais preocu-pantes.De acordo com os resultados en-contrados, os ED são mais questiona-dos pelos pacientes sobre fotoproteçãodurante as consultas (p< 0,05), entre-tanto, em uma parcela não-desprezíveldas consultas pediátricas (17,2%), estetema aparece como uma preocupaçãoespontânea dos responsáveis pelascrianças, o que demonstra a necessi-dade de se fornecer informações tam-bém ao RP, para que os mesmos atu-em na orientação e educação referen-tes a este tema.O estudo demonstra que os médi-cos em formação de ambos os gru-pos percebem-se com grau semelhan-te de conhecimento e capacidade emalguns aspectos dos temas exposiçãosolar e fotoproteção. Porém, há dife-renças importantes relacionadas àquantidade de informações recebidasnos programas de pós-graduação, oque pode resultar em uma percepçãode despreparo quanto à capacidadeteórica e prática sobre o assunto porparte dos RP.Os RP percebem-se menos orien-tados e capacitados para a atuação emum conjunto de aspectos do tema “ex-posição solar-fotoproteção-câncer dapele”, o qual tem ocupado progressi-vos espaços na ciência e nos cuidadosgerais com a saúde. Gooderhan de-monstrou que os conhecimentos po-dem ser melhorados com treinamentoTABELA 2 – Orientações fornecidas aos pacientesVariável RP RD PSempre 9 (15,4%) 23 (67,6%)Prescrevem Freqüentemente 21 (36,2%) 10 (29,5%)protetor Algumas vezes 21 (36,2%) 1 (2,9%)solar Raramente 5 (8,7%) 0Nunca 2 (3,5%) 0 p = 0,0002Informações fornecidas Horários de exposição solar 56 (96,5%) 31 (91,2%) p > 0,001aos responsáveis Proteção física 43 (74,2%) 31 (97,2%) p> 0,001TABELA 3 – Capacidade auto-referida para avaliar sinais em criançasResidentes Especializandos Pde Pediatria de DermatologiaSentiam-se capazes Muito capazes 10 (17,3%) 15 (44,1%)de avaliar sinais Pouco capazes 41 (70,7%) 18 (52,9%)em crianças Não capazes 7 (12%) 1 (3%) p =0,01507-170-exposição_solar.pmd 25/8/2008, 14:4395
  4. 4. EXPOSIÇÃO SOLAR, FOTOPROTEÇÃO E CÂNCER DA PELE... Petry et al. ARTIGOS ORIGINAIS96 Revista da AMRIGS, Porto Alegre, 52 (2): 93-96, abr.-jun. 2008adequado sobre fotoproteção e câncerda pele (9).Como este estudo trabalha com da-dos auto-referidos e não objetivamen-te mensurados, é pertinente frisar quetalvez os residentes de Pediatria neces-sitam desenvolver seus estudos e prá-ticas com mais ênfase no tema. Estainiciativa poderá resultar na prepara-ção mais adequada desses especialis-tas, que trabalham com prevenção pri-mária e secundária de forma ímpar.Além disso, a sensação de preparo ade-quado para o tema deve levar a umapercepção de segurança para a práticadiária do trabalho.R EFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS1. Fry A, Verne J. Preventing skin cancer.BMJ 2003; 326:114-115.2. Kullavaijaya P, Lim HW. Photoprotection.J Am Acad Dermatol 2005;52:937-58.3. FRY A, Verne J. (2003) Preventing skincancer. BMJ, 326:114-115.4. Lucas CR, Sanders RR, Murray JC,Myers SA, Hall RP, Grinchnik JM. Ear-ly melanoma detection: nonuniform der-matoscopic features and growth. J AmAcad Dermatol 2003; 48 (5): 663-71.5. Robinson JK, Rigel DS, Amonette RA.Summertime sun protection used byadults for their children. J Am Acad Der-matol 2000; 42(5):746-53.6. Lucci A, Citro HW, Wilson L. Assessmentof knowledge of melanoma risk factors,prevention, and detection principles inTexas teenagers. J Surg Res 2001; 97(2):179-8.7. Benvenuto-Andrade C, Zen B, Fonseca G,De Villa D, Cestari T. Sun exposure andsun protection habits among high-schooladolescents in Porto Alegre, Brazil. Pho-todchem Photobiol 2005; 81(3):630-5.8. Dolan NC, Martin GJ, Robinson JK, Ra-demaker AW. Skin cancer control practi-ces among physicians in a university ge-neral medicine practice. J Gen InternMed 1995; 10 (9):515-9.9. Gooderhan MJ, Guenther L. Impact of asun awareness curriculum on medicalstudents knowledge, attitudes, and beha-viour. J Cutan Med Surg 1999; 3(4):182-7.07-170-exposição_solar.pmd 25/8/2008, 14:4396

×