O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Reboco caído 30

1.368 visualizações

Publicada em

Mais um número do zine Reboco Caído - versão impressa e digital

Publicada em: Arte e fotografia
  • Seja o primeiro a comentar

Reboco caído 30

  1. 1. R E B O C O C A Í D O n30 Contatos Reboco Caído: fsb1975@yahoo.com.br www.rebococaido.tumblr.com www.twitter.com/RebocoCaido www.rebococaidozine.blogspot. com.br www.fabiodasilvabarbosa.tumblr.com www.facebook.com/RebocoCaido Caixa postal: 21819 Porto Alegre, RS cep.: 90050-970 quatro e meia da manhã Por Charles Bukowski (Tradução: Jorge Wanderley) os barulhos do mundo com passarinhos vermelhos, são quatro e meia da manhã, são sempre quatro e meia da manhã, e eu escuto meus amigos: os lixeiros e os ladrões e gatos sonhando com minhocas, e minhocas sonhando os ossos do meu amor, e eu não posso dormir e logo vai amanhecer, os trabalhadores vão se levantar e eles vão procurar por mim no estaleiro e dirão: “ele tá bêbado de novo”, mas eu estarei adormecido, finalmente, no meio das garrafas e da luz do sol, toda a escuridão acabada, os braços abertos como uma cruz, os passarinhos vermelhos voando, voando, rosas se abrindo no fumo e como algo esfaqueado e cicatrizando, um sorriso bem na minha cara de idiota. com o 40 páginas de um rom ance ruim ,
  2. 2. Por Rojefferson Moraes Havíamos participado de um desses encontros de empreendedorismo social. O bate papo acabou se estendendo. Ela me ofereceu carona. Quando chega- mos na frente da minha casa ela não segurou, lugar perigoso esse, você precisa se mudar daqui. Conhe- ço todos os ladrões e boqueiros, foram meus amigos de infância. Tanto faz, esse povo não respeita nin- guém. Que povo? Eu moro aqui. Desculpe, não quis lhe ofender… Tentei não ser ingrato por conta da carona. É sério, você tem que sair daqui, essas pesso- as vão acabar te matando. Que pessoas? Eu sou da- qui… Ela arrancou , e saiu com o carro em zigueza- gue. No dia seguinte postou frases e fotos humanitá- rias, cheias de vontade de mudar o mundo. DelirioBlack bolado Tombei com cada amigo que vi tombar na favela Recolhi Com cada corpo de amigo recolhido como um pedaço de lixo na favela Chorei Com cada mãe que chorou o tombento de um filho querido criado e caído em um beco esquecido na favela Velei Sonhos, saudades, amizades e a esperança de cada menino pai filho mãe de amigo irmão bandido desabrigado da vida no dia que a morte em forma de caveira vestida com sua capa preta veio buscar a alma da favela e jogar embaixo de 7 palmos de terra numa cova rasa do parque jardim da saudade morada eterna de todos covardemente assassinados em nossa querida fraterna sofrida acolhedora tênue Acari. REBOCO CAÍDO - 30 - ZINE APERIÓDICO Caveiras Por Fabio da Silva Barbosa uma caveira garimpando vida não tem mais olhos, ódio, amor ou coração faz parte dessa ciranda macabra não recohece mais o irmão são duas caveiras procurando sentimentos perdendo muito por muito pouco quanto mais perto mais distantes não conseguem dar as mãos são três caveiras despossuídas passando fome ou comendo bois algumas em estado de putrefação outra já nem apodrecem mais são muitas caveiras perdidas nesse labirinto flutuando a esmo sem perceber sem conseguir ou entender são vencidas ao vencer Abrigar-me no zero absoluto Por Samuel da Costa Vou dormir Para não acordar nunca mais Descansar De todas as amarguras cotidianas E tristezas que a vida trás Repousar no vazio sideral No nada No zero absoluto Quero ser esquecido por todos! Vou desaparecer Para todo o sempre Para não ser lembrado… Por mais ninguém Nunca mais Desligar-me da realidade Pós-moderna “Minha inquietude já me fez perder tantas coisas... mas a quietude me faz incompleta, me faz pela metade, em pedaços... e tudo que é raso não me basta.” Nua Estrela

×