Informática Aplicada à Educação

42.358 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
6 comentários
69 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
42.358
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9.738
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
6
Gostaram
69
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Normalmente a matemática ensinada na escola apresenta-se como uma ciência pronta e exata que exige do aluno uma fantástica memória para guardar conceitos, regras, definições que levaram séculos para serem construídos e que estão em constante construção por conta de indivíduos que ao interagirem com o mundo reelaboram e reconstroem seus conhecimentos. Essa escola não respeita nem estimula a construção de conhecimentos significativos levando o aluno a ser um receptor passivo
  • Um ensino de matemática de qualidade obrigatoriamente contribui para a formação do cidadão na medida em que a construção do conhecimento matemático exige uma participação crítica e autônoma do indivíduo. É inegável a importância e a necessidade da matemática no cotidiano. As aplicações no mundo do trabalho e o auxílio na construção de conhecimento em outras áreas é indiscutível, assim como os fracos resultados em relação à sua aprendizagem.
    Cada vez mais a matemática está presente nas diversas atividades da vida contemporânea daí a necessidade de se proporcionar aos jovens um conhecimento matemático capaz de inserí-los no mundo do trabalho como cidadãos conscientes.
    As transformações ocorridas no mundo contemporâneo fizeram com que a Educação matemática fosse se adequando a uma nova realidade.
  • Embora existam algumas experiências positivas a partir destas propostas, temos ainda no Brasil obstáculos que impedem um ensino de matemática de qualidade. As faculdades de licenciatura não estão preocupadas em formar profissionais de educação capazes de desenvolver práticas pedagógicas que qualifiquem o ensino da matemática. Os profissionais do conhecimento matemático são ainda muito poucos. E embora algumas universidades e secretarias de educação desenvolvam algum trabalho no sentido de ajudar o professor a melhorar a qualidade de ensino, faltam ainda políticas educacionais efetivas que provoquem as mudanças necessárias e desejáveis .
    O estudo de conceitos, idéias e métodos através de resolução de problemas ainda são desenvolvidos a partir de listas de problemas que devem ser resolvidos pelos alunos que usam técnicas ou fórmulas memorizadas. Nesse sentido, o ensino-aprendizagem através de resolução de problemas torna-se falho e ainda reforça o caráter elitista e tradicional do ensino da matemática.
    Os conteúdos da matemática a serem considerados importantes para o ensino-aprendizagem desta ciência devem levar em consideração não apenas as situações do cotidiano mas também questões inerentes a própria matemática e seus problemas históricos.
    O ensino da matemática apresenta problemas que precisam ser resolvidos. Desde os anos 80 existem propostas que tem a intenção de resolver estes problemas mas é preciso mais que intenções e propostas para que o ensino da matemática melhore de qualidade e contribua para a construção de um conhecimento matemático reconhecido como necessário ao exercício da cidadania.
  • Informática Aplicada à Educação

    1. 1. Informática Aplicada àInformática Aplicada à EducaçãoEducação
    2. 2. A crise na Educação
    3. 3. COMPUTADOR NA ESCOLA Agente transformador da educação Mais um modismo educacional
    4. 4. O computador dá uma nova dimensão à escola e, se bem utilizado, acrescentará ao processo educacional, novas possibilidades que contribuirão para uma transformação profunda na Educação
    5. 5. Informática é apenas uma ferramenta a ser usada na Educação: como ela precisar e na direção em que ela indicar.
    6. 6. TECNOFOBIA TECNOFILIA
    7. 7. O PROFESSOR E O COMPUTADOR
    8. 8. O ALUNO E O COMPUTADOR
    9. 9. A educação escolar brasileira. • Conhecer é reproduzir.
    10. 10. A educação escolar brasileira. Nossas ações em sala de aula baseiam-se, há séculos, em crenças fortemente sedimentadas. Essas crenças resistem a uma mudança mais profunda em nosso fazer. Tal resistência nada mais é do que o sinal claro de que não sabemos outra forma de caminhar. Temos que desaprender
    11. 11. A construção do conhecimento já não é mais produto unilateral de seres humanos isolados, mas de uma vasta cooperação cognitiva distribuída, da qual participam aprendentes humanos e sistemas cognitivos artificiais.
    12. 12. COMPUTADOR PROFESSOR ALUNO SOFTWARE INGREDIENTES BÁSICOS PARA IMPLANTAÇÃO DO COMPUTADOR NA EDUCAÇÃO
    13. 13. Como o computador podeComo o computador pode ser usado na educação ?ser usado na educação ?
    14. 14. Computador a serviço do: Ensino ? Controle do processo educacional ? Aprendizagem ? Realização de tarefas ? Desafio ao aluno ?
    15. 15. Informática na educaçãoInformática na educação COMO FIM APRENDER SOBRE A INFORMÁTICA PARA PROFESSORES COMO MEIO COMO FERRAMENTA APRENDER COM A INFORMÁTICA PARA ALUNOS
    16. 16. Idéia a ser defendida: Usar o computador na educação de maneira inteligente... é... provocar mudanças na abordagem pedagógica ao invés de colaborar com o professor para tornar mais eficiente o processo de transmissão de conhecimento.
    17. 17. Instrucionismo Construtivismo ALUNO O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA...O COMPUTADOR COMO FERRAMENTA... ALUNO PARADIGMAS
    18. 18. Computador  Aluno • Abordagem instrucionista • O computador como a “máquina de ensinar”.
    19. 19. Quando o computador ensina o aluno... • Computador assume o papel de máquina de ensinar (versão computadorizada dos métodos tradicionais de ensino) • Software utilizados: – Tutoriais – Exercício-e-prática – Jogos
    20. 20. O Computador como “Instrutor”
    21. 21. O Computador como “Instrutor” http://www.edheads.org/activities/knee/
    22. 22. Tutorial
    23. 23. Tutorial informação
    24. 24. Tutorial informação informação
    25. 25. Tutorial informação informação pergunta
    26. 26. Tutorial informação informação pergunta resposta
    27. 27. No tutorial o computador : Passa a informação Verifica se a informação foi retida Controla o processo de ensino
    28. 28. O Computador como “Instrutor” • Software de Treinamento-e-Prática – Tipicamente utilizado na revisão do conteúdo abordado em sala de aula, principalmente material que envolve memorização e repetição. http://www.mat.ufrgs.br/~edumatec/software/softw.htm http://portalmatematico.com/progdownload.shtml http://www.matematica.pr.gov.br/modules/wfdownloads/viewcat.php?cid=
    29. 29. O Computador como “Instrutor”
    30. 30. O Computador como “Instrutor” • Software de Treinamento-e-Prática – Prós • Quantidade e diversidade de exercícios; • Possibilidade de coleta e processamento das respostas (por alguns). – Contras • Impossibilidade de detecção do porquê do acerto ou erro do aprendiz  
    31. 31. O Computador como “Instrutor” • Jogos Educacionais – Abordagem fundamentada na pedagogia da exploração auto-dirigida, ao invés da instrução explícita e direta. – Premissa • O aprendiz absorve melhor o conhecimento quando é livre para descobrir relações possíveis, ao invés de ser explicitamente conduzido a descobrí-las.
    32. 32. • Exemplo de Jogo Educacional O Computador como “Instrutor” http://www.npd.ufes.br/hanoi/default.htm
    33. 33. O Computador como “Instrutor” • Jogos Educacionais – Prós • Do ponto de vista do aprendiz, é o modo mais prazeroso de absorver o conhecimento. – Contras • Possibilidade de desvio da atenção do aprendiz do conceito envolvido no jogo, em face do caráter competitivo da estratégia; • Carência de diagnóstico das falhas do jogador  
    34. 34. Uso do computador no ensino : Fácil de ser implantado na escola Reproduz uma abordagem educacional superada Não explora as reais potencialidades do computador
    35. 35. Aluno  Computador • Abordagem construcionista • Uso do computador como ferramenta • A aprendizagem ocorre pelo fato de estar executando uma tarefa por intermédio do computador.
    36. 36. – Processadores de Texto – Planilhas Eletrônicas – Apresentações – Simuladores – Multimídia – Linguagens de Programação – Ferramentas de Internet O Computador como “Ferramenta”
    37. 37. • Software de Simulação – Oferece a possibilidade de formulação e teste de hipóteses, de análise de resultados e de refinamento de conceitos pelo aprendiz. SIMULADORESSIMULADORES
    38. 38. Exemplo de Software de Simulação http://www.gamershell.com/download_13301.shtml#North-America SIMULADORESSIMULADORES
    39. 39. Caderno de rascunho interativo. Este programa permite a simulação em Geometria Plana, para uso em Física e Matemática no Ensino Fundamental e Médio. Cabri II é um sistema gráfico para construções geométricas. Permite criar e explorar figuras geométricas de forma interativa através da construção de pontos, retas, triângulos, polígonos, círculos e outros objetos. www.cabri SIMULADORESSIMULADORES
    40. 40. SIMULADORESSIMULADORES •Winplot Software que permite que se construa gráficos a partir de funções elementares. Possibilita que se construa gráficos em duas e três dimensões e ainda que se trabalhe com operações de funções. (Freeware) http://math.exeter.edu/rparris
    41. 41. MultimídiaMultimídia DICIONÁRIO MULTIMÍDIA DE MATEMÁTICA do Prof. Baratojo Traz 1.500 verbetes que "decifram" a matemática. Cobre tópicos de álgebra, aritmética, conjuntos, geometria, lógica e trigonometria. Possui ferramenta de busca. http://www.logon.com.br/acervo.htm
    42. 42. • Linguagens de Programação (LP) – Ambiente de aprendizado baseado na resolução de problemas O Computador como “Ferramenta”
    43. 43. O Computador como “Ferramenta”
    44. 44. • Linguagens de Programação (LP) – Prós • Possibilidade de verificação das idéias e conceitos desenvolvidos pelo aprendiz; • Em situações de erro, possibilidade de análise do programa e verificação da origem do erro pelo aprendiz. Reflexão: Tanto a representação quanto a depuração da solução do problema implicam dificuldades quando abordadas do ponto de vista dos meios tradicionais de ensino. O Computador como “Ferramenta” 
    45. 45. Programação
    46. 46. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação Programação
    47. 47. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução Programação
    48. 48. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução reflexão (abstração empírica e pseudo-empírica ) Programação
    49. 49. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução reflexão (abstração empírica e pseudo-empírica ) abstração reflexionante Programação
    50. 50. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução reflexão (abstração empírica e pseudo-empírica ) abstração reflexionante depuração Programação
    51. 51. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução reflexão abstração reflexionante depuração conceito estratégi a Programação feedback Pensar sobre suas próprias idéias (Valente)
    52. 52. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução reflexão (abstração empírica e pseudo-empírica ) abstração reflexionante depuração conceito estratégi a agente de aprendizagem Programação
    53. 53. descrição da solução do problema por meio de uma linguagem de programação execução reflexão (abstração empírica e pseudo-empírica ) abstração reflexionante depuração conceito estratégi a agente de aprendizagem socia l Programação
    54. 54. Ferramentas de Internet Possibilitam que um grupo fisicamente afastado, desenvolva tarefas com objetivos comuns. Correio eletrônico Sites Netmeeting Blog educativo Webquest
    55. 55. NetMeeting - CooperandoPermite o compartilhamento de uma aplicação aberta ou arquivo com outros participantes em uma conferência de forma que eles possam ver a mesma informação em suas telas como você vê em sua própria tela.
    56. 56. Blog Registro publicado na Internet relativo a um assunto, organizado cronologicamente. O Computador como “Ferramenta”
    57. 57. Definição “Uma WebQuest é uma atividade orientada para a pesquisa em que alguma, ou toda a informação com que os alunos interagem provém de recursos na Internet, opcionalmente suplementados por videoconferência” (Bernie Dodge, 1995) WebQuestWebQuest
    58. 58. Qual seria a formação exigida nessa nova sociedade tecnológica? Como se insere a Educação Matemática nesse contexto?
    59. 59. A Matemática ensinada na Escola. PRONTA EXATA Memória fantástica Aluno receptor
    60. 60. Cada vez mais a matemática está presente nas diversas atividades da vida contemporânea daí a necessidade de se proporcionar aos jovens um conhecimento matemático capaz de inserí-los no mundo do trabalho como cidadãos conscientes.
    61. 61. Iniciativa, invenção, criatividade são características desejáveis num processo educativo. Mas essas características são esperadas como emergindo no educando. Na Educação Matemática a situação piora sensivelmente. Em lugar de ser vista como uma área de atribuição de significados ela é considerada como uma área pronta, de conhecimentos e de informação, a ser transmitida.
    62. 62. OBSTÁCULOS O ensino da matemática apresenta problemas que precisam ser resolvidos. Desde os anos 80 existem propostas que têm a intenção de resolver estes problemas mas é preciso mais que intenções e propostas para que o ensino da matemática melhore de qualidade e contribua para a construção de um conhecimento matemático reconhecido como necessário ao exercício da cidadania.

    ×