Garanta a qualidade dos seus argumentos

2.305 visualizações

Publicada em

Um guia para incrementar sua capacidade argumentativa

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.305
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
126
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Garanta a qualidade dos seus argumentos

  1. 1. Garanta a qualidade dosseus argumentos Prof. Adolfo A. Hickmann
  2. 2. Características de um boa dissertação:Um texto não é um mero aglomerado defrases ou parágrafos avulsos.Um bom texto constitui-se de umasequência de ideias argumentadas eharmonizadas entre si destinadas a uminterlocutor real ou virtual.
  3. 3. Para se redigir um texto dissertativo, sãoindispensáveis:UNIDADE:O texto deve desenvolver-se em torno deum assunto.As ideias que lhe são pertinentes devemsuceder-se em ordem sequente e lógica,completando e enriquecendo a ideia-núcleo expressa na tese.Não deve haver redundância nempormenores desnecessários.
  4. 4. COERÊNCIA:Deve haver associação e correlação dasideias na construção dos períodos e napassagem de um parágrafo a outro.Os elementos de ligação sãoindispensáveis para entrosar orações,períodos e parágrafos.
  5. 5. CLAREZA DE IDEIAS:Vocabulário preciso e coerente às ideiasexpostas.O aprimoramento da linguagem e adiversidade são fundamentais para adequarideias e palavras.É obrigatório o uso da língua padrãoculta.
  6. 6. CRITICIDADE:Exame e discussão crítica do assunto, pormeio de argumentos convincentes, geradospelo acervo de conhecimento pessoais.É um processo de análise e síntese.
  7. 7. COESÃO:Distribuição organizada do conteúdo pelosparágrafos e uma clara articulação entre aspartes por meio do uso apropriado derecursos coesivos como apronominalização, a elipse, a sinonímia, osconectivos.
  8. 8. ORIGINALIDADE:Consiste em apresentar os aspectos, fatosou opiniões de modo pessoal, sem imitaçãode processos ou particularidades alheios.Na originalidade, está a criatividade.Pode revelar-se tanto nas ideias como nasexpressões.ideias originais são ideias próprias.
  9. 9. TÍTULOA redação só deve ser intitulada depois deconcluída.Não há necessidade de sublinhar o títuloou de colocá-lo entre aspas.Só coloque pontuação, se houver verbo.
  10. 10. TÉCNICAS PARA ELABORAR UMA DISSERTAÇÃOEsquema básico da dissertaçãoTema: No verão, os habitantes deFlorianópolis passam por diversosproblemas.POR QUÊ?1. O trânsito para as praias fica congestionado.2. Há constante falta d’água.3. Muitos turistas comportam-se de maneirainadequada.
  11. 11. As relações de Causa e ConsequênciaTema: Constatamos que, no município deFlorianópolis, existe um grandemovimento migratório que se desloca dediversos locais do Brasil.POR QUÊ?Causa: Muitas cidades não oferecemmais qualidade de vida para seusmoradores, dificultando, desse modo osua permanência nelas.
  12. 12. O QUE ACONTECE EM RAZÃO DISSO?Consequência: Florianópolis encontra-sedespreparada para absorver essesmigrantes e oferecer-lhes condições devida esperada por eles.
  13. 13. A abordagem de temas polêmicosTema: Existem discussões que divergemcom relação à legalização dos cassinos nopaís.Aspecto favorável: Com a legalizaçãohaverá pagamento de impostos.Aspecto contrário: O jogo é umaameaça à estrutura familiar.
  14. 14. A retrospectiva históricaTema: Vivemos atualmente a era dacomunicação e recebemos todos os diasinformações sobre os mais diferentes pontosda Terra, que nos chegam com a rapidez eeficiência dos veículos eletrônicos do mundocontemporâneo.Retrospectiva:Época mais distante.Época mais próxima.Época atual.
  15. 15. A localização espacialTema: Não raro tomamos conhecimento,pelos meios de comunicação, do desejo depromover o diálogo Norte-Sul, para tentarbuscar uma nova ordem nas relaçõeseconômicas entre os países desses doishemisférios.REGIÃO GEOGRÁFICA 1REGIÃO GEOGRÁFICA 2
  16. 16. A dissertação com predominância críticaTema: O ser humano, no decorrer demilênios de sua História, tem provadopossuir uma natureza destrutiva quepersiste independentemente dodesenvolvimento científico e cultural dahumanidade.
  17. 17. Introdução:A perplexidade diante da situação.Desenvolvimento:1. Referência a fatos de conhecimento público.2. Comentários críticos ( crítica dos fatos,ideias ou circunstâncias).Conclusão:Observação crítica seguida de umaexpectativa.
  18. 18. EXERCÍCIOObserve os temas a seguir e aponte oesquema mais adequado para desenvolvê-los:a) Nos últimos tempos, vêm ocorrendointensas discussões a propósito dos meios decombater a violência praticada por menores,nas grandes cidades.b) Cogita-se, com muita frequência, daimplantação da pena de morte no Brasil.c) Chegando ao terceiro milênio, o homemainda não conseguiu resolver gravesproblemas que preocupam a todos.
  19. 19. d) Em nossa sociedade, a mulher temconseguido um grande avanço na luta pela suaemancipação.e) A maior parte da classe política brasileiranão goza de muito prestígio e confiabilidadepor parte da população.f) A melhor maneira de melhorar o padrão devida está em melhorar o padrão depensamento.g) A felicidade não consiste em alcançaraquilo que se deseja, mas em gostar do que setem.
  20. 20. ARGUMENTOS DISSERTATIVOSArgumentar é convencer ou tentarconvencer alguém a respeito da veracidadedas ideias que estamos veiculando.É o procedimento usado para convencer oleitor de que nossa posição é a correta epara levá-lo a dar sua adesão às tesesdefendidas pelo texto.
  21. 21. Como se faz uma boa argumentação?1o – é preciso ter bem claro o quequeremos dizer – delimitar bem o assunto;2o – formular ideias – também claras –sobre o assunto delimitado;3o – estruturar essas ideias com frasesbem formuladas;4o – tentar provar cada ideia – argumento –por meio da evidência do raciocínio e dasprovas.
  22. 22. RECURSOS LINGUÍSTICOS USADOS PARA CONFIRMAR A VALIDADE DAS IDEIAS: Argumentos de autoridade: citar autoresrenomados dá credibilidade sobre umponto de vista. Argumentos baseados no consenso: citarproposições aceitas como verdadeiras,numa certa época.
  23. 23.  Argumentos baseados em provasconcretas: apoiar as posições pessoais emfatos. Comprová-las por dados pertinentese adequados. Argumentos com base nas relações decausa e consequência. Argumentos baseados em exemplos. Argumentos baseados em oposição:apontar oposições entre ideias e fatos. Argumentos baseados em semelhanças;aproximar dois elementos com base nasemelhança entre eles.
  24. 24. LEMBRETES QUE PODEM MELHORAR SEU TEXTO1. antes de começar a escrever, faça umesquema de seu texto, dividindo emparágrafos as ideias que pretende expor. Issoevita repetição ou esquecimento de algumaideia;2. Cheque se os pontos de vista que você vaidefender não são contraditórios em relação àtese. Elabore as relações de causa econsequência ou os pólos positivos enegativos do tema;
  25. 25. 3. Não tenha preguiça de refazer seu textovárias vezes. É a melhor maneira de se chegara um bom resultado. Procure redigir emaproximadamente uma hora;4. Enquanto escreve em casa, tenha sempre àmão um dicionário para checar a grafia daspalavras e descobrir sinônimos que evitem arepetição;5. Não fuja do tema proposto;
  26. 26. 6. Escreva o que você pensa sobre o temadado e não o que você acredita que o corretordo texto gostaria que fosse escrito. Jamaisanalise os temas propostos movido poremoções exageradas;7. Não escreva sobre o que você nãoconhece, nem utilize sua redação para finsdoutrinários;8. Use a linguagem padrão em seu nívelculto;
  27. 27. 9. Empregue a linguagem denotativa;10. Não empregue palavras cujo significadoseja desconhecido para você;11. Evite lugar-comum: frases feitas eexpressões cristalizadas, como a pureza dascrianças, a sabedoria dos velhos, etc. evitetambém gírias e a palavra coisa (procure ovocábulo adequado a cada ideia); não useetc.; não abrevie palavras;
  28. 28. 12. Evite repetir palavras, use sinônimos. Hárepetições que enfatizam. Mas, fora o casointencional da ênfase, repetir revela pobreza devocabulário ou desleixo;13. Evite expressões do tipo belo, bom, mau,incrível, péssimo, triste, pobre, - são juízos devalor sem carga informativa, imprecisos esubjetivos;
  29. 29. 14. Não “encha linguiça”! Cada palavra deveser fundamental e informativa na redação. Àfalta de ideias, não fique repetindo a mesmacoisa com palavras diferentes. Isso éredundância, é prolixidade, é terrível defeito!É preferível poucas linhas bem redigidas amuito mal escritas. Faça um trabalhohonesto;15. Não aumento o tamanho da letra para dara impressão de que escreveu bastante. Issoindispõe o avaliador;
  30. 30. 16. Letra estilo “bicho-de-pé”, não pode (só sevê a linha de tão pequena). ( avaliador não vaicolocar lente de aumento só para corrigir asua redação;17. Não repita ideias, tentando explicá-las. Sevocê escrever com clareza, uma só vez basta;18. Não se desculpe dizendo que nãoescreveu mais porque o tempo foi pouco;
  31. 31. 19. Cuidado com o uso inadequado dasconjunções. Elas podem estabelecer relaçõesque não existem entre as frases e tornar otexto sem nexo;20. Se usar uma pergunta na tese, responda-aao longo do texto. Evite interrogações naargumentação e na conclusão. Paraaprofundar seus argumentos, suasafirmações, use exemplos: fatos notórios ouhistóricos, conhecimentos geográficos, cifrasaproximadas e informações adquiridas pormeio de leitura, estudo e aquisições culturais(bagagem cultural);
  32. 32. 21. Pensamento novo, período novo. É comum,entre os que iniciam, misturar no mesmoperíodo ideias que não se completam;22. Tome cuidado com os períodos muitolongos: resultam confusos e são propícios aperíodos incompletos;23. Não empregue a primeira pessoa dosingular;24. Atenção à falta de paralelismo;
  33. 33. 25. Centralize o título (só use aspas se forcitação);26. Faça parágrafos a, mais ou menos, trêscentímetros da margem;27. Atinja a margem direita e esquerda semultrapassá-las;28. Faça letra legível; se escrever em letra deforma, procure distinguir as maiúsculas dasminúsculas;
  34. 34. 29. Não borre, não rabisque, nem rasure otexto definitivo;30. Rascunhe suas ideias antes de passá-laspara a folha definitiva;31. Não exceda o limite máximo de linhas;nem fique aquém do limite mínimo;
  35. 35. 32. Com os temas dissertativos, o texto deve apresentar:a) concatenação de ideias (parágrafos e frases interligados coerentemente);b) elaboração crítica, coerência e clareza;c) domínio do léxico e da estrutura da língua;d) uso da terceira pessoa do singular, maispartícula se; ou, primeira pessoa do plural;e) tese, argumentação e conclusão;f) coerência com o tema proposto.
  36. 36. 33. Texto dissertativo não deve apresentar:a) interrogações na argumentação ou naconclusão (só o título e a introdução podemapresentar interrogação);b) uso da primeira pessoa do singular, salvoexigências feitas pela banca;c) conversa com o leitor;d) fuga ao tema ou à modalidade (dissertação)solicitada;
  37. 37. e) título inadequado;f) uso indevido de clichês, frases prontas echavões, palavrões, gírias;g) abordagem subjetiva e emocional do tema;h) superficialidade, julgamentos gratuitos einfundados;i) linguagem inadequada (coloquial);j) diálogo, nem personagens.
  38. 38. 34. Na conclusão é possível:a) retomar a tese, reafirmando-a;b) retomar a tese, oferecendo soluções viáveispara os problemas abordados naargumentação.
  39. 39. ATENÇÃO:Respeite os limites indicados na prova: eviteescrever demais; você corre o risco deentediar o corretor e cometer erros.No vestibular, comece pelo rascunho, depoisresponda às questões da prova. Concluaessa etapa, retome seu rascunho. Releia-o,faça as alterações necessárias e passe otexto a limpo. Não se esqueça do título.
  40. 40. Fundamentação teórica:o projeto de texto
  41. 41. É constituído por procedimentosque, quando utilizados conscientemente,tendem a facilitar a escrita de textosquaisquer. Apoiamo-nos nas palavras deAbaurre (2000: 259), quando diz que ospassos para a efetivação do projeto são:
  42. 42. Determinar quais são aspossibilidades de análise da questãotematizada e identificar que tipo deinformação você precisa dispor parafazê-lo;Ler e interpretar, com muita atenção,todas as informações queacompanham o tema proposto;Optar por uma via de análise,tomando por base as informaçõesanalisadas e as possibilidadesidentificadas;
  43. 43. Retomar as informaçõesdisponíveis, já devidamenteinterpretadas, para determinar quaisdelas podem ajudá-lo a desenvolver avia de análise escolhida;Integrar à análise que pretende fazeroutras informações pertinentes deque disponha e que não tenham sidofornecidas junto com o tema proposto.Relacionar as informações entre si,a fim de encontrar os contra-argumentospossíveis à produção
  44. 44. Othon Garcia constata que “se aelaboração do seu trabalho forprecedida pela observação atenta, pelaanálise e classificação dessas ideias,seu plano se irá delineando, e eleacabará sabendo facilmente nãoapenas o que dizer, mas também comofazê-lo”.
  45. 45. Xavier (2001: 16), insiste nanecessidade de o estudante traçar umprojeto de texto. Ele deve, “planejarpasso a passo tudo o que vai constarem sua dissertação, pois é normal,antes de se começar a construção deuma casa, por exemplo, fazer umaplanta arquitetônica”. O autor apontadez procedimentos para a confecçãode um projeto/planejamento de texto.Citemo-los:
  46. 46. Ler e interpretar o tema proposto com muitaatenção;Checar e aproveitar todas as informações deapoio (fotografias, desenhos, quadrinhos,charges, ícones, símbolos, quadros e gráficosestatísticos, etc.;Identificar e determinar todas aspossibilidades de análise da questãotematizada;Optar por uma via de análise, de preferênciaa que mais o usuário dominar;Retomar as informações disponíveis, jádevidamente interpretadas, que poderão ajudara desenvolver a via de análise escolhida;
  47. 47. Integrar às já disponíveis outras informações econhecimentos armazenados na enciclopédiamental e repertório cultural do usuário queestejam relacionados à análise que pretendefazer;Estabelecer com clareza de que ponto de vistaserá abordado o tema e qual tese serádefendida no texto;Elaborar hipóteses que sejam favoráveis à tesea ser defendida;Esboçar, no papel, as idéias e argumentos quevierem à mente, registrando-os todosesquematicamente;Iniciar a escrever o rascunho de acordo com asequência nos passos anteriores.

×