SlideShare uma empresa Scribd logo
DISCIPLINA
Professor
Nº de Aulas para
desenvolver o Tema
HISTÓRIA - EM
ADRIANA GOMES
MESSIAS
Império Bizantino
01 AULAS
OBJETIVO
•IDENTIFICAR A DIVISÃO DO IMPERIO ROMANO,
DESTACANDO O IMPERIO BIZANTINO
•RECONHECER A IMPORTANCIA DO IMPERADOR
JUSTINIANO
PRE- REQUISITOS PARA A AULA
-*O aluno deverá fazer leitura prévia na apostila sobre o tema da aula, anotando
possíveis dúvidas e curiosidades.
-*Faça os exercício propostos sempre prestando muita atenção no enunciado ;
-*Faça outros exercícios com o mesmo tema;
-*Não falte às aulas, pois é só lá que terá as explicações necessárias para
desenvolver as habilidades exigidas;
-*Outros exercícios serão desenvolvidos em sala de aula, portanto, traga sempre
seu caderno, lápis e borracha.
-* Em casa buscar informações extra no Portal COC, lendo textos, fazendo
exercícios sugeridos para reforço do aprendizado.
Recomendações & Orientações do
Professor para os Alunos - Pais
REFERÊNCIAS PARA APROFUNDAMENTO,
ESTUDO E PESQUISA
http://axelhistoria.blogspot.com/2008/07/idade-mdia-oriental-bizantinos-e.html
http://www.youtube.com/watch?v=jdt3gSVAgdo
• Durante o século IV, o Império manteve-se unificado, com sua sede em
Constantinopla.
• No final do século, o imperador Teodósio estabeleceu, em 395, a divisão
definitiva: Império Romano do Ocidente, com capital em Roma, e Império
Romano do Oriente, também chamado de Império Bizantino, com capital em
Constantinopla.
Embora as invasões de
povos inimigos tenham
papel decisivo no fim do
Império Romano do
Ocidente, outras
circunstâncias também
foram determinantes, tais
como:
· elevados gastos com a estrutura
administrativa e militar;
· perda do controle sobre diversas
regiões devido ao tamanho do império;
· aumento dos impostos dos
cidadãos e dos tributos dos vencidos;
· corrupção política;
· crise no fornecimento de escravos
com o fim das guerras de expansão;
· continuidade das lutas civis entre
patrícios e plebeus;
· a difusão do cristianismo.
Constantinopla Hoje =Istambul
(Turquia)
Basílica de Santa Sofia,
Interior da basílica, cheia de influências islâmicas e cristãs
Em 395 d.C: Constantinopla
Foi também o responsável pela temporária reconquista de grande parte do
Império Romano do Ocidente, incluindo a cidade de Roma.
Enquanto no Ocidente, durante a Alta Idade Média, o Império Romano era
devastado pelas invasões de diversos povos, Justiniano conseguia manter a
unidade do Império Romano do Oriente;
O principal imperador bizantino foi Justiniano (527-565), em seu governo o
Império Bizantino atingiu o máximo esplendor.
Cesaropapismo foi um sistema de relações entre a
Igreja e o Estado no qual cabia ao chefe de Estado a
competência de regular a doutrina, a disciplina e a
organização da sociedade cristã, exercendo poderes
tradicionalmente reservados à suprema autoridade
religiosa, unificando tendencialmente as funções
imperiais e pontificiais em sua pessoa.
Imperador: poder militar, religioso e político
Importância de Justiniano
•Ampliou fronteiras;
•Expedições militares
Chegaram a Itália;
•Novo código de leis,
Essas leis determinavam os poderes quase ilimitados do imperador e protegiam
os privilégios da igreja e dos
proprietários de terras ,deixando o resto da população à margem da sociedade.
Oposição popular: revolta de
Nika(532)
MOTIVO: A revolta, de facto, não se deu simplesmente por causa do resultado
de uma corrida de cavalos, mas sim por uma série de motivos que já estavam
acontecendo há muitos anos e incomodavam a população. A fome, a falta de
moradia e, sobretudo, os altos impostos eram os maiores motivos de revolta.
Estopim: Eclodiu porque houve uma dúvida sobre qual dos cavalos vencera a
corrida: Niké era o cavalo pelo qual a população torcia, e chegara quase
empatado com outro concorrente, o da equipa do Imperador. Consultado para
resolver o dilema, Justiniano declarou que o vencedor era o seu cavalo. A plebe,
enfurecida, rebelou-se e começou uma discussão entre as várias classes sociais.
Justiniano decidiu reagir e encarregou o general Belisário de
cercar o hipódromo e aniquilar os revoltosos. A revolta foi
rapidamente reprimida pelo general que, ao lado de seu
exército, degolou cerca de trinta mil pessoas. Com a oposição
controlada, Justiniano pôde, a partir de então, reinar como um
autocrata.
Características do império bizantino:
• A mistura de elementos ocidentais e orientais só foi
possível devido a intensa atividade comercial e
urbana, dando grande esplendor econômico e
cultural. As cidades tornaram-se bonitas e luxuosas
• A religião bizantina foi uma mistura de diversas
culturas, como gregos, romanos e povos do
oriente. Mas as questões mais debatidas eram:
• Monofisismo: estes negavam a natureza terrestre de
Jesus Cristo. Para eles Jesus possuía apenas a natureza
divina, espiritual. Esse movimento teve início no
século V com auge no reinado de Justiniano.
Monofisismo é a doutrina de que Jesus Cristo tinha apenas uma natureza
(divina, em síntese), em vez de duas (divina e humana).
• Iconoclastia: para estes a ordem era a destruição das
imagens de santos, e a proibição do uso delas em
templos. Com base na forte espiritualidade da religião
cristã oriental. Teve apoio no século VIII, com o
imperador Leão II, que proibiu o uso de imagens de
Deus, Cristo e Santos nos templos e teve forte apoio
popular.
Cristianismo bizantino
• Essa supremacia sobre o imperador sobre a igreja
causou conflitos entre o imperador e o Papa. Em
1054, ocorreu o cisma do oriente, dividindo a igreja
Católica em duas partes:
• Igreja Ortodoxa- com sede em Bizâncio, e com o
comando do imperador bizantino.
• Igreja Católica Apostólica Romana- com sede em
Roma e sob a autoridade do Papa
A palavra ortodoxo vem do grego, da junção de
“orthos” que significa “reto” e “doxa” que
significa “fé”. Por isso, o cristianismo ortodoxo
acredita que eles sejam os únicos depositários da
verdadeira fé.
• Atualmente, os cristãos
ortodoxos somam cerca de 250
milhões de fiéis em países como
Bulgária, Belarus, Grécia, Chipre,
Moldávia, Republica da
Macedônia, Montenegro,
Polônia, Rússia, Romênia, Sérvia,
Ucrânia e Estados Unidos.
DECADÊNCIA DO IMPÉRIO
• Morte de Justiniano: enfraquecimento
• Bizâncio foi alvo da ambição das cidades italianas.
Sendo que Veneza a subjugou e fez dela um ponto
comercial sob exploração italiana.
• o surgimento do grande império Turco-Otomano,
que também foi uma ameaça para o Ocidente.
• Em 1453 o Império Romano do Oriente chegava ao
fim, dando início a novos tempos.
Arte bizantina
maior parte da população não era alfabetizada, e os
aprendizados deveriam ser feitos por meio de imagens,
passando de forma facilitada a doutrina cristã.
Nos mosaicos os ensinamentos eram contados de forma
objetiva e o mais simples possível.
Imperio bizantino 3_ano
https://www.youtube.com/watch?v=BRjhtuLDRCc Istambul
(Record)
https://www.youtube.com/watch?v=FKj_qyQDSQk Louco por viagem

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

reformas religiosas na europa
   reformas religiosas na europa   reformas religiosas na europa
reformas religiosas na europa
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
Carla Teixeira
 
Idade Média - A Igreja Católica
Idade Média - A Igreja CatólicaIdade Média - A Igreja Católica
Idade Média - A Igreja Católica
Paulo Alexandre
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
Marilia Pimentel
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
Guilherme Drumond
 
As causas da crise religiosa no seculo xvi
As causas da crise religiosa no seculo xviAs causas da crise religiosa no seculo xvi
As causas da crise religiosa no seculo xvi
mutisse ancha veronica
 
500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante 500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante
Breno Augusto Silveira
 
2 a igreja medieval
2 a igreja medieval2 a igreja medieval
2 a igreja medieval
Cindiane Módolo Pico
 
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisasCrenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Francelia Carvalho Oliveira
 
Igreja medieval cultura medieval pdf
Igreja medieval  cultura medieval pdfIgreja medieval  cultura medieval pdf
Igreja medieval cultura medieval pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
Aulas de História
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
Izaac Erder
 
7º anos - Reforma Religiosa
7º anos - Reforma Religiosa7º anos - Reforma Religiosa
7º anos - Reforma Religiosa
Handel Ching
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
profnelton
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Luiz Costa Junior
 
7º anos - Reforma Religosa II
7º anos - Reforma Religosa II7º anos - Reforma Religosa II
7º anos - Reforma Religosa II
Handel Ching
 
Reformas e Reformadores
Reformas e ReformadoresReformas e Reformadores
Reformas e Reformadores
Dalton Lopes Reis Jr.
 
8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma
José Augusto Fiorin
 
Curso modular (1)
Curso modular (1)Curso modular (1)
A Reforma protestante
A Reforma protestanteA Reforma protestante
A Reforma protestante
Luiz Angelo
 

Mais procurados (20)

reformas religiosas na europa
   reformas religiosas na europa   reformas religiosas na europa
reformas religiosas na europa
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
 
Idade Média - A Igreja Católica
Idade Média - A Igreja CatólicaIdade Média - A Igreja Católica
Idade Média - A Igreja Católica
 
Igreja e cultura medieval
Igreja e cultura medievalIgreja e cultura medieval
Igreja e cultura medieval
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
As causas da crise religiosa no seculo xvi
As causas da crise religiosa no seculo xviAs causas da crise religiosa no seculo xvi
As causas da crise religiosa no seculo xvi
 
500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante 500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante
 
2 a igreja medieval
2 a igreja medieval2 a igreja medieval
2 a igreja medieval
 
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisasCrenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
Crenças religiosas - Tempo Para todas as coisas
 
Igreja medieval cultura medieval pdf
Igreja medieval  cultura medieval pdfIgreja medieval  cultura medieval pdf
Igreja medieval cultura medieval pdf
 
Reforma Protestante
Reforma ProtestanteReforma Protestante
Reforma Protestante
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
7º anos - Reforma Religiosa
7º anos - Reforma Religiosa7º anos - Reforma Religiosa
7º anos - Reforma Religiosa
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
7º anos - Reforma Religosa II
7º anos - Reforma Religosa II7º anos - Reforma Religosa II
7º anos - Reforma Religosa II
 
Reformas e Reformadores
Reformas e ReformadoresReformas e Reformadores
Reformas e Reformadores
 
8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma8. reforma e contra reforma
8. reforma e contra reforma
 
Curso modular (1)
Curso modular (1)Curso modular (1)
Curso modular (1)
 
A Reforma protestante
A Reforma protestanteA Reforma protestante
A Reforma protestante
 

Semelhante a Imperio bizantino 3_ano

Imperio bizantino 3 ano
Imperio bizantino 3 anoImperio bizantino 3 ano
Imperio bizantino 3 ano
Adriana Gomes Messias
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
alinemaiahistoria
 
A cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º anoA cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º ano
Associação de Pais C appalmesc
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
Adriana Gomes Messias
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
Nelia Salles Nantes
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
Danilo Virgens
 
Constantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptxConstantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptx
ssuser0d0c5a
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
PIB Penha
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ana Barreiros
 
Slides bizantinos 1º. ano
Slides bizantinos    1º. anoSlides bizantinos    1º. ano
Slides bizantinos 1º. ano
Fatima Freitas
 
11 - A pre-reforma.pptx
11 - A pre-reforma.pptx11 - A pre-reforma.pptx
11 - A pre-reforma.pptx
PIB Penha - SP
 
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
PIB Penha - SP
 
Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2
Lisanro Cronje
 
Império bizantino filé
Império bizantino filéImpério bizantino filé
Império bizantino filé
mundica broda
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
Nelia Salles Nantes
 
Bizantinos
BizantinosBizantinos
Bizantinos
Fatima Freitas
 
Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1
Lisanro Cronje
 
INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA
INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIAINTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA
INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA
Francelia Carvalho Oliveira
 
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
Tiago Silva
 
Idade média oriental
Idade média orientalIdade média oriental
Idade média oriental
Murilo Benevides
 

Semelhante a Imperio bizantino 3_ano (20)

Imperio bizantino 3 ano
Imperio bizantino 3 anoImperio bizantino 3 ano
Imperio bizantino 3 ano
 
Império bizantino
Império bizantinoImpério bizantino
Império bizantino
 
A cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º anoA cultura do mosteiro 10º ano
A cultura do mosteiro 10º ano
 
Reforma protestante
Reforma protestanteReforma protestante
Reforma protestante
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Constantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptxConstantinopla artes.pptx
Constantinopla artes.pptx
 
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula10   Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
10 Os pré-reformadores do cristianismo - 10ª aula
 
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do MosteiroFicha formativa Cultura do Mosteiro
Ficha formativa Cultura do Mosteiro
 
Slides bizantinos 1º. ano
Slides bizantinos    1º. anoSlides bizantinos    1º. ano
Slides bizantinos 1º. ano
 
11 - A pre-reforma.pptx
11 - A pre-reforma.pptx11 - A pre-reforma.pptx
11 - A pre-reforma.pptx
 
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
 
Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2Historia da igreja aula 2
Historia da igreja aula 2
 
Império bizantino filé
Império bizantino filéImpério bizantino filé
Império bizantino filé
 
O império bizantino
O império bizantinoO império bizantino
O império bizantino
 
Bizantinos
BizantinosBizantinos
Bizantinos
 
Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1Historia da igreja aula 1
Historia da igreja aula 1
 
INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA
INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIAINTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA
INTRODUÇÃO A HISTÓRIA DA IGREJA - CURSO BÁSICO EM TEOLOGIA
 
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
08-histc3b3ria-eclesic3a1stica-a-reforma-na-igreja-a-contra-reforma-e-a-igrej...
 
Idade média oriental
Idade média orientalIdade média oriental
Idade média oriental
 

Mais de Adriana Gomes Messias

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
Adriana Gomes Messias
 
Guerra civil espanhola
Guerra civil espanholaGuerra civil espanhola
Guerra civil espanhola
Adriana Gomes Messias
 
Fascismo
FascismoFascismo
Racismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexãoRacismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexão
Adriana Gomes Messias
 
Absolutismo na França e Inglaterra
Absolutismo na França e InglaterraAbsolutismo na França e Inglaterra
Absolutismo na França e Inglaterra
Adriana Gomes Messias
 
Agropecuaria
AgropecuariaAgropecuaria
Agropecuaria
Adriana Gomes Messias
 
Problemas ambientais
Problemas  ambientais Problemas  ambientais
Problemas ambientais
Adriana Gomes Messias
 
Clima: Fatores e elementos
Clima: Fatores e elementos Clima: Fatores e elementos
Clima: Fatores e elementos
Adriana Gomes Messias
 
Terra planeta agua
Terra planeta aguaTerra planeta agua
Terra planeta agua
Adriana Gomes Messias
 
Diversidade e sustentabilidade
Diversidade e sustentabilidadeDiversidade e sustentabilidade
Diversidade e sustentabilidade
Adriana Gomes Messias
 
Ecotecnologia
EcotecnologiaEcotecnologia
Ecotecnologia
Adriana Gomes Messias
 
Cartografia
Cartografia Cartografia
Cartografia
Adriana Gomes Messias
 
As grandes navegacoes-portugal
As grandes navegacoes-portugalAs grandes navegacoes-portugal
As grandes navegacoes-portugal
Adriana Gomes Messias
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
Adriana Gomes Messias
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
Adriana Gomes Messias
 
Império Árabe
Império ÁrabeImpério Árabe
Império Árabe
Adriana Gomes Messias
 
Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
Adriana Gomes Messias
 
Fontes de energia.i_ipptx
Fontes de energia.i_ipptxFontes de energia.i_ipptx
Fontes de energia.i_ipptx
Adriana Gomes Messias
 
Indochina e guerra_do_vietna
Indochina e guerra_do_vietnaIndochina e guerra_do_vietna
Indochina e guerra_do_vietna
Adriana Gomes Messias
 

Mais de Adriana Gomes Messias (20)

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Doutrinas sociais
Doutrinas sociaisDoutrinas sociais
Doutrinas sociais
 
Guerra civil espanhola
Guerra civil espanholaGuerra civil espanhola
Guerra civil espanhola
 
Fascismo
FascismoFascismo
Fascismo
 
Racismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexãoRacismo para debate e reflexão
Racismo para debate e reflexão
 
Absolutismo na França e Inglaterra
Absolutismo na França e InglaterraAbsolutismo na França e Inglaterra
Absolutismo na França e Inglaterra
 
Agropecuaria
AgropecuariaAgropecuaria
Agropecuaria
 
Problemas ambientais
Problemas  ambientais Problemas  ambientais
Problemas ambientais
 
Clima: Fatores e elementos
Clima: Fatores e elementos Clima: Fatores e elementos
Clima: Fatores e elementos
 
Terra planeta agua
Terra planeta aguaTerra planeta agua
Terra planeta agua
 
Diversidade e sustentabilidade
Diversidade e sustentabilidadeDiversidade e sustentabilidade
Diversidade e sustentabilidade
 
Ecotecnologia
EcotecnologiaEcotecnologia
Ecotecnologia
 
Cartografia
Cartografia Cartografia
Cartografia
 
As grandes navegacoes-portugal
As grandes navegacoes-portugalAs grandes navegacoes-portugal
As grandes navegacoes-portugal
 
Revolução Francesa
Revolução FrancesaRevolução Francesa
Revolução Francesa
 
Renascimento Cultural
Renascimento CulturalRenascimento Cultural
Renascimento Cultural
 
Império Árabe
Império ÁrabeImpério Árabe
Império Árabe
 
Biomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasilBiomas do mundo_e_brasil
Biomas do mundo_e_brasil
 
Fontes de energia.i_ipptx
Fontes de energia.i_ipptxFontes de energia.i_ipptx
Fontes de energia.i_ipptx
 
Indochina e guerra_do_vietna
Indochina e guerra_do_vietnaIndochina e guerra_do_vietna
Indochina e guerra_do_vietna
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 

Imperio bizantino 3_ano

  • 1. DISCIPLINA Professor Nº de Aulas para desenvolver o Tema HISTÓRIA - EM ADRIANA GOMES MESSIAS Império Bizantino 01 AULAS
  • 2. OBJETIVO •IDENTIFICAR A DIVISÃO DO IMPERIO ROMANO, DESTACANDO O IMPERIO BIZANTINO •RECONHECER A IMPORTANCIA DO IMPERADOR JUSTINIANO
  • 3. PRE- REQUISITOS PARA A AULA -*O aluno deverá fazer leitura prévia na apostila sobre o tema da aula, anotando possíveis dúvidas e curiosidades. -*Faça os exercício propostos sempre prestando muita atenção no enunciado ; -*Faça outros exercícios com o mesmo tema; -*Não falte às aulas, pois é só lá que terá as explicações necessárias para desenvolver as habilidades exigidas; -*Outros exercícios serão desenvolvidos em sala de aula, portanto, traga sempre seu caderno, lápis e borracha. -* Em casa buscar informações extra no Portal COC, lendo textos, fazendo exercícios sugeridos para reforço do aprendizado. Recomendações & Orientações do Professor para os Alunos - Pais
  • 4. REFERÊNCIAS PARA APROFUNDAMENTO, ESTUDO E PESQUISA http://axelhistoria.blogspot.com/2008/07/idade-mdia-oriental-bizantinos-e.html http://www.youtube.com/watch?v=jdt3gSVAgdo
  • 5. • Durante o século IV, o Império manteve-se unificado, com sua sede em Constantinopla. • No final do século, o imperador Teodósio estabeleceu, em 395, a divisão definitiva: Império Romano do Ocidente, com capital em Roma, e Império Romano do Oriente, também chamado de Império Bizantino, com capital em Constantinopla.
  • 6. Embora as invasões de povos inimigos tenham papel decisivo no fim do Império Romano do Ocidente, outras circunstâncias também foram determinantes, tais como: · elevados gastos com a estrutura administrativa e militar; · perda do controle sobre diversas regiões devido ao tamanho do império; · aumento dos impostos dos cidadãos e dos tributos dos vencidos; · corrupção política; · crise no fornecimento de escravos com o fim das guerras de expansão; · continuidade das lutas civis entre patrícios e plebeus; · a difusão do cristianismo.
  • 8. Interior da basílica, cheia de influências islâmicas e cristãs
  • 9. Em 395 d.C: Constantinopla
  • 10. Foi também o responsável pela temporária reconquista de grande parte do Império Romano do Ocidente, incluindo a cidade de Roma. Enquanto no Ocidente, durante a Alta Idade Média, o Império Romano era devastado pelas invasões de diversos povos, Justiniano conseguia manter a unidade do Império Romano do Oriente; O principal imperador bizantino foi Justiniano (527-565), em seu governo o Império Bizantino atingiu o máximo esplendor.
  • 11. Cesaropapismo foi um sistema de relações entre a Igreja e o Estado no qual cabia ao chefe de Estado a competência de regular a doutrina, a disciplina e a organização da sociedade cristã, exercendo poderes tradicionalmente reservados à suprema autoridade religiosa, unificando tendencialmente as funções imperiais e pontificiais em sua pessoa. Imperador: poder militar, religioso e político
  • 12. Importância de Justiniano •Ampliou fronteiras; •Expedições militares Chegaram a Itália; •Novo código de leis, Essas leis determinavam os poderes quase ilimitados do imperador e protegiam os privilégios da igreja e dos proprietários de terras ,deixando o resto da população à margem da sociedade.
  • 14. MOTIVO: A revolta, de facto, não se deu simplesmente por causa do resultado de uma corrida de cavalos, mas sim por uma série de motivos que já estavam acontecendo há muitos anos e incomodavam a população. A fome, a falta de moradia e, sobretudo, os altos impostos eram os maiores motivos de revolta. Estopim: Eclodiu porque houve uma dúvida sobre qual dos cavalos vencera a corrida: Niké era o cavalo pelo qual a população torcia, e chegara quase empatado com outro concorrente, o da equipa do Imperador. Consultado para resolver o dilema, Justiniano declarou que o vencedor era o seu cavalo. A plebe, enfurecida, rebelou-se e começou uma discussão entre as várias classes sociais.
  • 15. Justiniano decidiu reagir e encarregou o general Belisário de cercar o hipódromo e aniquilar os revoltosos. A revolta foi rapidamente reprimida pelo general que, ao lado de seu exército, degolou cerca de trinta mil pessoas. Com a oposição controlada, Justiniano pôde, a partir de então, reinar como um autocrata.
  • 16. Características do império bizantino: • A mistura de elementos ocidentais e orientais só foi possível devido a intensa atividade comercial e urbana, dando grande esplendor econômico e cultural. As cidades tornaram-se bonitas e luxuosas
  • 17. • A religião bizantina foi uma mistura de diversas culturas, como gregos, romanos e povos do oriente. Mas as questões mais debatidas eram: • Monofisismo: estes negavam a natureza terrestre de Jesus Cristo. Para eles Jesus possuía apenas a natureza divina, espiritual. Esse movimento teve início no século V com auge no reinado de Justiniano. Monofisismo é a doutrina de que Jesus Cristo tinha apenas uma natureza (divina, em síntese), em vez de duas (divina e humana).
  • 18. • Iconoclastia: para estes a ordem era a destruição das imagens de santos, e a proibição do uso delas em templos. Com base na forte espiritualidade da religião cristã oriental. Teve apoio no século VIII, com o imperador Leão II, que proibiu o uso de imagens de Deus, Cristo e Santos nos templos e teve forte apoio popular.
  • 19. Cristianismo bizantino • Essa supremacia sobre o imperador sobre a igreja causou conflitos entre o imperador e o Papa. Em 1054, ocorreu o cisma do oriente, dividindo a igreja Católica em duas partes: • Igreja Ortodoxa- com sede em Bizâncio, e com o comando do imperador bizantino. • Igreja Católica Apostólica Romana- com sede em Roma e sob a autoridade do Papa
  • 20. A palavra ortodoxo vem do grego, da junção de “orthos” que significa “reto” e “doxa” que significa “fé”. Por isso, o cristianismo ortodoxo acredita que eles sejam os únicos depositários da verdadeira fé. • Atualmente, os cristãos ortodoxos somam cerca de 250 milhões de fiéis em países como Bulgária, Belarus, Grécia, Chipre, Moldávia, Republica da Macedônia, Montenegro, Polônia, Rússia, Romênia, Sérvia, Ucrânia e Estados Unidos.
  • 21. DECADÊNCIA DO IMPÉRIO • Morte de Justiniano: enfraquecimento • Bizâncio foi alvo da ambição das cidades italianas. Sendo que Veneza a subjugou e fez dela um ponto comercial sob exploração italiana. • o surgimento do grande império Turco-Otomano, que também foi uma ameaça para o Ocidente. • Em 1453 o Império Romano do Oriente chegava ao fim, dando início a novos tempos.
  • 22. Arte bizantina maior parte da população não era alfabetizada, e os aprendizados deveriam ser feitos por meio de imagens, passando de forma facilitada a doutrina cristã. Nos mosaicos os ensinamentos eram contados de forma objetiva e o mais simples possível.