Lux mundi abril 2013 - 1.04.2013. definitivo layout 1

267 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
267
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lux mundi abril 2013 - 1.04.2013. definitivo layout 1

  1. 1. CONVIVIODE NATAL 2012DA AAVD NORTEDECORREU EMGUIMARÃESLer pg. 9“SABOR DA BEIRA”FESTEJOU Ler pg. 34º ANIVERSÁRIOJORNAL DA AAVD - ASSOCIAÇÃO DOS ANTIGOS ALUNOS DO VERBO DIVINODirector: Armindo da Costa de Sá CachadaPagamento de quotas por transferência bancária para o NIB da AAVD: 0033.0000.4522.0469.38305ANO LIII - Março de 2013 - Nº 256NAS PÁGINAS INTERIORESPg. 1 - Editorial - Repensar acomunicação entreassociadosPg. 3 - Relatório de Contasda AAVD 2012Pg. 8 - Meia centena nomagusto de LisboaPg. 9 - Encontro de Natal daZona NortePg. 10 - A SVD no MundoPg. 11 - A SVD em AngolaPe. SamuelCarmocelebrou emBrasíliajubileu deourosacerdotalLer pg. 12Todos a Fátima para o Encontro Nacionale Assembleia Geral a 25 e 26 de Maio de 2013ENCONTRO TORTOSENDO / 2012A inconfundívelmarca beiroaLer pgs. 4 - 7CADERNOnas páginas centraisESTATUTOS DA AAVD -ASSOCIAÇÃO DOSANTIGOS ALUNOS DOVERBO DIVINOProgramaLer Pg. 2Lux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page1
  2. 2. Todos a Fátima para o Encontro Nacionale A. G. que decorrerão a 25 e 26 de Maio de 2013Lux MundiNos últimos anos, o Lux Mundi temsido, essencialmente, um espaço dedivulgação das actividades da AAVD,não só da estrutura nacional, mastambém das delegações regionais oude iniciativas desenvolvidas por outrosgrupos de antigos alunos dosseminários do Verbo Divino.É verdade que as plataformas decomunicação da era modernapermitem uma circulação dainformação mais imediata e eficazdaquilo que se vai fazendo, mas aDirecção continua a pensar que aedição do Lux Mundi, em papel, éainda a forma mais segura de darperenidade à informação da AAVD emtermos de memória futura.Daí que seja de considerar ahipótese, que tendencialmente jávimos assumindo, de dimunuir onúmero de edições anuais do “LuxMundi”, passando a periodicidade depublicação de trimestral a semestral.Além disso, como os custos depublicação do jornal são os que maispesam na contabilidade da AAVD,esta alteração editorial permitiriareduzir significativamente tal factura,sem, por outro lado, comprometer acirculação da informação associativa,que há muito tem vindo a processar-sepor outras vias.É um assunto que poderemosdebater na próxima Assembleia Geral,estudando, também, uma formaalternativa e mais eficaz de fazercircular a informação oficial da AAVDatravés da Internet, desejavelmenteem circuito fechado, mas aberto atodos os associados. Tal situaçãoexigiria, naturalmente, a presença deum gestor, que pudesse cuidar doprograma e, simultaneamente, trataras comunicações dos associados.No fundo, o que se trata, é derepensar a forma como deve circular ainformação institucional, a partir dafonte, dando-lhe uma nova dinâmicamas, ao mesmo tempo,estabelecendo uma ligação maisimediata com os associados, querdestes com a Direcção e vice versa,quer de uns com os outros, através damesma plataforma comunicacional.A tempos novos, soluções novas.A DirecçãoEDITORIALRepensar a comunicação entre associadosJORNAL DA AAVDAssociação dos Antigos Alunos do Verbo DivinoFundado pelo Pe. Eugénio Selbach, svdGabinete da Direcção e RedacçãoApartado 428Rua Teixeira de Pascoaes, 421 - Azurém4801-913 GUIMARÃESContactosPresidente AAVD - telem: 969 686 439e-mail: ajfmoura@gmail.comDirector Lux Mundi - telem: 968 525 190e-mail: armindocachada.sr@sapo.ptResponsáveis editoriaisTexto: Daniel ReisGrafismo e paginação: Armindo CachadaColaboraram neste númeroDaniel Reis, Armindo Cachada, António Pinto,Artur Leite, Francisco Matos, Pe, José Antunes eDirecção AAVDPublicação trimestral * AVENÇAImpressãoPapelMunde - FamalicãoDistribuição:Direcção da AAVD - GuimarãesDia 25, sábado16h00 - Recepção e distribuição dealojamento.17h30 - Encontro da Direção com osdelegados regionais.19h00 - Eucaristia na Capela doSeminário (Colecta será a favor deMoçambique)20h00 - Jantar22h00 - Sarau23h30 - Ceia dos Noctívagos (comdegustação dos queijos, chouriços,vinhos, bolos e outras comezainas que osparticipantes queiram trazer para esteconvívio)Dia 26, domingo09h30 - Romagem ao Cemitério deFátima para homenagem aos sócios daAAVD e membros da SVD falecidos.10h30 - Assembleia Geral12h00 - Foto Oficial12h30 - Almoço e despedidaCustos de estadiaDiária:Casal – 65 eurosSolteiro – 37,50 €(Inclui jantar e dormida de sábado,pequeno almoço e almoço dedomingo)Só refeição - 10 eurosCrianças até aos 11 anos - 50%Crianças até aos 4 anos - gratuitoConfirmações de presença até 20 de MaioContactos para inscrição e reservasAntónio Ferraz de Moura – 969686439;secretaria - Bruno: 253 432 156.E-mail: ajfmoura@gmail.com2 Lux MundiQUOTA ASSOCIATIVAÉ DE 12 EUROS / ANOLembramos aos associados que, pordeliberação da Assembleia Geral deMaio de 2010, as quotas associativaspassaram a ser de 12 euros anuais. Apartir de agora, deixa de existir aligação da quota ao jornal Lux Mundi,passando a ser apenas um referencialassociativo.NIB da AAVD para pagar as quotas0033.0000.4522.0469.38305Aproxima-se a data do Encontro Nacional e da Assembleia Geral de Fátima,este ano a 25 e 26 de Maio próximo. O Encontro terá a formatação dos anosanteriores, de acordo com o programa que segue abaixo.A Direcção apela a uma presença massiva dos associados, que possa sercongregadora e reveladora da dinâmica que o movimento AAVD tem junto dosassociados a nível regional.O encontro anual da AAVD e a Assembleia Geral que durante o mesmo serealiza, são dois momentos fundamentais para manter viva e activa acolectividade, o que vai muito para além da convivência que se deseja entre todosos seus associados, dispersos por todo o país. Por outro lado, esta é também aaltura de redefinir os objectivos gerais ou singulares que a cada momento sepossam vir a colocar. Por isso, todos a Fátima, referência fundamental da AAVD.ProgramaAAVD - Associação dos antigosalunos do Verbo DivinoCONVOCATÓRIAASSEMBLEIA GERALAo abrigo do artigo 16 dos estatutos daAAVD, convocam-se os associadospara uma Assembleia Geral, a realizarno dia 26 de Maio de 2013, durante oEncontro Nacional em Fátima, pelas10.30 horas, com a seguinte ordem detrabalhos:1- Leitura da Ata da Assembleia Geralanterior;2- Apresentação do Relatório deAtividades e Contas 20123- Outros assuntosSe à hora prevista não estiverempresentes pelo menos 50% dos sóciosefetivos, a Assembleia funcionará meiahora depois, com os associadospresentes.O Presidente da Mesa daAssembleia GeralAntero Nabais do PauloGuimarães, 1 deAbril de 2013Lux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page2
  3. 3. Ao ser analisado o Relatório de Contas de 2012, da AAVD, verificou-se um decréscimo no resultado do exercício de 1.742,73 euros.Este resukltado negativo deve-se, essencialmente, à fraca cobrançade quotas, que foi inferior ao ano anterior em 2.824,62 euros. Noentanto, tal resulktado foi atenuado pela diferença de custos do LuxMundi, que foi de 1636,42 euros.Vemos, com agrado, a criação do Fundo Bolseiro de 1.500 euros,embora se tenha reduzido o donativo à Missão do Liupo em 500 euros.Apesar da crise que o país atravessa, apelamos a um maior reforçona cobrança de quotas e a manutenjção do leilão no Encontro Nacional,e outras actividades que possam render alguma verba à AAVD, paraque, embora esta não tenha qualquer fim lucrativo, pelo menos vámantendo as contas correntes em dia, sem recurso ao saldo transitado.Propomos a aporovação do Relatório de Contas de 2012 da AAVD,com um voto de louvor à Direcção, não tanto pelos resultados obtidos,mas pelo esforço e dedicação na orientaçãp da AAVD durante o ano de 2012.Rio Tinto, 24 de Março de 2013O Conselho FiscallJoão Carlos Lourenço - J. Vitorino Neiva - Fernando Lourenço3Lux MundiParecer do Conselho Fiscal sobre o Relatório de Contas AAVD 2012DESCRIÇÃO RECEITAS DESPESASSaldo 2011 8.831,74€Lux Mundi 1.642,31€Encontro Fátima 4.487,50€ 3.168,50€Quotas Sócios 1.514,00€Donativo Liupo 500,00€Fundo Bolseiro 1.500,00€Outras Despesas 278,20€Saldo 14.833,24€ 7.089,01€7Saldo para20137.744,23€Total 14.833,24€ 14.833,24€Festa em Oleiros no 4º aniversário do “Sabor da Beira”Mais de meia centena de antigosalunos verbitas, seus amigos efamiliares acorreram a Oleiros, no dia26 de Janeiro, para festejar o 4ºaniversário do blogue Sabor da Beira,que foi criado por ex-alunos doseminário do Tortosendo e émaioritariamente frequentado porverbitas originários das aldeias emtorno ao rio Zêzere, dede lá de cimaem Manteigas até cá mais para baixona Sobreira e arredores.Lugar da festa, o novíssimo hotelSanta Margarida, no lugar da Torna,encostado à ribeira de Oleiros e àentrada da vila do mesmo nome. Égerido, justamente, por um dosfundadores do blogue, o FernandoCarvalho.Da logística da reunião seencarregou o Vítor Batista, alma-mater, gestor emérito e mentor dosempre celebrado blogue, que nosvem unindo há quatro anos. Noalmoço do 1º aniversário, igualmenteem Oleiros, mas num restaurante àbeira do campo da bola, já tinhamosatingido o número extraordinário de62 amigos á mesa, com aparticularidade de muitos deles teremaproveitado a centralidade daquelavila da Beira para virem do Norte e doCentro do País a rever velhasamizades e camaradagens deadolescência e reforçar o espíritoverbita, que nos tem mantidopróximos pela vida fora.Já se sabe que estas romarias aOleiros também se fazem na mira deoutro chamariz, a boa mesa beirã,nomeadamente, o cabrito estonado(uma especialidade exclusiva daregião), o maranho à moda do pinhale doses abundantes de sável,pescado no vizinho Zêzere, o rio danossa infância, onde muitos de nósaprenderam a nadar.Tudo isto preparado e apresentadosob supervisão do chefe LeonelBarata, que tem banca montada noHotel Santa Margarida. E também ésabido que, nas nossas reuniõesfestivas, algo que não pode nuncafaltar é a animação musical.Desta vez, pontificaram nas rodasde animação o bombo de Ferraz deMoura (o sempre consideradoPresidente da AAVD), o rabecão doZé Freire, as violas do Maurício, doIsmael, do Tiago e de nem sei quemmais e o nutrido grupo deacordeonistas, de que o inestimávelMadeira Antunes fez questão de sefazer acompanhar, para dar um (alto)tom minhoto à festa.Podem achar que eu exagero, masgaranto-vos, à boa fé de quem sou,que tudo correu na perfeição. Nemseria, aliás, de esperar outra coisa,tendo em vista os antecedentes.Ora, sendo assim, que mais restase não perguntar: onde é que nosreuniremos para comemorar o quintoaniversário do Sabor da Beira? Sedependesse do meu conselho, seriade certeza e de novo em Oleiros, mastalvez com uma preparação epropaganda mais alargadas, de modoa trazermos mais gente do Minho, daCova da Beira e do Oeste e afazermos a aproximação maisconsistente (e porventura institucional)do Sabor da Beira à AAVD).Daniel ReisLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page3
  4. 4. 4 Lux Mundi«Ah grandes beirões amigos, nãovos elogio quanto merecem, por maisum Encontro anual em Tortosendo,este no dia 27 de Outubro de 2012.Tudo correu bem e o mérito é todovosso. Um coletivo obrigado, por isso,em especial aos organizadores deturno: José Eduardo, Leonel, Ismael,Licínio e Trigais.É desprovido de sentido aproximarnúmeros de presenças de encontrosanteriores numa tentativa de valorizaruns em detrimentos de outros. Cadaum depende de um somatório deconjunturas que influenciam apresença ou ausência dos colegas.Toleremos as diferenças. O facto éque, o Encontro deste ano, a 27 deOutubro, teve uma muito significativaafluência. Ou seja, participou umabela centena de pessoas, entre 65antigos alunos, 20 esposas e 12amigos acompanhantes, além de trêsreligiosos verbitas, os padresJerónimo e Soares e o irmão Amaro.Estes podem até não perceber aimportância que cada um de nós dáaos membros da congregação, porquenão estão do lado de cá. Todavia, umdos confortos que procuramosreceber, nestes encontros, é o deconversar com membros activos daSVD, quer para recordar as vivênciasde cada um, falar da família e doscolegas, ou até mesmo para deitarconversa fora sobre coisas banaiscomo o futebol, viagens ou assuntossoltos. Obrigado, caríssimos verbitas,pela vossa presença amiga.O momento alto da MissaUm ponto constante e de referêncianestes encontros centra-se nomomento alto da participação namissa. A concelebração esteve acargo do padre Jerónimo e do diáconoENCONTRO DO TORTOSENDO / 2012A inconfundível marca beiroa4 Lux MundiCrónica de Artur LeiteCosta da Capinha, Tiago Silva e MeleiroFoto de GrupoLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page4
  5. 5. 5Lux MundiJosé Pereira, acolitados pelo colegaLeonel. A mini orquestra e corocorrespondente portaram-se de modoinversamente proporcional ao seutamanho: sendo poucos, parecerammuitos, cantando e tocando comodeve ser. Encheram a alma dospresentes. A assembleiacorrespondeu consoante a voz quecada um conseguiu trazer de casa.Mas pareceu-me ouvir mais vozes dedia de trabalho, que de momentofestivo! O organista Madeira e osmestres de viola Ismael, Maurício eVítor Batista encobriam com belosacordes o que alguns teimavam emnão melodiar. Foi lindo de ver e deouvir e, ainda mais, de vantajosoparticipar. A coleta reverteu para asmissões. Quanto ao habitual registofotográfico, como prova da presença epara os anais da AAVD, desta vez olocal escolhido foi as altas escadas doantigo campo de voleibol e não àporta da Igreja.Magusto e músicae um livro de JolonNa hora do almoço quase se enchiao refeitório. A refeição foiconfecionada pelo Luís Costa dacozinha da UBI, (Universidade daBeira Interior) com brio e dedicação.O arroz à valenciana estava umamaravilha e, quanto ao vinho, só seouviam elogios a este maduro beirão.Quase no final foi apresentado umlivro com relatos de tradições e casosda região, em especial de Penamacor,da autoria do nosso colega JoséLopes Nunes (Jolon). Muitosadquiriram essa obra interessante.Seguiu-se música com toda a alma,do Costa (da Capinha), Tiago Silva eMeleiro, algumas violas e baladas doMaurício. Em resumo, muita música ecantares para alegrar os convivas. Hábons músicos e cantadores na Beira,possivelmente devido ao professorRosa Soares que a muitos ensinou noseminário. Pela tarde dentro chegou omomento das castanhas, fêveras,chouriços e outras iguarias no airoso eabrigado recinto do antigo campo devoleibol.É o melhor local para encontrarmuitos amigos e trocar impressõescom os demais, enquanto se come ousaboreia o muito que há pelas mesas.Formam-se pequenos gruposconversadores. Uns tantos esmeram-se em canseiras, tratando das brasas,para que as castanhas e demaiscondimentos estivessem a rigor.Também a estes rapazes temos deagradecer.O sol fez o favor de se apresentarbem cedo, à hora certa, e só seausentou na hora de recolherfacilitando assim a despedida. Gratospela tua presença, belo astro deluminosidade e calor!Foi um lindo espetáculo observar osabraços, beijinhos e palmadinhas nascostas. Tudo transmitia confiança, boadisposição e predisposição para obom dia que se haveria de viver noseminário. E foi mesmo bom! Astrocas de mails e telefones, umexpressar “aparece sempre”, “até aoano”, “até breve”, “vê se encontrasfulano e trá-lo contigo” eramtestemunhos do quanto se aprecia oencontro em Tortosendo.A Eucaristia foi presidida pelo Pe. José HipólitoJerónimoUm aspecto da assemblea litúrgicaLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page5
  6. 6. 6 Lux Mundi6Passeio pela Quinta do PrazoForam muitos os que aproveitarampara reviver aventuras ousimplesmente matar saudades daquinta.Percorreram os caminhos,espreitaram curiosos a piscina vazia ecom provas de pouco uso,introduziram-se pelas áleas ourenques das macieiras queproveitosamente ocupam o antigoPasseio pela Quinta do Prazocampo de futebol, que ostentavam assuas mini-maçãs, todavia de ótimosabor e de produção abundante.As árvores como cresceram! Asoliveiras e demais variadas fruteirasocupam com vantagem as amplasáreas da quinta do Prazo. Nem tudoestá aproveitado com aspotencialidades do espaço, mas éconsequência da conjuntura nacionalque teima em não deixar de fora arica Cova da Beira. O seminárioencontra-se em muito bom estado deconservação, arrumadinho, limpo,acolhedor e airoso como sempre oconhecemos.Nele crescemos, aprendemos e atéproporcionámos santidade aos nossoseducadores pela paciência e arreliascom que os brindávamos comfrequência. Também nos devem essasoportunidades de purificação!ENCONTRO DO TORTOSENDO 2012Hotel Santa Margarida e visita a ÁlvaroO colega Fernando Carvalhodivulgou o convite para se continuar oconvívio pela noite fora no hotel SantaMargarida, na vila de Oleiros, ondeele é corresponsável na gerência. Umgrupo considerável anuiu e acaboumesmo por pernoitar nesse hotel de 4estrelas a preços módicos,inaugurado neste mês de outubro. Oscantares e os folguedos foram umprolongamento do que horas antes setinha vivido no Tortosendo. Seriaimpossível servir melhor, arriscadocomer mais, e as variedadesculinárias foram intermináveis. Ohotel, com seus 23 quartos e suites, éum primor! Tudo é requintado! Opessoal servente é todo licenciado emcursos orientados para o turismo eserviços de hotelaria. Parabéns,obrigado por tudo, e mantenham aelegância que vos diferencia deoutros profissionais concorrentes.O Madeira (enlutado), Zé Freire(solto de palavras), o Vítor Batista(sempre sorridente) e o Leonel (chefeda cozinha), encarregaram-se daanimação. Salienta-se agora os dotesvocais deste chefe, e ainda a formacomo tangia a guitarra. Às qualidadesque se lhe podiam observar pelasrefeições servidas, acrescenta-se avoz segura, clara e suave com quecantava fados ou cantigas populares.Foi aluno no seminário durante poucotempo.Agora, no hotel, tornou-secentro das atenções de muitos dospresentes, pois além da voz e daguitarra, é uma figura apessoada eelegante a quem se ajusta como umaluva o seu chapéu preto de chefe dacozinha. Incute dignidade! As vozesda D. Rosa Lemos, esposa do Lemosque tinham ido de Guimarães, e daD. Dores Lourenço, eram de umaharmonia encantadora.Como cantam tão bem estasminhotas vimaranenses!A manhã de domingo aproveitou-se para fazer uma visita à aldeia deÁlvaro, a dez quilómetros de Oleiros.Os que lá se deslocaram deram otempo por bem empregado. É umafreguesia de montanha onde naquelemomento viviam 63 pessoas. Situa-sea cerca de setecentos metros dealtitude, bem na crista de umaelevação xistosa com cerca dequinhentos metros de extensão.Mesmo no cimo desse outeiroprolonga-se uma estreita rua ladeadade casas bem restauradas eaconchegadas como forma derentabilizar o pouco terreno. Pareceque estão a agarrar-se umas àsoutras para não escorregarem pelasduas encostas íngremes, e que aomenor abalo as farias resvalar. Puroengano. A aldeia nasceu da fixação depastores há séculos, quem sabe se dotempo dos lusitanos!O presidente da freguesia, vendo-nos passar abeirou-se gentilmente donosso grupo, proporcionou uma visitaguiada à igreja paroquial e à capelada misericórdia. Esta tem uma talhadourada admirável, mostrou asossadas do capitão brasileiro, e seufundador, aí exumado, na qual seinstalou um mini museu onde conta ahistória da capela de finais do séculoVXI. Valeu o esforço. A todos sugirouma visita a esta aldeia de xisto.Lux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page6
  7. 7. Adelino AmaroAdérito SantosAdriano António AmaroAgostinho da SilvaAlberto RodriguesÁlvaro Gil Boucho SoaresAndré GonçalvesAntónio C. Pinto e OlíviaAntº João Rocha PereiraAntónio Madeira AntunesAntónio Manuel Melo eMaria TeresaAntónio Rosinha e MariaJoséAntónio Santos DiasCláudio Miguel LagosSantosEmílio BarrosoFernando CarvalhoFernando Geraldes e esposaFernando Neves BatistaFrancisco Maguejo e Maria deJesusIsmael ReisJoão Duarte Palinhas eBrancaJoão Man. Serra DuarteJoaquim PortasJoaquim Trindade dos SantosJosé Afonso LourençoJosé Antº Dias Pereira (ZECA)José Augusto Alves DinisJosé Carlos Proença CostaJosé Eduardo LealJosé EliasJosé António M. Fernandes eMariaJosé Freire, Anita e casalamigoJosé Joaquim Pereira e MªJoaquinaJosé Henriques FonsecaJosé Lopes Nunes e AliceJosé M. Fortunato CanhotoJosé Manuel PortasJosé M.Teixeira DiasJosé Mário Pires MartinsJosé Manuel NevesJosé Neves CostaJosé Peres Januário e SylvieJosé Pinto Simões da CunhaJosé Quelhas e Mª GoreteJosé Santos DinisJosé Teodoro PrataJosé Alberto Gonçalves(TRIGAIS)Leonel FranciscoLicínio DuarteLino Laranjinha e Zélia MoraisLuciano Vaz MarcosLúcio Robalo Pereira, esposa efamiliarLuís Antº CEREJO SilvaLuís Miguel CaneloMaurício MelfeNuno Joaquim JesusTiago SilvaVasco SoaresVítor BaptistaVítor M. Alves GregórioPe. José Hipólito JerónimoPe. Manuel SoaresIrmão José AmaroDa Zona Norte (17)Ana Maria Pinho (Col.)Artur Leite, esposa, irmã ecunhadoFernando Lourenço, Fátimae casal amigoJoão Lourenço, Dores ecasal amigoJosé Alberto Lemos e RosaMário Pinho (Col.) e FátimaTotal: 100 pessoas, sendo65 ex-alunos, 20 esposas,12 familiares e amigos, edois Padres e Irmão AmaroPresenças no Encontro do Tortosendo7Lux MundiENCONTRO DO TORTOSENDO 2012Em nota final sobre o Encontro Tortosendo/2012 (comosempre, realizado no último sábado de Outubro), devereconhecer-se a penosa tarefa dos organizadores. Ficaramcom a “criança nos braços” uns dias antes. Coube-lhesorganizar o encontro numa correria bem cumprida, emvelocidade e qualidade. Cada um de nós tem de prestar-lheshomenagem e agradecimento. Foram eles: José Eduardo,Leonel, Ismael, Licínio e Trigais. Recordo o incansávelLeonel, mas é extensivo aos restantes, com as repetidasaproximações das mesas a questionar se tudo estava bem,a procurar saber o que mais fazia falta. Cada um deles etodos em conjunto contribuíram para que os visitantes sesentissem o melhor possível. Distribuíam travessas, garrafase sorrisos com desvelos invulgares. Ah grandes beirõesamigos: tudo correu bem e o mérito é todo vosso. Umcoletivo obrigado. E no próximo ano, as ʻvítimasʼ já sãoconhecidas, pois foi logo ali designada a Comissão paraorganizar o Encontro de 2013: Adérito Santos, AndréGonçalves, António Melo e Tiago Silva.Artur LeitePS – Esta crónica (excecional) deve-se a uma solicitação do António Pinto aquem não podia negar. Agradeço a confiança.A Comissão OrganizadoraEm Oleiros (Hotel Stª Margarida): Chefe da cozinha Leonel e Zé FreireMomentos do convívio A velha guarda: Serra Duarte, Pe. Jerónimo e Simões da CunhaLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page7
  8. 8. 8 Lux Mundio convite foi e com certeza continuaráa ser publicado no sítiohttp://sabordabeira.blogspot.pt/.Convém que a organização arranjeforma de comunicar com os que nãose entendem com a net.Voltemos ao magusto, no qualparticiparam 50 pessoas, sendo 28AA, 11 esposas, 7 familiares e 4padres.Foi um convívio alegre e tambémum desfilar de recordações doseminário, de tempos passados na“estranja” e até de conhecidos oucolegas de actividade. Os padresHá tradições que nada perdemapesar do tempo decorrido. Umadelas é a do Magusto da Zona Sul daAAVD. Realizou-se na Casa VerboDivino, de Lisboa, a 17 de Novembro.O Reitor, Pe. Manuel Abreu,franqueou-nos as portas edisponibilizou um salão para o evento.Por isso, uns tantos responderamao convite dos organizadores,Messias, Vicente e Pinto, que não sepouparam em esforços, quertelefónicos, quer de logística domagusto. Não posso deixar de fazeraqui um parênteses, para lembrar queMeia centena no Magusto de LisboaO tradicional Magusto dos aavd da região de Lisboa jjuntou em cinvívio meia centenas de ex-alunos e familiaresAlbertino AntunesAníbal MarquesAntero Nabais do PauloAntónio Casimiro Barata, Leonor equatrro familiaresAntónio Lobo da SilvaAntónio Paulos, Luna e duascunhadasAntónio Pinto e OlíviaAntónio Registo e SãoAntónio ReisAntónio Rosinha e Maria JoséAntº Rui Dias BarataAntº Vicente Almeida e LuísaApolinário MendesArlindo Mateus AscensãoArtur SantosEduardo RegoFrancisco C. Matos e Isabel MariaFrancisco JerónimoHenrique NunesJoão A. A. Marques e SandraJosé DelgadoJosé Magalhães e GuiomarJosé Peres Januário e SylvieLuís VazMessias Gomes e NatividadeManuel NobreNicolau Marques e filhaVítor BaptistaPe. Américo MenesesPe. DavidPe. Manuel AbreuPe. ValentimValentim e David mantiveram salutardiálogo com os presentes.Há a realçar dois momentos:A leitura de um trecho do livro doLuís Cerejo, natural de Três Povos -Fundão, que lecciona em CasteloBranco, feita pelo Eduardo Rego.O outro momento foi ver aquelagente a cantar, puxada pelo VítorBaptista e sua guitarra.Para mim, desligado destasactividades há alguns anos, valeu apena. Obrigado Pinto por me teresligado, pois não sabia do convite.Francisco da Cruz MatosLista de Presenças no Magusto de LisboaÉ muito salutar e saudável ter a vidapreenchida, e não nos quedarmos apensar em derrotismos e maleitas quenos apoquentam. Vem isto a propósitodos diversos contactos estabelecidoscom vista à participação no Magusto.Há alguns anos, a grandepreocupação eram os filhospequenos, que precisavam de dormiruma soneca após o almoço. Mas essacriançada já cresceu e já andam naescola e têm os seus amigos.Outra faixa etária tem os filhoscrescidos e independentes, e não épor aí que surgem impedimentos. Mashá quem tenha a preocupação com ospais idosos, e que os visitaregularmente.Temos nos mais velhos uma vastagama de gente reformada, com osfilhos já adultos e casados. Nestasituação o problema são os netos queprecisam do acompanhamento dosavós, quer para cuidar deles, querpara os levarem a actividadesdesportivas extra escolares. Há aindaos aniversários e os compromissos decarácter social de diversa índole.Mas também há aqueles quequando são solicitados, arranjamsempre um tempinho para seencontrarem com os seus antigoscolegas da juventude. Dão valor aoesforço dos organizadores, superamas dificuldades e comparecem paradar um abraço àqueles que tambémfrequentaram os seminários verbitas.Pois foi com gente deste quilate,que mais uma vez se realizou oMagusto na Casa Verbo Divino, deLisboa. Houve festa e alegria, masdesses aspectos se encarregará ocolega que escreveu a crónicaAntónio C. PintoResponder à chamadaLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page8
  9. 9. Não foram muitos, mas foi numclima caloroso que umas trêsdezenas de ex-verbitas se juntarampara o tradicional Encontro de Natal2012, em Guimarães, numa alturaem que o frio apertava e a ameaçade chuva desmotivou a uma maiorparticipação.O encontro iniciou-e com umavisita ao Centro da Cidade,arrumadinho para receber osvisitantes da Capital Europeia daCultura. O tempo disponível, porém,não era muito, e após a visita aocasco histórico, nomeadamente àspraças da Oliveira e Santiago, bemcomo à Rua de Santa Maria, aprimeira artéria estruturante deGuimarães, o grupo, inicialmentemais pequeno, dirigiu-se paraGominhães, onde os aguardava umapetitoso almoço, no restaurante daQuinta do Américo. Outros colegas jálá se encontravam, com osrespectivos familiares e o almoçoentrou pela tarde adentro, comanimação, música e dança,enquadrada pelo grupo dos"Minhotos Marotos", liderados pelasimpática acordeonista Cláudia.O calor da lareira aqueceu a sala ea tarde foi de prolongado convívio,com o natural enquadramentonatalício, a que não faltaram os bolostípicos da gastronomia da quadra,desde as rabanadas ao bolo-rei,mexidos e outras guloseimas doces.AC9Lux Mundi 9Lux MundiAAVDʼS da Zona Norte juntaram-se em Guimarãespara o habitual encontro de Natal 2012Momentos de agradável convívio natalício à mesa na Quinta do Américo, em GominhãesVisita guiada ao centro histórico de Guimarães por Armindo Cachada e António Ferraz de MouraLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page9
  10. 10. XVII CAPÍTULO GERAL DA SVD PROCUROU RESPOSTASPARA CONCRETIZAR A MISSÃO DA CONGREGAÇÃO HOJEAlguns dados estatísticos sobre a SVD no Mundo(928); Filipinas (531); Vietname (285).África: Gana (153); R. D. Congo (91).b) Primeiros destinos missionários parafora do país de origem.Nos últimos 32 anos (1980-2012), aCongregação do Verbo Divino formou3776 novos missionários, dos quais 2042eram naturais da Ásia.No mesmo período, a SVD enviou 462novos missionários da Ásia para asAméricas, 259 para a África e 146 para aEuropa. Isto, sem contar os outros 1123verbitas asiáticos que foram enviadosdos seus países de origem para outrospaíses asiáticos.Actualmente (dados de 2012), oscerca de 6000 membros da SVD sãooriundos de setenta países, sendo quemais de metade é oriunda do continenteasiático. Estes números reflectemnitidamente uma mudança na origem ena composição étnica e cultural dascomunidades missionárias verbitas.a) Verbitas segundo o país de origem(principais nacionalidades):Europa: Polónia (542); Alemanha(385); Eslováquia (93).Américas: USA (196); Brasil (148);Argentina (106).Ásia-Pacífico: Indonésia (1485); ÍndiaO XVII Capítulo Geral (2012)procurou encontrar respostas paraconcretizar, hoje, a missão daCongregação do Verbo Divino nomundo.Conscientes da diversidade étnica ecultural da svd, e do mundo ondevivemos e trabalhamos, procuramosformar comunidades missionáriasinterculturais cujos membros, oriundosde muitos e diferentes povos, línguase nações, reunidos à volta doCordeiro (Ap 7,9) querem participaractivamente na missão de Deus eanimar outros a entrar nesta dinâmicamissionária.O Capítulo Geral apontou dez áreasonde a SVD é chamada a actuar nospróximos anos:1) primeira evangelização enova evangelização; 2) diálogoecuménico e inter-religioso; 3)promoção da cultura de vida; 4)família e juventude; 5) educação einvestigação; 6) comunidadesindígenas e étnicas; 7) migrantes; 8)reconciliação e compromisso pelapaz; 9) justiça social e erradicação dapobreza; 10) integridade da criação.Cada Província, tendo em conta oseu contexto particular, deve escolhere implementar as orientações maisapropriadas à realidade em que vive.É chegado o momentodas acções concretasNo âmbito destas reflexões e dasorientações para os próximos anos,sublinhou-se, no texto dasconclusões, o seguinte (redacção emespanhol):Ahora, en nuestra Congregación, hallegado el momento de avanzar ytomar algunas acciones concretas.Sabemos que es imposible hacerlotodo, así que debemos elegir aquelloscaminos que pueden ser decisivos ymarcar una diferencia a las personasque servimos.Es importante subrayar que eltiempo ha llegado para colocar comoprioridad a la gente, especialmente lospobres, los oprimidos y losmarginados. Nos están esperando ynosotros, los Misioneros del VerboDivino, tenemos una responsabilidadhacia ellos/ellas. Las Orientaciones dela Congregación aprobadas por el 17ºCapítulo General son como un plan deacción que nos puede ayudar a servirmejor a las personas y a lascomunidades a las que se nos envía.El acento en la vida y en la misiónintercultural, que fue el tema delCapítulo, nos llevó a compreendernuestra misión como «misión intergentes». A partir de esta idea, estáclaro que tenemos que trabajar entreel Pueblo y no por encima del pueblo,que hay que acoger y apreciar losdones de los demás y lasexperiencias de fe”.Pe. José Antunes, SVDO Conselho Geral da Congregaçãodo Verbo Divino, eleito em 2012, éconstituído pelos seguintesmembros:Superior Geral: P. Heinz Kuluke(Alemanha)Vice Geral: P. Robert Kisala USA)Conselheiros: P. Gregory Pinto(Índia), Ir. Guy Mazola (R. D.Congo), P. Arlindo Pereira Dias(Brasil), P. Paulus Budi Kleden(Indonésia), P. José Antunes da Silva (Portugal).Além do Conselho Geral, há um grupo de Secretários / Coordenadores paraáreas específicas, nomeadamente para Formação e Educação; ApostoladoBíblico; Missões; Justiça, Paz e Integridade da Criação e Comunicação.CONSELHO GERAL da SVDLux Mundi10O PadreAntónio Leiteé o novoProvincialda SVDportuguesaReunidos em Assembleia nopassado dia 4 de março, emFátima, os Missionários do VerboDivino em Portugal, elegeram a suanova equipa provincial para o triéniode 2013-2016. O P. António Leite,até agora Secretário das Missões,foi eleito novo Provincial. A novaequipa provincial, que entrará emfunções no início de maio, integraainda os seguintes elementos:Padre Valentim Gonçalves (Vice -Provincial); Padre Jacek Baginski(Admonitor); António Lopes eFeliciano Sila.A comunidade SVD portuguesa escolheuGuimarães para o Convívio de Natal 2012,durante o qual o seminarista Rafael Gomesrecebeu o ministério de LeitorNotíciasda Congregaçãodo Verbo Divinono MundoLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page10
  11. 11. D. António Jaca, SVD,foi o primeirosacerdote de umajovem geração demissionários verbitas angolanos aascender ao episcopado. Foi,também, o primeiro bispo a sernomeado para a diocese de Caxito,uma zona pastoral desmembrada em2007 da diocese de Luanda.D. António Jaca foi nomeado bispo,por Bento XVI, no dia 6 de Junho de2007, numa altura em que eraDirector da Rádio Ecclesia, emissoracatólica de Angola e superiorprovincial dos missionários do VerboDivino naquele país.A tomada de posse teve lugar no dia14 de Outubro de 2007, com apresença de todos os bispos deAngola e São Tomé, os quais sedeslocaram ao Caxito paratestemunharem a entronização donovo pastor, na nova diocese. Estacircunscrição eclesiástica abarca umasuperfície de mais de 25.000quilómetros quadrados, com cerca de500 mil habitantes, dos quais mais de45% são católicos.Conta com sete paróquias e 113postos missionários, entregues aoscuidados pastoriais de diversasordens religiosas e missionárias,masculinas e femininas, entre asquais:Institutos masculinos - Missionários doVerbo Divino (SVD), Missionários deGuadalupe (MG), Missionários doEspírito Santo (MSp.S) e Sociedadedas Missões para Àfrica (SMA);Institutos femininos - CatequistasFranciscanas (CF), ServasReparadoras Franciscanas (SRF),Missionárias Reparadoras do SagradoCoração de Jesus (MRSCJ),Missionárias Servas do Espírito Santo(SSpS), Missionárias de CristoMediador (MCM), Missionárias doCoração Eucarístico de Jesus CristoRei (MCEJCR), Irmãs Trapístas, IrmãsBeneditinas de Tutzi, Irmãs do BomPastor (IBP), Irmãs de Santa Catarina(ISC), Irmãs Consoladoras, Filhas deMaria Auxiliadora ( Salesianas).Desde que, em 1965, a Congregaçãodo Verbo Divino se instalou emAngola, com os dois primeirosmissionários - padres Elírio Dal Pivae Wilson Santos, a missão cresceuimenso e, de dois missionários,passou a perto cerca quarenta em2013, dos quais fazem parte trêsbispos (dois residenciais (Lundo eViana) e um auxiliar (Luanda), alémde 32 padres, quatro irmãos e umseminarista em votos temporários(actualmente no estrangeiro, emestudos).A SVD - Angola dirige actualmenteonze paróquias missionárias,localizadas no nordeste, noroeste,centro norte, Luanda e arredoresnorte e sul, e Lobango (ex - Sá daBandeira). Em Luanda, a SVD dirigetum seminário maior com estudos defilosofia para 25 jovens e um Centrode Acolhimento de rapazes - meninosde rua. Em Viana (perto de Luanda),dirige um seminário médio com 30aspirantes.Além disso, três das onze paróquiasa cargo da SVD tutelam outras tantasescolas missionárias, duas das quaisaté ao 12º ano de escolaridade.11Lux MundiP. EstanislauChindecassebispo doDundo - AngolaBento XVI, paparesignatário e bispoemérito de Roma, nomeou a 22 deDezembro de 2012, quando aindase encontrava em funções, o PadreEstanislau Chindecasse, S.V.D,como bispo da diocese do Dundo,em Angola.O Pe. Chindecasse nasceu noHuambo, em 18 de Agosto de 1958.Ingressou na SVD em 1980. Fez onoviciado em Dueñas, Espanha, de1981 a 1982, onde emitiu os primeirosvotos em 1982. Fez a profissãoperpétua em Portugal em 1986.Completou o curso de Teologia naUniversidade Católica de Lisboa efoi ordenado sacerdote na sua cidadenatal de Huambo, a 22 de Novembrode 1987. Após a ordenação,trabalhou três anos na RepúblicaDemocrática do Congo, entãodenominada Zaire, antes decomeçar a ensinar na casa deformação da SVD em Angola.Em 1994 foi para Roma doutorar-se em Filosofia. Em 1999, enquantoainda estudava em Roma, foichamado a integrar o Conselho Geralda SVD, cargo que ocupou até aoCapítulo Geral de 2012.A diocese de Dundo, situada naLunda-Norte, tem uma superfície10.130 km2 e uma população de827.000 habitantes, dos quais 269.000são católicos, assistidos por dezsacerdotes e 17 religiosas.O Pe. Estanislau Chindcasse foisagrado bispo no dia 3 de Março de2013, durante uma cerimónia presididapor Dom Gabriel Mbilingue, Arcebispodo Lubango e bispo sagrante, quedurou mais de quatro horas e teve apresença de 26 bispos, 168 sacerdotese milhares de fiés. O evento, que tevelugar no Huambo, terra natal do novobispo, foi transmitido pela televisãopública de Angola.Em ANGOLA a Congregação do Verbo Divino dirige onzeparóquias com 40 missionários e três bisposD. António Jaca - primeiro bispo SVD angolanofoi nomeado em 2007 para a diocese do CaxitoD. Zeferino Martins, SVD nomeado bispo auxiliar de LuandaA 12 de Agosto de 2012, nacidadela desportiva de Luanda, foisagrado o segundo bispo verbita, D.Zeferino Zeca Martins, então superiorprovincial da Congregação do VerboDivino em Angola.D. Zeferino foi nomeado por BentoXVI bispo auxiliar da Arquidiocese deLuanda, de que é titular D. DamiãoFranklin, Arcebispo de Luanda, quepresidiu à cerimónia.O novo bispo é natural de Kacolo,na Província de Saurimo, Lunda Sul.Entrou em 1988 para aCongregação do Verbo Divino, ondefez os estudos de filosofia e teologiaaté à emissão de votos perpétuos eordenação sacerdotal em 1995. Apósa ordenação seguiu para Madrid ondefoi nomeadocapelão dosemigrantesafricanos, aomesmo tempo queera Reitor dacomunidade dosalunos de teologiae superior religioso dos missionáriosdo Verbo Divino em Madrid.Regressado a Luanda, em 2000, foinomeado Reitor da Casa Central daSVD, em Luanda, sendo nomeado,em 2007, vice-Provincial e mais tardesuperior Provincial da SVD emAngola.O novo Bispo Auxiliar de Luandatem a seu cargo a presidencia daComissão Episcopal da Juventude.Lux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page11
  12. 12. 12O P. Samuel F. Carmo, SVD, quefoi prefeito e professor de muitos dosassociados da AAVD, sobretudo dosque passaram pelo seminário deGuimarães nos anos 60, celebrou, nodia 2 de Fevereiro de 2013, o jubileu deouro sacerdotal, em comunhão com oscristãos da Paróquia do Verbo Divinode Brasília, que há muitos anospastoreia.Aqui fica uma nota sobre o seupercurso sacerdotal e missionário,desde que veio para Portugal após asua ordenação a 2 de Fevereiro de1963, até à actualidade, como pastorda paróquia do Verbo Divino emBrasília. As informações são dopróprio, retiradas de uma carta enviadade Nemi (Roma - Itália) aos seusparoquianos de Brasília.O nascimento da vocaçãoMinha vocação - refere - nasceuem baixo de umas mangueiras. Poisera lá que o Pe. Humberto rezava asmissas para gente simples e humilde.Vendo aquele sacerdote tão santo eamigo do povo simples, que falava umportuguês sem sotaque e que logo mechamou para ajudar nas santasmissas, não resisti e fui logo dizer aosmeus pais que eu queria ser padre.Aí começa uma história longa edifícil. ive de vencer muitas barreiras,mas lá estava minha mãe, rezando pormim, dia e noite, e o Pe. Humberto,dando todo o apoio e ajudando-me aconvencer meu pai, que, a princípio,não apoiou minha ideia. No dia 16 dejulho de 1947, aquele sacerdote santoUm e-mail do Pe.Samuel CarmoMeu prezado amigo ArmindoGrato pelos votos de feliz Páscoa. O mesmopara você e seus queridos familiares e nossosex-alunos.Fiquei triste por não receber nenhumamensagem de meus alunos e amigos dePortugal por ocasião do meu jubileu de ourosacerdotal, celebrado no dia 2 de Fevereirodeste ano de 2013.Um grande abraço a todos.Pe. Samuel, SVDIllinois, nos Estados Unidos, onde,depois dos estudos teológicos, o bispoauxiliar de Chicago, Dom RaymondHillinger, me ordenou sacerdote no dia2 de Fevereiro de 1963.Oito anos em Guimarãese regresso ao BrasilEm seguida, vieram as tarefasmissionárias: oito anos no SeminárioMissionário do Verbo Divino, emGuimarães – Portugal.Professor nos seminários menores,em Antônio Carlos e Barbacena.No ano de 1981, mudança para aParóquia do Verbo Divino, comovigário paroquial em Brasília. Maistarde, criei a Paróquia de NossaSenhora da Esperança. Ainda acheitempo para fazer o curso de PsicologiaClínica na Universidade de Brasília,onde me formei em setembro de 1987.Em 1991, nova tarefa missionáriaem Los Angeles, Oakland e Livermore,Califórnia. Depois disso, os superioresme chamaram de volta ao Brasil.Deram-me a escolha entre Juiz deFora, Rio de Janeiro e Brasília. Escolhia Paróquia do Verbo Divino emBrasília-DF, onde já me encontro hámais de 16 anos.Não sei como agradecer a Deuspor tantas graças que me temconcedido até hoje. E também gostariade agradecer muito cordialmente atodas as pessoas que Deus colocouem minha caminhada.Obrigado por tudo.Pe. Samuel Ferreira do Carmome leva, pessoalmente, ao Pré-Juvenato São Geraldo, em Barbacena– MG. Lá me recebeu, de braçosabertos, o saudoso Pe. Egon Zöllner. Eassim começou a minha trajetória naCongregação do Verbo Divino.No Seminário, em BarbacenaSeis meses em Barbacena; cincoanos no Instituto Missionário SãoMiguel, em Antônio Carlos – MinasGerais; seis anos no Seminário Maiordo Espírito Santo, Sant0 Amaro – SãoPaulo. E afinal, cinco anos no SaintMary ́s Mission Seminary, em Techny,Lux MundiFOI ORDENAQDO SACERDOTEA 2 DE FEVEREIRO DE 1963EM TECHNY - USAPe. Samuel Carmocelebrou em Brasíliajubileu de ourosacerdotalO Pe. Samuel Carmo no dia em que celebrou assuas Bodas de Ouro sacerdotaisO Padre. Samuel Carmo numa fotografiade 1967, tirada em Guimarães, quando,como Prefeito dos mais novos, integrava aequipa que então tutelava a formação dosjovens seminaristas que viviam, ainda emregime de internato, no Seminário da Madrede Deus.Além dos Padres Samuel Carmo e AroldoMendes, este último Prefeito dos alunos maisavançados (de camisa axadrezada na foto),faziam também parte desta equipapedagógica o José Prata Candeias (à direita)e o Armindo Cachada (à esquerda) que, naaltura, após terminarem os seus cursos deFilosofia, faziam Estágio Pedagógico emGuimarães, ajudando na prefeitura e naactividade docente.O Pe. Samuel solta os balões na alegria do JubileuLux Mundi - ABRIL 2013 - 15.04.2013. Definitivo_Layout 1 13/04/17 09:39 Page12

×