EFEITO DAS CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO 1 DAS SEMENTES DE MACAÚBA (Acrocomia aculeata) 2 
PATRÍCIA PEREIR...
temperatura ambiente por 30 dias para secagem dos frutos. Depois desse período as sementes foram 30 extraídas com torno me...
As médias de germinação dos tratamentos comparados com a testemunha (sem 65 armazenamento) pelo teste de Dunnett, não apre...
Tabela 1. Porcentagem de germinação de sementes de macaúba submetidas a diferentes tempos de 98 armazenamento. 99 
Tempo 
...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Efeito das condições de armazenamento sobre a germinação das sementes de macaúba (acrocomia aculeata) patricia souza final

272 visualizações

Publicada em

Artigo publicado nos anais do Congresso Brasileiro de Macaúba, em 2013

Publicada em: Ciências
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
272
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Efeito das condições de armazenamento sobre a germinação das sementes de macaúba (acrocomia aculeata) patricia souza final

  1. 1. EFEITO DAS CONDIÇÕES DE ARMAZENAMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO 1 DAS SEMENTES DE MACAÚBA (Acrocomia aculeata) 2 PATRÍCIA PEREIRA DE SOUZA1; SÉRGIO YOSHIMITSU MOTOIKE1; ANTÔNIO MARCOS 3 SILVA1; VANESSA APARECIDA PEREIRA BATISTA1; MYCHELLE CARVALHO2 4 INTRODUÇÃO 5 A macaúba é uma palmeira oleaginosa que tem se destacado como principal fonte de matéria 6 prima para a produção de biodiesel, uma vez que apresenta características favoráveis à sua 7 produção. A espécie é considerada a palmeira de maior ocorrência no território nacional e a segunda 8 em produtividade de óleo, chegando a 5.000 kg de óleo/hectare (CETEC, 1983). No entanto, a 9 dormência fisiológica das sementes (RIBEIRO et al, 2011) restringe a germinação e produção de 10 mudas em larga escala. Em 2007, um protocolo de germinação foi desenvolvido pela Universidade 11 Federal de Viçosa, permitindo a germinação das sementes e a implantação de cultivos comerciais 12 (MOTOIKE et al, 2007). 13 O desenvolvimento do protocolo de germinação foi um grande avanço para a utilização da 14 espécie em escala comercial. Entretanto, considerando o grande potencial da planta e a necessidade 15 de estudos sobre as condições adequadas de armazenamento das sementes, torna-se imprescindível 16 o desenvolvimento de métodos que garantam a conservação das sementes. As sementes de 17 palmeiras assumem comportamentos fisiológicos diferenciados durante o armazenamento, podendo 18 ser classificadas em: ortodoxas, recalcitrantes e intermediárias. As sementes ortodoxas são 19 resistentes à desidratação e a baixas temperaturas apresentando longevidade durante o 20 armazenamento. Já as sementes recalcitrantes possuem sensibilidade à dessecação e baixas 21 temperaturas e curta longevidade. Por fim, as sementes intermediárias são tolerantes à desidratação, 22 porém sensíveis a baixas temperaturas (HONG; ELLIS, 1996). 23 O objetivo do estudo foi avaliar o efeito do teor de água da semente, da temperatura, da 24 umidade relativa do ar e do tipo de embalagem na preservação da qualidade fisiológica das 25 sementes ao longo do armazenamento. 26 MATERIAL E MÉTODOS 27 Os frutos foram coletados na região de Santa Luzia, Minas Gerais, e em seguida foram 28 levados para a empresa Acrotech Sementes e Reflorestamento e acondicionados à sombra em 29 1 Universidade Federal de Viçosa, e-mail: patysouza8@yahoo.com.br; motoike@ufv.br; antonio.marcos@ufv.br; vanessa.batista@ufv.br. 2 Empresa Acrotech Sementes e Reflorestamento, e-mail: mcar78@yahoo.com.br 1
  2. 2. temperatura ambiente por 30 dias para secagem dos frutos. Depois desse período as sementes foram 30 extraídas com torno mecânico de bancada e beneficiadas manualmente. As sementes foram secadas 31 em estufa a temperatura de 30°C até atingir o teor de água entre 5,68 e 6,00%. Posteriormente, as 32 sementes foram tratadas com fungicida Derosal®, sendo utilizado 3mL do produto por kg de 33 sementes e acondicionadas em três tipos de embalagem: a) permeável (papel tipo Kraft), b) 34 semipermeável (polietileno rígido) e c) impermeável (folha flexível de alumínio). Foram 35 comparadas três condições de armazenamento: a) temperatura ambiente em condição de 36 laboratório; b) 45% de UR e temperatura de 15ºC; e c) 55% de UR e temperatura de 20ºC. Aos 0, 4, 37 8, 12 meses de armazenamento avaliou-se a germinação das sementes. 38 O delineamento experimental adotado foi o inteiramente casualizado, em esquema fatorial 39 3 x 3 x 4, com quatro repetições de 50 sementes. Os dados foram submetidos à análise de variância 40 por meio do teste F. O teste de Tukey a 5% de significância foi utilizado para a comparação das 41 médias dos tratamentos. E o teste de Dunnett foi usado para comparação da testemunha (sem 42 armazenamento) com os tratamentos. 43 44 RESULTADOS E DISCUSSÃO 45 A análise de variância realizada com os dados de germinação não apresentou interação 46 significativa entre os fatores analisados, no entanto teve efeito significativo dos fatores tempo e 47 ambiente de armazenamento. Quando avaliado o efeito do fator tempo sobre a germinação, aos 48 quatro meses observou-se menor porcentagem de germinação, se comparado aos oito e doze meses 49 de armazenamento (Tabela 1). Com esses resultados pode-se verificar a eficiência das condições de 50 armazenamento na conservação da viabilidade das sementes de macaúba. 51 Avaliando-se o efeito do fator ambiente de armazenamento, observou-se que as sementes 52 armazenadas na condição ambiente, apresentaram redução na porcentagem de germinação ao longo 53 do armazenamento (Tabela 2). Essa redução da germinação pode estar relacionada às variações de 54 temperatura e umidade relativa do ar que ocorreram durante o período de armazenamento das 55 sementes. Por outro lado, as sementes nas condições 15°C/45%UR e 20°C/55%UR, não tiveram 56 redução da porcentagem de germinação. A manutenção da qualidade fisiológica das sementes 57 durante o armazenamento a longo-prazo depende do teor de água e das condições do ambiente de 58 armazenamento (temperatura e umidade relativa do ar) (CARVALHO; NAKAGAWA, 2000). 59 O fator embalagem não teve efeito significativo durante o armazenamento das sementes de 60 macaúba. Em alguns casos a escolha do tipo de embalagem a ser utilizada depende da espécie, do 61 teor de água das sementes e das condições e tempo de armazenamento (MARCOS FILHO, 2005). 62 No caso da macaúba observou-se nesse trabalho que qualquer uma das embalagens estudadas 63 permitem a preservação da qualidade fisiológica das sementes. 64 2
  3. 3. As médias de germinação dos tratamentos comparados com a testemunha (sem 65 armazenamento) pelo teste de Dunnett, não apresentou diferença significativa (Tabela 3). Desse 66 modo, pode-se destacar a eficiência dos métodos de armazenamento adotados nesse trabalho. 67 68 CONCLUSÃO 69 Conclui-se que a conservação da qualidade das sementes de macaúba depende das 70 condições ambientais a que são expostas durante o armazenamento. Sendo que, as condições de 71 armazenamento 15°C/45% UR e 20°C/55% UR proporcionaram a conservação da viabilidade das 72 sementes por 12 meses. 73 AGRADECIMENTOS 74 Agradecimentos a CAPES, CNPQ pela concessão de bolsa e FAPEMIG pelo apoio 75 financeiro ao projeto de pesquisa e a empresa Acrotech Sementes e Reflorestamento pela ajuda na 76 execução dos experimentos. 77 78 REFERÊNCIAS 79 80 CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. Jaboticabal: 81 FUNEP, 2000, p. 588. 82 CETEC - FUNDAÇÃO CENTRO TECNOLÓGICO DE MINAS GERAIS. Produção de 83 combustíveis líquidos a partir de óleos vegetais: Estudo das oleaginosas nativas de Minas Gerais. 84 Relatório Final, Belo Horizonte, v. 1, p. 152, 1983. 85 HONG, T. D.; ELLIS, R. H. A protocol to determine seed storage behaviour. IPGRI Technical 86 Bulletin. International Plant Genetic Resources Institute. Rome, Italy. n. 1, 1996. 87 MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: Fealq, 2005, p. 88 495. 89 MOTOIKE, S. Y.; LOPES, F. A.; OLIVEIRA, M. A. R.; CARVALHO, M.; SÁ JÚNIOR, A. Q. 90 Processo de germinação e produção de sementes pré-germinadas de palmeiras do gênero 91 Acrocomia. 2007. Patente: Privilégio de Inovação. n. PI0703180-7, "Processo" . 20 jul. 2007 92 (Depósito). 93 RIBEIRO, L. M.; SOUZA, P. P.; RODRIGUES JUNIOR, A.G.; OLIVEIRA, T. G. S.; GARCIA, 94 Q. S. Overcoming dormancy in macaw palm diaspores, a tropical species with potential for use as 95 bio-fuel. Seed Science and Technology, v. 39, 303-317, 2011. 96 97 3
  4. 4. Tabela 1. Porcentagem de germinação de sementes de macaúba submetidas a diferentes tempos de 98 armazenamento. 99 Tempo Germinação 4 Meses 76,11 b 8 Meses 80,61 a 12 Meses 84,05 a As médias seguidas pela mesma letra na coluna não diferem pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. 100 101 Tabela 2. Porcentagem de germinação de sementes de macaúba armazenadas sob diferentes 102 condições de ambientes. 103 Condição ambiente Germinação Ambiente 77,28 b 15°C/45%UR 80,83 a 20°C/55%UR 82,66 a As médias seguidas pela mesma letra na coluna não diferem pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. 104 105 106 Tabela 3. Valores médios referentes à porcentagem de germinação (%) de sementes de macaúba ao 107 longo do armazenamento sob diferentes condições de ambientes e embalagens. 108 Tratamentos 4 meses 8 meses 12 meses Permeável + Ambiente 69.5 a 80,5 a 76,0 a Permeável + 15°C/45%UR 81.5 a 76,0 a 85,5 a Permeável + 20°C/55%UR 81.5 a 74,5 a 83,5 a Impermeável + Ambiente 72.5 a 83,5 a 85,0 a Impermeável + 15°C/45%UR 67.5 a 84,0 a 81,5 a Impermeável + 20°C/55%UR 81.0 a 82,5 a 89,0 a Semipermeável + Ambiente 76.5 a 83,5 a 85,0 a Semipermeável + 15°C/45%UR 78.0 a 79,0 a 83,5 a Semipermeável + 20°C/55%UR 77.0 a 82,0 a 87,5 a Testemunha 76.0 a Médias seguidas pela mesma letra, não diferem entre si pelo teste de Dunnett a 5% de probabilidade. 109 110 111 4

×