Dados da solicitação                   Número                                      Tipo da solitação                      ...
Pergunta/Item                                      Resposta                Desses indivíduos, 215 foram capturados na esta...
Pergunta/Item                                                        Resposta                                             ...
Unidade de conservação                        Pergunta/Item                                 Resposta                      ...
Nome do táxon             Nível         Hierarquia taxonômica        Fonte do cadastramento                               ...
Nome do táxon               Nível         Hierarquia taxonômica       Fonte do cadastramento                              ...
Nome do táxon             Nível          Hierarquia taxonômica        Fonte do cadastramento                              ...
Nome do táxon                            Nível                    Hierarquia taxonômica               Fonte do cadastramen...
Descrição daLocalidade/Nom Município-UF     Latitude           Longitude          Jurisdição      Ambiente   Ocorrências  ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Recomenda es celine de melo aves

355 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
355
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recomenda es celine de melo aves

  1. 1. Dados da solicitação Número Tipo da solitação Titulo do projeto AVIFAUNA DO CERRADO E SEU Autorização para atividades com finalidade17264 POTENCIAL DE USO NO científica MONITORAMENTO AMBIENTALDados do pesquisador Nome Nacionalidade CPF Fone E-mailCeline de Melo Brasileira 93179421649 (0xx34) 3218-2243 celine@inbio.ufu.brDados do relatório Número Situação Data da liberação das informações3358 Submetido 27/02/2013Resultados/Discussão Pergunta/Item Resposta A distribuição das classes dos fragmentos na paisagem é um elemento importante para o desenvolvimento de estratégias para a conservação da biodiversidade (Viana et al., 1992). As espécies de aves variam em suas respostas em relação à fragmentação na medida em que as populações de algumas aumentam, declinam ou desaparecem em fragmentos, algumas permanecem não afetadas (Lynch & Whigham 1984, Blake &Informações relevantes ao manejo ou proteção das espécies e Karr 1987, Stouffer & Bierregaard 1995). Apesar da captura com redesecossistemas, ou à(s) cavidade(s) natural(is) subterrânea(s) (se houver): de neblina ser uma técnica seletiva, que não necessariamente reflete a diversidade local, ela pode indicar mudanças espaciais e temporais na avifauna relacionadas com a disponibilidade de alimentos que tem grandes chances de estar relacionada ao efeito de fragmentação atual. Fragmentos classificados como mais perturbados apresentam menor quantidade de espécies capturadas em relação aos fragmentos menos perturbados. Foram capturados 322 indivíduos nos sete fragmentos de MataResultados / Discussão: Estacional Semidecidual, distribuídos em 45 espécies e 17 famílias.
  2. 2. Pergunta/Item Resposta Desses indivíduos, 215 foram capturados na estação seca e 107 na chuvosa. Em ambientes florestais do Cerrado, durante a estação seca, a oferta de recursos como insetos e frutos tende a ser menor do que na estação chuvosa. Isto provavelmente exige das aves, principalmente as especialistas, uma ampliação da área de forrageamento tanto no estrato vertical quanto horizontal. No entanto, não houve diferença significativa no número de indivíduos capturados entre as estações (U=664,50; n=45; p=0,005). Para cada um dos fragmentos foi aplicado um protocolo de avaliação rápida da qualidade de ambientes terrestres, adaptado de Rodrigues & Castro (2008). A partir desse protocolo, foram avaliados nove parâmetros (tipo de ocupação na matriz de entorno; trilhas; deposição de resíduos sólidos no interior; flora exótica no interior; gado no interior; atividade turística; proximidade com área urbana; ruídos externos e evidências de incêndios recentes). Houve formação de três grupos: baixo nível de perturbação ambiental (Grupo 1= Água Fria e Panga), médio nível (Grupo 2= Cruzeiro e Glória) e alto nível (Grupo 3= Irara, São José e Pereira). Quando analisado o número de capturas em cada agrupamento percebeu-se que Grupo 1 apresentou o maior número de espécies de aves capturadas (N=31), em seguida o Grupo 2 com 29 espécies e o Grupo 3, o mais perturbado, com 22 espécies. Apesar da sutil diferença entre o número de espécies capturadas em cada agrupamento, pode-se dizer que o nível de perturbação tende a influenciar a diversidade de aves dos fragmentos, pois a mesma foi diminuindo de acordo com o aumento dos níveis de perturbação. Ao analisar as espécies capturadas através de suas guildas alimentares, percebeu-se que no Grupo 1 e Grupo 2 as guildas apresentaram uma homogeneidade maior (Grupo 1= 40% de frugívoros, onívoros e insetívoros e 20% de nectarívoros; Grupo 2= 30% de frugívoros, onívoros e insetívoros e 20% de nectarívoros). No entanto, não houve
  3. 3. Pergunta/Item Resposta captura de nenhum granívoro no Grupo 1, ao contrário do Grupo 2 que apresentou 80% de espécies granívoras. No Grupo 3 observou-se mais variações entre as guildas, com 40% de espécies nectarívoras e 25% de granívoros. As gramíneas estão presentes em ambientes florestais perturbados e servem de sítios de alimentação e reprodução de aves granívoras. Investigações mais detalhadas sobre os hábitos alimentares de aves granívoras nos Grupos 2 e 3 pode revelar que esses fragmentos possuem espécies invasoras de gramíneas, podendo atrair mais granívoros para o interior da mata.Informações para UC Unidade de conservação Pergunta/Item Resposta A recomendação ao Parque está inserida em um contexto de turismo controlado, uma vez que muitas espécies utilizam diferentes locais dentro do Parque para reprodução. Nesse estudo observou-se a importância de áreas de cerrado campo limpo Recomendações ao manejo/gestão da unidade para a reprodução da espécie ALECTRURUSPARQUE NACIONAL DA SERRA DA de conservação federal ou à proteção das TRICOLOR, considerada vulnerável à extinção.CANASTRA espécies, como também à(s) cavidade(s) A espécie utiliza gramíneas como substrato de subterrânea(s) (se houver). pouso, comportamento de coorte e nidificação, no entanto, as áreas de campo limpo, onde foram observados os indivíduos, possuem uma estrada que dá permite acesso à toda parte alta do Parque. Por isso, o controle do tráfego de veículos nessa região do Parque se torna imprescindível para o sucesso reprodutivo dessa
  4. 4. Unidade de conservação Pergunta/Item Resposta ave, que migra para essa região apenas para reproduzir-se. Outra espécie, observada nesse estudo em região onde há fluxo de pessoas, é a SERPOPHAGA NIGRICANS, que estava construindo ninho nas proximidades da parte baixa da cachoeira Casca Danta. Ao mesmo tempo, observou-se a presença de vários turistas no local, inclusive próximos ao sítio de nidificação da espécie. Por fim, um estudo de modelagem de nicho, feito por um aluno da Pós-graduação em Ecologia e Conservação dos Recursos Naturais da Universidade Federal de Uberlândia, verificou que a região do Parque onde vive o Pato-mergulhão (MERGUS OCTOSETACEUS) se sobrepõe a uma futura área de mineração. Assim, também ressalta-se a importância de preservação do entorno do Parque Nacional da Serra da Canastra para conservação dessa espécie de ave que é considerada extremamente ameaçada de extinção.Listagem dos táxons incluídos no seu relatório Nome do táxon Nível Hierarquia taxonômica Fonte do cadastramento Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Empidonomus varius ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Empidonomus - > varius Animalia -> CHORDATA ->Synallaxis frontalis ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA AVES -> PASSERIFORMES ->
  5. 5. Nome do táxon Nível Hierarquia taxonômica Fonte do cadastramento FURNARIIDAE -> Synallaxis -> frontalis Animalia -> CHORDATA -> AVES -> APODIFORMES ->Phaethornis pretrei ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TROCHILIDAE -> Phaethornis -> pretrei Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Pachyramphus validus ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TITYRIDAE -> Pachyramphus -> validus Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Megarynchus pitangua ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Megarynchus -> pitangua Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Furnarius rufus ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA FURNARIIDAE -> Furnarius -> rufus Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Thraupis palmarum ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA THRAUPIDAE -> Thraupis -> palmarum Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Synallaxis ruficapilla ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA FURNARIIDAE -> Synallaxis -> ruficapilla Animalia -> CHORDATA ->Phacellodomus ruber ESPECIE AVES -> PASSERIFORMES -> catálogo do ICMBio/IBAMA FURNARIIDAE -> Phacellodomus
  6. 6. Nome do táxon Nível Hierarquia taxonômica Fonte do cadastramento -> ruber Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Myiophobus fasciatus ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Myiophobus -> fasciatus Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Coryphospingus cucullatus ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA EMBERIZIDAE -> Coryphospingus -> cucullatus Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PICIFORMES ->Colaptes melanochloros ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA PICIDAE -> Colaptes -> melanochloros Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Tyrannus albogularis ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Tyrannus -> albogularis Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Formicivora rufa ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA THAMNOPHILIDAE -> Formicivora -> rufa Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Ammodramus humeralis ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA EMBERIZIDAE -> Ammodramus - > humeralis Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Elaenia flavogaster ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Elaenia -> flavogaster
  7. 7. Nome do táxon Nível Hierarquia taxonômica Fonte do cadastramento Animalia -> CHORDATA ->Guira guira ESPECIE AVES -> CUCULIFORMES -> catálogo do ICMBio/IBAMA CUCULIDAE -> Guira -> guira Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Elaenia obscura ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Elaenia -> obscura Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Elaenia chiriquensis ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Elaenia -> chiriquensis Animalia -> CHORDATA -> AVES -> PASSERIFORMES ->Elaenia cristata ESPECIE catálogo do ICMBio/IBAMA TYRANNIDAE -> Elaenia -> cristata Animalia -> ARTHROPODA....-Diplura ORDEM cadastrado pelo pesquisador >Diplura Animalia -> ARTHROPODA....-Blattodea ORDEM cadastrado pelo pesquisador >Blattodea Animalia -> ARTHROPODA....-Mallophaga ORDEM cadastrado pelo pesquisador >Mallophaga Animalia -> ARTHROPODA ->Psocoptera ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> PSOCOPTERA Animalia -> ARTHROPODA ->Phasmida ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> PHASMIDA Animalia -> ARTHROPODA ->Orthoptera ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> ORTHOPTERA Animalia -> ARTHROPODA ->Odonata ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> ODONATA
  8. 8. Nome do táxon Nível Hierarquia taxonômica Fonte do cadastramento Animalia -> ARTHROPODA ->Neuroptera ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> NEUROPTERA Animalia -> ARTHROPODA ->Hymenoptera ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> HYMENOPTERA Animalia -> ARTHROPODA ->Hemiptera ORDEM catálogo do ICMBio/IBAMA INSECTA -> HEMIPTERADestino Destino Tipo do LocalUniversidade Federal de Uberlândia Laboratório de Ornitologia e BioacústicaListagem das localidades cadastradas e detalhamento Descrição daLocalidade/Nom Município-UF Latitude Longitude Jurisdição Ambiente Ocorrências Ação e da UCClube Caça e UBERLANDIA- 048° 17 18.99Pesca de 18° 55 23.00 S Fora de UC Continental 38 MG WUberlândia 048° 23 03.00Faz. Água Fria ARAGUARI-MG 18° 29 49.99 S Fora de UC Continental 31 W UBERLANDIA- 048° 03 51.00Faz. Pereira 18° 55 40.00 S Fora de UC Continental 14 MG W UBERLANDIA- 048° 13 53.00Faz. São José 18° 51 34.99 S Fora de UC Continental 27 MG WEstação UBERLANDIA- 048° 03 41.00Ecológica do 19° 10 04.00 S Fora de UC Continental 27 MG WPanga UBERLANDIA- 048° 08 45.99Faz. Irara 19° 08 39.00 S Fora de UC Continental 9 MG W
  9. 9. Descrição daLocalidade/Nom Município-UF Latitude Longitude Jurisdição Ambiente Ocorrências Ação e da UCFaz. Exp. do UBERLANDIA- 048° 12 21.99 18° 57 02.99 S Fora de UC Continental 95Glória MG W UBERLANDIA- 048° 24 32.00Cruzeiro 18° 40 26.00 S Fora de UC Continental 11 MG WPARQUENACIONAL DA SAO ROQUE DE 046° 49 23.81 20° 00 11.48 S UC Federal Continental 5SERRA DA MINAS-MG WCANASTRA

×