O Globo: Uma redação multimídia

619 visualizações

Publicada em

A Redação do jornal O Globo mudou. Veja como e por que as mudanças foram feitas e qual é o impacto disso no jornal que você recebe todos os dias. Uma apresentação de Ascanio Seleme, diretor de Redação de O Globo, durante o Congresso Brasileiro de Jornais, em agosto de 2014.

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
619
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Globo: Uma redação multimídia

  1. 1. uma redação multimídia
  2. 2. O que buscamos 1. Mais qualidade e quantidade nas plataformas digitais 2. Nacionalizar a web 3. Revitalizar o impresso 4. Diversificar a presença digital
  3. 3. Como buscamos
  4. 4. 1. Edição contínua Editar já não é mais colocar a informação em uma página, é um processo contínuo que se inicia com a seleção dos assuntos e se traduz em diferentes intervenções durante o dia. O fluxo de trabalho, a organização, o comando da redação, a dinâmica de reuniões e as rotinas se adaptaram à lógica digital e submeteram-se ao ritmo de desenvolvimento do ciclo das notícias. A redação deixou de focar prioritariamente o produto impresso e passou a se dedicar à edição contínua de informação para diferentes plataformas.
  5. 5. Ciclo da notícia como ponto de partida Consolida-se edição impressa Consolida-se um pacote na web Agrega-se multimídia Primeiras reações e repercussões Flash vira matéria Acontecimento Envío de un Flash Generación de la noticia Extensión de la noticia Consolidar la edición impresa Agregar valor: multimedia Agregar valor: análisis Agregar las reacciones (de actores y medios sociales) Consolidar la edición Web » REPERCUSIÓN As notícias são publicadas nas várias plataformas ao mesmo tempo que vão sendo enriquecidas, em um ciclo que combina decisões editoriais e a repercussão nas redes sociais. Envio de um flash Amplia-se a notícia Agrega-se análise FATO REPERCUSSÃO
  6. 6. 2. Prioridade digital A prioridade digital prevalece como lógica de trabalho. A informação é enriquecida ao longo do dia, acrescentando reações e avaliando sua repercussão para gerar, no final do processo, uma visão consolidada da notícia. O fluxo de trabalho, a organização, o comando da redação, a dinâmica de reuniões e as rotinas se adaptaram à lógica digital e submeteram-se ao ritmo de desenvolvimento do ciclo das notícias.
  7. 7. SITE centro do sistema A partir dele se controla e se dirige a produção e a edição de todos os conteúdos
  8. 8. 3. Além da integração Todos os postos de comando da redação são igualmente responsáveis tanto pelos produtos impressos como pelos digitais. Portanto, todas as áreas produzem e editam conteúdos para todas as plataformas. É dever dos editores fornecer o conteúdo adequado em todos os formatos conforme a plataforma de publicação para a qual se destinam.
  9. 9. Uma nova estrutura
  10. 10. Mesa central integrada Relação mais integrada com o comando da home do site. Estruturas especializadas que apoiam a produção. DIREÇÃO DIREÇÃO MESA DE COMANDO 4 EDITORES EXECUTIVOS EDITORES EXECUTIVOS EDITORES DA HOME EDITORES HOME EDITORIAS SUPERVISÃO DO IMPRESSO PRODUÇÃO DIGITAL Equipes da home e de mídias sociais INTERFACES Layout, infográficos e banco de dados AUDIOVISUAL Fotografia e vídeos DESENHO DE PRODUTO TECNOLOGIA DE PRODUTO
  11. 11. Novos horários
  12. 12. enfoque digital às 8h apostas para o impresso 12h definição da primeira página 16h Editor executivo e editores Editores executivos e editores Editores executivos e editores adjuntos Reuniões de editores
  13. 13. Novidades
  14. 14. Sociedade *Àœ`ÕVÌ "œLœ *ÕL
  15. 15. Ìi Ó·äLJÓä£{ œ˜i Vˆœ˜ `ˆÌˆœ˜ £ *}i * Ú 1ÃiÀ ȓœ˜ /ˆ“i äLJÓӇÓä£{ Ó£Ó{ œœÀ 9 Ƥß ħ L )@LL YƠ„ŴƑ„ĕçÏėŴ„ ƝƖ ŞƄ ŞƝdžŌù 4ĩ~ā®›F›® s0HD0 HDd] Bi.] ȼ 0ĦÞÈęĉƠÈš ŁƒŚƒ šÈġŁŚÈ FÏĸėĸ„Ż Ïı ƠĸėŕÏŻ çłŴ²„À„Ż Żšł Ƅdždž ıėħĐŕÏŻ ĸł ıƠĸÀłƂ ıƠƑėħ„²šł üÏĸėƑ„ħ „ƑėĸüÏ ŌƖdž ıėħĐŕÏŻ tZLG1Yi t1)iZ1ƈ)dd{ 1F)^ łŴ ŻÏı çėıŞ iı„ ĢłƴÏı „çÏüš ÀÏ ƝƝ „ĸłŻ ėĸƑÏŴĸ„À„ ĸƠı ĐłŻŖėƑ„ħ ŖŻėŨƠė…ƑŴė¬ł „ŖŃŻ ŰƠı ÀłħłŴłŻł ¬„Ż„ıÏĸƑł çłŴ²„Àłű½ ĸ„Ż Ŗ„ħ„ƴŴ„Ż ÀłŻ ıÐÀė¬łŻ» „Ż ı„ėŻ Ŗł›ŴÏŻ Żšł Ɲ½ô ƴÏǂÏŻ ı„ėŻ ŻƠĢÏėƑ„Ż  ŖŴ…Ƒė¬„ D] d0DHH À„ĸÀ„Ŵ„ŞƑėĸł¬ł˜łüħł›łŞ¬łıŞ›Ŵ ĕZ1L @LGZ^ĕ BƒţDz éĀ ǹɥɥ ŽţŴŗƺĀDz éĀ ŽȲŝ ŴŗĀǪĀDz ǛȲĀ ɑţɑĀŽ ŗƘŰĀ ƆƘ ƼŴƒƆĀȓƒ ģƘǪƒŽ Ƙ¥ǪţŅƒéƒDz ƒ DzĀ ǃDzƒǪ Ɔƒ ţƆģˆƆÇţƒ ƘȲ Ɔƒ ƒéƘŴĀDzÇąƆÇţƒǎ H ƆȴŽĀǪƘ ƒDzDzƘŽ¥ǪƘDzƘ ģƘţ éţɑȲŴŅƒéƘ ƘƆȓĀŽ ƼĀŴƘ *ȲƆéƘ éƒDz DƒÌƺĀDz iƆţéƒDz ƼƒǪƒ ƒ 0ƆģˆƆÇţƒ ƿiƆţÇĀģDžá éȲǪƒƆȓĀ ƒ ,ţǪŴ `ȲŽŽţȓ ƿȴƼȲŴƒ éƒ BĀƆţƆƒá ĀŽ ȓǪƒŝ éȲÌ£Ƙ ŴţɑǪĀDžá ȲŽƒ ÇƘƆģĀǪąƆÇţƒ DzƘ¥ǪĀ Žƒŝ ȓǪţŽƝƆţƘDz ģƘǪ̃éƘDz Ā ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙ ŅĀƆţȓƒŴ ǤǪĀŴţŅţƘDzƒǥ ǛȲĀ DzĀ ǪĀƒŴţɡƒ ĀŽ ƘƆéǪĀDzǎ H ÇƘƆȓţƆŅĀƆȓĀ éƒDz ǛȲĀ DzĀ ɑţǪƒŽ ĀŽ ȲƆţƺĀDz DzĀŽ ĀDzÇƘŴŗƒ ĀǛȲţɑƒŴĀŽ ƒ ǛȲƒDzĀ ǛȲƒȓǪƘ ɑĀŝ ɡĀDz ƒ ƼƘƼȲŴƒÌ£Ƙ ȓƘȓƒŴ éƘ ǪƒDzţŴ ƘȲ ƒ ƼƘȲÇƘ ŽĀƆƘDz éĀ ȓƘéƒ ƒ ƼƘƼȲŴƒÌ£Ƙ éƒ ȲǪƘƼƒǎ ƒDz ɑŦȓţŽƒDz éƒ ƒ¥ŴƒÌ£Ƙ ÇŴţȓƘǪţƒƆƒá ȲŽƒ ƼǪ†ŝ ȓţǃ ÇƘŽȲŽ ĀŽ ƼƒŦDzĀDz ŽȲÌȲŴŽƒƆƘDz éƒ ģǪţǃ `Ȳ¥DzƒƒǪţƒƆƒ Ā ĀŽ ƒŴŅȲƆDz éƘ HǪţĀƆȓĀ BăéţƘá DzƘŽƒŽ ƨȘɥ ŽţŴŗƺĀDz ƒƼĀƆƒDz ĀŽ ȧƉ éĀŴĀDzá ƘƆéĀ ƘDz éƒéƘDz Dz£Ƙ ŽƒţDz ÇƘƆģţ†ɑĀţDzǎ Z1GL iG1L GiG1 XiG1W^ Ž ƼƒŦDzĀDz ĀȲǪƘƼĀȲDz ÇƘŽƘ 0ƆŅŴƒȓĀǪǪƒá *ǪƒƆ̃ Ā DzƼƒƆŗƒá ÇƘŽ ģƘǪȓĀ ƼǪĀDzĀƆ̃ éĀ ţŽţŅǪƒƆȓĀDz ƼǪƘɑĀƆţĀƆȓĀDz éĀ ƆƒÌƺĀDz ƘƆéĀ ƒ ƼǪ†ȓţǃ ă ÇƘŽȲŽá ŴĀţDz ƼƒǪƒ ÇƘţ¥ţŝŴƒ ɑąŽ DzĀƆéƘ ƒƼǪƘɑƒéƒDz ƆƘDz ȴŴȓţŽƘDz ƒƆƘDzǎ HƆŝ ȓĀŽá Ƙ ]ĀţƆƘ iƆţéƘ ƒƆȲƆÇţƘȲ ǛȲĀ ƼȲƆţǪ† ƘDz ƼƒţDz ǛȲĀ ƼĀǪŽţȓţǪĀŽ ƒ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙá ŽĀDzŝ ŽƘ ǛȲĀ ģĀţȓƒ ƆƘDz ĀDzȓƒéƘDz éĀ ƘǪţŅĀŽǎ ǤDz ŽĀƆţƆƒDz Ɔ£Ƙ Dz£Ƙ ƼǪƘƼǪţĀéƒéĀ éĀ ƆţƆŅȲăŽá ȓąŽ éţǪĀţȓƘ éĀ ĀDzÇƘŴŗĀǪ DzĀȲ éĀDzŝ ȓţƆƘǎ [ȲƒƆéƘ ţDzDzƘ ă ģĀţȓƘá ȓƘéƘDz Dz£Ƙ ¥ĀƆĀģţŝ ÇţƒéƘDzǥá éĀÇŴƒǪƘȲ Ƙ éţǪĀȓƘǪ ŅĀǪƒŴ éƒ iƆţÇĀģá ƆȓŗƘƆɗ ƒŲĀá ĀŽ ȲŽ ÇƘŽȲƆţǃéƘǎ YƒǪƒ *ǪƒƆÇĀDzǃ BƘƆĀȓţá ÇƘƆDzĀŴŗĀţǪƒ éĀ ƼǪƘȓĀÌ£Ƙ ţƆģƒƆȓţŴ éƘ iƆţÇĀģá ƒDz ƼǪ†ȓţǃDz Dz£Ƙ ÇƘƆDzĀǛȲąƆÇţƒ éƘ ƼƒƼĀŴ ţŽƼƘDzȓƘ ƼĀŴƒ DzƘÇţĀéƒéĀ ‘Dz ŽȲŴŗĀǪĀDzǎ ĕ DzDzţŽ ÇƘŽƘ Ƙ ǃDzƒŽĀƆȓƘ ţƆģƒƆȓţŴá ƒ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙ ŅĀƆţȓƒŴ ă ȲŽ ǪĀģŴĀɕƘ éƘ DzȓƒȓȲDz ţƆģĀǪţƘǪ éƒDz ŽĀƆţƆƒDz Ɔƒ DzƘÇţĀéƒéĀ Ā éƒ DzȲƒ ģƒŴȓƒ éĀ ɑƘɡ ƆƒDz éĀÇţDzƺĀDz ǛȲĀ ƒģĀȓƒŽ DzȲƒDz ɑţéƒDz ţƆȓĀţǪƒDz ĕ ƒģţǪŽƘȲ ƒƘ ,HHǎ `ĀŅȲƆéƘ Ƙ iƆţÇĀģá éƘ ȓƘȓƒŴ éĀ ŽȲŴŗĀǪĀDz ɑŦȓţŽƒDz éĀ ǃDzƒŽĀƆȓƘDz ģƘǪ̃éƘDzá ȧĭɥ Žţŝ
  16. 16. ' $3%' -
  17. 17. $3#-. ,3 .
  18. 18. .
  19. 19. -
  20. 20. $ '$ $%'. (
  21. 21. %'.+ #$ ..'
  22. 22. ' %4$-' $3#-. .3$0
  23. 23. . $30 #
  24. 24. ' % 0
  25. 25. #+
  26. 26. ) -%03
  27. 27. # $3#-. '! %0- 25
  28. 28. %'. ,3 .
  29. 29. .
  30. 30. -
  31. 31. $
  32. 32. %0. (
  33. 33. %'.*
  34. 34. ' ! $ %$ $ ) -%03
  35. 35. # $3#-. %0- (
  36. 36. %'. ,3 '-
  37. 37. $ .3$0
  38. 38. .
  39. 39. #
  40. 40. ' # 0'-
  41. 41. %
  42. 42. *
  43. 43. !
  44. 44. '$ #
  45. 45. 3 % ! '30 0'
  46. 46. # ŴŗƺĀDz ȓţƆŗƒŽ ŽĀƆƘDz éĀ ƨĭ ƒƆƘDzǎ ƆȓǪĀ ƘDz éĀɡ ƼƒŦDzĀDz ÇƘŽ ŽƒţƘǪĀDz ȓƒɕƒDzá DzĀȓĀ ĀDzȓ£Ƙ Ɔƒ ģǪţǃǎ DţŅăǪţƒ ĀDzȓ† ƆƘ ȓƘƼƘ éƘ ǪƒƆŲţƆŅÜ ǹǹnj éƒDz ŽȲŴŗĀǪĀDz éĀ ȧɥ ƒ ļƉ ƒƆƘDz DzĀ ǃDzƒǪƒŽ ƒƆȓĀDz éƘDz ƨČ ƼƘǪ Ŵ†ǎ :† ƒ 2Ɔéţƒ ǪĀDzƼƘƆéĀ ƼƘǪ ȲŽ ȓĀǪÌƘ éƒDz ǹɥɥ ŽţŴŗƺĀDz éĀ ŽĀƆţƆƒDz ģƘǪ̃éƒDzǎ Dz ŽƒţDz ƼƘ¥ǪĀDz Dz£Ƙ ŽƒţDz ɑȲŴƆĀǪ†ɑĀţDzÜ ƆƘ ŽȲƆéƘá ŽȲŴŗĀǪĀDz éĀ ŽĀƆƘǪ ǪĀƆéƒ Dz£Ƙ ȧáĭ ɑĀɡĀDz ŽƒţDz ƼǪƘƼĀƆDzƒDz ‘Dz ȲƆţƺĀDz ģƘǪ̃éƒDz Ɔƒ ţƆģˆƆÇţƒǎ `ĀŅȲƆéƘ ƒ ƒŅąƆÇţƒ éƒ HDiá Ƙ ŦƆéţÇĀ éĀ ŽȲŴŗĀǪĀDz ɑŦȓţŽƒDz éƘ ƼǪƘ¥ŴĀŽƒá ƒţƆéƒ ǛȲĀ ƒŴƒǪŽƒƆȓĀá ɑĀŽ ǃţƆéƘ ŴĀƆȓƒŽĀƆȓĀǎ ƼǪƘƼƘǪÌ£Ƙ éĀ ŽȲŴŗĀǪĀDz ǃDzƒéƒDz ƒƆȓĀDz éƘDz
  47. 47. --
  48. 48. '
  49. 49. 3' - 0-
  50. 50. $
  51. 51. 3- %
  52. 52. .' ƨĭ ƒƆƘDz ƆƘ ŽȲƆéƘ ǃţȲ éĀ ƨȧnjá ƆƘ ţƆŦÇţƘ éƘDz ƒƆƘDz ƨƉČɥá ƼƒǪƒ Čnjá ŗƘŰĀǎ `Ā ƒDz ȲƆţƺĀDz ģƘǪ̃éƒDz Dz£Ƙ ȲŽƒ ƼǪ†ȓţǃ ǛȲĀ ƒȓţƆŅĀ ŽȲŴŗĀǪĀDz ĀŽ éţɑĀǪDzƘDz ƼƒŦDzĀDz ƼƘ¥ǪĀDzá ƒ ƒ¥ŴƒÌ£Ƙ ƿĀɕÇţDz£ƘDž ÇŴţȓƘǪţƒƆƒ ĕ ĀDzƼăÇţĀ éĀ ŽƒǪǃ̣Ƙ éƒ ŽƒȓȲǪţéƒéĀ DzĀɕȲŝ ƒŴ ǛȲĀá DzĀŅȲƆéƘ ƒ ȓǪƒéţÌ£Ƙá ɑţDzƒ ƒ ĀŴţŽţƆƒǪ Ƙ ƼǪƒɡĀǪ éƒ ŽȲŴŗĀǪ Āá ƒDzDzţŽá ȓƘǪƆ†ŝŴƒ ǤƼȲŝ Ǫƒǥ ĕ ă ȲŽ ģĀƆƝŽĀƆƘ ÇƘƆÇĀƆȓǪƒéƘ DzƘ¥ǪĀŝ ȓȲéƘ Ɔƒ ģǪţǃǎ Dƒ `ƘŽ†Ŵţƒá ǛȲƒDzĀ ȓƘéƒDz ƒDz ŽȲŴŗĀǪĀDz éĀ ƨĭ ƒ ļƉ ƒƆƘDz ģƘǪƒŽ DzȲ¥ŽĀȓţŝ éƒDz ‘ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙǎ Ā ƒÇƘǪéƘ ÇƘŽ éƘÇȲŝ ŽĀƆȓƘ éƒ iƆţÇĀģá Ƙ ǪţDzÇƘ éĀ ȲŽƒ ŰƘɑĀŽ DzĀǪ DzȲ¥ŽĀȓţéƒ ƒƘ ƼǪƘÇĀéţŽĀƆȓƘ éţŽţƆȲţȲ ȲŽ ȓĀǪÌƘ ĀŽ Șɥ ƒƆƘDzǎ BƒDzá ÇƘŽ Ƙ ƒȲŽĀƆȓƘ éƒ ƼƘƼȲŴƒÌ£Ƙá Ƙ ȓƘȓƒŴ éĀ ɑŦȓţŽƒDz ÇƘƆȓţƆȲƒ ƒŴŝ ȓƘǎ Ǥ`Ā Ɔ£Ƙ ŗƘȲɑĀǪ ǪĀéȲÌ£Ƙ Ɔƒ ƼǪ†ȓţǃ ĀƆŝ ȓǪĀ ŗƘŰĀ Ā ȧɥĭɥá Ƙ ƆȴŽĀǪƘ éĀ ŽĀƆţƆƒDz ŽȲŝ ȓţŴƒéƒDz ƒ Çƒéƒ ƒƆƘ ɑƒţ ÇǪĀDzÇĀǪ éĀ ȘáȂ Žţŝ ŴŗƺĀDzá ĀŽ ȧɥƨȘá ƼƒǪƒ ȂáȂ ŽţŴŗƺĀDzá ĀŽ ȧɥĭɥǎ `Ā ƒ ȓƒɕƒ éĀ ƼǪƘŅǪĀDzDzƘDz ƒŴǃƆÌƒéƒ ƆƘDz ȴŴȓţŝ ŽƘDz Șɥ ƒƆƘDz ģƘǪ ŽƒƆȓţéƒá Ƙ ƆȴŽĀǪƘ éĀ ŽĀƆţƆƒDz ƒģĀȓƒéƒDz ƒƆȲƒŴŽĀƆȓĀ ƼƒDzDzƒǪ† éĀ ȘáȂ ŽţŴŗƺĀDz ƼƒǪƒ ļáƨ ŽţŴŗƺĀDzǥá éţɡ Ƙ ȓĀɕȓƘǎ H éƘÇȲŽĀƆȓƘ ÇŗƒŽƒ ƒȓĀƆÌ£Ƙ ƼƒǪƒ ƘDz ǪţDzÇƘDz éĀ ţƆģĀÇÌƺĀDzá ţƆÇŴȲţƆéƘ ƼĀŴƘ .0sá ĀƆɑƘŴɑţŝ éƘDz Ɔƒ ƼǪ†ȓţǃǎ t3d1F t1d @L LidZ FG1G Ƽ†ŅţƆƒ éƒ ÇƘƆģĀǪąƆÇţƒ ǪĀȴƆĀ éĀƼƘţŝ ŽĀƆȓƘDz éĀ ɑŦȓţŽƒDzǎ ǤBĀȲ Ƽƒţ éţDzDzĀ ǛȲĀ ĀȲ ȓţƆŗƒ éĀ ŽĀ ǃDzƒǪ ƼƘǪǛȲĀ ă ţDzDzƘ ǛȲĀ ƒ ŽȲŝ ŴŗĀǪ ģƒɡ éĀƼƘţDz éĀ DzĀǪ ŽȲȓţŴƒéƒǥá éţɡ ǪţDzȓţŝ Ɔƒá éĀ ƨļ ƒƆƘDzá éƒ dƒƆɡˆƆţƒǎ .† ȓƒŽ¥ăŽ éĀƼƘţŽĀƆȓƘDz ǛȲĀ ȓǪƒɡĀŽ ĀDzƼĀǪƒƆ̃á ÇƘŝ ŽƘ Ƙ éĀ BĀƒɡƒá ĀȓŦƘƼĀ éĀ ƨļ ƒƆƘDzÜ ǤDƒ Žţŝ Ɔŗƒ ƒŴéĀţƒá ȲŽƒ ŅƒǪƘȓƒ ŽƒţDz ŰƘɑĀŽ ǛȲĀ ĀȲ Ɔ£Ƙ ģƘţ ŽȲȓţŴƒéƒ ƼƘǪǛȲĀ ĀȲ éţDzÇȲȓţ Ƙ ƒDzŝ DzȲƆȓƘ ÇƘŽ ƘDz ƼƒţDz éĀŴƒǎ Ȳ ŴŗĀDz éţDzDzĀ Ƙ ǛȲƒƆȓƘ ƒ ƘƼĀǪƒÌ£Ƙ ŽĀ ŽƒÇŗȲÇƘȲá ÇƘŽƘ ŽĀ ȓǪƒȲŽƒȓţɡƘȲ Ā ŽĀ ģĀɡ Ɔ£Ƙ ÇƘƆģţƒǪ ƆƘDz ŽĀȲDz ƼǪƛƼǪţƘDz ƼƒţDzǎ ŴĀDz éĀÇţéţǪƒŽ ǛȲĀ Ɔ£Ƙ ǛȲĀǪĀŽ ǛȲĀ ţDzDzƘ ƒÇƘƆȓĀ̃ ÇƘŽ DzȲƒ ģţŝ Ŵŗƒǥǎ BĀƒɡƒ ģƘţ ŽȲȓţŴƒéƒ ƒƘDz ƨɥ ƒƆƘDzǎ H ,ţǪŴ `ȲŽŽţȓ ĀDzȓ† DzĀƆéƘ ƘǪŅƒƆţɡƒéƘ ĀŽ ƼƒǪÇĀǪţƒ ÇƘŽ Ƙ ŅƘɑĀǪƆƘ ¥ǪţȓˆƆţÇƘá ǛȲĀ ƒƆȲƆÇţƘȲ ǛȲĀ ƼǪƘÇĀDzDzƒǪ† ƼƒţDz ǛȲĀ Ɔ£Ƙ ĀɑţȓƒǪĀŽ ƒ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙ éƒDz DzȲƒDz ģţŴŗƒDzǎ H ƼǪţŝ ŽĀţǪƘŝŽţƆţDzȓǪƘ éƘ ]ĀţƆƘ iƆţéƘá ƒɑţé ƒŽĀǪƘƆá ƼƒǪȓţÇţƼƘȲ éƘ ĀɑĀƆȓƘǎ ĕ dƘéƒDz ƒDz ŽĀƆţƆƒDz ȓąŽ Ƙ éţǪĀţȓƘ éĀ ɑţŝ ɑĀǪ ŴţɑǪĀDz éĀ ǛȲƒŴǛȲĀǪ ɑţƘŴąƆÇţƒ Ā ÇƘĀǪÌ£Ƙá DzĀŽ DzĀǪĀŽ ģƘǪ̃éƒDz ƒƘ ǃDzƒŽĀƆȓƘ ƘȲ ƒƘDz ĀģĀţȓƘDz ģŦDzţÇƘDz Ā ƼDzţÇƘŴƛŅţÇƘDz ɑţȓƒŴŦÇţƘDz éĀ ȲŽƒ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙ ŅĀƆţȓƒŴ ĕƒģţǪŽƘȲǎ DzȓţŽƒŝDzĀ ǛȲĀ ŗƒŰƒ ƨǹɥ ŽţŴ ɑŦȓţŽƒDz éĀ ƒ¥ŴƒÌƺĀDz ŅĀƆţȓƒţDz Ɔƒ ,Ǫ£ŝǪĀȓƒƆŗƒǎ DƘ ŽąDz ƼƒDzDzƒéƘá ĀƆȓǪƘȲ ĀŽ ɑţŅƘǪ ƼƘǪ Ŵ† ȲŽƒ ŴĀţ ǛȲĀ ȓƘǪƆƒ Ƙ ǃDzƒŽĀƆȓƘ ģƘǪ̃éƘ ÇǪţŽĀǎ ƼȲƆţÌ£Ƙ ƼƒǪƒ ƘDz ƼƒţDz ǛȲĀ ƒDz Ƙ¥ǪţŅƒǪĀŽ ƼƘéĀ ÇŗĀŅƒǪ ƒ DzĀȓĀ ƒƆƘDz éĀ ƼǪţDz£Ƙǎ ņ ĩĒ Fè±ę~āFŴ āęƓ®ŮęF~āĩęFāŴŌ † ĩŮńĩ F ~ĩŮńĩ (ZG^ FLGd1 ŖKš ĦƀġÈŚĮš ªÈŚŲƒġÈĦŲÈ š˜Į ġƒĉĮŚÈšŗ X„Ŵ„ ¬łĸŻÏħĐÏėŴ„ Àł iĸė¬Ïç½ L¬ėÀÏĸƑÏ ŖłÀÏ „ĢƠÀ„Ŵ „ Ïħėıėĸ„Ŵ „Ż ŖŴ…Ƒė¬„Ż † H ǛȲĀ ƼƘéĀ DzĀǪ ģĀţȓƘ ƼƒǪƒ ŽȲéƒǪ Ƙ ƆȴŽĀǪƘ éĀ ŽĀƆţƆƒDz DzĀƆéƘ ģƘǪŝ ̃éƒDz ƒ DzĀ ǃDzƒǪǝ ƼǪĀÇţDzƘ ƒÇĀŴĀǪƒǪ ƒDz ƒÌƺĀDz éƘDz ŅƘɑĀǪƆƘDz ŰȲƆȓƘ ‘ DzƘÇţĀéƒéĀ ÇţɑţŴ ƼƒǪƒ ƒȲŝ ŽĀƆȓƒǪ DzĀǪɑţÌƘDz ĀDzDzĀƆÇţƒţDzá ĀDzƼĀÇţƒŴŽĀƆȓĀ ƒ ĀéȲǃ̣Ƙá ƒDzDzţŽ ÇƘŽƘ ƒDzDzĀŅȲǪƒǪ ƒ Ŵţŝ éĀǪƒƆ̃ Ā Ƙ ƒƼƘţƘ ƼƒǪƒ ƒDz ÇƘŽȲƆţéƒéĀDz Ɔƒ ÇǪţƒÌ£Ƙ éĀ ƆƘɑƒDz ƆƘǪŽƒDz DzƘÇţƒţDz ǛȲĀ ɑƒŴƘǪţɡĀŽ ƘDz ǃDzƒŽĀƆȓƘDz ĀƆɑƘŴɑĀƆéƘ ŽȲŴŗĀǪĀDz ŽƒţDz ɑĀŴŗƒDzǎ † ƘŽƘ ƘDz ƼƒŦDzĀDz ƘÇţŝ éĀƆȓƒţDz ƼƘéĀŽ ĀƆģǪĀƆŝ ȓƒǪ ĀDzDzĀ ƼǪƘ¥ŴĀŽƒǝ YǪĀÇţDzƒŽ ƒƼƘţƒǪ ƒÌƺĀDz ƼƒǪƒ ĀŴţŽţƆƒǪ ƒDz ƼǪ†ȓţǃDz ƆƘDz ƼƒŦDzĀDz ƘƆéĀ ĀŴƒDz Dz£Ƙ ŽƒţDz ÇƘŽȲƆDzá ŽƒDz ȓƒŽŝ ¥ăŽ ÇƘţ¥ţǪ ƘDz ǃDzƘDz ǛȲĀá ‘Dz ɑĀɡĀDzá ƘÇƘǪǪĀŽ ĀŽ DzĀȲDz ƼǪƛƼǪţƘDz ȓĀǪǪţȓƛǪţƘDzǎ † ĀŽ ǪĀŴƒÌ£Ƙ ‘Dz ɑŦȓţŽƒDz éĀ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙ ģĀŽţƆţƆƒǝ ƼĀƆƒDz ȧƉ ƼƒŦDzĀDz éƒ ģǪţŝ ǃ Ā éƘ HǪţĀƆȓĀ BăéţƘ ȓąŽ éƒéƘDz ƆƒÇţƘƆƒţDz ÇƘƆģţ†ɑĀţDzǎ BƒDz ƒ ƼǪ†ȓţǃ ȓƒŽ¥ăŽ ĀɕţDzŝ ȓĀ ĀŽ ƘȲȓǪƘDz ƼƒŦDzĀDzá ÇƘŽƘ 0ƆéƘƆăDzţƒ Ā BƒŴ†Dzţƒá ƒDzDzţŽ ÇƘŽƘ ĀŽ ƼƒŦDzĀDz ÇƘŽƘ Ƙ ]ĀţƆƘ iƆţéƘá ƘȲȓǪƘDz ƼƒŦDzĀDz éƒ ȲǪƘƼƒ Ā ƘDz ƼƒŦDzĀDz ƆƘǪŝ ȓĀŝƒŽĀǪţǃƆƘDz ǛȲĀ ƒ¥Ǫţŝ ŅƒŽ ÇƘŽȲƆţéƒéĀDz éƒDz Ɔƒŝ ÌƺĀDz ƘƆéĀ DzĀ ƼǪƒȓţǃ ƒ ŽȲŝ ȓţŴƒÌ£Ƙǎ Ɔȓ£Ƙá ƘDz ƆȴŽĀǪƘDz Dz£Ƙ ÇĀǪȓƒŽĀƆȓĀ ŽƒţƘǪĀDzǎ † ƘŽƘ ŽȲéƒǪ ţDzDzƘǝ DzDzţŽ ÇƘŽƘ Ƙ ǃDzƒŽĀƆŝ ȓƘ ţƆģƒƆȓţŴá ƒ ŽȲȓţŴƒÌ£Ƙ ŅĀŝ ƆţȓƒŴ ă ȲŽ ǪĀģŴĀɕƘ éƘ DzȓƒȓȲDz ţƆģĀǪţƘǪ éƒDz ŽĀƆţƆƒDz Ɔƒ DzƘŝ ÇţĀéƒéĀ Ā éƒ DzȲƒ ģƒŴȓƒ éĀ ɑƘɡ ƆƒDz éĀÇţDzƺĀDz ǛȲĀ ƒģĀŝ ȓƒŽ DzȲƒ ɑţéƒ ţƆȓĀţǪƒǎ BȲéƒǪ ţDzDzƘ ǪĀǛȲĀǪ ƒ ÇǪţƒÌ£Ƙ éĀ ƆƘŝ ɑƒDz ƆƘǪŽƒDzá ƆƒDz ǛȲƒţDz ÇƘŝ ŽȲƆţéƒéĀDzá éţDzȓǪţȓƘDzá ǪĀŅţŝ ƺĀDzá ƼƒŦDzĀDz Ā ÇƘƆȓţƆĀƆȓĀDz ÇƘƆÇƘǪéĀŽ ǛȲĀ ƒDz ŽĀƆţŝ ƆƒDz éĀɑĀŽ ĀDzȓƒǪ ŴţɑǪĀDz éĀ éƒƆƘDz Ā ȓĀǪ ƒ ƘƼƘǪȓȲƆţéƒéĀ éĀ ÇƘƆȓǪţ¥ȲţǪ ƼŴĀƆƒŽĀƆȓĀ ƼƒǪƒ DzȲƒDz ÇƘŽȲƆţéƒéĀDzǎ ņ
  53. 53. Fę›FŮF 6āęĩ~ĩŌ † hġ »Įš ġƒĉĮŚÈš ĂĮšŁĉŲƒĉš »Į h ĉĦ»ÈĦĉƠƒŚ„ ƓċŲĉġƒš »È ƒ™ſšĮ šÈƙſƒę !pf’¬ f¬ ¬¦× ¬»š’¦× |o÷ ’¡B†o¦× “¦á’¡B× fo »B’o¦áo×Ú fo¦ê¦’Bf¬c o›o ×o ×꒒f¬ê ĕ@d1FLZ ŘiŚ Z1L ĕ iŽ éƘDz ÇĀƆŝ ȓǪƘDz ŽăéţÇƘDz ŽƒţDz ÇƘƆÇĀţȓȲƒŝ éƘDz éƘ ƼŴƒƆĀȓƒá Ƙ ŗƘDzƼţȓƒŴ :ƘŗƆDz .ƘƼŲţƆDz ȓĀǪ† ǛȲĀ ƼƒŅƒǪ i`ó ƨƉɥ ŽţŴŗƺĀDz ƒ ƼƒÇţĀƆȓĀDz DzĀÇǪĀȓƒŝ ŽĀƆȓĀ ģţŴŽƒéƒDz ƼƘǪ ȲŽ ŅţƆĀÇƘŝ ŴƘŅţDzȓƒǎ Ž ģĀɑĀǪĀţǪƘ éĀDzȓĀ ƒƆƘá ȲŽƒ ÇƘŴĀŅƒ éĀ ȓǪƒ¥ƒŴŗƘ éĀDzÇƘŝ ¥ǪţȲ ǛȲĀ Ƙ ŽăéţÇƘ DţŲţȓƒ Āɑɗá éĀ ĭļ ƒƆƘDzá ȲDzƒɑƒ ȲŽƒ LjŽĀǪƒ éţDzģƒǪÌƒéƒ éĀ ǃƆĀȓƒ ƆƘ ƼĀDzÇƘŝ ÌƘ ƼƒǪƒ ģƒɡĀǪ ƒDz ģţŴŽƒŅĀƆDzǎ iŽƒ ţƆɑĀDzȓţŅƒÌ£Ƙ ǪĀɑĀŴƘȲ ŽƒţDz éĀ ƨǎȧɥɥ ɑŦéĀƘDz Ā ƨļɥ ţŽƒŝ ŅĀƆDz ƆƘ ÇƘŽƼȲȓƒéƘǪ éĀ DzȲƒ ǃŝ Dzƒǎ ţƒƆȓĀ éƒ éĀƆȴƆÇţƒá Ƙ Žăéţŝ ÇƘá ǛȲĀ ȓǪƒ¥ƒŴŗƒɑƒ ŗƒɑţƒ ȧĭ ƒƆƘDz Ɔƒ ţƆDzȓţȓȲţÌ£Ƙá ģƘţ éĀDzƼĀéţŝ éƘ Ā DzĀ DzȲţÇţéƘȲǎ Ž ģȲƆÌ£Ƙ éƒ ŽƘǪȓĀá ƆĀƆŗȲŽƒ ƒÇȲDzƒÌ£Ƙ ÇǪţŝ ŽţƆƒŴ ɑĀţƘ ‘ ȓƘƆƒá ŽƒDz ƒŅƘǪƒ Ƙ ƒÇƘǪéƘ ƼǪĀŴţŽţƆƒǪ éĀ i`ó ƨƉɥ ŽţŴŗƺĀDz ģƘţ ģţɕƒéƘ Ā ۆ ă ȲŽƒ éƒDz ŽƒţƘǪĀDz ţƆéĀƆţɡƒÌƺĀDz ƆƘDz i ƼƒǪƒ ǃDzƘDz éƘ ŅąƆĀǪƘǎ `ĀŅȲƆéƘ ƒéɑƘŅƒéƘDzá ƒDz ƒÌƺĀDz éĀ Āɑɗ ȓţɑĀǪƒŽ ţŽƼƒÇȓƘ ĀŽ Žţŝ ŴŗƒǪĀDz éĀ ŽȲŴŗĀǪĀDzá ƼƒǪƒ ƒŴ㎠éƒDz ǛȲĀ ƒƼƒǪĀÇĀǪƒŽ ƆƒDz ţŽƒŝ ŅĀƆDzǎ ŴĀ ģƘţ ƒÇȲDzƒéƘ éĀ ɑţƘŴƒǪ ƼǪƘȓƘÇƘŴƘDz ƒƘ éĀȓĀǪŽţƆƒǪ ǛȲĀ ƒÇƘŽƼƒƆŗƒƆȓĀDz éƒDz ƼƒÇţĀƆȓĀDz ģţǃDzDzĀŽ ģƘǪƒ éƒ DzƒŴƒ éĀ ĀɕƒŽĀDzǎ YƒǪƒ ƒ ŅţƆĀÇƘŴƘŅţDzȓƒ DţŴÇĀƒ DĀéĀǪ ƒǪéƘDzƘá éƒ ƘŽţDzDz£Ƙ éĀ ĀģĀDzƒ YǪƘģţDzDzţƘƆƒŴ éƒ Dzŝ DzƘÇţƒÌ£Ƙ éĀ ,ţƆĀÇƘŴƘŅţƒ Ā H¥DzȓĀȓǪŦÇţƒ éƘ ]ţƘ éĀ :ƒƆĀţǪƘ ƿ`,H]:Džá ƒ ģƘǪŽƒ ÇƘŽƘ Ƙ ǃDzƘ ɑĀŽ DzĀƆéƘ ÇƘƆéȲɡţéƘ ă ȲŽ ĀɕĀŽƼŴƘ ƒ DzĀǪ DzĀŅȲţéƘÜ ĕ Dz ţƆDzȓţȓȲţÌƺĀDz ȓąŽ ǛȲĀ ƒǪŝ ǃǪ ÇƘŽ ƘDz ƆƘŽĀDz éĀ DzĀȲDz ƼǪƘŝ ģţDzDzţƘƆƒţDzǎ Ž ȓƘéƘ ŗƘDzƼţȓƒŴ ŗ† ȲŽ ÇƘǪƼƘ ÇŴŦƆţÇƘ ǛȲĀ ƒÇƘŽƼƒŝ Ɔŗƒ ƘDz ȓǪƒ¥ƒŴŗƘDzǎ DzDzĀDz ƼǪƘģţDzŝ DzţƘƆƒţDz éĀɑĀŽ ȓĀǪ ÇƘƆȓǪƘŴĀ DzƘŝ ¥ǪĀ Ƙ ƒȓĀƆéţŽĀƆȓƘǎ D£Ƙ ƼƘŝ éĀŽ DzƘŽĀƆȓĀ ĀDzƼĀǪƒǪ ǛȲĀ ǪĀŴƒŝ ȓƘDz ÇŗĀŅȲĀŽ ƒȓă ĀŴĀDzǎ DƘ ǪƒDzţŴá ȲŽ éƘDz ǃDzƘDz ŽƒţDz ĀŽ¥ŴĀŽ†ȓţÇƘDz éĀ ƒ¥ȲDzƘ ƼƘǪ ŽăéţÇƘDz ă Ƙ éƘ ĀDzƼĀÇţƒŴţDzȓƒ ĀŽ ǪĀƼǪƘéȲÌ£Ƙ ƒDzDzţDzȓţéƒ ]ƘŅĀǪ ¥éĀŴŽƒDzDzţŗá ÇƘƆéĀƆƒéƘ ƒ ȧǹČ ƒƆƘDz éĀ ƼǪţDz£Ƙ ƼƘǪ ĀDzȓȲŝ ƼǪƒǪ ƘȲ ȓĀƆȓƒǪ ĀDzȓȲƼǪƒǪ ƼĀŴƘ ŽĀƆƘDz ȘƉ ƼƒÇţĀƆȓĀDzǎ ŴĀ ÇŗĀŝ ŅƘȲ ƒ DzĀǪ ƼǪĀDzƘ ĀŽ ȧɥɥƉá ŽƒDz ƒȓȲƒŴŽĀƆȓĀ ĀDzȓ† ģƘǪƒŅţéƘǎ HȲȓǪƘ ǃDzƘá ŽƒţDz ǪĀÇĀƆȓĀá ĀƆɑƘŴɑĀȲ ȲŽ ŽăéţÇƘ éƘ ƼǪƘŝ ŅǪƒŽƒ BƒţDz BăéţÇƘDzá ƒģƒDzȓƒŝ éƘ éƘ ȓǪƒ¥ƒŴŗƘá ĀŽ ȲɡţˆƆţƒ ƿ,HDž éĀƼƘţDz ǛȲĀ ŅĀDzȓƒƆȓĀDz Ƙ éĀƆȲƆÇţƒǪƒŽ ƼƘǪ ƒ¥ȲDzƘ DzĀɕȲŝ ƒŴ éȲǪƒƆȓĀ ĀɕƒŽĀDz ƼǪăŝƆƒȓƒţDzǎ H ǃDzƘ ɑĀţƘ ‘ ȓƘƆƒ ĀŽ ŽƒţƘ ƼƒDzDzƒéƘǎ YƒǪƒ ƒ ƼǪƘģĀDzDzƘǪƒ éƒ i*]: ȲéŽţŴƒ *ƘƆȓĀƆĀŴĀá ƼĀDzǛȲţDzƒŝ éƘǪƒ éĀ ɑţƘŴąƆÇţƒ DzĀɕȲƒŴ ÇƘƆȓǪƒ ƒ ŽȲŴŗĀǪá Ƙ ƆȴŽĀǪƘ éĀ ƒ¥ȲDzƘDz ÇƘŽƘ ĀDzDzĀDz Ǥă ŽƒţƘǪ éƘ ǛȲĀ DzĀ ţŽƒŅţƆƒǥǎ 0DzDzƘ ƼƘǪǛȲĀ ƒ ǛȲĀDzŝ ȓ£Ƙ ƒţƆéƒ ĀDz¥ƒǪǪƒ Ɔƒ ɑĀǪŅƘƆŗƒ éƒDz ɑŦȓţŽƒDz Ɔƒ ŗƘǪƒ éĀ éĀƆȲƆŝ ÇţƒǪǎ Ŵ㎠éţDzDzƘá Ɔ£Ƙ Dz£Ƙ ƼƘȲŝ ǃDz ƒDz ţƆDzȓţȓȲţÌƺĀDz ǛȲĀ DzĀ ĀDzģƘǪŝ ̃Ž ƼƒǪƒ ĀƆÇƘ¥ǪţǪ ƘDz ģƒȓƘDzǎ ĕ DĀƆŗȲŽƒ ţƆDzȓţȓȲţÌ£Ƙ ĀDzȓ† ŴţɑǪĀ éĀDzDzĀ ÇǪţŽĀǎ YǪ†ȓţǃDz éĀ ɑţŝ ƘŴąƆÇţƒ DzĀɕȲƒŴ ƘÇƘǪǪĀŽ ĀŽ éţģĀŝ ǪĀƆȓĀDz ÇƘƆȓĀɕȓƘDz Ā ƒģĀȓƒŽ ȓƘéƒDz ƒDz ÇŴƒDzDzĀDz DzƘÇţƒţDz Ā ƘǪţŅĀƆDz ĕ ƒŴĀǪȓƒǎ ĕ d£Ƙ ţŽƼƘǪȓƒƆȓĀ ǛȲƒƆŝ ȓƘ ƼȲƆţǪ ă ţŽƼĀéţǪ ǛȲĀ ţDzDzƘ ƒÇƘƆȓĀÌƒá ƒȓǪƒɑăDz éĀ ÇƘƆȓǪƘŴĀDz ŽƒţDz DzĀɑĀǪƘDz Ā éƒ ǪĀDzƼƘƆDzƒ¥ţŴţŝ ɡƒÌ£Ƙ éƒDz ţƆDzȓţȓȲţÌƺĀDz ŽăéţǃDzǎ ņ›ƯFٛĩ FęāęāŌ † *Àœ`ÕVÌ œLœ *ÕL
  54. 54. Ìi äLJän‡Óä£{ œ˜i Vˆœ˜ `ˆÌˆœ˜ £ *}i * Ú 1ÃiÀ ȓœ˜ /ˆ“i än‡äȇÓä£{ Ó£ÎÓ œœÀ 9 YƠėĸƑ„ĕçÏėŴ„ Ƅ Ş× ŞƝdžŌù ħ 4ĩ~ā®›F›® ħ L )@LL ħ Ƥě Ŵĩ~ā®›F›®[ĩèċĩ^ĩŕ~ĩĒŕ^Ů ! 5 0% XſÈ ƒ ŁƒƠ È ƒ ĔſšŲĉ°ƒ šÈ ™ÈĉĔÈġÛ tėÀ„Ż ėĸł¬ÏĸƑÏŻ ŻÏ ŖÏŴÀÏı ŖłŴ ¬łĸƑ„ ÀÏ ŖłħęƑė¬„Ż ėĸĢƠŻƑ„Ż Ƒ„ĸƑł ĸ„ ÏŻŨƠėĸ„ ŨƠ„ĸƑł Ïı üƠÏŴŴ„Ż ħłĸüęĸŨƠ„Ż Ɔ£Ƙ ƼƘéĀŽƘDz éĀDzƼǪĀɡƒǪǎ ȲŽƒ éƒDz DzĀƆȓĀƆ̃Dz ŽƒţDz ¥ĀŴƒDz Ā ɑĀŽ éƘ `ƒŴŽƘ ČĭÜ Ǥ ŰȲDzȓţ̃ Ā ƒ Ƽƒɡ DzĀ ¥ĀţۃŽǥǎ H ƼƘĀȓƒ ģƒɡ ȲŽƒ ƒģţǪŽƒÌ£Ƙ DzţŅƆţģţǃȓţɑƒÜ ŰȲDzȓţ̃ Ā Ƽƒɡ Dz£Ƙ ȲƆţéƒDz ƼƘǪ ȲŽ ŴƒÌƘǎ `ƛ ŗ† ŰȲDzȓţ̃ ǛȲƒƆéƘ ŗ† Ƽƒɡ Ā ɑţÇĀŝɑĀǪDzƒǎ Ƙ ÇƘƆȓǪ†ǪţƘá DzĀ ɑţɑĀ ȲŽƒ ģƒŴDzƒ Ƽƒɡ Ā ŰȲDzȓţ̃ǎ ]ĀƒɑţɑƒƆéƘ ĀDzȓƒ ƒģţǪŽƒÌ£Ƙ éĀ ģă ĀDzȓ† Ƙ ȓǪƒ¥ƒŴŗƘ éƘ ƘƆDzĀŴŗƘ BȲƆéţƒŴ éĀ 0ŅǪĀۃDz ƿB0Džá ƒDzDzƘÇţƒÌ£Ƙ éĀ Șĭɥ ţŅǪĀۃDz ÇǪţDzȓ£Dzá ĀɑƒƆŅăŴţǃDz Ā ƘǪȓƘéƘɕƒDzá ȓĀƆéƘ ƒ 0ŅǪĀۃ ƒȓƛŴţǃ ]ƘŽƒƆƒ ÇƘŽƘ Ƙ¥DzĀǪɑƒéƘǪƒǎ ǪţƒéƘ ĀŽ ƨƉļČá * B 0B,D` .ǎ YƒŴƒɑǪƒ ǛȲĀ ĀÇƘƒ éĀ ģƒŴƒDzá ȓĀɕȓƘDzá ƼƘĀŝ ŽƒDzá ǃƆÌƺĀDzá ĀDzƼĀÇţƒŴŽĀƆȓĀ ƆƘ ȴŴȓţŽƘ ŽąDzá ǛȲƒƆéƘ ȓĀǪǪŦɑĀţDz ţŽƒŅĀƆDz éƒ ŅȲĀǪǪƒ Ɔƒ YƒŴĀDzȓţƆƒ ƼƒDzDzƒǪƒŽ ƒ ģƒɡĀǪ ƼƒǪȓĀ éƘ ƆƘDzDzƘ ÇƘȓţéţƒŝ ƆƘǎ H ÇŴƒŽƘǪ ƼƘǪ Y Ɔ£Ƙ 㠃ƼĀƆƒDz ǪĀŴƒÇţƘƆƒéƘ ƒ ĀDzȓƒ Ā ƒ ƘȲȓǪƒDz ŅȲĀǪǪƒDz ĀŽ ÇȲǪDzƘ ŗƘŰĀǎ ŴĀ ĀDzȓ† ƼǪĀŝ DzĀƆȓĀ ƆƒDz ǤŅȲĀǪǪƒDzǥ ɑţɑţéƒDz ƆƒDz ŅǪƒƆéĀDz ÇţéƒéĀDz ¥ǪƒDzţŴĀţǪƒDzá ǛȲĀ ĀƆɑƘŴɑĀŽ ţƆģǪƒȓƘǪĀDz éĀ ȓƘéƒ ƘǪéĀŽá ƒ ƼƘŴŦÇţƒ Ā DzȲƒDz ƒÌƺĀDz ɑţƘŴĀƆȓƒDz Ā ŅĀƆȓĀ ɑţȓţŽƒéƒ ƼƘǪ ƒŽ¥ƘDzǎ H ÇŴƒŽƘǪ ƼƘǪ Ƽƒɡ ĀDzȓ† ȓƒŽ¥ăŽ ƆƘ ǃŽƼƘ éĀDzDzĀ ŅǪƒƆéĀ ǪƒDzţŴá ƆƒDz éţDzƼȲȓƒDz ƼƘǪ ȓĀǪǪƒá ĀƆȓǪĀ ǛȲĀŽ ȓǪƒ¥ƒŴŗƒ ƆĀŴƒ ƼƒǪƒ ɑţɑĀǪ Ā ŅǪƒƆéĀDz ƼǪƘƼǪţĀȓ†ŝ ǪţƘDz Ā DzĀȲDz ƼţDzȓƘŴĀţǪƘDzǎ Yƒɡǎǎǎ ă ŅǪƒƆéĀ Ƙ ÇŴƒŽƘǪ ĀŽ ȓĀǪǪƒDz ŴƘƆŅŦƆǛȲƒDz Ā Ɔƒ ƼǪƛɕţŽƒ ĀDzǛȲţƆƒǎ Ŧ¥Ŵţƒ ÇǪţDzȓ£á ÇȲŰƘDz ȓĀɕȓƘDz ģƘŝ ǪƒŽ ǪĀéţŅţéƘDz ƆĀDzDzƒ ŽĀDzŽƒ ǪĀŅţ£Ƙ ǛȲĀ ƒŅƘǪƒ DzƘģǪĀ ÇƘŽ Ƙ ÇƘƆģŴţȓƘ Ā ǛȲĀ ۆ DzƘģǪĀȲ ÇƘŽ ȓƒƆȓƘDz ƘȲȓǪƘDzá ǪĀDzDzƒŴȓƒ Ƙ ƒƼĀŴƘ ƼƘǪ Ƽƒɡǎ ɕƒŴȓƒ Ƙ DzŗƒŴƘŽ ǛȲĀ ƼǪƘÇĀŝ éĀ éƘ ĀȲDz éƒ sţéƒǎ D£Ƙ ƒ Ƽƒɡ ǛȲĀ DzĀ DzĀƆȓĀá ŽƒDz ƒ Ƽƒɡ ǛȲĀ DzĀ ɑţɑĀá ĀŽ ȓƘéƒDz ƒDz ǪĀŴƒÌƺĀDzÜ ģƒŽţŴţƒǪĀDzá éƘ ȓǪƒ¥ƒŴŗƘá ƼƘŴŦȓţǃDzá ǪĀŴţŅţƘDzƒDzá ĀÇƘŴƛŅţǃDzǎ iŽ éƘDz ƒŝ ƆȴƆÇţƘDz éƒ ÇŗĀŅƒéƒ éƘ BĀDzDzţƒDz ģƒŴƒ éĀŴĀ ÇƘŽƘ ǤYǪŦƆÇţƼĀ éƒ Yƒɡǥá ǛȲĀ ȓƘǪƆƒ ƼƘDzDzŦɑĀŴ ǛȲĀ ƒDz ƒǪŽƒDz Ā ƒDz Ǥ¥ƘȓƒDz DzȲۃDz éĀ DzƒƆŅȲĀ DzĀۃŽ ǛȲĀţŽƒéƒDzǥ ƿŴţɑǪƘ éĀ 0DzƒŦƒDzDžǎ H ƆƒDzÇţŽĀƆȓƘ éĀ :ĀDzȲDz éĀ DƒɡƒǪă ă ȲŽ ƒƆȴƆÇţƘ éĀ Ƽƒɡ Ɔƒ ȓĀǪǪƒ ĀƆȓǪĀ ȓƘéƒDz ƒDz ƼĀDzDzƘƒDz éĀ ¥Ƙƒ ɑƘƆȓƒéĀ ƿŴţɑǪƘ éĀ ȲǃDzDžǎ 0ŽƒŅĀƆDz ģƒƆȓ†DzȓţǃDzĞ BƒDz ŗ† ƘȲȓǪƒ ŽƒŅƆŦģţǃ ţŽƒŅĀŽ ƆƘDz ĀDzÇǪţȓƘDz ¥Ŧ¥ŴţÇƘDzá ÇƘŽ ȲŽ ĀƆDzţƆƘ ǛȲĀ Ƙ B0 ă ȲŽƒ éƒDz ŽƒţDz DzţŅƆţģţǃȓţɑƒDz ĀɕƼǪĀDzDzƺĀDz éƘ ŽƘɑţŽĀƆȓƘ ĀÇȲŽąƆţÇƘ ŽȲƆéţƒŴ ĀŽ ƒÌƺĀDz ÇƘƆÇǪĀȓƒDz ƆƘDz ǃŽƼƘDz éƒ ȲƆţéƒéĀ ÇǪţDzȓ£á éƒ ƼǪƘŽƘÌ£Ƙ éƒ ɑţéƒ Ā éƘ éţ†ŴƘŅƘ ĀƆȓǪĀ ƒDz ǪĀŴţŅţƺĀDzǎ Ŵ㎠éţDzDzƘá ŴţéĀǪƒ ĀDzģƘǪÌƘDz éĀ Ƽƒɡ ÇƘŽ ŰȲDzȓţ̃á éĀ ¥ȲDzǃ éƘDz éţǪĀţȓƘDz ŗȲŽƒƆƘDz Ā éƒ DzȲDzȓĀƆȓƒ¥ţŴţéƒéĀ éƒ ɑţéƒǎ ƨɥƶ DzDzĀŽ¥ŴĀţƒ éƘ B0 ƿƘǪĀţƒ éƘ `ȲŴá ƆƘ ģţƆƒŴ éĀ ȧɥƨȘDžá ŴƒƆÌƘȲ ȲŽ ÇƘƆɑţȓĀ ƒƘDz ÇǪţDzȓ£ƘDz éĀ ȓƘéƘ Ƙ ŽȲƆéƘÜ ȲƆţǪĀŽŝDzĀ ƆȲŽƒ ƼĀǪĀŅǪţƆƒÌ£Ƙ éĀ ŰȲDzȓţ̃ Ā 4 A [n¥àn¥A en ÒnàÒAà«Ö eA enï«]P« QÒA֑šn‘ÒA A Ònš‘…‘¹nÖ (łƑŃüŴ„ç„ ħ„ĸ²„ ħėƴŴł ıłŻƑŴ„ĸÀł çėÐėŻ Ïı ¬ÏħϛŴ„²ŕÏŻ ¬ħė¬„ÀłŻ Ïı ŻÏƑÏ ÏŻƑ„ÀłŻ½ „ł ħłĸüł ÀÏ Ōù „ĸłŻ ƆĀ ÇƘŽƘ ƒ éĀéţǃ̣Ƙ éƘDz ģţăţDz ‘Dz ǪĀŴţŅţƺĀDzǎ DzDzƒ ĀƆȓǪĀŅƒ DzȲǪŅĀ ĀŽ ţŽƒŅĀƆDz éĀ DzĀƆŗƘŝ ǪƒDz ǃǪǪĀŅƒƆéƘ ƼĀDzƒéƒDz ţŽƒŅĀƆDz éĀ DzƒƆȓƘDz ĀŽ ƼǪƘÇţDzDz£Ƙá éĀ ƼĀDzDzƘƒDz ĀƆģǪĀƆȓƒƆéƘ ŴƘƆŅƒDz ĀDzǃéƒDzá Ā éƒ ŽȲŴȓţé£Ƙ ǛȲĀ DzĀ ĀDzŝ ƼǪĀŽĀ ĀŽ ȓƘǪƆƘ éƒ ÇƘǪéƒ ƆƘ ŦǪţƘǎ ĕ ģă 㠃ŴŅƘ ţƆȓĀǪţƘǪǎ :† ƒ éĀɑƘÌ£Ƙá ƆƛDz ɑĀŽƘDz ĕ DzţƆȓĀȓţɡƒ 0Dzƒ¥ĀŴƒá ǛȲĀ ÇŗĀŅƘȲ ƒ ģƒɡĀǪ ȧɥ ɑţDzţȓƒDz ƒ ȓĀǪǪĀţǪƘDz ĀŽ `ƒŴɑƒéƘǪ ƒȓă ÇƘƆDzĀŅȲţǪ ƒȲȓƘǪţɡƒÌ£Ƙ ƼƒǪƒ ǪĀŅţDzȓǪƒǪ ȲŽƒ ÇĀǪţŽƝƆţƒ éƘ ǃƆéƘŽ¥Ŵăǎ ÏÀė¬„²šłŞ (ėÐėŻ ĸł ęŴėł ÀÏ G„ǂ„Ŵн Ïı ÏħÐı½ ĸ„ çłƑł Àł „ħƑłŞ ¬ėı„½ 1Ż„›Ïħ„ ^Ïĸ„ƑłŴϽ Ïı Ơı„ À„Ż ¬ÏŴėıŅĸė„Ż ŴÏüėŻƑŴ„À„Ż D] d0DHH À„ĸÀ„Ŵ„ŞƑėĸł¬ł˜łüħł›łŞ¬łıŞ›Ŵ *Ƙţ Ɔƒ ŅǪȲȓƒ ƘƆéĀ ģţăţDz éĀţɕƒŽ ŴĀŽ¥ǪƒƆ̃Dz Ā ɑĀŴƒDz ƒÇĀDzƒDz ĀŽ ƒŅǪƒéĀÇţŽĀƆȓƘ ƒ ƘŽ :ĀDzȲDz éƒ ƒƼƒ ǛȲĀ ƒ ģƘȓƛŅǪƒŝ ģƒ 0Dzƒ¥ĀŴƒ `ĀƆƒȓƘǪĀ ƒ¥ƒţɕƘȲ ƒ LjŽĀǪƒ ƼĀŴƒ ƼǪţŽĀţǪƒ Ā ȴƆţǃ ɑĀɡ ƒƘ ŴƘƆŅƘ éĀ ƨļ ƒƆƘDz ģƘȓƘŅǪƒģƒƆéƘ ŽƒƆţģĀDzȓƒÌƺĀDz ǪĀŴţŅţƘDzƒDz ƆƘ ǪƒDzţŴǎ ĀƼƘţDz éĀ éƘţDz éţƒDz ģƒɡĀƆéƘ ǪĀŅţDzȓǪƘDz éĀ éĀɑƘȓƘDz ƆƘ DzƒƆȓȲ†ǪţƘá ŴƘǃŴţɡƒéƘ ƒ Čɥɥ ǛȲţŴƝŽĀŝ ȓǪƘDz éĀ `ƒŴɑƒéƘǪá ǃţȲ ĀŽ Dzţǎ ĕ ƆȓǪĀţ Ɔƒ ŅǪȲȓƒá ƼƒǪĀţ ĀŽ ģǪĀƆȓĀ ƒƘ ƒŴȓƒǪ Ā ŽĀ éĀţ ÇƘƆȓƒ éƘ ǛȲĀ ƒÇƘƆŝ ȓĀÇţƒǎ Dz ƼĀDzDzƘƒDz ĀDzȓƒɑƒŽ ƒŴţ ƼƒǪƒ ƼƒŅƒǪ ƼǪƘŽĀDzDzƒDz Ā ǪĀȓǪţ¥ȲţǪ ƼƘǪ ÇƘţŝ DzƒDz ǛȲĀ ȓţƆŗƒŽ ÇƘƆǛȲţDzȓƒéƘǎ Ǫƒ ȲŽƒ ĀƆĀǪŅţƒ ŽȲţȓƘ ģƘǪȓĀǎ ƘŽĀÇĀţ ƒ ÇŗƘǪƒǪ Āá ƒƼĀƆƒDz ƒǛȲĀŴƒ ɑĀɡá Ɔ£Ƙ ģȲţ ǃƼƒɡ éĀ ģƘȓƘŅǪƒģƒǪ ĕ ÇƘƆȓƒǎ H ƘŴŗƒǪ éƒ ģƘȓƛŅǪƒģƒ éĀ ȘȂ ƒƆƘDz DzƘ¥ǪĀ éţģĀǪĀƆȓĀDz ÇĀŴĀ¥ǪƒÌƺĀDz ǪĀŴţŅţƘDzƒDz ĀDzȓ† ƆƒDz ƨƨƨ ţŽƒŅĀƆDz éĀ ǤĀɑƘÌ£Ƙǥá ŴţɑǪƘ éĀ ģƘȓƘDz ǛȲĀ DzĀǪ† ŴƒƆ̃éƘ Ɔƒ ƼǪƛɕţŽƒ DzĀŝ ŽƒƆƒǎ ĀDzéĀ ȧɥɥɥá 0Dzƒ¥ĀŴƒ ǪĀŅţDzȓǪƘȲ Ǫţŝ ȓƘDz ĀŽ DzĀȓĀ ĀDzȓƒéƘDz ¥ǪƒDzţŴĀţǪƘDzǎ ģĀDzȓƒ éĀ 0ĀŽƒƆۆá ȓƒŽ¥ăŽ Ɔƒ ƒŗţƒá Ƙ ŦǪţƘ éĀ DƒɡƒǪăá ĀŽ ĀŴăŽá ƒ `ĀŽƒƆƒ `ƒƆȓƒ éĀ HȲǪƘ YǪĀȓƘ ƿB,Dž Ā ƒ ÇƘŽĀŽƘǪƒÌ£Ƙ éĀ `£Ƙ `Ā¥ƒDzȓţ£Ƙ Ā `£Ƙ ĀƆĀéţȓƘá ĀŽ 0ȓƒȴƆƒDz ƿ`Džá ĀDzȓ£Ƙ ĀƆȓǪĀ ƒDz ŽƒƆţģĀDzȓƒŝ ÌƺĀDz ǪĀȓǪƒȓƒéƒDzǎ H ŴţɑǪƘ ȓĀǪ† ĀéţÌ£Ƙ ¥ţŝ ŴŦƆŅȲĀá ĀŽ ƼƘǪȓȲŅȲąDz Ā ţƆŅŴąDzǎ )i Gd G Zt@L H ȓǪƒ¥ƒŴŗƘ ÇƘŽĀÌƘȲ ƒ DzĀǪ ţéĀƒŴţɡƒéƘ ǛȲƒƆéƘ 0Dzƒ¥ĀŴƒ ĀDzȓȲéƒɑƒ ģƘȓƘŅǪƒģţƒ ƆƘ dŗĀ Ǫȓ 0ƆDzȓţȓȲȓĀ Ƙģ ƘDzȓƘƆá ƆƘDz DzȓƒéƘDz iƆţéƘDzǎ ƒȓƛŴţÇƒá ŽƒDz ÇȲǪţƘDzƒ ĀŽ ǪĀŴƒŝ Ì£Ƙ ƒ ƘȲȓǪƒDz ȓǪƒéţÌƺĀDzá ƒ ŰƘɑĀŽá ǛȲĀ ۆ ɑţƆŗƒ ģƘȓƘŅǪƒģƒƆéƘ ţéƘDzƘDz Ā DzȲƒ ŴţŅƒÌ£Ƙ ÇƘŽ ƒ ģăá ĀŴĀŅĀȲ ƒ ǪĀŴţŅţ£Ƙ ÇƘŽƘ ȓĀŽƒ éƘ ƼǪƘŰĀȓƘ ģţƆƒŴ éƘ ÇȲǪDzƘǎ ĕ H ţƆȓĀǪĀDzDzĀ ƼĀŴƘ ƒDzDzȲƆȓƘ ÇƘŽĀÌƘȲ ƼƘǪ ÇȲŴƼƒ éƒ ŽţƆŗƒ ƒɑƛǎ BĀȲ ƼǪţŽĀţǪƘ Ŵƒ¥ƘǪƒȓƛǪţƘ ĀǪƒ ĀŽ DzȲƒ ǃDzƒǎ ƘŽ ģǪĀŝ ǛȲąƆÇţƒá ĀŴƒ ƒƼƒǪĀÇţƒ Ā ƼĀƆéȲǪƒɑƒ ȲŽ DzƒƆȓƘ Ɔƒ ƼƒǪĀéĀǎ ƒţƆéƒ ƼȲƆŗƒ ƒŴŅȲŝ ŽƒDz ŅƘȓƒDz éĀ †ŅȲƒ ¥ĀƆȓƒ ƆƒDz ǛȲŦŽţǃDz ǛȲĀ ĀȲ ȲDzƒɑƒ ƼƒǪƒ ǪĀɑĀŴƒǪ ƒDz ţŽƒŅĀƆDzǎ ǪţƆÇƘ ǛȲĀ ŽţƆŗƒDz ƼǪţŽĀţǪƒDz ģƘȓƘDz ۆ ȓţŝ ƆŗƒŽ ģƘǪ̃ éţɑţƆƒ ĕ ǪĀŴĀŽ¥Ǫƒǎ Ƙ éĀÇţéţǪ ƼȲ¥ŴţǃǪ Ƙ ŴţɑǪƘá 0Dzƒ¥ĀŴƒ éĀŝ ÇţéţȲ ŴţŽţȓƒǪ ƒ Ƙ¥Ǫƒ ‘ éĀɑƘÌ£Ƙá ǛȲĀ éĀģţŝ (LdL^ 1ti@)L ƈ 1^@ ^GdLZ ģƘȓƛŅǪƒģƒ ۆ ĀDzȓĀɑĀ ĀŽ ÇĀŴĀ¥ǪƒÌƺĀDz ǪĀŴţŅţƘDzƒDz ĀŽ BăɕţÇƘ Ā 2Ɔéţƒ Ā éţɡ ǛȲĀ ƘDz ¥ǪƒDzţŴĀţǪƘDz ŽƘDzȓǪƒŽ ţŅȲƒŴ éţŴţŅąƆÇţƒ ‘Dz éţģĀǪĀƆȓĀDz ǪĀŴţŅţƺĀDz Ā ÇĀŴĀ¥ǪƒÌƺĀDzÜ ĕ H ƒŽƘǪ éƘDz ģţăţDz ƼƘéĀ DzĀǪ ƼĀǪÇĀŝ ¥ţéƘ ĀŽ ȲŽƒ ƼĀǛȲĀƆƒ ģĀDzȓƒ ƆȲŽ ȓĀǪŝ ǪĀţǪƘ éĀ ǃƆéƘŽ¥Ŵă ƘȲ ƆȲŽƒ ŅǪƒƆéĀ ÇĀŴĀ¥ǪƒÌ£Ƙ ǃȓƛŴţǃǎ HȲȓǪƒ ǃǪƒÇȓĀǪŦDzȓţǃ ÇƘŽȲŽ ĀƆȓǪĀ ƘDz ɑƒǪţƒéƘDz ǪţȓƘDz Dz£Ƙ ƒDz ÇƘǪĀDzá ƒƼƘƆȓƒǎ dƘƆDz ǛȲĀƆȓĀDzá ÇƘŽƘ ɑĀǪŽĀŴŗƘá ƒŽƒǪĀŝ ŴƘ Ā ŽƒǪǪƘŽ ĕ ƒŴ㎠éƘ ȓǪƒéţÇţƘƆƒŴ ¥ǪƒƆÇƘ ĕá ƼǪĀéƘŽţƆƒŽ Ɔƒ ƼƒŴĀȓƒ éĀ 0Dzƒ¥ĀŴƒǎ ĀDzÇƘŴŗƒ éƒDz ģƘȓƘDz ȓĀɑĀ ƒƼƘţƘ éĀ :ƒƆĀ dȲÇŲĀǪŽƒƆá ƼǪƘģĀDzDzƘǪƒ ĀŽăǪţȓƒ éƒ ƆƘǪȓĀŝƒŽĀǪţǃƆƒ ĀDzŴĀɗ iƆţɑĀǪDzţȓɗǎ ǤĀɑƘÌ£Ƙǥ DzĀǪ† ŴƒƆ̃éƘ ĀŽ ƒŽƼţŝ ƆƒDzá ÇţéƒéĀ ƆƒȓƒŴ éƒ ģƘȓƛŅǪƒģƒá éţƒ ƨļǎ H ŴţɑǪƘ ĀDzȓǪĀţƒ ƆƘ ]ţƘ ŽąDz ǛȲĀ ɑĀŽá ƆƘ ģĀDzȓţɑƒŴ éĀ ģƘȓƘŅǪƒģţƒ YƒǪƒȓɗ ĀŽ *Ƙŝ ÇƘǎ Dz ţŽƒŅĀƆDz ȓƒŽ¥ăŽ DzĀǪ£Ƙ Āɕţ¥ţŝ éƒDz ĀŽ ƘȲȓȲ¥ǪƘá ĀŽ `£Ƙ YƒȲŴƘǎ † G u )@Z1 (LdL^ ĐƑƑŖ»ƈƈüħłŞ›łƈŌĸƑƺŨƝė 1ı„üÏĸŻ À„Ż ı„ĸėçÏŻƑ„²ŕÏŻ ŴÏħėüėłŻ„Ż ÀÏ ŮÏƴł²šłů Ƽƒɡǎ ŴĀ ģƘţ ƒDzDzȲŽţéƘ ƼĀŴƘ ƼǪƛƼǪţƘ ƘǪŅƒƆţDzŽƘ ĀŽ DzȲƒ ǪĀȲƆţ£Ƙ éĀ ƼŴƒƆĀۃŽĀƆȓƘ éĀ ƒÌƺĀDz ƼƒǪƒ ƘDz ƼǪƛŝ ɕţŽƘDz DzĀȓĀ ƒƆƘDzá ǪĀƒŴţɡƒéƒ ĀŽ ŰȲŴŗƘ ƼƒDzDzƒéƘǎ H ÇƘƆɑţȓĀ ƼƒǪƒ ƼĀǪĀŅǪţƆƒÌ£Ƙ ȓĀŽ ȲŽƒ ŽĀƆDzƒŅĀŽ ţŽƼƘǪȓƒƆȓĀÜ ƒDz ţŅǪĀۃDz Dz£Ƙ ƼĀǪĀŅǪţƆƒDz ƆĀDzȓĀ ŽȲƆéƘá ƒ ǃŽţƆŗƘá ÇƘŽƘ éţɡ ƒ Ŧ¥Ŵţƒá éĀ ǤȲŽ ƆƘɑƘ ÇăȲ Ā ȲŽƒ ƆƘɑƒ ȓĀǪǪƒǥ ƿŴţɑǪƘ éĀ ƼƘǃŴţƼDzĀDžǎ sţɑĀŽ Ā ȓǪƒŝ ¥ƒŴŗƒŽ ƼĀŴƒ ǃȲDzƒǎ YƘǪ ţDzDzƘ éĀɑĀ DzĀǪ ȲŽƒ ƼĀǪĀŅǪţƆƒŝ Ì£Ƙ ǤéĀǥ Ā Ɔ£Ƙ ǤƼƘǪǥ ŰȲDzȓţ̃ Ā Ƽƒɡǎ D£Ƙ ŽƒţDz ȲŽƒ ģƘǪŝ Žƒ éĀ ƒȓţɑţDzŽƘ ÇǪţDzȓ£Ƙ Ā DzţŽ ȲŽ ÇƘŽƼǪƘŽţDzDzƘ ÇƘŽ Ƙ ĀȲDz éƘ Ǥ`ŗƒŴƘŽǥǎ iŽƒ ŰƘǪƆƒéƒ ǤéĀǥ ŰȲDzȓţ̃ Ā Ƽƒɡ ǛȲĀ ƒDz ţŅǪĀۃDz ŽĀDzŽƒDz éĀɑĀŽ ȓĀDzȓĀŽȲƆŗƒǪá éĀƆȓǪƘ éĀŴƒDz Ā ĀƆȓǪĀ ĀŴƒDzá ÇƘƆȓƒŅţƒƆéƘ Ƙ ŽȲƆéƘǎ 0DzDzƘ ƆƘDz ģƒɡ ĀƆɕĀǪŅƒǪá ÇƘŽ ƼĀǪƼŴĀɕţéƒéĀá ƒ ģǪĀŝ ǛȲąƆÇţƒ éĀ ƼǪĀŅƒÌƺĀDz Ā ǃƆÌƺĀDz Ɔƒ ¥Ƙǃ éƘDz ƆƘDzDzƘDz ŴŦéĀǪĀDz ǪĀŴţŅţƘDzƘDzǎ DzȓţŽȲŴƒŽ ŅȲĀǪǪƒDzá éţDzÇǪţŽţƆƒŝ ÌƺĀDzá Ǥ¥ƒȓƒŴŗƒDz ĀDzƼţǪţȓȲƒţDzǥá ƒÌƺĀDz ɑţƘŴĀƆȓƒDz ÇƘƆȓǪƒ ǤƼĀǃéƘǪĀDzǥ Ā ǤţŽƼȲǪƘDzǥá ǤéƘŽţƆƒéƘDz ƼƘǪ `ƒȓƒƆ†Dzǥǎ Ƙ ţƆɑăDz éĀ ȓĀDzȓĀŽȲƆŗƒDz éƒ Ƽƒɡá ȓƘǪƆƒŽŝDzĀ ŰȲŦɡĀDz ƼǪƘŽƘȓƘǪĀDz éĀ ţƆȓƘŴĀǪˆƆÇţƒ Ā ƒŅǪĀDzDzƺĀDz ɑĀǪ¥ƒţDz Ā ģŦŝ DzţǃDzǎ ǛȲƒƆéƘ DzĀ ģƒŴƒ éĀ Ƽƒɡá ĀƆģƒȓţɡƒŝDzĀ ȲŽƒ Ƽƒɡ ţƆéţɑţéȲƒŴá ţƆȓţŽţDzȓƒá ŽĀǪţȓƛǪţƒǎ ƼƘǪ ţDzDzƘ ǛȲĀ ƆĀDzȓĀ ȓĀŽƼƘ ĀŽ ǛȲĀ ɑţéƒDz ţƆƘÇĀƆŝ ȓĀDz ƼĀǪĀÇĀŽ ƼƘǪ ƼƘŴŦȓţǃDz ţƆŰȲDzȓƒDzá DzĀۃ ĀŽ ȓĀǪǪƒDz ŴƘƆŅŦƆǛȲƒDz ƘȲ Ɔƒ ĀDzǛȲţƆƒá ɑƒŴĀ ƒ ƼĀƆƒ ŰȲƆȓƒǪŽƘŝ ƆƘDz ‘ ƼĀǪĀŅǪţƆƒÌ£Ƙ éĀ ŰȲDzȓţ̃ Ā Ƽƒɡǎ sƒŴĀ ƒ ƼĀƆƒ ǛȲĀ ÇƘŽȲƆţéƒéĀDz Ā ŴŦéĀǪĀDz ǪĀŴţŅţƘDzƘDz ÇƘƆɑĀǪȓƒŽ éţDzÇȲǪŝ DzƘDz ģƒŴƒéƘDz Ā ǃƆȓƒéƘDz ĀŽ ƼƒŴƒɑǪƒDz Ā ƒÌƺĀDz ǛȲĀ ȓƘǪŝ ƆĀŽ ƼƘDzDzŦɑĀŴ ǛȲĀ ƒ ŰȲDzȓţ̃ Ā ƒ Ƽƒɡ DzĀ ¥ĀţŰĀŽǎ†
  55. 55. āŮ®āƓĩŴ FƯƓĩŮFāŴ ŴăĒāĩŴţ Ű^ÏħçėÏŻű çÏėƑ„Ż ŖłŴ ı„¬„¬łŻ ¬Ŵė„ı ŖłħÓıė¬„ ĸ„ uėĤėŖÐÀė„ H ģƘȓƛŅǪƒģƘ ¥ǪţȓˆƆÇţƘ ƒɑţé `ŴƒȓĀǪ ȓǪƒɑƒ ȲŽƒ ¥ƒȓƒŴŗƒ ŰȲéţÇţƒŴ ÇƘŽ ƒ uţŲţƼăéţƒǎ H DzţȓĀ ƼȲ¥ŴţÇƘȲ ǤDzĀŴģţĀDzǥ ģĀţȓƒDz ƼƘǪ ŽƒÇƒÇƘDz ǛȲĀ `ŴƒȓĀǪ ĀƆÇƘƆȓǪƒǪƒ Ɔƒ 0ƆéƘƆăDzţƒ ƆȲŽƒ ĀɕƼĀéţÌ£Ƙ ĀŽ ȧɥƨƨá Ā Ƙ ƼǪƘģţDzDzţƘƆƒŴ ƒŅƘǪƒ ǪĀÇŴƒŽƒ éţǪĀţȓƘDz ƒȲȓƘǪƒţDz ƿƒDz ţŽƒŅĀƆDz DzƒŦǪƒŽ Ɔƒ ÇƘŴĀÌ£Ƙ uţŲţŽĀéţƒ ƘŽŽƘƆDzá éĀ ȲDzƘ ŴţɑǪĀDžǎ BƒDzá ƆƘ ģƛǪȲŽ éƒ *ȲƆéƒÌ£Ƙ uţŲţŽĀéţƒá Ƙ ĀéţȓƘǪ ǛȲĀ ƼƘDzȓƘȲ ƒ ģƘȓƘ ƒŴĀŅƒ ǛȲĀ ĀŴƒ Ɔ£Ƙ ģƘţ ÇǪţƒéƒ ƼƘǪ ƆĀƆŗȲŽ ŗȲŽƒƆƘá DzĀƆéƘƼƘǪ ţDzDzƘ ţDzĀƆȓƒ éĀ ~ĩńnjŮāè÷Ɠǎ 4ƯŴń®āƓF ›® ŴƯā~ă›āĩ ėÏĸƑėŻƑ„ ÏĸƴłħƴėÀł Ïı çŴ„ƠÀÏ Ð Ïĸ¬łĸƑŴ„Àł ıłŴƑł ĀDzƒÇǪĀéţȓƒéƘ ƆƘ ŽȲƆéƘ ÇţĀƆȓŦģţÇƘ ƒƼƛDz ȓĀǪ DzĀȲ ƆƘŽĀ ĀƆɑƘŴɑţéƘ ƆȲŽ ĀDzLjƆéƒŴƘ éĀ ģǪƒȲéĀ ĀŽ ĀDzȓȲéƘ ÇƘŽ ÇăŴȲŴƒDzŝȓǪƘƆÇƘá Ƙ ÇţĀƆȓţDzȓƒ ۃƼƘƆąDz yƘDzŗţŲţ `ƒDzƒţá éĀ ĭȧ ƒƆƘDzá ģƘţ ĀƆÇƘƆȓǪƒéƘ ŽƘǪȓƘá ƘƆȓĀŽá ĀŽ DzĀȲ Ŵƒ¥ƘǪƒȓƛǪţƘ ƆƘ ƼǪĀDzȓţŅţƒéƘ ĀƆȓǪƘ ]ţŲĀƆ éĀ ţƘŴƘŅţƒ éƘ ĀDzĀƆɑƘŴɑţŽĀƆȓƘá ĀŽ Ƙ¥Āǎ ƼĀDzƒǪ éĀ ȓĀǪ DzţéƘ ţƆƘÇĀƆȓƒéƘ ĀŽ ţƆɑĀDzȓţŅƒÌ£Ƙ DzƘ¥ǪĀ Ƙ ǃDzƘá Ƙ ƼĀDzǛȲţDzƒéƘǪ DzĀ éţɡţƒ ǤƼǪƘģȲƆ郎ĀƆȓĀ ĀƆɑĀǪŅƘƆŗƒéƘǥá Ā ƒ DzȲDzƼĀţȓƒ ă ǛȲĀ ĀŴĀ ȓĀƆŗƒ ÇƘŽĀȓţéƘ DzȲţÇŦéţƘǎ (XƈdLZi {FG FłŴƑÏŞ {łŻĐėĤė ^„Ż„ė» ÏĸƴÏŴüłĸЄÀł ŴƓƯ›ĩ ęĩŴ 9 Fċ®ŮƓF YƠ„ŻÏ ŌdžŜ ÀÏ Ŗ„¬ėÏĸƑÏŻ ÀÏ ¬‡ĸ¬ÏŴ ¬łĸƑėĸƠ„ı „ çƠı„Ŵ DƘɑĀ ƒƆƘDz éĀƼƘţDz éĀ éţƒŅƆƘDzȓţǃéƘDzá ƉáȘnj éƘDz ƒŽĀǪţǃƆƘDz DzƘ¥ǪĀɑţɑĀƆȓĀDz éĀ LjƆÇĀǪ ƒţƆéƒ ģȲŽƒɑƒŽ Ā ČȘnj éĀDzDzĀDz ţƆéţɑŦéȲƘDz ŽƒƆȓţƆŗƒŽ Ƙ ŗ†¥ţȓƘ éţ†ǪţƘ éĀ ÇƘƆDzȲŽţǪá ĀŽ Žăéţƒá ƨļ ÇţŅƒǪǪƘDz ƼƘǪ éţƒá DzĀŅȲƆéƘ ȲŽ ǪĀŴƒȓƛǪţƘ éƒ `ƘÇţĀéƒéĀ ŽĀǪţǃƆƒ éĀ ˆƆÇĀǪǎ *ƘǪƒŽ ƒƆƒŴţDzƒéƘDz ȧǎƉȘČ ƼƒÇţĀƆȓĀDzǎ ƼǪĀɑƒŴąƆÇţƒ éƘDz ģȲŽƒƆȓĀDz ƼƘǪ ȓţƼƘ éĀ LjƆÇĀǪ ģƘţ éĀ ƨǹáȧnj ƿ¥ĀɕţŅƒDžá ƨļáƉnj ƿƼȲŴŽ£ƘDžá ƨƨáȂnj ƿƘɑ†ǪţƘDžá ǹáȂnj ƿŽĀŴƒƆƘŽƒDžá ǹáȘnj ƿǪţŽDž Ā ȂáČnj ƿÇƘŴƘǪǪĀȓƒŴDžǎ ċāŴƓF ›ĩ ›āF ȼ î ġſęĂÈŚÈš ŎſÈ ĮŁŲƒŚƒġ ŁÈęĮ šÈƙĮ ªĮġĮ ŁŚĮÞĉšš˜Į ƘŽƘ ƒ ƼǪƘDzȓţȓȲȓƒ ƘŴƒ ĀƆɑĀƆȲȓȓţá ĀŴƒDz ȓǪţŴŗƒǪƒŽ ȲŽ ǃŽţƆŗƘ ƼǪƛƼǪţƘǎ 1ti@)L ġƒĉš ރġĮšƒ ÈĦŲŚÈ ƒš ªƒ™ŚĮªĂƒš [ȲƒƆéƘ ÇƘŽĀ̃ǪƒŽ ƒ ƼţƼƘǃǪ ƆƘȓŦÇţƒDz DzƘ¥ǪĀ ƒ ƼǪƘDzȓţȓȲȓƒ Ā ĀDzÇǪţȓƘǪƒ ƘŴƒ ĀƆɑĀƆȲȓȓţá éĀ Ō ţŽĀéţƒȓƘ ɑţƆŗƒ ƒ ÇƘŽƼƒǪƒÌ£ƘÜ ă ƒ ƆƘɑƒ ǪȲƆƒ `ȲǪģţDzȓţƆŗƒǎ ģţƆƒŴá ƒ ŗţDzȓƛǪţƒ éƒ ŽƘ̃ éĀ ÇŴƒDzDzĀ Žăéţƒá ĀéȲǃéƒá ǛȲĀ ģȲŅţȲ éƒ ÇƒDzƒ éƘDz ƼƒţDz Ā ĀƆȓǪƘȲ ƼƒǪƒ ƒ ƼǪƘDzȓţȓȲţÌ£Ƙ ɑţǪƘȲ ŴţɑǪƘ Ā ģţŴŽĀ ĀƆÇĀƆƒéƘ ƼƘǪ Ā¥ƘǪƒŗ `ĀÇÇƘǎ ġſšƒ »Į ġĮġÈĦŲĮ *ƘǪŽƒéƒ ĀŽ ĀȓǪƒDz ƼĀŴƒ iƆţɑĀǪŝ DzţéƒéĀ *ĀéĀǪƒŴ éĀ `£Ƙ ƒǪŴƘDz ƿi*`ƒǪDžá ƘŴƒ ĀƆɑĀƆȲȓȓţ ƒ¥ƒƆŝ Ɲ éƘƆƘȲ ƒ ǃǪǪĀţǪƒ ƼƒǪƒ DzĀ éĀéţǃǪ ‘ ƼǪƘDzŝ ȓţȓȲţÌ£Ƙǎ dĀŽ ¥ŴƘŅ Ā ŴƒƆ̃Ǫ† ƆƘ éţƒ ƨƨ Ƙ ŴţɑǪƘ ǤH ƼǪƒɡĀǪ ă ȓƘéƘ ƆƘDzDzƘǥá ÇƘƆȓƒƆéƘ ŗţDzȓƛǪţƒDz DzĀɕȲƒţDz Ā ǃǪąƆÇţƒDz éĀ DzĀȲDz ÇŴţĀƆȓĀDzǎ *ţŴŽĀ Ā ƼĀ̃ ȓƒŽ¥ăŽ ĀDzȓ£Ƙ ƆƘ ŗƘǪţɡƘƆȓĀ éƒ ŰƘɑĀŽ éĀ ȧȧ ƒƆƘDzǎ ÈŲÈŚĦƒ 'ſŚƒª˜Į [ȲĀŽ Ɔ£Ƙ DzĀ ŴĀŽ¥Ǫƒ éƒ DzƒŅƒ éƒ DzƘÇţƒŴţȓĀ ǛȲĀ éĀÇţéţȲ ɑţǪƒǪ ƼǪƘDzŝ ȓţȓȲȓƒ Ā ĀƆŴƘȲǛȲĀÇĀȲ ȲŽ ƼƒéǪĀǝ Ɩ ȓǪƒŰĀȓƛǪţƒ éĀ .ţŴéƒ *ȲǪƒÇ£Ƙ ģƘţ ƒéƒƼŝ ȓƒéƒ ƼƒǪƒ ƒ ȓĀŴĀɑţDz£Ƙ ¥ǪƒDzţŴĀţǪƒá Ā ƆƘDz ƼƒƼăţDz ƼǪţƆÇţƼƒţDz ĀDzȓƒɑƒŽ Ɔƒ YƒȲŴƒ ǪƛDzţƘ Ā ]ƘéǪţŅƘ `ƒƆȓƘǪƘǎ ȴŴȓţŽƒ ƆƘȓŦÇţƒ ǛȲĀ DzĀ ȓĀŽ éĀŴƒ ă ǛȲĀ ɑţɑĀ ŗƘŰĀ ƆȲŽ ƒDzţŴƘ Ƽȴ¥ŴţÇƘ ĀŽ ȲĀƆƘDz ţǪĀDzǎ ™Èęƒ »ƒ ŲƒŚ»È ģţÇÌ£Ƙ ă ÇŗĀţƒ éĀ ȓǪƒŽƒDz DzƘ¥ǪĀ ŽȲŴŗĀǪĀDz ǛȲĀá DzĀŽ ŽƘȓţɑƘ DzƘÇţŝ ƒŴ ƘȲ ƼDzţÇƘŴƛŅţÇƘ ÇŴƒǪƘá DzĀ ƼǪƘDzŝ ù ȓţȓȲĀƆǎ ƆƘ ƼƒDzDzƒéƘá ģƘţ ŴƒƆ̃éƘ Ƙ ģţŴŽĀ ǤĀŴƒ Ā :ƘɑĀŽǥá DzƘ¥ǪĀ ƒDz ĀɕƼĀǪţąƆÇţƒDz DzĀɕȲƒţDz éƒ ĀDzȓȲéƒƆȓĀ 0Dzƒ¥ĀŴŴĀǎ *Ƙţ ÇƘŽŝ ƼƒǪƒéƘ ƒƘ ÇŴ†DzDzţÇƘ ǤĀŴƒ éƒ dƒǪéĀǥ ƿƨƉȂǹDžá éƒ ŽȲŴŗĀǪ ǛȲĀ ţƒ ƒƘ ¥ƘǪéĀŴ ‘ ȓƒǪéĀ Ā ɑţɑţƒ ƒ ɑţéƒ éĀ ǃDzƒéƒ ‘ ƆƘţȓĀǎ ńń ›® ~FŮF ęĩljF (łƠŴŻŨƠ„ŴÏ ŻÏ ŴÏėĸƴÏĸƑ„ ¬łı 糬ł Ïı ŴϬłıÏĸÀ„²ŕÏŻ H *ƘȲǪDzǛȲƒǪĀ ƒƆȲƆÇţƘȲ ƘƆȓĀŽ DzȲƒ ŽƒţƘǪ ŽȲéƒƆ̃ éĀDzéĀ ȧɥɥƉǎ H ƒƼŴţǃȓţɑƘá ǛȲĀ DzĀǪɑţƒ ƼƒǪƒ ģƒɡĀǪ ÇŗĀÇŲŝţƆDz Ā ƒɑƒŴţƒǪ DzĀǪɑţÌƘDzá ĀDzȓ† ȓƘȓƒŴŽĀƆȓĀ ǪĀƆƘɑƒéƘá ÇƘŽ ģƘÇƘ ƆƒDz ǪĀÇƘŽĀƆéƒÌƺĀDz ƼĀǪDzƘƆƒŴţɡƒéƒDzá ƒŴŅƘ ƼǪƛɕţŽƘ ƒƘ ǛȲĀ Ƙ yĀŴƼ ƘģĀǪĀÇĀǎ YƒǪƒ DzĀǪ ǤƼǪĀģĀţȓƘǥ éƘ ǪĀDzȓƒȲǪƒƆȓĀ ƼǪĀģĀǪţéƘá Ƙ ȲDzȲ†ǪţƘ ȓĀǪ† ǛȲĀ ţƆDzȓƒŴƒǪ Ƙ `ɓƒǪŽá ƼǪƘŅǪƒŽƒ ǛȲĀ ɑƒţ éƒǪ ÇƘƆȓţƆȲţéƒéĀ ƒ ƒŴŅȲŽƒDz ģȲƆÌƺĀDz éƘ ƒƆȓţŅƘ *ƘȲǪDzǛȲƒǪĀǎ H ƆƘɑƘ ƒƼƼ ǪĀŽƘéĀŴƒéƘ ۆ ĀDzȓ† éţDzƼƘƆŦɑĀŴ Ɔƒ ƼƼ `ȓƘǪĀ Ā Ɔƒ ,ƘƘŅŴĀ YŴƒɗǎ Mais relevância a temas de interesse do leitor que não tinham prioridade no jornal. Criada para buscar mais audiência no site, é responsável por rejuvenescer o impresso. Novos colunistas garantem pluralidade de opiniões e maior segmentação.
  56. 56. “Conte algo que não sei” User: Fhaddad Time: 04-10-2014 17:58 Product: OGlobo PubDate: 10-04-2014 Zone: Nacional Edition: 1 Page: PAGINA_B Color: CMYK 2 l O GLOBO Quinta-feira 10.4.2014 Página 2 ‘A ciência traz valores fundamentais à sociedade’ Integrante do projeto “Plasticidade cerebral após lesão e reconstituição do plexo braquial”, desenvolvido em parceria com o Neuromat, da USP “Sou de uma família influenciada pela ciência e tenho 49 anos. Fiz biologia por amor ao mundo vivo, que a gente compreende tão pouco. Na França, trabalhei com pacientes amputados e iniciei minha formação em plasticidade cerebral. Minha educação quase toda foi financiada pelo povo brasileiro. Quero retribuir” _ ENTREVISTA A: PEDROMOTTAGUEIROS pedromg@oglobo.com.br l Conte algo que não sei. Para o seu cérebro, não existe lado de fora e lado de dentro. A gente precisa repensar essa ideia da separação do cérebro em relação ao corpo, que é um pouco falaciosa e nos atrapalha. Tudo que se passa no seu corpo afeta o cérebro e vice-versa. l O cérebro já foi atravessado pela luz da ciência ou ainda é uma massa cinzenta? Há muita coisa sendo feita, o que nos falta são instrumentos conceituais para se pensar o funcionamento cerebral. Não adianta ficar catalogando ao extremo todos os elementos individuais. O nível mais am-bicioso da nossa parceria com o Neuromat, da USP, é desen-volver modelos matemáticos da plasticidade do cérebro após uma lesão. Quando uma transmissão elétrica e neural se rompe, o neurônio passa a ser ativado por outros periféri-cos. É esse o conceito básico de A REVISTA DIGITAL PARA O SEU TABLET Com falta de chuvas, governo de São Paulo já admite adotar sistema de rodízio no abastecimento de água Economia Quem contratar empregado doméstico sem carteira assinada pagará multa, segundo lei sancionada ontem PÁGINA 24 Toyota faz recall mundial de 6,4 milhões de carros, mas não diz quantos no Brasil. Corolla e RAV4 são incluídos PÁGINA 24 Quadrilhas clonam cartões de turistas em caixas eletrônicos instalados no Galeão Trem de carga e composição da SuperVia batem de frente na Zona Norte e deixam 11 feridos PÁGINA 10 Deputados latinos denunciam presidente da Venezuela ao TPI por crimes contra a Humanidade Garrafa jogada no mar com mensagem em 1913 foi achada e entregue a neta do remetente, em Berlim Loterias Cláudia Domingues Vargas, neurocientista da UFRJ plasticidade. Já sabemos que há um rearranjo nas relações entre os elementos do córtex, mas existe um padrão? l Como é o projeto? Chama-se “Plasticidade ce-rebral após lesão e reconstitui-ção do plexo braquial”. Com uma equipe multidisciplinar abrigada no Instituto de Neu-rologia da UFRJ, a gente acom-panha pacientes que tiveram arrancamento do braço e pas-saram por cirurgia. Todos os pacientes têm um perfil muito bem definido: motociclistas, jovens, em sua maioria do sexo masculino. Pela primeira vez no Brasil, está se montando um banco que pretende ser aberto e disponível para a população. l O mistério da vida cabe no cérebro humano? Cabe tentar, isso nos traz uma humildade diante do des-conhecimento. de um princípio ético e de uma Leia também _ País PÁGINA 8 Rio PÁGINA 9 Mundo PÁGINA 30 PÁGINA 30 l O leitor deve checar os resultados em agências oficiais e no site da CEF porque, com os horários de fechamento do jornal, os números aqui publicados, divulgados sempre no fim da noite pela CEF, podem eventualmente estar defasados. busca constante de desafiar aquilo que é o estabelecido. Tem instrumentos para isso e traz um conjunto de valores fundamental a uma sociedade. Então, isso se contrapõe um pouco à religião, não tem jeito. lAté quando pode ser reduzi-da a distância entre essência das coisas e aquilo que o ho-mem consegue compreender? É uma questão que passa pe-la tecnologia. Einstein criou uma realidade cujos resultados ainda estão acontecendo. É im-portante lembrar do quanto os modelos, as mudanças concei-tuais e a maneira de pensar e construir podem ter conse-quências no futuro. Isso é uma parte da ciência básica, que muitas pessoas desconhecem. lNa área dos transtornos de comportamento, é a química do cérebro que determina a emoção ou vice-versa? A tendência de olhar o pro-blema CAMILLA MAIA a partir da química do cérebro não considera que o comportamento do sujeito e sua história de vida modificam aquímica, assim como a quími-ca modifica o comportamento. l Assim como se prescreve co-lágeno para a pele, qual a recei-ta para a plasticidade cerebral? O que a gente preconiza mesmo é atividade física regu-lar, se alimentar bem e ser feliz. l O que é mais difícil: recupe-rar o sistema motor ou fazer o Brasil andar pelas próprias pernas? Agente quer ver o gigante an-dar. Minha rotina de trabalho é inspirada pelos tempos em que o Instituto de Neurologia, cria-do nos anos 1940, era referên-cia nacional. A ligação afetiva com a ciência e com esse lugar nos motiva a buscar recursos para fazê-lo crescer. Além das pessoas que o construíram, é uma forma de honrar a cidade. OGLOBO Por Dentro _ Conte algo que não sei _ _ Clássicos de Buenos Aires Eduardo Maia. Roteiro inspirado em HQs e visitas às parrillas portenhas — Um roteiro por Buenos Ai-res invariavelmente inclui ca-sas de carnes, porque as parril-las são um clássico na cidade. Fazer a seleção entre tantas opções foi tarefa árdua para Eduardo: — Essa lista poderia ter dez, 15 endereços, e ainda não esta-ria completa. Fiz uma mistura de casas clássicas, outras acla-madas pela crítica e restauran-tes menos conhecidos, mas que nada deixam a desejar. Além do roteiro gastronômi-co, Eduardo Maia sugere um divertido passeio de San Telmo a Puerto Madero pelo universo dos quadrinhos argentinos. A simpática estátua de Mafalda, personagem clássico das HQs, é o ponto de partida. l QUINA 3.461 l11 l14 l31 l34 l44 A ciência parte Jogo pesado Craques brasileiros em meio ao conflito na Ucrânia MEGA-SENA 1.589 l04 l05 l11 l19 l41 l51 MARCELO CARNAVAL Buenos Aires, um dos destinos mais procura-dos pelos brasileiros no exterior, é também assunto po-pular entre leitores do Boa Via-gem. Uma das reportagens mais lidas no site da editoria em 2013 foi justamente a sele-ção de dez melhores restau-rantes da cidade, publicada em novembro de 2009, e que foi reeditada em 31 de maio de 2012, em outra versão: “Onze chefs e um destino.” Para ampliar e atualizar as opções de gastronomia apre-sentadas aos leitores na capital portenha, a editora do Boa Via-gem, CARLA LENCASTRE, enco-mendou ao repórter EDUARDO MAIA uma nova lista, com as melhores parrillas: LOTOMANIA 1.442 l03 l20 l28 l30 l32 l34 l35 l39 l45 l53 l56 l64 l65 l70 l77 l85 l89 l91 l92 l00 LOTOFÁCIL 1.041 l01l03l05l07l10l12 l13 l15 l17 l19l20l21 l23l24l25 | Panorama político | _I LIMAR FRANCO Ilimar@bsb.oglobo.com.br Mais inflação no horizonte O alerta está soando no Planalto. A equipe econômica está prevendo uma forte pressão inflacionária nos próximos meses estimulada pela realização da Copa do Mundo. Um ministro diz que não haverá “céu de brigadeiro”. A esperança do governo é que esta inflação comece a ceder à medida que as seleções começarem a ser desclassificadas, e os torcedores a retornarem aos seus países. Um tucano no pelourinho O PSDB deu de ombros ontem diante do indiciamento por lavagem de dinheiro de seu candidato ao governo de Minas, Pimenta da Veiga. A opção foi minimizar a investigação da Polícia Federal. A reação foi mais profissional que a dos petistas, mas a teoria da conspiração também foi invocada. É cedo para avaliar os danos eleitorais à candidatura de Aécio Neves ao Planalto. Mas especialistas garantem que os tucanos devem atuar para que o processo fique engavetado no Ministério Público. Citam o caso do ex-governador José Roberto Arruda (DF), cujo processo só chegou à Justiça depois de dois anos dele ter sido indiciado pela Polícia Federal. _ “O campo democrático e progressista é plural. Em 1989, o meu amigo Lula se lançou candidato, em vez de apoiar Leonel Brizola ou Mário Covas” Eduardo Campos Candidato do PSB ao Planalto, sobre a afirmação de Lula, aos blogueiros, de que não entendia sua posição _ Puxando o palanque Os deputados de oposição do PMDB ficaram furiosos pelo vice Michel Temer não ter ido ontem à reunião na casa do vice-governador Tadeu Filipelli (DF). Temer decidiu que não será mais palco dos críticos da aliança com o PT. Fugindo da raia? Ontem foi o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ). Noutro dia tinha sido Eurico Junior (PV-RJ). Ambos faltaram a um debate de rádio sobre o projeto, aprovado na Câmara, que endurece a legislação sobre drogas. O autor do texto aprovado, que aumenta a pena mínima dos traficantes para oito anos, Osmar Terra (PMDB-RS), ficou falando sozinho. DIVULGAÇÃO/3-7-2013 Foguetes e rojões A oposição comemorou a escolha do deputado Júlio Delgado (PSB-MG) para relatar o caso André Vargas (PT) no Conselho de Ética. Ele é descrito como sério, duro e independente. Sua fama vem da relatoria do processo contra José Dirceu. O motivo Os petistas receberam uma explicação do deputado André Vargas (PT-PR) sobre por que não renunciou ao mandato. Disse que precisa de uma tribuna para se defender junto aos seus eleitores. E que se ele fosse para casa, apenas seus familiares e amigos ouviriam suas explicações. Calado. Caladinho Assíduo nas redes sociais, o deputado André Vargas (PT) não publica absolutamente nada no seu Twitter desde o dia 5 de abril. Vargas tinha por hábito antecipar anúncios de liberação de recursos e inaugurações de obras do governo. Publicidade negativa O Planalto está prevendo dificuldades para escalar deputados para a CPI da Petrobras, do Metrô (SP) e de Suape (PE). Eles temem prejuízos eleitorais. A estratégia é ganhar tempo, enrolar nos prazos e no cronograma de trabalho. _ CIRCULA NO PLANALTO que nada irrita mais a presidente Dilma do que dizerem que ela não foi torturada, como faz o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ). _ Com Simone Iglesias, sucursais e correspondentes panoramapolitico@oglobo.com.br OGLOBO Por Dentro _ Leia também Rio Consórcio do metrô diz que solo cedeu em Ipanema, afetando prédios, durante obra com o tatuzão PÁGINA 18 Economia GM faz recall no Brasil de 238 mil veículos de dez modelos diferentes, incluindo Celta, Classic e Prisma PÁGINA 22 _I LIMAR FRANCO Ilimar@bsb.oglobo.com.br Dois pra lá, dois pra cá O PSDB e o PMDB assistem à instabilidade do presidente do PSD, Gilberto Kassab, nas eleições em São Paulo. Ele garante que está fechado com a presidente Dilma. Mas conversa com o governador Geraldo Alckmin e o presidente da Fiesp, Paulo Skaf. O PSDB acena com vantagens na eleição para o Congresso. O PMDB sustenta que ele só terá futuro impondo uma derrota aos tucanos. A terceira via Interlocutores de Gilberto Kassab não apostam numa aliança do PSD com os tucanos. Relatam que ele encomendou pesquisa e que os cientistas políticos, que traduziram os números, previram uma eleição muito dura, depois de 20 anos do PSDB no poder. Aliados da candidatura Aécio Neves à Presidência também não creem nessa aliança. Há no PSD uma forte inclinação em direção à hipótese de uma terceira via. A fadiga de material estaria tornando inviável a permanência dos tucanos no poder. No caso do PT, até mesmo aliados dos petistas avaliam que é difícil que os eleitores paulistas deem ao partido a Presidência, o governo estadual e a prefeitura da capital. _ “O PV vai concorrer à Presidência. Coligar no primeiro turno seria a morte do partido. Em 2010, lançamos candidato e agora faremos o mesmo” José Luiz Penna Presidente do PV e deputado federal (SP) _ Nada definido O ex-presidente Lula não confirma a versão dos senadores do PMDB, que saíram de conversa anteontem, em São Paulo, dizendo que ele declarou apoio ao líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, para o governo do Ceará. Fazendo as contas Os principais candidatos da oposição são os maiores interessados na proliferação de candidatos ao Planalto. Consideram que as votações que receberem Pastor Everaldo (PSC), na foto, Eduardo Jorge (PV) e Randolfe Rodrigues (PSOL) contribuem para afastar a hipótese de uma vitória da presidente Dilma no primeiro turno. GIVALDO BARBOSA/26-3-2013 Identidades OPSB avalia que Eduardo Campos pode perder votos para Eduardo Jorge (PV) na corrida para o Planalto. Mas acredita que Aécio Neves (PSDB) perderá mais para o Pastor Everaldo (PSC), cujo discurso deve atrair parcela do eleitorado à direita. Vigilância rigorosa O governo editará uma portaria hoje permitindo a deportação de pedófilos no período da Copa. Paralelamente, o Brasil está recebendo todos os bancos de informações com fotos e dados de exploradores sexuais de crianças, para abastecer os arquivos para consulta nos aeroportos. O suspeito será mandado de volta ao seu país. Na telinha da TV Cálculos preliminares revelam que a presidente Dilma (PT) terá cerca de 17 minutos de propaganda na TV. O candidato do PSDB, Aécio Neves, deve ter seis minutos e meio. Eduardo Campos (PSB) pode ter dois minutos e meio. O assédio O PSD, rifado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que preferiu dar a vice de sua chapa ao PDT, está sendo cortejado pela oposição. Os candidatos Anthony Garotinho (PR) e Lindbergh Farias (PT) partiram para cima. Entrevistas com pessoas com alguma notoriedade em qualquer segmento e que estejam de passagem pela cidade. Diversidade de temas qualifica o início da leitura do jornal. 2 l O GLOBO Sábado 3.5.2014 Página 2 Poliglota Trocador que fala 6 línguas cativa A REVISTA DIGITAL PARA O SEU TABLET passageiros OGLOBO Por Dentro _ ANA BRANCO Números que valem ouro Parceria. Rodrigo (à esquerda) dá vida aos dados garimpados por Fábio Uma prática que vem se disseminando por reda-ções no mundo passou a ser utilizada também pela equipe do GLOBO. O chamado Jornalis-mo Guiado por Dados, que con-siste no uso de bases de dados e conceitos de estatísticas para ge-rar informações, já é uma reali-dade nas editorias do jornal. Neste fim de semana, a editoria Rio apresenta uma reportagem que começou com a análise de dados. O repórter FÁBIO VASCON-CELLOS reuniu tabelas do Anuá-rio Estatístico do Rio e descobriu informações sobre os imigrantes que vivem por aqui: —Os dados, sejam eles quanti-tativos ou qualitativos, são infor-mações preciosas . Enquanto Fábio trabalhava nas tabelas do Anuário, coube ao repórter RODRIGO BERTOLUCCI dar vida aos números. Para isso, ele percorreu ruas do Rio atrás de imigrantes que confirmassem os dados. Bertolucci contou com a ajuda da repórter fotográfica MÁRCIA FOLETTO. l ALEXANDRE CASSIANO A News Corp, do magnata Rupert Murdoch, comprou a editora canadense Harlequin por US$ 415 milhões Loterias PÁGINA 26 l O leitor deve checar os resultados em agências oficiais e no site da CEF porque, com os horários de fechamento do jornal, os números aqui publicados, divulgados sempre no fim da noite pela CEF, podem eventualmente estar defasados. QUINA 3.478 l14 l49 l50 l65 l78 DUPLA SENA 1.277 1ª l14 l31 l35 l40 l45 l49 2ªl03 l13 l23 l31 l36 l41 LOTOFÁCIL 1.050 l01 l04 l06 l07 l10 l12 l13 l15 l16 l17 l19 l21 l22 l24 l25 Leia também _ País Coronel reformado diz que corpo de Rubens Paiva não foi entregue ao IML porque DOI montou farsa antes PÁGINA 10 Rio Bailes funk, que já foram proibidos, agora terão patrocínio da Secretaria estadual de Cultura PÁGINA 14 Economia Apesar do reajuste, tabela do IR continua defasada. Quem ganha R$ 7.500 por mês deveria pagar 52% menos PÁGINA 25 Mundo Deslizamento de terra arrasa aldeia no Afeganistão, deixando 350 mortos e 2.100 desaparecidos PÁGINA 31 ONG Freedom House diz que 2013 foi pior ano para liberdade de imprensa no mundo na última década PÁGINA 31 Conte algo que não sei _ ‘Eu educo os pais a lidar com as crianças’ _ Renato Ferreira, o palhaço Topetão Promove espetáculos de circo em países da Escandinávia; participará do 2º Festival Internacional de Circo no Rio “Tenho 43 anos e sou nascido e criado em Vigário Geral, lugar polêmico e de onde tirei minhas histórias. De lá também trago valores dos quais não abro mão e que multiplico nas minhas músicas, livros, histórias e shows. Para os picadeiros e palcos, esse palhaço de topete azul leva a sua experiência” _ ENTREVISTA A: LUDMILLA DE LIMA ludmilla.lima@oglobo.com.br l Conte algo que não sei. Como pode um garoto sair de Vigário Geral e conseguir rodar o mundo e dar emprego para um montão de gente? Vi-gário Geral é uma favela sim-bólica por tudo que aconteceu. Eu era fascinado pela Folia de Reis e, na chacina, mataram todo mundo. Na Folia tinha um palhaço que me encanta-va. Ali começou a minha histó-ria com a arte. Saí de Vigário Geral e fiz um percurso total-mente fora do normal. l Como nasceu o palhaço? O Topetão foi um processo. Comecei primeiro fazendo tea-tro no Calouste Gulbenkian e fui para a Escola Nacional de Circo, onde comecei a experimentar o que tinha visto quando era cri-ança. Depois viajei o mundo in-teiro fazendo circo. Tudo que conquistei foi muito por conta da leitura. Tive uma formação um pouco diferente dos meus amigos de Vigário Geral. l Na infância, você embru-lhava frangos num galinhei-ro. A sua história é de fazer rir ou chorar? É para rir. Tive infância mui-to pobre, mas minha família era muito rica em sabedoria. Meu pai era analfabeto e dizia: “Renato, o que faz a diferença é ler e saber ler. Tire proveito dis-so.” O galinheiro foi importan-te para a minha formação. Tra-balhei lá dos 8 aos 14 anos. Eu lia os jornais que os porteiros traziam da Zona Sul para a gente embrulhar os frangos. Lia o Segundo Caderno, o Zue-nir Ventura, o Veríssimo. l Você já era um palhaço na escola? Eu era inquieto e muito ale-gre. Meus professores me ado-ravam. Não tinha tanta facilida-de porque zoava muito. Mas eu era do tipo carinhoso. Eu já ti-nha essa ideia de resgatar quem era discriminado por ser gordi-nho, por ser mais delicado... l Como suas palhaçadas o le-varam aos picadeiros euro-peus? Assim que eu me formei, com 19 anos, chegaram à Escola Na-cional de Circo uma brasileira e um alemão. Nesse dia, eu estava esperando para fazer um teste, mas a pessoa não veio. Estava indo embora quando esse casal apareceu. Três meses depois, eles voltaram ao Brasil e a gente mostrou a nossa proposta. Eles adoraram. Percebi que aquela era a oportunidade de tirar mi-nha família da favela. l Sua companhia, a Upleon, exporta artistas do Rio para a Europa. Como ela funciona? Eu, minha sócia Olga Dalsen-ter e mais dois amigos criamos a Upleon, que já tem 23 anos. Ho-je são 80 artistas de circo viajan-do pela Suécia, Alemanha e Fin-lândia para espetáculos em par-ques e em navios. A maioria dos artistas vem de projetos sociais. Eles todos têm casa, têm carro. l Qual é a magia dos meninos do Rio? Amágica dos nossos artistas é a facilidade do humor, de fazer rir. A gente se entrega ao perso-nagem. Os europeus têm boa técnica, porque têm boa escola de preparação, mas a coisa lá é muito fria. O segundo trunfo é a capacidade de fazer um espetá-culo colorido e alegre. l O Topetão hoje tem um cir-co para chamar de seu? Eu tenho um circo que roda o Rio de Janeiro todo. Eu tam-bém levo o meu espetáculo pa-ra o Brasil inteiro. Eu educo os pais a lidar com as crianças. Nos shows, eu trago o pai para o palco e pergunto: “Você ensi-nou seu filho a andar de bici-cleta?” E boto o pai para andar numa bicicletinha pequenini-nha. Eu faço os pais pensarem, porque as crianças querem es-sa participação, querem que ele olhe o caderno, ensine a andar de bicicleta. | Panorama político | _I LIMAR FRANCO Ilimar@bsb.oglobo.com.br Dilma no ataque A presidente Dilma decidiu partir para a ofensiva. O tom vem subindo gradativamente desde o início da crise da Petrobras. E não vai parar, segundo seus estrategistas. Dilma cansou de ouvir, sem revidar, ataques dos aliados no Congresso e dos adversários na eleição que se avizinha. Determinou aos ministros que sigam sua linha e não deixem nada, nem provocações, sem resposta. Um típico paulista A candidatura de Paulo Skaf (PMDB) ao governo de São Paulo tornou-se uma das maiores preocupações do PT e dos estrategistas da presidente Dilma. Pesquisa qualitativa do partido aponta que Skaf tem ótima imagem, sendo citado como típico paulista de descendência libanesa e perfil de executivo, que agrada ao eleitorado. Alexandre Padilha (PT) enfrenta desconfiança porque o eleitor o compara ao prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), cuja gestão é considerada muito complicada. Quanto ao tucano Geraldo Alckmin, a qualitativa mostra que a falta d’água o atingiu em cheio, somando-se à fadiga de material e ao caso Alstom. _ “Estas empresas são muito malas (oferecendo ofertas nos sites e não cumprindo o preço na conta). Elas têm mais advogados que engenheiros para resolver as reclamações” Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, sobre as operadoras de celular _ #fail Oe-mail criado pelo governo desde que Dilma teve suas mensagens violadas pelo governo dos EUA é tão seguro que não funciona. Ou são jogados na caixa de spams, ou não chegam aos destinatários. Limpando a área O senador Roberto Requião (PMDB-PR) e o vice-presidente Michel Temer almoçaram ontem, em São Paulo, para discutir a candidatura ao governo paranaense. O PT não quer Requião na disputa, mas, com ele, o PMDB se afasta do PSDB do governador Beto Richa. Temer tenta unificar os peemedebistas em torno de Requião. ROBERTO STUCKERT F./1-12-2009 Troca-troca O deputado Anthony Garotinho (PR) propôs ao deputado Vieira da Cunha (PDT-RS), que é vice-presidente do PDT, que convença seu partido a apoiá-lo ao governo do Rio. Em troca, garante o apoio do PR à sua candidatura no Sul. Descompasso Enquanto o governo reajusta em 4,5% o Imposto de Renda, projeto de lei que será votado terça-feira na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara estabelece correção de 10,86% (5% de correção + rendimento médio do trabalhador, segundo cálculo do Sindifisco). A proposta é apadrinhada pelo PT, que pôs o tema na pauta. Tal pai, tal filho Eduardo, filho do deputado Jair Bolsonaro (PP), resolveu seguir os passos do pai. Escrivão da PF, concorrerá à Câmara pelo PSC de São Paulo. Acha que tem chance pela votação estimada do pastor Feliciano e do Dr. Ray, do mesmo partido. Indeciso A chapa PSB-PDT ao governo do Distrito Federal será lançada dia 17. O senador Rodrigo Rollemberg (PSB) como candidato ao governo e o deputado Reguffe (PDT), ao Senado ou a vice. Ele ainda não decidiu qual vaga prefere disputar. _ FORA DE ÉPOCA. Deputados do PROS querem trocar o ministro da Integração Nacional, Francisco Teixeira. Reclamam que ele não os representa. _ Com Simone Iglesias, sucursais e correspondentes panoramapolitico@oglobo.com.br Sérgio Magalhães e Pedro da Luz, do IAB; Gilson Paranhos de Paula e Silva, Jerônimo de Moraes Neto e Julio Moreno, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil; e Marcio de Queiroz Ribeiro, presidente do Sindicato da Arquitetura e da Engenharia; acompanhados do assessor de imprensa Túlio Brandão, visitaram ontem a Redação, onde foram recebidos por editores. Sociedade Com células da pele de um homem infértil, cientistas conseguiram criar espermatozoides PÁGINA 27 2 l O GLOBO Quarta-feira 21 .5.2014 Página 2 Aula de jogo Site compara lances de Romário A REVISTA DIGITAL PARA O SEU TABLET com os atuais Conte algo que não sei _ ‘A Brazuca, bola da copa, é um cubo’ _ Etienne Ghys, matemático Especializado em teoria do caos, francês esteve no Rio para uma série de palestras a convite do Impa, onde estudou quando era jovem “Tenho 59 anos, sou pesquisador de matemática. Trabalho na França, mas boa parte da minha cultura nasceu no Brasil, no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, que mudou minha forma de ver a disciplina, formal, francesa. Matematicamente, eu hoje sou brasileiro” _ ENTREVISTA A: LUDMILA DE LIMA ludmila.lima@oglobo.com.br l Conte algo que não sei. A Brazuca, a bola oficial da Co-pa, é um cubo. Um cubo tem 6 faces, 12 arestas e 8 vértices, não é? A Brazuca é constituída por 6 peças costuradas ao lon-go de 12 arestas e tem também 8 vértices. A única diferença de um cubo de verdade é que as arestas não são retas, mas cur-vas. Um cubo esférico! Muito mais bonito que as bolas clás-sicas, com 32 faces — 20 hexá-gonos e 12 pentágonos. l No Rio usamos “caos para os problemas da cidade. O que é para a matemática? O caos é uma história compli-cada, que começou há mais de cem anos quando entendemos que o mundo pode ser deter-minista: o futuro é consequên-cia do passado. Mas isso não implica que é fácil determiná-lo. Se eu conhecer a situação presente, em princípio, posso deduzir o que vai acontecer. Mas, na prática, não posso. lComo podemos aplicar essa teoria no mundo hoje? Na verdade, em tudo. De re-pente, você pega um ônibus, depois pega outro, e encontra nele a mulher com quem vai se casar. O mundo é tão complexo que qualquer perturbação pe-quena implica modificações profundas. O caos não é so-mente aquela constatação ne-gativa de que não podemos fa-lar do futuro. Podemos, sim, afirmar algumas coisas estatís-ticas. Um exemplo são os fura-cões que vão atravessar o ocea-no. Ninguém sabe quando eles vão chegar. Mas hoje os meteo-rologistas já podem determi-nar quantos furacões vão atra-vessar o oceano em julho. Aí, o caos vira uma coisa positiva. lApós dez dias no Rio, dá pa-ra calcular a probabilidade de tudo dar certo na Copa? Não sei (risos). Cada vez que venho aqui vejo o trânsito pior. No engarrafamento, você está sempre procurando a origem do caos, mas ela talvez esteja muito longe e seja tão pequena que ninguém poderá notá-la. A teoria do caos tem que ser modesta. Não pode prever mais do que é possível. Saber se vai ter engarrafamento ama-nhã no Túnel Rebouças, por exemplo, é impossível. l É importante as pessoas co-nhecerem a teoria do caos? É importante até do ponto de vista filosófico. É bom saber que cada um de nós tem sua influência no mundo. Mesmo se há sete bilhões de pessoas no planeta. Acabou que a teo-ria do efeito borboleta foi leva-da para o campo da autoajuda. Eu gosto disso. Porque há pou-quíssimas ideias matemáticas que saem do nosso meio. l As asas de uma borboleta no Brasil podem mesmo interfe-rir em um tornado nos EUA? A verdade é que, sim, uma bor-boleta aqui pode ter conse-quências nos Estados Unidos. Mas não é um privilégio do Brasil: uma borboleta na Fran-ça também pode. A borboleta com duas asas vai modifican-do um pouquinho o vento num lugar preciso, e essa mo-dificação pequena pode gerar outras, e assim por diante, com outros fatores, chegamos ao tornado. l O senhor, quando jovem, fez um intercâmbio no Impa. Qual foi a importância? O Impa é o lugar mais impor-tante no mundo no ramo do caos. Há várias maneiras de se fazer matemática, e a maneira francesa é mais rígida. Quando cheguei ao Brasil descobri ou-tra maneira de pensar a disci-plina. O Impa tem uma manei-ra descontraída, muito aberta de trabalhar. E isso mudou a minha vida completamente. Hoje em dia, matematicamen-te, eu sou brasileiro. DANIELA DACORSO Motéis conversíveis Novos hóspedes. A repórter Celia Costa num dos motéis já adaptados GABRIEL DE PAIVA pectativa dos donos é a melhor possível: muitos preveem lota-ção total dos quartos durante a competição. — Quando o Brasil foi esco-lhido para sediar a Copa, esses empresários já estavam dialo-gando com a prefeitura para fazer adaptações. O preço acessível e o conforto foram atrativos — diz a repórter CE-LIA COSTA, que passou por situ-ações inusitadas durante a apuração. — Entrar nos motéis a trabalho, acompanhada de dois homens (fotógrafo e mo-torista), foi algo bastante estra-nho. Assim como perguntar aos donos que apetrechos eles tiveram que retirar dos quartos para receber as famílias. l Quando a seleção canari-nho pisar no gramado da Arena Corinthians, em São Paulo, em sua estreia na Copa, em 12 de junho, donos de motéis no Rio estarão cele-brando bem mais que os ga-nhos convencionais do Dia dos Namorados. De olho no fi-lão do megaevento internacio-nal, uma turma de empreen-dedores apostou em adapta-ções para receber turistas em luxuosas suítes com banheiras de hidromassagem, camas re-dondas e luzes no teto. O GLOBO foi atrás de históri-as de motéis que aproveitaram para faturar com a chegada de milhares de turistas para o evento. E descobriu que a ex- Loterias l O leitor deve checar os resultados em agências oficiais e no site da CEF porque, com os horários de fechamento do jornal, os números aqui publicados, divulgados sempre no fim da noite pela CEF, podem eventualmente estar defasados. QUINA 3.493 l01 l17 l27 l39 l55 DUPLA SENA 1.282 1º sorteio 2º sorteio l11 l18 l20 l31 l39 l45 l04 l11 l12 l15 l27 l47 _ País Contra projeto que aumenta gratificações de juízes, Planalto propõe aumentar teto salarial PÁGINA 6 Senado aprova cota de 20% para negros em concursos federais. Lei agora vai para a sanção de Dilma PÁGINA 8 Governo é derrotado no Senado e regra que flexibiliza licitações valerá só para construção de presídios PÁGINA 19 Mundo Netanyahu afirma que paz com palestinos virá após entendimento com países árabes, e não o contrário PÁGINA 27 | Panorama político | _ O EX-PRESIDENTE LULA evita, em todas as conversas, criticar o candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. Está de olho no segundo turno. _ Com Simone Iglesias, sucursais e correspondentes panoramapolitico@oglobo.com.br Sociedade Desmatamento cai 58% na Amazônia Legal nos últimos 8 meses, mas volta a crescer em MT PÁGINA 26
  57. 57. Acervo *Àœ`ÕVÌ œLœ *ÕL
  58. 58. Ìi £{‡än‡Óä£{ œ˜i Vˆœ˜ `ˆÌˆœ˜ £ *}i * Ú/ 1ÃiÀ ȓœ˜ /ˆ“i än‡£Î‡Óä£{ ÓÓ£ä œœÀ 9 ƤǕ ħ L )@LL ħ 0FăŴ ħ YƠėĸƑ„ĕçÏėŴ„ Ōù Ş× ŞƝdžŌù 62
  59. 59. % $0% ÈšƒšŲŚÈ ŚÈŁÈŚªſŲÈ ĦĮ ÈƙŲÈŚĉĮŚ¹ È h ęƒġÈĦŲƒġ ġĮŚŲÈ ¬Ó¦B› RӒáD¦’¬ ’¦B¦’B› 3’¡o× f’÷ Èêo B’fo¦áo ÏðB’ ¡êfBÓ B o›o’^Q¬Ð ]D]H d ›ÏŴĸ„ŴÀłŞƑ„›„Ĥ˜łüħł›łŞ¬łıŞ›Ŵ *s0 ]H` çħ„ƴė„Ş›„Ŵ›łŻ„˜łüħł›łŞ¬łıŞ›Ŵ ĕZ1L u^.1G)dLGĕ YƘȲÇƘ ȓĀŽƼƘ éĀƼƘţDz éƒ ÇƘƆģţǪŝ ŽƒÌ£Ƙ éƒ ŽƘǪȓĀ éƘ ǃƆéţéƒȓƘ ‘ YǪĀDzţéąƆÇţƒ ƼĀŴƘ Y`á éȲƒǪéƘ ƒŽƼƘDzá ƘDz DzţȓĀDz éƘDz ƼǪţƆÇţƼƒţDz ŰƘǪƆƒţDz ţƆȓĀǪƆƒÇţƘƆƒţDz ۆ ǪĀƼĀǪŝ ÇȲȓţƒŽ ƒ ƆƘȓŦÇţƒǎ á ƆƘDz DzȓƒéƘDz iƆţéƘDzá ƒ ƒDzƒ ǪƒƆǃ Ā Ƙ Āŝ ƼƒǪȓƒŽĀƆȓƘ éĀ DzȓƒéƘ ŴƒŽĀƆȓƒŝ ǪƒŽ Ƙ ƘÇƘǪǪţéƘ Ā ĀƆɑţƒǪƒŽ ÇƘƆŝ éƘŴąƆÇţƒDz ƒƘDz ģƒŽţŴţƒǪĀDz Ā ƒŽţŝ ŅƘDzǎ YƘǪ ɑƘŴȓƒ éƒDz ƨļŗȘɥŽ éĀ ƘƆŝ ȓĀŽá ƆƘ dɓţȓȓĀǪá ƒ ŗƒDzŗȓƒŅ Ɣ]0ŝ YéȲƒǪéƘƒŽƼƘDz ĀDzȓƒɑƒ ƆƘ ȓƘŝ ƼƘ éƘ ȓǪĀƆé ȓƘƼţÇDz ŅŴƘ¥ƒŴá Ƙ ǛȲĀ ĀǛȲţɑƒŴĀ éţɡĀǪ ǛȲĀ ĀǪƒ Ƙ ȓĀǪŽƘ ŽƒţDz ȲȓţŴţɡƒéƘ ƆƘ ƼĀǪŦƘéƘ ƼĀŴƘDz ţƆȓĀǪƆƒȲȓƒDz ĀŽ ȓƘéƘ Ƙ ŽȲƆéƘǎ Dƒ ȲǪƘƼƒá ƒ ŽƒƆÇŗĀȓĀ ƼǪţƆŝ (dŞ ŰFƠÀ„ĸ²„ ĸ„Ż ÏħÏė²ŕÏŻű ÇţƼƒŴ éƘ DzţȓĀ éƘ éţ†ǪţƘ ¥ǪţȓˆƆţÇƘ Ǥ*ţƆƒƆÇţƒŴ dţŽĀDzǥá ĀDzƼĀÇţƒŴţɡƒéƘ ƆƘ ƆƘȓţÇţ†ǪţƘ ĀÇƘƆƝŽţÇƘá éĀDzȓƒŝ ǃɑƒÜ ǤBƘǪȓĀ éĀ éȲƒǪéƘ ƒŽŝ ƼƘDz ĀŽ ƒÇţéĀƆȓĀ éĀ ƒɑţ£Ƙ ŽȲéƒ ƒ ĀŴĀţÌ£Ƙǥǎ ǪĀƼƘǪȓƒŅĀŽ ǪĀDzDzƒŴŝ ȓƘȲ ǛȲĀ ƒ ȓǪƒŅăéţƒ ŽȲéƒǪ† ǤƒDz ĀŴĀţÌƺĀDz ŽƒţDz éţDzƼȲȓƒéƒDz éƘ Ƽƒŝ ŦDz ĀŽ ŽƒţDz éĀ ȲŽƒ éăǃéƒǥǎ DƘ ÇƘŽĀÌƘ éƒ ƆƘţȓĀ éĀ ƘƆȓĀŽá ƒ ƆƘȓŦÇţƒ ĀǪƒ ƒ ŽƒţDz ƒÇĀDzDzƒéƒ éƘ DzţȓĀ éƘ Ǥ*dǥǎ H ƼƘǪȓƒŴ éƒ ȓƒŽ¥ăŽ éĀȲ ¥ƘŽ ĀDzƼƒÌƘ ‘ ƆƘŝ ȓŦÇţƒǎ ƘŽ ŽĀƆƘǪ éĀDzȓƒǛȲĀá ŽƒţDz ƒţƆéƒ Ɔƒ ƼǪţŽĀţǪƒ Ƽ†ŅţƆƒ ɑţǪȓȲƒŴá Ƙ ȓƒŽ¥ăŽ ¥ǪţȓˆƆţÇƘ ǤdŗĀ ,ȲƒǪéţƒƆǥ ǪĀDzDzƒŴȓƒɑƒ ǛȲĀ ƒÇţéĀƆȓĀ ƘÇƘǪǪĀȲ ǤƼƘǪ ŽƒȲ ȓĀŽƼƘǥ Ā ǤéĀţɕƒɑƒ ĀŽ¥ƒǪƒŴŗƒŝ éƒDz ƒDz ĀŴĀţÌƺĀDz éĀ ƘȲȓȲ¥ǪƘǥǎ DƘ DzţȓĀ éƘ ģǪƒƆÇąDz ǤĀ BƘƆéĀǥá Ƙ éĀDzƒDzȓǪĀ ĀǪƒ ƒ DzĀŝ ŅȲƆéƒ ƼǪţƆÇţƼƒŴ ƆƘȓŦÇţƒ ĀŽ éĀDzȓƒǛȲĀÜ ǤéȲƒǪéƘ ƒŽƼƘDz ĀǪƒ ȲŽ éƘDz ƼǪţƆÇţƼƒţDz ƒéɑĀǪŝ Dz†ǪţƘDz éƒ ƼǪĀDzţéĀƆȓĀ ţŴŽƒ ]ƘȲDzDzĀģģ ǥǎ :† Ƙ ǤĀ *ţŅƒǪƘǥ Ƙ¥DzĀǪɑƒɑƒ ǛȲĀ ƒŽƼƘDz ĀDzȓƒŝ ɑƒ Ɔƒ ȓĀǪÇĀţǪƒ ƼƘDzţÌ£Ƙ éƒ ÇƘǪŝ Ǫţéƒ ƼǪĀDzţéĀƆÇţƒŴǎ ĀéţÌ£Ƙ Ɔƒ ţƆȓĀǪƆĀȓ éƘ ĀDzƼƒŝ ƆŗƘŴ ǤŴ YƒŦDzǥá ȓƒŽ¥ăŽ Ɔƒ ƼǪţŝ ŽĀţǪƒ Ƽ†ŅţƆƒá ĀDzȓƒŽƼƒɑƒÜ ǤH ƒɑţ£Ƙ ǃţȲ DzƘ¥ǪĀ ȲŽƒ ǃDzƒ ĀŽ `ƒƆȓƘDzá `£Ƙ YƒȲŴƘǎ ţŽƼǪĀƆDzƒ ŴƘǃŴ éţɡ ǛȲĀ Ɔ£Ƙ ŗ† DzƘ¥ǪĀɑţɑĀƆŝ ȓĀDzǥǎ :† Ƙ ƼƘǪȓƒŴ éƒ ŽƒţDz ƼǪĀDzȓţŅţŝ ƒéƒ ǪĀɑţDzȓƒ ƒŴĀŽ£á ƒ ǤĀǪ `ƼţĀŝ ŅĀŴǥá éĀDzȓƒÇƘȲ ǛȲĀ ƒŽƼƘDz ǤĀǪƒ ÇƘƆDzţéĀǪƒéƘ ȲŽ ƼǪƘŽţDzDzƘǪ éĀŝ DzƒģţƒƆȓĀ éĀ ţŴŽƒ ]ƘȲDzDzĀģǥǎ ^ ZG @FGd FLZd ŽƘǪȓĀ éĀ éƘ ǃƆéţéƒȓƘ ȓƒŽŝ ¥ăŽ ǪĀɑĀǪ¥ĀǪƘȲ ƆƘDz DzȓƒéƘDz iƆţéƘDzǎ H ƘƆDzĀŴŗƘ éĀ `ĀŅȲǪƒƆŝ ̃ DƒÇţƘƆƒŴ éƒ ƒDzƒ ǪƒƆǃá ÇŗĀģţƒéƘ ƼĀŴƒ ĀɕŝĀŽ¥ƒţɕƒéƘǪƒ `ȲDzƒƆ ]ţÇĀá ƒDzDzĀDzDzƘǪƒ éƘ ƼǪĀDzţŝ éĀƆȓĀ ƒǪƒÇŲ H¥ƒŽƒ Ɔƒ ģƘǪŽȲŝ ŴƒÌ£Ƙ éƒ ƼƘŴŦȓţǃ ĀɕȓĀǪƆƒ ƒŽĀǪţŝ ǃƆƒá ŴƒŽĀƆȓƘȲ ƒ ŽƘǪȓĀǎ ƒɑƒŴţŝ ƒÌ£Ƙ ƼǪĀŴţŽţƆƒǪ DzƘ¥ǪĀ Ƙ ÇĀƆ†ǪţƘ ĀŴĀţȓƘǪƒŴ ¥ǪƒDzţŴĀţǪƘ ă éĀ ǛȲĀ ƒ ǃŽƼƒƆŗƒ ģţÇƘȲ ţŽƼǪĀɑţDzŦɑĀŴǎ iŽ ţŽƼƘǪȓƒƆȓĀ ţƆȓĀǪŴƘÇȲȓƘǪ éƒ ƒDzƒ ǪƒƆǃ ƒģţǪŽƘȲ ƒƘ ,HH ǛȲĀ Ǥƒ ĀŽƘÌ£Ƙ ĀŽ ȓƘǪƆƘ éĀDzȓĀ ĀɑĀƆȓƘ éĀɑĀǪ† ÇƘŽƼŴţǃǪ ƒDz ƼǪĀŝ ɑţDzƺĀDz DzƘ¥ǪĀ Ƙ ǪĀDzȲŴȓƒéƘ éƒDz ĀŴĀţŝ ÌƺĀDzá ƒƘ ŽĀƆƘDz ƆĀDzȓĀ ŽƘŽĀƆȓƘǥá Ā ǛȲĀ ƒ ŴĀţȓȲǪƒ éƘ ţŽƼƒÇȓƘ éĀŝ ƼĀƆéĀǪ† ŽȲţȓƘ éƘDz ƼƒDzDzƘDz éƒ ÇƘŴţŅƒÌ£Ƙ éĀ ƒŽƼƘDz Ā DzĀ Ƙ ŅǪȲŝ ƼƘ ţƆéţǃǪ† ƒ ɑţÇĀ Ɔƒ ÇŗƒƼƒá Bƒŝ ǪţƆƒ `ţŴɑƒá ƼƒǪƒ DzȲ¥DzȓţȓȲţǪ Ƙ Āɕŝ ŅƘɑĀǪƆƒéƘǪ éĀ YĀǪƆƒŽ¥ȲÇƘǎ H ĀƼƒǪȓƒŽĀƆȓƘ éĀ DzȓƒéƘ ĀɕƼǪĀDzDzƘȲ ƘDz ƼąDzƒŽĀDz éȲǪƒƆȓĀ ƒ ÇƘŴĀȓţɑƒ éĀ ţŽƼǪĀƆDzƒ éţ†Ǫţƒ éƒ éţƼŴƘŽƒÇţƒ ƒŽĀǪţǃƆƒÜ ĕ DzȓƒŽƘDz ĀƆȓǪţDzȓĀÇţéƘDz ÇƘŽ ĀDzȓƒ ȓǪƒŅăéţƒá ĀɕƼǪĀDzDzƒŝ ŽƘDz ƆƘDzDzƒDz ŽƒţDz ƼǪƘģȲƆéƒDz ÇƘƆéƘŴąƆÇţƒDz ‘ ģƒŽŦŴţƒ Ā ƒƘDz ƒŽţŅƘDzǎ DƘDzDzƘ ĀŽ¥ƒţɕƒéƘǪ GGŞ Ű„ĸÀėÀ„Ƒł ÏĸƑŴÏ łŻ ıłŴƑłŻű ƆƘ ǪƒDzţŴ ȓƒŽ¥ăŽ ĀDzȓ† ģƒɡĀƆŝ éƘ ÇƘƆȓƒȓƘDz ÇƘŽ ƒȲȓƘǪţéƒŝ éĀDz ¥ǪƒDzţŴĀţǪƒDz ƼƒǪƒ ģƘǪŽƒŴŝ ŽĀƆȓĀ ĀƆɑţƒǪ ƆƘDzDzƒDz ÇƘƆéƘŝ ŴąƆÇţƒDz ĕ ƒģţǪŽƘȲ BƒǪţĀ .ƒǪģá ɑţÇĀŝƼƘǪȓƒŝɑƘɡ éƘ Āŝ ƼƒǪȓƒŽĀƆȓƘ éĀ DzȓƒéƘǎ H ŰƘǪƆƒŴ ƒŽĀǪţǃƆƘ ǤdŗĀ uƒŴŴ `ȓǪĀĀȓ :ƘȲǪƆƒŴǥá ĀDzƼĀÇţƒŴţɡƒéƘ ĀŽ ĀÇƘƆƘŽţƒá ȓƒŽ¥ăŽ ÇƘŴƘÇƘȲ ƒ ŽƘǪȓĀ éƘ ƼƘŴŦȓţÇƘ ÇƘŽƘ éĀDzȓƒŝ ǛȲĀ éƘ DzţȓĀǎ :† ƘDz ƘȲȓǪƘDz éƘţDz éţ†ŝ ǪţƘDz ŽƒţDz ǪĀDzƼĀţȓƒéƘDz ƆƘDz iá ǤdŗĀ DĀɓ yƘǪŲ dţŽĀDzǥ Ā ǤdŗĀ uƒDzŗţƆŅȓƘƆ YƘDzȓǥá Ɔ£Ƙ éĀǪƒŽ ȓƒƆȓƘ éĀDzȓƒǛȲĀ ĀŽ DzȲƒDz ŗƘŽĀŝ ƼƒŅĀDzá ¥ĀŽ ÇƘŽƘ Ƙ DzţȓĀ éƘ ǃƆƒŴ éĀ ƆƘȓŦÇţƒDz ȧļ ŗƘǪƒDz DDá ǛȲĀ ĀDzÇǪĀɑĀȲ ȲŽƒ ŴţƆŗƒÜ ǤÇţéĀƆȓĀ ÇƘŽ ƒɑţ£Ƙ Žƒȓƒ ǃƆéţéƒȓƘ ƆƘ ǪƒDzţŴǥǎ H ǤDydǥ ǪĀDzDzƒŴȓƘȲ ƒ ȓǪƒŰĀŝ ȓƛǪţƒ ƼĀDzDzƘƒŴ Ā ƼƘŴŦȓţÇƒá ƒŴăŽ éƒ ƼƒǪÇĀǪţƒ ÇƘŽ BƒǪţƆƒÜ Ǥƒ ƒŴţƒƆ̃ éĀ ƒŽƼƘDz ÇƘŽ `ţŴɑƒá ȲŽƒ ƼƘŴŦŝ ȓţǃ ƼƘƼȲŴƒǪ ǛȲĀ ģƘţ ŽţƆţDzȓǪƒ éƘ BĀţƘ Ž¥ţĀƆȓĀá ĀǪƒ ɑţDzȓƒ ÇƘŽƘ ȲŽ ƼƘDzDzŦɑĀŴ ţŽƼȲŴDzƘ ‘ ǃƆéţéƒŝ ȓȲǪƒá ĀŽ¥ƘǪƒ ȲŽƒ ƼĀDzǛȲţDzƒ ǪĀŝ ÇĀƆȓĀ ȓĀƆŗƒ ŽƘDzȓǪƒéƘ ƒ éȲƼŴƒ ÇƘŽ Čnjá Ɔƒ ÇƘŽƼƒǪƒÌ£Ƙ ÇƘŽ ƘDz ȘȂnj éĀ ]ƘȲDzDzĀģģǥǎ Dƒ ŽăǪţǃ éƘ `ȲŴá ƘDz DzţȓĀDz éƘDz éţ†ǪţƘDz ƒǪŅĀƆȓţƆƘDz ǤŴƒǪŦƆǥ Ā Ǥƒ DƒÇţƛƆǥ ƼȲ¥ŴţǃǪƒŽ ĀŽ DzȲƒDz ǃƼƒDz ƆƘȓŦÇţƒDz DzƘ¥ǪĀ Ƙ ƒÇţŝ éĀƆȓĀá ÇƘŽ Ƙ DzĀŅȲƆéƘ éĀDzȓƒŝ ǃƆéƘÜ Ǥ ŽƘǪȓĀ éĀ éȲƒǪéƘ ƒŽƼƘDz ŽȲéƒ Ƙ ȓƒ¥ȲŴĀţǪƘ ĀŴĀţŝ ȓƘǪƒŴ ƆƘ ǪƒDzţŴǥǎ H ÇƘŴƘŽ¥ţƒƆƘ ǤŴ dţĀŽƼƘǥ ȓƒŽ¥ăŽ ĀDzÇǪĀɑĀȲ DzƘ¥ǪĀ ƒ ȓǪƒŅăéţƒá éţɡĀƆéƘ ǛȲĀ ǤƆ£Ƙ ĀDzȓ† ÇŴƒǪƘ ǛȲĀŽ ƒDzDzȲŽţǪ† ƒ ǃƆéţéƒȓȲǪƒ éƘ Y`ǥǎ † X„ė ÀłŻ Xł›ŴÏŻŞ )ÏƑơħėł t„Ŵü„Ż Ð ƴÏħ„Àł ĸł X„ħ…¬ėł Àł „ƑÏƑÏ» ŖŴÏŻŻėłĸ„Àł½ ł ÏŻƑ„ÀėŻƑ„ ü„ơ¬Đł ¬łıÏƑÏƠ ŻƠė¬ęÀėł ĸł Àė„ Ɲù ÀÏ „üłŻƑł ÀÏ Ōļôù …«Öà«a Öé‘[’e‘«b Òn¥ê¥[‘A n  «ÒànÖ ¥A º«š’à‘[A QÒA֑šn‘ÒA t„Ŵü„Ż½ ‡ĸėł YƠ„ÀŴłŻ½ Ï FėüƠÏħ ŴŴ„ÏŻ Ż„ęŴ„ı ÀÏ ¬Ïĸ„ ĸ„ ıÏŻı„ ÐŖł¬„ Àł „ĸł ZYi1tL O acervo – digilitalizado e disponível no site, complementa a edição impressa. Diariamente, um editor participa da primeira reunião da manhã e coordena com os outros editores os temas a serem pesquisados. ZXZLiW^ Ş ÏŻƑ„ŨƠÏ ĸł ŖłŴƑ„ħ ÀÏ ĸłƑę¬ė„Ż @„ G„¬ėŃĸŞ ŮFƠÀ„ĸ²„ ĸł Ƒ„›ƠħÏėŴłů HƘţȓƒɑƘ ŽąDz éƘDz ǃŴĀƆé†Ǫţŝ ƘDz ŰȲŴţƒƆƘ Ā ŅǪĀŅƘǪţƒƆƘ ƼƘéĀǪţƒ DzĀǪ ƼȲŴƒéƘ Ɔƒ ƼƘŝ ŴŦȓţǃ ¥ǪƒDzţŴĀţǪƒǎ ƘŽ ƘDz DzĀȲDz ŴƘƆŅƘDz Șƨ éţƒDzá ƒŅƘDzȓƘ ĀƆȓǪƘȲ ƼƒǪƒ ƒ .ţDzȓƛǪţƒ éƘ ǪƒDzţŴ ŽƒǪǃéƘ ƼƘǪ ȓǪƒŅăéţƒDzá éĀ DzȲţÇŦéţƘ Ā ǪĀƆȴƆÇţƒ éĀ ƼǪĀDzţéĀƆȓĀDz éƒ ]ĀƼȴ¥Ŵţǃ ƒȓă ŽƘǪȓĀDz éĀ ŦÇƘƆĀDz éƒ ƼƘŴŦȓţǃ ƆƒÇţƘŝ ƆƒŴá ÇƘŽƘ Ƙ ĀɕŝƼǪĀDzţéĀƆȓĀ :ȲDzÇĀŴţƆƘ Ȳ¥ţȓDzÇŗĀŲ Ā BţŅȲĀŴ ǪǪƒĀDzá ĀɕŝŅƘŝ ɑĀǪƆƒéƘǪ éĀ YĀǪƆƒŽ¥ȲÇƘ Ā DzŦŽ¥ƘŴƘ éƒ ĀDzǛȲĀǪéƒ ƆƘ ƼƒŦDzá ŽƘǪȓƘ ƆƘ ŽĀDzŝ ŽƘ éţƒ éƘ DzĀȲ ƆĀȓƘá éȲƒǪéƘ ƒŽŝ ƼƘDzá ƨȘ éĀ ƒŅƘDzȓƘǎ .† Ȃɥ ƒƆƘDzá ÇƘŽƼŴĀȓƒéƘDz ƆƘ ƼǪƛŝ ɕţŽƘ éţƒ ȧļá Ƙ ƼǪĀDzţéĀƆȓĀ ,ĀȓȴŴţƘ sƒǪŅƒDz DzĀ ŽƒȓƘȲá ƆƘ YƒŴ†ÇţƘ éƘ ƒŝ ȓĀȓĀá ÇƘŽ ȲŽ ȓţǪƘ ƆƘ ƼǪƛƼǪţƘ ÇƘǪƒŝ Ì£Ƙǎ H ŴŦéĀǪ éƒ ]ĀɑƘŴȲÌ£Ƙ éĀ Șɥá Ƽƒţ éƘDz ƼƘ¥ǪĀDz Ā ģţƒéƘǪ éƒ ŽƘéĀǪƆţɡƒŝ Ì£Ƙ éƘ ƼƒŦDzá ɑţǪƘȲ ŽţȓƘ Ā ƒéţƘȲá ƼƘǪ éĀɡ ƒƆƘDzá ƒ ÇŗĀŅƒéƒ éƘDz ŽţŴţȓƒǪĀDz ƒƘ ƼƘéĀǪǎ iŽƒ ÇƘŽƘÌ£Ƙ ƆƒÇţƘƆƒŴ ȓƘŽƘȲ Ƙ ǪƒDzţŴ ţƆȓĀţǪƘ ƼĀŴƒ ŽƘǪȓĀ éĀ ,ĀȓȴŴţƘá ĀƆȓ£Ƙ ƼǪĀDzţéĀƆȓĀ ĀŴĀţȓƘǎ `ƘŽĀƆȓĀ ĀŽ ƨƉȂļá ÇƘŽ Ƙ ŅƘŴƼĀ ǛȲĀ éĀƼƝDz :Ƙ£Ƙ ,ƘȲŴƒǪȓá ÇƘŽĀ̃Ǫţƒ Ƙ ǪĀŅţŽĀ ŽţŴţȓƒǪá ǛȲĀ DzĀ ƼǪƘŴƘƆŅƘȲ ƒȓă ƨƉČĭǎ YƘǪ DzţƆƒŴá ǪǪƒĀDzá ȲŽ ŽţȓƘ ƆƒDz ǪȲƒDz éĀ ȲŽ éƘDz ŽƒţDz ƼƘŴţȓţɡƒéƘDz ĀDzȓƒéƘDz éƘ ƼƒŦDzá ȓƒŽ¥ăŽ ɑƘŴȓƒǪţƒ ƒƘ ƼƘéĀǪá ƆȲŝ Žƒ ĀŴĀţÌ£Ƙ ŗţDzȓƛǪţǃ ƼƒǪƒ ŅƘɑĀǪƆƒéƘǪá ĀŽ ƨƉČȂǎ ƼƛDz ƒƆƘDz éĀ ĀɕŦŴţƘá ƒ ƼƘƼȲŴƒŝ Ì£Ƙ ĀDzȓƒɑƒ éĀɑƘŴɑĀƆéƘ ƒƘ ƒɑƝ éĀ éȲƒǪŝ éƘ ƒŽƼƘDzá ǛȲĀ ŽƘǪǪĀǪţƒ ĀŽ ƨȘ éĀ ƒŅƘDzȓƘ éĀ ȧɥɥĭ ƒƼƛDz ƘÇȲƼƒǪ ƼƘǪ ȓǪąDz ɑĀŝ ɡĀDz Ƙ YƒŴ†ÇţƘ éƒDz YǪţƆÇĀDzƒDz ƿDzĀéĀ éƘ ŅƘŝ ɑĀǪƆƘ ĀDzȓƒéȲƒŴDžá Ƙ ǛȲĀ ƘDz ŽţŴţȓƒǪĀDz ŗƒɑţŝ ƒŽ ȓƘŽƒéƘ ĀŽ ƨƉȂļá ǛȲƒƆéƘá ŅƘɑĀǪƆƒŝ éƘǪá ģƘǪƒ éĀƼƘDzȓƘǎ Y X@GZ1 tL@dZ dǪąDz ƒƆƘDz ƒƆȓĀDz éƘ ŅƘŴƼĀ éĀ Ȃļá ȲŽƒ ÇǪţDzĀ ƼƘŴŦȓţǃ DzĀŽ ƼǪĀÇĀéĀƆȓĀDz DzƒÇȲéţȲ Ƙ ǪƒDzţŴǎ ŴĀţȓƘ ÇƘŽ Ƙ éţDzÇȲǪDzƘ éĀ ǛȲĀ ɑƒǪǪĀǪţƒ ƒ ÇƘǪǪȲƼÌ£Ƙá :ˆƆţƘ [ȲƒéǪƘDz ǪĀŝ ƆȲƆÇţƘȲ ‘ YǪĀDzţéąƆÇţƒá ĀŽ ȧĭ éĀ ƒŅƘDzȓƘ éĀ ƨƉȂƨá ƼƘǪ ÇƘƆDzţéĀǪƒǪ ţƆɑţ†ɑĀŴ ŅƘɑĀǪŝ ƆƒǪ DzƘ¥ ƒ ƘƆDzȓţȓȲţÌ£Ƙ éĀ ƨƉļȂǎ ŴĀ Ɔ£Ƙ ȓţƆŗƒ ƒƼƘţƘ éƒDz ĀDzǛȲĀǪéƒDzá éƘ Y` Āá ŽȲţȓƒDz ɑĀɡĀDzá ƆĀŽ éƒ iDǎ ŴŅȲƆDz ŗţDzŝ ȓƘǪţƒéƘǪĀDz éĀģĀƆéĀŽ ƒ ȓĀDzĀ éĀ ǛȲĀá ƒƘ éĀţɕƒǪ Ƙ ŅƘɑĀǪƆƘá :ˆƆţƘ ƼŴƒƆĀۃɑƒ ɑƘŴȓƒǪ ÇƘŽ Ƙ ƒƼƘţƘ éƘ ƼƘɑƘá ƆȲŽ ŅƘŴƼĀ ¥ǪƒƆŝ ÇƘ ǛȲĀ Ɔ£Ƙ ɑţƆŅƘȲǎ Ž ŽĀţƘ ƒ ƼǪĀDzDzƺĀDz éƘDz ŽţŴţȓƒǪĀDz Ā ‘ ǃŽƼƒƆŗƒ ŴĀŅƒŴţDzȓƒ ÇƘŽƒƆéƒéƒ ƼĀŴƘ ŅƘɑĀǪƆƒéƘǪ éƘ ]ţƘ ,ǪƒƆéĀ éƘ `ȲŴá ĀƘƆĀŴ ǪţɡƘŴƒá Ƙ ɑţÇĀŝ ƼǪĀDzţéĀƆȓĀ :Ƙ£Ƙ ,ƘȲŴƒǪȓá Ƙ :ƒƆŅƘá ƒDzDzȲŝ ŽţȲǎ DzƘŴȲÌ£Ƙ ģƘţ Ƙ ƼƒǪŴƒŽĀƆȓƒǪţDzŽƘá ƆĀŅƘÇţƒéƘ ƼƒǪƒ ŅƒǪƒƆȓţǪ ƒ DzȲƒ ƼƘDzDzĀá ÇƘŽ dƒƆÇǪĀéƘ DĀɑĀDz ÇƘŽƘ ƼǪţŽĀţǪƘŝ ŽţƆţDzȓǪƘǎ ƘŽ ƼƘéĀǪĀDz ǪĀéȲɡţéƘDzá :ƒƆŝ ŅƘ ȓǪƒ¥ƒŴŗƘȲ ƼĀŴƒ ɑƘŴȓƒ éƘ ƼǪĀDzţéĀƆÇţƒŝ ŴţDzŽƘǎ iŽ ƒŽƼŴƘ ƒƼƘţƘ ȓƒŽ¥ăŽ DzĀ ģţǪŝ Žƒɑƒ ƼĀŴƘ ǤƆ£Ƙǥ ƒƘ ƼƒǪŴƒŽĀƆȓƒǪţDzŝ ŽƘ ƆƘ ƼŴĀ¥ţDzÇţȓƘÜ ƒǪŴƘDz ƒÇĀǪéƒá :á ǪǪƒĀDz Ā ǪţɡƘŴƒá ƼƘǪ ĀɕĀŽƼŴƘǎ dƘéƘDz ţƆȓĀǪĀDzDzƒéƘDz ĀŽ ȲŽƒ ĀŴĀţÌ£Ƙ ĀŽ ƨƉȂĭá ǛȲĀ Ɔ£Ƙ ƘÇƘǪǪĀȲ éĀɑţéƘ ƒƘ ŅƘŴƼĀ ŽţŴţȓƒǪǎ ȲǪƒƆȓĀ ƘDz ƒƆƘDz éĀ ÇŗȲŽ¥Ƙá ȲŽ ƆƘɑƘ éĀDzƒDzȓǪĀ ƒ¥ƒŴƘȲ Ƙ ƼƒŦDzǎ DƘ éţƒ ȧȧ éĀ ƒŅƘDzȓƘ éĀ ƨƉǹȂá Ƙ ĀɕŝƼǪĀDzţŝ éĀƆȓĀ :ȲDzÇĀŴţƆƘ Ȳ¥ţȓDzÇŗĀŲ ŽƘǪǪĀȲ ƆȲŽ ƒÇţéĀƆȓĀ éĀ ǃǪǪƘ Ɔƒ sţƒ Ȳŝ ȓǪƒǎ DƘ ǛȲţŴƝŽĀȓǪƘ ƨȂĭ éƒ ǪƘéƘɑţƒá Ƙ HƼƒŴƒ ǛȲĀ Ƙ ŴĀɑƒɑƒ éĀ `£Ƙ YƒȲŴƘ ƼƒǪƒ Ƙ ]ţƘ ȲŴȓǪƒƼƒDzDzƘȲ ƒ ŽȲǪĀȓƒ éţŝ ɑţDzƛǪţƒ Ā ¥ƒȓĀȲ éĀ ģǪĀƆȓĀ ƆȲŽ ǃŽţŝ Ɔŗ£Ƙǎ Dƒ ăƼƘÇƒá ƒ ƼƘŴŦÇţƒ ÇŗĀŅƘȲ ƒ ţƆɑĀDzȓţŅƒǪ ƒ ŗţƼƛȓĀDzĀ éĀ ȲŽ ƝƆţ¥ȲDz ȓĀǪ ¥ƒȓţéƘ éĀ ƼǪƘƼƛDzţȓƘ Ɔƒ ȓǪƒDzĀţǪƒ éƘ ǃǪǪƘá éţǪţŅţéƘ ƼƘǪ ,ĀǪƒŴéƘ ]ţŝ ¥ĀţǪƘǎ YƘǪăŽá Ƙ ŽƘȓƘǪţDzȓƒ éƘ ÇƘŴĀȓţŝ ɑƘ ƒÇƒ¥ƘȲ ƒ¥DzƘŴɑţéƘ ƼƘǪ ģƒŴȓƒ éĀ ƼǪƘɑƒDzǎ Ž ƨƉƉȂá Ƙ ÇƘǪƼƘ éĀ : ģƘţ ĀɕȲŽƒéƘá Ā Ƙ ŴƒȲéƘ ƘģţÇţƒŴ ÇƘƆÇŴȲţȲ ǛȲĀ ĀŴĀ ŽƘǪǪĀǪƒ ƆȲŽ ƒÇţéĀƆȓĀǎ ƘţDz ƒƆƘDz ƒƆȓĀDz éĀ ŽƘǪǪĀǪá : ǪĀŝ ÇȲƼĀǪƒǪƒ DzĀȲDz éţǪĀţȓƘDz ƼƘŴŦȓţÇƘDzá ǃDzDzƒéƘDz ƒƼƛDz Ƙ ŅƘŴƼĀ éĀ Ȃļá Ā ƼǪĀŝ ȓĀƆéţƒ ɑƘŴȓƒǪ ‘ ɑţéƒ Ƽȴ¥Ŵţǃǎ YƒǪƒ éĀDzŅƘDzȓƘ éĀ ŽȲŴȓţéƺĀDz ǛȲĀ ÇŗƘǪƒŝ ǪƒŽ ƒ DzȲƒ ŽƘǪȓĀ ƼĀŴƘ ƼƒŦDzá Ƙ DzƘƆŗƘ ŗƒɑţƒ ƒÇƒ¥ƒéƘǎ Ž DzĀȲ ģȲƆĀǪƒŴá ĀŽ ǪƒDzŦŴţƒá Șɥɥ ŽţŴ ƼĀDzDzƘƒDz DzĀ éĀDzƼĀŝ éţǪƒŽ éƘ ŴŦéĀǪ ŽţƆĀţǪƘá ǃƆȓƒƆéƘ ƒ ŽȴDzţǃ ǛȲĀ ŽƒǪǃǪƒ ƒ DzȲƒ ɑţéƒá Ƙ ǤYĀţɕĀ ɑţɑƘǥǎ † ,i`dsH s0 ƴėħħÏħ„˜łüħł›łŞ¬łıŞ›Ŵ B` H `,H`dH Xh s0K ?sKh h?z]]] (h0EY] [™ox©ßxÕ [®¤® ® Çèx ¤Cß®è oèCÒo® C¤½®Õ ©C ¤C©–P ox ®©ßx¤ žD î™ß™¤CÒC¤ ®èßÒ®Õ ½® šß™[®Õ QÒCՙ x™Ò®Õ $® [CÕ® ¤C™Õ [®©–x[™o®l x¤ µ««æl C ÇèxoC ox è¤ –x ™[¯½ßxÒ® ©® ¤CÒ ox ©ÒC o®Õ 0x™Õl ©® 1è   è¤™©x©Õxl C[CQ®è [®¤ C [CÒÒx™ÒC o® ox½èßCo® 6 ñÕÕxÕ è™¤CÒPxÕl ¤CßC©o® ßC¤Qy¤ ÕèC ¤è –xÒl #®ÒCl x ® Õx©Co®Ò 1xîxÒ® ®¤xÕ x C xÕ½®ÕCl x©Ò™ÇèxßC $C ©®™ßx ox µæ ox ®èßèQÒ® oCÇèx x C©®l ® ½Òxՙox©ßx ßC¤CÒ ÒC©[® …®™ Cî™ÕCo® ½x ® x𘤙©™ÕßÒ® 0x©Cß® Ò[–xÒ Çèx ® –x ™[¯½ßxÒ® x¤ Çèx î™CžCîC¤ ® ox½èßCo® …xoxÒC  6 ñÕÕxÕ è™¤CÒPxÕ x ® xð˜Õx©Co®Ò 1xîxÒ® ®¤xÕl [®¤ ÕèCÕ ¤è –xÒxÕl –Cî™C oxÕC½CÒx[™o® ©è¤ î®® x©ßÒx ©ÒC o®Õ 0x™Õ x 1P® .C蠮 $® o™C Õxè™©ßxl ® ½CšÕ î™îxè ® oÒC¤C o® ÒxՍCßx o®Õ [®Ò½®Õl C[–Co®Õ Õ®¤x©ßx C ½CÒß™Ò oC ßCÒox ®ÒC¤ x©[®©ßÒCo®Õ ®Õ ox o®©C #®ÒCl ox #CҙC x©Ò™ÇèxßC ®¤xÕ x ® o® ½™ ®ß®l ¤x©®Õ ® ox 6 ñÕÕxÕ ® ÒCՙ  [®¤xgCîC C Õx oxÕ½xo™Ò o® 1x©–®Ò ™ÒxßCÕ ®¤ è¤C ßÒCžx߯ҙC 驙[C ©C –™Õ߯ҙC ½® šß™[C QÒCՙ x™ÒCl x x™ß® µµ îxõxÕ ox½èßCo® …xoxÒC l ® CoCo® 6 ñÕÕxÕ è™¤CÒPxÕ …®™ è¤ š[®©x ©® [®¤QCßx I o™ßCoèÒC ¤™ ™ßCÒ ©CÕ ßҙ©[–x™ÒCÕ o® #  .ҙ¤x™Ò® [®¤ C ÕèC C©ß™[C©o™oCßèÒC xl ox½®™Õl [®¤® ՚¤Q® ® oCÕ ™ÒxßCÕ Dl x x …®™ è¤ o®Õ ÕxèÕ ½Ò™©[™½C™Õ ½Ò®ßC®©™ÕßCÕ oC Òxox¤®[ÒCߙõCgP® o® ½CšÕ $® ® y™®  x™ß®ÒC l C½®™®è 4C©[Òxo® $xîxÕ xl C½¯Õ C ÕèC ¤®Òßxl CÒC©ß™è C ½®ÕÕx ox ®Õy 1CÒ©xñ ©C .Òxՙoz©[™C oC 0x½éQ ™[C #C™Õ ßCÒoxl ® 1x©–®Ò x¤®[ÒC[™Cl [®¤® ßC¤Qy¤ xÒC [–C¤Co® ® ox½èßCo® o® .# l [®©oèõ™è C ®©Õߙß虩ßx ox }} x ½CÒߙ[™½®è oC [C¤½C©–C ½x ® ½CÒ C¤x©ßCҙդ® x ½x ® ™¤½xC[–¤x©ß ox xÒ©C©o® ®  ®Ò ™©[® C©®Õ C©ßxÕ o® oxÕC½CÒx[™¤x©ß® ox 6 ñÕÕxÕl ®èßÒC ßÒCyo™C CyÒxC –Cî™C CQC Co® C ½® šß™[C o® ½CšÕ ¤ CÒCžDÕl ©® .CÒDl ® ¤™©™ÕßÒ® #CÒ[®Õ Òx™Òx ¤®ÒÒxè ©C xð½ ®ÕP® o® Cî™P® x¤ Çèx î™CžCîCl C½¯Õ C ox[® Cx¤Â oxÕCÕßÒx ®[®ÒÒxè C C½x©CÕ [™©[® Ç虠°¤xßÒ®Õ oC [CQx[x™ÒC oC ½™ÕßC o® CxÒ®½®Ò߮ 4™ßè CÒ oC ½CÕßC oC 0x…®Ò¤C ÒDҙCl ® ½xÒ©C¤Qè[C©® Òx™Òx ¤®ÒÒxè žè©ß® [®¤ ® ½Òxՙox©ßx o® ©[ÒCl ®Õy oèCÒo® 0CoèC©l x ®èßÒ®Õ …è©[™®©Dҙ®Õ o® ¤™©™Õßyҙ®Â ¤ µ«}æl ®èßÒ® C[™ox©ßx ox –x ™[¯½ßxÒ® CQC ®è C î™oC ½® šß™[C QÒCՙ x™ÒCk  yҙÕß®© ©oÒCoxl [C©o™oCß® C® ®îxÒ©® oC C–™C ½x ® .1 ¿C½®™Co® ½x ® ½®oxÒ®Õ® ©ß°©™® CÒ ®Õ #CC –PxÕÀl ¤®ÒÒxè C ½®è[CÕ Õx¤C©CÕ oC x x™gP®Â ®P® èÒîC  ß®¤®è Õxè  èCÒ x C[CQ®è x x™ß®Â 7 $®ĒīŮāF ZYi1tL ^ÏĸĐłŴ ėŴÏƑ„ŻŞ iħƻŻŻÏŻ ıłŴŴÏƠ Ïı ŌļļƝ
  60. 60. Jornalismo de banco de dados *Àœ`ÕVÌ œLœ *ÕL
  61. 61. Ìi £x‡än‡Óä£{ œ˜i Vˆœ˜ `ˆÌˆœ˜ Ó *}i * Ú 1ÃiÀ ȓœ˜ /ˆ“i än‡£{‡Óä£{ ÓÎä{ œœÀ 9 ^ÏƺƑ„ĕçÏėŴ„ Ōô Ş× ŞƝdžŌù Ɲő Àė²šł ħ 0FăŴ ħ L )@LL ħ Ź d],0 D BYD. ȼ 5 ,.+!5 +)5 #.49!5 . 5 .,5!*'!)4.5 ! 4), .!49. +4* @.3%.@6 K.!%-:@%A.$%4F% . 4). .**!+!4 %4$6@ ; % 2/$%@ $6 46 %4$6 4). 4, %:IF$6 ;# A%!@%F@.6 $% .44A % :@%A.$%4F% $6 :@F.$6 %3 6 I26 4*.5 )3!)4 @.3%.@6 A%!@%F@.6-+%@2 % :@%A.$%4F% $ I4$6 66 4+ %.@ !9. *3!43! %+I4$6 K.!%-:@%A.$%4F%# $%:IF$6# :@%A.$%4F% $6 :@F.$6 46 .6 @4$% $6 I2 % 2/$%@ $ A.+2 4 3@ !,9 +1.5 I2,%@ $% $I@$6 3:6A# 46 F%3 !@+6 46 :@F.$6
  62. 62. 0: 00
  63. 63. 0- 7 ; 077 ( )519+ 6 F6F2 $% !4$.$$6A !64!6@@%4$6
  64. 64. ; 07 - 076 3.26 :. %@.:% ;# %4F6 A+@4$% ;# .!@$6 6IF.4,6 ;# @!/A.6 %2+$6 ; # 4$%@24 @$6A6 ; # /$.!% $ F ;# I26 3@ ;# 2.4% %.L%.@ ;# 6$@.+6 622%3 %@+ ; # ,.!6 6$@.+I%A ; % @!%26 36A ; )519+
  65. 65. . *. 64F@ K64F$% $% @.4# @!.6 @4 (6. .4$.!$6 :%26 K.!% 4 !,: $% %@2$6 2!13.4 ; @.4 ?I%@. I3 !4$.$F6 :@7:@.6 :6@?I% !64F@ @%%2%.6 $% 2!13.4 ),5 !4)5 $I@$6 3:6A F@ 2,K :%26 :6.6 .4(6@32 6 FI!46 .3%4F $ %.+ @.4 %L.+.I !4$.$F6 :@7:@.6# 3A 6 46 !%.F6I % ! 6I .4$.!4$6 6 %L-$%:IF$6 @!/A.6 %2+$6 4, .4F%+@ (6@323%4F% !,: $% %F6 .!, ; @%%2%.6 @.4 (6. K6F6 K%4!.$6 =*). !* . %:IF$6 (%$%@2 % :@%A.$%4F% $6 :@F.$6 %3 .4A %@.A ; 06; @!.6 @4 ;# 4%F% 6@.A ;# 2%L4$@% 62%$6 ;# J4.6@ @A.2 ;# $I@$6 A!64!%26A ;# %64@$6 M3 ;# 4.%2 %@%.@ ; % %4.K2$6 ,+A ; ,9 94), .4F%+@ !,: $6 6 +6K%@46 $6 %AF$6 !4$.$F6 6 A%4$6@ FI!46 I26 I%@# ?I% (%!,6I !6@$6 !63 $I@$6 3:6A % !.6 %K%A @.4 F%K% ?I% !%.F@ 4%+6!.6 *0 $ 0!$ D D D D $6 D D D D D D D D D #, *0+ 0# D D
  66. 66. $$, )!$ +# D D D D D D D D D D D D D D D D $6 $! $ 0 +, ! 0 #. .+ # D D D D D D D D D D $6 D ! 4. . 9)59 66@$%4$6@ $ %$% @)*!
  67. 67. 0- % ; 06A
  68. 68. 07 6 *.5 :24?I% $% $I@$6 3:6A 6 $6 A%4$6@ %4%$.F6 $% .@ ;# !4$.$F6 @%0%.F$6 :6@ @.4 %L-A%4$6@ %AF %3 !3:4, :@ 6 $% %26.A %2%4 44) . 66@$%4$6@ $ %$% $;: ;:6 0$; 72$:; ; 07$ )519+ ., /,) :6. 64(J!.6 6I@ ; 6 +6K%@46# 3A @.4 .2K 46 A% $ 3I.F6 %3 !63 %2% !4$.$F6 :6. 6A 3$%.@%.@6A .*!.23%4F% %2 AI .@ 46 :24?I% $%2% ! !9* @%A.$%4F% $ I4$6 .$% %FI 2 % ,%@$%.@ $6
  69. 69. FJD4. 4!6 )4. !)?!)4 %:IF$6 (%$%@2 ;- 7% %:0 :$$ 0$2%6$ %F6 2 I?I%@?I% ; I26 6@4,IA%4 ;# %4.2$6 6@%.@ ;# 63@.6 ;.6# @+@.$ .%.@ ; # +I.3@ %4I/46 ; # @!%26 %@*3 ;# 2.4 2364 ;# %6K4 @FL6 ;# 6 %@F6 6!, ;# %@44$6 %N%@@ ;# .2A64 @F.4A ;

×