Câncer de Próstata

330 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
330
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Câncer de Próstata

  1. 1. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaCÂNCER DE PRÓSTATA: NÍVEL DE CONHECIMENTO DA POPULAÇÃOMASCULINA COM FAIXA ETÁRIA ACIMA DE 40 ANOS, DA FEIRA LIVREDO MUNICÍPIO DE BARREIRAS – BA.Caroline Carvalho Rodrigues, IFBA¹carolinerodrigues15@hotmail.comGabriele de Menezes Pereira, IFBA¹gabriele_cefet@hotmail.comWanderly dos Santos Novaes Frota, IFBA1wanderly.frota@hotmail.comYasmin Cruz Lopes, IFBA¹yasminn_potter@hotmail.comLuíz Fernando Souza Almeida, IFBA²luiz_fernandoalmeida@yahoo.comA incidência do câncer de próstata aumentou de forma explosiva nos últimosanos, representando, atualmente, o câncer que mais frequentemente acomete ohomem. Sua prevalência eleva com a idade atingindo aproximadamente 50 % dosindivíduos com 80 anos, segundo dados descritos pelo Instituto Nacional doCâncer/INCA (2010). Todavia, sua evolução é lenta e a grande maioria de seusportadores acaba por falecer de outros motivos que não o câncer de próstata.A busca do diagnóstico precoce, visando um tratamento curativo imediato,assume fundamental importância e deve ser realizada através de exame preventivoanual, em todos os homens a partir de 40 anos de idade, independente deapresentarem ou não sintomas. Naqueles que possuem história de incidência de câncerde próstata na família,ou seja, já possui um dos fatores de risco que o hereditário, o exame preventivo deveráser iniciado obrigatoriamente aos 40 anos, conforme o INCA (2010).Para tanto, a próstata, de acordo com Antare (2002) é um órgão glandular que produzuma substância que, juntamente com a secreção da vesícula seminal e osespermatozóides produzidos nos testículos, vai formar o sêmem ou esperma.1Discentes da 3° série do curso Técnico em Processamento de Alimentos e Bebidas.2Biólogo, especialista em Saneamento Ambiental e docente do curso Técnico em Processamento de
  2. 2. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaAlimentos e Bebidas.Está localizada abaixo da bexiga e pode ser sede de dois processos distintos: oprimeiro é o crescimento benigno, chamando de hiperplasia, que acomete quase90% dos homens após os 40 anos e que produz dificuldade para a eliminação daurina. O segundo é o câncer de próstata, que surge associado ou não aocrescimento benigno e que se manifesta quase sempre depois que os homenscompletam 50 anos.Fonte: http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=129Vale ressaltar que devido ao seu posicionamento interno no corpo do homem, torna-se difícil o diagnóstico de qualquer anormalidade. O exame mais indicado é o dotoque retal, por onde pode-se ter contato com a glândula. No Exame Físico, éimprescindível o toque retal uma vez que fornece informações sobre o volume,consistência, presença de irregularidades, limites, sensibilidade e mobilidade dapróstata. É o exame digital da próstata sendo o método mais antigo, mais barato eainda o mais usado para levantar suspeitas de câncer de próstata (ROEN, 1973).Fonte: http://www.biocientista.com/wp-content/uploads/2008/11/prostata1.jpg
  3. 3. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaPor conta disso, define-se como objetivo do estudo conhecer o nível de informação doshomens acima de 40 anos que frequentam a feira livre, a cerca do câncer de próstata nomunicípio de Barreiras-BA.Os fatores de risco para câncer de próstata, assim como em outros cânceres, são a idadeque é um fator de risco importante, uma vez que tanto a incidência como a mortalidadeaumentam exponencialmente após a idade de 50 anos. História familiar de pai ou irmãocom câncer da próstata antes dos 60 anos de idade pode aumentar o risco de câncer em3 a 10 vezes em relação à população em geral, podendo refletir tanto fatores hereditáriosquanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias(MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2010).A influência que a dieta pode exercer sobre a gênese do câncer como descreve o Minis-tério da Saúde (2010), ainda é incerta, não sendo conhecidos os exatos componentes ouatravés de quais mecanismos estes poderiam estar influenciando o desenvolvimento docâncer da próstata. Contudo, já está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras,legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origemanimal, não só pode ajudar a diminuir o risco de câncer, pois reduz a produção da tes-tosterona que é o hormônio combustível à neoplasia, como também de outras doençascrônicas não transmissíveis.Diante do exposto, Duncan (2004) explica que o câncer da próstata em sua fase inicialtem uma evolução silenciosa. Muitos pacientes não apresentam nenhum sintomaou, quando apresentam, são semelhantes ao crescimento benigno da próstata(dificuldade miccional, frequência urinária aumentada durante o dia ou à noite,ardência ao urinar, diminuição da força e calibre do jato urinário, sensaçãode não ter esvaziado completamente a bexiga após urinar, urinar em dois tempos,desejo imperioso de urinar, urina sanguinolenta, gotejamento acentuado no final damicção, diminuição do volume do ejaculado, incapacidade de urinar espontaneamente(retenção urinária), entre outros. Uma fase avançada da doença pode sercaracterizada por um quadro de dor óssea, sintomas urinários ou, quando maisgrave, como infecções generalizadas ou insuficiência renal (DUNCAN, 2004).
  4. 4. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaNo que se refere ao diagnóstico do câncer de próstata como já foi citado anteriormente,é feito pelo exame clínico (toque retal) onde o homem deve curvar-se sobre uma mesaou deitar de lado segurando os joelhos perto do peito. O médico insere um dedo comluva lubrificada dentro do reto e sente a parte da próstata que está ao seu lado(GOLDMAN; AUSIELLO, 2005).O exame do toque retal informa ao médico se a próstata apresentainchaços, irregularidades, pontos macios ou duros que necessitam de examesadicionais. Se houver suspeita de infecção na próstata, o médico pode massageá-ladurante o exame do toque retal para obter fluidos para serem examinados sobmicroscópio e também pela dosagem do antígeno prostático específico (PSA, sigla eminglês), que podem sugerir a existência da doença e indicarem a realização de ultra-sonografia pélvica (ou prostática transretal) para verificar a saúde da bexiga epróstata conforme Goldman; Ausiello, (2005). Há dois métodos para realizar aultra-sonografia pélvica: externamente ou internamente. A ultra-sonografia pélvicainterna é feita ou transvaginal (em mulheres)ou transretal (em homens). Esta ultra-sonografia, por sua vez, poderá mostrar anecessidade de se realizar a biópsia prostática transretal que é a retirada de uma amostrade tecido de várias partes da próstata para confirmar a doença e saber em que estágio elase encontra (INCA, 2010).Dessa maneira, o tratamento do câncer da próstata depende do estagiamentoclínico. Para doença localizada, cirurgia, radioterapia e até mesmo uma observaçãovigilante (em algumas situações especiais) podem ser oferecidos. Para doençalocalmente avançada, radioterapia ou cirurgia em combinação com tratamentohormonal têm sido utilizados. Para doença metastática, o tratamento definido éhormonioterapia. A escolhado tratamento mais adequado deve ser individualizada e definida após discutir os riscose benefícios do tratamento com o profissional médico (ROEN, 1973).Com novos casos ocorridos por ano no Brasil, o Ministério da Saúde (2010), relata queo câncer de próstata é a neoplasia mais comum entre os homens, depois dos tumores de
  5. 5. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - Bahiapele. Dos 200 tipos de câncer, o de próstata está entre os mais curáveis desde que, frise-se, seja descoberto em fases iniciais. Por isso, a atitude dos pacientes é tãoessencial quanto as mais avançadas técnicas de diagnóstico.O presente estudo utilizou como metodologia a natureza exploratória, com abordagemquantitativa, sendo que para a coleta de dados foram aplicados formulários no ano emque se segue. Os instrumentos foram compostos por 12 questões. Os sujeitos do estudoforam homens acima de 40 anos da feira livre de Barreiras-BA, totalizando 100pesquisados, selecionados aleatoriamente. Realizou-se visita a um profissional médicourologista, para enriquecimento dos conhecimentos, além de registros fotográficos dospesquisados. Foi realizado o estudo-piloto com a primeira etapa do formuláriopara validar o instrumento e estabelecer a redação definitiva.Durante a coleta, análise e utilização dos dados manteve-se respeito aos aspectos éticosde acordo com a Resolução nº 196/96, do Conselho Nacional de Saúde, quecoloca aspectos importantes quanto a defesa dos direitos humanos dos sujeitosenvolvidos na pesquisa, segundo Fortes (1998). Os valores foram agrupados etratados através da estatística descritiva. Em seguida, foram distribuídos em gráficose analisados à luz de multireferencias.De acordo com os questionários aplicados na população alvo, foram levantados dadosem relação à faixa etária, no qual observou-se que 34% apresentavam de 40 a 50 anosde idade, enquanto que 28% de 51 a 60 anos, 27% de 61 a 70 anos, 10% de 71 a 80 anose apenas 1% entre 81 a 90 anos.
  6. 6. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaGráfico 01 Percentual do Conhecimento da População Masculina da Feira Livre,acima de 40 anos, segundo a Faixa Etária.Fonte: Pesquisa de Campo, 2010.No que se refere ao conhecimento do câncer de próstata, notou-se com o estudo que osparticipantes sabem o que é o câncer de próstata, uma vez que teve uma predominânciade 76% que responderam sim, enquanto 24% disseram que não.Gráfico 02 Percentual do Conhecimento da População Masculina da Feira Livre,com Faixa Etária acima de 40 anos, segundo o Grau de Conhecimento acercado Câncer de Próstata.Fonte: Pesquisa de Campo, 2010.Nesta perspectiva, quando os pesquisados foram questionados se conheciam alguém quetem ou que já teve o câncer de próstata e a idade desta pessoa, 64% relataram que sim,estando numa faixa etária de 50 anos (20%), 60 anos (20%), 65 anos (13%) e (11%) nãosouberam informar a idade; 34% responderam que não conhecem ninguém que tem ouque já teve e 2% não respondeu.No que diz respeito ao nível de informação dos participantes quanto aos sintomasapresentados pelo homem com câncer de próstata 56% demonstraram não saber, para43% que afirmaram conhecer e apenas 1% não respondeu.
  7. 7. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaGráfico 03 Percentual do Conhecimento da População Masculina da Feira Livre,com Faixa Etária acima de 40 anos, segundo a Sintomatologia do Câncer dePróstata.Fonte: Pesquisa de Campo, 2010.Em relação à idade que deve ser feito o exame para detectar o câncer de próstata, 85%informaram que sabiam, sendo que as idades levantadas variaram de 30 a 60anos, (48%) afirmaram com 40 anos, (18%) a partir de 40 anos, outros (13%) com 45anos, (6%) com 50 anos. Enquanto, que 13% da população alvo não souberam descrevere 2% não responderam.Gráfico 04 Percentual do Conhecimento da População Masculina da Feira Livre,com Faixa Etária acima de 40 anos, segundo a Idade de Realizar os Exames paraDetectar o Câncer de Próstata.Fonte: Pesquisa de Campo, 2010.
  8. 8. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaNo que se refere a idade de realizar os exames para detectar o câncer depróstata, constou-se que a grande maioria encontra-se esclarecida, e que a idaderelatada de 40 anos é a estabelecida pelos profissionais médicos urologistas,estando conforme o exigido pelo o Ministério da Saúde (2010).No que tange aos pesquisados que já fizeram os exames do câncer de próstata algumavez, 64% informaram que sim, enquanto, 36% afirmaram que não, devidonão apresentar sintomas (8%), falta de preocupação sobre a doença (4%), pornão ter nenhuma informação quanto à importância da prevenção do câncer depróstata (2%), por falta de tempo para realizar o exame (2%), porque nuncaprecisou (1%), porque nunca foi ao médico (1%), por fazer agora 40 anos (1%)e (17%) não relataram o motivo.Gráfico 05 Percentual do Conhecimento da População Masculina da FeiraLivre, com Faixa Etária acima de 40 anos, segundo a Realização dos ExamesPeriódicos para Detectar o Câncer de Próstata.Fonte: Pesquisa de Campo, 2010.Quanto à sintomatologia urinária, foi questionado aos pesquisados se ao urinarem,a urina saía normal ou sentiam dificuldades, (47%) não descreveram os sintomas,(41%) afirmaram que saía normal, (7%) que algumas vezes, sentia ardência aourinar, (2%) informou que apresentava sintomas, mas já estava em tratamento,outros (2%) sentia dificuldade ao urinar, após ingerir bebidas alcoólicas, (1%)queixava-se de interrupção do jato urinário.
  9. 9. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaReferente ao conhecimento sobre o exame, 65% citaram que sabem como éfeito. Destes, (51%) descreveram ser através do PSA e toque retal, (7%) ultra-som,(3%) não descreveram, (1%) por laser, (1%) retirada da próstata, ainda (1%)biópsia, (1%) por vergonha. Para tanto, 35% informaram que não sabem como érealizado o exame. Contudo, verificou-se que 77% confirmaram que o câncer depróstata tem cura, 22% que não tem cura e 1% não sabia informar. Assim, valeressaltar que durante a coleta de dados, percebeu-se que um número reduzido dapopulação pesquisada, chamava atenção para que a cura do câncer de próstata sóocorresse apenas, quando tratado precocemente.Gráfico 06 Percentual do Conhecimento da População Masculina da Feira Livre,com Faixa Etária acima de 40 anos, segundo a Cura do Câncer de Próstata.Fonte: Pesquisa de Campo, 2010.Evidenciou-se, após a análise que a população masculina da área pesquisada, com faixaetária acima de 40 anos, tem um conhecimento satisfatório sobre o que é o câncer depróstata, uma vez que alegaram conhecer pessoas que tiveram está neoplasia ou que emsua região já houve casos de óbitos referentes a esta doença. Porém, não estãoinformados sobre os sintomas apresentados pelo indivíduo com câncer, sendo este umponto preocupante, pois a sintomatologia é um fator primordial para o diagnóstico nafase inicial da doença, o que garante a prevenção.
  10. 10. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaPor conta disso, foi notório que uma minoria dos pesquisados demonstravam-sereceosos para realizarem o exame do toque retal, já que afirmaram dodesconforto proporcionado pelo exame. Então, devido ao preconceito não sesubmetem ao procedimento clínico, apesar de muitos apresentarem sintomascompatíveis com os do câncer da próstata. Vale ressaltar que a Sociedade Brasileira deUrologia recomenda queo exame do toque retal deva ser feito concomitante ao exame de sangue para dosar oAntígeno Prostático Específico (PSA), tornando mais fidedigno o diagnóstico, aocontrário, do que a população masculina relatou.Logo, faz-se necessário uma atuação por parte das autoridades competentes, coma criação de campanhas educativo-preventivas com o objetivo do diagnósticoprecoce, tratamento mais eficaz e mudança no comportamento masculino,uma vez que desmistificará os tabus referentes às formas de detecção da neoplasia,alertando-os sem amedrontá-los para que realizem um tratamento que melhor atenda asua qualidade de vida e seu prolongamento.Portanto, foi constatado que para a população pesquisada o câncer de próstata tem cura,todavia, contrariando as expectativas, os dados do Instituto Nacional do Câncer /INCA(2010) indicam que nos últimos 25 anos, os óbitos por câncer de próstata aumentaram95%, relatando ser a desinformação e a resistência dos homens ao toque retal queagravam o cenário da doença no Brasil e no mundo.Referências:ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 10520: Norma para datar. Riode Janeiro, 2002.ANTARE. Anatomia do Sistema Urinário. (2002). p. 01-20. Disponível em:http://antares.ucpel.tche.br/histologiamedica/arquivos_word/cap18_sistema_urinario.Acesso em: 19 de setembro de 2010. p. 08-20.BRASIL. Ministério da Saúde. (2010). Câncer de Próstata. Disponível em:http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?ID=339. Acesso em 19 de setembro de2010.
  11. 11. III JORNADA Científica eTecnológica do OESTE BAIANOSemana Nacional de Ciência e Tecnologia19 a 22 de outubro de 2010, Barreiras - BahiaCâncer de Próstata. Disponível em:http://www.todabiologia.com/anatomia/prostata.htm. Acesso em: 03 de outubro de2010.DUNCAN, Bruce B.. Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção PrimáriaBaseadas em Evidências. 3ª edição. São Paulo: Artmed, 2004FORTES, Pac. Ética e Saúde. São Paulo: EPU, 1998. p.05-200.GOLDMAN, A.; AUSIELLO, D. Tratado de Medicina Interna. Tradução da 22ªedição. Saunders. Vol. I. Rio de Janeiro: Cecil, 2005. p. 818-839Programa de Educação a Distância de Medicina Familiar e Ambulatorial -PROFAM - Entrega VII, Cap. 54, 2003, Ideo Gráfica, Argentina.ROEN, Dr. Philip R. A saúde Sexual do Homem. 7º edição. Rio de Janeiro: Record,1973.

×