Livro doroteia a centopeia

6.318 visualizações

Publicada em

Educação Infantil

Publicada em: Educação
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.318
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
250
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro doroteia a centopeia

  1. 1. Ana María Machado T 'N- , A É¡ O , s vmrg», ' * . v _i_: ,__«: ›, x 1'- . .› ' ; _ . OV; lv- L.
  2. 2. É v'(“. l'(lêl(l(l qm* muitos cstax-'arii (rabalhzirido. não VÍVÍHITI só l')1'i1u7z111cio. Fornligzts (gatmrgzlveiriu Iulhas, 'abulhiLs lazianl mui, aranhas teriam leias, minhocas CEIVHVHH) lúncis, 'Todos muito ocupados. E muno amigos-z. ..
  3. 3. Quando acabava o dia. rodo mundo sc; reunia). i-Z era cada¡ brincadeira. cada conversa, cada risada. .. Mas um (ias bichinhos 'anolava muito esquisito LlliirYiíÍii]'iC1'iie.
  4. 4. QQ Era Dorotéía, a Ccniopóia. que: antes era bem alegre e agora só sabia resmungar. Gemia C roclamaxra. implicava c: sumia. Não queria Ver os amigos. Não queria sabor do ninguém. E todos se: ioreocupavam: _ Que será que cia 10m? “TN-Mu Mas ninguém¡ descobria. Mas ninguém) aciivinhava.
  5. 5. - Ela ainda (lc mau humor ! - disse a formiga Tita. - O sorriso (iela era tão doce - disse a abelha Zizi - mas ola não sorri mais. _ Quem sabe se ola não está níoenlc? é perguntou a joaninha. E todos griiaram: à - Isso mesmo! Vamos Chamar um médico.
  6. 6. Voio o mótílico. O tarnrxst) (iutiior (OÍhli"rñl(_'t)l_ aluno do doutor CflfíllfiLljÇ). médico mais famoso ainda. Quan-trio ele clusqoti porto, Dorotéia botou a língua (ic fora-t c: foz careta. Ele loga) abriu d nieiltrta: É? _ (í›l, ›rigai<l<. ›, assim posso examinar níelhor. i-; la TÍÇOU envergoitltacla e parou tic ser ntalrjriacla_
  7. 7. .. . u r . . . .
  8. 8. 'rodas os amigos (Jc Dorolóiza csldvan) preo(: upz1(i<)s e qugtríarr1 rwtícías dela. Doutor Camaro] explicou: - Topadas com os pés da frente. dos dois lados. Unha crncravada no pó rxúmoro 18 do lado esquerdo e no 27 do lado direito. Calos nuns 35 pés do lado direito c: nuns 42 do outro lado.
  9. 9. - Quo horror! Coitadinlta! E por qué? - Sztpatos apertados, Ela até hoje calça os sapatos que botou no dia em quo aprendeu a andar. Já deixei com ola uma receita do sapatos novos. làetm, ate' Jogo. lj foi (tmbora. os loichinhos ficaram e ouviram um barulho_ Barulho de quem chora. Hra Doroteia, coitada. chorava e reclamava.
  10. 10. - Ai, meu Deus. que çicrsgraça! r Não pKLZCÍSÉI cxagc 'E11', Dorotéia. Nâo nada g "avo. você: troctn os sapatos o fica iaoa logo - ciissr-t Robô. a libívlulza. - Ah. (t. 301m? ?? F. (torno (t que. :: u vou arranjar rflirthrtiro ¡ÕÉIKÉ! (ÍOÍYHÓFHY 50 ; raros de sarjato de urna vez? LE tñ: ontirtL.1C)Li a cihorar: HIJÁÁÁÁ. .. Pira ntrssmo ttrn probleitsa. 'ÀÊ
  11. 11. Mas todos. gostavam¡ (ie Dorotéia. _ Temos que ajudar nossa antiga. lala sozinha não Va¡ Conseguir Ltssct dinheiro. Na nossa Colméia todos trabalham¡ para todos -›-- disso Zizi. ,auf _ No rtosso formigueiro também") _ cortiirrrtou Tita. O grilo se animou: _ Aqui tamberh vai ser assim. Vamos arrumar o Cjinheiro e animar rtosso ctanteiro. Para Comprar sapatões. urrt parque do diversões!
  12. 12. E foi isso mesmo que eles fizeram. Não era fácil. Besouros ¡ouxarzirrt coisas, Minhocas caivarttm túneis para o trenrfantasma passar. Formigas carregaram gravetos. Mosquitos e cigarras ensaizirzirn para a orquestra. Abelhas fizeram oloces. L-: no fim de alguns dias, abriram o ¡oarquc de diversões. Um miniparque que era o máximo! Nunca se viu nada igual. Tudo era pequenino, mas era sensacional. O fantástico trem-fantasma. O gafanhoto que da salto mortal. b A aranha que ainda em quatro cordas bambas de uma vez. " O Vagalume que engole fogo e depois ctomeça a brilhar. O carrossel de grilos pulantes. que rtào para de rodar.
  13. 13. F_ todo mundo rincglr) e sc rli'<-: i'tiií(i(, ›. Corhitia. música e íUCYgfÍL-l erri muito boa roniráanhia. Debaixo das folhas largas. nos itstatrirxtrttcs, formiguinhas ggargttniçrtes scwrvietitt (ZUÍSHS gostosas. #Borboletas hêlllílfllías (? S'f. )ã: lt_'il"r'lf'l“t no ar. Listuwt niestho muito bom. Fo¡ um suo( so de fato_ E com dinheiro. Dorotcria ia ter o- seus sapatos.
  14. 14. E la se foi ela para sapataria_ O dono aió levou um susto quando ela pediu tantos sapatos iguais, do mesrrto tamanho o da mesma cor. Não tinha. lintão ela comprou todos (liferentes. Botas, botinhas, chinelos. ' ' Alpargatas, tamancos, galocrtas. Saioattgs (ie todo tipo, sandálias dc toda cor. E lançou uma nova moda. Ficou IHCSIIH) um amor.
  15. 15. ¡Ri- li o parqut: th: tltvorsoc-s") ("íuiiiiriua lunriuiiztrttlo. Niiigilóiii quis (lesniáirirliar. porquc lot tuna lina itlñtrt. .Has ha uma l'l()'Í('l'cl(. lÇ. nossa ; antiga i)ot'c_›iLÍ*iu. ii
  16. 16. ,Nlegrçr e bem lluriioriidkl. ela sobL-. v e desce Ltorrendç) por rxccilrinlias. gravetos. buracos no meio da grama. Com os bichinhos nas Costas. Melhor que rriontanha russa. ou mesmo que tobogã. Moda nova, naturalmente. Com cada pe. (iiferenie. de*
  17. 17. Todo di: : parecia festa no canteiro do jardim. Multas flores. de muitas cores. Muitos insetos, barulhcnlos (-2 quictos. Formigas. abelhas. besourinhos. borboletas. grilos. num Corre-corro_ num pula-góula. num voa-voa. pra lá. pra cá.

×