Domissanitarios toxicologia

4.359 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
124
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Domissanitarios toxicologia

  1. 1. SOLVENTES e DOMISSANITÁRIOS Profa.Carmen Ildes Rodrigues Fróes Asmus Carmenfroes@iesc.ufrj.br Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Estudos de Saúde Coletiva -IESC/UFRJ Universidade Federal do Rio de Janeiro Instituto de Estudos de Saúde Coletiva -IESC/UFRJ
  2. 2. DOMISSANITARIOS DEFINIÇÃO: A substância ou a preparação destinada a higienização ou desinfecção de ambientes coletivos ou públicos, em lugares de uso comum e no tratamento da água. TIPOS: • Sabões e detergentes • Desinfetantes • Agentes de limpeza • Inseticidas domésticos • Raticidas domésticos • Repelentes domésticos
  3. 3. DOMISSANITARIOS Acidentes tóxicos • Ocorrem mais em crianças, adolescentes mulheres e mulheres adultas; • São essencialmente urbanos; • Sinitox (2000):2ª causa mais frequente de intoxicação humana: 5.786 (8,9%)
  4. 4. DOMISSANITARIOS 1. Intoxicações por sabões e detergentes • SABÕES: sais de ácidos graxos – Em pedra (de limpeza doméstica) pode conter também sais alcalinos. Risco toxicológico baixo. • INGESTÃO: cólicas abdominais, vômitos e diarréia • Efeito irritante sobre pele e mucosas (alcalinidade)
  5. 5. DOMISSANITARIOS 1. Intoxicações por sabões e detergentes • DETERGENTE: produto destinado a remover gorduras e “sujeiras”, à higiene de recipientes e vasilhas e à aplicação de uso doméstico. – Geralmente produto baseado em SURFACTANTES: agente capaz de baixar a tensão superficial da água. Facilita as atividades de limpeza.
  6. 6. DOMISSANITARIOS 1. Intoxicações por sabões e detergentes • Surfactantes aniônicos (sulfonatos alquilbenzênicos de cadeia linear – LAS): – Toxicidade baixa. – Ações desengordurante e irritante da pele. – Ingestão: ação emetizante. • Surfactantes não iônicos (alquiletoxilados, sorbitan e polioxietileno): – Formulação de cosméticos, medicamentos e como aditivos alimentares; – Pouco tóxicos: irritantes de pele e mucosas
  7. 7. DOMISSANITARIOS 1. Intoxicações por sabões e detergentes • Surfactantes catiônicos (cloretos de benzalcônio): – Maior toxicidade – Desinfetantes ou germicidas – Soluções concentradas: • irritantes cutâneos primários • INGESTÃO: lesões da mucosa digestiva: sialorréia, disfagia, dor retroesternal, náuseas e vômitos.
  8. 8. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por DESINFETANTES DEFINIÇÃO: produtos que se destinam a destruir, microorganismos, quando aplicados em objetos inanimados ou em ambientes. USO DOMICILIAR: - agentes liberadores de Cloro; - compostos de amônia; - óleo de pinho; - compostos fenólicos - formaldeído.
  9. 9. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.1.Agentes liberadores de Cloro. • Formulações contendo até 5% de hipoclorito de sódio, cloreto de sódio e um agente alcalino (carbonato ou hidróxido de sódio). • Efeito lesivo: irritação ou corrosão da pele e mucosas. • Soluções ácidas + perigosas + cloro livre • Mistura com produtos com amônia: cloramina – irritante de mucosas.
  10. 10. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.1.Agentes liberadores de Cloro. • INGESTÃO de soluções de hipoclorito: dores na boca, esôfago e estômago, disfagia, sialorréia. • Confusão mental, hipotensão arterial, delírio, coma, choque. • Edema de glote. • Esofagite ulcerativa e estenose cicatricial de esôfago.
  11. 11. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.2.Compostos à base de amônia. • Água de amônia ou dióxido de amônia (líquidos) → gás amônia: IRRITANTES. • Pele: queimaduras ; dermatite de contato. • Inalação: irritação de vias aéreas superiores, pneumonite química, edema agudo de pulmão. • Ingestão: álcalis
  12. 12. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.3.Produtos à base óleo de pinho. • Mistura de hidrocarbonetos, álcoois e éteres terpênicos. • Concentrações de até 40% nos produtos de limpeza genérica e de até 80% nos desinfetantes. • Irritação da mucosa ocular, respiratória e/ou digestiva. • Ingestão: dores na boca, esôfago e estômago, disfagia, sialorréia e vômitos. • Irritabilidade, excitação, hiperreflexia. • Depressão do SNC e distúrbios respiratórios.
  13. 13. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.4.Compostos fenólicos. • Desinfetantes, germicidas, agrotóxicos, vermífugos, anestésicos e preservativos. • Fenol: substância sólida, esbranquiçada, aromática e solúvel em água. – Ex.: creolina e lisol
  14. 14. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.4.Compostos fenólicos: IRRITANTES. – Pele: lesões corrosivas anestesia. Absorção tão ou mais intensa que por via digestiva. – Ingestão: lesões cáusticas da boca, faringe, esôfago e estômago. Dor, náuseas, vômitos, hematêmese. Hipotensão arterial e choque. – Manifestações sistêmicas: • Hiperexcitabilidade inicial, cefaléia, paralisias, tremores, convulsões e coma. Distúrbios respiratórios e renais (urina escura) • GRAVES: depressão do SNC, distúrbios cardíacos e possível parada respiratória.
  15. 15. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por desinfetantes 2.5.Formaldeído. • Gás de odor pungente e irritante; • Formol: solução aquosa de formaldeído a 35% + metanol; • Irritação das VAS e ocular, cefaléia. • Reações alérgicas: asma e dermatites. • Pele: dermatite, irritação, descoloração, necrose. • Ingestão: vômitos sanguinolentos, dores abdominais, disfagia, diarréia, sialorréia. • Acidose metabólica (ácido fórmico). • Insuficiência renal aguda.
  16. 16. DOMISSANITARIOS PRODUTOS • Desentupidores • Higiene de piscinas • Limpadores de vasos sanitários • Polidores de móveis INGREDIENTES ATIVOS • Ácido sulfúrico • Hipoclorito de Cálcio ou de Sódio • Ácido sulfúrico, clorídrico, oxálico, bissulfato de sódio. • Ácidos fosfórico, oxálico, clorídrico, sulfúrico. 3. Intoxicações por AGENTES DE LIMPEZA. 3.1 Ácidos Tabela: Produtos de uso doméstico que apresentam concentrações elevadas de substâncias ácidas.
  17. 17. DOMISSANITARIOS 3. Intoxicações por agentes de limpeza. 3.1 Ácidos • Necrose de coagulação. • INGESTÃO: dor intensa com espasmo reflexo da glote ; vômitos com sangue e restos de mucosa (borra de café). • Lesões esofágicas moderadas; lesões gástricas distais. • Febre: mediastinite ou peritonite. • Estenose cicatricial do esôfago (dias a meses). • INALAÇÃO: irritação respiratória com tosse, dispnéia, hipersecreção brônquica e edema pulmonar. • Cefaléia, tontura, fraqueza e hipotensão arterial. • PELE: queimaduras
  18. 18. DOMISSANITARIOS PRODUTOS • Desentupidores • Detergentes de máquinas de lavar • Limpadores de fornos • Soluções de limpeza INGREDIENTES ATIVOS • Hidróxido de sódio ou de potássio • Tripolifosfato de Sódio, metassilicato de sódio, carbonato de sódio, silicato de sódio. • Hidróxido de Sódio. • Carbonatos, silicatos. 3. Intoxicações por AGENTES DE LIMPEZA. 3.2 Álcalis Tabela: Produtos de uso doméstico que apresentam concentrações elevadas de substâncias ácidas.
  19. 19. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por agentes de limpeza. 3.2 Álcalis • Necrose de liquefação: aprofundamento das lesões. • INGESTÃO: dor intensa com espasmo reflexo da glote ; pode não haver relação entre a dor referida e o local da lesão • Lesão química: pseudomembrana cinza. • Na boca: comprometimento esofágico • Edema e inflamação da boca, língua, faringe posterior e laringe diminuição do calibre das VA complicações pulmonares.
  20. 20. DOMISSANITARIOS 2. Intoxicações por agentes de limpeza. 3.2 Álcalis • Febre, dor retroesternal e abdominal: perfuração esofágica com mediastinite. • ESOFAGOSCOPIA: 48 horas • Seqüela: estenose cicatricial de esôfago. • INALAÇÃO: irritação respiratória com tosse, dispnéia, hipersecreção brônquica e edema pulmonar. • Cefaléia, tontura, fraqueza e hipotensão arterial. • PELE: queimaduras. Edema inicial com vesículas e posterior necrose de liquefação.
  21. 21. DOMISSANITARIOS 4. Intoxicações por INSETICIDAS DOMÉSTICOS. 4.1 Piretro e piretróides • Piretróides: compostos sintéticos desenvolvidos a partir da piretrina: aleprina, cipermetrina, deltametrina, resmetrina, bioresmetrina. • Reações alérgicas: dermatites de contato com eritema, vesículas ou bolhas. Secreção nasal sérica, obstrução nasal, espirros, broncoespasmo. • Reações anafiláticas graves. • Manifestações sistêmicas: hiperexcitabilidade, cefaléia, tontura, hiperreflexia, distúrbios do equilíbrio.
  22. 22. DOMISSANITARIOS 4.2 Intoxicações por RATICIDAS DOMÉSTICOS. - Raticidas de dose múltipla – anticoagulantes. - Raticidas de dose única – fluoroacetato de sódio. Anticoagulantes: derivados da cumarina - Ação tóxica: alteração dos mecanismos de coagulação sanguínea por interferência na síntese hepática da protrombina e dos fatores VII, IX e X. - Hemorragia nasal e gástrica, hematúria, enterorragia, petéquias, equimoses cutâneas.
  23. 23. DOMISSANITARIOS 4.2 Intoxicações por REPELENTES DOMÉSTICOS. • NAFTALINA (ou naftaleno): – INGESTÃO: • cólicas abdominais, náuseas, vômitos. • Alterações neurológicas: depressão do SNC, abalos musculares e convulsões. • Alterações sanguíneas: anemia hemolítica e/ou metemoglobinemia. • Insuficiência renal aguda.
  24. 24. SOLVENTES ORGÂNICOS • Grupo de substâncias químicas orgânicas, líquidas a temperatura ambiente, com diferentes graus de volatilidade e lipossolubilidade, usadas como solubilizantes, dispersantes ou diluentes. • Classificação: – Hidrocarbonetos alifáticos. – Hidrocarbonetos aromáticos. – Hidrocarbonetos halogenados. – Álcoois – Cetonas – Éteres
  25. 25. ASPECTOS GERAIS Hidrocarbonetos: são compostos orgânicos formados por moléculas de C e H. Embora constituam um grande grupo de substâncias com toxicidade semelhante, existem algumas que apresentam alguns efeitos específicos. »Derivados do petróleo (destilação); »Plantas (óleo de pinho e vegetal); »Gorduras animais; »Carvão, coqueria.
  26. 26. CLASSIFICAÇÃO DOS HIDROCARBONETOS • Alifáticos • Aromáticos: benzeno, tolueno, xileno, naftaleno • Halogenados • Cicloparafinas: cyclohexano
  27. 27. PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS • Volatilidade • Viscosidade • Inflamabilidade • Lipossolubilidade
  28. 28. EFEITOS TÓXICOS AGUDOS E CRÔNICOS • Depressão SNC • Irritante das mucosas gastrointestinal e respiratória • Cutâneo: eritema, dermatite, queimadura, acne. • Arritmias cardíacas (síndrome da morte súbita) • Dano hepático • Dano renal • Depressão da medula óssea: anemia, leucopenia, pancitopenia. • Câncer: leucemia
  29. 29. EFEITOS TÓXICOS CRÔNICOS • Diminuição do tamanho do cérebro – Córtex cerebral – Cerebelo – Tronco encefálico • Sintomas neurológicos e conduta – Encefalopatia, demência, alterações motoras e cognição, memória, labilidade emocional e depressão. • Polineuropatia periférica e pares cranianos (atrofia do n. ótico, anosmia e surdez)
  30. 30. PESSOAS EXPOSTAS 1. História clínica atual e pregressa, incluindo a investigação do uso de medicamentos mielotóxicos e os respectivos períodos de uso, revisão de todos os sistemas, antecedentes familiares e exame físico completo; 2. História ocupacional atual e pregressa, com informação sobre as empresas, setores, funções e respectivos períodos de trabalho; 3. Levantamento dos dados hematológicos do trabalhador, inclusive anteriores à admissão na empresa;
  31. 31. PESSOAS EXPOSTAS 4. Exames laboratoriais de rotina: • Hemograma completo com análise qualitativa e quantitativa das três séries sangüíneas e contagem de reticulócitos. Na ausência da série história, realizar três hemogramas com intervalo de trinta dias; 5. Exames laboratoriais de rotina: • Ferro sérico e ferritina; • Provas de função hepática: TGO, TGP, gamaGT e bilirrubinas • Provas de atividade reumática ou inflamatória: VHS, ASLO, Látex, Proteína C reativa.
  32. 32. PESSOAS EXPOSTAS 6. As investigações sobre o SNC, avaliação de queixas neuropsicológicas, efeitos ototóxicos e as alterações citogenéticas deverão ser realizadas sempre que possível; 7. A BMO sempre que indicado clinicamente

×