Esofagite de refluxo

997 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
997
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Esofagite de refluxo

  1. 1. Esofagite de RefluxoEsofagite de Refluxo Reunião SOBED 24/03/06Reunião SOBED 24/03/06 cap. 21cap. 21 (edi(ediçção 2005)ão 2005)
  2. 2. DefiniDefiniççãoão DRGEDRGE:: “ Afecção crônica decorrente do refluxo retrógrado do conteúdo gástrico para o esôfago e/ou órgãos a ele adjacentes, acarretando um espectro variável de sinais e sintomas esofagianos e/ou extra-esofagianos associados ou não a lesões teciduais “ Esofagite de Refluxo:Esofagite de Refluxo: condicondiçção em queão em que indivindivííduos com DRGE apresentam alteraduos com DRGE apresentam alteraççõesões endoscendoscóópicas e histolpicas e histolóógicasgicas na mucosana mucosa esofesofáágicagica
  3. 3. ImpactoImpacto A maioria dos doentes tem curso benignoA maioria dos doentes tem curso benigno Cerca de 40% terão esofagiteCerca de 40% terão esofagite 20% terão esofagite grave20% terão esofagite grave 5% da popula5% da populaçção geral tem esofagiteão geral tem esofagite
  4. 4. ComplicaComplicaççõesões 1) Estenose (8 a 20%)1) Estenose (8 a 20%) 2) Ulcera2) Ulceraçção (5%)ão (5%) 3) Sangramento (2%)3) Sangramento (2%) 4) Esôfago de4) Esôfago de BarretBarret (8 a 20%)(8 a 20%) Adenocarcinoma ?Adenocarcinoma ? –– incidência crescenteincidência crescente Mortalidade total: 0,1 por 100 000Mortalidade total: 0,1 por 100 000
  5. 5. Endoscopia Digestiva AltaEndoscopia Digestiva Alta MMéétodo diagntodo diagnóóstico de escolhastico de escolha Avalia a extensão e gravidade da doenAvalia a extensão e gravidade da doenççaa InformaInformaçções sobre prognões sobre prognóósticostico Avalia resposta ao tratamentoAvalia resposta ao tratamento Diagnostica complicaDiagnostica complicaççõesões
  6. 6. Endoscopia Digestiva AltaEndoscopia Digestiva Alta Indicar principalmente em:Indicar principalmente em: Refluxo crônico (3 a 5 anos)Refluxo crônico (3 a 5 anos) Pacientes com mais de 40 anosPacientes com mais de 40 anos Sinais e sintomas deSinais e sintomas de alarmealarme :: Disfagia,Disfagia, odinofagiaodinofagia, anemia, hemorragia, anemia, hemorragia digestiva, perda ponderaldigestiva, perda ponderal
  7. 7. Endoscopia Digestiva AltaEndoscopia Digestiva Alta Não hNão háá correlacorrelaççãoão entre achadosentre achados endoscendoscóópicos e sintomaspicos e sintomas AlteraAlteraçções inflamatões inflamatóórias são vistas comorias são vistas como erosão ou ulceraerosão ou ulceraççãoão queque envolve a linha Zenvolve a linha Z (JEC) e esôfago distal(JEC) e esôfago distal 95% de especificidade95% de especificidade se identificadase identificada esofagite erosivaesofagite erosiva nessa regiãonessa região Se a linha Z não for envolvida sugeremSe a linha Z não for envolvida sugerem outras causas (drogas, infecoutras causas (drogas, infecçção)ão)
  8. 8. Endoscopia Digestiva AltaEndoscopia Digestiva Alta Mais de 30 classificaMais de 30 classificaççõesões HetzelHetzel--DentDent –– envolveenvolve enantemaenantema,, friabilidadefriabilidade SavarySavary--MillerMiller (1977)(1977) SavarySavary--MillerMiller modificadamodificada Armstrong (1991)Armstrong (1991) –– MM etaplasiaetaplasia ((colunarcolunar)) UU lcerlcer SS tricturestrictures (estenoses)(estenoses) EE rosionsrosions Cada lesão graduada de 1 a 4
  9. 9. SavarySavary--MillerMiller modificadamodificada Grau 1Grau 1 –– uma ou mais erosões em umauma ou mais erosões em uma úúnica preganica prega Grau 2Grau 2 –– vváárias erosões, confluentes ou não, querias erosões, confluentes ou não, que ocupem mais de uma prega, que não ocupem toda aocupem mais de uma prega, que não ocupem toda a circunferênciacircunferência Grau 3Grau 3 –– erosões confluentes por toda aerosões confluentes por toda a circunferênciacircunferência Grau 4Grau 4 –– Lesões crônicas (Lesões crônicas (úúlceras ou estenoses)lceras ou estenoses) isoladas ou associadasisoladas ou associadas ààs dos graus 1 a 3s dos graus 1 a 3 Grau 5Grau 5 –– EpitEpitééliolio colunarcolunar em continuidade com a linhaem continuidade com a linha Z, de qualquer extensão, associado ou nãoZ, de qualquer extensão, associado ou não ààs demaiss demais
  10. 10. LosLos Angeles (1994)Angeles (1994) Grau AGrau A –– Lesões com menos de 5 mm queLesões com menos de 5 mm que não se estendem entre duas pregasnão se estendem entre duas pregas Grau BGrau B –– Lesões com mais de 5 mm queLesões com mais de 5 mm que não se estendem entre duas pregasnão se estendem entre duas pregas Grau CGrau C –– Lesões contLesões contíínuas entre duasnuas entre duas pregas, mas que não ocupem 75% dapregas, mas que não ocupem 75% da circunferênciacircunferência Grau DGrau D –– Lesões contLesões contíínuas que ocupemnuas que ocupem pelo menos 75% da circunferênciapelo menos 75% da circunferência
  11. 11. LosLos AngelesAngeles
  12. 12. LosLos AngelesAngeles Na presenNa presençça de complicaa de complicaçções elas devemões elas devem ser descritas em separado, pois aser descritas em separado, pois a classificaclassificaççãoão éé apenas para a esofagiteapenas para a esofagite Boa correlaBoa correlaçção entre achados eão entre achados e pHmetriapHmetria Concordância quantoConcordância quanto àà extensão radial foiextensão radial foi considerada apenas comoconsiderada apenas como ““aceitaceitáávelvel”” ÉÉ a mais recomendadaa mais recomendada
  13. 13. ComplicaComplicaççõesões
  14. 14. Biopsia endoscBiopsia endoscóópicapica NecessNecessáária para diagnria para diagnóóstico da esofagitestico da esofagite Apenas 60% dos doentes com DRGE têmApenas 60% dos doentes com DRGE têm esofagiteesofagite Pode haver lesão sem evidênciaPode haver lesão sem evidência àà EDA:EDA: Hiperplasia basal eHiperplasia basal e papilomatosepapilomatose –– porporéémm com sensibilidade baixa para DRGE (46%)com sensibilidade baixa para DRGE (46%)
  15. 15. Hiperplasia basalHiperplasia basal
  16. 16. Biopsia endoscBiopsia endoscóópicapica Não hNão háá indicaindicaçção de biopsia na esofagiteão de biopsia na esofagite sem complicasem complicaççõesões :: úúlcera, estenose oulcera, estenose ou suspeita desuspeita de metaplasiametaplasia colunarcolunar, neoplasia, neoplasia ou lesões especou lesões especííficasficas Não hNão háá indicaindicaçção de biopsia no esôfagoão de biopsia no esôfago normalnormal
  17. 17. Radiografia contrastadaRadiografia contrastada Baixa sensibilidade para esofagiteBaixa sensibilidade para esofagite Alta acurAlta acuráácia na hcia na héérnia de hiato, estenosernia de hiato, estenose e anel esofe anel esofáágicogico Indicada apenas na presenIndicada apenas na presençça de disfagiaa de disfagia
  18. 18. pHmetriapHmetria de 24 hde 24 h EspecEspecíífica para DRGE, não para esofagitefica para DRGE, não para esofagite Indicada se:Indicada se: EDA normal com sintomas de DRGE semEDA normal com sintomas de DRGE sem resposta aos IBPresposta aos IBP Sintomas atSintomas atíípicospicos Documentar refluxo nos candidatos aDocumentar refluxo nos candidatos a cirurgia em que a EDAcirurgia em que a EDA éé normalnormal
  19. 19. ComplicaComplicaçções mais prevalentesões mais prevalentes 1) Estenose p1) Estenose péépticaptica 2) Esôfago de2) Esôfago de BarretBarret
  20. 20. Estenose pEstenose péépticaptica InflamaInflamaççãoão –– depdepóósito de tecidosito de tecido conjuntivo e colconjuntivo e coláágenogeno –– fibrosefibrose ComeComeçça coma com edema e espasmo muscularedema e espasmo muscular ColColáágeno tipo Igeno tipo I –– fibrose da muscular,fibrose da muscular, encurtamento e falta de complacênciaencurtamento e falta de complacência JuntoJunto àà linha Z, com menos de 1 cm, lisalinha Z, com menos de 1 cm, lisa e regulare regular
  21. 21. Estenose pEstenose péépticaptica
  22. 22. Esôfago deEsôfago de BarretBarret DefiniDefiniçção: Substituião: Substituiçção do epitão do epitéélio mucoso porlio mucoso por epitepitééliolio metaplmetapláásicosico com ccom céélulas caliciformeslulas caliciformes Refluxo crônico pRefluxo crônico pééptico,ptico, áácido ou biliarcido ou biliar ReepitelizaReepitelizaççãoão a partir de ca partir de céélulaslulas indiferenciadasindiferenciadas EpitEpitééliolio colunarcolunar metaplmetapláásicosico
  23. 23. Esôfago deEsôfago de BarretBarret Suspeitar quando a linha Z não coincidirSuspeitar quando a linha Z não coincidir com a juncom a junçção (final das pregas gão (final das pregas gáástricas)stricas) MigraMigraçção cefão cefáálica da JEClica da JEC EpitEpitéélio rlio róóseoseo--aveludado em projeaveludado em projeççãoão digitiformedigitiforme circunferencialcircunferencial ou, maisou, mais raramente, em ilhotasraramente, em ilhotas LongoLongo –– se mais de 3 cm (curto se < 3cm)se mais de 3 cm (curto se < 3cm) Predispõe a adenocarcinomaPredispõe a adenocarcinoma
  24. 24. Esôfago deEsôfago de BarretBarret
  25. 25. AdenocarcinomaAdenocarcinoma Neoplasia de maior aumento emNeoplasia de maior aumento em frequfrequëënciancia nos EUAnos EUA Progressão de esôfago deProgressão de esôfago de BarretBarret parapara neoplasia : apenas 0,4%neoplasia : apenas 0,4%
  26. 26. TratamentoTratamento Comportamental e farmacolComportamental e farmacolóógicogico Explicar o fato da doenExplicar o fato da doençça ser crônicaa ser crônica aumenta a aderênciaaumenta a aderência
  27. 27. ComportamentalComportamental Evitar refeiEvitar refeiçções volumosasões volumosas Não deitar por 2 horas apNão deitar por 2 horas apóós as refeis as refeiççõesões Elevar a cabeceira da camaElevar a cabeceira da cama EvitarEvitar anticolinanticolinéérgicosrgicos Perder peso se sobrepeso / obesidadePerder peso se sobrepeso / obesidade
  28. 28. FarmacolFarmacolóógicogico IBP dose dupla para lesões LA graus C e DIBP dose dupla para lesões LA graus C e D IBP dose simples para lesões LA graus A e BIBP dose simples para lesões LA graus A e B Manter por pelo menosManter por pelo menos 6 semanas6 semanas Nova EDANova EDA ssóó nos comnos com graus C e Dgraus C e D
  29. 29. FarmacolFarmacolóógicogico Na esofagite grave manter IBP em metadeNa esofagite grave manter IBP em metade da dose que permitiu a cicatrizada dose que permitiu a cicatrizaççãoão Não se confirmou gastriteNão se confirmou gastrite atratróóficafica pelopelo IBP em pacientes comIBP em pacientes com Helicobacter pyloriHelicobacter pylori OpOpçções: tratamento endoscões: tratamento endoscóópico oupico ou circirúúrgicorgico
  30. 30. Tratamento cirTratamento cirúúrgicorgico FundoplicaturaFundoplicatura videolaparoscvideolaparoscóópicapica Na esofagite nãoNa esofagite não--complicada se:complicada se: Boa expectativa de vida em dependentesBoa expectativa de vida em dependentes de IBPde IBP Sem melhora com IBPSem melhora com IBP Sem condiSem condiçções de comprar IBPões de comprar IBP

×