Saber para Servir

1.893 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.893
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Saber para Servir

  1. 1. 19-03-2010 No âmbito da área de STC, foi-nos proposto elaborar um PowerPoint sobre a realidade actual dos Bombeiros de Vendas Novas e a sua evolução no decorrer das últimas décadas. Para o efeito, este terá como base o que nos foi apresentado nas suas instalações aquando da nossa visita no dia 10 de Março de 2010, cujos pontos abordados contam a sua história e o motivo pelo qual têm tanto orgulho no lema que defendem, “Saber para Servir”. Para completar este trabalho será feita alguma pesquisa. O acolhimento foi feito pelo Comandante e o Ajunto de Comando Paulo Machado, cujo percurso nos bombeiros tem duas décadas intensas de formação, capacitando-o para qualquer eventualidade. Pontos a abordar: História dos Bombeiros Voluntários de Vendas Novas e da Fanfarra; quais as missões dos bombeiros; como fazer para ligar para o 112; prevenção e pareceres técnicos contra incêndios, evolução dos meios de transporte e salvamento, equipamentos das ambulâncias e de socorro; fardamento dos bombeiros; Bombeiros Voluntários e a lei; organigrama com a organização dos bombeiros actualmente; significado do emblema e a conclusão. A fanfarra dos Bombeiros de Vendas Novas foi criada em 1982. Nesse mesmo ano, os Bombeiros foram a um congresso que se realizou na Figueira da Foz, onde compareceram trinta fanfarras, ficando a de Vendas Novas em 2º lugar. Nos Socorros Náufragos Os bombeiros têm protocolos com a marinha, nadador Salvador nas praias Em buscas subaquáticas, têm formação, mas no nosso meio fazem mais resgates em poços e açudes. Actualmente, já estão adequados para fazer um salvamento em condições de segurança. 1
  2. 2. 19-03-2010 1 Motorista + 2 Socorrista + 1 Maca Este tipo de serviço é o que se faz com mais frequência. Fazem serviços para Évora, Lisboa, Setúbal e até para Espanha. Diariamente tem 50 a 60 doentes. Em situação de queda: Doença súbita: Tem que se prevenir Avaliar os sinais vitais com os colares das pessoas, tensão cervicais, fazer a arterial, teste de Os sinistros a nível rodoviário , por imobilização correcta, glicemia, temperatura, exemplo: N4 e A13 são áreas de mesmo que a pessoa entre outros cuidados. grandes sinistralidades devido às diga que está bem. grandes velocidades, ao pouco Parto: movimento Rodoviário tornando-se Os bombeiros têm que monótono provocando sonolência nos estar preparados, pois condutores. um parto pode surgir antes de chegarem a o 1 Motorista + 8 Elementos - A nível do Alentejo existem muitos : hospital. Já aconteceu Viatura adaptada para cadeiras de - Afogamentos; em via pública. rodas - Suicídios. Quando se liga para o 112, os operadores são obrigados a fazer perguntas que para nós é uma perda de tempo , mas que são necessárias para poderem realizar um bom socorro, daí que um minuto possa parecer uma hora. Conselhos úteis: Ao Ligar para o 112 , a sua chamada é atendida por uma operadora que lhe fará as seguintes questões: Qual o tipo de situação? Os Bombeiros deslocam-se às empresas para dar formação de primeiros socorros e saúde ; Nº telefone onde está a falar Principais queixas Na opinião dos Bombeiros as empresas deveriam fazer um simulacro uma vez por ano; Estes ao serem realizados têm que Localização exacta, com referências participar nos mesmos : GNR, Bombeiros e Câmara Municipal; Existência de outras situações como : fugas de gás, incêndio ou outras. Idade da pessoa que precisa de socorro Nas formações que dão nas empresas, ensinam a trabalhar com os extintores, a decifrar as plantas de saída de Desligue o telefone somente quando a operadora indicar emergência, entre outras medidas. A evolução dos meios de transporte e de salvamento dos bombeiros em Vendas Novas foi lenta. Os bombeiros em conjunto com a Câmara Municipal fazem as Existe um fosso enorme entre o passado e o presente devido vistorias a edifícios. aos fracos recursos económicos. Vão verificar: A aquisição de equipamentos mais modernos foi feita mediante as suas possibilidades, contribuição e solidariedade de empresas Todas as a de particulares. Esta evolução evidenciou-se também através Se os extintores vistorias são Se a sinalização de das regras instituídas na fabricação destes meios, que ficaram estão de acordo assinadas emergência está preparados para uma melhor prestação de socorro à população. com a norma, ou pelo correcta seja o topo do Bombeiro mesmo tem que que a fez estar a 1,20m ou 1,50m de altura Placas de saída estão correctas 2
  3. 3. 19-03-2010 Ambulâncias da actualidade O Lutador I 1ª Ambulância – Fevereiro de 1949 Lutador II e sua tripulação, Carros de combate 1951 incêndio O termo "ambulância" vem da palavra latina "ambulare", que significa "movimentar" Uma ambulância é um veículo destinado ao transporte de pessoas doentes ou feridas do, ou para o, local de tratamento. O termo As ambulâncias actualmente estão muito bem equipadas para todas as ambulância é usado para descrever um veículo usado para trazer situações. cuidados médicos a pacientes fora do hospital e, quando apropriado, para transportar um paciente ao hospital para um tratamento ou análises complementares. Equipamentos: Saco de 1ª Intervenção – aparelhos para a medição do pulso, ventilação, temperatura, entre outros; A evolução dos equipamentos das ambulâncias tem-se vindo a verificar lentamente ao longo dos tempos. Nas décadas anteriores todo o equipamento das ambulâncias era escasso, devido a ser muito caro. Todo o equipamento existente era rudimentar e pouco seguro no diagnóstico. Actualmente os Bombeiros Voluntários têm à sua disposição equipamentos que permitem fazer um desencarceramento em condições, de forma a minorar riscos para a vítima e evitar ferimentos no processo. Este trabalho no passado era executado com ferramentas rudimentares e com exposição a riscos adicionais, tanto para os bombeiros como para a vítima. Material de imobilização e transporte: Talas de imobilização de diversos tamanhos Colete de extracção (KED) Conjunto completo de colares cervicais Imobilizador lateral de cabeça Maca estabilizadora de vácuo (coquille) Maca de lona Plano duro 3
  4. 4. 19-03-2010 Utilizado no combate a incêndios urbanos, industriais, salvamentos ou noutros acidentes Protege de temperaturas elevadas, do frio, da água e de vapores. Constituído por em que se tenha de proteger a integridade física do bombeiro. Protege de temperaturas capa exterior, forro de humidade e forro térmico. Complemento de protecção: calça elevadas, do frio, da água e vapores. Constituído por capa exterior, forro de humidade e camisa de manga comprida, botas de cabedal, capacete, óculos de protecção e e forro térmico. Como complemento de protecção utiliza-se calça e camisa de manga luvas. Na cintura, um cinturão para transporte de ferramentas de pequenas comprida, botas para incêndios estruturais, capacete de protecção, luvas e aparelho dimensões. respiratório mautónomo. Composto por calça e camisa de manga comprida, capacete de Elaborado em especial para o combate a incêndios florestais. protecção, luvas e botas. Como apoio nas operações, utilização de Composto por calça e camisa de manga comprida. Como um cinturão tipo arnês e outro material diversificado. complemento utiliza-se uma t-shirt de algodão, botas de cabedal, capacete, óculas de protecção, luvas, cógula e fire- shelter. Utilizado em operações de recuperação em terra. Composto por fato-macaco de cor vermelha, botas, capacete, óculos de protecção e arnês. Em meio aquático, o recuperador salvador utiliza também fato de mergulho, máscara, tubo, barbatanas, faca, Elaborado em especial para equipas transportadas de relógio, colete e luvas. helicóptero de combate a incêndios florestais. Protege de temperaturas elevadas. Como complemento utiliza-se uma t-shirt de algodão, botas de cabedal, capacete, óculas de protecção, luvas, cógula e fire-shelter. Núcleo de Apoio e Estado maior Área de Planeamento, Formas de Prestar Voluntariado Operações e Informação Área de Pessoal e 2ºComandante Comandante Adjunto Gratuito (tem de cumprir na mesma todas as regras instituídas); Instrução De Livre Vontade; Área de Logística e Que Beneficia os Outros; Meios Especiais Companhia A Idade Legal para iniciar o Voluntariado é dos 14 aos 35 Anos (esta Área de Comunicações imposição está de acordo com a nova lei, e é devido à exigente formação inicial, na área do socorrismo, salvamento e desencarceramento, actividades 1º secção 2º secção 3º secção mais importantes para se iniciar nos Bombeiros). Brigada A Brigada B Brigada C Brigada D Brigada E Brigada F Decreto Lei 241/2007, de 21 de Junho Bombeiro como o indivíduo que, integrado de forma profissional ou voluntária num corpo de bombeiros, tem por actividade cumprir as missões deste, nomeadamente a protecção de vidas humanas e bens em perigo , Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa Equipa 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 mediante a prevenção e extinção de incêndios, o socorro de feridos, doentes ou náufragos e a prestação de outros serviços previstos. A estrutura está de acordo com a lei actual. Cada brigada é constituída por 6/8 elementos. Para elaborar este trabalho, baseamo-nos na formação adquirida na saída de campo à Associação dos Bombeiros Voluntários de Vendas Novas e na exaustiva pesquisa que fizemos sobre o assunto. A apresentação assistida na Associação dos Bombeiros Voluntários, serviu para nos elucidar sobre quem são, quando surgiram, a sua evolução, a sua missão, o respectivo equipamento e principalmente as dificuldades que ultrapassam todos os dias para servir quem precisa. Numa pesquisa mais profunda, percebemos que actualmente estão muito mais preparados para enfrentar as adversidades, de forma a que o objectivo das suas missões seja um êxito, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Face à enorme variedade de equipamento disponível no mercado, estes ainda têm dificuldade em o adquirir, contando com a solidariedade alheia de entidades que pretendem contribuir. No que se refere a fardamento específico, ainda não possuem a totalidade necessária para todos os operacionais. Contam basicamente com o voluntariado para conseguir compensar as suas necessidades. Fénix que, sobre a fogueira, renasce Neste trabalho está visível a evolução dos vários equipamentos necessários para as suas das próprias cinzas, ostentando sobre o funções, como: meios de transporte e equipamentos de socorro e transporte de doentes. peito dois machados cruzados Noutro contexto ainda se observa, nos dias de hoje, que existe alguma descriminação sobrepostos pelo brasão nacional, face à entrada de mulheres neste meio, embora não seja tão evidente nos Bombeiros bordado sobre o fundo vermelho, com Voluntários de Vendas Novas, que estão de mente aberta para evoluir nesse sentido. cordões e borlas da mesma cor. Haste Em suma, julgamos que vontade existe, esforço humano também, é necessário mais e lança prateadas. voluntariado, mais formação e realizar mais verbas para que se possam igualar aos dos grandes centros urbanos. 4
  5. 5. 19-03-2010 Manuais: Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários, Artur Aleixo Pais, Gráfica Calipolense, Lda., Fevereiro 2005 Dados da formação nos Bombeiros Voluntários. SITES consultados em 11-03-2010 http://bvvn.net/ http://www.slideshare.net/bombeiros193/desencarceramento http://www.portaldafenix.com/index.php?topic=5749.0 5

×