Reboco Caído # 7

1.628 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Reboco Caído # 7

  1. 1. Reboco Caído a p e r ió d ic o # 7 - z in eContatos com o zine Reboco Caído:www.rebococaido.blogspot.com - fsb1975@yahoo.com.br - CX POSTAL: 100050, Niterói, RJ, Brasil,CEP 24020-971 Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7 Avaliação CrescendoPor: Cecília Fidelli. Por: Fabio da Silva Barbosa Tenho um parafuso a menos, ????????????????????? tenho a língua solta. ????????????????????? Não me acabo em silêncio, ????????????????????? calada. ????????????????????? Minha proposta é o desabafo, a franqueza. !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mas enfim, !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! há quem não goste de ouvir. !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Uso demais os adjetivos, !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! e costumo ter o cuidado de não ligar ????????????????? para o que os outros pensam. ????????????????? Descrevo exatamente, ????????????????? o que reflete em meu íntimo ????????????????? o meu espelho. ????????????????? Meu coração ????????????????? é a minha referência. Minha ligação com as palavras, não é acusar, Doce nem defender. Por: Kaio Bruno Dias São episódios, meus marcos, Ser tão doce meus pontos de vista. quanto o açúcar Se não acrescento, pelo menos, que empretece os dentes não camuflo o que penso. e mata de diabetes.
  2. 2. Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7 ..........,,,,,..........unidade emancipada Por: Murilo Pereira Dias .imunidade antecipada .humanidade dissipada ....cogniçãoo sumo queimando ignição.....a seiva consumida ......oxigênio no escuro ..........da terra absorvida manifestação.....cores sem sentido impulsão....nomenclaturas estranhas pulsão....formas e padrões coração.....portas e prisões pulmão......empregados e patrões sangue... dor ...solidão...sempre há solução alegria... nostalgiamistura de ilusão imensidão....verdade e criação abismo iluminadodestruição dia ensolarado. diversão..... um segundo...um minuto.... aqui agoratempo daqui há uma hora.... uma semana ...um ano.... quem sabe quando???.espaço desocupado quando...................... Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7 Subindo no telhado VERMES NO SOVACOPor: A Wild Garden Por: Diego El KhouriLá do alto da sua pretensa superioridade Enquanto ao cárcere do mundo me limitoatira pedras, dita regras em ser apenas um poeta cheio de víciose dali manipula muitos me transfiguro, me humilho vendoque se afundam em insultos sujar minha face as sete chagas de Cristo.dissemina a segregaçãoe pensa que é mandão Uma agonia traiçoeira dessas que invadem a almamas acima de ti há fios brotam no meu peito. Na bronha faleço.que são os que ditam teus atos Sei que nada vejo a não ser as chagasvocê é uma marionete que corroem minha alma, me xingam, me matam.que é util por tempo limitadoe de lá desta altura No mato solitário, no breu e sem cachorrologo está sendo jogado. choro atrozmente como uma criança chora. Dinheiro, emprego, família, tudo tenho AGORA MENOS DO QUE NUNCAPor: Ivan Silva só a paz que não vejo faz tempo. Numa necessidade filosófica passo horas a fiocri dormindo em ventres desnutridos.cri BOM DE BRIGAcri Por: Wagner T.cri...não se confunda com o meu silêncio. Certa vez, comprei uma briga. EM OUTUBRO O REBOCO CAÍDO Depois a revendi baratinho, baratinho. NÚMERO 8 - COLETÂNEA ESPECIAL 1 ANO DE REBOCO - AGUARDEM A fila dos interessados virava quarteirão.
  3. 3. Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7 Eu Ser Humano, Eu Mulher, O Sem Caráter Eu Lésbica! Por: Fabio da Silva BarbosaPor: Anna Alchuffi Baba ovo, lambe botas, puxa sacoSou o que aparento, mas também não sou apenas Sempre bajulando seu algozaparência - Terrível velhacoSou uma mulher, mas também posso ser o que EU quiser Dizíamos a uma só vozSe eu quiser você e você me querer! Logo foi promovidoHora sou triste, hora sou alegre Tornou-se um desprezível fiscalHora careta, Não tolerava atraso ou conflitoHora LIBERTINA... Não podíamos passar malBuscando o libidoBuscando para a vida um sentindo Tinha orgulho de ser odiadoCom ou sem um Cristo. Achava que não fazia parte dos trabalhadores Todos preferiam ver o diaboAmores sem fim que trago em mim, que esbarrar com este maldito pelos corredoresNomes, rostos e caprichos que aceiteiAlma, o que eu tanto doei! Um dia o patrão ficou enjoado Despediu o dedo duroAmores que vem e vão Havia achado um novo brinquedoAmores com pimenta, Não precisava mais do cu de burroCom café,Chocolates, cerejas e um pouco de canção O fiscal ficou sozinho Sem amigos para conversarMulheres que muito amei Avaliou todo seu empenhoQue muito difamei e odiei Percebeu que estivera a se enganarMas que sempre amarei Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7Aquilo não era apenas fazer seu trabalho O GATINHOIa além de uma mera tarefaEsqueceu quem era e de onde veio Por: Fabio da Silva BarbosaAcreditou na mentira cega Depois de trinta anos de convivência, a esposa entra no Porque o sonho banheiro para escovar os dentes enquanto o marido toma virou pesadelo banho e diz: - Você ainda é um gatinho.Por: Fabio da Silva Barbosa O marido abre a cortina do box e põe a cabeça para fora: Quem menos trabalha - Verdade? Você ainda me acha bonito? mais direitos tem A mulher, com ar desanimado: Quem mais trabalha - Não. Mas você ainda faz o cocô mais fedido que já vi. é tratado como refém Mensagem do Coletivo Zine Quem inventa arma O COLETIVO ZINE É UMA AÇÃO CONJUNTA é agraciado COM PROPOSTA DE REUNIR ZINEIROS E PRODU- Quem faz cultura ZIR UM TRABALHO COLETIVO. CADA PARTICI- é ignorado PANTE CONTRIBUI DA FORMA QUE PUDER. SEJA NA CRIAÇÃO, MONTAGEM, EDIÇÃO, ADMINIS- Quem aceita TRAÇÃO, DIVULGAÇÃO, DISTRIBUIÇÃO... O IM- é massacrado PORTANTE É SOMAR ESFORÇOS E MULTIPLICAR Quem vai a luta A DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DE CADA AUTOR. é criminalizado NA PIOR DAS HIPÓTESES, TEREMOS UMA BOA DESCULPA PARA INSANAS FESTAS DE CON- Mas têm estórias FRATERNIZAÇÃO E LANÇAMENTO DE ZINES. que contam pra dormir ENTÃO, MÃOS À OBRA. Se estiver despreparado MISTURE-SE. pode até cair www.coletivozine.blogspot.com/
  4. 4. Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7 Na Terra dos Pseudos. AcasoPor: Fabio da Silva Barbosa Por: Alexandre MendesBem vindo a Pseudolândia – A Terra dos Pseudos. Hoje iremosacompanhar o desenvolvimento de um típico cidadão Pseudo. Não estava mais sentindo o chicote estalando emPegaremos o caso de Formildo. Formildo é fruto de uma típica suas costas. Já faziam dois dias que estava amarrado na-família da Pseudolândia. Seus pais não suportavam atitudes racis- quela posição.tas ou classistas, mas sempre ensinaram a Formildo que deveria A dormência, provocada pelo cansaço, substituiu ase misturar com quem tivesse mais dinheiro que ele e casar com sua dor.moça direita, mais branca que ele, para ir clareando a família. - Cinquenta e quatro, cinquenta e cinco, cinq... -Formildo chegou a adolescência e virou um verdadeiro militan- Contava em voz alta, o seu senhor.te por um mundo melhor. Dedicava horas do seu dia na constru-ção de blogs e na escrita de textos revolucionários. Tinha Twitter, - Chiuaf! Chiuaf! - Silvava a vara nas costas doFaceboock, E-mail e MSN. Depois de militar incansavelmente cativo.pelo mundo virtual, ele vai lanchar em alguma multinacional, - Ocê num se meti a besta, nunca mais! - Dizia ocomer comida que não alimenta, ganhar um brinde idiota e, para carrasco, enquanto transpirava de cansaço.desgastar, vai ao shopping comprar algo supérfluo, mas que es- - Setenta e um, setenta e dois, set...teja na moda. Por se dedicar ao protesto no mundo virtual, nun- Lembrou-se da Gâmbia, sua terra natal. Como deve-ca comparece a manifestações ou a eventos do mundo real. riam estar seus pais? Como estariam todos em sua tribo?Aprendeu que a política partidária é a melhor forma de lutar por - Oitenta e três, oitenta e quatro, oit... - Seu senhorum mundo ideal e mergulhou de cabeça. Para financiar sua cam- contava, enquanto montava no cavalo.panha, fez acordo com empresários, latifundiários e todos quetivessem boas intenções o suficiente para ajudá-lo em sua cami- - Mama, mimi...nina... nyuma!nhada. Viveu com fartura, fez churrasco, favoreceu a uma meia Mama,...mimi...nina...nyuma! - Arquejou o jovem escra-dúzia que o ajudou com votos de várias pessoas que nunca vi- vo.ram as promessas se realizarem. Chegou a presidência, se apo- Abriu os olhos e viu novamente sua tribo, formadasentou sem nunca ter produzido nada de concreto, ficou velho e por todos aqueles que se foram devido a ganância e a ig-satisfeito. Morreu, construíram uma estátua e fizeram discurso. norância do homem branco.Sem dúvida era um exemplo do que é ser um homem de bem. Foi, então, que o seu senhor bateu as esporas noNos próximos capítulos de “Na Terra dos Pseudos”: vegetaria- cavalo e sumiu no horizonte, vivendo o resto de sua vidanos carnívoros, pacifistas da indústria bélica, socialistas autori- feliz para sempre.tários, capitalistas bem intencionados e artistas alienados (mili-tantes da cultura do emburrecimento) Reboco Caído - # 7 Reboco Caído - # 7 Acaso (versão paralela) Pela madrugada Por: Fabio da Silva Barbosa Por: Fabio da Silva Barbosa Não estava mais sentindo o cassetete quebrando Andando pela madrugada, sentia as sombras inundaremsuas costelas. O spray de pimenta o cegou e estava cada seu corpo. Caminhava com tranquilidade, sem se impor-vez mais difícil respirar. A dormência, provocada pelo tar com as esquinas que passavam. A tristeza não lhe tra-cansaço, substituiu a sua dor. zia sofrimento, pois tinham uma amizade antiga, daquelas - Esses baderneiros... Filhos da puta... - Comenta- em que podemos confiar. Pelo meio da rua, caminhavava o capital completamente a vontade. A garoa fina massageava seu Os instrumentos eram utilizados sem o menor cons- crânio. Nada mais importava. A bota pisava no asfaltotrangimento. O som seco e surdo produzido era assusta- molhado, deixando a água entrar pelo furo da sola. Osdor. olhos apreciavam os prédios escuros, as marquises abri- - BADERNEIRO... FILHO DA PUTA... - Berrava gando quem não tem outro lugar para ir, pontos de ônibuso agressor enquanto descia o braço. com passageiros atentos para não perder o próximo trans- Lembrou-se de sua família, do porque resolveu se porte (será que o próximo existe?)... Mas o que ele maisenvolver naquela manifestação. Será que conseguiriam gostava de ver era a rua deserta. Apenas a escuridão, ele eimpedir a desocupação? Para onde iriam todos de sua co- os pingos caindo do céu. Esses trechos de pura solidão omunidade? alimentava como se fossem vitaminas. Continuou, passo a - Esses baderneiros... Filhos da puta... - O capital passo, se aproximando do destino (será?). Não havia pre-cantarolava, enquanto olhava o noticiário da tv. ocupação, apenas um caminhar tranqüilo e soturno para - Por favor... Não... Por favor... Sou trabalhador... - sabe lá onde.Arquejou o jovem espancado. Abriu os olhos e viu nova- Vazio consciente.mente sua comunidade, formada por todos aqueles que se Por: Cecília Fidelli Que falta de ar !foram devido a ganância e a ignorância do capital. Foi, Uma lágrima Aliar poesia com emoção,então, que o senhor capital desligou a tv e encheu um copo toca o rosto não é um jogo.de whisky, vivendo feliz para sempre. e se desprende do coração É um passar mal excessivo,Obscene Extreme Fest é o nome do maior festival do mundo sem dar a menor satisfação. que pode atingir níveisvoltado para o som de peso (República Tcheca) e vale a pena dar Quando dou por mim... críticos.Névoas secas naum confere no www.youtube.com/user/ObsceneExtremeFest índices baixíssimos de inspirações. solidão.

×