A EXPANSÃO ISLÂMICA

6.618 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
501
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
104
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A EXPANSÃO ISLÂMICA

  1. 1. Expansão IslâmicaProf. Antonio Marcos N. dos Reis
  2. 2. Arábia pré-Islâmica• Península arábica – região desértica habitada por povos semitas desde a antiguidade – Desde 1500 a.C. com a domesticação do camelo – Beduínos que realizavam o pastoreio• Árabes do deserto e árabes das cidades (Iêmen) – Divididos em tribos lideradas por sheiks • Leis de solidariedade tribal tornavam as vendetas infindáveis • Religião baseada na crença de espíritos (djins) e deuses particulares de cada tribo – aumentava a divisão entre as tribos
  3. 3. – Cidades ao longo dos caminhos das caravanas • Casas de Deus – adoração coletiva dos ídolos de cada tribo • Iatreb e Meca – situadas em oásis eram importantes entrepostos comerciais • Governadas por um conselho das famílias mais ricas de artesãos e mercadores• Região ganha importância a partir das rotas marítimas de comércio com o Oriente
  4. 4. O Islã• Maomé ou Mohammed - 570 d.C. – Tribo coraixita de Meca – Casado com Cadija, viúva rica dona de caravanas • Viagens e contato com o judaísmo, mazdaísmo e cristianismo – Islã = submissão a Deus “Alá é o único Deus e Maomé o seu único profeta” – Hégira em 622 – Iatreb torna-se Medina (‘a cidade do Profeta’) – 630 – tomada de Meca e conversão das demais tribos árabes - UNIFICAÇÂO • Preces coletivas 5 vezes ao dia • Zakat – imposto sobre os ricos • Ramadã – jejum ritual • Peregrinação à Meca • Corão
  5. 5. Origem povo árabe• Semita• Descendem de Ismael• Filho de Abraão c/ Agar• Isaac filho de Sarah c/ Abraão• Ismael e Agar vão para Vale de Meca• Fonte Zem Zem
  6. 6. A expansão e o Califado• Causas da expansão – Procura por terras férteis – Guerra Santa (Jihad) – Interesses comerciais – Enfraquecimento dos Impérios Persa e Bizantino
  7. 7. • Califa – sucessor e representante de Maomé, emir dos crentes - líder religioso e militar (sheik dos sheiks) – Xiitas e Sunitas – Unificação econômica e aumento do comércio entre Oriente e Ocidente – Arabização dos territórios conquistados – amsar (acampamentos) – Omíadas – Abássidas - século VIII • (surgimento do Vizir e autocracia do califa) • Diwans • Civilização urbana • Poucos relatos sobre os camponeses
  8. 8. 732
  9. 9. Economia e sociedade• Essencialmente comercial• China, Índia e África.• Bússola, papel e pólvora.• Agricultura: difusão de técnicas (irrigação)• Novas culturas: arroz, laranja, cidra, limão, cana-de-açucar, algodão, café, etc• Metalurgia, têxtil, cerâmica, drogas e perfumaria.
  10. 10. • Distribuição de terras entre “amigos” dos califas.• Latifúndios• Impostos em demasia para quem não era muçulmano (conversões)
  11. 11. Religião• Alcorão: Al Qur’na=leitura, ato de ler.• Profetas: Abraão, Ismael, Isaac, Jacó, Moisés e Jesus.• Deus não enviou seu filho.• Princípios: Oração, ablução, o jejum, caridade e peregrinação à Meca.• Proíbe: bebidas fermentadas, carne de porco e trabalho na 6ª feira.• Permite a poligamia.
  12. 12. Sunitas e Xiitas?• Sunna (costume): Hadith, narrativas curtas.• Ortodoxos: seguem a Sunna e a autoridade dos quatro primeiros Califas• Xia=partido, seguidores de Ali, primo e genro de Maomé, hereditariedade. (10%)
  13. 13. • A evolução para uma fórmula religiosa diferente teria começado com o martírio de Husain, o filho mais novo de ali, no ano de 680, em Karbala (no atual Iraque). Os clérigos xiitas são os mulás e mujtahids, mas o clero não tem uma hierarquia formal. Os xiitas foram os responsáveis pela revolução islâmica do Irã, em 1979, e têm graves divergências com setores do islamismo sunita.
  14. 14. Sharia• É a lei religiosa do islamismo. O muçulmano não vê distinção entre o aspecto religioso e o resto da sua conduta pessoal, a lei islâmica não trata só de rituais e crenças, mas de todos os aspectos da vida cotidiana. Apesar de ter passado por um detalhado processo de formatação, a lei islâmica ainda é aplicada de formas variadas ao redor do mundo - os países adotam a sharia têm interpretações mais ou menos rigorosas dela.
  15. 15. • Na Arábia Saudita, por exemplo, vigora uma das mais conservadoras versões da lei islâmica. O Afeganistão da época da milícia Talibã teve a mais dura e radical aplicação da sharia nos tempos modernos - proibia música e outras expressões culturais e esportivas, restringia gravemente todos os direitos das mulheres e ordenava punições bárbaras. A sharia, porém, é adotada formalmente numa minoria de países com grandes populações islâmicas.
  16. 16. Mesquitas• As construções reservadas para as orações dos muçulmanos são chamadas mesquitas, ou "masjids". Os prédios, contudo, não precisam ser especialmente construídos com esse fim - qualquer local onde a comunidade muçulmana se reúne para orar é uma mesquita.
  17. 17. Festas e datas• As duas principais festividades do islamismo são o Eid-Al-Adha, que coincide com a peregrinação anual a Meca, e o Eid-al-Fith, quando se quebra o jejum do mês do Ramadã. O mês sagrado, aliás, é o principal período do calendário islâmico.
  18. 18. • A mesquita de Caaba, em Meca, é uma das mais famosas, pois é o centro da peregrinação do "haj". A mesquita de Al- Aqsa, em Jerusalém, também é um local muito visitado pelos muçulmanos de todo o mundo - ela abrigaria a pedra de onde Maomé "ascendeu ao céu".
  19. 19. • Os muçulmanos xiitas também comemoram o Eid-al-Ghadir - aniversário da declaração de Maomé indicando Ali como seu sucessor. Outras festas islâmicas são o aniversário de Maomé (Al- Mawlid Al-Nabawwi) e o aniversário de sua jornada a Jerusalém (Al-Isra Wa-l- Miraj).
  20. 20. Decadência• mamelucos - turcos seljúcidas• Cruzadas• divisão em vários califados – Iranianos, Omíadas e Fatímidas• Invasão Mongol – século XIII Hulagu Khan
  21. 21. Cultura• Marcada pela religião• Arte – Proibição de representar seres vivos • Arabescos e caligrafia – Tradução de obras gregas para o árabe, principalmente Aristóteles • Avicena e Averróis • Sufismo – Deus amoroso, retiro espiritual e contemplação – Matemática • Álgebra • Contribuições para a trigonometria • Astronomia – Medicina
  22. 22. Não será a bondade a recompensa da bondade?" (Alcorão 55,60)
  23. 23. Prof. Antonio Marcos N. dos Reiswww.pamnr.blogspot.comwww.profamnr.blogspot.comantonio_ead@hotmail.com 06/02/12 47

×