Aveh geral

410 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
410
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aveh geral

  1. 1. Acidente Vascular Cerebral Hemorrágico João Sargento Freitas
  2. 2. Acidentes vasculares cerebrais: que tipo? 1. Acidentes isquémicos (75%?) AIT AVC plenamente constituídos 2. Hemorragias cerebrais (20%?) 3. Hemorragias subaracnoideias (5%?)
  3. 3. Introdução
  4. 4. Introdução
  5. 5. Clínica Quadro de instalação súbita Cefaleias, vómitos, alt. estado consciência Sintomas neurológicos focais Sintomas e sinais neurológicos negativos Défice neurológico máximo desde início
  6. 6. ETIOLOGIA AVC Hemorrágico não é, em si, um diagnóstico! Onde? Porquê?
  7. 7. Etiologia
  8. 8. Etiopatogenia - HTA
  9. 9. Etiopatogenia – Malf. A-V
  10. 10. Etiopat. – Angiopatia Amilóide
  11. 11. Etiopatogenia – Tumores Glioblastoma Oligoastrocitoma
  12. 12. Investigação Complementar TAC craneo-encefálica Angiografia por subtracção digital Angio-TAC RMN-CE / Angiorressonância
  13. 13. Localização “Clássica” (lenticulo-capsular) Talâmica Cerebelosa Protuberancial Lobar
  14. 14. Localização “Clássica” (lenticulo-capsular) Talâmica Cerebelosa Protuberancial Lobar
  15. 15. Localização “Clássica” (lenticulo-capsular) Talâmica Cerebelosa Protuberancial Lobar
  16. 16. Localização “Clássica” (lenticulo-capsular) Talâmica Cerebelosa Protuberancial Lobar
  17. 17. Localização “Clássica” (lenticulo-capsular) Talâmica Cerebelosa Protuberancial Lobar
  18. 18. TRATAMENTO MÉDICO Controlo de HTA, Classe I, Nível A Nível C
  19. 19. TRATAMENTO MÉDICO Controlo de HTA, Classe I, Nível A Reverter distúrbio da coagulação/plaquetar, Classe I, Nível C Complexo de Protrombina Concentrado Plasma Fresco Congelado F VII recombinante F VIII F IX Transfusão Plaquetas
  20. 20. TRATAMENTO MÉDICO Controlo de HTA, Classe I, Nível A Reverter distúrbio da coagulação/plaquetar, Classe I, Nível C Acompanhamento em UCI, Classe, Nível B Promover a normoglicémia, Classe I, Nível C HBPM para prevenir tromboembolia 1-4 dias após evento, após evidência de cessação de sangramento, Classe IIb, Nível B
  21. 21. TRATAMENTO CIRÚRGICO Considerar derivação ventricular em caso de hidrocefalia, Classe IIa, Nível B
  22. 22. TRATAMENTO CIRÚRGICO Considerar derivação ventricular em caso de hidrocefalia, Classe IIa, Nível B Remoção cirúrgica da hemorragia se: Hemorragia cerebelosa com deterioração neurológica ou compressão do tronco e/ou hidrocefalia, Classe I, Nível B; Hemorragias lobares >30mL, de localização <1cm do crânio, Classe IIb, Nível B
  23. 23. Hemorragias subaracnoideias
  24. 24. Espaço sub-aracnoideu
  25. 25. Clínica Instalação: Súbita Anamnése: Cefaleias explosivas, vómitos, alteração do estado consciência Exame objectivo: Sinais de irritação meníngea Sinais neurológicos focais
  26. 26. • Grau 0: assintomático • Grau I: cefaleias ligeiras, sem défices • Grau II: cefaleias intensas, sem défices (parésia de n. craniano) • Grau III: sonolência, défice ligeiro • Grau IV: alteração consciência (estupor), hemiparésia • Grau V: Coma profundo, rigidez em descerebração Clínica Escala de Hunt e Hess
  27. 27. Aneurismas (saculares, fusiformes, dissecantes) Malformações arteriovenosas Traumatismos cranianos Hipertensão Coagulopatias (genéticas, adquiridas) Etiologia
  28. 28. Localização
  29. 29. Exames Complementares diagnóstico TC-CE
  30. 30. Exames Complementares diagnóstico Angiografia
  31. 31. Aneurisma do topo da Basilar
  32. 32. Opções terapêuticas Cirurgia Coiling Intra-arterial
  33. 33. Aneurisma da artéria cerebral média Exclusão cirúrgica do aneurisma Caso
  34. 34. Caso Clínico 1
  35. 35. Identificação Jorge, 52 anos Natural e residente em Coimbra HTA não medicada Taxista
  36. 36. Clínica e Ex. Neurológico Instalação súbita de: Hemiparésia direita G3 Vómitos Sinais Vitais TA: 223/118mmHg; Pulso: 89bpm; Sat O2: 96% Glicémia capilar: 85mg/dL
  37. 37. ECD ? A.Nenhum, o doente não tem nada; mandava para casa B.RX torax C.TAC-CE D.RMN-CE E.Angiografia cerebral
  38. 38. • Etiologia esclarecida? • Mais algum exame complementar? E agora ? A.Nenhum, está esclarecido B.Angio-TC Cerebral C. RMN-CE D.Angiografia cerebral E. Todos
  39. 39. Evolução ?
  40. 40. Evolução
  41. 41. Caso Clínico 2
  42. 42. Identificação Catarina, 39 anos Natural e residente em Coimbra AP de Enxaqueca com aura Secretária
  43. 43. Clínica e Ex. Neurológico Instalação súbita (após exercício violento não especificado) de: Cefaleia violenta “a pior cefaleia da minha vida”, holocraniana, pulsátil, cinesifobia Vómitos Sinais Vitais TA: 165/92mmHg; Pulso: 92bpm; Sat O2: 96% Glicémia capilar: 75mg/dL
  44. 44. ECD ? A.Nenhum, a doente não tem nada; mandava para casa B.Nenhum, mas internava-a para vigiar C.TAC-CE D.RMN-CE E.Angiografia cerebral
  45. 45. • Etiologia esclarecida? • Mais algum exame complementar? E agora ? A.Nenhum, está esclarecido B.Angio-TC Cerebral C. RMN-CE D.Angiografia cerebral E. Todos
  46. 46. Tratamento ? A.Nenhum, ela não precisa B.Médico C.Cirúrgico D.Angiografia
  47. 47. Evolução

×