Câncer de PróstataAndré Miotto4º ano médico – UNIFESP-EPMLiga Urológica Acadêmica (LUA)O câncer de próstata é hoje o cânce...
O CâncerAcredita-se que todo homem nasce programado para ter câncer da próstata,pois todos carregam em seu código genético...
exame de ultra-sonografia. O PSA é uma proteína produzida exclusivamente pelapróstata, que se eleva de maneira significati...
sexual, que surge em quase todos os casos e é difícil de ser contornada, já que opaciente perde as ereções e, também, o de...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Câncer de Próstata

878 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Câncer de Próstata

  1. 1. Câncer de PróstataAndré Miotto4º ano médico – UNIFESP-EPMLiga Urológica Acadêmica (LUA)O câncer de próstata é hoje o câncer mais comum no sexo masculino e aindauma importante causa de morte no mundo. A mortalidade pelo câncer de próstata vemcaindo, mas para que o tratamento tenha maior sucesso, algumas medidas sãonecessárias, entre elas a detecção precoce da doença. Este texto explicita dúvidas edados sobre neoplasia de próstata e cita métodos diagnósticos e formas de tratamentopara tal.A PróstataA próstata (ou glândula prostática) está presente apenas nos indivíduos dosexo masculino, tendo como funções a produção do fluido prostático, que representagrande quantidade em volume do sêmen ejaculado; e auxiliar na expulsão do sêmenna ejaculação, através da contração de sua musculatura. A próstata está localizada naregião pélvica, entre o reto (parte final do intestino) e a bexiga. A uretra, canal únicopor onde passam urina e sêmen, passa por dentro da próstata; o que, como veremos,tem muita importância no diagnóstico de doenças da próstata. Uma próstata normaltem tamanho menor que uma maçã pequena e um peso de 20g.É esperado que a partir dos 40 anos de idade a próstata apresente umcrescimento benignol, o que chamamos de hiperplasia benigna de próstata. Eexatamente nessa faixa etária podem começar a se desenvolver as neoplasiasprostáticas.
  2. 2. O CâncerAcredita-se que todo homem nasce programado para ter câncer da próstata,pois todos carregam em seu código genético os chamados "proto-oncogenes", quedão a ordem para uma célula normal se transformar em outra maligna. Isto só nãoocorre indiscriminadamente porque a função dos proto-oncogenes é antagonizada poroutro grupo de genes protetores, chamados de "supressores". A sua incidênciaaumenta com a idade, atingindo quase 50% dos indivíduos com 80 anos; este tumor,provavelmente, não poupará nenhum homem que viver até 100 anos. Além disso,este câncer pode se desenvolver de maneira silenciosa, ou seja, sem causar nenhumsintoma ao paciente até chegar a um estágio muito avançado. Como os tumores depróstata crescem muito lentamente, até serem detectados podem já estar numprocesso chamado metástase, no qual o câncer se espalha pelo corpo e se instala emalguns locais preferidos, como os gânglios linfáticos e os ossos; e, mais tardiamente,fígado, pulmões e adrenal. Por este motivo, a detecção precoce dos tumores, mesmoque não estejam causando nenhum incômodo ao paciente é fundamental para umtratamento de maior eficácia. Existem alguns tipos de câncer de próstata, porém omais comum é denominado adenocarcinoma, representando 95% de todas asneoplasias da próstata.Homens com antecedentes familiares de câncer da próstata têm maior chancede desenvolver a doença. Os riscos aumentam de 2,2 vezes quando um parente de 1°grau (pai ou irmão) é acometido pelo problema, de 4,9 vezes quando dois parentes de1° grau são portadores do tumor e de 10,9 vezes quando três parentes de 1° grau têma doença. Nos casos hereditários, o câncer se manifesta mais precocemente, muitasvezes antes dos 50 anos. Além da herança familiar, outros fatores de risco a seremconsiderados são os fatores alimentares e ambientais, que explicam porque há grandediferença de incidência entre países e culturas diferentes; e a raça, onde a raça negramostra-se mais acometida por este câncer.SintomasA maioria dos cânceres de próstata é detectada em homens sem sintomas, nosquais foram detectados nódulos, ou áreas endurecidas na próstata, quando feito oexame de toque retal. Mais raramente os pacientes podem apresentar sinais deretenção urinária (bexiga palpável), ou sintomas neurológicos, decorrentes demetástases em coluna vertebral, com compressão da medula espinhal. Sintomasvagos de obstrução urinária são geralmente devido à hiperplasia benigna da próstata,que ocorre na mesma faixa etária. No entanto, cânceres com tamanho grande podemcausar também sintomas obstrutivos, como diminuição do jato urinário, diminuição dovolume urinário, acordar para urinar durante a noite e sensação de esvaziamentoincompleto da bexiga.DiagnósticoOs homens sabem que o toque digital é importante para o diagnóstico docâncer da próstata. Nestes casos, a glândula torna-se irregular e de consistênciaendurecida. Um alegado preconceito cultural tenta explicar porque a maioria doslatinos resiste ao exame, mas todos os que já submeteram ao toque aceitam repetí-losem restrição. Em outras palavras, o problema talvez não seja cultural ou psicológicomas apenas o medo infundado de possível dor.Além do toque, dois outros exames são utilizados para identificar o câncer:dosagens do antígeno prostático específico no sangue (conhecido como PSA) e o
  3. 3. exame de ultra-sonografia. O PSA é uma proteína produzida exclusivamente pelapróstata, que se eleva de maneira significativa nos casos de câncer, mas tambémaumenta em pacientes com infecção ou com crescimento benigno exagerado daglândula. Por isto, elevações do PSA sempre exigem uma atenção médica, mas nãoindicam necessariamente a presença de câncer na próstata. O exame de ultrassomfeito através do ânus permite visualizar as chamadas áreas hipoecóicas dentro dapróstata, suspeitas de lesões cancerosas. Este exame, falha em 60% a 70% dospacientes, deixando de evidenciar tumores que estão presentes ou demonstrandoáreas hipoecóicas que não são malignas. Por isto, o ultrassom é utilizado pelosurologistas em alguns casos de dúvida clínica e, principalmente, para orientar arealização de biópsias da próstata. O método de maior custo-benefício e, portanto, omais utilizado é a combinação entre o toque retal e o PSA.O próximo passo é a biópsia, que consiste na retirada de uma amostra detecido de várias partes da próstata para confirmar a doença e saber em que estádioela se encontra. A biópsia confirma ou descarta o diagnóstico de câncer. A seguir, seconfirmada a presença de neoplasia, inicia-se o estadiamento, onde deve-se procurarmetástases pelo corpo, ou seja, verificar se o câncer se espalhou. Seguidos estespassos, podemos planejar as formas de tratamento.TratamentoAo planejar o tratamento do câncer da próstata, os médicos levam principalmente emconsideração a extensão da doença. Dependendo deste e de outros fatores, um forma detratamento é indicada. Abaixo listam-se alguns tipos de tratamento e suas indicações.Observação - opção para homens de idade avançada, com câncer confinado napróstata e de crescimento lento. Através de exames periódicos de PSA o médico iráacompanhar a evolução do caso.Cirurgia – a prostatectomia radical (retirada de toda a próstata) é indicada para ostumores malignos iniciais restritos à próstata, que ainda não tenham infiltrado acápsula prostática (camada externa) ou órgãos adjacentes como: bexiga, uretra,musculatura perineal, reto e vesículas seminais.Radioterapia - expõe áreas cancerosas à pequenas quantidades de radiação,exterminando o câncer. É utilizada mesmo em casos iniciais em que o paciente nãotenha condições clínicas mínimas de ser operado ou tenha negado a cirurgiaTerapia Hormonal - utiliza medicamentos ou cirurgia para bloquear a produção dehormônios masculinos e desacelerar o crescimento do câncer.No caso de doença metastática, a discussão já é um pouco mais complicada.Embora o prognóstico dos casos de tumor disseminado pelo organismo seja maisreservado, cerca de 35% destes pacientes permanecem vivos e bem após cinco anos,muitos sobrevivendo mais de 10 anos. A existência de focos de tumor ou metástasesem outros órgãos torna inútil a tentativa de se erradicar o tumor prostático inicialatravés de cirurgia ou de radioterapia. Como o crescimento das células malignas dapróstata é estimulado pela testosterona (o hormônio masculino produzido pelostestículos), qualquer medida que reduza os níveis desta substância no sangue, fazretroceder o câncer, tanto a lesão inicial da próstata como os focos de metástases. Naprática, recorre-se à castração (extração de ambos os testículos) ou à administraçãode hormônios chamados anti-androgênicos, que antagonizam a testosterona. Aeficiência clínica destas diversas alternativas é mais ou menos parecida, o que asdiferenciam são os seus efeitos colaterais. O mais incômodo deles é a impotência
  4. 4. sexual, que surge em quase todos os casos e é difícil de ser contornada, já que opaciente perde as ereções e, também, o desejo sexual.ConclusõesApesar de sua alta freqüência, o câncer de próstata pode ser tratado comgrande sucesso, desde que seja diagnosticado precocemente. Para tal, é fundamentalque todos dos homens acima de 45 anos realizem anualmente o toque retal e o examede PSA. Desta forma, poderemos controlar de forma eficaz essa doença tãoprevalente.

×