ano 3 I abril   •   maio • junho 2011 I nº 8                                                            R     E      V    ...
Diálogo ...................................................3         índice                                               ...
diálogo                                                  transparência    “Seria possível realizar uma edição    do projet...
cara a cara                            André Trigueiro                            Uma visão de longo alcance              ...
lixões. O lixão é uma bomba-relógio am-            Qual é o papel das empresas e das pessoas nabiental, que gera impactos ...
‘Vidro, papel, ferro e                                            plástico podem ser                                      ...
caso de sucessoEsculpindo arte e cidadaniaQuando seus irmãos saíam para jogar bola          de consumo consciente e uso su...
capa                                Energia a todo vapor                                    Verão perfeito combi-     puls...
Consciência com                               Na mídiabase na educação                                              O Ener...
fique por dentro                          Sustentabilidade no dia a dia                          A Ampla sediou, em 24 de ...
em focoReformas geram economia eminstituições de utilidade públicaDesde 2005, o Consciência Ampla Eficiente         Econom...
dicas             de consumo   eficiente de energia                                      Evite o furto de energia         ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revista Consciência Ampla nº8

1.382 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Revista Consciência Ampla nº8

  1. 1. ano 3 I abril • maio • junho 2011 I nº 8 R E V I S T A A sua revista Ampla sobre responsabilidade socioambiental Projeto Energia na Praia combina lazer e consciência ambiental – págs. 8 e 9 André Trigueiro Confira nossa entrevista exclusiva com o jornalista sobre descarte de resíduos sólidos - págs. 4, 5 e 6
  2. 2. Diálogo ...................................................3 índice Transparência ...........................................3 Cara a Cara .............................................4 Caso de Sucesso ......................................7 Capa ............................................................. 8 Fique por Dentro ...................................10 Em Foco ................................................11 Dicas ......................................................12 Programe-se...........................................12 editorial Por um planeta mais limpo e sustentável Um dos maiores problemas do mundo sentando palestras, oferecendo atividades moderno é a quantidade de lixo gerado de lazer e emprestando barracas, cadeira pela sociedade de consumo. Para saber e outros itens em troca de um saquinho como enfrentar essa questão que tanto com o lixo recolhido das areias. Achou nos aflige, entrevistamos para o Cara a interessante? Então leia mais sobre o as- Cara o jornalista André Trigueiro, uma re- sunto em nossa reportagem de capa. E ferência em jornalismo ambiental. aproveite para conferir como o lixo pode se transformar em arte com criatividade e No programa Consciência Ampla, sempre imaginação no Caso de Sucesso, que retra- reforçamos nosso compromisso com atitu- ta a história do artesão Júlio César da Con- des concretas. Nossa preocupação com o ceição Alves. Estes e outros assuntos foram descarte adequado de resíduos ficou clara escolhidos especialmente para você. com o Energia na Praia: projeto que cons- cientiza crianças e adultos sobre a impor- Boa leitura! tância de preservar o meio ambiente de um jeito leve e divertido. De fevereiro a abril, passamos por cinco praias de Nite- Marcelo Llévenes rói e no piscinão de São Gonçalo, apre- Responsável pela Ampla e pela Endesa Brasil Você conhece a versão on-line da revista Consciência Ampla? Acesse www.job360.com.br/conscienciaampla7 e confira uma revista com ainda mais conteúdo para você!ExpedientePublicação trimestral da Ampla. Criação e produção – Marketing Ampla: Denise Monteiro (Mb: 21.1407), Erika Millan,Patrícia Gismonti e Pryscilla Civelli; Projetos Sociais Ampla: Aladia Guerino, Cristiane Baena, Felipe Conti, Gislene Rodriguese Katia Ramos; Colaboração – Comunicação Externa e Responsabilidade Social Ampla: Janaína Vilella, Ana Paula Caporal eBeatriz Stutzel; Reportagem – Ana Clara Werneck, Annie Nielsen, Lissandra Torres e Maíra Gonçalves. Coordenação Editorial– Annie Nielsen. Edição – Eliane Levy de Souza. Projeto Gráfico e Diagramação: Casa do Cliente Comunicação 360º. Revisão:Lourdes Pereira. Fotos: Adriano Cardozo, Antonio Pinheiro, Banco de Imagem Casa do Cliente e Humberto de Souza.
  3. 3. diálogo transparência “Seria possível realizar uma edição do projeto Energia na Praia na Região Saldo positivo dos Lagos? No verão essa região tem O Consciência Ampla Eficiente, programa um aumento significativo em sua po- voltado para comunidades e instituições pú- pulação.” (via blog) blicas que tem como objetivos a redução do Fábio consumo e a educação para o uso eficiente da energia, chega ao sexto ano repleto de “Hoje terminou o curso de Educação resultados positivos. Realizando um traba- Ambiental para professores do Cons- lho com foco na eficiência energética – com ciência Ampla em Saquarema. Ótima a reforma das instalações elétricas, troca iniciativa da empresa. Adorei ter par- de geladeiras (foram 1.196, apenas entre ticipado!” (via Twitter) clientes residenciais), tomadas, lâmpadas Rafael e chuveiros – em residências e instituições, o programa beneficiou 32.213 clientes e “Gostei muito das iniciativas da em- 58 prédios públicos em 2010 (veja quadro presa, precisamos educar os alunos abaixo). Em 2011, a concessionária planeja dos ensinos fundamental e médio fazer um número de atendimentos próximo para criarmos formadores de opinião. ao do ano passado, reforçando a educação Dessa forma, teremos uma geração para o consumo consciente. de cidadãos e políticos que farão a di- Leia mais na página 11 ferença no futuro.” (via blog) Gyorgy Sandor Atendimentos em Número de Trabalho eficiente instituições beneficiados Escolas e universidades Iluminação e climatização 8 “Visitei hoje o projeto Energia na Praia Hospitais e clínicas Iluminação, climatização e e achei uma ótima iniciativa. A areia da 20 aquecimento de água praia estava nitidamente mais limpa, Creches Chuveiros (trocador de calor) 13 com menos detritos.” (via Twitter) Hospital e escolas Chuveiros (trocador de calor) 17 Paulo Roberto A Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef) foi uma das instituições públicas beneficiadas pelo programa Escreva você também! Envie sua mensagem por e-mail para consciencia@ampla.com, ou deixe seus comentários em nosso blog oficial, onde você pode ter mais informações sobre nossos projetos. Lembre-se de colocar seu nome, sobrenome e a cidade onde mora. Por questão de espaço, os comentários podem ser resumidos. Quer receber dicas sobre o consumo consciente, segurança, direitos e deveres? Então, siga o Consciência Ampla em www.twitter.com/conscienciampla. Se preferir, envie uma carta para Rua Nilo Peçanha 546, São Gonçalo, RJ, CEP 24445-360, aos cuidados da Equipe de Projetos Sociais Ampla.Papel reciclável de origem certificada 3
  4. 4. cara a cara André Trigueiro Uma visão de longo alcance para o descarte de resíduos Referência no conceito de jornalismo am- demanda pelo reaproveitamento e pela reuti- biental, André Trigueiro atua desde 1996 lização dos materiais. Surge como alternativa no canal por assinatura Globo News como a reciclagem, que não resolve o problema dos repórter e apresentador. Na emissora, já resíduos, apenas atenua os impactos e permi- criou programas sobre a ecologia e susten- te uma destinação mais inteligente do des- tabilidade como o Cidades e soluções e as carte. Matéria orgânica, por exemplo, serve séries Agua, o desafio do século 21 e Kyoto, como insumo para compostagem, produção o protocolo da vida. Pós-graduado em Ges- de adubo orgânico. Vidro, papel, papelão, tão Ambiental pela Coppe/UFRJ é também ferro e plástico podem ser reprocessados. Em autor do livro Mundo sustentável e criador grandes centros, onde não há mais espaço da disciplina Jornalismo Ambiental, do cur- para depósitos e aterros, devemos considerar ‘Falta na grade so de Comunicação Social da PUC-Rio. Em a construção de usinas térmicas a lixo, que curricular das escolas entrevista exclusiva ao Consciência Ampla, queimam resíduos para produzir energia. e universidades maior André fala sobre a importância do descarteatenção para a questão adequado dos resíduos sólidos e as alterna- Por último, mas não menos importante, tivas para atingir esse objetivo. é preciso que as pessoas encarregadas de do consumo. Não dá proporcionar soluções para o descarte de para falar de lixo sem Qual a relação entre lixo e sustentabilidade? resíduos sólidos gostem do assunto. No falar em consumo’ André Trigueiro – Em primeiro lugar, preci- Brasil, os prefeitos são responsáveis pela co- samos conceituar o que é lixo. Na área de leta, pelo transporte e pela destinação final educação ambiental, trata-se de algo sem do resíduo. Eles deveriam ser os primeiros utilidade ou serventia para alguém. Logo, o a entender o lixo não só como problema, que é lixo para um pode não ser para o ou- mas como um desafio que exige soluções. E tro e vice-versa. Quando definimos projetos existem soluções no Brasil para isso, depen- que remetam a um design sustentável de dendo do tamanho da cidade, do gênero sociedade, precisamos pensar no gerencia- de resíduos e da visão do gestor público de mento integrado do lixo. O norte magnético encarar o assunto não como um problema, da bússola aponta para a discriminação dos mas como um desafio. resíduos por categoria. Mas, antes de discutir- mos o que fazer com eles, precisamos ver se Por que é importante darmos destinação ade- esgotamos todos os recursos para reduzir seu quada ao lixo que geramos em nosso dia a dia? volume. Isso começa no design de produtos, A. T.–Segundo a Abrelpe (Associação Brasi- no resgate do conceito de ecoeficiência e na leira de Empresas de Limpeza Pública e Re- preconização do consumo sustentável, pois síduos Especiais), 65% dos municípios bra- quanto mais consumimos, mais lixo geramos. sileiros fazem seus descartes a céu aberto, Se conseguirmos reduzir o consumo, surge a em vazadouros clandestinos, os populares Veja a continuação desta entrevista na 4 versão on-line de Consciência Ampla: Papel reciclável de origem certificada www.job360.com.br/conscienciaampla7
  5. 5. lixões. O lixão é uma bomba-relógio am- Qual é o papel das empresas e das pessoas nabiental, que gera impactos nocivos à saúde e destinação adequada do lixo?ao meio ambiente. A parte orgânica do lixo A. T. – Desde o fim do ano passado, o Brasilse decompõe e produz um líquido chamado conta com uma Política Nacional de Resídu-chorume, que se infiltra no solo e alcança os Sólidos, que estabelece a responsabilida-os aquíferos subterrâneos. Outro problema de compartilhada do assunto. Um fabricante O repórter emé a geração de gás estufa, o metano CH4, que lança uma garrafa de refrigerante no ação para o canal Globo Newsa partir da decomposição da matéria orgâ- meio ambiente quando se encerra o ciclo denica. Além disso, o lixão atrai vetores como vida útil da embalagem é tão responsá-ratos, mosquitos e baratas. E se revela uma vel quanto o consumidor e o poderopção para pessoas de baixa renda e sem público. Todos nós somos respon-perspectivas de emprego, que enxergam no sáveis, cada um em um momen-garimpo de material reciclável uma maneira to. Ao consumidor cabe descar-de ganhar a vida, mesmo que tenham de se tar a garrafa no local certo; aoexpor ao contato com materiais infectantes fabricante, dar destinação finale perfurantes e ao risco de explosões espon- adequada; e, ao poder públi-tâneas, causadas pelo metano. Vale reforçar co, fazer a coleta do material.que a solução tecnológica para o resíduo Em cada lugar do Brasil há umnunca será o lixão. O depósito adequado padrão a ser seguido. Cabe ao se-para o lixo é o aterro sanitário. tor público, ao privado, ou a ambos oferecerem ao consumidor a sina-Qual a diferença entre aterro sanitário e lixão? lização, o recipiente adequadoA. T. – Existem três categorias clássicas de e a logística para transportardestinação de resíduo no Brasil: lixão, aterro esse resíduo para o local cer-controlado e aterro sanitário. O lixão é um to. Cada caso é um caso: vi-vazadouro clandestino sem qualquer tra- dro, plástico, papel, papelão,tamento. O aterro controlado é um meio- pneu, pilha, bateria. Cadatermo entre as outras duas. A prefeitura faz tipo de resíduo vai demandaralgum tipo de melhoramento ou benfeito- uma logística, uma rotina dife- André Trigueiroria do lixão, a fim de reduzir alguns de seus renciada sobre a qual todos nós na plenária da COP-15 na Dinamarcaimpactos. Coloca, por exemplo, uma manta temos responsabilidades.de argila sobre o solo para não atrair ratos,baratas, urubus. Ou tenta capturar os gases Investir na reciclagem pode gerar bons negócios?estufa ou tratar o chorume. Tais medidas A. T. – Alguns países do mundo já aprende-apenas remediam a situação. Já o aterro sa- ram a gerar energia a partir da queima donitário é uma obra de engenharia. Construí- lixo. Também podemos explorar energia ado antes da chegada do primeiro caminhão partir do gás metano que se decompõe dade lixo, dispõe de impermeabilização para matéria orgânica descartada. No Brasil, te-evitar que o chorume contamine o solo e mos um exemplo de negócio com o ater-de mecanismos que controlam a emissão de ro sanitário de Gramacho, em Duque degases. No aterro sanitário, não há catadores Caxias, na Baixada Fluminense. O aterro,nem exposição de resíduos a céu aberto, que recebe por dia nove mil toneladas deatraindo vetores. lixo do Rio de Janeiro, vende biogás paraPapel reciclável de origem certificada 5
  6. 6. ‘Vidro, papel, ferro e plástico podem ser reprocessados’ a refinaria de petróleo As novas gerações estão mais comprometidas de Duque de Caxias. com o descarte adequado dos resíduos e com Outro gênero de ne- a adoção de um consumo consciente? gócio interessante é A. T. – As novas gerações estão mais pre- a fabricação de certo ocupadas com a questão da destinação tipo de telha a partir final, sim, mas falta educação para um de material reciclável, consumo consciente. Esse é um assunto como caixas de leite. ausente na maioria das escolas do Brasil. É Também existem telhas lamentável que se discuta o que fazer com ecológicas, produzidas o lixo, mas não como devemos consumir. pela mistura de plástico, Porque uma coisa está ligada à outra. Falta jornal e resina. Além disso, há na grade curricular das escolas e univer- empresários de visão. Um exem- sidades maior atenção para a questão do plo é uma senhora de Resende, no consumo. Não dá para falar de lixo sem estado do Rio de Janeiro, que dis- falar em consumo. põe de uma área para receber ca- minhões de resíduo orgânico de O que nós, cidadãos, podemos fazer no dia a supermercados e transporta esse dia para tornar a Política Nacional de resídu- material para onde se processa a os Sólidos uma realidade em pouco tempo? compostagem (produção de adu- A. T. – O ideal seria diminuir o volume de bo orgânico para comercialização). lixo e separar os materiais na origem. Se você não precisa de sacola descartável, Como conscientizar o consumidor a dar não use. Escolha o produto que seja mais uma destinação mais consciente ao lixo? ambientalmente amigável. Com relação à‘Recicle sempre. A. T. – É simples mudar a postura do con- caixa de ovos, por exemplo, há pelo menosNão faz sentido misturar sumidor diante do lixo. Numa ponta está três tipos de embalagens: de plástico, pa-todo o lixo’ a educação, com escolas orientando sobre pelão ou isopor. Este último é complicado a importância de uma postura responsável de reciclar. Portanto, não o leve para casa. com relação ao resíduo. Na outra, está a Escolha, primeiro, o papelão, e depois, o punição exemplar. Tolerância zero. Quem plástico. E recicle sempre. Não faz sentido está na rua e joga algo no chão deve ser misturar todo o lixo. Se a prefeitura da sua advertido pela Guarda Municipal ou pela cidade não faz a coleta seletiva, procure na Polícia Militar. Se uma autoridade flagra sua região quem se interessa pela ativida- um cidadão no momento em que ele joga de. Para isso, basta acessar o site do Com- lixo no chão ou pela janela do carro, mas promisso Empresarial com a Reciclagem, o não age, perdemos a chance de aplicar Cempre (www.cempre.com.br). uma medida que cause constrangimento. Precisamos de educação, fiscalização e pu- Leia a entrevista na íntegra na versão on-line de Consciência Ampla: nição, tudo junto. www.job360.com.br/consciênciaampla8 6 Papel reciclável de origem certificada
  7. 7. caso de sucessoEsculpindo arte e cidadaniaQuando seus irmãos saíam para jogar bola de consumo consciente e uso sustentávelna rua, Júlio César da Conceição Alves fica- dos recursos naturais. “As pessoas nãova em casa “fazendo arte”. Recolhia tampas, apenas assistiam, mas participavam dasgarrafas, restos de madeira, embalagens e oficinas de escultura nas tendas do pro-outros materiais descartáveis e dava vida a jeto” conta satisfeito.personagens saídos da sua imaginação. Otempo passou e a atividade favorita do me- O significado da inclusão socialnino de São Gonçalo virou profissão de gen- Antes de integrar a equipe da Casate grande. Depois de participar das oficinas Amarela, Júlio César já havia trabalhadode escultura com material reciclável da Casa como arte-finalista, diagramador e dese-Amarela – ONG que ministra cursos de arte nhista. No entanto, atuar com carteiracom o apoio da Ampla – Júlio César recebeu assinada em uma instituição e ensinaro convite para ser professor da instituição. algo que tanto ama a pessoas de di-Desde 2007, ele ensina grupos de senhoras versas comunidades representoua produzir formas inusitadas com seu jeito uma virada em sua vida. “Conheciamável e tranquilo. o significado de inclusão social de-Além do trabalho na Casa Amarela, o artis- pois que passei a lecionar, pois pudeta também dá aulas na Fundação Panisset e regularizar minha situação financeiraparticipa de exposições. Quem vê as peças e oferecer mais conforto a minha mu-esculpidas por ele custa a acreditar que toda lher e meu filho. Além disso, hoje tenhoaquela beleza veio do lixo. “Os visitantes fi- uma visão mais profissional do meu ofício.cam encantados com as esculturas, principal- Sou grato à ONG e à Ampla por terem memente com aquelas feitas de pedra-pomes. proporcionado essa oportunidade”, afirma.A maioria acha que se trata de uma rocha O sentimento do artista comprova que omuito dura, mas podemos criar várias textu- objetivo de revelar e apoiar talentos porras a partir dela e fazer com que adquira uma meio do programa de responsabilidadeaparência de mármore ou granito”, explica social desenvolvido pela distribuidora,Júlio César. Em suas mãos, tudo adquire novo o Consciência Ampla com Arte, vemsentido. Garrafas PET, por exemplo, viram ar- sendo alcançado. Mas Júlio César nãoranjos de mesa e bonecos; tábuas e rolos, su- se contenta com o que já conquistou:portes para castelos; e plástico picado de gar- deseja se aprimorar cada vez mais.rafas de xampu, mosaicos decorativos. Uma Apesar da agenda cheia e dosde suas criações mais famosas foi uma série convites para levar sua artede porquinhos feitos com balões e revestidos mais longe, ele alimen-de papel machê colorido. Quando participou ta o sonho de cursardo evento Energia na Praia, projeto patroci- uma faculdade denado pela Ampla através da Lei de Incentivo Belas-Artes emà Cultura (ver mais nas páginas 7 e 8), Jú- um futuro próxi-lio César se sentiu realizado ao passar para o mo. Estamos tor-público, por meio de sua arte, os conceitos cendo por você!Papel reciclável de origem certificada 7
  8. 8. capa Energia a todo vapor Verão perfeito combi- pulseira que permite ao banhista acesso a na com praia limpa, todos esses benefícios. O lixo retirado nas certo? Mas quem praias é transformado em bônus na con- gosta de ficar entre ta de luz por meio do projeto EcoAmpla, e a areia e o mar sabe doado a instituições cadastradas. que copinhos plásti- cos, palitos de sorvete e Pessoas de todas as idades puderam par- afins estão sobrando nos ticipar das atividades oferecidas. “Eu e balneários fluminenses. minha família adoramos a palestra com o Como conscientizar a popu- biólogo. Ele contou curiosidades que nem lação sobre o meio ambiente, eu sabia”, surpreendeu-se a advogada mas de um jeito leve e divertido? A Kenya Jasbick, que foi a Itaipu acompa- alternativa proposta pela Ampla foi criar nhada dos filhos Breno, de 1 ano, e Ca- o Energia na Praia, projeto que, de fevereiro a mille, de 6.“Tudo o que ajuda a natureza abril, passou por cinco praias de Niterói e pis- é bem-vindo. Além disso, é uma boa for- cinão de São Gonçalo, atraindo mais de 5.800 ma de conscientizar as pessoas, inclusive a pessoas. O projeto é patrocinado pela empre- mim”, elogiou o balconista Gilson Guer- sa por meio da Lei de Incentivo à Cultura do reiro, que, educadamente, jogou o cigarro estado do Rio de Janeiro. que fumava dentro do saquinho. O cenário é o seguinte: uma tenda montada A ação, toda baseada em princípios de na areia serve de ponto de encontro para os sustentabilidade, fez sucesso e deve ser banhistas, que têm a oportunidade de re- expandida para outras praias no ano que ceber uma massagem, participar de oficinas vem. “O Energia na Praia é um projeto de reciclagem e artesanato com material importante para a Ampla, os clientes e a reciclável, além de fazer aulas de ioga, alon- cidade. Ele aproxima a empresa do pú- gamento, surfe e assistir a palestras sobre blico em seus momentos de lazer, con- preservação do meio ambiente e consumo tribuindo ativamente para a mudança de consciente de energia elétrica. Tem mais: cultura da população e despertando sua os participantes podem pegar emprestado atenção para a importância de manter as pranchas de surfe, barracas, cadeiras, mesas praias limpas. E, de quebra, aborda temas de praia, bolas de futebol, frescobol, tabulei- fundamentais, como educação para o ro de jogos, baralho, boias, petecas e estei- consumo consciente da energia elétrica e ras. Para isso, é só recolher seu lixo em um da água, e preservação do meio ambien- saquinho plástico – biodegradável –, ofere- te”, analisa Pryscila Civelli, responsável cido na própria tenda, e trocá-lo por uma pelo Marketing da Ampla.8 Papel reciclável de origem certificada
  9. 9. Consciência com Na mídiabase na educação O Energia na Praia esteve presente em vários veículos da região por onde pas- sou. O jornal O Fluminense, de Niterói, destacou as ações em Camboinhas eA plataforma Consciência Ampla, que Icaraí. O diário A Tribuna, também de Niterói, lembrou em duas reportagensabrange diversos projetos sociais da que o projeto esteve no Piscinão de São Gonçalo e na praia de Camboinhas.empresa, é bem representada no Ener- No rádio, a estação FM Roquette Pinto chamou todos a participar do evento.gia na Praia: além do Consciência Eco-ampla, que proporciona a troca de lixoreciclável por bônus na conta de luz declientes cadastrados, o Energia na Praiatraz também palestras do Consciência Arte eAmpla Saber – programa de orientação conhecimentosobre o consumo consciente e seguro Sucesso no Energia na Praia, as ofi-de energia elétrica. Além disso, mostra a cinas de escultura em material reci-beleza das criações de artesãos da Casa clado e em PET uniam a beleza daAmarela, ONG parceira do Consciência arte com a mudança de perspectivaAmpla com Arte, que promove oficinas sobre o que costumamos chamar decom materiais recicláveis e cartonagem lixo. No comando das atividades estavampara jovens e adultos.“Quando se fala os artesãos Júlio César da Conceição Alves eem mudança de comportamento, é Janete Nicolau. Eles ensinavam que, de umanecessário uma ação educativa que en- placa de isopor criada para embalar eletro-volva práticas concretas. Nosso objetivo domésticos, é possível produzir animais eé mostrar que a praia, como qualquer super-heróis. Garrafas de refrigerante, porespaço público, deve ser bem-tratada. E sua vez, podem se transformar em vassou-que cuidar desses espaços significa cui- ras, cata-ventos e até pufes. “Trabalhar nadar de nossa própria qualidade de vida praia é diferente do ateliê, temos contato– o que pode ser feito com consciência, direto com o público”, diz Júlio César.criatividade e diversão”, explica GisleneRodrigues, responsável por Projetos So- O biólogo Rodrigo Mariath também atraiuciais da Ampla. muita gente para a tenda do projeto. Suas aulas, ou papos descontraídos com os ba- nhistas, tratavam do meio ambiente. Com o auxílio de um aquário, que a cada dia de evento ficava cheio de bichos e plantas nati- vos da área visitada, Rodrigo explicava sobre a biodiversidade marinha e outros assuntos. “É uma oportunidade de crianças e adultos aprenderem mais sobre aspectos que ge- ralmente só se veem nos livros”, conta ele. Conheça as atividades oferecidas pela Casa Amarela na versão on-line de Consciência Ampla: www.job360.com.br/consciênciaampla8
  10. 10. fique por dentro Sustentabilidade no dia a dia A Ampla sediou, em 24 de março, o seminário Nova Iguaçu e do Rio de Janeiro. “O NCV “Cidades Sustentáveis: sociedade, mobiliza- não é um movimento denuncista, não te- ção e cidadania”, que marcou o lançamento mos a intenção de brigar com a prefeitura ou Patrícia do Movimento Niterói Como Vamos (NCV), qualquer outro órgão, e sim colaborar com Ashley apoiado pela concessionária. Com cerca de boas intenções de parceria”, completou. cem participantes – entre eles, Dom Roberto Ferreira Paz, bispo auxiliar da Arquidiocese de Ações positivas Niterói; o senador Saturnino Braga; e Fernan- Na segunda parte do evento, sob o tema do Guida, atual secretário municipal de Meio “Democracia participativa e os seus diversos Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilida- atores”, Patrícia Ashley, professora do Ins- de – o evento promoveu um debate sobre a tituto de Geociências da UFF, falou sobre a importância da participação da sociedade civil importância da conscientização social. Ela ci- nos processos de gestão da cidade, além re- tou a cidade de São João Del-Rei, em Minas fletir sobre atitudes sustentáveis. “É um prazer Gerais, que implantou o projeto Ecocidades, para a Ampla ceder a casa para o lançamen- para valorizar a identidade cultural local e dar to desse movimento, que propõe melhorias sustentabilidade à conservação do patrimô- para a cidade”, disse André Moragas, diretor nio. “Mais do que gerar indicadores, temos de Relações Institucionais e Comunicação da de levantar fotos, vídeos e outros materiais Ampla, dando as boas-vindas ao público. para que toda a sociedade compreenda o que está sendo feito”, argumentou. O NCV existe há dois anos. Seu presidente, Álvaro Cysneiros, abriu o seminário apresen- “Os papéis da juventude e das empresas. Con- Álvaro Cysneiros tando o projeto que replica a ideia implanta- trole cidadão do orçamento público” foi o da originalmente em Bogotá, na Colômbia. A tema da palestra de Thereza Lobo, socióloga proposta consiste na formação de um grupo e diretora do Rio Como Vamos. “É importante de voluntários – empresários, professores, uni- falarmos do desenvolvimento sustentável e a versitários e representantes de organizações Ampla nos dá um grande exemplo, apoiando sociais – para monitorar mensalmente índices movimentos dessa natureza. Que outras em- de desempenho considerados fundamentais, presas sigam o mesmo caminho”, resumiu. como educação, saúde, habitação, transporte e segurança pública. “Queremos gerar trans- Após as palestras, o público elaborou per- formação social para a cidade em que habita- guntas mediadas pela jornalista Sonia Arari- mos. Por esse motivo, construímos indicadores pe, editora da revista Plurale. Um delas: qual que nos permitem realizar pesquisas de per- seria o problema número um da cidade? Thereza Lobo cepção e buscar melhorias”, assinalou. Como resposta, Álvaro Cysneiros citou a últi- ma pesquisa realizada pelo DataUff: do pon- Entre as pesquisas realizadas pelo movimen- to de vista da população, o principal questio- to, Álvaro citou a que aponta a cidade flumi- namento se refere à segurança pública. nense como a terceira na produção de lixo Veja dados sobre a educação pública no Rio de Janeiro na versão on-line de Consciência Ampla: por habitante no Estado, atrás apenas de www.job360.com.br/consciênciaampla810 Papel reciclável de origem certificada
  11. 11. em focoReformas geram economia eminstituições de utilidade públicaDesde 2005, o Consciência Ampla Eficiente Economia revertida para idososrealiza um trabalho de eficiência energéticaem instituições públicas situadas na área de De acordo com Hélio Abicalil, presidente doatendimento da Ampla. Os objetivos são re- Abrigo do Cristo Redentor, a iniciativa da Am-duzir o consumo de energia e educar os con- pla deveria ser seguida por outras empresas,sumidores para o uso consciente, sem perda já que, ao reduzir os custos da instituição, per-de conforto. O projeto inclui medidas como mite que essa economia seja revertida para oa instalação de painéis solares para aquecer atendimento aos idosos. Segundo ele, a parce- Orfanato Padrea água de chuveiros; substituição da ilumi- ria, que começou há cerca de quatro anos, re- Franz Neumairnação convencional por lâmpadas de menor duziu muito o consumo de energia no Abrigo.potência; automação do acionamento dos “Ao nos procurar, a Ampla propôs a instalaçãocircuitos de iluminação; e substituição de de um equipamento de aquecimento solarequipamentos de ar-condicionado antigos para atender aos quatro banheiros coletivos,por modelos com melhor rendimento (com num total de dez chuveiros, e a troca de outrosselo Procel/Inmetro). chuveiros elétricos antigos por modelos mais modernos e econômicos”, explica.Entre as instituições atendidas pelo Consci-ência Ampla Eficiente estão a Associação Ni- Saldo final – A obra no Abrigo do Cristoteroiense dos Deficientes Físicos (Andef) e os Redentor custou R$ 195 mil e gerou umaOrfanatos Padre Franz Neumair e Santo Antô- economia mensal de 10.240 kWh.nio, em Niterói; o Abrigo do Cristo Redentor,em São Gonçalo; e a Assistência Filantrópica Investimento com retornode Assistência a Aids de Araruama (Afada), no Outro exemplo bem-sucedido do Consciên-mesmo município. No ano passado, foram cia Ampla Eficiente foi realizado na Andef, emgastos cerca de R$ 5 milhões em reformas Niterói. A associação agora conta com a ener-e benfeitorias e, para 2011, o investimento gia solar para aquecer a água das torneiras edeve chegar a R$ 6 milhões. Os projetos, em dos chuveiros das 16 unidades do alojamen-média, têm duração de um ano e meio, entre to, além da cozinha da instituição. Para Joséa efetivação da proposta e a conclusão dos Alaor Boschetti, administrador financeiro datrabalhos. No caso da Andef e do Abrigo do instituição, as medidas propostas são relevan-Cristo Redentor, foram revistas as instalações tes tanto para a instituição em si quanto paraelétricas, com troca da fiação antiga. quem trabalha ou é atendido por ela. “As me- didas implantadas pela Ampla reduziram nos-“Com o investimento, sem ônus para o clien- sos custos. Com isso, aplicamos esses valoreste, a Ampla contribui para a redução do cus- no atendimento de nossos pacientes”, revela.to mensal de energia elétrica nas instituições,possibilitando a transferência desses ganhos Saldo final – As medidas adotadas pela Amplapara a sociedade”, afirma João Carlos Curty, na Andef custaram R$ 100 mil, e geram uma Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef)responsável pela Eficiência Energética. economia mensal de energia de 5.040 Kwh.Papel reciclável de origem certificada 11
  12. 12. dicas de consumo eficiente de energia Evite o furto de energia O furto de energia é crime, com pena Você também pode ajudar, seguindo as di- Nada melhor do que prevista de um a quatro anos de reclusão cas abaixo: estar com a conta de e multa. Popularmente conhecido como • O medidor de energia pertence à Ampla, luz em dia e solicitar um profissional especializado “gato de luz”, põe em risco a vida da po- mas você também é responsável pela in- para resolver qualquer problema na rede elétrica pulação que manipula a rede elétrica e tegridade dele. Por isso, caso perceba al- afeta a qualidade do serviço prestado pela guma alteração ou dano, entre imediata- distribuidora. Ligações irregulares podem mente em contato com a empresa. gerar curto-circuito e sobrecarga na • Evite os problemas causados pelo furto de rede elétrica, ocasionando inter- energia elétrica. Regularize a sua situação rupção no fornecimento. Além com a empresa fornecedora e tenha a disso, quem furta energia corre conta de luz em seu nome. risco de morrer eletrocutado • Sempre que for preciso fazer alguma ins- por entrar em contato di- talação elétrica, chame um profissional reto com a rede elétrica. A especializado. Ampla combate todos esses • Não faça instalações elétricas com fio de perigos promovendo tam- telefone, pois além de não suportar a car- bém uma série de iniciativas ga elétrica e consumir mais energia, pode de inclusão social, que vão de causar curtos-circuitos e até incêndios. projetos sobre o uso eficiente de • Denuncie o furto de energia pelo telefone energia elétrica em comunidades do Disque Denúncia: 2253-1177. Não é a programas de geração de empre- preciso se identificar. go e renda. Além disso, a concessionária oferece revisão gratuita de instalações elé- O furto de energia, além de ser ilegal, in- tricas aos consumidores de baixo poder centiva o desperdício, afeta o meio ambien- aquisitivo. Para coibir o roubo de energia, te e prejudica toda a sociedade. Combater ela ainda estabeleceu uma parceria com essa prática é também zelar pelo consumo o Disque Denúncia. consciente e pela cidadania. programe-se 2 Saquarema Consciência AmplaMaio 9 Arraial do Cabo 16 São Pedro da Aldeia sobre Rodas 23 Cabo Frio Como a energia chega até sua casa? cultura e educação para o consumo cons- Fique por dentro por meio de um veículo ciente. A agenda dos programas está sen- 30 Armação de Búzios que vai até você do definida. Aguarde! Lembramos que as 6 Quissamã datas e horários podem sofrer alterações.Junho 13 Macaé Os demais projetos do Consciência Am- Portanto, acompanhe as datas de todos pla continuam percorrendo cidades em os projetos pelo blog e o twitter do Cons- 27 Campos 2011, levando até você entretenimento, ciência Ampla. 12 Papel reciclável de origem certificada

×