MariaMaria CeciliaCecilia da Fonseca Salgadoda Fonseca Salgado
Universidade Federal do Estado do RioUniversidade Federal d...
ARTRITE GOTOSAARTRITE GOTOSA
DoenDoençça metaba metabóólica hereditlica hereditáária,ria,
caracterizada por aumento docara...
ARTRITE GOTOSA AGUDAARTRITE GOTOSA AGUDA
GeralmenteGeralmente monoarticularmonoarticular (1(1ªªMTF,MTF,
joelho, tornozelo,...
ARTRITE GOTOSA AGUDA:ARTRITE GOTOSA AGUDA:
PodagraPodagra-- artrite doartrite do haluxhalux
GOTA: artrite aguda de tornozelo e pé
EVOLUEVOLUÇÇÃOÃO
PerPerííodosodos intercrintercrííticosticos varivariááveis eveis e
totalmente assintomtotalmente assintom...
GOTAGOTA
TRATAMENTO DA CRISE AGUDATRATAMENTO DA CRISE AGUDA
COLCHICINA: dose mCOLCHICINA: dose mááxima de 2xima de 2 mgmg ...
ARTRITE TRAUMARTRITE TRAUMÁÁTICATICA
SINOVITE TRAUMSINOVITE TRAUMÁÁTICA: qualquer tipoTICA: qualquer tipo
de traumatismo. ...
HEMOFILIAHEMOFILIA
HEMARTROSE: primeira manifestaHEMARTROSE: primeira manifestaççãoão
pode ser artrite com derramepode ser...
HEMARTROSE POR HEMOFILIA
Artrite aguda na doenArtrite aguda na doenççasas
reumreumááticas inflamatticas inflamatóórias crônicasrias crônicas
Artrit...
Artrite aguda nas doenArtrite aguda nas doenççasas
reumreumááticas inflamatticas inflamatóórias crônicasrias crônicas
Iden...
ArtriteArtrite ReumatReumatóóideide
Formas agudas: mono ouFormas agudas: mono ou oligoarticularesoligoarticulares
Mais com...
Sinovite do carpo e de Metacarpo Falangeanas
ARTRITE AGUDA DE TORNOZELO
ARTRITE PSORIARTRITE PSORIÁÁSICASICA
Associada a lesões ungueaisAssociada a lesões ungueais
Formas de apresentaFormas de a...
Formas agudasFormas agudas
DactiliteDactilite: mais de 30% dos casos,: mais de 30% dos casos, ààss
vezes muito dolorosavez...
ARTRITE DE IFDs E LESÕES UNGUEAIS
DOENDOENÇÇA DE STILL DO ADULTOA DE STILL DO ADULTO
Febre (02 picos diFebre (02 picos diáários), leucocitoserios), leucocit...
ARTRITES REATIVASARTRITES REATIVAS
Germes mais comuns:Germes mais comuns: ChlamydiaChlamydia TracomatisTracomatis
(uretrit...
ARTRITE REATIVA POR CHLAMIDIA AGUDIZADA
ARTRITE REATIVA AGUDIZADA: PÉ E TORNOZELO
HEMOGLOBINOPATIASHEMOGLOBINOPATIAS
ANEMIA FALCIFORMEANEMIA FALCIFORME
DactiliteDactilite ((ssííndrome mãosndrome mãos--ppé...
LEUCEMIASLEUCEMIAS
Dor articular e artriteDor articular e artrite: mais comum em: mais comum em
criancriançças com Leucemi...
SARCOIDOSE: doenSARCOIDOSE: doenççaa
granulomatosagranulomatosa sistêmica, comsistêmica, com
predompredomíínio pulmonarnio...
ERITEMA NODOSO, ARTRITE DE TORNOZELOS E
ADENOMEGALIAS HILARES
INFECÇÕES
OSTEOARTICULARES
Artrites bacterianas
1.1 Inespecíficas
1.2 Específicas
1.2.a Gonocócicas
1.2.b Tuberculosa
Artr...
ARTRITES INFECCIOSASARTRITES INFECCIOSAS
AGUDASAGUDAS
ARTRITES SARTRITES SÉÉPTICAS:PTICAS:
BACTERIANAS INESPECBACTERIANAS ...
ARTRITES BACTERIANAS
INESPECÍFICAS
• Vias: hematogênica, inoculação direta e
contigüidade de infecções ósseas ou de
partes...
Fatores locais: Artrose, trauma, gota,
injeção intra-articular de corticóides,
infecções contíguas.
• Agentes etiológicos ...
ASPECTOS CLASPECTOS CLÍÍNICOSNICOS
Mono ou oligoartrite
Sinais inflamatórios intensos e
impotência funcional.
Joelhos, tor...
Sinovite da IFP por
infecção bacteriana
BURSITE OLECRANIANA SÉPTICA
MONOARTRITE AGUDA
DE JOELHO:
ARTRITE SÉPTICA
DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS:
MONOARTICULARES (mais
frequentes):
ARTRITES POR CRISTAIS (gota e
pseudogota)
OUTRAS: traumática...
POLIARTICULARES: Febre
reumática, doença do soro,
artrite viral, doença reumatóide
do adulto e juvenil e artropatias
soron...
ARTRITE SÉPTICA DO DORSO DA MÃO
EXAMES COMPLEMENTARES
Líquido sinovial: bacterioscopia positiva: 1/3
a 2/3 dos casos.
Líquido turvo ou purulento. Celulari...
CONDUTA TERAPÊUTICACONDUTA TERAPÊUTICA
Iniciar antibioticoterapia o mais
precocemente possível.
PunPunçções repetidas para...
Hemoculturas: positivas em
aproximadamente ¾ dos casos.
Hemograma, VHS, PCR, alfa-1
glicoproteína ácida, eletroforese de
p...
ALTERAALTERAÇÇÕES RADIOLÕES RADIOLÓÓGICASGICAS
ApApóós pelo menos 10 diass pelo menos 10 dias
OsteopeniaOsteopenia, diminu...
EROSÃO EM TORNOZELO,
IRREGULARIDADE DOS
CONTORNOS ARTICULARES
ARTRITE SÉPTICA COM LESÃO
RADIOLÓGICA EROSIVA DA MÃO
REDUÇÃO DE ESPAÇO ARTICULAR EM
COXOFEMURAL
Ressonância Magnética: mostra
alterações precoces
Ultrassonografia: pode contribuir
Biópsia de sinóvia com cultura:
aument...
Artrites agudas
Artrites agudas
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artrites agudas

884 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
884
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artrites agudas

  1. 1. MariaMaria CeciliaCecilia da Fonseca Salgadoda Fonseca Salgado Universidade Federal do Estado do RioUniversidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)de Janeiro (UNIRIO) ARTRITES AGUDAS
  2. 2. ARTRITE GOTOSAARTRITE GOTOSA DoenDoençça metaba metabóólica hereditlica hereditáária,ria, caracterizada por aumento docaracterizada por aumento do poolpool total detotal de áácidocido úúrico no organismo erico no organismo e depdepóósito em tecidos articulares,sito em tecidos articulares, periarticularesperiarticulares e nas partes moles (sobe nas partes moles (sob a forma de cristais dea forma de cristais de monouratomonourato ddee ssóódio)dio)
  3. 3. ARTRITE GOTOSA AGUDAARTRITE GOTOSA AGUDA GeralmenteGeralmente monoarticularmonoarticular (1(1ªªMTF,MTF, joelho, tornozelo, tarso, punho,joelho, tornozelo, tarso, punho, cotovelo)cotovelo) Intensamente dolorosa, comIntensamente dolorosa, com exuberantes sinais inflamatexuberantes sinais inflamatóórios, derios, de ininíício noturno,cio noturno, ààs vezes de madrugada.s vezes de madrugada. Febre e malFebre e mal--estar podem ocorrerestar podem ocorrer DuraDuraçção de horas a alguns diasão de horas a alguns dias
  4. 4. ARTRITE GOTOSA AGUDA:ARTRITE GOTOSA AGUDA: PodagraPodagra-- artrite doartrite do haluxhalux
  5. 5. GOTA: artrite aguda de tornozelo e pé
  6. 6. EVOLUEVOLUÇÇÃOÃO PerPerííodosodos intercrintercrííticosticos varivariááveis eveis e totalmente assintomtotalmente assintomááticos (dias,ticos (dias, semanas ou meses)semanas ou meses) Ao longo dos anos: crises maisAo longo dos anos: crises mais frequentesfrequentes e mais prolongadase mais prolongadas
  7. 7. GOTAGOTA TRATAMENTO DA CRISE AGUDATRATAMENTO DA CRISE AGUDA COLCHICINA: dose mCOLCHICINA: dose mááxima de 2xima de 2 mgmg nono 11ºº dia de crise, reduzindo atdia de crise, reduzindo atéé 0,5 a 1mg0,5 a 1mg AINES: usados geralmente emAINES: usados geralmente em associaassociaçção com aão com a colchicinacolchicina.. Qualquer um pode ser utilizado:Qualquer um pode ser utilizado: diclofenacodiclofenaco,, cetoprofenocetoprofeno,, nimesulidanimesulida,, celecoxibcelecoxib,, indometacinaindometacina,, piroxicanpiroxican,, etc..etc..
  8. 8. ARTRITE TRAUMARTRITE TRAUMÁÁTICATICA SINOVITE TRAUMSINOVITE TRAUMÁÁTICA: qualquer tipoTICA: qualquer tipo de traumatismo. Maisde traumatismo. Mais frequentefrequente emem joelhos. Derrame hemorrjoelhos. Derrame hemorráágico ou não.gico ou não. HEMARTROSE: artrite com derrameHEMARTROSE: artrite com derrame hemorrhemorráágico. Considerar possibilidadegico. Considerar possibilidade de distde distúúrbio da coagularbio da coagulaçção (hemofilia,ão (hemofilia, etcetc))
  9. 9. HEMOFILIAHEMOFILIA HEMARTROSE: primeira manifestaHEMARTROSE: primeira manifestaççãoão pode ser artrite com derramepode ser artrite com derrame hemorrhemorráágicogico HEMATOMAS MUSCULARES: podemHEMATOMAS MUSCULARES: podem ocorrerocorrer ARTROPATIA CRÔNICA: apARTROPATIA CRÔNICA: apóós vs vááriosrios episepisóódios hemorrdios hemorráágicos. Pode havergicos. Pode haver destruidestruiçção, infecão, infecçções secundões secundáárias,rias, pseudotumorespseudotumores,, etcetc
  10. 10. HEMARTROSE POR HEMOFILIA
  11. 11. Artrite aguda na doenArtrite aguda na doenççasas reumreumááticas inflamatticas inflamatóórias crônicasrias crônicas ArtriteArtrite ReumatReumatóóideide ArtriteArtrite PsoriPsoriáásicasica Artrite ReativaArtrite Reativa DoenDoençça de Still do adultoa de Still do adulto
  12. 12. Artrite aguda nas doenArtrite aguda nas doenççasas reumreumááticas inflamatticas inflamatóórias crônicasrias crônicas Identificada por:Identificada por: AcentuaAcentuaçção da dorão da dor Sinais inflamatSinais inflamatóórios na articularios na articulaççãoão afetadaafetada Provas inflamatProvas inflamatóórias tocadas: VHS e/ourias tocadas: VHS e/ou PCR elevadosPCR elevados
  13. 13. ArtriteArtrite ReumatReumatóóideide Formas agudas: mono ouFormas agudas: mono ou oligoarticularesoligoarticulares Mais comum em joelhos, podendo haverMais comum em joelhos, podendo haver derramederrame Nas fases agudas: antiinflamatNas fases agudas: antiinflamatóórios ourios ou corticostercorticosteróóidesides (m(mááximo de 20ximo de 20 mgmg),), mantendo as demais medicamantendo as demais medicaççõesões Derrame articular: punDerrame articular: punçção (para tratamento eão (para tratamento e diagndiagnóóstico diferencial) e possstico diferencial) e possíível infiltravel infiltraççãoão dede corticostercorticosteróóidesides
  14. 14. Sinovite do carpo e de Metacarpo Falangeanas
  15. 15. ARTRITE AGUDA DE TORNOZELO
  16. 16. ARTRITE PSORIARTRITE PSORIÁÁSICASICA Associada a lesões ungueaisAssociada a lesões ungueais Formas de apresentaFormas de apresentaçção (ão (MollMoll ee WrightWright):): -- Artrite dasArtrite das IFDsIFDs -- PoliartritePoliartrite simsiméétricatrica -- OligoartriteOligoartrite assimassiméétricatrica -- ArtriteArtrite mutilantemutilante -- EspondiloartropatiaEspondiloartropatia Outras:Outras: dactilitedactilite,, entesiteentesite ee tenossinovitetenossinovite
  17. 17. Formas agudasFormas agudas DactiliteDactilite: mais de 30% dos casos,: mais de 30% dos casos, ààss vezes muito dolorosavezes muito dolorosa Artrite aguda com ou sem derrameArtrite aguda com ou sem derrame ArtralgiaArtralgia Tratamento na fase aguda: apenasTratamento na fase aguda: apenas AINES.AINES. CorticCorticóóidesides não devem sernão devem ser prescritos (rebote)prescritos (rebote)
  18. 18. ARTRITE DE IFDs E LESÕES UNGUEAIS
  19. 19. DOENDOENÇÇA DE STILL DO ADULTOA DE STILL DO ADULTO Febre (02 picos diFebre (02 picos diáários), leucocitoserios), leucocitose importante,importante, rashrash cutâneo,cutâneo, adenomegaliasadenomegalias Artrite nas fases deArtrite nas fases de agudizaagudizaççãoão Outros: VHS e PCR elevados,Outros: VHS e PCR elevados, DiagnDiagnóóstico diferencial com outras artritesstico diferencial com outras artrites soronegativassoronegativas e com processos infecciosose com processos infecciosos Fase aguda:Fase aguda: corticostercorticosteróóidesides (ap(apóós afastars afastar infecinfecçção)ão)
  20. 20. ARTRITES REATIVASARTRITES REATIVAS Germes mais comuns:Germes mais comuns: ChlamydiaChlamydia TracomatisTracomatis (uretrite),(uretrite), YersiniaYersinia EnterocolEnterocolííticatica ee MycoplasmaMycoplasma ArticulaArticulaçções mais acometidas: membrosões mais acometidas: membros inferiores (joelhos, tornozelos)inferiores (joelhos, tornozelos) Outros sintomas:Outros sintomas: entesitesentesites, conjuntivite,, conjuntivite, balanitebalanite circinada,circinada, queratodermiaqueratodermia blenorrblenorráágicagica
  21. 21. ARTRITE REATIVA POR CHLAMIDIA AGUDIZADA
  22. 22. ARTRITE REATIVA AGUDIZADA: PÉ E TORNOZELO
  23. 23. HEMOGLOBINOPATIASHEMOGLOBINOPATIAS ANEMIA FALCIFORMEANEMIA FALCIFORME DactiliteDactilite ((ssííndrome mãosndrome mãos--ppééss)):: precoce, lactentesprecoce, lactentes OligoartriteOligoartrite: acompanha crises dolorosas.: acompanha crises dolorosas. Joelho e cotovelo: maisJoelho e cotovelo: mais frequentesfrequentes TALASSEMIA:TALASSEMIA: artrite eartrite e artralgiaartralgia, cotovelos e, cotovelos e punhos. Mais raramente:punhos. Mais raramente: TTsTTs ee CFsCFs.. OligoarticularOligoarticular,, llííquido não inflamatquido não inflamatóóriorio
  24. 24. LEUCEMIASLEUCEMIAS Dor articular e artriteDor articular e artrite: mais comum em: mais comum em criancriançças com Leucemia Linfas com Leucemia Linfóóide Aguda:ide Aguda: cerca de 60%cerca de 60% Geralmente antecede a doenGeralmente antecede a doenççaa.. PoliarticularPoliarticular,, assimassiméétricatrica ee aditivaaditiva.. Mais comunsMais comuns: joelhos,: joelhos, ttííbiotbiotáársicasrsicas ee ombros. Provombros. Prováável infiltravel infiltraçção daão da sinovialsinovial ouou elevaelevaçção periosteal do osso intra eão periosteal do osso intra e periarticularperiarticular. Pode simular AIJ ou Febre. Pode simular AIJ ou Febre ReumReumáática.tica.
  25. 25. SARCOIDOSE: doenSARCOIDOSE: doenççaa granulomatosagranulomatosa sistêmica, comsistêmica, com predompredomíínio pulmonarnio pulmonar PADRÕES DE ACOMETIMENTOPADRÕES DE ACOMETIMENTO ARTICULAR AGUDOARTICULAR AGUDO:: -- SSííndrome dendrome de LLööfgrenfgren: eritema nodoso,: eritema nodoso, artrite eartrite e adenomegaliasadenomegalias hilareshilares -- PoliartralgiaPoliartralgia agudaaguda -- PoliartritePoliartrite agudaaguda -- MonoartriteMonoartrite agudaaguda
  26. 26. ERITEMA NODOSO, ARTRITE DE TORNOZELOS E ADENOMEGALIAS HILARES
  27. 27. INFECÇÕES OSTEOARTICULARES Artrites bacterianas 1.1 Inespecíficas 1.2 Específicas 1.2.a Gonocócicas 1.2.b Tuberculosa Artrites fúngicas Artrites virais
  28. 28. ARTRITES INFECCIOSASARTRITES INFECCIOSAS AGUDASAGUDAS ARTRITES SARTRITES SÉÉPTICAS:PTICAS: BACTERIANAS INESPECBACTERIANAS INESPECÍÍFICASFICAS GONOCGONOCÓÓCICACICA
  29. 29. ARTRITES BACTERIANAS INESPECÍFICAS • Vias: hematogênica, inoculação direta e contigüidade de infecções ósseas ou de partes moles. Fatores predisponentes sistêmicos: diabetes, alcoolismo, neoplasias, uso de imunossupressores, Artrite reumatóide, Lupus eritematoso sistêmico
  30. 30. Fatores locais: Artrose, trauma, gota, injeção intra-articular de corticóides, infecções contíguas. • Agentes etiológicos mais comuns: S. aureus, Streptococo, Pneumococo, E. coli, P. aeruginosa, S. marcences, H. influenza e Salmonella sp.
  31. 31. ASPECTOS CLASPECTOS CLÍÍNICOSNICOS Mono ou oligoartrite Sinais inflamatórios intensos e impotência funcional. Joelhos, tornozelos e coxo-femorais: mais frequentes Coxo-femoral e ombro: sinais inflamatórios podem ser mínimos (articulações mais profundas) Febre: costuma estar presente.
  32. 32. Sinovite da IFP por infecção bacteriana
  33. 33. BURSITE OLECRANIANA SÉPTICA
  34. 34. MONOARTRITE AGUDA DE JOELHO: ARTRITE SÉPTICA
  35. 35. DIAGNÓSTICOS DIFERENCIAIS: MONOARTICULARES (mais frequentes): ARTRITES POR CRISTAIS (gota e pseudogota) OUTRAS: traumáticas, virais, hemartroses agudas, artrite reativa
  36. 36. POLIARTICULARES: Febre reumática, doença do soro, artrite viral, doença reumatóide do adulto e juvenil e artropatias soronegativas.
  37. 37. ARTRITE SÉPTICA DO DORSO DA MÃO
  38. 38. EXAMES COMPLEMENTARES Líquido sinovial: bacterioscopia positiva: 1/3 a 2/3 dos casos. Líquido turvo ou purulento. Celularidade: geralmente maior que 40.000, às custas de neutrófilos, glicose baixa. Deve ser feita bacterioscopia, cultura e antibiograma. Iniciar antibioticoterapia o mais precoce possível.
  39. 39. CONDUTA TERAPÊUTICACONDUTA TERAPÊUTICA Iniciar antibioticoterapia o mais precocemente possível. PunPunçções repetidas para esvaziamentoões repetidas para esvaziamento Fisioterapia precoceFisioterapia precoce
  40. 40. Hemoculturas: positivas em aproximadamente ¾ dos casos. Hemograma, VHS, PCR, alfa-1 glicoproteína ácida, eletroforese de proteínas: exames úteis, porém sem especificidade.
  41. 41. ALTERAALTERAÇÇÕES RADIOLÕES RADIOLÓÓGICASGICAS ApApóós pelo menos 10 diass pelo menos 10 dias OsteopeniaOsteopenia, diminui, diminuiçção de espaão de espaçço,o, erosõeserosões óósseassseas
  42. 42. EROSÃO EM TORNOZELO, IRREGULARIDADE DOS CONTORNOS ARTICULARES ARTRITE SÉPTICA COM LESÃO RADIOLÓGICA EROSIVA DA MÃO
  43. 43. REDUÇÃO DE ESPAÇO ARTICULAR EM COXOFEMURAL
  44. 44. Ressonância Magnética: mostra alterações precoces Ultrassonografia: pode contribuir Biópsia de sinóvia com cultura: aumenta a positividade do achado do agente etiológico

×