Cultura da cooperação 3º encontro do Projeto Turismo no Vale

288 visualizações

Publicada em

Trabalho realizado com o grupo do Projeto Turismo no Vale. Ana Cleide, Adir Magno, Elvira Nascimento e Mario Carvalho.
Entrando no túnel do cooperativismo - “Cultcoop não é trabalho comportamental. É um processo
e tarefa de caminhar juntos e transformar a cultura.”
Divisão de grupos de trabalho: Organização

Tempo

Mobilização

Boas-vindas

Registro de atividades.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
288
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cultura da cooperação 3º encontro do Projeto Turismo no Vale

  1. 1. Cultura da Cooperação #cultcoop 3º encontro com a Consultora Regina AndradeConsultora Regina Andrade 26 de Março de 2015 Grupo de Trabalho: Adir Magno Ana Cleide dos Santos Elvira Nascimento APOIO: Jailma Mário Carvalho
  2. 2. #cultcoop Entrando no túnel do cooperativismo
  3. 3. Data: 26/03/2015 Local: Fazenda do Zaca Participação: 40 representantes de diversos segmentos ABERTURA Consultora Regina:“Flexibilidade é tudo para o coletivo.”Consultora Regina:“Flexibilidade é tudo para o coletivo.” “Cultcoop não é trabalho comportamental. É um processo e tarefa de caminhar juntos e transformar a cultura.” Bruno Falci – Sebrae: “Estamos aqui neste espaço de convivência para construir consenso e pacto de cooperação.” Vanessa – Sebrae: “Que o trabalho dê frutos.”
  4. 4. Rodrigo – Vice Presidente do Circuito Mata Atlântica: “Em 2010/2011 foi dado início ao desenvolvimento de ações para fomento do turismo regional e que, em Dez./2014, foi apresentado o Plano de Marketing produzido pelo Consultor Carlos Caixeta. Disse, ainda, que “não existe turismo sem integração.”que “não existe turismo sem integração.” BOAS VINDAS E APRESENTAÇÃO DA FAZENDA: Zaca, D. Perpétua e Janete o Locação para eventos c/ leitos para 38 pessoas o Espaço de Educação Ambiental o Produção de Plantas medicinais
  5. 5. Sr. Zaca e D. Perpétua
  6. 6. o Parte produtiva da fazenda: Banana – 2 mil mudas, mandioca e palmito de açaí o Córrego Tribuna – principal afluente do Rib. Ipanema. Divisão de grupos de trabalho: Organização TempoTempo Mobilização Boas-vindas Registro de atividades Formação de 2 grupos para Caminhada Ambiental Intervalo com delicioso Café da Manhã
  7. 7. Caminhada ambiental Partindo da Siriguela
  8. 8. Seguindo o Zaca
  9. 9. Passando no túnel de hibisco
  10. 10. Caminhando com a Janete
  11. 11. Café na Fazenda
  12. 12. Momento de Inclusão Divisão em 3 Grupos para elaboração de Listas de Expectativas, Contribuições e Como posso atrapalhar? 20 minutos de preparação e 5 de apresentação Expectativas:Expectativas: Fortalecimento da rede; Ampliação da fonte econômica regional; Desenvolvimento do projeto turístico; Envolvimento dos participantes e poder público; Gestão compartilhada
  13. 13. Aprendizagem da cultura da cooperação; Oportunidade de crescimento; Geração de grupo de capacitação; Fomento de enlaces internacionais. Contribuições: Participação;Participação; Divulgação; Atuação na multiplicação; Otimismo, entusiasmo e motivação; Envolvimento e comprometimento; Compartilhar conhecimentos; Facilidade de trabalho em equipes.
  14. 14. Como posso atrapalhar? Dificuldades de agenda podem levar a ausências; Dificuldade de exposição de ideias; Ansiedade e empolgação excessivas; Visão muito voltada para projeto; Falta de empatia e inflexibilidade;Falta de empatia e inflexibilidade; Pessimismo e desmotivação; Gestação; Competição e contenda; Desorganização e descontinuidade; Críticas e comparações que levem ao abandono do projeto.
  15. 15. Momento de inclusão – Grupo 1
  16. 16. Momento de inclusão – Grupo 2
  17. 17. Momento de inclusão – Grupo 3
  18. 18. Apresentação – Grupo 1
  19. 19. Vistos de fora
  20. 20. Regina comenta Listas de Expectativas, Contribuições e Como posso atrapalhar?
  21. 21. O entusiasmo e a energia da Consultora Regina
  22. 22. Estimular o processo de confiança; Fortalecer as relações com foco no negócio, setor e ou território. Cultura da Cooperação Objetivo Geral: Facilitar o processo de desenvolvimento do grupo para ampliar capacidade de agir cooperativamente, viabilizando objetivos comuns. Intensificar e integrar conhecimento interpessoal; Estimular o processo de confiança;
  23. 23. • Dinâmica de olhos vendados e discussão • Princípios da cooperação: Coesão de objetivos; Articulação; Valores compartilhados; Cultura da Cooperação Valores compartilhados; Autonomia; Tomar decisões e dispor de meios; Ações comuns; Consenso; Integração. • Construção do pacto de cooperação • Encerramento
  24. 24. Este é o 4º ano do Projeto Turismo no Vale desenvolvido em parceria com o Sebrae. Vivenciamos o 3º Encontro da fase de consolidação da rede integrada de empreendedores e parceiros, fortalecida pela "Cultura da Cooperação", que gerará diversos resultados benéficos para o Vale do Aço e entorno. Este Projeto não é mais só do Circuito Mata Atlântica ou doEste Projeto não é mais só do Circuito Mata Atlântica ou do Sebrae e, sim, de todos que complementam esta cadeia, seja dos oito municípios membros, dos empresários, produtores, empreendedores, artesãos, Convention, Conselhos de Turismo, turismólogos, agentes, condutores e atrativos que são e serão vitais para o desenvolvimento do turismo em nossa região. Adaptado Facebook Circuito Mata Atlântica

×