Diagnóstico das lombalgias dra luiza ribeiro

1.061 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Diagnóstico das lombalgias dra luiza ribeiro

  1. 1. DIAGNÓSTICODASLOMBALGIASLuiza Helena RibeiroDisciplina de ReumatologiaUNIFESP- EPM
  2. 2. LOMBALGIAEPIDEMIOLOGIA 65-80% da população, em alguma fase davida, terá dor nas costas. 30-50% das queixas reumáticas na práticaclínica. Condição crônica que mais frequentementecausa limitação entre pessoas com menos de45 anos. Terceira causa de incapacidade de 45-64anos
  3. 3. Definição:Dor ou desconforto em região lombar:último arco costal e prega glútea
  4. 4. Classificação: Lombalgia aguda: até 7dias (4 semanas) Lombalgia sub aguda: 7 dias (4 semanas) e 12 semanas Lombalgia crônica: mais de 12 semanas Lombalgia recorrente: intervalo mínimo de 6 meses Compressão radicular:lombociatalgia irradiação para membro inferior, abaixodo joelho
  5. 5. LOMBALGIAfuncionaldegenerativatraumáticaneoplásicainflamatóriapsicogênicainfecciosaEtiopatogenia:
  6. 6. AVALIAÇÃO CLÍNICA HISTÓRIA Idade/ sexo Localização/ irradiação Caráter da dor:• Inflamatório: dor em repouso• Mecânico: dor desencadeada ao esforço Fatores de melhora e piora
  7. 7. AVALIAÇÃO CLÍNICA História familiar espondiloartropatiasHistória ocupacional: atividades de riscoHábitos: tabagismo, alcoolismo, uso dedrogas, sedentarismo História pregressa:Malignidades, artrites, doenças metabólicas
  8. 8. AVALIAÇÃO CLÍNICASINAIS DE ALERTA (red flags) Para tumores ou infecção:Idade acima de 50 ou abaixo de 20 anosHistória de câncerFebre, calafrios, perda de pesoInfecção bacteriana recenteImunossuprimidos, usuários de drogasDor com piora noturna
  9. 9. AVALIAÇÃO CLÍNICASINAIS DE ALERTA Para fratura:Trauma maiorTrauma menor em idosos ou osteoporóticos Para déficit neurológico grave:Anestesia em selaDisfunção esficterianaDéficit neurológico progressivo ou grave em MMII
  10. 10. AVALIAÇÃO CLÍNICA EXAME FÍSICO• Exame geral• Inspeção:Tipo de marchaCurvaturasDeformidades
  11. 11. AVALIAÇÃO CLÍNICA Mobilidade: Flexão: patologia discal Extensão:patologia do canal vertebralzigoapofisária Rotação/ lateralização
  12. 12. AVALIAÇÃO CLÍNICA Palpação:hipertonia muscularpontos dolorosospalpação das SIs
  13. 13. AVALIAÇÃO CLÍNICA Exame neurológico:Reflexos: Patelar: raíz L3/L4 Aquileu: raíz S1
  14. 14. AVALIAÇÃO CLÍNICA Testes de força muscular:Dorsiflexão o pé raíz L4/L5Marcha no calcanhar: raíz L4/L5Flexão do hálux raíz L5Flexão plantar raíz S1Marcha na ponta dos pés: raíz S1
  15. 15. AVALIAÇÃO CLÍNICA Teste Lasègue (L4, L5,S1): 35-70Irradiação ou exarcebação da dor nodermátomo L4-L5 ou L5-S1(sensibilidade 72- 97%)
  16. 16. EXAMES LABORATORIAISInvestigação de causas secundárias: Provas inflamatórias: VHS Pesquisa de infecção, neoplasias
  17. 17. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA RX SIMPLES: Desnecessário em lombalgias agudas semsinais de alerta Avaliação inicial de lombalgias crônicas ouagudas com sinais de alerta
  18. 18. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA• Anormalidades do RX• Significância clínica?• Lombalgia inespecífica alteraçõesdegenerativas
  19. 19. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICALateralOblíquaAnt post
  20. 20. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICATOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA Arquitetura óssea e relações com tecidos moles. Alterações degenerativas: anormalidades discais,canal vertebral, platô vertebral, artic. zigoapofisárias
  21. 21. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA RESSONÂNCIA MEGNÉTICA Avaliação da coluna e do canal vertebral emdiferentes planos Não invasivo e não usa radiação. Define tecidosmoles e ósseos sem contraste intratecal. Exame de eleição para visualização da medulaespinhal Infecções: discites, osteomielites, abscessosepidurais/paraespinhais e mielites.
  22. 22. Hérnia de disco
  23. 23. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICA MIELOGRAFIA Identificar compressão medular e de raiznervosa. Dúvida de compressão radicular (TC e RNM) Associada a exame dinâmicos para estenosede canal Invasivo/ complicações Mielotomografia
  24. 24. AVALIAÇÃO RADIOLÓGICAOutros exames: Discografia: injeção de contraste no núcleopulposo ENMG: comprometimento neurológico Cintilografia óssea: pouco útil no diagnósticodas lombalgias.Avaliação de neoplasias, D. Paget
  25. 25. DIAGNóSTICOCausas não mecanicas: inflamatórias (PEA)neoplasiasmetabólicas (OP)Causas mecano-degenerativas:artrose: assintomáticasd facetáriaestenose de canalmec degenerativa; mec postural; lombalgiainespecificaalterações da biomecânica da CV
  26. 26. TRATAMENTO• ALGORÍTIMOSGUIAS DE CONDUTA PARA ABORDAGEMAS LOMBALGIAS AGUDAS ECRÔNICAS
  27. 27. Dor lombar agudaCom red flagsSem red flagsInvestigação etiológicaAINESMiorrelaxantescorticóides oraisInfiltraçãoRepouso relativoSem ciaticaCom ciaticaInvestigação radiológicaAvaliar cirurgiaAltaorientaçãoAINESMiorrelaxantesRepouso não indicadomanutenção das atividades
  28. 28. cinesioterapiaatividade física: bx impactoeducação do pacienteTCCsíndrome facetárialombalgia inespecíficacausa secundáriacanal estreitoinfiltração periduralinfiltração facetáriatratamento da doençade baseDor lombar crônicaSuspeitas:mielopatia, radiculopatiacausas secundariasexames de imagemexames laboratoriaisGuia de conduta:back pain europe, 2005

×