Aula composiçao corporal - in - simone

998 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
998
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula composiçao corporal - in - simone

  1. 1. Composição CorporalProfª Simone Miyamoto
  2. 2. Composição CorporalSimone Miyamoto
  3. 3. Composição Corporal* Proporção entre diferentes componentes corporais e amassa corporal total, expressa pelas % de gordura e massamagra.(HEYWARD, 1998a; KISS, B’OHME & REGAZZINI, 19999; NIEMAN, 1999)* Pode ser avaliada em 5 níveis:- Anatômico- Molecular- Celular- Tecidos, órgãos e sistemas- Corpo todo(WANG, PIERSON JUNIOR & HEYMSFIELD, 1992)
  4. 4. Composição CorporalFat freeMass(FFM)FatWaterFatProteinMineralOxygenHydrogenCarbonN,K,Ca,Na,...CellMassECFECSFatAdipaseTissueBoneBloodOtherSkelletalMuscleWholeBodyMulticompartiment ModelsBasic ModelCompartimentatomic molecular cellular functional
  5. 5. Composição CorporalAnálise da Composição Corporal é aquantificação dos principaiscomponentes estruturais do corpo humano.Em proporções variadas, os 3 maiores são:ossos, músculos e gorduraMaiores causas de variaçãoda massa corporal
  6. 6. Por que avaliarComposição Corporal?- Nível alto ou excessivamente baixo de gordura é prejudicial- Estabelece peso ótimo para saúde o desempenho dos atletas- Formular as diretrizes dietéticas e prescrição dos exercícios comfinalidade de modificar a composição corporal e avaliar a eficácia- Monitorar as mudanças na composição corporal que ocorrem com ocrescimento, maturação e envelhecimento a fim de distinguirmodificações normais dos estados patológicos- Estudos e pesquisas
  7. 7. MASSA GORDA - gordura corporal.MASSA MAGRA - tecido não adiposo.Peso Corporal=Massa Gorda + Massa Magra
  8. 8. Composição CorporalMassa Magra:- músculos* em maior proporção* principal responsável pelo gasto calórico em repouso e emexercício- ossos- órgãos vitaisMassa Gorda: gordura- Funções orgânicas essenciais: proteção de órgãos,- Isolamento térmico,- Síntese hormonal- Em excesso pode ser prejudicial à saúde – doenças comodiabetes, hipertensão arterial e cardiopatias
  9. 9. Definições• Massa de gordura (MG) – todos os lipídeos extraídosdo corpo• Massa livre de gordura (MLG) – todos os tecidoslivres de lipídeos incluindo água, músculos, ossos,tecidos conjuntivos e órgãos• Massa corporal magra - (MCM) + lipídeos essenciais• Lipídios essenciais – lipídeos• compostos (fosfolipídeos) necessários para aformação da membrana celular (~10% dos lipídeoscorporais totais)
  10. 10. Definições• Gordura Subcutânea – tecido adiposo acumulado soba pele• Gordura visceral – tecido acumulado dentro e emvolta dos órgãos, da cavidade torácica (coração epulmões) e abdominal (fígado, rim, etc)• Gordura intra-abdominal – gordura visceral nacavidade abdominal• Gordura abdominal – gordura subcutânea na regiãoabdominal
  11. 11. MulheresGorduraessencial8 – 12%Atléticas12 – 22%Recomendado34 anos ou --20 – 35%Recomendado35 – 55 anos23 - 38%Recomendado+ de 56 anos25 – 38%Mínimo10 – 12% obesasobesasobesas
  12. 12. HomensGorduraessencial3 – 5%Atléticas5 – 13%Recomendado34 anos ou --8 – 22%Recomendado35 – 55 anos10 - 25%Recomendado+ de 56 anos10 – 25%Mínimo5% obesosobesosobesos
  13. 13. Tabela – Padrões de gorduracorporal para homens e mulheres> 32 %> 25 %RISCO24 – 31 %16 – 24 %MÉDIA23 >15 %MÉDIA9 – 22 %6 – 14 %< MÉDIA< 8 %< 5 %RISCOMULHERESHOMENSLohman, 1992
  14. 14. MÉTODO DIRETO:Dissecação de cadáver.
  15. 15. IndiretosExcreção decreatininaAtivação deNeutronsEspectometriaDissoluçãoIsotrópicaAbsorção de GasesPlestimografiaFÍSICO – QUÍMICOSTomografia AxilComp.RessonânciaMagnéticaUltra-sonografiaRadiologia ClássicaIMAGEMVolume de H2OPesagemHidrostáticaDENSITOMETRIA
  16. 16. Duplamente IndiretoEquações deregressãogeneralizadasEquações deregressão linearesEscala 0ProporcionalidadeSomatotipoSomatogramasFracionamento em 2,4 e 5 componentesÍndices de obesidadee massa corporalANTROPOMETRIABioimpedânciaElétricaI.B.ECondutividadeElétricaTotalC.E.T.InteractânciaDe RaiosInfravermelhosI.R.I(Petroski, 2003)
  17. 17. Quadro - MétodosClassificação da Validade e Objetividadedos Métodos da Composição Corporal3, 02, 42, 322Circunferências2, 52, 32, 322Impedânciabioelétrica2, 52, 32, 32, 32Pregas Cutâneas3, 5441, 21Interactânciaquase infravermelha44, 54, 511Índice de massacorporalGlobalEquaçõesválidasExatidãoObjetividadePrecisãoMétodo1, excelente; 2, muito bom; 3, bom; 4, regular; 5, inaceitável
  18. 18. Densitometria• Termo que refere-se ao procedimento de se estimar acomposição corporal através da densidade corporal• A densidade do corpo humano (Dc) como em qualquermaterial é equivalente à razão de sua massa e volume:Dc= Massa / Volume(Going, 1996)• A Dc pode ser obtida através da pesagemhidrostática pela equaçãoD(g/ml)= Peso no ar[( - )/ ] – ( + 0,100)Pesono arPeso naáguaDensidadeda águaVolumeResidualDensidadeCorporal
  19. 19. Densitometria• densidade da gordura = 0,901 g/cm3• densidade da MLG v= 1,10 g/cm3• As densidades de gordura e componentes da MLGmesmos p/ todos s• O q difere quantidade de gordura• Equações densidade corporal em % GEstimativa da %G através da densidade(Brozek et al., 1963; Siri, 1961)Siri - %G=(495/Dc)-450Brozek - %G=(475/Dc)-414,2
  20. 20. Pesagem Hidrostática(Subaquática)• Quando um corpo é pesado em água, causa umdeslocamento de volume desta água, o qual seráigual ao volume do corpo.• Baseia-se no princípio de Arquimedes• Método indireto e não invasivo para avaliação dacomposição corporal
  21. 21. Plestimografia ( Bod Pod )• Simples, seguro, c/ participação mínima do indivíduoavaliado• Equipamento complexo, sofisticado e de custo elevado• Câmara constituída em fibra d vidro, janela de acrílico,assento em seu interior, porta c/ dispositivoseletromagnéticos p/ seu fechamento• Modelo + utilizado atualmente: BOD POD – BodyComposition System (LIFE MEASUREMENT INSTRUMENTS,1997)• Software específico, instalado em um microcomputadorconectado à câmara, são determinadas variações devolumes de ar e de pressão em seu interior, c/ a câmaradesocupada e c/ o avaliado, além de variáveis pulmonaresnecessárias às estimativas do volume corporal (GUEDES &GUEDES, 1998)
  22. 22. Bod Pod• Base – lei de deslocamento de ar de Boyle (GARROW et al,1979).• Em ambiente fechado de temp cte, se dobrar o vol do gás,a sua pressão se reduzirá à metade; ou se reduzirmos seuvol a 1/3 seu vol triplicará
  23. 23. Absormetria de Raios X dedupla energia (DEXA)• Inicialmente desenvolvida para avaliar o conteúdo mineralósseo na investigação de doenças como osteoporose• atualmente, é um método de boa precisão ereprodutibilidade para avaliar a composição corporal• técnica baseada na atenuação de raios em diferentes níveisde energia e permite realizar a mensuração corporal total epor segmentos(cabeça,tronco e membros)• O Principio básico - utilização de uma fonte de Raios X comum filtro que converte um feixe de Raios X em picosfotoelétricos de baixa e alta energia que atravessam ocorpo do indivíduo. A obtenção dos compartimentoscorporais e feita pela medida e atenuação desses picosfotoelétricos.
  24. 24. Absormetria de Raios X dedupla energia (DEXA)• Limitação: incapacidade de detectar a quantidade de águacontida na massa magra. (as proteínas e os fluidoscorporais apresentam coeficientes atenuantes similares,que não são diferenciadas pela absormetria)• Método que estiam a água corporal total, a qual éequivalente a uma fração fixa de 73,2% da massa magrado individuo.• necessidade de mais estudos de validação para ser aceitocomo método padrão ouro na avaliação corporal, vemsendo utilizada como método de referência em estudoscomparativos de composição corporal devido a sua elevadaprecisão, sendo método recomendado pelo National KidneyFoundation.• não é e não necessita de nenhum preparo ou requisitoespecial para execução do exame, mas requer localadequado, equipamento sofisticado, avaliador treinado eapresenta custo elevado.
  25. 25. Bioimpedância• Anos 60 - medidor portátil de bioimpedância p/ estimativade composição corporal• primeiras pesquisas - anos 80 (Nyboer 1991)• Fricke (1925) relata a natureza de condutibilidade e decapacitância dos tecidos biológicos• analise da impedância bioelétrica: método rápido, nãoinvasivo e relativamente barato, tanto no trabalho decampo quanto na prática clínica (Heyward & Stolarczyk,2000)
  26. 26. Bioimpedância• Os componentes corporais oferecem resistênciadiferenciada a passagem da corrente elétrica:- os ossos e a gordura, que contem uma pequenaquantidade de água constituem um meio debaixa condutividade, ou seja uma alta resistênciaa corrente elétrica,- Já a massa muscular e outros tecidos ricos emágua e eletrólitos, são bons condutores,permitindo mais facilmente a passagem dacorrente elétrica
  27. 27. Análise deBioimpedância Bioelétrica (AIB)• Fácil adm, não invasivo e seguro• Passa-se peq corrente elétrica através do corpo e mede-sea impedância ou a oposição ao fluxo da corrente• O tecido isento de gordura(água corporal) é um bomcondutor da corrente elétrica, o q não ocorre c/ a gordura• A resistência ao fluxo da corrente está relacionadainversamente com a MIC (PIG) e a água corporal total
  28. 28. RecomendaçõesBioimpedância Bioelétrica• Abster-se de beber ou comer durante as 4h q precedem aavaliação• Evitar ativ física moderada ou vigorosa nas 12h q precedema avaliação• Esvaziar a bexiga completamente antes da avaliação• Abster-se de consumir álcool nas 48h q precedem aavaliação• Não ingerir agentes diuréticos, incluindo cafeína, antes daavaliação, a não ser qdo prescritos por um médico
  29. 29. Interactância de infravermelho• baseia-se nos princípios de absorção e reflexão do raioinfravermelho para avaliar indiretamente a quantidade deágua e gordura corporais• analisador usualmente utilizado e o Futrex - aparelhoportátil, composto de um mini-computador um protetor deluz e um protetor que é apoiado sob o bicpes para aemissão da luz. A luz infravermelha penetra nos tecidos emuma profundidade de ate 4 cm, e é refletida pelo osso devolta ao detector, sendo que os comprimentos de onda de930nm e 970nm tem sido identificados como os picos deabsorção da luz para a gordura e água, respectivamente• método criticado - um ponto do corpo, na avaliação devarias áreas anatômicas, o bicpes mostrou a melhorcorrelação com o método de referencia dahidrodensitometria
  30. 30. Interactância de infravermelho• todos estudos comparativos com o método doinfravermelho tem demonstrado uma subestimação dagordura corporal em relação a outras técnicas decomposição corporal• Elia et al. Avaliaram indivíduos saudáveis utilizando métodopadrão da hidrodensitometria e, de fato, a interactância doinfravermelho próximo mostrou uma tendência asubestimação das medidas de gorduracorporal,especialmente em indivíduos com maior reserva detecido adiposo• Condições como a capacidade de penetração do raioinfravermelho, as características da derme e a quantidadede água corporal tem sido citadas como fatores que podemafetar os resultados da interactância do infravermelhopróximo.
  31. 31. Relação Cintura-Quadril (RCQ)• Distribuição da gordura corporal - prognosticador dos riscosde obesidade para a saúde• + gordura no tronco (* abdominal) - > risco dehipertensão, diabetes tipo 2, hiperlipidemia,mcoronariopatia e morte prematura, em comparação c/indiv igualmente gordos, porém c/ a > parte gorduralocalizada nas extremidades• O risca p/ saúde c/ a RCQ e os padrões p/ o risco variamc/ idade e sexo• Recentemente:Enfoque de RCQ circunferência da cintura• Circunferência da cintura pode ser usada isoladamentecomo indicador do risco para a saúde, pois o problemareside na obesidade abdominal
  32. 32. Classificação do risca de doença c/ base no IMCe na Circunferência da CinturaRisco de doença relativo ao peso eá circunferência da cintura normaisHomens, < 102 cmMulheres, < 88 cmHomens, < 102 cmMulheres, < 88 cmIMC, Kg/m2Extremamente altoExtremamente alto> 40IIIMuito altoMuito alto35,0 – 39,9IIMuito altoAlto30,0 – 34,9IObesidade, classeAltoAumentado25,0 – 29,9Excesso de peso. . .. . .18,5 – 24,9Normal *. . .. . .< 18,5deficiência de pesoModificado de Expert Panel Executive summary of the clinical guidelines on the identification, evaluation,and treatment of overweight and obesity in adults. Arch Intern Med 1998; 158:1855-1867.Diabetes tipo 2, hipertensão,doença cardiovascularaté 100cm* Circunferência da cintura aumentada também pode ser um marcador de maior risco atémesmo nas pessoas de peso normal
  33. 33. ANDRÓIDE- Concentração de gordura naregião abdominal (central) -maior risco de morte porcoronariopatia.
  34. 34. GINÓIDE- Concentração de gordura nasregiões das coxas e quadris(periférica) - menor risco demorte por coronariopatia -metabolicamente ativa.
  35. 35. Método para a medição• Fita métrica• Sem comprimir gordura ou pele• Maior vol do quadril, com individuo em pé relaxado• Circunferência do abdomen, ao nível do umbigo, semcontrair a barriga• WHR OU PCQ = Circunferência do abdomen /Circunferência do quadril
  36. 36. TabelaZona Risco associada c/ WHR< 0,80< 0,90Baixo Risco0,80 – 0,850,90 – 0,95Risco Moderado> 0,85> 0,95Alto RiscoMulheresHomensAdaptado de Bray and Gray, 1988
  37. 37. Índice de massa Corporal (IMC)• IMC ou Índice de Quetelet = peso corporal (Kg)Altura (m2)• Devido ao erro padrão relativamente grande da estimativa dopercentual de gordura a partir do IMC (~5% de gordura), estenão deve ser usado para determinar adiposidade corporal doindivíduo
  38. 38. Índice de Massa Corporal (IMC)Painel de Peritos sobre a Identificação, Avaliação e oTratamento do Excesso de Peso e da Obesidade emAdultos:• IMC superior a 25 - problemas de saúde relacionado àobesidade p/ a > das pessoas>30 Kg/m2obesidade25,0 – 29,9 Kg/m2excesso de peso
  39. 39. Exemplos: Cálculos e Equações• Equações Generalizadas para as dobras CutâneasTr, SI, AbdFórmula 3locaisTr, SI, CxFórmula 3locaisPe, Ax med,Tr, SE, Abd,SI, CxFórmula 7dobrasMulheresPe, Tr, SEFórmula 3locaisPe, Abd, CxFórmula 3locaisPe, Ax med,Tr, SE, Abd,SI, CxFórmula 7dobrasHomensAdaptado de Jackson AS, Pollock ML. Pratical assessment of bodycomposition. Physican Sport Med 1985; 13:76-90.
  40. 40. Dobras Cutâneas• medida indireta da espessura do tecido adipososubcutâneo• Distribuição de gordura subcutânea e interna é igual paratodos• O soma de dobras pode ser utilizada para estimar agordura total
  41. 41. •• medidas do lado direito do corpomedidas do lado direito do corpo•• Segurar firmemente a dobra cutânea entre o polegar e o indicadoSegurar firmemente a dobra cutânea entre o polegar e o indicador dar damão esquerdamão esquerda•• não comprimir excessivamente as dobrasnão comprimir excessivamente as dobras•• o compasso deve estar a 1 cm do ponto de fixação dos dedoso compasso deve estar a 1 cm do ponto de fixação dos dedos•• o compasso deve ser colocado de forma perpendicular à dobra eo compasso deve ser colocado de forma perpendicular à dobra esoltar pressão das hastes do compasso lentamentesoltar pressão das hastes do compasso lentamenteRecomendações
  42. 42. Recomendações•• Destacar a dobraDestacar a dobra -- polegar e o indicador (distância de 8 cm)polegar e o indicador (distância de 8 cm)obs.: para indivíduos com dobras cutâneas extremamente grandes,obs.: para indivíduos com dobras cutâneas extremamente grandes,o polegar e o indicador precisarão se separar por mais de 8 cmo polegar e o indicador precisarão se separar por mais de 8 cm•• Manter a dobra pressionada enquanto a medida é realizadaManter a dobra pressionada enquanto a medida é realizada•• tempo de compressão não deve ser superior a 2 segundos, paratempo de compressão não deve ser superior a 2 segundos, paraevitar acomodação do tecido adiposoevitar acomodação do tecido adiposo•• Afastar as hastes doAfastar as hastes do adipômetroadipômetro para removêpara removê--lo do locallo do local•• Fechar as hastes lentamente para prevenir danos ou perda deFechar as hastes lentamente para prevenir danos ou perda decalibragemcalibragem•• aguardar alguns segundos entre uma medida e outra de umaaguardar alguns segundos entre uma medida e outra de umamesma dobramesma dobra
  43. 43. ImportanteAntes de optarmos por qualquertécnica de avaliação da composiçãocorporal, devemos conhecer asvantagens e limitações da mesma emrelação ao grupo ou indivíduo quepretendemos avaliar
  44. 44. O ponto de medida é a metade da distância entre a linhaaxilar anterior e o mamilo.oblíquaoblíqua
  45. 45. O ponto de medida é o primeiro terço da distância da linhaaxilar anterior e a mama.oblíquaoblíqua
  46. 46. Medida a 2,5 cm à direita da cicatriz umbilical.verticalvertical
  47. 47. Prega oblíqua, a dois centímetros acima da crista ilíaca ântero-superior, na altura da linha axilar.oblíquaoblíqua
  48. 48. Parte posterior do braço, sobre o tríceps, no ponto medial deuma linha imaginária entre o ponto distal e proximal do tríceps.verticalverticalAcrômioAcrômioolecranoolecrano
  49. 49. Sobre o músculo reto femural, a 2/3 da distância do ligamentoinguinal e o bordo superior da patela.verticalvertical
  50. 50. Ponto de intersecção da linha axilar médiaPonto de intersecção da linha axilar médiacom uma linha imaginária horizontal que passariacom uma linha imaginária horizontal que passariapelo apêndice xifóide.pelo apêndice xifóide.oblíquaoblíqua
  51. 51. Parte anterior do braço, sobre o bíceps, noParte anterior do braço, sobre o bíceps, noponto medial de uma linha imaginária entre oponto medial de uma linha imaginária entre oponto distal e proximal do bíceps.ponto distal e proximal do bíceps.verticalvertical
  52. 52. Joelhos em 90º de flexão, tornozelo emJoelhos em 90º de flexão, tornozelo emposição anatômica. A medida deve ser feita naposição anatômica. A medida deve ser feita naaltura da maior circunferência da perna.altura da maior circunferência da perna.verticalvertical
  53. 53. Prega oblíqua medida abaixo da extremidadePrega oblíqua medida abaixo da extremidadedo ângulo inferior da escápula.do ângulo inferior da escápula.oblíquaoblíqua
  54. 54. Vs.19,722,1216,918,880510152025% Peso GordoBio CompKg
  55. 55. Peso/Altura2
  56. 56. Métodos antropométricos• As mensurações de altura, peso, circunferências e dobrascutâneas são usadas para estimar a composiçãocorporal.Embora o método das dobras cutâneas possa ser omais difícil,ele proporciona melhores estimativas daadiposidade corporal que aqueles baseados apenas naaltura,no peso e nas circunferências
  57. 57. simone_miyamoto@yahoo.com.brOBRIGADA

×