O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Introdução a metodologias Ágeis e o Framework scrum

302 visualizações

Publicada em

Introdução a metodologias Ágeis e o Framework scrum

Publicada em: Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Introdução a metodologias Ágeis e o Framework scrum

  1. 1. Introdução a Métodos Ágeis e o Scrum
  2. 2. Olá! Eu sou Adriano Negrão Agile Coach - BRQ | Santander @adrnegrao adrianonegrao.com.br 2
  3. 3. Por que Agile? 1
  4. 4. Metodologias Ágeis Práticas que surgiram como alternativa ao gerenciamento tradicional de projetos. Ágil é cultura e não é processo! 4
  5. 5. 6
  6. 6. Tradicional 7 EnvolvimentoCliente/Usuário Tempo Projeto
  7. 7. ● Facilidade no fornecimento de respostas (Apesar da incerteza) ● Adesão contratual Prós e Contras ● Princípio da incerteza ● Qualidade ● Conflito com clientes ● Necessidade de precisão ● Alto retrabalho ● Finge que me engana que eu finjo que acredito 9 Você concorda com esses pontos?
  8. 8. Metodologias Ágeis Um pouco de história... 2
  9. 9. Como você sabe a hora de entrar? 11
  10. 10. 12
  11. 11. Modelo Empirico 13 Iteração 1 Aqui algo funcional é revisado e o feedback é incorporado na próxima iteração. Iteração 2 Iteração 2 Diversas iterações acontecem e diversos incrementos são revisados pelo cliente Com diversos incrementos revistos e mudanças incorporadas, o produto final é entregue.
  12. 12. Algumas ”metodologias” e práticas ágeis 14 SCRUM (1993) Crystal Clear XP (1996) Feature Driven Develop ment
  13. 13. 16
  14. 14. Manifesto Ágil Criado em fevereiro de 2001 17
  15. 15. 18
  16. 16. 19
  17. 17. Scrum O Framework 3
  18. 18. “ “Scrum é um framework dentro do qual pessoas podem tratar e resolver problemas complexos e adaptativos, enquanto produtiva e criativamente entregam produtos com o mais alto valor possível”. - Scrum Guide 21
  19. 19. 22
  20. 20. ● Flexibilidade e mente aberta: Compreender que há sempre esforço para melhorar é fundamental. Você também ainda tem muito que aprender! ● Não ter medo de experimentar: No coração de todo processo empírico está o método de tentativa e erro. Devemos estar preparados para experimentar de forma controlada. Pré requisitos Para se trabalhar com Scrum 23
  21. 21. Fazer a coisa certa, rápido e corretamente: é possível? 24
  22. 22. “ O ditado "fazer a coisa certa da primeira vez"pode por pressão desnecessária naqueles que estão em processo de aprendizado, como uma equipe nos seus primeiros dias de Sprints. Sendo assim, precisamos entender que falhas não devem ser punidas e que toda equipe atravessa uma curva de aprendizado. 25
  23. 23. 26 Fazer de forma correta Fazer de forma rápida Fazer a coisa certa ● Agile Teams buscam esta intersecção ● Em que intersecção o seu time costuma operar? ● O que você pode fazer para que eles encontrem a intersecção central?
  24. 24. 27
  25. 25. Antes dos Sprints 1. Plano de entregas foi criado com time? 2. O Product Backlog inicial foi criado e temos histórias preparadas para 1-2 sprints 3. Visão do produto foi compartilhada 4. O time decidiu sobre os acordos de trabalho 28
  26. 26. ● A DoR serve para identificar se um PBI (Product Backlog Item) está preparado para ser planejado e entregue em um Sprint, de acordo com a perspectiva do Time de Desenvolvimento. ● Serve como checklist para ajudar o Time Scrum se um PBI cabe ou não em um Sprint. Definition of Ready 29
  27. 27. 1. User Story definida 2. Protótipo criado quando necessário 3. Critérios de aceite da User Story definido 4. Identificado dependencias da User Story 5. Time estimou a User Story Definition of Ready 30 Exemplo check- list
  28. 28. ● A DoD é um acordo de trabalho criado antes de começar os Sprints. ● Construída com inputs do Time de desenvolvimento e inputs do Product Owner. ● Scrum Master deve facilitar a criação, criando uma checklist. ● Sugere-se criar um radiador de informação com essa lista e o disponibilizar para todos do Time Scrum. Definition of Done 31
  29. 29. 32
  30. 30. Papeis Scrum ● Product Owner fala O QUE deve ser feito. ● Time de desenvolvimento Determina COMO pode ser feito. ● Scrum Master Garante que todos trabalham como um time coeso 33
  31. 31. Artefatos Scrum ● Product Backlog (PBL) ● Sprint Backlog Item (SBL) ● Incremento do Produto 34
  32. 32. 35
  33. 33. “ O cliente só sabe o que ele realmente PRECISA depois de ver algo funcionando. As ideias então começam a fluir e com isso o Time aprende cada vez mais. Requisitos são hipóteses que precisam ser validados CONSTANTEMENTE. 36
  34. 34. Eventos Scrum ● Sprint Planning ● Daily Scrum ● Sprint Review ● Retrospectiva do Sprint //sprint 37
  35. 35. Processo SP 38 SPRINT PLANNING PBL Ordenado Velocidade Capacidade Meta da sprint Sprint Backlog
  36. 36. Eventos Kaizen 39 SPRINT REVIEW PBI Done PBIs Not Done Feedback em nível de produto
  37. 37. Eventos Kaizen 40 RETROSPECTIVA Eventos do Sprint Backlog de melhorias do Sprint anterior Feedback em nível de processo Backlog de Melhorias
  38. 38. Estimativas 41
  39. 39. https://www.youtube.com/watch?v=7lhnYbmovb4
  40. 40. MVP Minimum Viable Product 4
  41. 41. Produto Mínimo Viável Versão do produto que permita ao time coletar o maior aprendizado validado sobre os clientes com o menor esforço possível. 44
  42. 42. 45
  43. 43. 46
  44. 44. 47 Como você come hamburguer?
  45. 45. 48 Case
  46. 46. 49 Case
  47. 47. 50
  48. 48. Adote uma nova forma de criar e evoluir produtos 51 EasyTaxi Spotify Groupon Facebook AirBn B
  49. 49. “ Se você não tem vergonha da sua primeira release, então você lançou tarde demais… - Reid Hoffman - CEO LinkedIn 52
  50. 50. 53 Obrigado Dúvidas? Linkedin: Adriano Negrão @adrnegrao adrianonegrao.com.br

×