Guia de manutenção prédios escolares

4.879 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Guia de manutenção prédios escolares

  1. 1. “Uma Rede Física Escolar digna para todos” PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO E OBRAS GUIA - MANUTENÇÃO E CUIDADOS COM OS PRÉDIOS ESCOLARES prédios escolares
  2. 2. Manutenção e cuidados com a rede física das unidades escolares SINALIZAÇÃO A sinalização da sua Unidade Escolar é fundamental para facilitar a circulação do público em geral. Mantenha o LETREIRO com o nome da escola e o TOTEM em bom estado de conservação. Procure manter todas as placas, murais e quadros de aviso sempre em bom estado. TELHADO Quando o telhado não se encontra em bom estado de conservação, as chuvas são capazes de causar grandes danos as construções, tais como goteiras, infiltrações e deterioração de revestimentos. Quando uma telha está danificada deve-se evitar remendos com cimento ou outro tipo de material. O correto é a substituição imediata por outra similar. CALHA Estes elementos têm por função recolher as águas das chuvas provenientes do telhado. Qualquer obstáculo (ex: folhas, ninhos de passarinho) existente no seu interior pode impedir a passagem da água. A limpeza das calhas é fundamental, devendo ser feita periodicamente, principalmente após as chuvas fortes. No entanto, alertamos que esta periodicidade varia de acordo com o telhado, calhas, contribuições do ambiente que a unidade está inserida: muitas árvores, folhas, detritos. COBERTURA E FORRO O motivo da deteriorização de um forro deverá ser solucionado imediatamente, evitando- se maiores consequências nas instalações elétricas. Todas as calhas e lajes de coberturas devem ser mantidas pintadas e impermeabilizadas.
  3. 3. HIDRÁULICA (ÁGUA E ESGOTO) Caixa d’água A limpeza da caixa d’água deverá ser feita, semestralmente, por firma especializada, de acordo com a legislação vigente - Decreto 20.356 de 17/08/1994. Da mesma forma, inspecionar e limpar as cisternas pelo menos duas vezes por ano. O esvaziamento total dos reservatórios possibilita a visualização de possíveis rachaduras que poderão causar vazamentos. É necessário verificar frequentemente: - se a caixa d’água está totalmente fechada, evitando a entrada de poeira, detritos e pequenos animais; - se há vazamento na tubulação entre o hidrômetro e a cisterna; - as instalações hidráulicas do prédio, evitando as torneiras com água pingando ou escorrendo, fazendo-se necessária a substituição das carrapetas das torneiras e eliminação dos vazamentos em caixa de descarga dos banheiros. Bomba d’água Elimine os vazamentos, pois eles resultam em maior acionamento das bombas. È necessário à escola ter duas bombas d’água. Opere as bombas em ponto de maior eficiência. Faça manutenções preventivas periódicas. Verifique se os pontos de partida estão adequados. Esgoto No banheiro – Evitar a colocação de detritos no vaso sanitário. A limpeza de caixas de esgoto em geral, deve ser feita a cada 90 dias. Evite acidentes e acúmulo de lixo, mantendo e substituindo tampas de esgoto e reservatório. Atentar, ainda, para a manutenção das descargas, torneiras e dos assentos sanitários, evitando desperdícios e mantendo o ambiente em condições higiênicas. Regule o tempo de atuação das descargas.
  4. 4. Na cozinha: Deve-se ter cuidado para não permitir a entrada de restos de alimentos no ralo, o que pode causar entupimentos na tubulação. Não jogue também óleo de cozinha na pia. Caixas de Gordura – Ao se resfriar a gordura torna-se sólida e forma blocos que irão entupir a rede. Assim, é necessário pelo manos uma vez por mês limpar a caixa de gordura. A mesma deve ser retirada, ensacada e jogada no lixo e nunca na instalação de esgoto sanitário. ELÉTRICA Uma instalação mal executada pode gerar sérias consequências ao imóvel e seus usuários. Por isso os “improvisos” devem ser evitados. Os disjuntores são dispositivos de proteção que têm vantagem de desarmarem em caso de sobrecarga. Quando isso ocorrer, desligue a chave geral e chame um técnico (eletricista) para uma avaliação. Uma única tomada para diversos aparelhos é uma solução prática, mas muito perigosa. Elimine sobrecarga nos circuitos para evitar o aquecimento dos condutores. Fios desencapados, velhos ou danificados devem ser urgentemente substituídos. Deve-se estar atento, também, para a troca de lâmpadas e reatores, quando necessários. CUIDADO ! Nunca toque em instalações elétricas com as mãos molhadas ou pés descalços em locais úmidos. O choque pode ser inevitável. Evitar instalações que apresentem fiação exposta. Ao adquirir equipamentos elétricos, consulte um profissional habilitado para verificar se a fiação suporta a nova carga. ILUMINAÇÃO Aproveite ao máximo a iluminação natural, abrindo janelas e persianas. Ao encerrar o expediente, verifique se estão desligados os interruptores individuais, deixando apenas o necessário.
  5. 5. Desligue as luzes dos ambientes desocupados. Substituas as lâmpadas convencionais pelas eficientes compactas, de baixo consumo energético. RACHADURAS Quando observadas, orientamos solicitar imediatamente à Coordenadoria, através da Gerência de Infraestrutura, para que seja providenciada uma avaliação técnica. ACESSIBILIDADE Criar condições de acesso aos portadores de necessidades especiais nos prédios escolares. Através de recursos descentralizados recebidos pela escola, o gestor escolar pode viabilizar, gradativamente, algumas condições de acessibilidade na sua unidade escolar. ASPECTOS FUNDAMENTAIS PARA CONSERVAÇÃO/ HIGIENE GERAL Grades / Telas / Vidros – Integridade física dos usuários, segurança, proteção. Substituição imediata de vidros quebrados e manutenção em bom estado das fixações dos mesmos. Além disso, deve se estar atento à pintura interna e externa da unidade, mantendo-a sempre em condições adequadas, bem como a limpeza da unidade escolar, visando um ambiente agradável e acolhedor. A recuperação de mobiliário deve ser uma prioridade. Caso a unidade possua mobiliário a recuperar, orientamos solicitar à Coordenadoria Regional de Educação, através da Gerência de Infraestrutura, a quantidade de fórmica e medidas necessárias para que sejam providenciadas junto ao setor competente – E/SUBG/CIN/GME1. Caso haja interesse em recuperar o mobiliário discente para permanecer na escola, solicite cortes de madeira com fórmica (assento e encosto de madeira, portas, prateleiras, mesas de refeitório) com as medidas devidas. O E/SUBG/GME 1 fornece também letreiro, murais, entre outros. Os conjuntos discentes, biblioteca, refeitório que forem baixados, deverão ser retirados a fim de evitar o acúmulo de material danificado na sua escola.
  6. 6. Manutenção das áreas internas e externas desimpedidas, sem entulho acumulado e nem bens considerados inutilizados por imprestabilidade (providenciar a baixa e retirada dos mesmos com agilidade). Recarga de Extintores de Incêndio – verificar o credenciamento da firma, se é cadastrada no IMETRO, Corpo de Bombeiros. Solicitar a ficha de NR (Normas Regularizadoras). A cada 5 anos o equipamento deve ser testado. Descupinização / Desinsetização - Deve-se viabilizar, periodicamente, a descupinização e desinsetização do prédio escolar, evitando com isso danos ao patrimônio e à saúde escolar. O período das férias escolares é perfeito para acabar com focos de ratos e demais insetos nocivos à saúde das pessoas. Esses serviços deverão ser feitos por firma especializada, para se ter maior segurança quanto à qualidade dos serviços prestados. Os produtos utilizados devem ter licença para comercialização. A sua aplicação deve ser cuidadosa evitando qualquer tipo de dano à saúde da comunidade escolar. Poda - Faz-se necessário solicitar ao órgão competente (COMLURB) os serviços de poda de árvores, evitando-se danos futuros à rede física escolar. Capina - É essencial que se efetue a capina nos pátios internos, bem como em torno da escola, principalmente no período das chuvas. EFICIÊNCIA DA GESTÃO ESCOLAR A comunidade escolar precisar estar permanentemente consciente da necessidade crescente da conservação escolar. A aplicação de recursos descentralizados recebidos pela unidade escolar na manutenção do prédio escolar, de forma preventiva é um importante meio de redução de custos nos orçamentos de reformas e reconstruções, propiciando melhor aplicação do dinheiro público e maiores investimentos na formação humana de nossos usuários.

×