ESPELHOS
Marcos Tobias
I
Espelhos são almas cadentes,
Transparentes e incoerentes,
Que teimam em roubar
E difamar nossa im...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Espelhos

7 visualizações

Publicada em

Autor: Acad. Marcos Tobias (Cad. 14 - Patrono Evaristo da Veiga)

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Espelhos

  1. 1. ESPELHOS Marcos Tobias I Espelhos são almas cadentes, Transparentes e incoerentes, Que teimam em roubar E difamar nossa imagem. São almas invertidas, Que fingem ser almas vivas E embotam nossa visão. São almas empobrecidas Que negam a própria vida, Que iludem o coração. II Espelhos são formas esguias, Carentes de bela aparência São almas distorcidas e opostas Que, dispersas, se transmutam Em eternas e falsas bossas; São almas perdidas no tempo, No vácuo da imagem transposta. São como tardes vazias ao vento À luz do Sol escondidas e, Num mero esboço refletidas. III Espelhos criam, deformam, enganam Mais que o tempo em seu trajeto, São almas perdidas da luz, Imagens soltas, que não rimam versos. Espelhos corrompem a imagem E sugerem que a forma obscura Liberte-se do desmazelo Tornando a fantasia fatal, Lembrando que a forma é impessoal. IV Espelhos são almas frágeis, cruas, Empedernidas e desiguais, A cometer incesto virtual. São sombras de claro/escuro A pretender o futuro , A esconder segredos fatais. São simples informações que atraem , Nossa vida parca e nos conforta, A dizer que são conceituais. Premiada com 2º lugar no Concurso de Poesias realizado pela Prefeitura de Casimiro de Abreu, em novembro de 2012

×