ABRADi-RJO desafio de criar um padrão de redação onlinepara os brasileirosA história da elaboração dePadrões Brasil e-Gov:...
Bruno Rodrigues• sou Consultor de Comunicação e Marketing Digital para a Petrobras desde 1997;• produzi o padrão brasileir...
ABRADi-RJO que são osPadrões Brasil e-Gov’?
ABRADi-RJOs Padrões Web em Governo Eletrônico (e-PWG) sãorecomendações de boas práticas agrupadas em formato decartilhas, ...
ABRADi-RJDocumentos• Cartilha de Codificação - já disponível• Guia de Administração - já disponível• Cartilha de Usabilida...
ABRADi-RJObjetivos• Estabelecer padrões de qualidade de uso, desenho, arquiteturade informação e navegação;• Estabelecer u...
ABRADi-RJBenefícios para o cidadão• Páginas mais leves e coerentes;• Serviços acessíveis em diversos dispositivos;• Facili...
ABRADi-RJ• Guia de AdministraçãoO objetivo do Guia de Administração é oferecer subsídios para a concepção, desenvolvimento...
ABRADi-RJ• Cartilha de Redação WebObjetivos    •    Elaborar um documento que sirva como orientação para gestores de sítio...
ABRADi-RJO início
ABRADi-RJ• Primeiro contato com o Ministério do Planejamento emdezembro de 2008 (ou como agarrar uma oportunidade)• Docume...
ABRADi-RJ‘Notório saber’
ABRADi-RJO que pesou• Meu trabalho ser pioneiro no Brasil;• Ser citado no verbete ‘webwriting’ do ‘Dicionário de Comunicaç...
ABRADi-RJ• A equipe do e-Gov precisou comprovar que esta categoria decontratação realmente se aplicava ao meu caso, o que ...
ABRADi-RJA proposta
ABRADi-RJ• Elaborar um documento que sirva como orientação paragestores de sítios governamentais no que diz respeito a pad...
ABRADi-RJO processo
ABRADi-RJEtapas• Levantamento de padrões de redação online em sítios governamentais do Brasil e exterior;• Diagnóstico de ...
ABRADi-RJMeus pontos de atenção
ABRADi-RJ• Tive a imensa preocupação de peneirar toda e qualquer dica quenão tivesse sido testada ou comprovada ao longo d...
ABRADi-RJ• Qualquer   tentativa de ensinar a escrever ‘diferente’ para aweb foi limada, assim como esclareci muito bem qua...
ABRADi-RJ• Pesquisei  mais de 700 sites em português, inglês, espanhol efrancês ao longo de dois meses para dissecar cada ...
ABRADi-RJ• Perdi a conta de quantas vezes revisei o material, de quantasvezes o texto foi e voltou do e-Gov, de quantos it...
ABRADi-RJA consulta pública
ABRADi-RJ• Opiniões, críticas e elogios – de todos os brasileiros.
ABRADi-RJA validação
ABRADi-RJ• Evento em Brasília com a presença de mais de400 profissionais de comunicação do Governo Federal.
ABRADi-RJO resultado
ABRADi-RJ• Difusão   em treinamentos, seminários e palestras (desde2010);• Documento com acessibilidade digital (2011);• “...
ABRADi-RJA Cartilha
ABRADi-RJ• Objetivo dessa Cartilha• Responsabilidade e manutenção• 1. Introdução       • 1.2 Desmistificando a redação onl...
ABRADi-RJ• 5. A informação além da palavra: Imagem, Áudio e Vídeo      • 5.1 Imagem      • 5.2 Áudio      • 5.3 Vídeo• 6 R...
ABRADi-RJPadrões Brasil e-Gov:Cartilha de Redação Web
ABRADi-RJRedação para a web édiferente de redação para amídia impressa?
ABRADi-RJ• Um texto bem escrito é reconhecido pelo leitor em qualquerveículo, seja ele jornal, revista, rádio ou tevê.• O ...
ABRADi-RJA metáfora da ‘cebola’
1ª CAMADA                                      O                                A Ç Ã                            T        ...
ABRADi-RJPrincípios do Webwriting
ABRADi-RJPersuasão• Quem precisa criar interesse ao que está sendo apresentado etornar clara a informação é o redator web....
ABRADi-RJObjetividade• Lembre-se de que a web é um enorme, imenso arquivo. Tudo oque o visitante busca é acesso à informaç...
ABRADi-RJRelevância• É preciso destacar o que não é mais novidade.• O risco de se transformar em um cemitério de informaçõ...
ABRADi-RJCredibilidade• Um site torna-se referência e é indicado pelo visitante aosamigos quando as informações são crívei...
ABRADi-RJAbrangência• Por que consultar informações e utilizar serviços via internet?• Muitas vezes, a praticidade destas ...
ABRADi-RJEstrutura do Webwriting
Imagem           Título             1ª Camada           Texto da chamadaLegenda da imagem
1ª CamadaTítulos para textos de destaques• Funcionam como um ‘sinalizador’ para o visitante.• Por isso, os títulos precisa...
1ª CamadaTextos de destaques• Deve ser econômico, tanto pela necessidade de objetividade nos aspectos dainformação a ser a...
Título                             2ª Camada           Área cegaTexto principal / Texto- base / Texto-plataforma
2ª CamadaTítulos para textos principais• Deve ser visto como uma ficha com as informações básicas sobre oassunto e por iss...
2ª CamadaTextos principais• Para prender a atenção do visitante, aborde o aspecto mais interessante noprimeiro parágrafo, ...
Título (com granularidade)                               3ª Camada                                    Subtítulo (com granu...
3ª CamadaTítulos para textos de detalhamento [1]• A maioria dos conteúdos em um site é granular, ou seja, umainformação se...
3ª CamadaTítulos para textos de detalhamento [2]• Depois, a cada título/camada deste desdobramento, some cadanova palavra-...
3ª CamadaTextos de detalhamento• É bom lembrar que, hoje em dia, cada vez mais os visitantes acessamdiretamente páginas de...
ABRADi-RJEstrutura do Webwriting[parte 2]
ABRADi-RJFotografia e ilustração• A imagem é um elemento fundamental na primeira camada, onde a empatia precisa serestabel...
ABRADi-RJÍcone• Fotografia e ilustração são reproduções visuais dos aspectos dainformação que se deseja transmitir – espel...
ABRADi-RJInfográfico [1]• Criar um infográfico, seja para a mídia online ou a mídia impressa,é extrair da informação o que...
ABRADi-RJInfográfico [2]• Por isso, ao criar um infográfico, leve em consideração que oentendimento do que está sendo tran...
ABRADi-RJBanner [1]• Em um banner, não cabem longos períodos, mas sim palavras, expressõese frases curtas, e todas precisa...
ABRADi-RJBanner [2]• Banners são perfeitos para servir de apoio à divulgação deeventos e novos serviços e como peças de re...
ABRADi-RJÁudio• Décadas já provaram que a informação veiculada em áudio pode ser maispersuasiva que o texto, por isso, dep...
ABRADi-RJVídeo [1]• Ao registrar e difundir em imagem em movimento o que nãopossuiria o mesmo impacto se veiculada em outr...
ABRADi-RJVídeo [2]• Embora   arquivos de áudio e vídeo possam ser baixados paraaparelhos portáteis e, portanto, os visitan...
ABRADi-RJRedes sociais e microblogs [1]Nas redes sociais, o relacionamento leva à informação• É no contato mais próximo po...
ABRADi-RJRedes sociais e microblogs [2]Nos microblogs, a informação leva ao relacionamento• Poucos caracteres e uma precis...
ABRADi-RJMuito obrigado :-)
ABRADi-RJBruno Rodrigues• livros: ‘Webwriting’ [2000, 2006 e 2012]• padrão brasileiro de redação online: ‘Padrões Brasile-...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

'Padrões Brasil e-Gov: Cartilha de Redação Web'

801 visualizações

Publicada em

Projeto Realizado por Bruno Rodrigues

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

'Padrões Brasil e-Gov: Cartilha de Redação Web'

  1. 1. ABRADi-RJO desafio de criar um padrão de redação onlinepara os brasileirosA história da elaboração dePadrões Brasil e-Gov:Cartilha de Redação Web
  2. 2. Bruno Rodrigues• sou Consultor de Comunicação e Marketing Digital para a Petrobras desde 1997;• produzi o padrão brasileiro de redação online, ‘Padrões Brasil e-Gov: Cartilha deRedação Web’, para o Governo Federal;• sou autor do primeiro livro em português e terceiro no mundo sobre conteúdoonline, ‘Webwriting – Pensando o texto para mídia digital’ (2000), e de suacontinuação, ‘Webwriting – Redação & Informação para a web’ (2006) [nova ediçãoem 2012];• ministro treinamentos in company e presto consultoria em Webwriting e Arquiteturada Informação no Brasil e no exterior. Até o presente momento, já atendi 46 empresase instituições;• sou citado no verbete ‘Webwriting’ do ‘Dicionário de Comunicação’ (EditoraObjetiva, 2001);• sou titular da primeira coluna sobre Webwriting no mundo, elaborada desde 1998 ehoje veiculada na revista online ‘Webinsider’, integrante do UOL;• sou titular da coluna ‘Marketing de Conteúdo’ da revista impressa ‘Wide’, publicaçãointeiramente voltada para profissionais de Comunicação e Marketing Digital.
  3. 3. ABRADi-RJO que são osPadrões Brasil e-Gov’?
  4. 4. ABRADi-RJOs Padrões Web em Governo Eletrônico (e-PWG) sãorecomendações de boas práticas agrupadas em formato decartilhas, com o objetivo de fornecer recomendações de boaspráticas na área digital, aprimorar a comunicação, o fornecimentode informações e os serviços prestados por meios eletrônicospelos órgãos do Governo Federal.
  5. 5. ABRADi-RJDocumentos• Cartilha de Codificação - já disponível• Guia de Administração - já disponível• Cartilha de Usabilidade - já disponível• Cartilha de Redação Web - já disponível• Cartilha de Desenho e Arquitetura de Informação – emdesenvolvimento• Modelos e arquivos-base – em desenvolvimento
  6. 6. ABRADi-RJObjetivos• Estabelecer padrões de qualidade de uso, desenho, arquiteturade informação e navegação;• Estabelecer um fluxo de criação, desenvolvimento emanutenção na gestão dos sítios governamentais;• Consolidar a acessibilidade;• Criar artefatos de acordo com os padrões estabelecidos peloW3C.
  7. 7. ABRADi-RJBenefícios para o cidadão• Páginas mais leves e coerentes;• Serviços acessíveis em diversos dispositivos;• Facilidade de leitura, apreensão do conteúdo e navegação;• Diminuição da curva de aprendizado;• Qualificação na comunicação com o Governo.
  8. 8. ABRADi-RJ• Guia de AdministraçãoO objetivo do Guia de Administração é oferecer subsídios para a concepção, desenvolvimento,manutenção e administração de sítios de governo eletrônico na esfera federal. O Guia também fornecesubsídios para a contratação de empresas e descrição dos papéis e conhecimentos necessários para asequipes envolvidas com o sítio, sendo concebido para ser prático e de fácil consulta.• Cartilha de CodificaçãoO objetivo desse guia é detalhar recomendações de boas práticas em codificação, que orientem as equipesno desenvolvimento de sítios, portais e serviços de governo eletrônico com o propósito de torná-losidentificáveis, portáveis, relevantes, acessíveis e efetivos à população. Esse guia foi concebido para serprático e de fácil consulta.• Cartilha de UsabilidadeEssa cartilha propõe ser um guia na aplicação da usabilidade em sítios da administração pública deforma clara e descomplicada. Aqui serão apresentadas recomendações de usabilidade descritas de formaprática e aplicável, assim como orientações sobre como realizar testes de usabilidade.• Cartilha de Desenho e Arquitetura de InformaçãoDetalha recomendações de boas práticas em desenho e arquitetura da informação, utilização deimagens, identidade visual e navegação
  9. 9. ABRADi-RJ• Cartilha de Redação WebObjetivos • Elaborar um documento que sirva como orientação para gestores de sítios governamentais no que diz respeito a padrões e técnicas de construção de conteúdos; • Através deste documento e de seminários de apresentação, conscientizar os produtores de conteúdo dos sítios governamentais sobre a importância da interatividade Governo/Cidadão, ressaltando a função da boa distribuição de informação como instrumento fundamental no relacionamento com o usuário.
  10. 10. ABRADi-RJO início
  11. 11. ABRADi-RJ• Primeiro contato com o Ministério do Planejamento emdezembro de 2008 (ou como agarrar uma oportunidade)• Documento disponível para download em junho de 2010• 1 ano e 8 meses de: • Paciência; • Foco; • Trabalho; • Sigilo.
  12. 12. ABRADi-RJ‘Notório saber’
  13. 13. ABRADi-RJO que pesou• Meu trabalho ser pioneiro no Brasil;• Ser citado no verbete ‘webwriting’ do ‘Dicionário de Comunicação’;• Ter prestado consultaria e treinados equipes em quase quarenta empresase instituições – muitas governamentais – ao longo de uma década;• Ter escrito dois livros reconhecidos pela área acadêmica.O que não pesou• Ter um blog especializado;• Coluna na web ou em revistas impressas.
  14. 14. ABRADi-RJ• A equipe do e-Gov precisou comprovar que esta categoria decontratação realmente se aplicava ao meu caso, o que demandoualgum tempo.• Depois, foi a minha vez, ou seja, precisei reunir toda minhaprodução impressa e digital na área em quinze anos, de livros amanuais, de cartilhas a colunas em revistas, e enviar tudo paraBrasília.• Além disso, foram solicitadas cartas de comprovação de váriosclientes para os quais prestei serviços.
  15. 15. ABRADi-RJA proposta
  16. 16. ABRADi-RJ• Elaborar um documento que sirva como orientação paragestores de sítios governamentais no que diz respeito a padrões etécnicas de construção de conteúdos;• Através deste documento e de um seminário de apresentação,conscientizar os produtores de conteúdo dos sítiosgovernamentais sobre a importância da interatividade Governo/Cidadão, ressaltando a função da boa distribuição de informaçãocomo instrumento fundamental no relacionamento com ousuário.
  17. 17. ABRADi-RJO processo
  18. 18. ABRADi-RJEtapas• Levantamento de padrões de redação online em sítios governamentais do Brasil e exterior;• Diagnóstico de estilo e estrutura de textos dos sítios governamentais brasileiros [1º Marco doProjeto; entrega 20 dias após a aprovação da Proposta de Serviço];• Elaboração da ‘Cartilha de Redação Web’, o que incluiu: • Redação do documento; • Formatação do documento segundo o modelo de cartilhas do e-Gov;• Entrega do documento para aprovação da equipe do Departamento de Governo Eletrônico [2ºMarco do Projeto; entrega 45 dias após a aprovação da Proposta de Serviço];• Primeira revisão do documento;• Entrega da primeira versão do documento;• Segunda revisão após a Consulta Pública, com inclusão das contribuições realizadas pelaSociedade e aprovadas pelo Departamento de Governo Eletrônico;• Entrega da segunda versão do documento [3º Marco do Projeto];• Revisão final;• Entrega da versão final do documento [4º Marco do Projeto];
  19. 19. ABRADi-RJMeus pontos de atenção
  20. 20. ABRADi-RJ• Tive a imensa preocupação de peneirar toda e qualquer dica quenão tivesse sido testada ou comprovada ao longo de vinte anosde existência da web e uma década de relação onlinegoverno/cidadão.
  21. 21. ABRADi-RJ• Qualquer tentativa de ensinar a escrever ‘diferente’ para aweb foi limada, assim como esclareci muito bem qualquerassociação imediata entre webwriting e jornalismo online, já que amaioria das informações dos sites governamentais não énoticiosa, e sim institucional ou sobre serviços.
  22. 22. ABRADi-RJ• Pesquisei mais de 700 sites em português, inglês, espanhol efrancês ao longo de dois meses para dissecar cada detalhe do quejá foi feito lá fora, do bom ao ruim.• Fiz uma radiografia profunda de cada um dos sitesgovernamentais da esfera pública federal brasileira.• Para costurar toda esta pesquisa, coloquei para trabalhar meuolhar, minha experiência.
  23. 23. ABRADi-RJ• Perdi a conta de quantas vezes revisei o material, de quantasvezes o texto foi e voltou do e-Gov, de quantos itens foramincluídos e retirados da ‘Cartilha’.• Mas quem dava o tom era eu, todo o tempo, e essa liberdadefoi fundamental.
  24. 24. ABRADi-RJA consulta pública
  25. 25. ABRADi-RJ• Opiniões, críticas e elogios – de todos os brasileiros.
  26. 26. ABRADi-RJA validação
  27. 27. ABRADi-RJ• Evento em Brasília com a presença de mais de400 profissionais de comunicação do Governo Federal.
  28. 28. ABRADi-RJO resultado
  29. 29. ABRADi-RJ• Difusão em treinamentos, seminários e palestras (desde2010);• Documento com acessibilidade digital (2011);• “Perguntas e Respostas” (2011);• Mais de 20.000 mil downloads (2012);• Documento referência para o Knight Center for Journalismin the Americas (University of Texas) (2012).
  30. 30. ABRADi-RJA Cartilha
  31. 31. ABRADi-RJ• Objetivo dessa Cartilha• Responsabilidade e manutenção• 1. Introdução • 1.2 Desmistificando a redação online: alguns esclarecimentos• 2. Aspectos da redação web: os pontos cardeais • 2.1 Persuasão • 2.2 Objetividade • 2.3 Relevância • 2.4 Credibilidade • 2.5 Abrangência• 3. Entendendo a distribuição de uma informação em um sítio: a metáfora da cebola 13 • 3.1 Preparando-se para elaborar textos web• 4. Redigindo para a web: Títulos, textos e links • 4.1 Títulos para textos de destaques • 4.2 Textos de destaques • 4.3 Títulos para textos principais • 4.4 Textos principais • 4.5 Títulos para textos de detalhamento • 4.6 Textos de detalhamento • 4.7 Links
  32. 32. ABRADi-RJ• 5. A informação além da palavra: Imagem, Áudio e Vídeo • 5.1 Imagem • 5.2 Áudio • 5.3 Vídeo• 6 Redação web para seções comuns a sítios governamentais • 6.1 Conteúdos institucionais • 6.2 Conteúdos sobre serviços • 6.3 Redação web para seções de comunicação e relacionamento• 7 Redação web para mídias sociais • 7.1 Blogs corporativos • 7.2 Microblogs• 8. Responsabilizando-se pelo conteúdo: o melhor para o cidadão, sempre • 8.1 Arquitetura da Informação • 8.2 Usabilidade • 8.3 Otimização para Sistemas de Busca • 8.4 Acessibilidade Digital • 8.5 Direito Digital• 9. Ortografia e gramática: pontos de atenção• 10. Recursos• 11. Glossário
  33. 33. ABRADi-RJPadrões Brasil e-Gov:Cartilha de Redação Web
  34. 34. ABRADi-RJRedação para a web édiferente de redação para amídia impressa?
  35. 35. ABRADi-RJ• Um texto bem escrito é reconhecido pelo leitor em qualquerveículo, seja ele jornal, revista, rádio ou tevê.• O texto de um site é, antes de tudo, parte de uma grandeimagem na tela de um computador.• O texto tem peso dois: leva vantagem porque os testescomprovam que os visitantes de sites preferem asinformações básicas em formato texto, mas é precisocaprichar – os outros formatos estão bem ao lado, estimulandotodo o tempo a continuidade da navegação.
  36. 36. ABRADi-RJA metáfora da ‘cebola’
  37. 37. 1ª CAMADA O A Ç Ã T 2ª CAMADA N O E M S U 3ª CAMADA E S R E N T O P M EA R A H L A T E D
  38. 38. ABRADi-RJPrincípios do Webwriting
  39. 39. ABRADi-RJPersuasão• Quem precisa criar interesse ao que está sendo apresentado etornar clara a informação é o redator web.• Dê total atenção ao que é produzido. Trate com enormeimportância a informação que está sendo oferecida.• Disponibilize dados completos, e aborde todos os aspectospossíveis sobre o tema. A ideia é esgotar todas aspossibilidades.
  40. 40. ABRADi-RJObjetividade• Lembre-se de que a web é um enorme, imenso arquivo. Tudo oque o visitante busca é acesso à informação.• A ajuda fundamental que o redator web pode oferecer ao visitante éfechar o cerco aos aspectos da informação que ele deseja, e dar-lheexatamente o que precisa – sem ruído, sem lacuna, sem sobra.• A função do redator web é lapidar a informação, oferecendo apenasos aspectos de real interesse e descartando o que não possuifuncionalidade.
  41. 41. ABRADi-RJRelevância• É preciso destacar o que não é mais novidade.• O risco de se transformar em um cemitério de informações é grande.• Por isso, após um tempo fora da zona de destaque, é preciso que umainformação readquira a relevância e retorne à primeira página do site.• Muitos são os conteúdos esquecidos nos sites porque o redator não percebe queé muito provável que haja conteúdos interessantes – e úteis - ao longo daspáginas.• Lidar com o conteúdo de um site como se tudo fosse material noticioso - e porisso só recebe destaque durante algum tempo - é uma característica da mídiaimpressa que não se aplica ao ambiente virtual.
  42. 42. ABRADi-RJCredibilidade• Um site torna-se referência e é indicado pelo visitante aosamigos quando as informações são críveis, ou seja, foramtomados todos os cuidados de apuração até que um textofosse publicado.• Cheque todas as informações e as revise minuciosamente atéque elas possam ser disponibilizadas, portanto.
  43. 43. ABRADi-RJAbrangência• Por que consultar informações e utilizar serviços via internet?• Muitas vezes, a praticidade destas tarefas serem realizadas não ficatão clara ao longo de um site e muito se perde em persuasão.• É preciso que o visitante seja constantemente lembrado dasvantagens do ambiente virtual: o acesso imediato, o confortoindiscutível, a atualização constante, a abrangência das informaçõesoferecidas e a rapidez no contato são os principais benefícios quemerecem ser repetidos sempre que possível.
  44. 44. ABRADi-RJEstrutura do Webwriting
  45. 45. Imagem Título 1ª Camada Texto da chamadaLegenda da imagem
  46. 46. 1ª CamadaTítulos para textos de destaques• Funcionam como um ‘sinalizador’ para o visitante.• Por isso, os títulos precisam incluir a palavra-chave que defina oaspecto da informação que será apresentada logo a seguir, no textodo destaque.•Este recurso auxilia o visitante a ‘escolher’ a informação que eledeseja entre as outras que lhe são apresentadas na página.
  47. 47. 1ª CamadaTextos de destaques• Deve ser econômico, tanto pela necessidade de objetividade nos aspectos dainformação a ser acessada, como por uma questão de espaço.• Estimule a ação e abuse de verbos e expressões como ‘conheça’, ‘descubra,‘consulte’ e etc..• Não há por que repetir aspectos de uma informação em cada um doselementos do destaque. Ou seja, se o título do destaque aborda um determinadodado sobre a informação, ela não deve se repetir no texto do destaque.• Isso também não deve acontecer entre a imagem e sua legenda; embora tenhamuma relação óbvia, uma legenda precisa descrever o que há na imagem, mastambém acrescentar novos dados sobre a informação a que o destaque serefere.
  48. 48. Título 2ª Camada Área cegaTexto principal / Texto- base / Texto-plataforma
  49. 49. 2ª CamadaTítulos para textos principais• Deve ser visto como uma ficha com as informações básicas sobre oassunto e por isso seu título precisa ser elaborado para funcionar como umidentificador, como uma aleta em uma pasta de um arquivo.• Assim, da mesma forma que acontece no título do destaque da Camada deApresentação, é preciso que a palavra-chave ou expressão-chave doassunto esteja presente no título do texto principal.• Isso facilita a assimilação imediata de qual tema será tratado no texto aseguir.• Testes de uso de sites comprovam que repetir o título do destaque comotítulo do texto principal ajuda na fluidez de navegação entre as camadas.
  50. 50. 2ª CamadaTextos principais• Para prender a atenção do visitante, aborde o aspecto mais interessante noprimeiro parágrafo, e só depois apresente os outros.• Como a leitura em telas de computador é feita da esquerda para a direita, procuredeslocar a palavra principal de cada uma das frases do texto – em especial a daprimeira - para o início da frase.• Dentro do possível, restrinja cada parágrafo a uma ideia, apenas. Assim, serápossível criar textos em pedaços, facilitando a leitura na tela.• Da mesma forma, tente estruturar o conteúdo em itens e não em texto corrido:isso também facilita a absorção da informação.• Grife, de preferência em negrito, a palavra-chave que defina cada parágrafo.
  51. 51. Título (com granularidade) 3ª Camada Subtítulo (com granularidade) Área cegaTexto principal / Texto- base / Texto-plataforma
  52. 52. 3ª CamadaTítulos para textos de detalhamento [1]• A maioria dos conteúdos em um site é granular, ou seja, umainformação se desdobra, camada após camada, como umaforma do redator distribuir o conteúdo de maneira eficaz.• Os títulos dos textos podem auxiliar para que esta granularidadeseja coesa: em cada título de conteúdo que está sendo desdobrado,basta não se esquecer de inserir a palavra-chave ou expressão-chave que identifique o exato aspecto da informação que está sendotratada naquela página.
  53. 53. 3ª CamadaTítulos para textos de detalhamento [2]• Depois, a cada título/camada deste desdobramento, some cadanova palavra-chave à palavra-chave anterior.• Para que a qualidade da redação do título não seja prejudicadacom esta associação contínua de palavras, crie subtítulos paraabrir espaço na tarefa de sinalizar conteúdos.
  54. 54. 3ª CamadaTextos de detalhamento• É bom lembrar que, hoje em dia, cada vez mais os visitantes acessamdiretamente páginas de detalhamento, vindos de mecanismos de busca, sempassar pelo texto principal.• Não é preciso atentar para o tamanho dos textos das Camadas deDetalhamento. O visitante espera encontrar nestas páginas todos os detalhes queprocura.• Contudo, o bom senso deve prevalecer. O conteúdo expandido não deve ser vistocomo um repositório de informações, mas sim como a continuidade do trabalhodo redator em informar e persuadir o visitante.• O conteúdo de detalhamento não precisa ficar restrito a uma página, apenas. Épossível criar desdobramento de informações em páginas e camadas subsequentes.
  55. 55. ABRADi-RJEstrutura do Webwriting[parte 2]
  56. 56. ABRADi-RJFotografia e ilustração• A imagem é um elemento fundamental na primeira camada, onde a empatia precisa serestabelecida de imediato com o visitante.• Atente para o tamanho da fotografia e da ilustração dispostas em uma página. Imagensem tamanho médio ou grande podem ser veiculadas em Camadas Genéricas ou deDetalhamento sem problema algum. Contudo, dependendo dos elementos que compõema imagem, não é possível observar detalhes. Assim, sempre dê a opção de ampliá-la.• Quanto à Camada de Apresentação, deve-se tomar mais cuidado. Com exceção daimagem de maior destaque, que normalmente é veiculada em tamanho médio ou grande,as outras são publicadas em tamanho menor, e por isso devem ser escolhidas e tratadas deoutra forma: privilegie imagens que lidam com detalhes (um rosto, por exemplo) ouque sejam autoexplicativas (logomarcas). Descarte imagens panorâmicas ou com muitoselementos, portanto.
  57. 57. ABRADi-RJÍcone• Fotografia e ilustração são reproduções visuais dos aspectos dainformação que se deseja transmitir – espelhos da realidade, aindaque estilizados, em alguns casos.• O ícone, por sua vez, é a representação de um ou mais aspectosda informação. É justamente a força da representação o ponto a setomar cuidado na utilização de ícones.
  58. 58. ABRADi-RJInfográfico [1]• Criar um infográfico, seja para a mídia online ou a mídia impressa,é extrair da informação o que existe de essencial e utilizarrecursos da comunicação visual para veiculá-la.• Na prática, existem duas funções para o infográfico: ser uminstrumento de resumo para a informação e uma alternativa aotexto como forma de comunicação.
  59. 59. ABRADi-RJInfográfico [2]• Por isso, ao criar um infográfico, leve em consideração que oentendimento do que está sendo transmitido precisa serimediato, já que se deseja o máximo de objetividade e clareza.• É a informação o principal elemento em um infográfico, e não aimagem - ela deve servir apenas como pano de fundo, ainda quetenha grande relevância. Cuidado ao selecioná-la, portanto.
  60. 60. ABRADi-RJBanner [1]• Em um banner, não cabem longos períodos, mas sim palavras, expressõese frases curtas, e todas precisam ser informativas e persuasivas.• Ele é um elemento de apoio em uma página web, e não seu maior foco deatenção.• Editorialmente, o destaque de primeira página é o recurso utilizado paracaptar a atenção do visitante para as informações mais importantes que sedeseja veicular.• O banner, por sua vez, lida com informações que não são as maisurgentes ou as mais importantes, mas as que podem ser assimiladas semproblema após o visitante ter checado os destaques.
  61. 61. ABRADi-RJBanner [2]• Banners são perfeitos para servir de apoio à divulgação deeventos e novos serviços e como peças de reforço online paracampanhas.• Cuidado, também, com a estrutura de uma informação a serveiculada através de banners com animação (normalmente emFlash). A animação possibilita a sucessão de frases e imagens emum mesmo banner, o que muitas vezes é excessivo para quem ovisualiza.
  62. 62. ABRADi-RJÁudio• Décadas já provaram que a informação veiculada em áudio pode ser maispersuasiva que o texto, por isso, dependendo do que se tem em mãos, ofereçaao visitante do site a informação em áudio.• Por isso, a entrevista com uma autoridade, o trecho de um discurso ou a fala deum visitante, disponíveis em áudio, podem funcionar como complemento àinformação textual. Este recurso torna o texto mais real, o que é fundamentalpara a persuasão.• Nem sempre é possível para o visitante ouvir o arquivo em áudio nocomputador, ou mesmo baixá-lo para aparelhos portáteis, por isso éimprescindível oferecer ao visitante a transcrição do arquivo. Desta forma, ovisitante nunca perde acesso à informação.
  63. 63. ABRADi-RJVídeo [1]• Ao registrar e difundir em imagem em movimento o que nãopossuiria o mesmo impacto se veiculada em outro formato, o vídeoconsegue abarcar a informação sem perder um aspecto queseja, e ainda contam com a ajuda integral de dois dos nossossentidos: visão e audição.• Ao oferecer acesso direto à fonte da informação, a utilização dovídeo na web – mídia conhecida por quebrar barreiras entre ainformação, quem a produz e quem a consome - garantetransparência e credibilidade ao site, e é relevante na construçãoda empatia com o visitante.
  64. 64. ABRADi-RJVídeo [2]• Embora arquivos de áudio e vídeo possam ser baixados paraaparelhos portáteis e, portanto, os visitantes de sites possam ouvi-los ou assisti-los longe do computador, ainda é comum quemuitos acessem estes arquivos nos próprios sites.• Para resolver estas questões, edite os arquivos em capítulos decurta duração e crie pequenos resumos em texto para cada umdeles. É uma tarefa que pode parecer trabalhosa, mas é umamaneira muito eficaz de facilitar o acesso à informação.
  65. 65. ABRADi-RJRedes sociais e microblogs [1]Nas redes sociais, o relacionamento leva à informação• É no contato mais próximo possível com uma marca que o usuárioconhece seus produtos, serviços e a própria empresa, e nenhum ambienteé tão propício que uma rede. Mas só existe interesse se há informação; esó há informação se os ‘embaixadores’ da marca estão presentes na redetodo o tempo.• É a conversa que gera o interesse pela marca nestes ambientes; quantomais contato, mais persuasão. Mas, atenção: informação perene eorganizada mora em sites, e não em redes – o que não impede que elastambém estejam lá, é claro. Papo e palavra levam à persuasão, que por suavez leva à informação, seja onde ela estiver.
  66. 66. ABRADi-RJRedes sociais e microblogs [2]Nos microblogs, a informação leva ao relacionamento• Poucos caracteres e uma precisão cirúrgica sobre o que dizer. Em um postde um microblog, quem faz contato é a informação. O usuário passa rápido,assimila o que quer e o que pode.• Continuidade não existe; a fidelidade só existe na teoria, lá atrás, quando ousuário começou a seguir o perfil da marca. Por isso, não conte comencadeamento de ideias. Dê seu recado e continue o trabalho. Dê o que ousuário deseja ali mesmo e trabalhe pelo relacionamento. Sempre quepossível, encaminhe-o para as redes, onde há mais informação e contato. E,mais uma vez, valorize o site, pois lá estão as informações mais profundas, e– que não caia no esquecimento – as tradicionais ferramentas derelacionamento.
  67. 67. ABRADi-RJMuito obrigado :-)
  68. 68. ABRADi-RJBruno Rodrigues• livros: ‘Webwriting’ [2000, 2006 e 2012]• padrão brasileiro de redação online: ‘Padrões Brasile-Gov: Cartilha de Redação Web’• email: bruno-rodrigues@uol.com.br• blog: www.bruno-rodrigues.blog.br• twitter: www.twitter.com/brunorodrigues• facebook: www.facebook.com/brunorodrigues.fb

×